DOMINÂNCIA Vs recessividade Monitor Rafael Bonfá Disciplina de Genética e Evolução

  • View
    105

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DOMINÂNCIA Vs recessividade Monitor Rafael Bonfá Disciplina de Genética e Evolução

  • Slide 1
  • DOMINNCIA Vs recessividade Monitor Rafael Bonf Disciplina de Gentica e Evoluo
  • Slide 2
  • Mutaes produtoras de alelos recessivos
  • Slide 3
  • 1. Mutao com perda de funo: Provocam produto gnico inativo. A maioria dessas mutaes resulta em um alelo recessivo para o alelo normal: freqentemente envolvem uma enzima exigida em pequenas quantidades; Alelo normal restante suficiente para atingir o efeito do produto gnico; A reduo de somente 50% no suficiente para causar manifestao clnica.
  • Slide 4
  • Mutaes produtoras de alelos dominantes
  • Slide 5
  • 1. Mutao com ganho de funo: Aumento da dosagem gnica: Similar ao das trissomias.
  • Slide 6
  • 1. Mutao com ganho de funo: Mecanismo: 1. Aumento da atividade protica: Mutao envolvendo stio de reconhecimento para degradao proteoltica; do T1/2 vida de protenas.
  • Slide 7
  • 1. Mutao com ganho de funo: Mecanismo: 2. Expresso de RNAm alterada: Mutaes que envolvem partes regulatrias do gene. Ex.: Persistncia hereditria de hemoglobina fetal. -globina e -globina, por ligao de fatores de transcrio no promoter de -globina.
  • Slide 8
  • 2. Mutao com perda de funo e padro dominante: Ocorre quando: 50% do produto protico no so suficientes para o funcionamento normal: Haploinsuficincia
  • Slide 9
  • 2. Mutao com perda de funo e padro dominante: Exemplo: Hipercolesterolemia familiar A de 50% dos receptores de LDL dobraria o nvel de colesterol e o risco cardaco de heterozigotos em relao a homozigotos normais; Homozigotos para alelos mutados apresentam fentipo mais grave.
  • Slide 10
  • 2. Mutao com perda de funo e padro dominante: Exemplo 2: Genes que produzem protenas com taxa de degradao constante. ex. inibidor da esterase C1 (C1NH)
  • Slide 11
  • 3. Mutao dominante negativa: alelo mutante interfere com a ao do alelo normal. Ocorre em protenas multimricas.
  • Slide 12
  • Slide 13
  • 4. Alteraes proticas txicas: Mutaes que rompem com a funo normal da protena, levando a produtos txicos que envenenam a clula. Ex.: Amiloidose hereditria: protena resistente sofre ento multimerizao e acumula dentro da clula, como fibrilas, causando ruptura da celular
  • Slide 14
  • 5. Mutaes que causam nova funo protica: Exemplo: Doena hemorrgica fatal causada pela mutao no gene da 1-antitripsina. A 1-antitripsina, inibidor da elastase, transformada em inibidor da trombina.
  • Slide 15
  • Mutaes recessivas com efeito dominante: Algumas mutaes podem mostrar um modelo de herana dominante em heredogramas, porm somente clulas em homozigoze so anormais.
  • Slide 16
  • Mutaes recessivas com efeito dominante: Ex.: Gene do Retinoblastoma (RB-1): Famlias demonstram padro de herana autossmico dominante, mas somente as clulas homozigotas so malignas. Hiptese de dois eventos (Knudson, 1971).
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Slide 19
  • ?