of 6/6
Ano XX N. 4.625 R$ 0,90 Tiragem: 2.500 23/8/2014 Diário Oficial do Município - DOM BELO HORIZONTE Fotos: Isabel Baldoni Lagoa Santa, Itabira, Nova Lima e Ribeirão das Neves agora fazem parte do consórcio Adesão de novas prefeituras confirmada ontem na PBH, possibilita o aprimoramento das iniciativas Sede do Consórcio Mulheres das Gerais é formado por oito cidades Belo Horizonte ganha reforço no combate à violência contra a mulher Consórcio Mulheres das Gerais se reúne na PBH e confirma adesão de mais quatro cidades da região metropolitana, o que vai fomentar a capacitação de profissionais e qualificar as ações A Prefeitura de Belo Hori- zonte sediou na sexta-feira, dia 22, a 9ª Assembleia Geral do Consórcio Mulheres das Gerais. O evento, que foi realizado no 5º andar da sede da PBH, no Centro, contou com a presença do prefeito Marcio Lacerda e de prefeitos da região metropolitana, foi marcado pela adesão de mais quatro cidades ao consórcio. Ago- ra, Lagoa Santa, Itabira, Nova Lima e Ribeirão das Neves também fazem parte do projeto. Lançado em 2007 pelas prefeituras de Belo Horizonte, Contagem, Betim e Sabará, com o apoio do Ministério das Cidades e da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, o consórcio realiza ações de enfrentamento e combate à violência contra a mu- lher. A adesão de novas prefeituras possibilitará que estas iniciativas sejam aprimoradas e que mais pessoas possam ser assistidas. O prefeito Marcio Lacerda preside o consórcio e reforçou o apoio integral da PBH às ações de en- frentamento. Fomentar ações que com- batem a discriminação, ampliar o alcance dos recursos públicos e capacitar os agentes ligados ao trabalho social são os pilares do consórcio, de acordo com a su- perintendente, Ermelinda Ireno. Segundo ela, a relação das cidades com o projeto é baseada em uma retroalimentação. “À medida que o município investe no consórcio, ele recebe subsídios e apoio para as políticas sociais voltadas para a mulher”, explicou. O orçamento do consórcio também é aplicado na especializa- ção dos funcionários dos centros de referência. “É muito importante que tenhamos profissionais qualificados e dedicados para que possamos avançar no trabalho de proteção à mulher”, destaca Marcio Lacerda. A principal ação concretiza- da do consórcio é a Casa Sempre Viva. É para este local que são en- caminhados os casos de violência com risco iminente de morte, onde as vítimas recebem uma assistência emergencial. A casa oferece 14 va- gas de abrigo e acolhe as mulheres e seus filhos menores de 18 anos. As vítimas de violência recebem apoio psicossocial, jurídico e peda- gógico. O tempo máximo de per- manência na casa é de três meses, mas após este período as mulheres continuam sendo assistidas. A Casa Sempre Viva é um espaço que per- mite à vítima se retirar do cenário de violência, proporcionando a ela um local seguro, onde ela possa ser auxiliada e refletir sobre sua situa- ção. Neste ano, o local já atendeu 40 mulheres. Por ter como objetivo pri- mordial a segurança de mulheres que correm risco de morte, a Casa Sempre Viva mantém seu ende- reço em sigilo. Todo o contato é feito pelo Benvinda, o centro de assistência à mulher da Prefeitura de Belo Horizonte. Benvinda, referência nacional Empenhada em com- bater os mais diversos tipos de violência contra a mulher, a administração municipal atua com políticas sociais voltadas para as situações de risco. O Benvinda – Centro de Apoio à Mulher (Rua Her- mílio Alves, 34, bairro Santa Tereza), fundado há 18 anos, é o principal equipamento público a serviço das vítimas de violência. O local, assim como a Casa Sempre Viva, oferece apoio psicossocial, jurídico e pedagógico às mu- lheres. O objetivo principal, além de retirar as mulheres do contexto de violência, é proporcioná-las a chance de reconstruir a vida. Consolidado como re- ferência nacional, o Benvinda realiza mensalmente cerca de 80 atendimentos, o que representa quase 50 mulhe- res atendidas. A maior parte dos atendimentos é realizada de forma pré-agendada. A marcação pode ser feita por telefone, por meio do número 3277-4380, pela cidadã ou pelo técnico que esteja cui- dando do caso. dom 4625.indd 1 22/08/2014 18:33:37

DOM - 23/08/2014

  • View
    227

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Diário Oficial do Município

Text of DOM - 23/08/2014

  • Ano XX N. 4.625 R$ 0,90 Tiragem: 2.500 23/8/2014Dirio Oficial do Municpio - DOM

    BELO HORIZONTE

    Foto

    s: Is

    abel

    Bal

    doni

    Lagoa Santa, Itabira, Nova Lima e Ribeiro das Neves agora fazem parte do consrcio

    Adeso de novas prefeituras confirmada ontem na PBH, possibilita o aprimoramento das iniciativas

    Sede do Consrcio Mulheres das Gerais formado por oito cidades

    Belo Horizonte ganha reforo no combate violncia contra a mulherConsrcio Mulheres das Gerais se rene na PBH e confirma adeso de mais quatro cidades da regio metropolitana, o que vai fomentar a capacitao de profissionais e qualificar as aes

    A Prefeitura de Belo Hori-zonte sediou na sexta-feira, dia 22, a 9 Assembleia Geral do Consrcio Mulheres das Gerais. O evento, que foi realizado no 5 andar da sede da PBH, no Centro, contou com a presena do prefeito Marcio Lacerda e de prefeitos da regio metropolitana, foi marcado pela adeso de mais quatro cidades ao consrcio. Ago-ra, Lagoa Santa, Itabira, Nova Lima e Ribeiro das Neves tambm fazem parte do projeto.

