of 98/98
DRF - Goiânia Imposto de Renda Pessoa Física

DRF - Goiânia Imposto de Renda Pessoa Física · Comprovação do pagamento Despesas médicas e de instrução - dedutíveis, ... Uniforme, material escolar e transporte escolar

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of DRF - Goiânia Imposto de Renda Pessoa Física · Comprovação do pagamento Despesas médicas e de...

  • DRF - Goinia Imposto de Renda Pessoa Fsica

  • Normas Gerais IN SRF n 1.500/2014 e

    1.545/2014

  • Obrigado a declarar

    Est obrigada a apresentar a Declarao de Ajuste Anual do Imposto de Renda referente ao exerccio de 2015 a PF, residente no Brasil, que, no ano-calendrio de 2014:

    - Rendimentos Tributveis > R$ 26.816,55;

    - Rend. Isentos/Trib. Exc. Fonte> R$40.000,00;

    - Bens e direitos > R$300.000,00;

    - Passou condio de residente no Brasil;

    - Ganho de Capital sujeito ao I. R. ou Iseno;

    - Operaes de Renda Varivel;

    - Receita da Atividade Rural > R$134.082,96.

  • Declarao em Conjunto

    Declarante em conjunto

    dependente com rendimentos oferecidos

    tributao.

    Rendimentos mantm a natureza jurdica.

    todos os bens do casal, inclusive privativos

  • Cnjuges

    Declarao em separado:

    100% dos bens comuns em uma declarao;

    rendimentos dos bens comuns tributados em 50% em cada declarao ou 100% na declarao de um dos cnjuges (a mesma opo para todos os bens).

    os dependentes no podem constar nas duas

    declaraes

  • Companheiros

    Declarao em separado:

    bens so propriedades em condomnio

    Cada um declara 50% dos rendimentos

    produzidos pelos bens, salvo estipulao contrria

    em contrato escrito.

  • Rendimentos Tributveis IN SRF n 1500/2014

  • IRPF Regime de Caixa

    Rendimentos tributados no ms do recebimento.

    Considera-se recebido o deposito em instituio financeira em favor do beneficirio.

    Rendimentos recebidos acumuladamente a partir de 2010 Regra especial.

  • Resgate de Previdncia Privada

    PGBL tributvel

    VGBL tributvel somente o lucro

    Rendimentos referentes a contribuies de JAN/89 a 12/95 so isentos.

    Regra geral reteno de 15% e sujeito ao ajuste anual;

    Opo tributao exclusiva na fonte com alquotas regressivas, de acordo com o tempo de permanncia.

  • Resgate de Previdncia Privada

    Tributao exclusiva na fonte alquota:

    35% (2 anos)

    30% (2 a 4 anos)

    25% (4 a 6 anos)

    20% (6 a 8 anos)

    15% (8 a 10 anos)

    10% (superior a 10 anos)

  • Rendimentos de Aluguis

    Os rendimentos recebidos por meio de

    imobiliria devem ser tributados como

    recebidos do inquilino (PF ou PJ).

    Excluses:

    condomnio, impostos e taxa de administrao, cujo

    nus tenha sido exclusivamente do proprietrio.

  • Penso Alimentcia

    Despesa dedutvel para o alimentante.

    Homologado judicialmente;

    Escritura Pblica.

    Rendimento tributvel para o alimentando.

    Carn-leo

    Rendimento declarado como recebido de PF,

    ainda que depositado pela fonte pagadora do

    alimentante na conta do alimentando.

  • Rendimentos Recebidos

    Acumuladamente

  • Novo regime: tabela acumulada

    -> Tabela multiplicada pelo nmero de meses a que se referem os rendimentos.

    -> Tributao exclusiva na fonte, com possibilidade de ajuste anual opo irretratvel do contribuinte.

    -> Excluso das despesas com a ao judicial.

    -> Deduo de penso alimentcia e previdncia oficial.

  • Recolhimento Mensal Obrigatrio (Carn-leo)

    IN SRF n 704 e 803/2007 e 1.531/2014

  • Carn-leo

    Caractersticas

    O recolhimento obrigatrio;

    Recolhido por quem recebe o rendimento;

    Aplicao da tabela progressiva mensal;

    Sujeio ao ajuste anual - antecipao do devido.

    no recolhimento mensal sujeita a multa de 50% sobre o valor no recolhido

  • Carn-leo

    Quando recolher

    Rendimentos recebidos de PF sem vnculo empregatcio;

    Rendimentos recebidos por residente, de fontes situadas no exterior ou organismos internacionais.

