of 6/6
As estações As estações funcionam alimentadas por energia solar e são interligadas por sistema de comunicação sem fio, via rede GSM e 4G, permitindo que estejam conectadas com a central de controle da empresa por 24 horas. A central monitora, em tempo real, toda a operação do sistema. Confira os locais das 40 estações em operação: ESTAÇÃO LOCALIZAÇÃO 1 Praça Rui Barbosa Av. Santos Dumont, esquina com Rua da Bahia 2 Mercado Central Av. Augusto de Lima, entre Rua Santa Catarina e Praça Raul Soares 3 Praça Afonso Arinos Av. Álvares Cabral com avenidas Augusto de Lima e João Pinheiro 4 Praça da Liberdade Av. João Pinheiro, esquina com Rua Gonçalves Dias 5 Rodoviária Praça Rio Branco, esquina com Rua Paulo de Frontin e Av. Paraná 6 Instituto São Rafael Av. Barbacena, lado oposto ao número 200, esquina com Av. Augusto de Lima 7 Fórum Av. Augusto de Lima, esquina com Rua Ouro Preto 8 Praça Raul Soares Av. Augusto de Lima, 1.036, esquina com Praça Raul Soares 9 Santo Agostinho Av. Barbacena, esquina com Av. Amazonas 10 Diamond Av. Olegário Maciel, 1.639, esquina com Rua Gonçalves Dias 11 Aimorés Rua dos Aimorés, lado oposto ao número 1983, esquina com Av. Bias Fortes 12 Sesc Palladium Rua Rio de Janeiro, 1.129, esquina com Av. Augusto de Lima 13 Tamoios Rua Tamoios, 489, esquina com Av. Amazonas 14 Caetés Rua Rio de Janeiro, esquina com Rua Caetés 15 Boa Viagem Rua Alagoas, oposto ao número 16, esquina com Av. Afonso Pena 16 Praça do Ciclista Av. Carandaí, 726, esquina com Av. Brasil 17 Otoni Rua dos Otoni, 545, esquina com Av. Brasil 18 Bernardo Monteiro Av. Bernardo Monteiro, 1.563, esquina com Av. Afonso Pena 19 Professor Moraes Rua Professor Moraes, esquina com Rua Inconfidentes 20 Colégio Santo Antônio Rua Pernambuco, 797, esquina com Rua Santa Rita Durão 21 Pátio Savassi Rua Fernandes Tourinho, 126, esquina com Av. Cristóvão Colombo 22 Sergipe Rua Sergipe, 1.246, esquina com Rua Antônio de Albuquerque 23 Minas Tênis Clube Rua da Bahia, 2.626, esquina com Rua Fernandes Tourinho 24 Praça da Assembleia Rua Rodrigues Caldas, em frente ao edifício Crea-MG, esquina com Av. Álvares Cabral 25 Praça da Savassi Rua Tomé de Souza, 853, esquina com Rua Pernambuco 26 Marília de Dirceu Rua Marília de Dirceu, 134, esquina com Rua Felipe dos Santos 27 Tomaz Gonzaga Rua Tomaz Gonzaga, oposto ao número 377, esquina com Rua Rio de Janeiro 28 Bárbara Heliodora Rua Bárbara Heliodora, 10, esquina com Rua Alvarenga Peixoto 29 Conexão Aeroporto Canteiro central da Av. Álvares Cabral, oposto ao Belo Horizonte Plaza Hotel, esquina com Rua dos Timbiras 30 Praça da Boa Viagem Rua Sergipe, 238, esquina com Rua dos Aimorés 31 Praça Tiradentes Rua Paraíba, lateral ao número 433, entre Rua Bernardo Guimarães e Av. Afonso Pena 32 Francisco Sales Av. Francisco Sales, 1.656, esquina com Av. Carandaí 33 Praça Floriano Peixoto Canteiro central da Av. Brasil, oposto ao 1º Batalhão, esquina com Rua Manaus 34 Santa Efigênia Rua Levi Coelho, oposto ao número 97, esquina com Av. dos Andradas 35 Mirante do Sabiá Av. Otacílio Negrão de Lima, oposto aos números 11.390/11.540, esquina com Rua Euclides Franco 36 Zoológico Av. Otacílio Negrão de Lima, 8.000, em frente à Copasa, próximo ao acesso ao Zoológico 37 Parque Ecológico da Pampulha Av. Otacílio Negrão de Lima, 7.111 38 Marco Zero Av. Otacílio Negrão de Lima, próximo à portaria 1 do Parque Ecológico da Pampulha, esquina com a Av. Novara 39 Mirante do Bem-te-vi Av. Otacílio Negrão de Lima, oposto ao número 5.497, esquina com Rua Mondovi 40 Pampulha Rua Versília, lateral do número 3.500, esquina com Av. Otacílio Negrão de Lima Projeto Bike BH é concluído e já oferece 400 bicicletas em 40 estações Bicicletas compartilhadas utilizam 74 quilômetros de ciclovias implantadas na cidade e promovem integração com o Move e com o metrô Como parte das comemora- ções dos 117 anos de Belo Hori- zonte, foi concluído o projeto de bicicletas compartilhadas, o Bike BH, totalizando 400 bicicletas em 40 estações já em funcionamento na cidade. O projeto foi lançado em junho deste ano e as estações estão distribuídas pela área central e na orla da Lagoa da Pampulha. Atualmente, o Bike BH tem 34.946 usuários cadastrados e as bicicletas já foram utilizadas em mais de 34 mil viagens. Já foram solicitados 16.140 passes (7.108 diários, 8.162 mensais e 870 anuais) e os dias mais utilizados são domingos, sábados e quintas, nessa ordem, sobretudo no horário entre 16h e 18h. A utilização de bicicletas, além de ser um transporte sus- tentável e não poluente, também traz benefícios à saúde e é uma ótima opção de lazer. As bicicletas compartilhadas utilizam os 74 qui- lômetros de ciclovias implantados na cidade, além de promover a integração com o Move e com o metrô. O Bike BH é viabilizado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTrans, com a Serttel/ Samba Transportes Sustentáveis, e conta com o patrocínio do Itaú. Mais detalhes do programa podem ser conferidos no site http://www. mobilicidade.com.br/bikebh/ Como Utilizar Para utilizar as bicicletas, é preciso preencher um cadastro pela internet (www.mobilicidade. com.br/bikebh) e pagar um valor diário de R$ 3, mensal de R$ 9 ou anual de R$ 60. As bicicletas estarão à disposição dos usuários todos os dias da semana, das 6h às 23h para retiradas, e até meia- -noite para devoluções. O Sistema de Bicicletas Compartilhadas irá permitir a utilização da bicicleta por até 60 minutos ininterruptos, de segunda- -feira a sábado (exceto feriados), e por até 90 minutos ininterruptos, aos domingos e feriados, quantas vezes por dia o usuário desejar. Para isso, basta que, após estes prazos, o ciclista devolva o equi- pamento em qualquer estação por um intervalo de 15 minutos. Para continuar utilizando a bicicleta, sem fazer a pausa, serão cobrados R$ 3 pelos primeiros 30 minutos excedidos e, depois, R$ 5 para cada novo intervalo de meia hora. Para destravar a bicicleta, o usuá- rio pode usar o aplicativo Bike BH para smartphones ou ligar, do telefone celular, para o telefone 4003-9847 (custo de uma chama- da local). As bicicletas As bicicletas, que foram de- senvolvidas pela empresa Serttel possuem a cor laranja, pesam em torno de 15 quilos, têm quadro em alumínio com design diferenciado, três marchas, selins com altura regulável, guidão emborrachado, acessórios de sinalização, sistema de identificação e trava eletrônica. Como uma ferramenta de seguran- ça para os ciclistas, as bicicletas do Bike BH têm os pneus largos para reduzir a velocidade e as cores fortes ajudam na visualização. Ano XX N. 4.709 R$ 0,90 Tiragem: 2.100 23/12/2014 Diário Oficial do Município - DOM BELO HORIZONTE Breno Pataro Adão de Souza Projeto já tem cerca de 35 mil usuários cadastrados dom 4709.indd 1 22/12/2014 17:11:39