    Lanado em 2007 pelas prefeituras de Belo Horizonte, Contagem, Betim e Sabar, com o apoio do Ministrio das Cidades e da Secretaria Especial de Polticas para as Mulheres, o consrcio realiza aes de enfrentamento e combate violncia contra a mu-lher. A adeso de novas prefeituras possibilitar que estas iniciativas sejam aprimoradas e que mais pessoas possam ser assistidas. O prefeito Marcio Lacerda preside o consrcio e reforou o apoio integral da PBH s aes de en-frentamento.

    Fomentar aes que com-batem a discriminao, ampliar

    o alcance dos recursos pblicos e capacitar os agentes ligados ao trabalho social so os pilares do consrcio, de acordo com a su-perintendente, Ermelinda Ireno. Segundo ela, a relao das cidades com o projeto baseada em uma retroalimentao. medida que o municpio investe no consrcio, ele recebe subsdios e apoio para as polticas sociais voltadas para a mulher, explicou.

    O oramento do consrcio tambm aplicado na especializa-o dos funcionrios dos centros de referncia. muito importante que tenhamos profissionais qualificados e dedicados para que possamos avanar no trabalho de proteo mulher, destaca Marcio Lacerda.

    A principal ao concretiza-da do consrcio a Casa Sempre Viva. para este local que so en-caminhados os casos de violncia com risco iminente de morte, onde as vtimas recebem uma assistncia emergencial. A casa oferece 14 va-gas de abrigo e acolhe as mulheres e seus filhos menores de 18 anos. As vtimas de violncia recebem apoio psicossocial, jurdico e peda-ggico. O tempo mximo de per-

    manncia na casa de trs meses, mas aps este perodo as mulheres continuam sendo assistidas. A Casa Sempre Viva um espao que per-mite vtima se retirar do cenrio de violncia, proporcionando a ela

    um local seguro, onde ela possa ser auxiliada e refletir sobre sua situa-o. Neste ano, o local j atendeu 40 mulheres.

    Por ter como objetivo pri-mordial a segurana de mulheres

    que correm risco de morte, a Casa Sempre Viva mantm seu ende-reo em sigilo. Todo o contato feito pelo Benvinda, o centro de assistncia mulher da Prefeitura de Belo Horizonte.

    Benvinda, referncia nacional

    Empenhada em com-bater os mais diversos tipos de violncia contra a mulher, a administrao municipal atua com polticas sociais voltadas para as situaes de risco. O Benvinda Centro de Apoio Mulher (Rua Her-mlio Alves, 34, bairro Santa Tereza), fundado h 18 anos, o principal equipamento pblico a servio das vtimas de violncia. O local, assim como a Casa Sempre Viva, oferece apoio psicossocial, jurdico e pedaggico s mu-lheres. O objetivo principal, alm de retirar as mulheres do contexto de violncia, proporcion-las a chance de reconstruir a vida.

    Consolidado como re-ferncia nacional, o Benvinda realiza mensalmente cerca de 80 atendimentos, o que representa quase 50 mulhe-res atendidas. A maior parte dos atendimentos realizada de forma pr-agendada. A marcao pode ser feita por telefone, por meio do nmero 3277-4380, pela cidad ou pelo tcnico que esteja cui-dando do caso.

    dom 4625.indd 1 22/08/2014 18:33:37

  • BELO HORIZONTESbado, 23 de agosto de 2014Dirio Oficial do Municpio2

    Poder Executivo

    Div

    ulga

    o

    Div

    ulga

    o

    Carpinejar vai lanar o livro Me Ajuda a Chorar em BH

    Vises na Coleo Ludwig mostra gratuitamente obras de arte assinadas por Picasso, Basquiat e Andy Warhol

    Escritor gacho Fabrcio Carpinejar o convidado do Sempre Um Papo

    O escritor gacho Fabrcio Carpinejar o convidado do projeto Sempre Um Papo, na segunda-feira, dia 25, quando lana e debate o livro Me Ajude a Chorar (Editora Bertrand Brasil, R$ 22), obra que rene crnicas com assuntos variados, mas com uma singularidade: a melancolia e a tristeza. O encontro ser realiza-do s 19h30, com estrada gratuita, na Sala Juvenal Dias do Palcio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro). O evento integra a srie de 25 encontros que o projeto realiza neste segundo semestre de 2014, em Belo Horizonte e em 11 cidades do interior do Estado. Todos os encontros com os escrito-res so gravados e posteriormente disponibilizados no site www.sempreumpapo.com.br.

    Em Me Ajude a Chorar, Fa-brcio Carpinejar no fala a respeito de separao e relacionamentos, mas de temas mais gerais e coletivos e inclui no livro dois textos que fi-caram famosos quando publicados, um escrito em homenagem s vti-mas de incndio em boate em Santa

    Maria-RS e outro sobre o acidente areo de 2007 em So Paulo.

    Fabrcio Carpinejar poeta, jornalista e mestre em Literatu-ra Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), alm de coordenador e professor do curso de Formao de Escritores e Agendes Literrios da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Recebeu diversos

    O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-BH), integrante do Circuito Cultural Praa da Liberda-de, recebe at o dia 20 de outubro a exposio Vises na Coleo Ludwig. A mostra rene obras de uma das mais importantes colees particulares de arte no mundo a mais importante da Europa. Telas, esculturas, fotografias e vdeos ocu-pam as galerias de arte do CCBB--BH, que tem entrada gratuita e fica na Praa da Liberdade, 450, no bairro Funcio-nrios. A mostra pode ser visitada todos os dias, ex-ceto teras, das 9h s 21h.

