Edição Nº 157

  • View
    217

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Capital - Edição nº 157

Text of Edição Nº 157

  • MERCADO & NEGCIOS

    CFM condena a vinda de seis mil

    mdicos cubanos para o Brasil

    Capital EMpRESa JORNalStiCa ltDa 07 a 13 de MaIO de 2013

    Ano 5 n 157www.jornalcapital.jor.br

    R$1

    Internacional Indicadores / Cmbio Compra Venda %

    Fechamento: 06 de maio de 2013

    PGINA 2

    Bancos sem dinheiro pblico

    "Ainda falta infraestrutura para redes 3G e 4G"

    Presidenta anuncia reduo de juros para microempreendedores

    Entradas de dlares superam

    sadas

    Veculos sem impostos para professores

    Movimento quer derrubar aumento de passagens em Caxias

    O Banco Central (BC) quer que o dinheiro pblico seja o ltimo recurso usa-do para manter a es-tabilidade do sistema financeiro em casos de quebra de bancos importantes para o setor. Para isso, o BC est elaborando um anteprojeto de lei, em discusso no Seminrio Interna-cional sobre Regimes de Resoluo no Sistema Financeiro Brasileiro que est sendo realizado em Brasilia. PGINA 3

    A afirmaao do mi-nistro das Comuni-caes, Paulo Bernardo. Segundo ele, o nmero de usurios do 3G cresceu 70% em 2012. Perguntado se a rede 4G no ir sofrer com as mesmas deficin-cias da 3G, Bernardo de-clarou que houve descui-do, talvez das autoridades, com certeza das empre-sas com o crescimento do uso do 3G, o que levou diminuio da qualidade do servio.

    PGINA 8

    A taxa de juros vai cair de 8% para 5% ao ano. A mudana no Programa de Microcrdito Produtivo e Orientado, o Crescer, est prevista para o fim deste

    ms, anunciou a presidenta Dilma Rousseff.no evento

    de posse do presidente da Federao das Associaes

    Comerciais do Estado de So Paulo (Facesp), Rogrio

    Amato, na capital paulista.

    O saldo de entrada e sada de dla-res do pas (fluxo cam-

    bial), ficou positivo

    em US$ 1,702 bilho,

    em abril at o ltimo

    dia 26, segundo dados

    divulgados no ltimo

    dia 2 pelo Banco Cen-

    tral (BC). De janeiro

    a 26 de abril, o fluxo

    cambial est negativo

    em US$ 398 milhes.

    O segmento comercial

    registra saldo positivo

    em US$ 2,297 bilhes e

    o financeiro, dficit de

    US$ 2,694 bilhes.

    Com farta distribuio de panfletos in-titulados "Sem Palavra", lideranas, que acusam o prefeito Alexandre Cardoso

    de no cumprir promessas, como a criao

    da tarifa nica no municpio, j coletaram

    mais de duas mil assinaturas. PGINA 4

    Professor de Caxias decide continuar em grevePGINA 7

    O projeto do deputado federal Aureo (PRTB/RJ), concedendo iseno do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) na compra

    de automveis de passageiros de fabricao

    nacional, equipados com motor at 2.0, por

    professores da rede pblica municipal, estadual

    ou federal.

    PGINA 3

    Banco de Imagens

    Wilson Dias/ABr

    Antonio Cruz/ABr

    Depsito da Secretaria

    de Sade arrombado

    em Duque de Caxias

    Unidade Mvel da Setrab

    vai atender mulheres

    PGINA 4

    PGINA 4

    Dolar Comercial 2,008 2,010 0,08Dlar turismo 1,930 2,150 0,47ibovespa 55.429,88 0,11

    PGINA 5

  • 2 07 a 13 de Maio de 2013MERCADO & NEGCIOS

    Ponto de Observao

    alberto marques

    Quem tem medo do ministrio pblico?

    Ao contrrio das car-tas dos videntes, os nmeros no mentem jamais. Segundo infor-maes divulgadas na semana passada pela Procuradoria Geral de Justia, mais de 37 mil procedimentos investi-gatrios criminais (PIC) e 56 mil inquritos civis pblicos (ICP) em todos os pais esto nas mos de promotores e procurado-res da Justia Federal, o que inclui investigaes sobre improbidade ad-ministrativa e peculato, tipo de crime de exclu-sividade do servidor p-blico, que usa o cargo em proveito prprio. O PIC decorre do poder de in-vestigao do Ministrio Pblico.

    No Portal da Trans-parncia do MPF, novas ferramentas agora permi-tem consultar o mapa da atuao institucional em todo o pas, assim como o andamento dos processos judiciais e extrajudiciais. Os novos instrumentos de acesso informao,

    lanados na semana pas-sada, fazem parte de uma poltica de promoo cultura da transparncia da instituio.

    possvel visualizar da-dos de processos judiciais ou procedimentos extra-judiciais no menu esquer-do. Em ambos os casos, os registros so divididos conforme as diversas reas do direito, como adminis-trativo e penal. No menu direito, possvel reinar a pesquisa segundo trs clas-siicaes: rea temtica, unidade do MPF e classe processual e extraprocessu-al. Por classe, pode-se il-trar os processos judiciais e os procedimentos extra-judiciais. No campo judi-cial, possvel pesquisar ao civil pblica (ACP), ao civil de improbidade administrativa (ACIA) e aes penais (AP), alm de inquritos policiais (IPL) e termos circunstanciados (TC), autuados na Justia Federal nos ltimos cinco anos.