    Impossibilidade de reteno na fonte

  • 18

  • O Registro Profissional somente ser obrigatrio para as seguintes ocupaes:

    225 Mdico

    226 Odontlogo

    229 Fonoaudilogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional

    255 Psiclogo e Psicanalista

    241 - Advogado

    Retirada as opes de Escriturao do Livro Caixa

    1

    9

  • 2

    0

  • 21

    O Titular do Pagamento somente ser obrigatrio para as seguintes ocupaes:

    225 Mdico

    226 Odontlogo

    229 Fonoaudilogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional

    255 Psiclogo e Psicanalista

    241 - Advogado

  • 22

  • 23

  • Rendimentos Recebidos de PF

    2

    4

  • Demonstrativo de Apurao

    2

    5

  • Rendimentos Isentos ou No-tributveis

    IN SRF n 1500/2014

  • Rendimentos Isentos

    Legislao

    A maioria se encontra na Lei n 7.713/1988.

    Todas consolidadas no art. 39 do RIR.

    Existem alguns rendimentos no-tributveis,

    como a indenizao por dano material.

  • Rendimentos Isentos

    Maiores de 65 anos

    Rendimentos de aposentadoria, reserva, reforma ou penso (Poder Pblico).

    Limite de R$1.787,77 por ms, inclusive o 13, no podendo acumular eventual diferena;

    Rendimentos de aplicaes financeiras e trabalho assalariado, por exemplo, so tributveis.

  • Rendimentos Isentos

    Molstia grave

    Rendimentos de aposentadoria, reforma ou

    penso recebidos por portador de molstia grave

    definida em lei

    Comprovao: laudo mdico oficial e termo de

    concesso de aposentadoria, reforma ou penso

  • Rendimentos Isentos

    Molstia grave

    Isentos

    Complementao de aposentadoria

    Penso alimentcia judicial

    Rendimentos recebidos acumuladamente,

    dependem da origem

  • IRRF

  • Imposto de renda retido na fonte

    Tipos de tributao

    Sujeito ao ajuste anual.

    O imposto antecipao do devido.

    Ex.: rendimentos do trabalho assalariado.

    Tributao exclusiva na fonte

    O imposto no recupervel (exceo: RRA)

    O rendimento informado, deduzindo-se o I. R.

    Ex.: rendimentos de aplicao financeira, 13 salrio.

  • Dedues da Base de Clculo IN SRF n 1500/2014

  • R$2.156,52 por dependente;

    Despesas com Instruo;

    Despesas Mdicas;

    Contribuio previdenciria oficial;

    Contribuio previdenciria privada;

    Penso alimentcia judicial;

    Livro-caixa.

    Dedues Permitidas

  • PGBL (previdncia) dedutvel

    Limite: 12% dos rendimentos tributveis.

    Restrio: recolhimento da previdncia oficial

    VGBL(seguro) - indedutvel

    Previdncia Privada

  • Podem ser dependentes:

    Cnjuge;

    Companheiro

    com filho

    convivncia h mais de 5 anos

    inclusive homossexual;

    Filho ou enteado

    at 21 anos

    at 24 anos, universitrio ou cursando escola tcnica

    incapacitado fsica ou mentalmente paro o trabalho

    Dependentes

  • Podem ser dependentes (cont):

    Irmo, neto ou bisneto at 21 anos, com guarda judicial

    at 24 anos, estudante, com guarda judicial at os 21 anos

    Pais, avs e bisavs Rendimentos, tributveis ou no, at R$21.453,24

    Menor pobre at 21 anos, que o contribuinte detenha a guarda judicial

    Pessoa absolutamente incapaz tutor ou curador

    Dependentes

  • Requisitos

    Deciso judicial, acordo homologado judicialmente

    Escritura Pblica

    Comprovao do pagamento

    Despesas mdicas e de instruo - dedutveis,

    desde que conste da deciso.

    Penso Alimentcia

  • Despesas com profissionais de sade mdicos, dentistas, psiclogos, fisioterapeutas,

    terapeutas ocupacionais e fonoaudilogos;

    Despesas hospitalares

    Outras Laboratrios e servios radiolgicos, aparelhos

    ortopdicos e prteses ortopdicas e dentrias

    Planos de sade

    Instruo de deficientes fsicos e mentais

    Despesas Mdicas

  • Dedutibilidade

    O contribuinte titular de plano de sade pode

    deduzir integralmente o valor pago ao plano, no

    caso de seus dependentes declararem em separado?

    E a pessoa fsica que constou como beneficirio

    em plano de sade de outra pode deduzir as suas

    despesas?