DOM - 23/12/2014

  • View
    228

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Diário Oficial do Município

Text of DOM - 23/12/2014

  • As estaesAs estaes funcionam alimentadas por energia solar e so interligadas por sistema de comunicao sem fio, via rede GSM e 4G, permitindo que estejam conectadas com a central de controle da empresa por 24 horas. A central monitora, em tempo real, toda a operao do sistema. Confira os locais das 40 estaes em operao:

    ESTAO LOCALIZAO1 Praa Rui Barbosa Av. Santos Dumont, esquina com Rua da Bahia2 Mercado Central Av. Augusto de Lima, entre Rua Santa Catarina e Praa Raul Soares3 Praa Afonso Arinos Av. lvares Cabral com avenidas Augusto de Lima e Joo Pinheiro4 Praa da Liberdade Av. Joo Pinheiro, esquina com Rua Gonalves Dias5 Rodoviria Praa Rio Branco, esquina com Rua Paulo de Frontin e Av. Paran6 Instituto So Rafael Av. Barbacena, lado oposto ao nmero 200, esquina com Av. Augusto de Lima7 Frum Av. Augusto de Lima, esquina com Rua Ouro Preto8 Praa Raul Soares Av. Augusto de Lima, 1.036, esquina com Praa Raul Soares9 Santo Agostinho Av. Barbacena, esquina com Av. Amazonas10 Diamond Av. Olegrio Maciel, 1.639, esquina com Rua Gonalves Dias11 Aimors Rua dos Aimors, lado oposto ao nmero 1983, esquina com Av. Bias Fortes12 Sesc Palladium Rua Rio de Janeiro, 1.129, esquina com Av. Augusto de Lima13 Tamoios Rua Tamoios, 489, esquina com Av. Amazonas14 Caets Rua Rio de Janeiro, esquina com Rua Caets15 Boa Viagem Rua Alagoas, oposto ao nmero 16, esquina com Av. Afonso Pena16 Praa do Ciclista Av. Caranda, 726, esquina com Av. Brasil17 Otoni Rua dos Otoni, 545, esquina com Av. Brasil18 Bernardo Monteiro Av. Bernardo Monteiro, 1.563, esquina com Av. Afonso Pena19 Professor Moraes Rua Professor Moraes, esquina com Rua Inconfidentes20 Colgio Santo Antnio Rua Pernambuco, 797, esquina com Rua Santa Rita Duro21 Ptio Savassi Rua Fernandes Tourinho, 126, esquina com Av. Cristvo Colombo22 Sergipe Rua Sergipe, 1.246, esquina com Rua Antnio de Albuquerque23 Minas Tnis Clube Rua da Bahia, 2.626, esquina com Rua Fernandes Tourinho24 Praa da Assembleia Rua Rodrigues Caldas, em frente ao edifcio Crea-MG, esquina com Av. lvares Cabral25 Praa da Savassi Rua Tom de Souza, 853, esquina com Rua Pernambuco26 Marlia de Dirceu Rua Marlia de Dirceu, 134, esquina com Rua Felipe dos Santos27 Tomaz Gonzaga Rua Tomaz Gonzaga, oposto ao nmero 377, esquina com Rua Rio de Janeiro28 Brbara Heliodora Rua Brbara Heliodora, 10, esquina com Rua Alvarenga Peixoto29 Conexo Aeroporto Canteiro central da Av. lvares Cabral, oposto ao Belo Horizonte Plaza Hotel, esquina com Rua dos Timbiras30 Praa da Boa Viagem Rua Sergipe, 238, esquina com Rua dos Aimors31 Praa Tiradentes Rua Paraba, lateral ao nmero 433, entre Rua Bernardo Guimares e Av. Afonso Pena32 Francisco Sales Av. Francisco Sales, 1.656, esquina com Av. Caranda33 Praa Floriano Peixoto Canteiro central da Av. Brasil, oposto ao 1 Batalho, esquina com Rua Manaus34 Santa Efignia Rua Levi Coelho, oposto ao nmero 97, esquina com Av. dos Andradas35 Mirante do Sabi Av. Otaclio Negro de Lima, oposto aos nmeros 11.390/11.540, esquina com Rua Euclides Franco36 Zoolgico Av. Otaclio Negro de Lima, 8.000, em frente Copasa, prximo ao acesso ao Zoolgico37 Parque Ecolgico da Pampulha Av. Otaclio Negro de Lima, 7.11138 Marco Zero Av. Otaclio Negro de Lima, prximo portaria 1 do Parque Ecolgico da Pampulha, esquina com a Av. Novara39 Mirante do Bem-te-vi Av. Otaclio Negro de Lima, oposto ao nmero 5.497, esquina com Rua Mondovi40 Pampulha Rua Verslia, lateral do nmero 3.500, esquina com Av. Otaclio Negro de Lima

    Projeto Bike BH concludo e j oferece

    400 bicicletas em 40 estaes

    Bicicletas compar tilhadas utilizam 74 quilmetros de ciclovias implantadas na cidade e promovem integrao com o Move e com o metr

    Como parte das comemora-es dos 117 anos de Belo Hori-zonte, foi concludo o projeto de bicicletas compartilhadas, o Bike BH, totalizando 400 bicicletas em 40 estaes j em funcionamento na cidade. O projeto foi lanado em junho deste ano e as estaes esto distribu das pela rea central e na orla da Lagoa da Pampulha. Atualmente, o Bike BH tem 34.946 usurios cadastrados e as bicicletas j foram utilizadas em mais de 34 mil viagens. J foram solicitados 16.140 passes (7.108 dirios, 8.162 mensais e 870 anuais) e os dias mais utilizados so domingos, sbados e quintas, nessa ordem, sobretudo no horrio entre 16h e 18h.