    As obras so da coleo reu-nida pelo empres-rio alemo Peter Ludwig (1925-1996), um dos pa-tronos das artes em seu pas. A coleo totaliza aproxima-damente 20 mil peas, distribudas em 12 Museus Lu-dwig presentes em pases como Ale-manha, ustria, C h i n a , H u n -gria, Rssia e Su-a. Em Belo Hori-zonte a exposio congrega obras de diferentes pero-dos e assinadas por artistas como Pi-casso, Andy Wa-rhol, Jean-Michel B a s q u i a t , R o y Lichtenstein, Ge-rard Richter, Claes Oldenburg, Jasper Johns e Jeff Ko-ons, entre outros.

    Ania Rodriguez, coorde-nadora geral da mostra, ressalta que, por meio dos trabalhos expostos, os visitantes podero mapear as coordenadas geogr-ficas das viagens que o colecio-nador fazia por vrias partes do mundo em busca de obras de arte. Alm disso, podem refletir sobre os contextos estticos que, em muitas ocasies, marcaram suas pocas dentro da histria da arte, disse.

    U m d o s d e s t a q u e s o leo sobre tela de Gottfried Helnwein, nomeada Cabe-a de Criana, de 1991, que tem 6,50m de altura e encanta visitantes de todas as idades pelo hiperrealismo. Distribudas em oito galerias do 3 andar esto obras de artistas cones da pop art como Andy Warhol, Roy Li-chtenstein, Tom Wesselmann Cla-es Oldenburg e Jeff Koons. A ex-posio ainda apresenta Cabeas

    Grandes (1969), de Pablo Picasso.

    Ludwig tor-nou-se um nome i m p o r t a n t e n o cenrio das artes quando passou a adquirir obras que faziam parte do movimento co -nhecido como pop art. A partir dos anos 1970, suas atividades como colecionador au-mentaram ao pon-to de adquirir ao menos uma obra por dia. Sua vasta coleo, porm, no decorava ape-nas a sua casa e escritrios, tendo sido emprestada a vrios museus da Alemanha. Em muitos casos, o emprstimo aca-bou tornando-se uma doao per-manente, fazendo com que muitos espaos passassem a ter o nome de Ludwig, em reco-nhecimento sua generosidade.

    Confira as vagas de cursos e empregos

    oferecidas nos postos municipais do Sine

    A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Mu-nicipal Adjunta de Trabalho e Emprego, oferece nesta semana vrias vagas de emprego, que so disponibilizadas nos postos municipais do Sistema Nacional de Emprego (Sine), assim como opes de curso. Os interessados devem comparecer aos postos para verificar oportunidades compatveis com seus interesses, habilidades e qualificaes.

    As vagas em destaque no momento so as de assistente jurdico, auxiliar de cobrana, auxiliar de pessoal, coordenador de Recursos Humanos, instrutor de informtica, mecnico de motor a diesel e vidraceiro colocador de vidros, entre outras oportu-nidades que esto disponveis para profissionais que possuem experincia profissional e tenham desde o ensino fundamental incompleto at cursos tcnicos e superiores.

    Para aqueles interessados que no tm experincia profis-sional, esto disponveis vagas como atendente de padaria, caixa no comrcio (6 horas por dia), desenhista de pginas da internet (web designer) e promotor de vendas, entre outras.

    Para os cidados que desejam adquirir qualificao pro-fissional, os postos BH Resolve, Niat e Venda Nova esto com matrculas abertas para cursos em diversas reas. Os destaques desta semana so os de Informtica Bsica com Digitao, Ma-nicura e Pedicura, Tortas e Doces e Biscoitos Caseiros.

    Outros cursos disponveis so os do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Tcnico e Emprego (Pronatec), que esto disponveis nas quatro unidades municipais do Sine. Esto abertas as matrculas para os cursos de Camareira em Meios de Hospe-dagem, Administrador de Banco de Dados, Garom, Gesto e Negcios, Montador e Reparador de Computadores, Operador de Supermercados, Impressor Flexogrfico, Auxiliar de Servios em Comrcio Exterior e Auxiliar de Tesouraria, entre outros. Os cursos do Pronatec so oferecidos para maiores de 16 anos, beneficirios do Programa Bolsa Famlia; pessoas com defici-ncia; estudantes do ensino mdio da rede pblica, inclusive na Educao de Jovens e Adultos (EJA); adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas; povos indgenas ou comunidades quilombolas; pessoas que tenham concludo o ensino mdio em escola pblica ou privada na condio de bolsista integral; desempregados e trabalhadores.

    Os interessados devero comparecer a um dos quatro postos municipais do Sine, apresentando carteira de trabalho, CPF, carteira de identidade, PIS/Pasep/NIT/NIS e o comprovante de endereo. Os candidatos devem comparecer o quanto antes, j que as vagas podem ser preenchidas a qualquer momento.

    Confira os endereos dos postos municipais do Sine

    Sine BarreiroRua Baro de Coromandel, 982, Barreiro, das 8h s 17h.

    Sine BH ResolveRua Caets, 342, Centro, das 8h s 18h.

    Sine NiatRua Esprito Santo, 505, 1 andar, Centro, das 8h s 17h.

    Sine Venda NovaRua Padre Pedro Pinto, 1.055, Venda Nova, das 8h s 17h.

    Para mais informaes, a Prefeitura coloca disposio dos cidados o telefone 156 e o site www.pbh.gov.br/melho-remprego.

    prmios, entre eles o Maestrale/San Marco (2001 e 2002), Cec-lia Meireles (2002), Olavo Bilac (2003) e Erico Verissimo (2006). Carpinejar foi traduzido para o Ale-mo e assinou contratos na Itlia e na Frana. Participou tambm de antologias no Mxico, Colmbia, ndia e Espanha e considerado um dos principais nomes da poesia brasileira contempornea.

    dom 4625.indd 2 22/08/2014 18:33:41

  • BELO HORIZONTESbado, 23 de agosto de 2014 Dirio Oficial do Municpio 3

    Poder Executivo

    Foto

    s: G

    erco

    m O

    este

    Mat

    heus

    Adl

    er

    Frum foi momento de formao para profissionais que trabalham com crianas

    legenda

    Dirio Oficial do Municpio de Belo HorizonteInstitudo pela Lei n 6.470 de 06/12/1993 e alterado pela Lei n 9.492 de 18/01/2008 Endereo eletrnico: www.pbh.gov.br/dom

