TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA viewPg.21 Tribunal de Contas de Santa Catarina - Dirio Oficial Eletrnico n 2008- Tera-Feira, 16 de agosto de 2016 Dirio Oficial Eletrnico Tera-Feira,

  • View
    219

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA viewPg.21 Tribunal de Contas de Santa Catarina - Dirio Oficial...

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Dirio Oficial Eletrnico

Tera-Feira, 16 de agosto de 2016 - Ano 9 n 2008

Pg.21

Tribunal de Contas de Santa Catarina - Dirio Oficial Eletrnico n 2008- Tera-Feira, 16 de agosto de 2016

ndice

Deliberaes do Tribunal Pleno, Decises Singulares e Editais de Citao e Audincia1

Medida Cautelar Concedida1

Medidas Cautelares Indeferidas1

Administrao Pblica Estadual1

Poder Executivo1

Administrao Direta1

Fundos2

Autarquias3

Poder Legislativo5

Tribunal de Contas do Estado5

Administrao Pblica Municipal6

Alfredo Wagner6

Balnerio Cambori6

Biguau7

Blumenau7

Florianpolis7

Joinville7

Monte Carlo9

Penha9

Rio do Sul10

Rodeio10

So Bento do Sul10

So Jos10

Atas das Sesses11

Atos Administrativos19

Licitaes, Contratos e Convnios21

Deliberaes do Tribunal Pleno, Decises Singulares e Editais de Citao e Audincia

Medida Cautelar Concedida

O Plenrio do Tribunal de Contas ratificou em sesso ordinria realizada em 15/08/2016, nos termos do 1 do Art. 114-A do Regimento Interno deste Tribunal, a medida cautelar exarada no processo n REP-16/00346801 pelo Auditor Cleber Muniz Gavi em 11/08/2016, publicada no Dirio Oficial Eletrnico do Tribunal em 15/08/2016, sustando imediatamente, at deliberao ulterior deste Tribunal, a Concorrncia Pblica n. 075/2016 lanado pela Prefeitura de Palhoa, cujo objeto a gesto, operao e manuteno dos sistemas de abastecimento de gua e esgotamento sanitrio, incluindo mo de obra e fornecimento de todo o material.

Luiz Roberto Herbst

Presidente

Medidas Cautelares Indeferidas

O Plenrio do Tribunal de Contas ratificou em sesso ordinria realizada em 15/08/2016, nos termos do 1 do Art. 114-A do Regimento Interno deste Tribunal, a no concesso das medidas cautelares suscitadas e exaradas nos processos ns.:

REP-16/00354227 pelo Auditor Cleber Muniz Gavi em 10/08/2016, publicada no Dirio Oficial Eletrnico do Tribunal em 12/08/2016, que pretendia a suspenso da Dispensa de Licitao n 29/2016 da Prefeitura Municipal de Palhoa, relativo prestao de servio tcnicos especializados na operao e manuteno do sistema de abastecimento de gua e de esgotamento sanitrio; e

REP-16/00319820 pelo Auditor Gerson dos Santos Sicca em 10/08/2016, publicada no Dirio Oficial Eletrnico do Tribunal em 12/08/2016, que pretendia a suspenso do Prego Presencial n 140/PMC/2016 da Prefeitura Municipal de Cricima, relativo aquisio de materiais para desenvolvimento integral cognitivo e social de alunos e professores, com capacitao presencial especializada de apoio didtico e pedaggico.

Luiz Roberto Herbst

Presidente

Administrao Pblica Estadual

Poder Executivo

Administrao Direta

1. Processo n.: @APE 15/00515903

2. Assunto: Transferncia para Reserva Remunerada de Mauro Joo Genoveva

3. Interessado: Polcia Militar do Estado de Santa Catarina

Responsvel: Paulo Henrique Hemm

4. Unidade Gestora: Polcia Militar do Estado de Santa Catarina

5. Unidade Tcnica: DAP

6. Deciso Singular n.: GAC/HJN 443/2016

O Relator, fundamentado nas manifestaes uniformes da Diretoria Tcnica e do Ministrio Pblico de Contas, e com base no art. 38, 1, do Regimento Interno, com a redao dada pela Resoluo n. 98/2014, DECIDE

6.1. Ordenar o registro do ato de transferncia para reserva remunerada, concedida com fundamento no art. 22, XXI, da CF/88 c/c o art. 4, do Dec. Lei n 667/69 e art. 107, da CE/89 e tambm com base na portaria n 2400/GEREH/DIGA/GAB/SSP/2010 e ainda com base no inciso IV do 1 e inciso II do art. 50, inciso I do art. 100, inciso I do art. 103, e caput do art. 104, da Lei n 6.218, de 10 de fevereiro de 1983., submetido anlise do Tribunal nos termos do art. 34, inciso II, combinado com o art. 36, 2, alnea b, da Lei Complementar n 202, de 15 de dezembro de 2000, do militar Mauro Joo Genoveva, da Polcia Militar do Estado de Santa Catarina, ocupante do posto de 3 Sargento, nvel 02/04/01, matrcula n 913672-0, CPF n 540.849.709-72, consubstanciado no Ato n 427/PMSC/2015, de 28/04/2015, considerado legal conforme anlise realizada.

