Click here to load reader

Edição 560

  • View
    198

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Edição 560

FOLHA POPULARANO XII N 560 TENENTE PORTELA - 1 A 7 DE JANEIRO DE 2012 R$ 2,00 www.fpop.com.br ou www.folhaportela.com.br

REGIO CELEIRO ASSOCIATIVISMO

Entidades renem-se para discutir estiagemCL EBER TESCH E

ENCARTE

PGINA 4

ESTADO AGRICULTURA

VISTA GACHA PREVIDENCIRIO

Safra prejudicada pela estiagemD I VU LGA O

Poltica de Investimentos para 2012 aprovada pela FAPBARRA DO GUARITA ADMINISTRAO

PGINA 4

Aps reunio, Corsan cumpre contrato e realiza abastecimento de gua em JaboticabaPGINA 5

REDENTORA ADMINISTRAO

PGINA 9

Concurso Pblico divulga resultados: confira no www.cmvrredentora.comPGINA 5

Opinio 2FOLHA POPULAR Tenente Portela - 1 a 7 de janeiro de 2012

EDITORIAL IntempriesF OTOS D IVU LGA O

O Folha Popular inicia o ano com o mesmo comprometim ento de 2011. Aps as edies anteriores, de Natal e de Novo Ano, que realizaram uma retrospectiva dos acontecim entos que m ais marcaram o ano, voltamos com as notcias que ocorreram entre os dias 31 de dezembro e 7 de janeiro de 2012. Esperamos ter cumprido a misso de manter o assinante e a com unidade microrregional informada no ano que passou. Com a mesma responsabilidade e seriedade iniciamos 2012. P assamos, nestes prim eiros dias do ano, por uma srie de intempries climticas no pas. Em Minas Gerais 87 cidades decretaram situao de emergncia, e no Rio de Janeiro

TEXTO DO LEITOR 2012: coisas em que o Brasil precisa ficar de olhoO grande problema com respeito China hoje principal parceiro comercial do Brasil a (falta de) informao qualificada. O Brasil precisa enfrentar o desafio de obter informaes e anlises qualificadas sobre a situao interna e externa da China. Para isso, preciso aprender mandarim. Agora a vez da China. Em alguma ocasio, ao longo de 2011, li o comentrio de que na representao brasileira na China no havia um nico diplomata que soubesse falar mandarim, a lngua predominante naquele pas. Se confirmada, a informao assustadora. Se perpetuada, ser desastrosa. Faa-se uma ressalva necessria: sabidamente, o Itamaraty tem uma reputao mundial como dono de um dos melhores corpos diplomticos do mundo, por formao e atuao. A nossa direita pode espernear quanto quiser (antes, at governo FHC, no esperneava a respeito e a reputao de fato muito antiga). O reconhecimento e o prestgio so conspcuos. Por isso mesmo aquela situao de desconhecimento do mandarim no pode continuar. necessrio enviar uma frota de diplomatas brasileiros para aprender mandarim seja na China ou nas universidades alems (por exemplo). Por que? Porque o grande problema com respeito China hoje principal parceiro comercial do Brasil a (falta de) informao qualificada. No me refiro a dados como PIB, renda per capita, etc. Mas sim ao que de fato, est acontecendo naquele pas de regime poltico comunista, economia capitalista e postura neo-imperialista (inovadora, diga-se de passagem) no mundo inteiro. D vontade de dizer: China, terra de contrastes! O regime to centralizado que a China, que a rigor deveria ter quatro fusos horrios, s tem um: o de Beijing. Por outro lado, o pas to diversificado, e cada vez mais, que preciso mergulhar nos seus meandros para saber o que de fato est por vir naquela imensido de especo e gente. Ao contrrio do que se pensa, o gigante econmico chins no to slido assim. E uma das razes a prpria informao: afinal, o quanto de dados absolutamente confiveis o governo chins manipula em suas (in)decises? Haver, por exemplo, um IBGE (rgo absolutamente confivel, pelos padres internacionais) chins? Comentaristas como Paul Krugman assinalam, com alguma insistncia, que a China pode estar beira de um processo inflacionrio que levaria a polticas de conteno de crdito, uma vez que o que se espera das autoridades chinesas uma ortodoxia capitalista no muito diferente da do Consenso de Bruxelas e imposta com a mesma mo de ferro. Se isso acontecer, associado ao processo recessivo europeu, as conseqncias para o Brasil podero ser desastrosas. Ou virtuosas, se o Brasil se preparar para enfrentar mais esse cataclismo de escala mundial. Mas de qua lquer modo, o Brasil precisa enfrentar o de safio de obter informaes e anlises qualificadas sobre a situao interna e externa da China. Para isso, preciso aprender mandarim. Flvio Aguiar correspondente internacional da Carta Maior em Berlim

pelo menos 5 municpios esto em alerta mximo devido s fortes chuvas que esto ocorrendo no Sudeste do Brasil. Em Minas aproximadam ente 142 cidades foram afetadas, deixando mais de 6 mil pessoas isoladas, 10 mil desalojadas, sendo 2,1 milho de pessoas afetadas. No Rio, 30 mil pessoas foram deslocadas de suas moradias. No Rio Grande do Sul ocorre o contrrio. Aproximadamente 400 mil pessoas j foram afetadas pela falta de gua e 71 municpios foram afetados, sendo que 41 j decretaram emergncia. Na Microrregio, Barra do Guari ta es t em situao de emergncia e Tenente P ortela, Miragua e Derrubad as esto avalia ndo os dados para ver se decretam a situao. R edentora tambm dec retou na quintafeira, 5.

