Edital Paes 2016

  • View
    20

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edital Uema

Text of Edital Paes 2016

  • 1

    EDITAL N80 /2015 - REITORIA/UEMA A Universidade Estadual do Maranho UEMA, por meio da Reitoria, considerando a Lei Estadual n 268/2002 de 22 de maio de 2002, a Resoluo n 1138/2015 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extenso CEPE/UEMA e as disposies da legislao em vigor, torna pblico o Edital n 80/2015 - REITORIA/UEMA com os procedimentos e as normas para realizao do Processo Seletivo de Acesso Educao Superior PAES 2016, destinado a selecionar candidatos, no limite das vagas ofertadas, nos seus Cursos de Graduao, na modalidade presencial para o primeiro e o segundo semestres do ano de 2016. 1 DAS DISPOSIES PRELIMINARES 1.1 O Processo Seletivo de Acesso Educao Superior PAES 2016 da Universidade Estadual do Maranho destina-se a selecionar candidatos, no limite das vagas ofertadas, nos seus cursos de graduao, na modalidade presencial, para o primeiro e o segundo semestres do ano de 2016. 1.2 Poder inscrever-se, no PAES 2016, o candidato que concluiu integralmente ou esteja cursando o 3 ano do ensino mdio em 2015.

    2 DOS CURSOS E VAGAS 2.1 Sero oferecidas 3.829 ( trs mil e oitocentas e vinte e nove) vagas para o ano de 2016, distribudas nos campi, cursos, turnos e semestres conforme o disposto no APNDICE A deste Edital. 2.2 O perfil dos cursos oferecidos pela UEMA no PAES 2016 encontra-se no APNDICE F deste Edital. 2.3 O PAES 2016 ser realizado por dois sistemas de preenchimento de vagas: o sistema universal e o sistema especial de reserva de vagas. 2.4 O sistema especial de reserva de vagas ser caracterizado da seguinte forma: Especial 1 (estudantes negros ou oriundos de comunidades indgenas) e Especial 2 (pessoas com deficincia). 2.4.1 Sistema Especial 1: reserva de 10% (dez por cento) das vagas dos cursos de graduao, excetuando os Cursos de Formao de Oficiais - CFO (PMMA e CBMMA), para candidatos negros (cor preta, conforme nomenclatura do IBGE/2010) e oriundos de comunidades indgenas, tendo cursado o ensino mdio exclusivamente em escolas pblicas. 2.4.2 Sistema Especial 2: reserva de 5% (cinco por cento) das vagas dos cursos de graduao da UEMA para pessoas com deficincia, excetuando o CFO (PMMA e CBMMA), curso com teste de habilidade especfica (Arquitetura e Urbanismo), os cursos da rea da Sade (Enfermagem Bacharelado, Medicina Bacharelado e Medicina Veterinria Bacharelado), ou qualquer outro curso cujas habilidades exigidas para o profissional no sejam compatveis com a deficincia que possui, conforme critrios estabelecidos no item 4.4 deste Edital. 2.5 Todos os candidatos que se inscreverem para o PAES 2016 e no optarem pelo sistema especial de reserva de vagas concorrero, automaticamente, pelo sistema universal. 2.6 As vagas destinadas para o sistema especial de reserva de vagas no preenchidas sero repassadas para candidatos aprovados e no classificados do sistema universal, concorrentes ao mesmo campus, curso, turno e semestre.