    A utilizao de bicicletas, alm de ser um transporte sus-tentvel e no poluente, tambm traz benefcios sade e uma tima opo de lazer. As bicicletas compartilhadas utilizam os 74 qui-lmetros de ciclovias implantados na cidade, alm de promover a integrao com o Move e com o metr. O Bike BH viabilizado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTrans, com a Serttel/Samba Transportes Sustentveis, e conta com o patrocnio do Ita. Mais detalhes do programa podem ser conferidos no site http://www.mobilicidade.com.br/bikebh/

    Como UtilizarPara utilizar as bicicletas,

    preciso preencher um cadastro

    pela internet (www.mobilicidade.com.br/bikebh) e pagar um valor dirio de R$ 3, mensal de R$ 9 ou anual de R$ 60. As bicicletas estaro disposio dos usurios todos os dias da semana, das 6h s 23h para retiradas, e at meia--noite para devolues.

    O Sistema de Bicicletas Compartilhadas ir permitir a utilizao da bicicleta por at 60 minutos ininterruptos, de segunda--feira a sbado (exceto feriados), e por at 90 minutos ininterruptos, aos domingos e feriados, quantas vezes por dia o usurio desejar. Para isso, basta que, aps estes prazos, o ciclista devolva o equi-pamento em qualquer estao por um intervalo de 15 minutos. Para continuar utilizando a bicicleta, sem fazer a pausa, sero cobrados R$ 3 pelos primeiros 30 minutos excedidos e, depois, R$ 5 para cada novo intervalo de meia hora. Para destravar a bicicleta, o usu-rio pode usar o aplicativo Bike BH para smartphones ou ligar, do telefone celular, para o telefone 4003-9847 (custo de uma chama-da local).

    As bicicletasAs bicicletas, que foram de-

    senvolvidas pela empresa Serttel possuem a cor laranja, pesam em torno de 15 quilos, tm quadro em alumnio com design diferenciado, trs marchas, selins com altura regulvel, guido emborrachado, acessrios de sinalizao, sistema de identificao e trava eletrnica. Como uma ferramenta de seguran-a para os ciclistas, as bicicletas do Bike BH tm os pneus largos para reduzir a velocidade e as cores fortes ajudam na visualizao.

    Ano XX N. 4.709 R$ 0,90 Tiragem: 2.100 23/12/2014Dirio Oficial do Municpio - DOM

    BELO HORIZONTEBr

    eno

    Pata

    ro

    Ado

    de

    Souz

    a

    Projeto j tem cerca de 35 mil usurios cadastrados

    dom 4709.indd 1 22/12/2014 17:11:39

  • BELO HORIZONTETera-feira, 23 de dezembro de 2014Dirio Oficial do Municpio2

    Poder Executivo

    Regional Nordeste comemora o final do ano com decorao reciclvel feita por servidores

    Mostra apresenta a histria de Venda Nova por meio de fotografias

    A Prefeitura de Belo Horizon-te, por meio da Fundao Municipal de Cultura, inaugurou ontem, no Centro de Referncia da Memria de Venda Nova (Rua Boa Vista, 11), a exposio Caminhos de Venda Nova: memria, sensibilidade e identidade, com registros fotogr-ficos que mostram o crescimento da regio. A inaugurao contou com a apresentao do grupo de msica instrumental Cumaru Trio (foto abaixo). A mostra tem entrada gratuita e pode ser visitada de quar-ta a sexta-feira, das 15h s 20h, e aos sbados, das 9h s 13h.

    Com curadoria do artista

    plstico Jaider Laerdson, a expo-sio tem como proposta revelar a regio em suas diversas tempo-ralidades, permitindo ao cidado uma reflexo sobre esse territrio especfico, com o qual estabeleceu vnculos no apenas geogrficos, mas de identidade, fsicos e, essen-cialmente, afetivos. Nossa ideia mostrar o que a regio de Venda Nova j foi um dia e o que ela tem se tornado, avalia Laerdson.

    HistriaA regio de Venda Nova j

    era povoada antes mesmo da cria-o da cidade de Belo Horizonte.

    O chamado distrito de Venda Nova foi contemporneo do distrito de Curral Del Rei, que juntamente com outras regies pertenciam Vila de Sabar, uma importante ci-dade do ciclo do ouro. A povoao em Venda Nova data do incio do sculo 18, quando a regio serviu de pouso para tropeiros que pas-savam com gados e mercadorias (vindo da Bahia, seguindo o Rio So Francisco e depois o Rio das Velhas) para abastecer as minas de ouro. Em 1949, a regio foi anexada definitivamente a Belo Horizonte, fato que contribuiu para o crescimento do local.

    A sede da Regional Nordeste (Rua Queluzita, 45, bairro So Paulo), conhecida com Fazendi-nha, teve uma manh especial ontem. Uma confraternizao foi realizada para celebrar os trabalhos realizados em 2014 e o grande destaque da comemorao foi a decorao natalina, feita com materiais reciclveis pelos prprios servidores da regional. rvore de latinha, prespio com telhado de

    folhas secas de palmeiras, boneco de neve feito com copo de plstico, guirlanda de jornal e festes de garrafa pet deram as cores do Natal na Fazendinha. Temos uma gran-de rea verde e fizemos questo de que nosso Natal preservasse o meio ambiente. Por isso, a escolha de materiais reciclveis, destacou o secretrio regional Geraldo Magela.

    Geraldo e a secretria regio-

    nal adjunta Mnica Veloso recep-cionaram os servidores e convida-dos com um caf da manh, que contou com uma apresentao da banda da Guarda Municipal e um culto ecumnico, celebrado pelo padre Marco Antnio, do Santurio So Judas Tadeu, pelo pastor Maia, da Igreja Batista Central de Nova Lima, e pelo pastor Martins Gre-grio, da Igreja Batista Emanuel.

    Para a elaborao dos enfei-

    tes, os servidores fizeram um muti-ro e reuniram todo o material ne-cessrio. Copos descartveis, latas de alumnio, jornais, papelo, tam-pinhas de garrafa e caixas de leite foram utilizados na confeco dos objetos. Segundo Mnica Veloso, o processo durou um ms e meio e a colaborao dos servidores foi essencial para alcanar o resultado positivo. Os servidores dedicaram o horrio de almoo para a criao

    dos enfeites. Todos contriburam de alguma maneira, seja com o recolhimento de materiais ou na confeco. Nossa prioridade foi utilizar materiais reciclveis, disse. Toda a rea externa da sede da regional est enfeitada.