    Composio, Produo e EdioAssessoria de Comunicao Social - Prefeitura de Belo HorizonteAv. Afonso Pena, 1.212 - 4 andar - Tel.: (31) 3277-4246

    Distribuio e AssinaturasRicci Dirios & Publicaes Ltda - Rua Curitiba, 1.592 - Loja 01Lourdes - Belo Horizonte - MG - Tel.: (31) 3274-4136

    ImpressoDidtica Editora do Brasil Ltda - ME - Rua Custdio Maia, 469Bairro Darcy Vargas - CEP 32372-160 - Contagem - MG - Tel.: (31) 2557-8030

    Gesto de projetos tema da nova edio do RH em Debate

    Frum Famlia Escola rene colegiados no bairro Nova Sua

    Mercado de trabalho para jovens tema do Frum da Criana e do Adolescente na Regional Oeste

    A Regional Oeste, por meio da Gerncia de Polticas So-ciais, promoveu o Frum da Criana e do Adolescente (Foca), evento que contou com a participao de representantes de ins-tituies que preparam e encaminham jovens para o mercado de trabalho. Para a gerente de Progra mas Sociais, Dalila Magalhes, o frum um momento de formao para profissionais que tra-balham direta e indiretamente com crianas e adolescentes. O objetivo mo tivar nossos jovens pela busca de crescimento e desenvolvimento saudvel, disse.

    A programao incluiu palestras como a de Marcelo Leo, representante da Rede Cidad, que abordou o tema Vida e Trabalho, Um S Valor. A neurocientista e psicopedagoga n-gela Mathylde Soares usou em sua palestra o tema Fazendo a Diferena e Exercendo a Excelncia. Segundo a consultora de ps-graduao Francyelen Lara, da Faculdade Pitgoras, ngela Soares falou sobre as principais dificuldades dos profissionais das reas de Educao e da Psicologia no trabalho com crianas e ado lescentes e tambm sobre como superar essas dificuldades por meio da capacitao. Francyelen enfatizou que os cursos de ps-gra duao e especializao em psicopedagogia clnica e insti tucional podem enriquecer os conhecimentos desses profissionais e os auxiliar.

    A 6 edio do RH em Deba-te, evento direcionado a gerentes e servidores da rea de Recursos

    Humanos das administraes dire-ta e indireta da Prefeitura de Belo Horizonte, ser realizada na segun-

    Resultados em Projetos. A Proda-bel implantou recentemente uma poltica de recompensa para os gerentes, que trouxe bons resul-tados para os projetos. A palestra apresentar como se deu o proces-so de implantao da poltica, sua operacionalizao e os resultados obtidos.

    Formada em Tecnologia em Processamento de Dados pela Uni-versidade Fumec, ps-graduada em Redes de Telecomunicaes pelo Ietec, em Informtica P-blica pela PUC-IEC, Simone Reis DAlmeida atua h 21 anos na rea de Tecnologia da Informao e Comunicao no setor pblico

    municipal, em setores de desen-volvimento de sistemas, solues workgroup e implantao de redes de telecomunicaes.

    Para participar, os interessa-dos que receberem o convite por e-mail devem acessar o link cons-tante na mensagem. O convite enviado apenas para os servidores considerados pblico-alvo do evento. Os primeiros 50 inscritos sero contemplados. A promo-o da Secretaria Municipal de Planejamento, Oramento e In-formao, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos e da Escola Virtual de Governo.

    O auditrio do Sebrae (Ave-nida Baro Homem de Melo, 329, bairro Nova Sua) foi palco do Frum Famlia Escola da regio Oeste neste ms. O evento reuniu mais de 150 pessoas, incluindo representantes das equipes das gerncias regionais de Educao e Polticas Sociais, do Distrito Sani-trio e do Conselho Tutelar, alm de diretores de escolas e membros

    dos Colegiados Escolares. A palestra A discusso da

    gesto democrtica como um compromisso de todos foi condu-zida pela professora Eliane Castro Vilassanti, do programa Rede pela Paz, da Secretaria Municipal de Educao (Smed). Eliane salientou que na histria do Brasil s recen-temente a luta pela redemocratiza-o trouxe novamente a discusso

    da importncia da gesto popular para as escolas.

    Segundo a gerente regional de Educao, Luciana Oliveira, todos os segmentos dos colegiados das 16 escolas da regio Oeste participaram do encontro, o que reforou a importncia da reflexo a respeito das vrias estratgias que podem contribuir para o fortaleci-mento da gesto democrtica.

    da, dia 25, das 9h30 s 11h30, no auditrio Joo Loureno, da Pro-dabel (Avenida Presidente Carlos Luz, 1.275, bairro Caiara).

    A palestrante ser a gerente do Escritrio de Projetos de TIC, Si-mone Reis DAlmeida. Ela abordar o tema Fatores Motivacionais na Gesto de Projetos A Importncia da Recompensa para Melhoria e

    dom 4625.indd 3 22/08/2014 18:33:46

  • BELO HORIZONTESbado, 23 de agosto de 2014Dirio Oficial do Municpio22

    Poder Executivo

    IndIcadores econmIcos de Belo HorIzonte

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesmar/14 422,79 0,65 2,56 6,02 418,39 0,79 1,88 4,31

    abr/14 426,68 0,92 3,50 6,47 422,12 0,89 2,79 4,67

    mai/14 429,41 0,64 4,16 6,84 426,47 1,03 3,85 5,45

    jun/14 430,27 0,20 4,37 6,78 427,23 0,18 4,03 5,46

    jul/14 430,31 0,01 4,38 6,73 427,28 0,01 4,04 5,90

    2 ago/14 437,33 (3) 0,02 4,92 6,73 430,97 (3) 0,04 4,39 6,07

    Evoluo dos Preos ao Consumidor

    Variao (%)ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    Variao (%)IPCR(2)IPCA(1)

