Click here to load reader

Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes

  • View
    23.458

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula sobre drogas, as categorias, os seus efeitos , problemas sociais e de saúde decorrentes; assunto contido no conteúdo programático do vestibulinho do colégio Embraer.

Text of Drogas - categorias, efeitos, problemas sociais e de saúde decorrentes

  • 1. Drogas Categorias Efeitos Problemas sociais e de sade

2. Drogas Drogas psicotrpicas Separando os assuntos 3. O que so drogas Psicotrpica??? 4. Drogas psicotrpica so aquelas que agem no sistema nervoso central produzindo alteraes de comportamento, humor e cognio, possuindo grande propriedade reforadora sendo, portanto, passiveis de auto- administrao(uso no sancionado pela medicina).Em outras palavras, essas drogas levam a dependncia 5. O sistema nervoso 6. O crebro comanda quase todas as atividades vitais 7. Rede neuronal 8. Detalhe de uma sinapse 9. Sinapse liberando dopamina 10. Ao da cocana na sinapse As drogas psicotrpicas agem alterando as comunicaes entre os neurnios, podendo produzir diversos efeitos(euforia, sonolncias, alucinaes etc.,) de acordo com o tipo de neurotransmissor envolvido e a forma como a droga atua. 11. Classificao das drogas As drogas psicotrpicas, conforme os aspectos legais podem ser classificadas em dois grupos: lcitas e ilcitas, e estas, divididas em trs subgrupos de acordo com os efeitos no sistema nervoso central: depressoras, estimulantes ou perturbadoras. 12. Drogas lcitas so aquelas comercializadas livremente de forma legal, podendo ou no estar submetidas a algum tipo de limitao de sua comercializao. Ex.: bebida alcolica (venda proibida a menores). Lcito Aquilo que conforme a lei. Permitido juridicamente. O que no est proibido legalmente, segundo a justia. Justo consentido. De acordo com a moral e os bons costumes. O que se pode fazer, por no estar vedado em lei. Regular. Drogas ilcitas so aquelas comercializadas margem da lei e sem padro de regulamentao de sua utilizao adequada. Ex.: maconha. Ilcito O que contrrio lei, moral e aos bons costumes. O que vedado, defeso ou proibido por lei. Ato praticado em desacordo com a ordem jurdica, a ponto de violar direito subjetivo individual. 13. Classificao das drogas quanto a seu efeito no sistema nervos central 14. Principais Drogas Perturbadoras 15. LSD-25: Dietilamida do cido lisrgico uma substncia sinttica, produzida em laboratrio. MACONHA: Provm de cnhamo(Cannabis sativa),que um arbusto de cerca de dois metros de altura, que cresce em zonas tropicais e temperadas. HAXIXE: Extrada da mesma planta donde se extrai a maconha. uma espcie de resina retirada das folhas da Cannabis sativa e assim sendo, possui uma concentrao maior de THC, a substncia psicoativa da droga. Ilcita e alucingena. SKANK: uma droga mais potente que a maconha, ambas so retiradas da espcie Cannabis sativa e, por esse motivo, possuem em suas composies o mesmo princpio ativo -THC (Tetra-hidro-canabinol). 16. CACTO PEYOTE: Utilizado desde remotos tempos na Amrica Central, em rituais religiosos indgenas, sendo originrio desta mesma regio. Este cacto mexicano (Lopophora Williansi), que no existe no Brasil,produz a substncia alucingena "MESCALINA".PEYOTE seu nome popular, de origem asteca, que significa"planta divina AYAHUASCA (Ch do Santo Daime):As origens do uso da Ayahuasca na bacia Amaznica remontam Pr-histria. No possvel afirmar quando tal prtica teve origem, no entanto, h evidncias arqueolgicas atravs de potes, desenhos que levam a crer que o uso de plantas alucingenas ocorra desde 2.000 a.C COGUMELOS: Os cogumelos apresentam espcies comestveis e outras altamente txicas, das quais se extraem venenos e substncias alucingenas 17. Principais Drogas Estimulantes 18. ANFETAMINAS: As anfetaminas so drogas sintticas, ou seja, so produzidas em laboratrio. COCANA: A cocana um alcaloide presente numa planta sul- americana, a coca, cujo nome cientfico Erythroxylon coca. CRACK: O crack preparado a partir da extrao de uma substncia alcaloide da planta Erythroxylon coca, encontrada na Amrica Central e Amrica do Sul. Chamada benzoilmetilecgonina, esse alcaloide retirado das folhas da planta, dando origem a uma pasta: o sulfato de cocana. Chamada, popularmente, de crack, tal droga fumada em cachimbos. CIGARRO TABACO NICOTINA 19. ECSTASY:Droga psicoativa com alto poder estimulante e propriedades alucingenas.A substncia chave do ecstasy o MDMA, tal substncia faz com que o ecstasy seja confundido com metanfetaminas e outras drogas sintticas. ICE CRISTAL MEET: Metanfetamina extremamente pura. Parecem pequenos cristais, semelhante a gelo quebrado. Em geral fumado, mas tambm pode ser aspirado ou injetado. (ver mais em Metanfetamina). MERLA: A merla derivada da cocana. uma juno das folhas da coca com alguns produtos qumicos como cido sulfrico, querosene, cal virgem entre outros que ao ser misturado se transforma numa pasta onde se concentra em torno de 40 a 70% de cocana. ingerida pura ou misturada num cigarro normal ou num cigarro de maconha. CAFENA:A cafena tambm chamada metil-xantina, derivada das xantinas, est presente em plantas amplamente distribudas nas vrias regies geogrficas. 