    A assessora de gabinete Maria das Dores participou ativa-mente da criao. Para ela, ver a Fazendinha enfeitada para as festas de final de ano o resultado de um trabalho gratificante e feliz. Esta decorao refere-se no somente ao Natal, mas tambm natureza. Com o trabalho, provamos que imprescindvel preservar a nature-za. Estou muito realizada por ter ajudado, disse.

    Para elaborar os enfeites, os servidores fizeram um mutiro e reuniram todo o material

    Acer

    vo F

    MC

    Acer

    vo F

    MC

    Acer

    vo F

    MC

    Thia

    go N

    ani

    Foto

    s: Is

    abel

    Bal

    doni

    dom 4709.indd 2 22/12/2014 17:11:52

  • BELO HORIZONTETera-feira, 23 de dezembro de 2014 Dirio Oficial do Municpio 3

    Poder Executivo

    PBH lana revista cientfica sobre segurana alimentar e nutricional

    Mobilizao social tema de palestra na sede da Prefeitura

    O secretrio municipal ad-junto de Gesto Compartilhada, Gelson Leite, ministrou na ltima semana, na sede da Prefeitura de Belo Horizonte, no Centro, uma palestra para membros da equipe de mobilizao da Supe-rintendncia de Limpeza Urbana (SLU). Durante a apresentao, Gelson explicou a estrutura e o trabalho realizado pela secretaria

    e deu detalhes sobre os princi-pais projetos desenvolvidos pela Secretaria Municipal Adjunta de Gesto Compartilhada (SMAGC), como o Oramento Participativo e a capacitao dos conselheiros municipais, destacando, sempre, a importncia da mobilizao social na execuo das aes.

    Como a Gesto Compartilha-da o rgo da Prefeitura que tem o

    papel de estreitar o relacionamento entre a administrao municipal e a sociedade civil, fundamental que a gente realize um trabalho interseto-rial, que envolva todas as secretarias, autarquias e fundaes, destacou o secretrio. Alm disso, Gelson, que respondeu a questionamentos dos participantes durante a palestra, ressaltou que uma das misses da secretaria acompanhar e fortalecer os espaos de participao social, que existem em todas as reas de atuao da PBH.

    O trabalho em conjunto entre a SMAGC e outros rgos da Prefeitura tambm foi apontado pelo chefe do Departamento de Polticas Sociais e Mobilizao da SLU, Diomar Batista Martins, que acompanhou o grupo de cerca de 30 tcnicos de mobilizao durante a palestra. Queremos aproveitar a oportunidade dada pela Secretaria de Gesto Compar-tilhada para estreitar a relao dela com a SLU, porque o trabalho est, certamente, muito ligado. A SLU est aberta para que a secretaria faa uso dos conhecimentos e da grande insero que a equipe de mobilizao da superintendncia tem nas comunidades, ressaltou.

    Mostra de trabalhos em Segurana Alimentar e Nutricio-nal (SAN) foi o tema do 4 seminrio interno or-ganizado pela Secretaria Municipal Adjunta de Segurana Alimentar e Nutricional (Smasan), realizado no incio do ms no auditrio da Secretaria Municipal de Educao, no bair-ro Santo Antnio. O evento contou com a apresentao de 19 trabalhos e foi marca-do pelo lanamento da revista Cientfica SAN, primeira pu-blicao cientfica da Smasan nesse segmento. A revis-ta formada por uma coletnea de artigos referen-tes aos trabalhos apresentados na terceira edio do seminrio, real izada em 2013. As ini-c ia t i va s so resultados de pesquisas e prticas de-senvolvidas nas instituies das redes pr-pria e conveniada atendidas pela PBH no mbito da Smasan.

    Os trabalhos publicados

    foram desenvolvidos por supervi-sores da Smasan e cada equipe fez um artigo cientfico. A revista

    foi elaborada

    para se tor-nar um referencial de pesquisa na rea de Segurana Alimentar

    e Nutricional, comentou Adriana Versiani, gerente de Alimentao Escolar e Assistncia Nutricional. A revista est disponvel no site da

    Prefeitura de Belo Horizonte, w w w. p b h .g o v. b r, n a rea destina-da s publica-es de Educa-o Alimentar e Nutricional e pode ser aces-sada tambm por meio deste link: http://goo.gl/XxPihs.

    No semi -nrio deste ano, as supervisoras de alimentao esco-lar que atuam nas diferentes regies de Belo Horizonte apresentaram traba-lhos relacionados a temas como estmulo ao consumo de frutas e hortalias, boas pr-ticas na fabricao de alimentos, condies higinicas e sanitrias na produo da merenda escolar e avaliao da quantidade de acar.

    Um dos trabalhos em destaque foi Pesquisa de aspectos da nutrio em crianas com defici-

    ncias matriculadas nas unidades

    municipais de educao infantil do Barreiro, apresentado pela nutricionista Crislei Gonalves, su-

    pervisora regional de alimentao do Barreiro. A questo da perda e desperdcio de alimentos foi objeto de estudo e interveno em vrios dos trabalhos apresentados, como o desenvolvido na Regional Pampulha, cujo ttulo foi Aprimo-ramento em tcnica diettica e sustentabilidade: uma proposta de trabalho integrado para a reduo de desperdcio e incentivo cria-o de hortas escolares.

    ParceriasA Smasan conta com parceiros como as universidades federais

    de Minas Gerais (UFMG) e de Ouro Preto (Ufop), que desenvolvem trabalhos durante o estgio curricular dos estudantes de Nutrio. As parcerias so de grande relevncia e contribuem para o crescimento de todos e, principalmente, para o aprimoramento do planejamento e da execuo plena das atividades que so propostas, pontuou Snia Maria de Figueiredo, professora de Nutrio da Ufop.

    A secretria municipal adjunta de Segurana Alimentar e Nutricio-nal, Maria ngela Girioli, enfatizou a riqueza dos trabalhos desenvolvidos em parceria e ressaltou a visibilidade nacional e internacional alcanada pela secretaria por meio do bom desenvolvimento de seus programas e eixos de trabalho.

