Click here to load reader

EDAGÓGICO P O - se.df.gov.br · PDF fileMoacir Gadotti . 2 ENDEREÇO: QNG 39 ÁREA ESPECIAL 03 TAGUATINGA ... Ainda, na contemporaneidade, a educação, por conta da globalização

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of EDAGÓGICO P O - se.df.gov.br · PDF fileMoacir Gadotti . 2 ENDEREÇO: QNG 39...

  • CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 12

    DE TAGUATINGA

    CONSTRUIR JUNTOS PARA JUNTOS DESFRUTAR

    - 2018 -

    PR

    OJE

    TO

    PO

    LT

    ICO

    - P

    ED

    AG

    G

    ICO

  • 1

    No se constri um projeto sem uma Equipe Gestora poltica, um norte, um rumo. Por isso, todo projeto pedaggico da escola tambm poltico. O projeto pedaggico da escola , por isso mesmo, sempre um processo inconcluso, uma etapa em Equipe Gestora a uma finalidade que permanece como horizonte da escola

    Moacir Gadotti

  • 2

    IDENTIFICAO

    CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 12 DE TAGUATINGA

    ENDEREO: QNG 39 REA ESPECIAL 03 TAGUATINGA-DF

    CEP: 72130-390

    TELEFONE: 3901 6736

    EQUIPE GESTORA

    DIRETORA: ANNESLEY MONTENEGRO TEIXEIRA

    VICE-DIRETOR: LUCIANO ALVES RESENTE

    SUPERVISOR PEDAGGICO: GLEISSON DA COSTA LIMA

    SUPERVISORA ADMINISTRATIVA: JACKELINE NEVES VIEIRA

    SECRETRIA: VERUSCA LIMA COSTA GADELHA

    E-MAIL INSTITUCIONAL: [email protected]

    mailto:[email protected]

  • 3

    Sumrio

    1. APRESENTAO - CONSIDERAES INICIAIS .............................................................04

    1.1 JUSTIFICATIVA ............................................................................................................06

    1.2 CONTEXTUALIZAO DA CONSTRUO DO PPP .................................................08

    2. HISTRICO DA ESCOLA ...................................................................................................12

    3. DIAGNSTICO DA REALIDADE ESCOLAR .....................................................................15

    3.1 INFRAESTRUTURA ....................................................................................................17

    3.2 RECURSOS TECNOLGICOS E EQUIPAMENTOS ..................................................19

    3.3 RECURSOS HUMANOS ...............................................................................................20

    3.4 INSTITUIES ESCOLARES .......................................................................................21

    3.5 REALIDADE PEDAGGICA .......................................................................................22

    4. MISSO, VISO E VALORES ............................................................................................27

    5. PRINCPIOS ORIENTADORES DAS PRTICAS PEDAGGICAS ...................................28

    5.1 A PRXIS PEDAGGICA EM CONSONNCIA COM OS PRINCPIOS

    NORTEADORES ................................................................................................................30

    6. OBJETIVOS INSTITUCIONAIS ...........................................................................................32

    7. CONCEPES TERICAS ................................................................................................34

    8. ORGANIZAO PEDAGGICA .........................................................................................36

    8.1 PROJETOS ..................................................................................................................36

    8.2 EVENTOS E AES ...................................................................................................39

    8.3 EDUCAO ESPECIAL ..............................................................................................40

    8.4 ORIENTAO EDUCACIONAL ................................................................................. .41

    8.5 EDUCAO INTEGRAL .............................................................................................42

    8.6 AES VOLTADAS PARA 2018 ................................................................................41

    9. METODOLOGIA, AVALIAO E SUGESTES GERAIS DE TRABALHO ......................45

    10. ORGANIZAO DA PROPOSTA CURRICULAR ............................................................50

    10.1 AS MATRIZES CURRICULARES .............................................................................53

    11. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO PPP ......................................................................54

    11.1 GESTO PEDAGGICA ...........................................................................................54

    11.2 GESTO DE RESULTADOS EDUCACIONAIS ........................................................56

    11.3 GESTO DE RECURSOS HUMANOS ......................................................................58

    11.4 GESTO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA ..........................................................59

    12. ACOMPANHAMENTO E AVALIAO DO PPP ...............................................................62

    13. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS ..................................................................................64

    14. ANEXOS .............................................................................................................................66

  • 4

    1. APRESENTAO - CONSIDERAES INICIAIS

    ,

    No mbito da educao formal, os modelos, os processos, as propostas e os

    direcionamentos pedaggicos constituem elementos importantes e indissociveis que

    articulam, junto misso, aos objetivos e proposta pedaggica, dimenso poltica de

    determinado contexto.