  • 2

    3 DO CANDIDATO 3.1 Candidato aquele que atende aos requisitos especificados no item 1.2 deste Edital. 4 DO SISTEMA ESPECIAL DE RESERVA DE VAGAS 4.1 O candidato dever escolher eletronicamente, no requerimento de inscrio, o campo correspondente sua reserva especial de vagas (1 ou 2) e entregar a documentao (laudo mdico ou cpia autenticada, para pessoa com deficincia, e autodeclarao, para estudantes negros ou de comunidades indgenas) no endereo a seguir, impreterivelmente, at o dia 18 de agosto de 2015, encaminhado para a Diviso de Operao de Concursos Vestibulares DOCV. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHO - UEMA DIVISO DE OPERAO DE CONCURSOS VESTIBULARES DOCV PRDIO DA PR-REITORIA DE GRADUAO - PROG Cidade Universitria Paulo VI Campus de So Lus Maranho CEP 65.055-970 CAIXA POSTAL N. 9 4.2 O sistema especial de reserva de vagas constitudo de dois tipos de reservas, conforme itens 2.3 e 2.4 deste Edital. 4.3 O candidato negro (de raa ou cor preta, conforme nomenclatura do IBGE/2010) ou indgena, obrigatoriamente, dever ter cursado o ensino mdio exclusivamente em escolas pblicas. 4.3.1 Para concorrer pelo sistema especial de reserva de vagas para estudantes negros, o candidato dever ser negro, de cor preta, conforme classificao adotada pelo IBGE/2010 e optar pelo sistema. 4.3.2 Para comprovao de sua opo pelo sistema especial de reserva de vagas para estudantes negros ou oriundos de comunidades indgenas, o candidato dever apresentar a seguinte documentao: a) para negros autodeclarao especfica, obrigatoriamente, conforme o modelo do APNDICE B 1 e requerimento de inscrio com foto 3x4, de frente e recente; b) para indgenas autodeclarao especfica, obrigatoriamente, conforme o modelo do APNDICE B 2 e requerimento de inscrio com foto 3x4, de frente e recente. 4.3.3 A documentao enviada para DOCV ser analisada por uma comisso designada para esse fim composta por um representante do Curso de Cincias Sociais, um representante de entidades e um representante do PAES 2016. 4.4 O candidato, se concorrente ao sistema especial de reserva de vagas para pessoas com deficincia, dever encaminhar para a DOCV, a fim de comprovar a sua opo de reserva especial, laudo mdico fornecido, preferencialmente, por instituio pblica de sade, com parecer descritivo da deficincia, nos termos do Cdigo Internacional de Doenas CID e de acordo com as determinaes estabelecidas pela Lei Federal n 7853/1989 e pelos Decretos n 3298/1999 e n 5296/2004. 4.4.1 O laudo mdico dever ter sido emitido h, no mximo, 2 (dois) anos e encaminhado at o dia 18 de agosto de 2015 nos mesmos termos procedidos no item 4.1 deste Edital. 4.4.2 O laudo mdico ser avaliado por uma comisso composta por um mdico designado para esse fim, um professor especialista em Educao Especial e um representante do PAES 2016 a fim de verificar o cumprimento do estabelecido pela Lei Federal n 7853/1989 e pelos Decretos n 3298/1999 e n 5296/2004.

  • 3

    4.5 Os candidatos residentes em outros municpios podero tambm enviar o seu requerimento, acompanhado do laudo mdico e/ou autodeclarao que justifique sua opo de reserva especial de vagas, via correio, desde que a postagem ocorra dentro do prazo especificado no item 4.1 deste Edital. 4.6 O candidato ter indeferida a solicitao para concorrer s vagas reservadas pelo sistema especial e passar automaticamente a concorrer pelo sistema universal, se:

    a) no encaminhar a documentao comprobatria da opo de sistema especial de reserva de vagas at a data prevista: 18 de agosto de 2015; b) apresentar documentao comprobatria de sua opo de sistema especial de reserva de vagas em desacordo com as exigncias da Lei Estadual n 9.295/2010, da Lei Federal n 7853/1989, dos Decretos n 3298/1999 e n 5296/2004 e do item 4.4 deste Edital. 4.6.1 O candidato ter o prazo de 48 horas, a partir da divulgao da lista de indeferidos do sistema especial de reserva de vagas, para solicitar interposio de recursos sobre seu indeferimento. 4.7 As situaes de envio de documentao incompleta, de omisso, de incompatibilidade, de inveracidade entre as informaes prestadas na documentao apresentada tambm acarretaro o indeferimento solicitao para concorrer ao sistema especial de reserva de vagas. 4.8 O candidato que for classificado, no PAES 2016, pelo sistema especial de reserva de vagas e no comprovar essa condio perder a vaga. 4.9 O candidato que se enquadrar nas reservas especiais 1 e 2, de acordo com o especificado no item 2.3 deste Edital, dever optar por uma a seu critrio. 4.10 O candidato a reserva especial 2 (pessoas com deficincia), no PAES 2016, concorrer aos cursos de graduao da UEMA, excetuando o CFO (PMMA e CBMMA) curso com teste de habilidade especfica (Arquitetura e Urbanismo), os cursos da rea da Sade (Enfermagem Bacharelado, Medicina Bacharelado e Medicina Veterinria Bacharelado) ou qualquer outro curso cujas habilidades exigidas para o profissional no sejam compatveis com a deficincia que possui. 4.11 A lista de candidatos reserva especial de vagas ser publicada no dia 04 de setembro de 2015. 5 DA INSCRIO 5.1 O candidato, antes de fazer sua inscrio, dever ler atentamente este Edital e, tambm, todas as demais informaes que forem disponibilizadas pela internet, no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br. 5.1.1 Realizada a inscrio, o candidato dever se manter atento s atualizaes divulgadas na pgina do vestibular da UEMA na internet, bem como a quaisquer outros Editais que venham ser publicados pela UEMA antes da realizao do seletivo. 5.2 S poder concorrer a uma das vagas definidas no Quadro Demonstrativo dos Cursos e Vagas oferecidas por Campus, (APNDICE A), o candidato que concluiu integralmente ou esteja cursando o 3 ano do ensino mdio em 2015. 5.3 As inscries sero efetuadas no perodo de 20 de julho a 14 de agosto de 2015, conforme indicao a seguir: a) acessar o endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br; b) selecionar, na caixa de opes, o link PAES 2016; c) acessar, imprimir e ler o Edital n 80/2015 - REITORIA/UEMA; d) optar por um dos sistemas de vagas: universal ou especial de reservas de vagas 1 ou 2;