20. Principais Drogas depressoras 21. LCOOL: Embora seja uma droga, frequentemente o lcool no considerado como tal, principalmente pela sua grande aceitao social e mesmo religiosa.A permissividade ao lcool leva falsa crena de inocncia do uso do lcool, mas o consumo excessivo tem se tornado um dos principais problemas das sociedades modernas. SEDATIVOS e Hipnticos no Barbitricos (ANSIOLTICOS): Incluem-se nesse grupo agentes, que em certos casos, substituram os barbitricos, ou que apesar de terem uso restrito ainda so utilizados na medicina atual.As drogas que podem ser assim classificadas so: benzodiazepnicos, paraldedos e brometos. BARBITRICOS: Os barbitricos (ou derivados do cido barbitrico) foram por muito tempo, a droga de escolha para o tratamento da insnia. O declnio de seu uso deu-se por vrios motivos como: mortes por ingesto acidental, o uso em homicdios e suicdios. 22. INALANTES E SOLVENTES: Um nmero grande de produtos comerciais tm em sua formao vrias substncias volteis (evaporam-se facilmente), os chamados solventes. Como essas substncias tm a capacidade de evaporar facilmente, a sua inalao pode ocorrer voluntria, principalmente entre adolescentes e crianas, ou involuntariamente, como nos casos de trabalhadores da indstria de sapato. Ex: Cola de sapateiro, lana perfume. OPICEOS: Os opiides incluem tanto drogas opiceas naturais, quanto as drogas sintticas relacionadas, como a meperidina e a metadona. Os opiceos so substncias derivadas da papoula. A codena e a morfina so derivadas do pio, e a partir destas produz-se a herona. 23. Principais efeitos da drogas 24. O efeito das drogas Para comear, interessante observar que os efeitos da drogas no sistema nervoso central podem ser classificados em: Efeitos agudos sintomas de curta durao, que ocorrem durante o uso da substncia. Efeitos crnicos sintomas de longa durao, que ocorrem depois do uso da substncia, geralmente aps uso prolongado. Os efeitos das drogas podem ser separados em: Efeitos somticos sintomas que se manifestam no organismo, Efeitos psquicos sintomas que se manifestam na mente. Geralmente os usurios de drogas procuram os efeitos psquicos agudos, pois esses, de modo geral, causam prazer. 25. Tolerncia acontece quando o organismo acaba por se acostumar ou fica tolerante droga, ou seja, a droga faz a cada dia menos efeito. Assim para se obter o que se deseja, preciso ir aumentando cada vez mais as doses. Dependncia o impulso que leva a pessoa a usar uma droga de forma contnua (sempre) ou peridica (frequentemente) para obter prazer. Dependncia fsicacaracteriza-se pela presena de sintomas e sinais fsicos que aparecem quando o indivduo pra de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso. Dependncia psicolgicacorresponde ao estado de mal-estar e desconforto que surge quando o dependente interrompe o uso de uma droga. Sndrome de abstinncia o "conjunto de modificaes orgnicas que se do em razo da suspenso brusca do consumo dedroga geradora de dependncia fsica e psquica, como olcool, aherona, opio, amorfina, etc.Caracterizase em geral por alucinaese crises convulsivas. 26. Intoxicao Aguda : uma condio transitria seguindo-se a administrao de lcool ou outra substncia psicoativa, resultando em perturbaes no nvel de conscincia, cognio, percepo, afeto ou comportamento, ou outras funes ou respostas psicofisiolgicas. Uso Nocivo : um padro de uso de substncia psicoativa que est causando dano sade. O dano pode ser fsico (como no caso de hepatite decorrente da administrao de drogas injetveis) ou mental(ex. episdio depressivo secundrio a um grande consumo de lcool). Toxicomania um estado de intoxicao peridica ou crnica, nociva ao indivduo e sociedade, determinada pelo consumo repetido de uma droga, (natural ou sinttica). Suas caractersticas so: 1 - irresistvel desejo causado pela falta que obriga a continuar a usar droga. 2 - tendncia a aumentar a dose. 3 - dependncia de ordem psquica (psicolgica), s vezes fsica acerca dos efeitos das drogas. 27. Overdose Tambm denominada como super dose ou dose excessiva.Overdose um termo em ingls utilizado cientificamente para indicar a exposio do organismo altas doses de uma ou mais substncias qumicas,lcitas ou ilcitas, tais como: drogas de abuso, medicamento, lcool, ou alguma outra substncia. 28. Dependncia Busca pela DrogaEuforia Alvio da ansiedade Melhora funcional Alvio da abstinncia Contexto social Fatores genticos Histria comportamental Histria farmacolgica Variveis Moduladoras Mecanismos Comportamentais 29. Outras drogas de abuso 30. DROGAS: Problemas de sade 31. AIDS: Doena incurvel que se pega atravs do contato direto com o sangue do indivduo contaminado, como ao partilhar seringas ou no contato ntimo desprotegido. Doenas venreas: Com o uso das drogas, o indivduo no se lembra de usar o preservativo e pode ser infectado com doenas como gonorria e sfilis, por exemplo. Endocardite infeciosa: As drogas injetveis podem levar microorganismos que infectam as vlvulas cardacas prejudicando seu funcionamento. Alm disso, pode aumentar o tamanho do corao, dificultan