    Temas como OP e capacitao de conselheiros foram apresentados

    Revista foi lanada durante seminrio interno da Smasan

    SMAG

    C

    Nor

    ma

    Dua

    rte

    Dirio Oficial do Municpio de Belo HorizonteInstitudo pela Lei n 6.470 de 06/12/1993 e alterado pela Lei n 9.492 de 18/01/2008 Endereo eletrnico: www.pbh.gov.br/dom

    Composio, Produo e EdioAssessoria de Comunicao Social - Prefeitura de Belo HorizonteAv. Afonso Pena, 1.212 - 4 andar - Tel.: (31) 3277-4246

    Distribuio e AssinaturasRicci Dirios & Publicaes Ltda - Rua Curitiba, 1.592 - Loja 01Lourdes - Belo Horizonte - MG - Tel.: (31) 3274-4136

    ImpressoDidtica Editora do Brasil Ltda - ME - Rua Custdio Maia, 469Bairro Darcy Vargas - CEP 32372-160 - Contagem - MG - Tel.: (31) 2557-8030

    dom 4709.indd 3 22/12/2014 17:11:59

  • BELO HORIZONTETera-feira, 23 de dezembro de 2014Dirio Oficial do Municpio22

    Poder Executivo

    IndIcadores econmIcos de Belo HorIzonte

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesjul/14 430,31 0,01 4,38 6,73 427,28 0,01 4,04 5,90

    ago/14 431,08 0,18 4,57 6,81 427,87 0,14 4,19 6,17

    set/14 433,07 0,46 5,05 7,05 429,03 0,27 4,47 6,17

    out/14 434,84 0,41 5,48 7,09 429,93 0,21 4,69 6,09

    nov/14 438,19 0,77 6,29 7,22 432,55 0,61 5,33 6,06

    1 dez/14 458,55 (3) 0,62 6,43 6,43 454,27 (3) 0,52 5,60 5,60

    IPCA(1)

    Perodo

    (1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte(2) IPCR= ndice de Preos ao Consumidor Restrito: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 5 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    Evoluo dos Preos ao Consumidor

    Variao (%)ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    Variao (%)IPCR(2)

    Produtos / servios(1)Forma deCobrana Menor (R$) Maior (R$) Diferena (%) Mdia

    (2) (R$)

    CADASTRO

    Confeco de cadastro para incio de relacionamento - CADASTRO por evento 0,00 30,00 .. 15,32

    CONTAS DE DEPSITOS

    CARTO - Fornecimento de 2 via de carto com funo dbito por cliente 5,30 15,00 183,02 7,48

    CARTO - Fornec. de 2 via de carto com funo mov. conta de poupana por cliente 5,30 15,00 183,02 7,48

    CHEQUE - Excluso do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF) por Operao 28,50 52,00 82,46 42,94

    CHEQUE - Contra-ordem e oposio ao pagamento de cheque por cheque 10,35 15,00 44,93 11,71

    CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque por cheque 1,00 1,60 60,00 1,28

    CHEQUE - Cheque Administrativo por Cheque 20,00 30,00 50,00 24,14

    CHEQUE - Cheque Visado por cheque 0,00 21,00 .. 10,50

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE pessoal por operao 2,00 3,00 50,00 2,19

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE Terminal por operao 1,15 3,00 160,87 1,82

    Saque de conta de dep. vista e de poupana - SAQUE correspondente por operao 1,15 2,15 86,96 1,51

    DEPSITO - Depsito Identificado por operao 0,00 4,65 .. 2,10

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (P) por operao 1,45 6,00 313,79 3,10

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (E) por operao 1,35 3,00 122,22 2,01

    Forn. de ext. de um periodo conta dep. vista e poup. - EXTRATO (C) por operao 1,20 1,40 16,67 1,30

    Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo -EXTRATO(P) por operao 2,00 6,00 200,00 3,20

    Ext. mensal de conta de dep. vista e Poup. p/um perodo - EXTRATO(E) por operao 1,35 4,00 196,30 2,32

    Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo - EXTRATO(C) por operao 1,20 4,00 233,33 1,82

    Fornecimento de cpia de microfilme, microficha ou assemelhado por operao 0,00 6,00 .. 4,75

    TRANSFERNCIA DE RECURSOS

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P) por operao 0,00 19,90 .. 13,21

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E) por operao 0,00 9,50 .. 7,08

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I) por operao 6,50 9,00 38,46 7,62

    Transferncia entre contas na prpria instituio- TRANSF. RECURSOS(P) por operao 1,00 2,00 100,00 1,17

    Transferncia entre contas na prpria instituio-TRANSF.RECURSOS(E/I) por operao 0,85 1,20 41,18 0,98

    Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO por operao 23,80 27,00 13,45 25,03

    Transferncia por meio de DOC - DOC Pessoal (3) por evento 12,85 20,00 55,64 15,06

    Transferncia por meio de DOC - DOC eletrnico (3) por evento 0,00 9,50 .. 7,14

    Transferncia por meio de DOC - DOC internet (3) por evento 6,50 9,00 38,46 7,63

    Transferncia por meio de TED - TED pessoal (3) por evento 12,85 20,00 55,64 15,06

    Transferncia por meio de TED - TED eletrnico (3) por evento 0,00 9,50 .. 7,14

    Transferncia por meio de TED - TED internet (3) por evento 0,00 9,00 .. 7,70

    OPERAES DE CRDITO

    Concesso de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE por operao 30,00 54,70 82,33 44,62

    PACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICAPACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICA por evento 9,45 14,50 53,44 10,98

    CARTO DE CRDITO (3)

    Anuidade - carto bsico nacional a cada 365 dias 39,00 55,00 41,03 46,43

    Fornecimento de 2 via de carto com funo crdito por evento 5,00 15,00 200,00 7,94

    Utilizao de canais de atend. para retirada em espcie - no pas por evento 4,00 15,00 275,00 7,94

    Pagamento de contas utilizando a funo crdito em espcie por evento 1,99 19,90 900,00 10,40

    Avaliao emergencial de crdito por evento 10,00 18,00 80,00 15,00

    Anuidade - carto bsico internacional a cada 365 dias 0,00 90,00 .. 55,00

    Utilizao de canais de atend. para retirada em espcie - no exterior por evento 8,00 30,00 275,00 15,13

    (1) No so consideradas vantagens progressivas

    Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundao IPEAD/UFMG

    Tarifas Bancrias Novembro de 2014

    (2) Considera-se a mdia das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

    .. No se aplica dados numricos ND: no disponvel

    IPCA(1)Salrio Mnimo

    Cesta Bsica(2)

    IPCA Salrio MnimoCesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica

    jun/14 430,27 1117,46 554,54 0,20 0,00 -7,34 4,37 6,78 2,38 6,78 6,78 -2,95

    jul/14 430,31 1117,46 539,24 0,01 0,00 -2,76 4,38 6,78 -0,45 6,73 6,78 0,36

    ago/14 431,08 1117,46 533,37 0,18 0,00 -1,09 4,57 6,78 -1,53 6,81 6,78 2,04

    set/14 433,07 1117,46 539,86 0,46 0,00 1,22 5,05 6,78 -0,33 7,05 6,78 5,11

    out/14 434,84 1117,46 556,35 0,41 0,00 3,05 5,48 6,78 2,71 7,09 6,78 3,00

    nov/14 438,19 1117,46 553,74 0,77 0,00 -0,47 6,29 6,78 2,23 7,22 6,78 1,50

    Perodo

    ndice de Base Fixa(Jul/94=100)

    Evoluo da inflao, salrio mnimo e cesta bsica

    Variao (%)

    ltimos 12 Meses

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG(2) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38(1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo: mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    No ms No ano

    Produto Quantidade Valores(em R$)Contribuio na variao (p.p.)