  • 4

    e) preencher, conferir, confirmar e imprimir o requerimento de inscrio, em conformidade com este Edital; f) gerar boleto bancrio no endereo eletrnico acima mencionado; g) efetuar o pagamento em qualquer agncia do Banco do Brasil ou nos seus correspondentes bancrios at o dia 17 de agosto de 2015, no horrio de expediente. Pargrafo nico. O Edital n 80/2015 - REITORIA/UEMA, tambm estar disponvel, impresso, na Biblioteca Central da UEMA, Campus So Lus, nas secretarias dos Centros de Estudos Superiores de Caxias, Imperatriz, Bacabal, Balsas, Santa Ins, Aailndia, Pedreiras, Timon, Graja, Lago da Pedra, Z Doca, Itapecuru-Mirim, Colinas, Pinheiro, Presidente Dutra, So Joo dos Patos, Coelho Neto, Barra do Corda, Cod e Coroat. 5.4 O candidato isento do pagamento do valor de inscrio, para participar do PAES 2016 dever, obrigatoriamente, se inscrever no Processo Seletivo, acessando o endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br, em obedincia ao item 5.3 letras a, b, c, d e e deste Edital. 5.5 O valor da inscrio no PAES 2016 ser de R$ 75,00 (setenta e cinco reais). 5.5.1 A inscrio somente ser efetivada aps a confirmao, pelo Banco do Brasil S/A, do pagamento efetuado pelo candidato. 5.5.2 Se o valor da inscrio for pago em cheque e houver devoluo ou se, por qualquer motivo, o pagamento no for efetivado, o requerimento de inscrio correspondente ser automaticamente indeferido. 5.5.3 O candidato ao curso de Formao de Oficiais (Polcia Militar do Maranho ou Bombeiro Militar do Maranho), aprovado no exame intelectual, dever pagar um valor adicional de R$ 50,00 (cinquenta reais) para custear os testes de aptido fsica de uma dessas corporaes, a ser depositado nas respectivas contas correntes das corporaes a seguir: a) Polcia Militar do Maranho - conta corrente n 135038-2, Agncia 0408-1 do Banco Bradesco S/A. b) Bombeiro Militar do Maranho - conta corrente n 3744-3 e Agncia 1024-3 do Banco Bradesco S/A. Pargrafo nico. No sero aceitos depsitos via envelope ou qualquer outra forma de depsito sujeito conferncia. 5.5.4 Em hiptese alguma haver devoluo ou ressarcimento referente ao pagamento de valores relacionados a este processo seletivo. 5.6 Os critrios para solicitao de iseno do pagamento do valor da inscrio foram objeto do Edital n 047/2015 - REITORIA/UEMA. 5.7 Os documentos obrigatrios para inscrio do candidato sero os seguintes: CPF e carteiras expedidas pelas Secretarias de Segurana Pblica, Foras Armadas, Polcias Militares ou Polcia Federal. 5.7.1 No caso de candidato de nacionalidade estrangeira, ser considerada a Cdula de Identidade de Estrangeiro, expedida pelo Departamento de Polcia Federal, que comprove a sua condio de permanente ou temporrio no pas, conforme os artigos 30 e 33 da Lei n 6.815/80. 5.8 O candidato ao Curso de Formao de Oficiais (Polcia Militar do Maranho ou Bombeiro Militar do Maranho), dever comparecer a um dos campi da UEMA para entregar o requerimento de inscrio, no perodo de 20 de julho a 14 de agosto de 2015, com as devidas cpias de documentos autenticadas em cartrio, de acordo com o estabelecido nos itens 4 do ANEXO A e 3 do ANEXO B, partes integrantes deste Edital, no sendo aceitas, para esses cursos, inscries por procurao.