    Despesas Mdicas

  • Limite: R$3.375,83 por dependente.

    Pagamentos a estabelecimentos de ensino Educao infantil: creches e pr-escolas;

    Ensino fundamental;

    Ensino mdio;

    Educao superior: graduao e ps-graduao (mestrado, doutorado e especializao);

    Educao profissional: ensino tcnico e tecnolgico.

    Despesas com Instruo

  • Despesas com Instruo

    No dedutveis

    Uniforme, material escolar e transporte escolar

    Cursos

    ingls

    preparatrios para vestibular ou concursos

    congressos

    crdito educativo

  • Livro Caixa

  • Quem pode utilizar?

    Recebe rendimentos do trabalho no-

    assalariado (autnomo), de PF (carn-leo),

    e de PJ (reteno na fonte).

    Servios Notariais;

    Leiloeiro;

    Livro Caixa

  • Despesas dedutveis

    Remunerao e os encargos trabalhistas e previdencirios;

    Despesas de custeio (percepo da receita);

    aluguel, luz, telefone e material de expediente e de consumo

    1/5 das despesas de imvel misto (profissional e residencial) e no tiver como separar;

    Publicaes necessrias e roupas especiais;

    Contribuies sindicais;

    Participao em congressos e seminrios (inclusive transporte).

    Livro Caixa

  • Despesas indedutveis

    as quotas de depreciao

    instalaes, mquinas e equipamentos

    despesas de arrendamento (leasing);

    Aquisio de bens com vida til > um exerccio;

    locomoo e transporte, combustvel, manuteno do veculo;

    reparo ou conservao de imveis de propriedade do contribuinte;

    Livro Caixa

  • A dedutibilidade das despesas de custeio no depende da origem das receitas (PF ou PJ), mas devem manter correlao com a atividade.

    Limite - valor da receita mensal recebida de pessoa fsica ou jurdica sem vnculo de emprego.

    Excedentes - somadas s dos meses subsequentes at dezembro do ano-calendrio.

    Autnomo que s prestou servios a PJ: Rendimentos ficha Rendimentos recebidos de PJ

    Dedues Coluna C da ficha Rend. recebidos de PF.

    As demais colunas ficam em branco

    Livro Caixa

  • Dedues do Imposto Devido

  • Doaes:

    Fundos da Infncia, Adolescncia e do Idoso, Incentivo

    Atividade Audiovisual, Incentivo Cultura e Incentivo ao

    Desporto

    Contribuio Patronal do Empregador

    Domstico.

    Dedues do Imposto Devido

  • Limites

    Doaes 6% do imposto apurado;

    Contribuio Patronal do Empregador

    Domstico

    valor do Imposto Devido

    12% do salrio mnimo mensal, 13 e adicional de frias

    referentes a 1 empregado domstico.

    R$ 1.152,00

    Dedues do Imposto Devido

  • 2014

    => Limitadas a 3% do IR devido,

    respeitado o limite de 6% de dedues de

    benefcios.

    => DAA com opo pelas dedues legais.

    => Declaraes apresentadas no prazo.

    => Doaes realizadas em espcie.

    => No exclui ou reduz outros benefcios ou

    dedues em vigor.

    DOAES REALIZADAS

    DIRETAMENTE NA DAA -

    CONDIES

  • PAGAMENTO DO IMPOSTO

  • PAGAMENTO DO IMPOSTO

    Pagamento em quotas:

    Impresso apenas da primeira quota;

    a partir da segunda, impresso pela

    Internet;

    Evitar o recolhimento sem juros.

    Dbito em conta

  • DMED IN SRF n 985/2009

  • DMED

    Obrigado a declarar

    PJ ou equiparadas prestadoras de servios de

    sade.

    PJ de direito privado operadoras de planos

    privados de assistncia sade.

  • DMED

    PJ prestadoras de servios de sade

    Prestam servios de:

    mdicos, dentistas, psiclogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudilogos;

    hospitais, laboratrios, servios radiolgicos, servios de prteses ortopdicas e dentrias;

    clnicas mdicas de qualquer especialidade;

    prestados por estabelecimento geritrico;

    entidades de ensino de deficiente fsico ou mental.

  • Declarao de Bens e Direitos IN SRF n 1500/2014

  • Bens a serem declarados

    Bens imveis, automveis, embarcaes e

    aeronaves independentemente do valor.

    Bens mveis acima de R$5.000,00.

    Aplicaes e conta-corrente R$140,00.

    Participaes societrias R$1.000,00.

