Dissertação de Mestrado Isabela Cristina de Oliveira ...· Figura 4 Aumento fracionado da tensão

Embed Size (px)

Text of Dissertação de Mestrado Isabela Cristina de Oliveira ...· Figura 4 Aumento fracionado da tensão

Centro Federal de Educao Tecnolgica de Minas Gerais

Dissertao de Mestrado

Isabela Cristina de Oliveira Alencar

Influncia do modo de deformao plstica no endurecimento do ao BH 220

Belo Horizonte / MG

2018

Centro Federal de Educao Tecnolgica de Minas Gerais

Isabela Cristina de Oliveira Alencar

Influncia do modo de deformao plstica no endurecimento do ao BH 220

Dissertao de Mestrado apresentada ao Programa

de Ps-Graduao em Engenharia de Materiais do

CEFET-MG, como parte integrante dos requisitos

para a obteno do ttulo de Mestre em Engenharia

de Materiais.

rea de concentrao: Cincia e Desenvolvimento de Materiais

Linha de Pesquisa: Seleo, Processamento e Caracterizao

Orientador: Prof. Dr. Wellington Lopes

Belo Horizonte / MG

2018

Ficha catalogrfica elaborada pela Biblioteca - Campus I / CEFET-MG Bibliotecria: Rosiane Maria Oliveira Gonalves - CRB/6-2660

Alencar, Isabela Cristina de Oliveira. A368i Influncia do modo de deformao plstica no endurecimento do

ao BH 220 / Isabela Cristina de Oliveira Alencar. - 2018. 88 f. : il., fotos, grafs., tabs. Orientador: Wellington Lopes. Dissertao (mestrado) - Centro Federal de Educao

Tecnolgica de Minas Gerais, Programa de Ps-Graduao em Engenharia de Materiais, Belo Horizonte, 2018.

Bibliografia.

1. Ao - Metalurgia. 2. Bake-hardening. 3. Metais - Propriedades mecnicas. 4. Cisalhamento. I. Lopes, Wellington. II. Ttulo.

CDD: 620.1123

DEDICATRIA

A minha me Maria Snia, e ao meu marido Rafael,

por todo apoio e inspirao para a rea acadmica.

Pois o Senhor quem d sabedoria;

de sua boca procedem

o conhecimento e o discernimento.

(Provrbios 2:6)

https://www.bibliaon.com/versiculo/proverbios_2_6/

AGRADECIMENTO

Primeiramente gostaria de agradecer ao autor da minha vida, Deus, por me guiar e

capacitar durante toda a trajetria do mestrado, possibilitando-me alcanar mais esta

conquista na minha vida.

A minha me, pelo suporte indispensvel para toda minha formao. Que nunca

poupou esforos para me ajudar e encorajar. Com suas palavras, sbios conselhos

e experincias de vida. E por nunca me deixar desistir. Ao meu marido e amor,

mestre Rafael Alves, por ter me encorajado e me feito acreditar que sou capaz. Por

ter compreendido minha ausncia, estresses e por ter me substitudo onde fosse

necessrio. Inclusive ter efetivamente me ajudado no que julgou possvel. A todas as

minhas amigas que h dois anos me ouvem reclamar dessa rdua caminhada,

sempre me proporcionando momentos de descontrao e me encorajando com suas

palavras.

Ao meu orientador, Professor Dr. Wellington Lopes, que me deu a oportunidade de

ingressar no mestrado e por desenvolver junto comigo esta pesquisa, sendo

imprescindvel no desenvolvimento e sucesso do mesmo. A Professora Dr. Elaine

Carballo, excepcional profissional, sempre agregando ao nosso trabalho seu

perfeccionismo, suas novas ideias e dividindo comigo seu conhecimento.

Ao Cefet-MG pela oportunidade, por fornecer o incentivo financeiro durante esta

jornada e toda estrutura oferecida, em especial aos professores e funcionrios do

Departamento de Engenharia de Materiais. As amigas do mestrado em Engenharia

de Materiais e ao pessoal do Laboratrio de Metalografia, vocs tornaram essa

jornada muito mais agradvel, leve e divertida. Sem vocs no teria a mesma graa.

Ao Laboratrio de Ensaios Especiais e Laboratrio de Conformao Mecnica da

UFMG, pela execuo de grande parte dos ensaios. A Usiminas pelo fornecimento

do material, indispensvel para realizao da pesquisa.

E a todos aqueles que de alguma forma contriburam para a concluso deste

trabalho.