  • 5

    5.8.1 Os campi da UEMA de que trata o item 5.8 esto contidos nos ANEXOS A e B deste Edital. 5.9 Ao preencher o requerimento de inscrio, o candidato far opo por uma das lnguas estrangeiras oferecidas (Ingls ou Espanhol). 5.9.1 O candidato que concorrer a uma vaga no Curso de Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas far, obrigatoriamente, a prova de lngua estrangeira na opo Ingls. 5.9.2 O candidato que concorrer a uma vaga no Curso de Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Espanhola Literaturas far, obrigatoriamente, a prova de lngua estrangeira na opo Espanhol. 5.9.3 O candidato que concorrer a uma vaga no Curso de Engenharia da Computao far, obrigatoriamente, a prova de lngua estrangeira na opo Ingls. 5.9.4 Para todos os outros cursos, no mencionados nos itens 5.9.1, 5.9.2 e 5.9.3 deste Edital, o candidato que no optar por uma das lnguas estrangeiras oferecidas ser includo na opo Ingls. 5.10 No ato da inscrio, somente os candidatos inscritos para os cursos de Arquitetura e Urbanismo e CFO (PMMA e CBMMA) devero, obrigatoriamente, optar por um segundo curso, a seu critrio, desde que dentro do mesmo grupo a que pertence a sua primeira opo, conforme APNDICE C deste Edital. 5.11 Aps a efetivao da inscrio sero vetadas ao candidato quaisquer alteraes de opo de curso, campus, turno, local de realizao de prova ou de lngua estrangeira e sistema de vagas. 5.12 de responsabilidade do candidato conferir, no endereo eletrnico www.vestibular.uema.br, se seus dados esto corretos. 5.12.1 Constatando alguma irregularidade em relao aos dados pessoais (nome, endereo, telefone, e-mail, CPF, RG), o candidato dever, at o dia 18 de agosto de 2015, solicitar DOCV a devida correo, ressalvado o disposto no item 5.11 deste Edital. 5.12.2 A solicitao dever ser encaminhada para o e-mail [email protected] 5.13 O ato de inscrio implica o conhecimento e a aceitao irrestrita das normas estabelecidas neste Edital em relao s quais o candidato no poder alegar desconhecimento. 5.14 O candidato dever preencher, obrigatoriamente, o questionrio socioeconmico e cultural (APNDICE H) no ato da inscrio. 5.15 Na hiptese de se comprovar fraude nos dados fornecidos na inscrio, independentemente das aes legais cabveis, o candidato ser automaticamente eliminado do PAES 2016. 6 DO LOCAL DE REALIZAO DAS PROVAS 6.1 As provas do PAES 2016 sero realizadas nos campi abaixo relacionados:

    01 So Lus 08 Pedreiras 15 So Joo dos Patos 02 Caxias 09 Timon 16 Barra do Corda 03 Imperatriz 10 Graja 17 Cod 04 Bacabal 11 Lago da Pedra 18 Pinheiro 05 Balsas 12 Z Doca 19 Coelho Neto 06 Santa Ins 13 Itapecuru-Mirim 20 Presidente Dutra 07 Aailndia 14 Colinas 21 Coroat

  • 6

    6.2 O candidato far sua opo de realizao das provas em um dos campi mencionados no item 6.1 deste Edital. 6.3 O candidato dever fazer, obrigatoriamente, sua prova no local designado na confirmao de inscrio, sob pena de sua no participao no PAES 2016. 6.4 da responsabilidade do candidato acessar o endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br, para se informar sobre o seu local de prova, bem como identificar sua exata localizao. 7 DO ATENDIMENTO DIFERENCIADO 7.1 O candidato que necessitar de atendimento diferenciado nos dias de prova dever preencher eletronicamente, no requerimento de inscrio, o campo correspondente sua necessidade e entregar no endereo a seguir, impreterivelmente, at o dia 18 de agosto de 2015, requerimento acompanhado do laudo mdico, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doenas CID, que justifique o atendimento diferenciado, e encaminh-lo para a Diviso de Operao de Concursos Vestibulares DOCV.

    UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHO UEMA DIVISO DE OPERAO DE CONCURSOS VESTIBULARES DOCV PRDIO DA PR-REITORIA DE GRADUAO PROG Cidade Universitria Paulo VI Campus de So Lus Maranho CEP 65.055-970 CAIXA POSTAL N 9

    7.1.1 O candidato inscrito no sistema especial de reserva de vagas para pessoa com deficincia no necessitar apresentar outro atestado mdico, considerando a exigncia j estabelecida no item 4.4 deste Edital, mas necessitar enviar requerimento que identifique o tipo de atendimento diferenciado disposto no item 7.1.3 deste Edital. Pargrafo nico. O candidato inscrito na reserva especial de vagas para pessoa com deficincia que no enviar requerimento (APNDICE I), solicitando e identificando o atendimento diferenciado disposto no item 7.1.3 deste Edital, realizar as provas nas mesmas condies dos outros candidatos. 7.1.2 Os candidatos residentes em outras localidades podero enviar o seu requerimento, acompanhado do atestado mdico que justifique sua necessidade especial, via correio, desde que a postagem ocorra dentro do prazo especificado no item 7.1 deste Edital. 7.1.3 Os atendimentos diferenciados so: a) provas em folha A4, com fonte ampliada (amblopes); b) provas em Braille; c) auxlio de leitura da prova (ledor); d) intrprete de LIBRAS (lngua de sinais); e) transcritor; f) atendimento domiciliar ou hospitalar; g) sala individual para candidatos com doenas contagiosas e outras situaes; h) atendimento a lactantes, gestantes e idosos; i) sala trrea (dificuldade para locomoo).

  • 7

    7.2 As solicitaes citadas no item 7.1.3 - alneas a, b, c e d deste Edital devero ser feitas no ato da inscrio, preenchendo o campo especfico correspondente. 7.3 As solicitaes citadas no item 7.1.3 alneas e, f, g, h e i deste Edital devero ser encaminhadas DOCV, no prazo de at 24 (vinte e quatro) horas antes do horrio previsto para o incio das provas, citando a necessidade do tratamento especial, o nmero de inscrio e o endereo para o atendimento diferenciado. 7.4 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realizao das provas, alm de solicitar atendimento diferenciado em sala reservada para essa finalidade e que ser responsvel pela guarda da criana. A candidata que no levar acompanhante no realizar as provas. 7.5 A UEMA no considerar solicitaes de atendimentos diferenciados que no estejam de acordo com o previsto nos itens 7.1 a 7.4 deste Edital. 8 DO TESTE DE HABILIDADE ESPECFICA PARA O CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 8.1 O candidato que se inscrever para o Curso de Arquitetura e Urbanismo dever submeter-se, obrigatoriamente, ao Teste de Habilidade Especfica, a ser realizado conforme normas estabelecidas no APNDICE D deste Edital, exceto aquele que j se submeteu ao referido teste nos anos de 2012 a 2014, sendo considerado habilitado, por estar dentro do prazo de validade do teste. 8.1.1 O prazo de validade do teste de habilidade especfica ser de 36 (trinta e seis) meses, a contar da data de publicao da relao nominal de candidatos aprovados. 8.2 O candidato que se inscrever para o Curso de Arquitetura e Urbanismo dever, obrigatoriamente, fazer outra opo de curso no ato da inscrio. 8.3 O Teste de Habilidade Especfica ser realizado com o apoio tcnico do Curso de Arquitetura e Urbanismo, em So Lus - MA, no dia 20 de setembro de 2015, de 8h30min s 12h30min, em locais a serem divulgados pela imprensa e por meio do endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br. 8.4 O Teste de Habilidade Especfica vale de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, no sendo estes pontos contados para classificao do candidato no PAES 2016. 8.4.1 O candidato que faltar ao teste ou o que obtiver resultado inferior a 6,0 (seis) ser considerado inabilitado e concorrer, no PAES 2016, ao curso de sua segunda opo. 8.5 O candidato aprovado no Teste de Habilidade Especfica no poder mudar a 1 opo de curso. 8.6 A relao nominal de candidatos aprovados no Teste de Habilidade Especfica para o curso de Arquitetura e Urbanismo ser divulgada por meio do endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br, bem como afixada no prdio da Pr-Reitoria de Graduao da UEMA onde funciona a DOCV, em So Lus, no dia 28 de setembro de 2015. 8.7 No haver segunda chamada do Teste de Habilidade Especfica. 8.8 Os candidatos tero at 48h a partir da divulgao do teste de habilidade especfica para solicitarem vistas de suas provas. 9 DOS REQUISITOS PARA INSCRIO NOS CURSOS DE FORMAO DE OFICIAIS (CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO MARANHO E POLCIA MILITAR DO ESTADO DO MARANHO) 9.1 O candidato dever obedecer ao que dispe os ANEXOS A ou B, partes integrantes deste Edital.

