DRENAGEM SUPERFICIAL: ASPECTOS ... - .DRENAGEM SUPERFICIAL: ASPECTOS HIDRÁULICOS VERSUS ASPECTOS

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DRENAGEM SUPERFICIAL: ASPECTOS ... - .DRENAGEM SUPERFICIAL: ASPECTOS HIDRÁULICOS VERSUS ASPECTOS

  • DRENAGEM SUPERFICIAL: ASPECTOS HIDRULICOS VERSUS ASPECTOS DE SEGURANA

    ROCHA, Eider Gomes de Azevedo1; JABR, Marcos Augusto2; MATTOS, Nelson Jos Rodrigues3.

    RESUMO

    O presente trabalho teve, por propsito, analisar os aspectos hidrulicos e de segurana dos dispositivos de drenagem superficial sugeridos pelos manuais e normas internas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes DNIT. Muitos destes dispositivos, principalmente aqueles destinados drenagem superficial, j encontram-se catalogados nas publicaes internas dessa autarquia e podem ser encontrados em muitas rodovias federais do pas, algumas destas com mais de 40 anos de execuo. Dentre estes dispositivos, podem ser destacadas: as sarjetas de corte, que correspondem aos elementos projetados para captao da drenagem superficial em trechos de corte (STC - Sarjeta triangular de concreto, STG Sarjeta triangular de grama e SCC Sarjeta de canteiro central); e as sarjetas de aterro, que destinam-se captao da drenagem superficial em trechos de aterro (MFC Meio-fio de concreto). Apesar de se prestarem para atendimento das demandas hidrulicas impostas pela obra rodoviria, muitos destes dispositivos no atendem aos critrios de segurana estabelecidos na norma NBR-15.486/2007 Segurana no Trfego: Dispositivos de conteno viria Diretrizes. De acordo com os parmetros desta norma, que para o caso das sarjetas de corte, avaliam as declividades de seus taludes frontal e posterior (tomando-se sua geometria como referncia), nenhum dos dezesseis tipos de sarjetas catalogadas pelo DNIT atendem aos requisitos de segurana da citada norma. Algo semelhante ocorre com as sarjetas de aterro, que so avaliados com relao a diferena de altura entre o topo do dispositivo e a camada de revestimento. Dos oito tipos catalogados, quatro atendem aos requisitos de segurana daquela norma. Com isto, percebe-se uma necessidade urgente de intervir nos dispositivos implantados, de modo a adequar suas condies de segurana, bem como propor novos tipos de dispositivos, para o caso de obras a construir.

    PALAVRAS-CHAVE: drenagem superficial, dispositivo de conteno viria, rodovia.

    ABSTRACT

    This paper intends to analyze hydraulic and safety aspects of surface drainage devices suggested by manuals and internal rules of the Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT. Many of these devices, especially those destined for surface drainage, are already cataloged in your internal publications and can be found in many federal roads in the country, some of those over 40 years of operation. Among these devices, can be highlighted: the cutting gutters, which correspond to elements designed to capture the surface drainage in backslopes (STC - concrete triangular gutter, STG grass triangular gutter and SCC concrete median gutter); and landfill gutters, which are intended to capture the surface drainage in foreslopes (MFC - concrete curb). Although this devices attend the hydraulic demands imposed by road, many do not attend the safety criteria contained in the NBR-15486/2007 standard - Safety Traffic: road restraint devices - Guidelines. According to the parameters of this standard, which in the case of cutting gutters, evaluate foreslope and backslope declivity (taking its geometry as a reference), none of the sixteen types of gutters cataloged by DNIT attend safety requirements of this standard. Something similar occurs with the landfill gutters, which are evaluated in relation the height difference between the top of the device and the coating layer. For the eight types cataloged, four attend security requirements of that standard. With this, perceive an urgent need to intervene in implanted devices, so as to adapt their safety, and to propose new types of devices, in the case of roads to be constructed.

    .

    KEY WORDS: surface drainage, safety device, highway.

    ____________________ 1Engenheiro Civil, Mestre em Estruturas e Construo Civil (UnB, 2006), Especialista em Infraestrutura de Transporte Rodovirio (INBEC, 2015), Analista em Infraestrutura de Transportes (DNIT, 2013), Professor do curso de Engenharia Civil do Centro Universitrio do DF UDF (2012). E-mail: eider.rocha@dnit.gov.br 2Engenheiro Civil, Professor do curso de ps-graduao em Infraestrutura de Transporte Rodovirio do INBEC. E-mail: mjabor@terra.com.br; nelmat@globo.com