    (2) IPCR= ndice de Preos ao Consumidor Restrito: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 5 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    Perodo

    (1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    Produtos / servios(1)Forma deCobrana Menor (R$) Maior (R$) Diferena (%) Mdia

    (2) (R$)

    CADASTRO

    Confeco de cadastro para incio de relacionamento - CADASTRO por evento 0,00 30,00 .. 15,32

    CONTAS DE DEPSITOS

    CARTO - Fornecimento de 2 via de carto com funo dbito por cliente 5,30 15,00 183,02 7,26

    CARTO - Fornec. de 2 via de carto com funo mov. conta de poupana por cliente 5,30 15,00 183,02 7,26

    CHEQUE - Excluso do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF) por Operao 28,50 52,00 82,46 42,94

    CHEQUE - Contra-ordem e oposio ao pagamento de cheque por cheque 10,35 15,00 44,93 11,71

    CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque por cheque 1,00 1,60 60,00 1,28

    CHEQUE - Cheque Administrativo por Cheque 20,00 30,00 50,00 24,14

    CHEQUE - Cheque Visado por cheque 0,00 21,00 .. 10,50

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE pessoal por operao 2,00 3,00 50,00 2,19

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE Terminal por operao 1,15 3,00 160,87 1,82

    Saque de conta de dep. vista e de poupana - SAQUE correspondente por operao 1,15 2,15 86,96 1,51

    DEPSITO - Depsito Identificado por operao 0,00 4,65 .. 2,10

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (P) por operao 1,45 6,00 313,79 3,09

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (E) por operao 1,35 3,00 122,22 2,01

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (C) por operao 1,20 1,40 16,67 1,30

    Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo -EXTRATO(P) por operao 2,00 6,00 200,00 3,20

    Ext. mensal de conta de dep. vista e Poup. p/um perodo - EXTRATO(E) por operao 1,35 4,00 196,30 2,32

    Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo - EXTRATO(C) por operao 1,20 4,00 233,33 1,82

    Fornecimento de cpia de microfilme, microficha ou assemelhado por operao 0,00 6,00 .. 4,75

    TRANSFERNCIA DE RECURSOS

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P) por operao 0,00 19,90 .. 13,21

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E) por operao 0,00 9,50 .. 7,08

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I) por operao 6,50 9,00 38,46 7,62

    Transferncia entre contas na prpria instituio- TRANSF. RECURSOS(P) por operao 1,00 2,00 100,00 1,17

    Transferncia entre contas na prpria instituio-TRANSF.RECURSOS(E/I) por operao 0,00 1,20 .. 0,87

    Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO por operao 23,80 27,00 13,45 25,03

    Transferncia por meio de DOC - DOC Pessoal (3) por evento 12,85 20,00 55,64 15,06

    Transferncia por meio de DOC - DOC eletrnico (3) por evento 0,00 9,50 .. 7,14

    Transferncia por meio de DOC - DOC internet (3) por evento 6,50 9,00 38,46 7,63

    Transferncia por meio de TED - TED pessoal (3) por evento 12,85 20,00 55,64 15,06

    Transferncia por meio de TED - TED eletrnico (3) por evento 0,00 9,50 .. 7,14

    Transferncia por meio de TED - TED internet (3) por evento 0,00 9,00 .. 7,70

    OPERAES DE CRDITO

    Concesso de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE por operao 30,00 54,70 82,33 44,62

    PACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICAPACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICA por evento 9,50 14,50 52,63 10,98

    CARTO DE CRDITO (3)

    Anuidade - carto bsico nacional a cada 365 dias 39,00 54,00 38,46 46,29

    Fornecimento de 2 via de carto com funo crdito por evento 5,00 15,00 200,00 7,94

    Utilizao de canais de atend. para retirada em espcie - no pas por evento 4,00 15,00 275,00 7,94

    Pagamento de contas utilizando a funo crdito em espcie por evento 1,99 19,90 900,00 10,40

    Avaliao emergencial de crdito por evento 10,00 18,00 80,00 15,00

    Anuidade - carto bsico internacional a cada 365 dias 0,00 90,00 .. 55,00

    Utilizao de canais de atend. para retirada em espcie - no exterior por evento 8,00 30,00 275,00 15,13

    (1) No so consideradas vantagens progressivas

    Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundao IPEAD/UFMG

    Tarifas Bancrias Julho de 2014

    (2) Considera-se a mdia das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

    .. No se aplica dados numricos ND: no disponvel

    IPCA(1)Salrio Mnimo

    Cesta Bsica(2)

    IPCA Salrio MnimoCesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica

    fev/14 420,06 1117,46 537,15 0,24 0,00 0,93 1,89 6,78 -0,83 5,86 6,78 -2,40

    mar/14 422,79 1117,46 581,80 0,65 0,00 8,31 2,56 6,78 7,41 6,02 6,78 3,23

    abr/14 426,68 1117,46 593,43 0,92 0,00 2,00 3,50 6,78 9,56 6,47 6,78 2,53

    mai/14 429,41 1117,46 598,45 0,64 0,00 0,85 4,16 6,78 10,49 6,84 6,78 3,45

    jun/14 430,27 1117,46 554,54 0,20 0,00 -7,34 4,37 6,78 2,38 6,78 6,78 -2,95

    jul/14 430,31 1117,46 539,24 0,01 0,00 -2,76 4,38 6,78 -0,45 6,73 6,78 0,36

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG(2) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38

    Perodo

    ndice de Base Fixa(Jul/94=100) No ms No ano

    Evoluo da inflao, salrio mnimo e cesta bsica

    Variao (%)

    ltimos 12 Meses

    (1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    Produto Quantidade Valores(em R$)Contribuio na variao (p.p.)