    Por outro lado, os momentos polticos, sociais, culturais e filosficos acabam por

    dialogar com a educao em recortes geogrficos, histricos e cronolgicos e vertem-se em

    identidade pedaggica: uma marca que eleva ou no a qualidade daquilo que se

    constri em uma sala de aula.

    A escola, ponto fundamental para a vida em sociedade, atua como uma instituio

    formada por pessoas, que compartilham costumes, hbitos e cultura com objetivos comuns,

    dentre eles: o desenvolvimento de uma conscincia crtica e cidad.

    Ainda, nessa abordagem, a materializao de uma sociedade solidria por meio do

    predomnio da criatividade, da diversidade, do convvio na pluralidade das preferncias, das

    escolhas e das oportunidades. Tais elementos no do conta de ampliar nossa percepo

    frente s realidades encontradas.

    O desenvolvimento de todo o processo escolar deve apoiar-se no envolvimento das

    comunidades interna e externa escola, na cooperao e participao das vrias esferas do

    governo e na autonomia e responsabilidade como produto de um Projeto Poltico Pedaggico,

    sempre em construo, sempre inacabado, pois articula aquilo que se pensou inicialmente

    com aquele cenrio encontrado e com a realizao ou frustrao frente aos objetivos,

    sempre dinmicos.

    Assim, valendo-se da epgrafe de Gadotti, lanado o desafio de, no grupo, com o

    grupo e para o grupo, mais uma vez, (re)pensar aquilo que d sentido metafrica

    engrenagem que a educao a partir de seu territrio nato: a escola.

  • 5

    Defende-se, aqui, que a escola reflete a atuao poltica, a qualidade de seus servios

    e, ainda, a visibilidade de sua inteno como instituio legada formao dos alunos

    sujeitos em construo.

    Essa qualidade, por sua vez, dialoga com aquilo que expressa misso, viso e valores,

    alm dos objetivos educacionais e isso tem a ver com a intencionalidade e a qualidade dos

    servios oferecidos pela escola, refletindo com clareza sua natureza intencional. Para

    Severino (1998, p. 82) " na intencionalidade nuclear do projeto educacional que se

    encontram as razes e as referncias bsicas dos objetivos que vo nortear a proposta

    pedaggica da instituio de ensino que queira, com eficcia e qualidade, o seu trabalho

    educativo".

    Nesse sentido, a intencionalidade pode ser traduzida como reflexo do conjunto de

    aes pensadas na coletividade e que a escola assume como combustvel para sua

    prtica cotidiana.

  • 6

    1.1 Justificativa

    O sculo XXI inaugura um novo cenrio para a percepo do mundo: mais diverso,

    mais inacabado, mais problemtico. Apresenta, tambm, uma grande possibilidade para a

    visibilidade de problemas locais que, a depender dos olhares lanados, so regionais,

    federais globais.

    A educao, ao longo da histria do homem, tentou dar conta de se justificar como

    forma de insero social, econmica ou poltica, mas o que se percebe em alguns momentos

    que modelos eleitos como suprassociais dialogaram apenas com segmentos que, em

    determinados contextos, destacavam-se pelo discurso empunhado.

    Em O local da cultura, Homi Bhabha (2007) apresenta uma srie de apontamentos que

    dialogam com os modos como determinados pensamentos influenciam a construo social.

    Transpondo para a educao, ao longo de nossa trajetria aprendemos vrias destinaes

    para a educao:

    Educar para diversidade;

    Educar para a vida;

    Educar para o trabalho;

    Educar para o mundo;

    Educar para a cidadania.

    Em cada um desses cenrios, os instrumentos, mtodos e recursos sempre dialogaram

    com a inteno maior: educar para pertencer. O pertencimento, no entanto, no pressupe

    sucumbir, aceitar ou sobressair-se em relao ao outro, mas, sim entender a dimenso do

    dilogo entre os sujeitos.

    Ainda, na contemporaneidade, a educao, por conta da globalizao miditica, prima

    por formar cidados capazes de entender a dinmica do mundo catico e, principalmente,

    torn-los capazes de intervir.

    Assim, ao tratar de justificar esta proposta, preocupa-nos evidenciar que a dimenso da

    educao formal na escola oferecida contrape-se quela que nosso aluno

Search related