  • 8

    10 DA CONFIRMAO DA INSCRIO 10.1 As inscries deferidas sero disponibilizadas pela DOCV, no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br, durante o perodo de 26 de outubro a de 08 de novembro de 2015. 10.2 A confirmao da inscrio, de que trata o item 10.1 deste Edital, dever ser, obrigatoriamente, impressa pelo candidato. 10.3 O candidato somente ter acesso aos locais de prova mediante o previsto no item 11.7 deste Edital. 11 DAS PROVAS 11.1 As provas do Processo Seletivo sero aplicadas nos campi constantes no item 6.1 deste Edital. 11.2 As provas sero realizadas em dois dias consecutivos, na conformidade do discriminado a seguir: a) 1 DIA: 08/11/2015 - prova constituda de 60 (sessenta) questes objetivas de mltipla escolha, por rea de conhecimento, abrangendo os contedos programticos dos componentes curriculares que integram o ensino mdio, segundo as diretrizes dos Parmetros Curriculares Nacionais PCNs. b) 2DIA: 09/11/2015 - prova constituda de 12 (doze) questes analtico-discursivas, abrangendo contedos programticos de 2 (dois) componentes curriculares que integram o ensino mdio, especficos por curso, e prova de produo textual, segundo as diretrizes dos Parmetros Curriculares Nacionais PCNs. 11.3 A composio da prova objetiva de mltipla escolha e da prova analtico-discursiva consta nos APNDICES C e E deste Edital, respectivamente. 11.4 As questes da prova de Lngua Portuguesa e Literatura Brasileira tero como referncia textos nacionais e as obras literrias previamente recomendadas como leitura obrigatria e indicadas a seguir:

    A Rosa do Povo - Autor: Carlos Drummond de Andrade Vidas Secas - Autor: Graciliano Ramos Auto da Barca do Inferno - Autor: Gil Vicente.

    11.5 Na prova de produo textual, o candidato dever elaborar texto dissertativo-argumentativo sobre tema indicado pela banca elaboradora. 11.6 As provas sero realizadas nos dias e horrios indicados a seguir:

    DIAS HORRIO DURAO 08/11/2015 13h s 18h 5 horas 09/11/2015 13h s 18h

    11.7 O candidato dever comparecer ao local de prova com antecedncia mnima de 60 (sessenta) minutos. 11.8 obrigatria a apresentao de documento de identificao original com foto para a realizao das provas.