    Acar cristal 3,00 kg 4,07 -0,09

    Arroz 3,00 kg 7,42 0,02

    Banana caturra 12,00 kg 29,51 0,28

    Batata inglesa 6,00 kg 11,66 -1,65

    Caf modo 0,60 kg 8,36 0,02

    Ch de dentro 6,00 kg 110,34 -0,04

    Farinha de trigo 1,50 kg 4,56 0,00

    Feijo carioquinha 4,50 kg 15,30 -0,32

    Leite pasteurizado 7,50 lt 17,58 0,07

    Manteiga 750,00 gr 17,17 0,03

    leo de soja 1,00 un 2,95 -0,04

    Po francs 6,00 kg 55,76 0,56

    Tomate Santa Cruz 9,00 kg 27,71 -1,62

    Custo da Cesta Bsica(*) Julho de 2014

    (*) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesfev/14 472,10 0,58 0,81 5,48 665,32 0,57 1,33 7,70

    mar/14 474,84 0,58 1,40 5,49 669,71 0,66 2,00 7,38

    abr/14 476,02 0,25 1,65 5,31 673,13 0,51 2,52 7,26

    mai/14 477,79 0,37 2,03 5,07 675,76 0,39 2,92 7,03

    jun/14 479,46 0,35 2,38 4,81 679,88 0,61 3,55 7,02

    jul/14 480,85 0,29 2,68 4,58 682,67 0,41 3,98 6,68FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    Perodo

    Evoluo do Mercado Imobilirio: Aluguis

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)

    Comerciais

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)

    Residenciais

    Popular Mdio Alto Luxo

    1 Quarto e 1 banheiro ou mais 548,33(18)1054,29

    (7)805,52

    (67)1326,72

    (58)

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 741,77(124)1028,86

    (153)1189,25

    (291)2046,03

    (209)

    3 Quartos e 1 banheiro 909,00(57)1040,83

    (35)1303,61

    (36)1647,71

    (24)

    3 Quartos e 2 banheiros ou mais 1270,86(81)1427,67

    (172)1683,37

    (342)2485,93

    (457)

    4 Quartos e at 2 banheiros -(1)1640,00

    (5)2390,86

    (22)3273,86

    (44)

    4 Quartos e acima de 2 banheiros / 5 Quartos ou mais e 1 banheiro ou mais

    -(3)

    2100,00(7)

    2604,43(51)

    4653,52(267)

    1 Quarto e 1 banheiro ou mais 473,33(33)618,10

    (21)-

    (3)-

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 623,39(28)737,50

    (12)- -

    1 Quartos e 1 banheiro ou mais 612,50(4)- -

    (2)-

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 840,87(46)994,17

    (24)1243,63

    (8)-

    (1)

    3 Quartos e 1 banheiro 1073,55(31)1523,08

    (13)- -

    3 Quartos e 2 banheiros ou mais 1426,59(41)1840,48

    (21)3015,79

    (19)6565,00

    (20)

    4 Quartos e at 2 banheiros 1866,67(9)-

    (3)-

    (3)-

    (2)

    4 Quartos e acima de 2 banheiros / 5 Quartos ou mais e 1 banheiro ou mais

    3100,00(5)

    4376,00(5)

    5666,67(6)

    9202,33(43)

    Valores mdios (em R$) dos aluguis residenciais por classe de bairro(*) - Julho de 2014Imveis

    Barraces

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    (*) O valor entre parnteses representa o nmero de imveis utilizados no clculo da respectiva mdia. Na maioria das vezes, somente so publicados valores mdios obtidos a partir de quatro imveis pesquisados. Os casos em que no foi pesquisado nenhum imvel so indicados por hfen (-). Os valores mdios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo so influenciados pela oferta de Flats.

    Apartamentos

    Casas

    ICCBH(1) IEE(2) IEF(3) ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEFfev/14 117,25 156,21 114,56 -3,70 -3,63 -3,75 -2,68 -1,79 -3,34 -8,20 -17,16 5,80

    mar/14 117,67 155,39 115,78 0,36 -0,53 1,06 -2,34 -2,31 -2,31 -7,67 -14,69 -1,40

    abr/14 112,27 141,04 114,62 -4,59 -9,23 -1,00 -6,82 -11,33 -3,28 -11,78 -24,27 -0,09

    mai/14 108,49 141,26 107,91 -3,37 0,15 -5,86 -9,95 -11,19 -8,95 -14,34 -20,73 -8,77

    jun/14 115,14 150,59 114,11 6,13 6,61 5,74 -4,44 -5,32 -3,72 -3,92 -11,97 3,28

    jul/14 112,59 144,07 113,41 -2,22 -4,33 -0,61 -6,56 -9,43 -4,31 -6,31 -13,29 -0,47

    No ano

    (1) ICCBH: ndice de Confiana do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinio dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decises de consumo atual e futuro

    Perodo

    ndice de Confiana do Consumidor

    (2) IEE: ndice de Expectativa Econmica: retrata a expectativa do consumidor em relao aos indicadores macroeconmicos (3) IEF: ndice de Expectativa Financeira: retrata a confiana do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconmicosFONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    ltimos 12 Mesesndice de Base Fixa

    (Maio/04=100)Variao (%)

    No ms

    Menor Maior Diferena (%) Mdia

    Alimentcio 3,00 10,00 233,33 5,72

    Automveis Novos

    Prefixada (montadoras) 1,04 2,00 92,31 1,53

    Prefixada (multimarcas) 1,34 2,88 114,93 2,04

    Automveis Usados

    Prefixada (montadoras) 1,04 1,97 89,42 1,64

    Prefixada (multimarcas) 1,61 3,05 89,44 2,22

    Carto de Crdito 4,14 17,89 332,13 10,96

    Cheque Especial (2) (8) 6,02 10,80 79,40 9,20

    Combustveis 5,69 9,32 63,80 7,29

    Construo Civil (3) (7)