    Declarao de Bens e Direitos

  • Declarao de Bens e Direitos

    Doao de bens

    Pessoa que doa:

    d baixa no bem - zera o valor de 12/2014, informando o fato na discriminao.

    Pessoa que recebe:

    d entrada no bem (deixa 12/2013 zerado e insere o valor do bem em 12/2014);

    informa o fato na discriminao;

    informa o valor em Rendimentos Isentos ou No-tributveis, para justificar o acrscimo patrimonial).

    Valor aumentado Ganho de Capital

  • Consrcio no-contemplado possui item prprio no PGD

    declaram-se os valores pagos at 12/2013 e at 12/2014 nas respectivas colunas.

    Consrcio contemplado o direito (consrcio no-contemplado) substitudo pelo

    bem, com os valores pagos at 12/2014.

    Declarao de Bens e Direitos

    Consrcio

  • a partir do exerccio de 2013, AC de 2012;

    limite individual de 3% sobre o IR devido;

    limite global de 6% do IR devido, juntamente com as demais dedues de incentivo, inclusive quanto ao

    prprio ECA no decorrer do AC relativo declarao;

    Estatuto da Criana e do Adolescente

    Deduo direta na declarao

  • Ganho de Capital IN SRF n 118/ 2000, 84/2001 e

    599/2005

  • Regulamentao

    IN SRF n 118/2000 Alienao de moeda estrangeira e de bens ou

    direitos adquiridos em moeda estrangeira.

    IN SRF n 84/2001 Normas gerais de ganho de capital.

    Lei n 11.196 e IN/SRF n 599/2005 Dispe sobre as isenes e redues.

    Ganho de Capital

  • Operaes Sujeitas Apurao

    Alienao de bens e direitos;

    Transferncia a herdeiros em valor superior ao informado na declarao do esplio ou do doador;

    Alienao de moeda estrangeira e de bens ou direitos adquiridos em moeda estrangeira.

    Ganho de Capital

  • Regime de Tributao

    Tributao definitiva.

    Portanto, o ganho e o imposto pago no so levados

    para o ajuste anual.

    Pagamento do imposto - at o ltimo dia til do ms seguinte ao do recebimento da parcela.

    No-incidncia

    Indenizao

    desapropriao para fins de reforma agrria

    por furto, roubo ou sinistro de objeto segurado.

    Ganho de Capital

  • Ganho de Capital

    Valores Computveis como Custo

    Bens imveis:

    Construo, ampliao ou reforma;

    ITBI pago na aquisio;

    Juros pagos na aquisio;

    Despesas com corretagem.

    Bens mveis: conservao, reparos, juros e corretagem.

  • Ganho de Capital Iseno

    nico imvel

    valor de alienao at R$ 440.000,00;

    nica nos ltimos cinco anos.

    Bens de pequeno valor

    total no ms de at R$35.000,00

    Venda e compra -180 dias Imvel residencial

    prazo de at 180 dias entre as operaes

    aplicao parcial proporcional

    permuta de imveis

    imveis na planta

    no se aplica a terreno e nem para quitao de outro imvel

  • Reduo do Ganho de Capital

    Lei n 7.713/88

    Ano de

    Aquisio

    % de

    Reduo

    Ano de

    Aquisio

    % de

    Reduo

    At 1969 100 1979 50

    1970 95 1980 45

    1971 90 1981 40

    1972 85 1982 35

    1973 80 1983 30

    1974 75 1984 25

    1975 70 1985 20

    1976 65 1986 15

    1977 60 1987 10

    1978 55 1988 5

  • Rendimentos e ganhos lquidos auferidos nos mercados financeiro e

    de capitais

  • Mercado Financeiro

    Conceitos

    Fundos de renda fixa: Carteira composta por ttulos de renda fixa.

    Fundos de aes: Carteira composta por ttulos de renda varivel.

    Ttulos de renda fixa: A remunerao pode ser dimensionada no momento da aplicao.

    Ttulos de renda varivel: A remunerao no pode ser dimensionada no momento da aplicao.

  • Fundos de Renda Fixa

    Fundos de Longo Prazo:

    Alquotas regressivas - prazo da aplicao:

    22,5% (at 180); 20% (181 a 360); 17,5% (361 a 720); e 15% (acima de 720).

    - Incidncia de 15% em Maio e Novembro e alquota complementar no momento do resgate, se for o caso.

    Fundos de Curto Prazo:

    Alquotas regressivas - prazo da aplicao

    22,5% (at 180); e 20% (acima de 180)

    Incidncia de 20% em Maio e Novembro e alquota complementar no momento do resgate, se for o caso.

