Edição 157

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Leia na íntegra

Text of Edição 157

  • Segundo a Secretaria Estadual da Sude, 120 casos suspeitos da doena foram notificados e 20 j esto confirmados. Pg. 05

    Dengue j comea a preocupar no estado

    ATENO PARA O SANEAMENTO BSICO

    Canoas ser sede de Frum Mundial em junho

    Esteio: nibus levar doadores ao hemocentroInscries para curso gratuito em Sapucaia

    integraoPg. 06

    Pg. 07

    esporteComeou a fase de grupos da Libertadores

    OportunidadesConfira

    prestao de servios e

    promoes nas pginas 13 e 14

    Considerado essencial para o desenvolvimento, o saneamento bsico est recebendo investimentos substanciais no estado e no pas. Pgs. 02 e 03

    Pg. Central

    radarAtrase seu relgio: horrio de vero termina amanh

    Pg. 04

    Novo Papa deve ser escolhido at o final de maro Pg. 04

    MAIS DE 600 ESPCIES EM RISCO

    Pg. 12

    MOCHILAS:O ACESSRIO DO MOMENTO

    Desfile de Carnaval em NH no fim de semana

    Pg. 07

    globalFlexibilidade para aprender pela internet com a EADEducao a distncia permite que o aluno faa seu horrio e possa conciliar trabalho e estudo. Pg. 12

    www.jornaldaestacao.com.br - 15 a 21 /02 /2013 - Ano 5 - n 157 - Distribuio gratuita em Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, So Leopoldo e Novo Hamburgo

    Pg. 15

  • 02 l jornaldaestao l 15 a 21 de fevereiro de 2013

    especial

    Apesar de a ONU considerar a melho-ra do saneamento bsico como uma das principais me-tas para o desenvol-vimento mundial, o Brasil um dos pases com mais pessoas sem acesso. Aqui, apenas 38% dos esgotos so tratados, e 19% dos brasileiros ainda no tm gua tratada encanada.

    No Rio Grande do Sul, a realidade no muito diferente. Para melhorar a situao dos gachos, a COR-SAN prev grandes investimentos: so-mente em 2013, sero R$ 649 milhes em todo estado.

    O termo Saneamento Bsico existe justamente porque engloba a estrutu-ra que, ao menos na teo-ria, deveria ser obrigatria para todas as comunida-des. Coleta e tratamento de esgoto, escoamento de gua da chuva e encana-mento com gua potvel so servios que deveriam ser o bsico oferecido aos cidados para que pudes-sem ter condies mni-mas para viver, mas infe-lizmente muitas pessoas no mundo ainda no tm acesso.

    Essa estrutura im-prescindvel para a sade da populao. Enquanto hospitais e postos de sa-de tratam as pessoas que ficaram doentes, se hou-vesse um saneamento b-sico de qualidade, impli-caria em menos pacientes, j que o tratamento de

    esgotos est relacionado com a limpeza urbana e o controle de pragas.

    Segundo a Organiza-o Mundial da Sade, cada R$ 1 investido em saneamento gera econo-mia de R$ 4 na rea de sade. Ou seja, o inves-timento em saneamento representa diminuio no nmero de doentes e, consequentemente, me-nor lotao no sistema de sade e melhor qualidade no atendimento.

    Assim, importante fi-car atento aos investimen-tos que esto sendo feitos na sua cidade para que o saneamento chegue a to-dos. Muitas destas obras podem gerar transtornos ao interditar ruas e cau-sar muito barulho, mas so indispensveis para a melhoria da qualidade de vida.

    Segundo o Secretrio--Geral da ONU, Ban Ki--moon, a gua potvel segura e o saneamento adequado so fundamen-tais para a reduo da pobreza e para o desen-

    volvimento sustentvel. As metas estabelecidas pela Organizao para o milnio foram parcial-mente atingidas. Reduzir pela metade at 2015 a proporo da populao

    sem acesso gua potvel j uma realidade desde 2010. A meta para o sa-neamento, porm, no dever ser atingida, de acordo com as projees atuais.

    Desenvolvimento depende do saneamento

    Dados do Saneamento no Mundo (2010):

    bilhes de pessoas (37%) vivem sem saneamento adequado

    da populao no tm acesso a banheiro.

    crianas morrem diaria-mente por conta de doenas diarreicas causadas pela falta de acesso gua de qualidade e esgotos coletados e tratados.

    em 1990 para

    em 2010

    Cerca de

    A cobertura de saneamento adequado aumentou de

    2,5

    15%

    5 mil

    49% 63%

    Mais saneamento bsico, mais desenvolvimento

  • 03 l jornaldaestao l 15 a 21 de fevereiro de 2013

    Na prxima tera-feira, dia 20, haver um concerto de Natal da Orquestra Sinfnica de Porto Alegre. O evento ser s 20h na Praa da Matriz, com entrada gratuita

    Mais saneamento bsico, mais desenvolvimento Brasil quer universalizar os servios at 2030 Situao no estado deve melhorar

    Veja alguns nmeros do pas:

    Saiba mais

    Atendimento em gua potvel: a distribuio de gua atinge 81,1% da populao.

    Esteio e Sapucaia do Sul:Conforme noticiado h duas edies, a Corsan executar um conjun-

    to de obras que elevar o ndice de esgoto tratado a 60% na cidade de Sapucaia e a 93% em Esteio. Estas obras representam um investi-mento superior a R$196 milhes, com recursos provenientes do PAC. A primeira etapa ser uma ampliao da rede de esgotos, e custar 7,2 milhes. O plano de investimentos para estas cidades segue desde feve-reiro do ano passado, quando foi projetado um investimento de quase 80 milhes s em 2012.