RESUMO

O endurecimento de um ao provocado pelo efeito bake hardening depende de

diversas variveis, dentre as quais, a quantidade de pr-deformao adotada antes

da execuo do tratamento trmico, o qual visa simular a operao de cura da

pintura praticada no ambiente da indstria automotiva, alm da direo de

solicitao mecnica (anisotropia). Considerando esses aspectos, este trabalho

apresenta o estudo do efeito BH para o ao BH 220 aps deformao feita por dois

modos distintos de carregamento mecnico: trao e cisalhamento, sendo a

deformao plstica para esse ltimo modo de solicitao mecnica aplicada de

modo monotnico e combinado (deformaes sucessivas de 0 e 90 e de 90 a 0

em relao direo de laminao, DL, original da chapa) para valores de

deformao efetiva aproximada de 1%, 2%, 3% e 4% em trao e em cisalhamento

de amostras retiradas a 0 DL e a 90 DL. Os resultados indicaram a influncia do

modo e da quantidade de pr-deformao no efeito BH, alm da direo de

solicitao mecnica, sendo percebido o maior endurecimento por efeito Bake

Hardening para o esforo de trao conduzido a na direo original de laminao da

chapa, a 0 DL e para o menor valor de pr-deformao adotado (1,0% de

deformao efetiva).

Palavras chave: ao BH 220, bake hardening, propriedades mecnicas e efeito BH.

ABSTRACT

The hardening of steel caused by the bake hardening effect depends on several

variables, such as, the amount of pre-deformation used before the heat treatment,

similar to the paint curing operation in the automotive industry, and the direction of

mechanical solicitation (anisotropy). Considering these aspects, this work presents

the study of the BH effect for the BH 220 steel after deformation made by two

different modes of mechanical loading: tensile and shear for several values of pre-

straining. The shearing tests were applied in a monotonic and a combined manner,

i.e., the shearing tests were conducted at 0 RD (rolling direction) before the heat

treatment followed by shearing ate 90 RD and vice versa. The results indicated the

influence of the mode and amount of pre-deformation on the BH effect, in addition to

the mechanical stress direction, with a higher Bake Hardening effect for the tensile

stress conducted in the original laminating direction of the plate, 0 DL and for the

smaller pre-strain value adopted (1.0% effective deformation).

Keywords: BH 220 steel, mechanical properties, BH effect.

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 Mudanas nos aos laminados a frio para a indstria

automobilstica ........................................................................

22

Figura 2 Mecanismo de envelhecimento por deformao e aumento

da resistncia do material proveniente do efeito BH ................

25

Figura 3 Estgios do mecanismo de envelhecimento por deformao .. 28

Figura 4 Aumento fracionado da tenso de escoamento / x t2/3

para amostras de cristais simples temperados a partir de

700C .......................................................................................

29

Figura 5 Representao esquemtica de um forno de recozimento em

caixa .........................................................................................

30

Figura 6 Ciclos de processamento de chapas finas para estampagem . 32

Figura 7 Efeito do tempo de envelhecimento no valor BH de um ao

baixo carbono tratado por recozimento contnuo .....................

34

Figura 8 Relao da variao do limite de escoamento e o tempo de

envelhecimento ........................................................................

35

Figura 9 Processo de envelhecimento em um ao ultra baixo carbono . 36

Figura 10 Efeito da concentrao de soluto intersticial de carbono no

efeito BH ..................................................................................

37

Figura 11 Relao entre o excesso de Ti e as propriedades mecnicas

de um ao IF-Ti ........................................................................

39

Figura 12 Variao das propriedades mecnicas com o teor de Nb em

excesso em um ao IF estabilizado ao Ti-Nb ..........................

40

Figura 13 Influncia do mangans sobre o efeito BH ............................ 41

Figura 14 Efeito do tamanho de gro em propriedades mecnicas ......... 43

Figura 15 Resposta do efeito BH devido as atmosferas de Cottrell e

formao de precipitados em funo de diferentes nveis de

deformao a diferentes temperaturas de envelhecimento .....

44

Figura 16 Efeito da temperatura e dos nveis de pr deformao no

valor BH ...................................................................................

45

Figura 17 Efeito da pr deformao para os diferentes aos

apresentados na Tabela 3 .......................................................

46

Figura 18 Relao entre o efeito BH e o nvel de pr deformao .......... 46

Figura 19 Variao da densidade de discordncias em funo do grau

de pr deformao ...................................................................

49

Figura 20 Influncia da pr deformao na densidade de discordncias

em um ao baixo carbono laminado a frio aps tratamento a

170C p