    Imveis Construdos -0,13 1,67 -1.384,62 0,87

    Imveis na Planta -0,13 1,55 -1.292,31 0,53

    Cooperativas de Crdito (emprstimo) 0,79 2,95 273,42 2,01

    Crdito Direto ao Consumidor (CDC)

    CDC - Financeiro (8) 3,53 5,55 57,22 4,27

    CDC - Bens Alienveis (8) 1,61 2,19 36,02 1,74

    Eletroeletrnicos 1,99 6,31 217,09 3,36

    Mobilirio 1,44 7,26 404,17 3,78

    Financeiras Independentes 6,26 15,30 144,41 11,61

    Turismo

    Nacional 0,93 1,09 17,20 1,01

    Internacional 0,85 1,09 28,24 0,96

    Vesturio e Calados 1,34 6,90 414,93 3,89

    Emprstimos pessoa jurdica

    Desconto de Duplicatas (8) 1,07 2,82 163,55 2,19

    Capital de Giro (8) 1,33 2,55 91,73 1,94

    Conta Garantida (8) 2,27 4,37 92,51 2,73

    Captao

    CDB 30 dias (4) 0,81

    Cooperativas de Crdito (aplicao) 0,71

    Fundo de Investimento Curto Prazo 0,44 0,82 86,36 0,68

    Fundo de Investimento Longo Prazo 0,73 0,90 23,29 0,80

    Poupana (5) 0,61

    Taxa SELIC (6) 0,87(1) Considera-se a mdia das taxas praticadas pelos informantes(2) No so consideradas vantagens progressivas(3) Inclui a variao dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M (7) Novo clculo considerando o perodo dos ndices que compem a estimativa(4) Taxa ANBID do primeiro dia til do ms e projetada para 30 dias

    .. No se aplica dados numricos ND - no disponvelFONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    (8) Dados coletados a partir de informaes consolidadas no Banco Central do Brasil

    Taxas de Juros Julho de 2014

    (6) Mdia ponderada pela vigncia

    SetoresTaxas mdias praticadas(1)

    (5) Taxa referente ao primeiro dia do ms subsequente

    Emprstimos pessoa fsica

    dom 4625.indd 22 22/08/2014 18:33:47

  • BELO HORIZONTESbado, 23 de agosto de 2014 Dirio Oficial do Municpio 23

    Poder Executivo

    Foto

    s: A

    vani

    lton

    Agui

    lar

    Foto

    s: M

    ara

    Dam

    asce

    no

    Cras Lagoa promove evento para a famlia na Praa Rio Branco, em Venda Nova

    Vistoria conjunta debate implantao do Parque Linear do Ona

    O Parque Jardim Belmonte foi ponto de encontro onde se reuniram, no incio deste ms, representantes da Regional Nordeste, da Companhia Urbanizadora e de Habitao de Belo Horizonte (Urbel), da Superin-tendncia de Limpeza Urbana (SLU), da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, da Copasa, do Projeto Manuelzo, do Conselho Comunitrio Unidos pelo Ribeiro de Abreu (Comupra), do Comit de Bacias do Velhas, do Subcomit da Bacia do Ona e da Rede de Intercmbio e Tecnologias, entre outros convidados. A vistoria tcnica teve como objetivo discutir a implantao do Parque Linear do Ona e o estado do esgotamento sanitrio nesse ribeiro.

    Durante os trabalhos, cada participante, gestor pblico, liderana comunitria e entidade civil focou sua atuao em sua respectiva rea e tambm em possveis encaminhamentos para a busca permanente de so-lues. O momento tambm foi oportuno para reforar a necessidade de um modelo de gesto participativa, uma vez que as aes no dependem somente do poder pblico.

    Para Jos Liberato Morais, responsvel pelo Grupo Ambiental Inter-setorial Nordeste, o envolvimento da comunidade fundamental, pois a proposta de transformar o Ribeiro Ona em parque linear um projeto ambicioso e complexo, que depende de esforos conjuntos do poder pblico e da comunidade para a sua implantao. A conscientizao de que o meio ambiente espao de todos e que dele devemos cuidar com zelo e responsabilidade fator primordial para a recuperao do Ona e sua preservao, disse Liberato.

    Os principais problemas levantados nos pontos vistoriados foram o descarte de lixo, terra e entulhos ao longo das margens do Ribeiro Ona e as construes irregulares. Os locais percorridos foram o Parque Jardim Belmonte, a foz do Gorduras, vista dos interceptores da Copasa na Rua Miramar e prximos cachoeira, no bairro Ribeiro de Abreu, e os inter-ceptores na foz do Isidoro e no conjunto Ribeiro de Abreu.

    Brinquedos e brincadeiras foram oferecidos aos participantes e o objetivo foi fortalecer os vnculos familiares e comunitrios

    As famlias dos bairros Lagoi-nha e Leblon, em Venda Nova, com-pareceram em bom nmero Praa Rio Branco, que fica entre os dois bairros, em um evento promovido pela Regional Venda Nova, por meio do Centro de Referncia da Assistn-cia Social (Cras) Lagoa. As atividades tiveram a participao do Servio de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos para Famlias com crianas de 0 a 6 anos de idade e da Casa do Brincar. O objetivo foi fortalecer os vnculos familiares e comunitrios.

    Os participantes tiveram acesso a diversos brinquedos e brin-

    cadeiras, como amarelinha, peteca, pula corda, bambol, cama elstica, piscina de bolinhas e narrao de histrias, alm de algodo doce, pipoca, oficinas de construo de brinquedos com materiais recicl-veis e pintura de rosto. lea Brito da Cruz, coordenadora do Cras Lagoa, v nesse tipo de evento uma forma de mobilizao das famlias. Este evento tem o objetivo de atender as crianas e seus familiares, proporcionando-lhes uma manh de convvio e lazer. Buscamos a mobilizao das famlias deste territrio, a fim de que acessem o

    Servio de Ateno Integral Fam-lia e as demais atividades ofertadas pelo Cras. Todos esses servios tm

    como meta a melhoria da qualida-de de vida e a promoo social da famlia, ressaltou.