  • 9

    11.9 Consideram-se como documentos vlidos para identificao do candidato no dia da prova: cdulas de identidade (RG) expedidas pelas Secretarias de Segurana Pblica, pelas Foras Armadas, pela Polcia Militar, pela Polcia Federal; identidade expedida pelo Ministrio da Justia para estrangeiros; identificao fornecida por ordens ou conselhos de classes que por lei tenham validade como documento de identidade; Carteira de Trabalho e Previdncia Social, emitida aps 27 de janeiro de 1997; Passaporte; Carteira Nacional de Habilitao com fotografia, na forma da Lei n 9.503, de 23 de setembro de 1997. 11.10 O candidato impossibilitado de apresentar o documento de identificao original com foto nos dias de aplicao do seletivo, por motivo de extravio, perda, furto ou roubo, poder realizar as provas, desde que: 11.10.1 Apresente o Boletim de Ocorrncia expedido por rgo policial, no mximo, at 90 (noventa) dias do primeiro dia de aplicao da prova. 11.10.2 Submeta-se identificao especial, que compreende a coleta de dados e da assinatura do candidato em formulrio prprio. 11.11 No sero aceitos como documentos de identificao: Certido de Nascimento, Ttulo Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitao (modelo sem foto), Carteira Estudantil, Carteiras Funcionais sem valor de identidade, bem como documentos ilegveis, no identificveis e/ou danificados. 11.12 Os portes dos prdios onde se realizaro as provas do 1 e 2 dias sero fechados impreterivelmente s 13 horas. 11.13 O candidato no poder, sob pena de sua eliminao no PAES 2016: 11.13.1 Realizar qualquer espcie de consulta ou comunicar-se com outros candidatos durante o perodo das provas. 11.13.2 Portar lpis, caneta de material no transparente, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotaes e quaisquer dispositivos eletrnicos, tais como: mquinas calculadoras, agendas eletrnicas ou similares, telefones celulares, smartphones, tablets, ipods, pen drives, mp3 ou similar, gravadores, relgios, alarmes de qualquer espcie ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vdeos e mensagens. 11.13.3 Utilizar culos escuros e artigos de chapelaria, tais como: bon, chapu, viseira, gorro ou similares. 11.13.4 Portar e estar de posse de armas de qualquer espcie, ainda que detenha autorizao para o respectivo porte. 11.13.5 Ausentar-se em definitivo da sala de provas antes de decorridas duas horas do incio das provas. 11.14 Antes de entrar na sala, o candidato dever, obrigatoriamente, desmontar, retirar a bateria ou desligar o aparelho celular e colocar dentro de envelope fornecido pelo fiscal, colocando-o posteriormente embaixo da carteira. 11.14.1 No ser permitido, em hiptese alguma, sob pena de eliminao, o manuseio de qualquer dispositivo eletrnico no local de prova. 11.15 A DOCV/UEMA no se responsabilizar por guarda, perda ou extravio de quaisquer objetos e documentos durante a realizao do processo seletivo. 11.15.1 Aps a assinatura da lista de frequncia, antes do incio da prova, o candidato no poder se retirar da sala de aplicao de prova.

  • 10

    11.15.2 Aps o incio da prova, o candidato ter 2 (duas) horas para utilizao do banheiro. Ao trmino desse prazo, o candidato no poder ausentar-se da sala, exceto nos seguintes casos: atendimento mdico de urgncia, quando autorizado pelo coordenador setorial, e aps ter concludo sua prova. 11.16 O fiscal de sala colher as impresses digitais de todos os candidatos presentes na lista de frequncia, nos 1 e 2 dias de prova, para, se necessrio, posterior confirmao pericial pela Universidade Estadual do Maranho. 11.16.1 O candidato s poder deixar a sala 2 (duas) horas aps o incio das provas, assinando a lista de frequncia, planilha-resposta (1 dia) e prova (2 dia), devolvendo-as ao fiscal. 11.17 A presena do candidato prova ser comprovada por meio de sua assinatura em documento especfico para esse fim. 11.18 Transcorridas 2 (duas) horas do incio da prova objetiva de mltipla escolha, o candidato receber sua planilha-resposta personalizada onde dever assinalar, para cada questo, uma nica opo. 11.19 A planilha-resposta no poder ser substituda, sendo de inteira responsabilidade do candidato marc-la adequadamente. 11.20 A DOCV/UEMA poder, durante a realizao das provas, colher, por autoridade competente, as impresses digitais de quaisquer candidatos e/ou submet-los vistoria. 11.21 O Coordenador Setorial poder, a seu critrio, mudar o candidato de sala ou de lugar. 11.22 Os componentes curriculares referentes aos conhecimentos do ensino mdio constam no APNDICE G deste Edital. 11.23 Os dois ltimos candidatos s podero deixar a sala de aplicao de provas juntos, mesmo que um deles j tenha terminado de responder s questes. 11.24 No sero aplicadas provas, em data, local ou horrio diferentes do estabelecido na confirmao de inscrio do candidato, excetuando-se ao que se refere apenas o item 7.1.2 letra f deste Edital. 12 DA CORREO DAS PROVAS 12.1 A correo das provas envolver os seguintes momentos: a) prova objetiva de mltipla escolha - correo eletrnica por meio das planilhas-resposta; b) prova analtico-discursiva - correo feita por uma banca examinadora especfica para cada componente curricular do ensino mdio, indicada pela Comisso do PAES 2016; c) prova de produo textual - correo feita por duas bancas examinadoras independentes, sob coordenao de uma equipe indicada pela Comisso do PAES 2016. 12.2 Para a correo das provas de candidatos com necessidades especiais auditivas e visuais, haver, se necessrio, o acompanhamento de especialista, indicado pelo Ncleo de Educao Especial da UEMA e supervisionado por membros da Comisso do PAES 2016. 12.3 A prova objetiva de mltipla escolha avaliar o candidato quanto ao domnio dos contedos progamticos dos componentes curriculares e capacidade de raciocnio e, na prova analtico-discursiva, alm desses aspectos, ser considerada a expresso escrita de suas ideias. 12.3.1 Cada questo objetiva da prova de mltipla escolha valer 1,0 (um) ponto.

