Ebook C©lula

  • View
    224

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Ebook C©lula

Dijanira Gomes, 14261Joana Cruz, 14425Josimara Gomes, 14076Sara Fonseca, 14422Vanda Monteiro, 14423Clulas eucariticasMicrobiologia

1. ndiceIntroduo2A clula3Unidade estrutural e funcional das clulas4Clula Animal6A clula Vegetal7Origem das clulas eucariticas8Concluso11Introduction12The cell13Structural and functional unit cell14Animal cell16Plant cell17Origin of eukaryotic cells18Conclusion21

Introduo

A matria constituda por tomos que se associam, formando molculas. Da interaco de molculas complexas (biomolculas) resultam estruturas macromoleculares que, no seu conjunto, constituem a unidade bsica da estrutura e funo dos seres vivos a clula. Alguns seres vivos so constitudos apenas por uma nica clula seres unicelulares -, enquanto outros so constitudos por vrias clulas seres multicelulares ou pluricelulares. Nestes ltimos observam-se nveis de organizao mais complexos. As clulas constituem agregados de clulas semelhantes, interdependentes, que realizam uma ou mais funes os tecidos. Os tecidos, por sua vez, associam-se e realizam um conjunto de determinadas funes, constituindo um sistema de rgos. Os vrios sistemas de rgos em inter-relao formam o organismo.

A clula

A noo de clula evoluiu ao ritmo dos avanos tecnolgicos no domnio da microscopia. Os conhecimentos resultantes da observao microscpia permitiram a formulao da teoria celular. Hoje em dia, a teoria celular uma das grandes teorias unificadoras da Biologia e assenta nas seguintes generalizaes: A clula a unidade bsica estrutural e funcional de todos os seres vivos; Todas as clulas provm de outras preexistentes; A clula a unidade de reproduo, de desenvolvimento e de hereditariedade de todos os seres vivos.

Figura 1 Microscpio

Unidade estrutural e funcional das clulas

Atendendo complexidade da organizao estrutural, as clulas podem agrupar-se em duas grandes categorias: clulas procariticas e clulas eucariticas. As clulas procariticas, de que so exemplo as bactrias, so clulas de estrutura muito simples, de reduzidas dimenses e sem sistemas endomembranares, nomeadamente sem invlucro nuclear. As clulas eucariticas so clulas estruturalmente mais complexas, com sistemas endomembranares interdependentes, dos quais se destaca o ncleo bem individualizado do citoplasma, delimitado por um invlucro nuclear. As clulas eucariticas apresentam dois padres bsicos, podendo agrupar-se em clulas animais e clulas vegetais. Figura 2 Clula procaritica

Todas as clulas, possuem umamembrana celular (membrana plasmtica), cuja composio qumica lipoproteica, sendo 75% de protenas e 25% de gorduras. A membrana controla a entrada e sada de substncias da clula, mantendo constante a composio do seu meio interno. Possui permeabilidade selectiva que permite a passagem de algumas substncias e no de outras. Engloba partculas (endocitose) porfagocitose (partculas grandes) ou porpinocitose (partculas pequenas e gotculas).

Figura 3 Constituio da membrana celular

Clula Animal

constituda por: Ncleo Controla actividade celular e armazena a informao gentica. Membrana celular Regula as trocas entre o exterior e o interior. Ribossomas Estruturas no membranares envolvidas na sntese proteica. Mitocndria Possui DNA de natureza procaritica e o local onde ocorre a respirao aerbia. Lisossoma Intervm na digesto intracelular. Complexo de Golgi Intervm em fenmenos de secreo e onde se d a sntese de lisossomas. Retculo endoplasmtico liso (REL) e rugoso (RER) Sintetiza e transporta protenas e outras substncias.A clula Vegetal

Tem igual constituio da clula animal, excepto trs constituintes: Cloroplasto Possui DNA de natureza proteica e o local onde ocorre a fotossntese. Vacolo Armazena gua e substncias. Parede celular Tem natureza celulsica e confere suporte e proteco clula.

Origem das clulas eucariticas

Atendendo ao registo fssil, a vida ter surgido na Terra h cerca de 3800 M.a., nos oceanos primitivos. Os primeiros seres vivos teriam uma estrutura comparvel dos organismos actuais mais simples, seres unicelulares e de organizao procaritica. O registo fssil documenta o aparecimento, h cerca de 1800 M.a., de formas celulares maiores e mais complexas, os seres unicelulares de organizao eucaritica eucariontes. Existem dois modelos de discusso para explicar o aparecimento de clulas eucariticas a partir de clulas procariticas.