    Canoas:Este ano, o investimento ser de aproximadamente R$ 30 milhes.

    O maior volume dos recursos ser na complementao das obras de es-goto do municpio. Em maro est prevista a inaugurao da ampliao do sistema de esgotamento sanitrio da cidade, elevando para 50% o ndice de tratamento de esgoto.

    So Leopoldo e Novo Hamburgo Em So Leopoldo, o saneamento est a cargo do SEMAE, que tem a

    meta de chegar a 60% de esgoto tratado em at quatro anos. A CO-MUSA, empresa responsvel pelo saneamento de Novo Hamburgo, anun-ciou no ano passado o investimento de R$ 30 milhes para ampliar o abastecimento de gua, parte de um audacioso projeto para elevar o tratamento de esgoto dos atuais 4% para 80% nos prximos anos, alm de elevar a capacidade de distribuio da gua.

    O atendimento em coleta de esgotos chega a 46,2% da populao brasileira.

    Do esgoto gerado, apenas 37,9% recebe algum tipo de tratamento.

    Crescimento das ligaes: entre 2009 e 2010, houve um crescimento de 2,2 milhes de ramais de gua e de 2,4 milhes de ramais de esgotos no pas.Em 2010 os investimentos do Governo em gua e es-gotos atingiram R$ 8,9 bilhes.O setor de saneamento criou 64 mil novos postos de trabalho em 2010.

    Segundo o Plano Nacional de Saneamento Bsico (Plansab), at 2030, o abastecimento de gua potvel dever atingir 98% do territrio nacional, 88% dos esgotos sero tratados e 100% dos resduos slidos coletados. O Plano funcionar como eixo central da poltica federal para o setor, promovendo a articulao entre estados e municpios.

    O plano prev investimentos na ordem de R$ 420 bilhes, sendo

    60% do governo federal e 40% de estados, municpios e iniciativa privada. Dentro desse montante j esto includos os investimen-tos do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC), que est na segunda etapa, lanada em 2010. O Ministrio das Cidades recebeu mais R$ 41,1 bilhes para apli-car em aes de saneamento de 2011 a 2014. Desse total, R$ 16 bilhes j esto contratados ou em fase de contratao.

    No quesito gua tratada, a po-pulao gacha figura bem, pois quase a totalidade possui acesso a ela. As deficincias so vistas principalmente na rea da coleta e tratamento de esgoto e, buscando reverter esse quadro, este o setor que mais receber investimentos.

    A CORSAN, responsvel pelo sa-

    neamento ambiental em 321 dos 497 municpios gachos, prev grandes investimentos: sero R$ 649 milhes no estado em 2013, e para as regies Metropolitana e Vale do Sinos ser investido R$ 1,4 bilho at 2015.

    Veja alguns projetos em anda-mento na sua cidade:

    De acordo com a UNICEF, em 2010, o Brasil ocupava o 9 lugar no ranking mundial da vergonha com 13 milhes de habitantes sem aces-so a banheiro. Por ano, 217 mil trabalhadores precisam se afastar de suas ativida-des devido a problemas gastrointestinais ligados a falta de saneamento. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma reduo de 25% no nmero de internaes e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas seriam salvas. A diferena de aproveitamento escolar entre crianas que tm e no tm acesso ao saneamento bsico de 18%;

    Fonte: Instituto Trata Brasil

  • 04 l jornaldaestao l 15 a 21 de fevereiro de 2013

    radar Termina hoje o prazo de inscries para quem quer ser voluntrio na Copa do Mundo 2014. Inscries podem ser feitas no site www.brasilvoluntario.gov.br

    EUA RETIRAM METADE DAS TROPAS DO AFE-GANISTOO presidente Barack Obama anunciou esta semana a reti-

    rada de 34 mil soldados que participam da invaso no Afe-ganisto. Esta mais uma etapa do plano de retirada que deve trazer de volta quase todos os soldados de ocupao at 2014, em combate desde 2001, quando os Estados Uni-dos atacaram para expulsar os talibs. A deciso foi come-morada pelo Ministrio de Defesa afego, que assumir a responsabilidade de manter a segurana aps a retirada dos norte-americanos. Mesmo assim, os EUA ainda pretendem deixar alguns milhares de soldados para auxiliar na manu-teno da ordem, por tempo indefinido.

    MUNDOpelo mundo

    PREOS ESTO CONGELADOS NA ARGENTINAA crise econmica na vizinha Argentina iniciou um novo

    captulo no incio deste ms, quando o governo decidiu congelar os preos nos supermercados e, logo depois, nas principais redes de eletrodomsticos e eletrnicos do pas. De acordo com a Secretaria de Defesa do Consumidor, o objetivo proteger a economia familiar, mas sindicalistas afirmam que o congelamento servir para passar a falsa im-presso de uma menor inflao. A inflao argentina tem se tornado um problema cada vez maior e o governo tem ten-tado camuflar; enquanto ele afirma que a inflao de 2012 foi de menos de 11%, calcula-se que na realidade tenha su-perado os 25%. O congelamento seguir at o dia 1 de abril.

    Renncia do Papa a terceira na Histria

    Horrio de vero termina neste sbado