    No que se refere ao m-bito extrajudicial, o exame dirige-se aos inquritos civis pblicos (ICP) e aos procedimentos investigat-

    rios criminais (PIC) em tr-mite no MPF, independen-te da data de sua autuao. A Procuradoria Geral da Repblica possui, em an-damento, 1.124 PICs, pro-cedimento de investigao prpria do MPF. A maior parte das ocorrncias est relacionada ao tema Direi-to Administrativo e outras Matrias de Direito Pbli-co, com 48.571 registros, seguido pelo tema Direito Penal, com mais de 34 mil registros.

    Por unidade do MPF, a procura pode ser direciona-da para cada Procuradoria da Repblica (1 instncia), Procuradoria Regional da Repblica (2 instncia) e para Procuradoria Geral da Repblica (instncia superior). Os municpios apontados no mapa no so aqueles onde ocorre-ram os fatos noticiados no processo ou procedimento. Trata-se da localizao das unidades do MPF por onde os autos tramitam. Ao mar-car a unidade de interesse, o cidado pode analisar a listagem de processos ca-dastrados conforme o iltro utilizado bem como o seu respectivo andamento na

    instituio. Na ferramen-ta de consulta proces-sual, pode-se pesquisar processo judicial espe-cico, em qualquer ins-tncia, por nome da parte ou nmero do processo. Para procedimento extra-judicial, a pesquisa por nmero do expediente.

    Como o Ministrio Pblico Estadual e a Procuradoria Geral da Repblica gozam de autonomia administra-tiva e oramentria, as investigaes realiza-das pelo MP no esto subordinados aos inte-resses pessoais dos nos-sos governantes, isto , nenhum governador ou ministro tem poder de impedir as investigaes que envolvam polticos ou empresrios donos de grande fortuna e, conse-quentemente, inluncia nos vrios setores do Governo.

    essa independn-cia investigativa que as-susta de mensaleiros a homicidas e traicantes de armas e drogas, que compram uma suposta impunidade atravs de um mandato eletivo!

    (*) Fechamento: 06 de maio de 2013

    MERCADO & NEGCIOS

    Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804Edifcio Sul Amrica - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro

    Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70

    Os artigos assinados so de inteira responsabilidade de seus autores.

    TIRAGEM: 10.000 exemplares(assine o Capital: 21 2671-6611)

    IMPRESSO: ARET EDITORIAL S/ACNPJ 00.355.188/0001-90

    Departamento Comercial:(21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653

    Diretor Geral: Marcelo CunhaDiretor de Redao: Josu Cardoso (josuejornalista@gmail.com)

    Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomo, Aureo Ldio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff,

    Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro.

    Endereos eletrnicos:

    comercial@jornalcapital.jor.brcomercial.capitalmercado@gmail.com

    contato@jornalcapital.jor.br

    contato.capitalmercado@gmail.comredacao@jornalcapital.jor.brredacao.capitalmercado@gmail.com

    Filiado aDJORiAssociao de Jornais do Interior Capital Empresa

    Jornalstica Ltda

    Na internet: www.jornalcapital.jor.br

    Embora a gesto dos resduos slidos seja responsa-bilidade dos municpios, no Rio de Janeiro o gover-no do estado vem adotando uma postura de parceria na conduo destas aes. Isso resulta na possibilidade de acelerar a extino dos lixes do estado. Em 2010, 30 municpios destinavam seu lixo aos aterros. Este ano, segundo a secretaria de estado do Ambiente (SEA), se-ro 82, com previso de totalizar os 92 municpios ano que vem.

    A Lei 6.334/13, que deiniu o carter regional dos lixes no estado, contribuiu para o fortalecimento desta poltica de parceria. O fato que preciso avanar. Hoje h 17 lixes no estado e que devem ser deinitivamente encerrados e remediados em 2014, segundo a SEA. H, ainda, 19 aterros em operao e oito previstos.

    Estamos no primeiro ano de gesto das prefeituras. Este o ano de deinir as grandes questes estratgicas para os municpios e tomar as grandes decises. No im de abril, o Frum lanou o Manual de Boas Prticas na gesto dos resduos slidos, em parceria com a Abrelpe.

    Esta ferramenta pode ajudar os gestores pbli-cos a preparar, gerir, implementar, monitorar e revisar Planos de Gesto de Resduos. Ela fornece informaes sobre caminhos j trilhados, e princpios que tornam os esforos de planejamento bem sucedidos. H outras re-ferncias para quem quer se informar sobre o assunto. Mas quem quiser acessar o que foi debatido neste even-to, basta digitar o endereo http://www.querodiscutiro-meuestado.rj.gov.br/eventos.php. Boa leitura!

    GeiZa Rocha jornalista e secretria-geraldo Frum Permanente de desenvolvimentoestratgico do estado do Rio de Janeiro ornalista Roberto marinho. www querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

    Frum Permanente de DesenvolvimentoEstratgico do EstadoJornalista Roberto Marinho

    Resduos slidos e o desenvolvimento(Parte II)

    Prefeitura do Rio lana concursospara criao de aplicativos

    A Prefeitura d