Modelo autogenticoSegundo este modelo autogentico, algumas clulas procariticas ter-se-iam tornado progressivamente mais complexas. Prolongamentos da membrana citoplasmtica deslocaram-se para o interior do citoplasma, originando compartimentos, separados do resto do citoplasma, que viriam a constituir os organelos celulares. Como resultado dessa compartimentao, foi possvel s clulas fazer uma diviso interna das suas funes. Os defensores deste modelo sugerem que o primeiro compartimento a surgir dentro da clula foi o invlucro nuclear. Como resultado do aumento do nmero de organelos celulares, estas clulas sofreram um aumento de tamanho muito acentuado. Modelo endossimbiticoEste modelo, actualmente o mais aceite, admite que clulas procariticas primitivas teriam estabelecido entre si mltiplas associaes num processo que conduziu ao aumento de complexidade estrutural e funcional das clulas. Por processos idnticos aos da fagocitose, algumas clulas eucariticas teriam englobado outras clulas eucariticas de menores dimenses com as quais passaram a estabelecer relaes de simbiose. Existe, actualmente, um consenso alargado no sentido de aceitar este modelo para a origem dos cloroplastos e das mitocndrias. Estes organelos teriam resultado de associaes simbiticas entre uma clula procaritica e procariontes fotossintticos idnticos s cianobactrias actuais ou entre uma clula procaritica e procariontes aerbios. Alguns procariontes fotossintticos fagocitados no teriam sofrido digesto e teriam comeado a fornecer clula matria orgnica resultante da sua actividade fotossinttica e a receber em troca proteco, gua e dixido de carbono necessrios fotossntese. Gradualmente, foi-se estabelecendo uma relao de simbiose intracelular (endossimbiose), com proveito mtuo, que tornou essas duas clulas numa estrutura indissocivel, na qual a clula englobada teria evoludo por cloroplastos. Por um processo similar, a fagocitose de procariontes aerbios, eficazes na utilizao do oxignio nos processos de produo de energia, teria levado ao aparecimento das mitocndrias.

De entre as vrias evidncias que parecem confirmar este modelo salientam-se: As mitocndrias e os cloroplastos possuem o seu prprio DNA. Tanto os cloroplastos como as mitocndrias dividem-se por bipartio, de forma independente do resto da clula eucaritica. Ambos os organelos possuem ribossomas idnticos aos que existem nos seres vivos procariticos actuais. Apesar disto, h muitos aspectos da organizao eucaritica para os quais este modelo ainda no apresenta respostas consensuais, nomeadamente, a origem do ncleo e dos restantes organelos membranares. Por isso admite-se uma sntese dos dois modelos, sugerindo processos autognicos para explicar a origem destes constituintes. Figura 4 Modelo Autogentico; Modelo Endossimbitico.

Concluso

Devido s dimenses reduzidas d clula a descoberta da mesma esteve intimamente ligada ao microscpio, foi atravs do estudo pormenorizado das imagens obtidas atravs deste instrumento que foi formulada a Teoria Celular na qual se concluiu que todos os seres vivos, animais e vegetais, so formados por clulas. A clula a unidade de reproduo, de desenvolvimento e de hereditariedade de todos os seres vivos e todas as clulas provm de clulas preexistentes. Com o decorrer dos anos e o consequente desenvolvimento tecnolgico foi possvel concluir que a clula possui uma unidade estrutural e funcional prpria e de acordo com a sua estrutura possvel nomear trs tipos de clulas diferentes procariticas e eucariticas (vegetal/animal), constitudas por diferentes componentes, estruturas e organelos com funes especficas.

22

Introduction

Matter is made of atoms that associate to form molecules. The interaction of complex molecules (biomolecules) result macromolecular structures that, taken together, constitute the basic unit of structure and function of living organisms - the cell. Some living things are made up of only a single cell - unicellular - while others consist of multiple cells - celled or multicellular beings. In recent levels are observed more complex organization. The cells form aggregates similar interdependent cells that perform one or more functions - the fabrics. The tissues, in turn, are associated with a group and perform certain functions, constituting an organ system. The various organ systems in interrelation form the body.

The cell

The notion of cell evolved at the pace of technological advances in the field of microscopy. Knowledge resulting from the microscopic observation allowed the formulation of the cell theory. Nowadays, cell theory is one of the great unifying theories of biology and based on the following generalizations: The cell is the basic structural and functional unit of all living beings; All cells come from preexisting; The cell is the unit of reproduction, development and heredity of all living beings.

Figure 1 Microscope

Structural and functional unit cell

Given the complexity of the organizational structure, the cells can be grouped into two broad categories: prokaryotic cells and eukaryotic cells. Prokaryotic cells, as exemplified by the bacteria, cells are very simple structure, small size and without membrane systems, including without nuclear envelope. Eukaryotic cells are structurally more complex cells with membrane interdependent systems, among which the well individualized core cytoplasm delimited by a nuclear envelope. Eukaryotic cells have two basic patterns can be grouped into anima