DE OLHO NA IDIA A SECAH alg um tem po atrs as seca s n o eram a regra, perodos de estiagem sempre existiram , mas tambm, sempre foram a exceo . Nos ltim os dois anos a falta de chuva no foi to intensa, mas com o o tempo est s eco novam ente, j hora d e recomearm os a interpretar os sinais da natureza. O que a regra e o que a exceo em nosso clima? A regra seria a seca e a exceo teria passado a ser o tempo chuvoso, ou com gua em nveis aceitveis? Os dados publicados na imprensa inform am que cerca de R$ 900 milhes foram perdidos nas lavouras do R io Grande, outros tantos ainda faro parte de ssas estatsticas e ns os Gachos vamos continuar a ver uma s eca atrs da outra s endo a regra se no com earmos, logo, a perceber que o tem po mudou, que o clima est mudando e que os per odos nega t ivos , quando se fala no te mpo, esto sendo maiores que os positivos. Em outros tem pos, quando tnhamos cinco anos de boas c olheitas, *Felipe Jos dos tnhamos um ou dois de Santos seca, e ainda intercalados, hoje se tem os dois anos de clima adequado para o plantio pegamos dois ou trs anos de estiagem ou seca. S e bem me lembro, na campanha para o governo do Estado, no sei se essa ou na outra, alguns candidatos de fenderam a tese da irriga o para a agropecuria ga cha. Lembro que fiquei curioso e acompanhei por barragens de hidreltricas que pipocam por um longo perodo os jornais escritos e fala- todos os cantos do pas. Se, ambientalmente dos no intento de perc eber alguma m eno no o mais corre to, ao m enos seria um a ou a o referente proposta da irriga o, hiptese usar as barragens como reservatm as no v i, li ou rios para favorecer os ouvi qualquer linha, complexos de irriga o. zunido ou vislum Sem que rer dar contorA regra seria a seca e a exce o bre de levar adian- teria passado a ser o tempo chuvoso, no s m ais dram ti co s a o te o projeto. fato da falta dgua deveou com gua em nveis aceitveis? Um bom projem os registrar que: ou os to, com o governo gachos se posicionam em federa l, com ba nrelao a seca ou a seca cos de desenvolvimento, em favor da agri- acaba com o Estado. cultura familiar poderiam ajudar a agricultura gacha e diminuir muito os efe itos das estiagens. Tais projetos poderiam, ainda, ser reali*Advogado zados em c onjunto com a construo das

FOLHA POPULARO jornal que voc l!Empresa Jornalstica Pari Ltda.Rua A rac i, 47 . Ten ente Portela - RS CEP: 9 8500- 000. F one: (55) 3551.1608

Direo Geral e Edio Jlio Evaristo dos Santos Reportagem Dalvana Berlatto Arte Grfica e Diagramao Cristofer Silveira.Colaboradores: Adriane Lorenzon, Cleber Tesche, Felipe Jos dos Santos, Jalmir Steffenon e Flvio Aguiar.

CNPJ-MF:05.438.552/0001-08 Alvar no1053

Assinaturas: Semestral:R$ 45,00, Anual: R$ 80,00, Correio R$ 170,00 Circulao: Semanal Impresso: Cia da Arte Iju/RS. Fone: (55) 3332.7070 Representante para o Brasil: Pereira de Souza & Cia. Ltda. | Fone: (51) 3311.8377 [email protected]

[email protected]

www.fpop.com.br www.folhaportela.com.br

As matrias assinadas so de inteira responsabilidade de seus autores e, necessariamente, no refletem a opinio do jornal.

Tenente Portela - 1 a 7 janeiro de 2012

FOLHA POPULAR

3

O milho e o feijo foram os mais atingidos pela estiagem at o momento, j que o percentual de

lavouras em fases de florao e enchimento de gros foi expressivo durante o ms de dezembro...

CUR TA STerminou ontem, sexta-feira, o expediente interno das Secretarias de Finanas e Administrao, do m unicpio de Tenente Portela. A partir de segunda-feira, 9, o atendimento ser normal.D I VU LGA O

Diretor tcnico da Emater/RS, Gervsio Paulus, falando sobre a reavaliao das projees para safra dos gros de vero no Estado. Pg. 9DI VU LGA O

O municpio de Tenente Portela, recebeu na segunda quinzena de dezembro do deputado Darcsio Perondi a liberao de R$ 759,7 mil para a prefeitura municipal. Os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao (FNDE) integram o Programa Territrios e Cidadania para aquisio de nibus escolares. A gerncia microrregional da Corsan, com sede em Tenente Portela, informou esta semana, que pessoas estranhas estariam usando o nome da empresa para realizar venda de filtros de gua em Miragua. De acordo com o gerente da microrregio Walter Machado Soares, para convencer o consumidor os vendedores estariam alegando que a gua distribuda no municpio no de boa qualidade. Porm, Soares esclarece que a gua fornecida comunidade uma das m elhores do Estado, recebendo anlise duas vezes ao dia e mensal. A Uniju retornou nesta quintafeira, 4, de um perodo de frias coletivas de 10 dias. Agora, concentra suas atividades no atendimento a alunos e comunidade externa para o comeo das aulas, no dia 27 de fevereiro, alm de trabalhar na campanha de