  • Mercado de renda varivel

    Ganho lquido: o resultado positivo auferido em

    um conjunto de operaes realizadas em cada

    ms, em um ou mais mercados de bolsa e em

    operaes com ouro, ativo financeiro, realizadas

    fora de bolsa, admitida a deduo de despesas

    necessrias realizao das operaes.

    - Operaes comuns;

    - Operaes de day-trade: operao iniciada e

    encerrada em um mesmo dia, com o mesmo ativo. (IN RFB n 1.022, de 2010, art. 54, 1)

  • Mercado de renda varivel

    Tributao definitiva - reteno na fonte.

    Alquotas

    operaes comuns: 15%

    operaes day-trade): 20%

    Reteno

    operaes comuns: 0,005% - valor da venda.

    operaes day-trade): 1% sobre o ganho.

  • Mercado de renda varivel

    Compensaes IRRF

    Operaes Comuns

    I.R no compensado meses seg.uintes

    sobras ajuste anual

    Operaes Day trade

    I.R compensado meses seguintes

    Sobras pedido de restituio

  • Mercado de renda varivel

    Compensaes perdas

    Operaes Comuns

    podem ser compensadas com ganhos em operaes

    comuns, no mesmo ms ou em meses subsequentes,

    inclusive exerccios futuros

    Operaes Day trade

    idem

  • MALHA FISCAL

    O que Malha Fiscal?

    Incidncia

    Parmetros

    Notificao/Intimao

    Apresentao espontnea

    Verificao pela internet

    Auto-regularizao

  • Declarao de Esplio IN SRF n 81/2001

  • Conceitos

    Esplio o conjunto de bens, direitos,

    rendimentos e obrigaes da pessoa

    falecida. contribuinte distinto do meeiro,

    herdeiros e legatrios.

    Declarao inicial ano-calendrio da

    morte.

    Declaraes intermedirias anos-

    calendrio seguintes.

  • Conceitos

    Declarao final ano-calendrio da deciso

    da partilha.

    A declarao final vem junto com a

    Declarao de Ajuste Anual.

    A declarao final de esplio informa como

    foi feita a partilha e encerra o CPF do

    contribuinte.

  • Prazos de Entrega

    Declarao inicial e intermedirias possuem

    as mesmas regras da declarao de ajuste

    anual.

    A Declarao Final de Esplio deve ser

    apresentada at:

    I - o ltimo dia til do ms de abril do ano-

    calendrio subseqente ao da:

  • Prazos de Entrega

    a) deciso judicial da partilha, sobrepartilha ou adjudicao dos bens inventariados, que tenha transitado em julgado at o ltimo dia do ms de fevereiro do ano-calendrio subseqente ao da deciso judicial;

    b) lavratura da escritura pblica de inventrio e partilha; (Lei 11.441/2007 alterou o CPC, possibilitando a partilha por via administrativa)

  • Prazos de Entrega

    II - o ltimo dia til do ms de abril do ano-calendrio subseqente ao do trnsito em julgado, quando este ocorrer a partir de 1 de maro do ano-calendrio subseqente ao da deciso judicial da partilha, sobrepartilha ou adjudicao dos bens inventariados.

    Abrange o perodo entre 01/01 e a data da deciso da partilha.

  • Atividade Rural IN SRF n 83/2002

  • Comprovao da Receita Bruta: Nota Fiscal

    de Produtor, Nota Fiscal de Entrada e Nota

    Promissria Rural.

    Comprovao da Receita Bruta

  • Ao contrrio do autnomo, o produtor rural

    no est obrigado ao recolhimento mensal .

    O resultado tributado no final do ano,

    juntamente com os demais rendimentos.

    Opcionalmente, o contribuinte pode efetuar

    o recolhimento do imposto complementar e

    posteriormente utiliz-lo na compensao do

    imposto devido.

    Regime de Tributao

  • Despesas de custeio Necessrias percepo dos rendimentos e manuteno da fonte pagadora.

    Investimento Aplicao de recursos que visem a melhoria da produtividade. Ao contrrio do autnomo, o produtor rural pode considerar investimento como despesa de sua atividade.

    A aquisio de terra nua no investimento!

    Despesas de custeio e investimento

  • Regime de competncia

    Exemplos:

    1) Contribuinte recebeu adiantamento em 2010, mas

    entregou o produto em 2011. A receita ocorre em

    2011.

    2) Contribuinte entregou o produto em 2010, mas

    ainda no recebeu o pagamento, portanto, ainda no

    receita da atividade rural.

    Adiantamentos Recebidos para

    Entrega Futura