    Acar cristal 3,00 kg 3,89 0,04

    Arroz 3,00 kg 7,50 -0,03

    Banana caturra 12,00 kg 27,41 -0,50

    Batata inglesa 6,00 kg 13,86 1,95

    Caf modo 0,60 kg 8,43 0,03

    Ch de dentro 6,00 kg 118,37 -0,88

    Farinha de trigo 1,50 kg 4,33 -0,04

    Feijo carioquinha 4,50 kg 13,88 -0,03

    Leite pasteurizado 7,50 lt 17,83 -0,17

    Manteiga 750,00 gr 17,52 0,07

    leo de soja 1,00 un 2,70 -0,01

    Po francs 6,00 kg 55,75 -0,09

    Tomate Santa Cruz 9,00 kg 29,33 -0,82

    Custo da Cesta Bsica(*) Novembro de 2014

    (*) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesjun/14 479,46 0,35 2,38 4,81 679,88 0,61 3,55 7,02

    jul/14 480,85 0,29 2,68 4,58 682,67 0,41 3,98 6,68

    ago/14 480,90 0,01 2,69 4,28 685,94 0,48 4,47 6,60

    set/14 480,13 -0,16 2,53 3,67 691,22 0,77 5,28 6,90

    out/14 481,38 0,26 2,79 3,61 694,20 0,43 5,73 6,84

    nov/14 483,40 0,42 3,22 3,55 696,49 0,33 6,08 6,67FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    Perodo

    Evoluo do Mercado Imobilirio: Aluguis

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)

    Comerciais

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)

    Residenciais

    Popular Mdio Alto Luxo

    1 Quarto e 1 banheiro ou mais 516,15(13)1010,00

    (10)863,17

    (60)1500,65

    (77)

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 759,04(125)1052,28

    (172)1201,49

    (290)2044,86

    (278)

    3 Quartos e 1 banheiro 914,72(57)1127,37

    (27)1363,94

    (52)1744,00

    (25)

    3 Quartos e 2 banheiros ou mais 1307,73(82)1390,35

    (197)1637,96

    (379)2445,96

    (428)

    4 Quartos e at 2 banheiros -(3)-

    (3)2418,48

    (25)3256,10

    (41)

    4 Quartos e acima de 2 banheiros / 5 Quartos ou mais e 1 banheiro ou mais

    2010,00(5)

    2153,85(13)

    2613,05(42)

    4549,78(288)

    1 Quarto e 1 banheiro ou mais 516,92(39)630,34

    (29)-

    (2)-

    (2)

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 607,14(7)769,23

    (13)-

    (Z)-

    (Z)

    1 Quartos e 1 banheiro ou mais -(2)-

    (2)-

    (1)-

    (Z)

    2 Quartos e 1 banheiro ou mais 835,58(52)984,41

    (34)1367,50

    (8)4066,67

    (6)

    3 Quartos e 1 banheiro 1094,17(24)1570,00

    (4)1475,00

    (4)-

    (Z)

    3 Quartos e 2 banheiros ou mais 1441,05(19)2174,88

    (16)3136,63

    (30)6260,00

    (20)

    4 Quartos e at 2 banheiros -(1)1950,00

    (4)5200,00

    (5)6274,88

    (8)

    4 Quartos e acima de 2 banheiros / 5 Quartos ou mais e 1 banheiro ou mais

    3620,00(5)

    4528,43(7)

    4629,41(17)

    9218,60(43)

    Valores mdios (em R$) dos aluguis residenciais por classe de bairro(*) - Novembro de 2014Imveis

    Barraces

    FONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    (*) O valor entre parnteses representa o nmero de imveis utilizados no clculo da respectiva mdia. Na maioria das vezes, somente so publicados valores mdios obtidos a partir de quatro imveis pesquisados. Os casos em que no foi pesquisado nenhum imvel so indicados por hfen (-). Os valores mdios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo so influenciados pela oferta de Flats.

    Apartamentos

    Casas

    ICCBH(1) IEE(2) IEF(3) ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEFjun/14 115,14 150,59 114,11 6,13 6,61 5,74 -4,44 -5,32 -3,72 -3,92 -11,97 3,28

    jul/14 112,59 144,07 113,41 -2,22 -4,33 -0,61 -6,56 -9,43 -4,31 -6,31 -13,29 -0,47

    ago/14 120,80 162,13 117,34 7,29 12,54 3,47 0,26 1,93 -0,99 -4,73 -10,13 0,05

    set/14 119,83 165,20 113,86 -0,80 1,89 -2,97 -0,54 3,86 -3,93 1,28 3,07 -0,22

    out/14 119,36 160,01 116,04 -0,39 -3,14 1,92 -0,93 0,60 -2,08 -0,87 -0,99 -0,79

    nov/14 118,35 156,21 116,48 -0,85 -2,38 0,37 -1,77 -1,79 -1,72 -4,02 -8,18 -0,55

    No ano

    (1) ICCBH: ndice de Confiana do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinio dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decises de consumo atual e futuro

    Perodo

    ndice de Confiana do Consumidor

    (2) IEE: ndice de Expectativa Econmica: retrata a expectativa do consumidor em relao aos indicadores macroeconmicos (3) IEF: ndice de Expectativa Financeira: retrata a confiana do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconmicosFONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    ltimos 12 Mesesndice de Base Fixa

    (Maio/04=100)Variao (%)

    No ms

    Perodo de referncia

    (novembro)Menor Maior Mdia

    Aquisio de outros bens (1) 05 a 11 2,69 5,92 3,51

    Aquisio de veculos (1) 05 a 11 1,48 2,04 1,70

    Automveis Novos montadoras 01 a 30 0,99 2,15 1,48

    Automveis Usados multimarcas 01 a 30 1,80 2,68 2,10

    Cheque especial (1) 05 a 11 5,98 12,37 9,69

    Comrcio Eletrnico 15 0,99 3,58 1,67

    Construo Civil Imveis Construdos 01 a 30 0,09 1,38 0,74

    Construo Civil Imveis na Planta 01 a 30 0,09 0,20 0,16

    Cooperativas de Crdito (emprstimo) 01 a 30 1,32 2,85 2,25

    Crdito pessoal consignado privado (1) 05 a 11 2,03 2,80 2,36

    Crdito pessoal consignado pblico (1) 05 a 11 1,55 1,99 1,74

    Crdito pessoal no consignado (1) 05 a 11 3,50 5,84 4,26

    Financiamento imobilirio com taxas reguladas (1) 05 a 11 0,67 1,41 0,90

    Emprstimos pessoa jurdicaAntecipao de faturas de carto de crdito (1) 05 a 11 2,16 3,65 2,74