6.2. Dar cincia da Deciso Polcia Militar do Estado de Santa Catarina.

7. Data: 15/07/2016

HERNEUS DE NADAL

Relator

Processo n: RLA 16/00171491

Unidade Gestora: Agncia de Desenvolvimento Regional de Joinville, sucessora da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional Joinville

Responsvel: Simone Schramm, Secretria Executiva da ADR de Joinville

Espcie: Auditoria de Regularidade em Licitaes e Contratos

Assunto: Verificao do Cumprimento do item 6.3 da Deciso 0570/2015 exarada no Processo REP-1400598149.

Despacho n GAGSS 050/2016

Tratam os autos de exame de Auditoria de Regularidade em Licitaes e Contratos para a verificao do Cumprimento do item 6.3 da Deciso n 0570/2015 exarada no processo n REP-14/00598149. A determinao assim assentou:

6.3. Determinar Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Joinville que, na avaliao das propostas tcnicas, especialmente quanto experincia da equipe tcnica, item 8.5.1 do Edital, permita que o coordenador geral da equipe seja tambm um engenheiro civil ou arquiteto e urbanista, pontuando estes profissionais conforme Anexo IV (item 2 do Relatrio de Instruo DLC n. 118/2015).

Aps a vinda dos documentos de fls. 05-09 pela instruo da Diretoria de Controle de Licitaes e Contrataes (DLC), a diretoria exarou o Relatrio o Relatrio de Instruo n DLC 219/2016 (fls. 10-11), e props na sua concluso:

Considerando que a Deciso n 0570/2015 determinou a esta Diretoria que inclusse na programao de auditoria a verificao do cumprimento do item 6.3 da mesma Deciso pela ento Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Joinville.

Considerando que, conforme Ata da Reunio para Anlise das Propostas Tcnicas, nenhuma das proponentes indicou para o cargo de Coordenador Geral da Equipe os profissionais de engenharia civil ou arquiteto e urbanista, objeto da determinao.

Diante do exposto, a Diretoria de Controle de Licitaes e Contrataes sugere ao Exmo. Sr. Relator:

3.1. Atestar o cumprimento pela ento Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Joinville do previsto no item 6.3 da Deciso n 0570/2015, exarada na sesso de 01/06/2015 e publicada a DOE/TCE em 01/07/2015.

3.2. Dar Cincia Agncia de Desenvolvimento Regional de Joinville.

3.3. Determinar o arquivamento dos presentes autos.

O Ministrio Pblico de Contas, por intermdio do Parecer n MPTC/42433/2016 opinou no mesmo sentido (fls. 13-15).

Vieram os autos conclusos. o relatrio. Passo a decidir.

O corpo instrutivo verificou que a Agncia de Desenvolvimento Regional de Joinville cumpriu a determinao no sentido de observar, na avaliao das propostas tcnicas, que o coordenador geral da equipe previsto no item 8.5.1 do Edital pudesse ser tambm um engenheiro civil ou arquiteto e urbanista, com a regular pontuao destes profissionais nos termos do Anexo IV do Edital.

A DLC, em que pese no tenha sido juntado boletim de pontuao das propostas, inferiu que a deciso foi cumprida, pois verificou que (fl. 10v):

[...] na Ata da Reunio para Anlise das Propostas Tcnicas (fls. 07 a 08), que a Unidade tinha conhecimento da determinao e que no efetuou tal pontuao pelo fato de nenhuma das proponentes ter indicado para o cargo de Coordenador Geral da Equipe os profissionais de engenharia civil ou arquiteto e urbanista.

Na Ata de Reunio para Anlise das propostas tcnicas, a comisso constou:

1) Engebio Engenharia a) Coordenador no atende as exigncias do item 8.5.1I do Edital, foi indicado engenheiro qumico e no comprova experincia com atestado e respectiva CAT, nmeros no conferem. Resposta: Procede, o Edital pede engenheiro sanitarista ou engenheiro ambiental, o Tribunal de Contas incluiu engenheiro civil e arquiteto urbanista, portanto no atende o item 8.5.1 I do Edital. (grifei)

Portanto, diante do cumprimento da deciso, o arquivamento da Auditoria de Regularidade a medida processual adequada, haja vista que o processo cumpriu o objetivo pelo qual foi constitudo.

Ante o exposto, determino o arquivamento dos autos, nos termos do art. 46, inciso IV, da Resoluo n TC-09/2002.

D-se cincia do presente despacho, Sra. Simone Schramm, Secretria Executiva da Agencia de Desenvolvimento Regional de Joinville, sucessora da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional Joinville, bem como assessoria jurdica e ao controle interno da Unidade Gestora.

SEG/DICE para publicao.

Gabinete, em 11 de agosto de 2016.

GERSON DOS SANTOS SICCA

Conselheiro Substituto

Relator

Fundos

Processo n: REC-16/00299021

Unidade Gestora: Fundo de Desenvolvimento Social - FUNDOSOCIAL

Responsvel: Abel Guilherme da Cunha

Assunto: Recurso de Embargos de Declarao da deciso exarada no processo -REC-15/00341727

Deciso Singular: GAC/LEC - 563/2016

Tratam os autos de Recurso de Embargos de Declarao, interposto pelo Sr. Abel Guilherme da Cunha, nos termos do art. 78 da Lei Complementar Estadual n 202/200, em face do Acrdo n 0092/2016, exarado nos autos do Recurso de Reconsiderao REC-15/00341727, que assim decidiu:

ACORDAM os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, reunidos em Sesso Plenria, diante das razes apresentadas pelo Relator e com fulcro nos arts. 59 da Constituio Estadual e 1 da Lei Complementar n. 202/2000, em:

6.1. Conhecer do Recurso de Reconsiderao, nos termos do art. 77 da Lei Complement

Recommended

View more >