    As crianas se divertiram enquanto os funcionrios do Cras Lagoa distriburam folhetos, divul-gando os servios ofertados pelo equipamento aos pais e mes. Nayane Victria, de 12 anos, s no gostou do evento ter hora para terminar. Este evento bom para as crianas sarem de casa e poderem se divertir, disse.

    dom 4625.indd 23 22/08/2014 18:34:04

  • BELO HORIZONTESbado, 23 de agosto de 2014Dirio Oficial do Municpio24

    Poder Executivo

    Nova edio do curso rene pessoas de diversas faixas etrias, sociais e culturais

    Grupo Xica da Silva abriu a 29 edio do curso

    Foto

    s: D

    anie

    l Pai

    va

    Rica

    rdo

    Mun

    iz

    Banda mineira Eminence vai se apresentar na Virada Cultural

    Nova edio do BH Itinerante aberta com msica e poesia

    A banda mineira Eminence volta a tocar em Belo Horizonte, sua cidade natal, no dia 31, dentro da programao da Virada Cultu-

    ral. A apresentao ser no palco Aaro Reis, na Rua Aaro Reis, na altura do nmero 521, espao que tem recebido importantes

    manifestaes artsticas e culturais. O show, gratuito, est programado para comear s 4h.

    O Eminence, formado por

    Alan Wallace (guitarra), Bruno Paraguay (vocal), Andr Marcio (bateria) e Thiago Correa (baixo), apresenta um som metal forte, com letras que refletem sobre problemas vividos pela sociedade moderna. O show ir reunir suces-sos da banda, com destaque para o ltimo trabalho, The Stalker, lanado em 2013. Estamos muito animados por participar da Virada Cultural BH. Seremos a primeira banda mineira de metal a partici-par do evento, disse Alan Wallace.

    Com 20 anos de estrada, a banda alcanou reconhecimen-to no Brasil e no exterior com apresentaes em pases como Colmbia, Nova Zelndia, Estados Unidos e Suriname. Nos Estados Unidos, integrou o line up do South by Southwest, um dos mais importantes festivais do pas, na cidade de Austin, no Texas. Em julho deste ano, o grupo fez sua primeira viagem China, tocando no Redbull Music Festival, em Zhangbei, para um pblico de 40 mil pessoas.

    O grupo, em atividade desde 1995, tem em sua bagagem quatro

    discos, Chaotic System (1998), Humanology (2004), The God of All Mistakes (2008) e The Stalker (2013), que foram lana-dos no Brasil e em pases como Estados Unidos e Japo, alm da Europa. Com produo do concei-tuado produtor dinamarqus Tue Madsen, o ltimo trabalho contou com as participaes dos msicos mineiros Paulo Xisto, baixista do Sepultura, e PJ, baixista do Jota Quest.

    A Virada CulturalEm sua 2 edio, a Virada

    Cultural de Belo Horizonte ir oferecer 24 horas ininterruptas de programao artstica e cultural em diversas reas, como msica, teatro, dana, circo, audiovisual, literatura, artes plsticas, moda e gastronomia. Um circuito que ir reunir o melhor dos artistas de Belo Horizonte a partir das 19h do dia 30 at s 19h do dia 31. A Virada traz tona conceitos discutidos e apropriados pela cidade, como o uso do espao pblico, susten-tabilidade, mobilidade e novas vivncias.

    Ao som dos tambores do grupo Xicas da Slva, foi aberta na ltima semana, no Museu Inim de Paula, no Centro, a 29 edi-o do curso BH Itinerante. Pro-movido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secreta-ria Municipal de Meio Ambien-te (SMMA), o BH Itinerante um curso de extenso em educao ambiental, semestral, que tem Be-lo Horizonte como espao de en-sino aprendizagem.

    Logo na chegada os alu-nos edio assistiram a um vdeo que apresentou, por meio de fo-tos, o trabalho realizado ao longo dos ltimos 14 anos pelo curso, que formou mais de 950 agentes e multiplicadores ambientais que hoje so responsveis por difun-dir as prticas sustentveis, apren-didas durante o curso, em suas ca-sas, ruas e bairros, levando a cons-cientizao ambiental a mais e mais pessoas.

    Eliana Apgau, coordena-dora do curso, destacou a diver-sidade dos alunos desta edio. Temos pessoas das mais diversas faixas etrias, sociais e culturais, o que mostra claramente que os ob-jetivos do curso esto sendo atin-

    gidos, ou seja, chegando a todos os nveis da nossa sociedade e le-vando conscientizao ambiental para todas as regies da cidade, comentou.

    Para Cidinha Campos, ge-rente de Educao Ambiental da SMMA, o curso deixar um lega-do a todos os participantes, pois um excelente espao de refle-xo e aprendizado e que d uma viso diferente do que as pessoas veem no cotidiano, ou seja, uma viso diferente de Belo Horizonte.

    ProgramaoO museu foi decorado

    com obras da artista plstica la-ra Abreu, que retratou em suas obras algumas experincias vivi-das como aluna de uma das edi-es do BH Itinerante. J o gru-po Xicas da Silva, que forma-do por mulheres, manteve sua proposta de afirmao da cultu-ra popular brasileira ao apresen-tar um repertrio com cirandas, rodas, congados, lundus, o canto das lavadeiras e folias, entre ou-tras formas de expresso artstica. O evento tambm foi marcado pela participao da antroplo-ga e documentarista Jnia Torres,

    da Associao Filmes de Quintal, que ministrou uma palestra so-

    bre a diversidade cultural em Be-lo Horizonte.

    dom 4625.indd 24 22/08/2014 18:34:13