    Capital de Giro (1) 05 a 11 1,36 2,66 1,99

    Conta Garantida (1) 05 a 11 2,20 4,09 2,79

    Desconto de Duplicatas (1) 05 a 11 1,13 2,90 2,19

    CaptaoCDB 30 dias (4) 30 0,78

    Cooperativas de Crdito (aplicao) 01 a 30 0,72

    Fundos de Curto Prazo 30 0,44 0,73 0,61

    Fundos de Longo Prazo 30 0,62 0,74 0,69

    Poupana (5) (1) 30 0,55

    Taxa SELIC (6) (1) 01 a 30 0,89(1) Considera-se a mdia das taxas praticadas pelos informantes(2) No so consideradas vantagens progressivas(3) Inclui a variao dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M (7) Novo clculo considerando o perodo dos ndices que compem a (4) Taxa ANBID do primeiro dia til do ms e projetada para 30 dias

    .. No se aplica dados numricos ND - no disponvelFONTE: Fundao IPEAD/UFMG

    (8) Dados coletados a partir de informaes consolidadas no Banco

    Taxas de Juros Novembro de 2014

    (6) Mdia ponderada pela vigncia

    Setores

    (5) Taxa referente ao primeiro dia do ms subsequente

    Emprstimos pessoa fsica

    Taxas mdias praticadas(1)

    dom 4709.indd 22 22/12/2014 17:12:02

  • BELO HORIZONTETera-feira, 23 de dezembro de 2014 Dirio Oficial do Municpio 23

    Poder Executivo

    Frum intersetorial promove discusso sobre raa, racismo, identidade e etnia na Regional Norte

    Escritrio de Projetos encerra atividades de 2014 com a capacitao de 70 servidores

    Comfora Norte faz balano positivo das

    aes realizadas em 2014A Regional Norte, por meio da Gerncia de Oramento

    Participativo, realizou no incio da semana uma reunio de confra-ternizao entre os membros da Comisso de Acompanhamento e Fiscalizao da Execuo do Oramento Participativo (Comfora) da regio. O encontro contou com as participaes do secretrio regional, Elson Alpio Jnior, do secretrio municipal adjunto de Gesto Compartilhada, Gelson Leite, do chefe de gabinete, Carlos Henrique, e da gerente de acompanhamento regional do OP, Mrcia Adriana Cruz. Para o gerente regional de OP, Nivaldo Tadeu S, o ano foi positivo e destacou a importncia do Ora-mento Participativo para a comunidade. um mecanismo por meio do qual a populao consegue conquistar melhorias para suas comunidades, destacou.

    O OP 2015/2016 destinar regio aproximadamente R$ 19 milhes para obras a serem deliberadas pela comunidade dos quatro territrios de gesto compartilhada. Encerradas as assembleias da segunda rodada do OP 2015/2016, mais de 100 delegados foram eleitos e 19 demandas foram apresentadas pelas comunidades. As prximas etapas so a Caravana de Prioridades, que acontecer no dia 16 de maro, e o Frum Regional de Prioridades Oramentrias, no dia 31 do mesmo ms. Durante o frum sero defini-dos os 14 projetos que sero contemplados no OP.

    O Programa de Capacitao em Gerenciamento de Projetos de 2014, desenvolvido pelo Escritrio de Projetos de Tecnologia da Infor-mao e Comunicao (EPP-PB) da Prefeitura de Belo Horizonte, foi encerrado na primeira semana deste ms. Cerca de 70 servidores da Prefeitura foram capacitados em Introduo a Gerenciamento de Projetos, Gerenciamento de Escopo, Tempo, Custos, Qualida-de e Recursos Humanos, alm de Gerenciamento de Comunicao, Aquisies, Riscos e Partes Interes-sadas (stakeholders).

    Como forma de reconhecer o empenho dos alunos e estimular a participao de outros servidores, o Escritrio de Projetos premiou os trs melhores alunos do programa

    em 2014. O analista de rede da Gerncia de Operao e Manuten-o de Rede Wan, Edson Geraldo Gonalves Campos de Souza, ob-teve o melhor desempenho e re-cebeu o guia Project Management Body of Knowledge (PMBOK), considerado base do conhecimen-to sobre gesto de projetos.

    Satisfeito com seu destaque na capacitao, o analista apontou o mdulo de gerenciamento de Recursos Humanos como um dos mais interessantes do programa, j que o desenvolvimento pessoal e a resoluo de problemas e conflitos so fundamentais para o bom an-damento de projetos e de outras atividades profissionais. Mesmo no estando diretamente envolvi-do em projetos, me inscrevi para

    participar do programa, pois os conhecimentos adquiridos podem ser facilmente aplicados ao nosso cotidiano e, alm disso, uma rea de interesse pessoal, explicou.

    O segundo e o terceiro luga-res ficaram, respectivamente, com os analistas da Secretaria Municipal de Sade Gerley Machado de Oli-veira e Vinicius Bueno Lima, que foram premiados pelo EPP-PB com um pen drive de 8 GB.

    O coordenador do Programa de Capacitao em Gerenciamen-to de Projetos, Pedro Paulo Cou-tinho, disse que 2014 foi um sucesso e que 2015 ser um ano de inovao, com a elaborao de um workshop prtico com os principais assuntos abordados no programa.

    A Prefeitura de Belo Ho-rizonte, por meio da Comisso Operativa Local (COL) Norte e do Grupo Gestor de Promoo da Igualdade Racial (GGPIR), realizou na sede da Regional Norte, no bairro So Bernardo, o Frum de Ateno Criana e ao Adoles-cente (Foca), que teve como tema Abordagem conceitual de Raa, Racismo, Identidade e Etnia.

    A discusso do frum foi conduzida pela pesquisadora do Observatrio da Juventude e do Aes Afirmativas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e doutora em Educao, Ana Amlia Laborne, e pela pedagoga, orienta-dora educacional e mestranda em Educao com especializao em Educao e Relaes tnico-raciais, Cludia Elizabete dos Santos. Ana Amlia abordou o conceito de raa, diferena, desigualdade, etnia, classificao racial e identi-dade racial, racismo e o desafio da luta contra o racismo.