  • INTRODUO Um projeto rodovirio composto por diferentes disciplinas, dentre as quais pode-se destacar: - Estudo de trfego; - Estudo topogrfico; - Estudo geolgico-geotcnico; - Estudo hidrolgico; - Projeto de terraplenagem; - Projeto de geometria; - Projeto de pavimentao; - Projeto de drenagem e OAC; - Projeto de sinalizao e segurana viria; - Projeto de obras complementares. Na disciplina de projeto de drenagem, costumam-se definir os dispositivos que constituiro os sistemas de drenagem superficial, sub-superficial, profunda, ou mesmo de transposio de talvegue. Para o caso especfico da drenagem superficial, h uma diversidade de dispositivos disponveis e que tm aplicaes bem definidas, como por exemplo: - Sarjetas de corte: - Sarjetas de aterro (meios-fios); - Entrada dgua; - Descidas dgua; - Dissipadores de energia. As sarjetas de corte e de aterro so dispostas junto s bordas da rodovia, interligadas plataforma rodoviria, recebendo a descarga concentrada sobre a camada de revestimento e/ou, concentrada em suas adjacncias. Deste modo, tais elementos so considerados como dispositivos de drenagem lateral e, alm de servirem para os fins de captao e conduo das guas precipitadas, interferem tambm nos aspectos de segurana. Tais aspectos so tratados na norma NBR-15.486 Segurana no trfego: dispositivos de conteno viria Diretrizes (ABNT, 2007a), e em seus itens 4.1.5 - Drenagem Lateral e 4.1.6 Estruturas de Drenagem, so fixados parmetros mnimos de segurana em relao aos mesmos. Esta mesma norma destaca que os dispositivos de drenagem devem ser projetados e construdos considerando, alm da capacidade hidrulica, seu efeito na segurana das laterais da pista. Ao se avaliar estes aspectos de segurana, percebeu-se que a maioria dos dispositivos sugeridos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura Rodoviria DNIT, mais especificamente os destinados drenagem superficial e que constam em uma de suas publicaes internas, a saber a publicao IPR-736 lbum de Projetos-Tipo de Dispositivos de Drenagem (BRASIL, 2011), no atendem aos quesitos de segurana definidos na norma supracitada. Assim, o presente trabalho contempla a anlise e identificao dos elementos destinados drenagem superficial e que no oferecem adequadas condies de segurana. Tambm contempla a sugesto de solues, diferenciando os casos de obras rodovirias j implantadas dos casos de obras rodovirias a implantar, que busquem a adequao dos aspectos de segurana com os aspectos hidrulicos, de maneira a subsidiar a tomada de deciso mais adequada sob o ponto de vista tcnico-econmico. Objetivos Os objetivos deste trabalho podem ser divididos em dois tipos: de carter geral e de carter especfico, tendo cada um deles, o escopo revelado a seguir. Objetivo geral

  • Este trabalho tem, por objetivo geral, avaliar os aspectos hidrulicos e de segurana dos dispositivos de drenagem superficial sugeridos pelos manuais e normas internas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes DNIT. Objetivo especfico Propor solues com vistas a adequao dos dispositivos de drenagem superficial j implantados e que no atendem aos critrios de segurana definidos na norma NBR-15.486 (ABNT, 2007a), quer seja promovendo o fechamento da seo destes, quer seja guarnecendo-os com elementos de conteno viria. Ainda, avaliar alternativas de ajustes na geometria dos dispositivos de drenagem superficial a serem implantados em obras futuras, mantendo ou melhorando sua eficincia hidrulica, de maneira que j atendam s prescries da norma supracitada.

    JUSTIFICATIVA Nas diversas rodovias que cortam o Brasil, comum o registro de acidentes de trnsito onde os veculos encontram-se tombados prximos, ou mesmo encravados, aos elementos de drenagem superficial, conforme pode ser visto na figura 1.

    Figura 1 Caminho encravado em sarjeta de corte.

    Fonte: LORENZON (2014).

    Assim, perceptvel que tais dispositivos de drenagem tm alguma participao, quer seja na causa ou no agravamento de tais acidentes, o que nos permite perceber uma relao ntima entre a existncia dos elementos drenantes e a segurana da via. Pensando nisto, moldou-se a concepo do presente trabalho, que tem como escopo avaliar os aspectos de segurana associados aos sistemas empregados pelo DNIT, no tocante drenagem superficial das rodovias sob sua jurisdio, verificando se os dispositivos ali empregados atendem aos critrios de segurana viria definidos na norma NBR-15.486 (ABNT, 2007a). Para cumprir com este propsito, o trabalho est estruturado de maneira que, inicialmente, sejam apresentados os conceitos necessrios ao completo entendimento dos termos tcnicos empregados, para, a partir da, efetuar a anlise dos parmetros hidrulicos e de segurana a que este estudo se prope. Assim, nos captulos que se seguem, sero tratados, sequencialmente, os seguintes temas: reviso bibliogrfica, onde so introduzidos os conceitos e as definies acerca dos dispositivos de drenagem contemplados na anlise, seus tipos e classificaes, processos de dimensionamento, detalhes de

  • projeto e de execuo; anlise dos dispositivos de drenagem, onde so destacadas as propriedades dos dispositivos que foram avaliadas, bem como o diagnstico de cada elemento, o que permitiu a elaborao de tabelas com o resumo dos principais dados e o enquadramento dos dispositivos como de uso recomendado (A), no-recomendado (B) ou indevido (C); concluses, com destaque para as principais passagens da anlise proposta ao longo do trabalho e as alternativas para melhorar o emprego dos dispositivos de drenag