    A doutora explicou que mui-tas vezes as pessoas tendem a transformar diferenas em desigual-

    dades. Somos diferentes indivduos nicos o problema no sermos di-ferentes, transformarmos essas di-

    ferenas em desigualdades, como, por exemplo, quando dizemos que negros so inferiores a brancos ou que homens so superiores as mulheres, pontuou. J Cludia Eli-zabete falou sobre a importncia de se discutir o tema no mbito escolar. Para a professora, a diversidade racial deve ser trabalhada com as

    crianas desde a infncia. Segundo a coordenadora do

    GGPIR, Maria Nazaret Teles Silva, o frum um espao de formao e debates, onde a temtica de igual-dade racial se amplia e consolida como tema pertinente conforme o surgimento das demandas e questionamentos.

    Trs melhores alunos do programa foram premiados no encerramento das atividades de 2014

    Foto

    s: G

    erco

    m N

    orte

    Foto

    s: R

    egio

    nal N

    orte

    Importncia da discusso de temas relacionados ao racismo no mbito escolar foi ressaltada

    Frum de Ateno Criana e ao Adolescente um importante espao de formao de debates

    Foto

    s: P

    roda

    bel

    dom 4709.indd 23 22/12/2014 17:12:18

  • BELO HORIZONTETera-feira, 23 de dezembro de 2014Dirio Oficial do Municpio24

    Poder Executivo

    Umei Solar Rubi tem decorao natalina feita com materiais reciclveis

    Carreta da Sade facilita realizao de exames na PampulhaUma parceria entre a Secreta-

    ria Municipal de Sade (SMSA) e a ONG Centro de Integrao de Edu-cao e Sade (Cies), com o apoio da Regional Pampulha, permitiu a realizao de 310 exames de mdia complexidade para moradores da regio da Pampulha que estavam aguardando agendamento pela Rede SUS-BH. Os exames foram

    realizados durante a Carreta da Sa-de, um centro mdico mvel que ficou instalado no ptio da Gerncia de Limpeza Urbana Pampulha, no bairro Santa Branca, entre os dias 10 e 13 deste ms. Foram ofertadas ultrassonografias endovaginais e abdominais, alm de endoscopias. Os pacientes atendidos foram enca-minhados por oito centros de sade

    da regio: Serrano, Santa Terezinha, Santa Amlia, Padre Maia, Confisco, Itamarati, Ouro Preto e Santa Rosa.

    A secretria municipal ad-junta de Sade, Marlia Jannotti, destacou a importncia da parce-ria. O objetivo sempre atender melhor a populao. So exames oferecidos na nossa rede, mas com essa parceria conseguimos agilizar o

    Corredores e salas enfeitados com adereos natalinos fazem parte da decorao de Natal da Unidade Municipal de Educao Infantil (Umei) Solar Rubi (Avenida Warley Aparecido Martins, 730, bairro Solar). So rvores, guirlan-das, Papai Noel, estrelas, sinos e mbiles diferentes do que se v nas lojas. Toda a decorao foi feita com materiais reciclveis como CDs usados, revistas, garrafas pet, cabides, madeiras e papelo e cus-tomizadas pelas crianas por meio de pinturas e recortes. O material tambm foi usado para decorar escadas e painis da unidade.

    A decorao feita com mate-riais reciclveis impressionou todos pela criatividade e pela beleza. Logo na entrada da Umei, tem uma rvore de Natal feita com rolo de papel, revistas, embalagem de iogurte e muitos sinos. O trabalho de decorao teve como objetivo reforar o verdadeiro sentido do

    Natal, que celebrar a vida com fraternidade, amor e unio familiar, minimizando o consumismo.

    Segundo a professora Jlia Tiemi, as crianas se propuseram a fazer a decorao a partir de uma pergunta simples: O que o Natal para voc?. Elas, em sua maioria, responderam que era a poca de ganhar presentes ou que era o dia do Papai Noel, entre outras respostas. Foi ento que decidimos retomar o que a data realmente, que celebrar a data do nascimento de Jesus, ressaltando a fraternidade e a confraternizao. Isso vai alm de um simples enfeite na escola, a celebrao da vida, relata a professora.

    A ideia, repassada em uma reunio pedaggica da Umei rea-lizada em novembro, contou com o apoio da coordenadora peda-ggica da instituio, Knia Silva, que abraou a causa. O propsito mostrar s crianas o sentido do

    amor do Natal e promover a unio das famlias. Por isso a ideia de chamarmos tambm os familiares para participar do projeto, ressal-ta a coordenadora. Para Knia, a participao familiar foi importante tambm para reforar o vnculo entre a escola e a famlia.

    A decorao apresentou tambm peculiaridades de cada famlia, incluindo fotos dos alunos em algum momento de suas vidas e desenhos feitos com o auxlio das famlias, retratando a poca do ano. As crianas de 2 anos fi-zeram uma rvore que continham CDs como bolas de Natal e um tronco feito de caixa de ma, evidenciando o trabalho com reci-clveis. Trabalhar com a arte em

    atendimento, explicou. Neste ano, at novembro, foram realizados pela Rede SUS-BH 38.393 exames de endoscopia e 200.838 exames de ultrassom.

    O aposentado Ansio Carva-lho, de 75 anos, morador do bairro Santa Amlia, foi um dos usurios beneficiados com a parceria. Tem menos de um ms que fiz o pedido

    da endoscopia no centro de sade e agora j estou realizando o exa-me, comemorou.

    Fundador da ONG Cies, Roberto Kikawa reforou a impor-tncia da parceria para os usurios. A inteno contribuir de forma integrada com o poder pblico, a fim de ofertar um servio de qua-lidade para a populao, disse.

    materiais reciclveis com crianas muito importante, pois refora-mos a importncia da reutilizao de materiais para a proteo do planeta e eles ainda aprendem a fazer coisas surpreendentes, disse a coordenadora.

    As professoras Adislaine Lima e Natlia Rodrigues orientaram toda a decorao adequando os mate-riais s faixas etrias. Geralmente, as pessoas descartam todo este material no lixo e nem imaginam as coisas interessantes que podem ser feitas com eles, refora Adislaine. Sempre que possvel, tentamos trabalhar a questo da reciclagem, pois na infncia que a educao para um mundo melhor comea, afirma Natlia.

    Foto

    s: D

    ivul

    ga

    oFo

    tos:

    Den

    is D

    ias

    Centro mdico mvel ficou instalado no ptio da Gerncia de Limpeza Urbana da Pampulha e permitiu a realizao de 310 exames de mdia complexidade

    Objetivo foi celebrar o Natal com fraternidade e unio, minimizando o consumismo

    dom 4709.indd 24 22/12/2014 17:12:34