  • 11

    12.3.2 Cada questo da prova analtico-discursiva valer de 0 (zero) a 1,0 (um) ponto, com variao de 0,25 (vinte e cinco centsimos). 12.4 Sero corrigidas as provas do 2 dia de prova do PAES 2016 somente dos candidatos includos at o quadrplo do nmero de vagas oferecidas por turno, curso e campus. 12.4.1 Ocorrendo empate na ltima classificao, correspondente ao qudruplo do nmero de vagas oferecidas, por curso, turno e campus, todos os candidatos nessa situao sero includos na ltima colocao. 12.5 Cada questo analtico-discursiva ser avaliada, considerando-se os seguintes critrios: a) obedincia ao proposto compreenso, identificao do problema proposto ou da situao apresentada na questo e o efetivo atendimento ao(s) seu(s) comando(s); b) contedo - correo e adequao da resposta em relao ao contedo que foi solicitado na questo; c) desenvolvimento lgico - encadeamento das ideias, sequncia lgica na expresso da resposta, seleo de princpios gerais, leis, conceitos e sistemas de interpretao aplicveis situao ou problema proposto; d) adequao da linguagem - uso e domnio da linguagem verbal ou simblica com clareza e adequao. 12.5.1 Ser atribuda pontuao zero questo analtico-discursiva que: a) no se ativer situao ou ao problema proposto; b) for escrita a lpis, em parte ou na sua totalidade; c) apresentar texto incompreensvel ou letra ilegvel. 12.5.2 Sero anuladas as provas do teste de habilidade especfica e as provas analtico-discursivas que: a) no forem respondidas nos respectivos cadernos de provas; b) forem assinadas fora do local apropriado; c) apresentarem qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificao do candidato. 12.6 O candidato dever escrever sua produo textual em folha destinada para esse fim. 12.6.1 A prova de produo textual valer de 0 (zero) at 10 (dez) pontos. 12.6.2 A nota final da prova de produo textual ser a mdia aritmtica entre as notas dadas pelas duas bancas examinadoras, desde que a diferena entre essas notas no seja superior a 2,0 (dois) pontos. 12.6.3 Em caso de diferena superior a 2,0 (dois) pontos entre as notas dadas pelas duas bancas examinadoras da prova de produo textual, a nota final ser dada pela equipe de coordenao de correo da prova de produo textual. 12.6.4 Em caso de atribuio de nota 0 (zero) por uma das bancas e nota diferente de 0 (zero) pela outra banca, a nota final ser dada pela equipe de coordenao, que far nova correo. 12.6.5 A avaliao da prova de produo textual levar em considerao os seguintes critrios: a) atendimento ao tema proposto: 2,0 (dois) pontos; b) coeso textual: 2,0 (dois) pontos; c) coerncia textual: 2,0 (dois) pontos; d) atendimento ao tipo de texto proposto: 2,0 (dois) pontos; e) domnio do padro culto escrito da lngua: 2,0 (dois) pontos.

  • 12

    12.7 Ser atribuda nota zero prova de produo textual do candidato que: a) identificar a folha destinada sua produo textual; b) desenvolver o texto em forma de verso; c) desenvolver o texto sob forma no articulada verbalmente (apenas com nmeros, desenhos, palavras soltas); d) fugir temtica proposta na prova de produo textual; e) fugir tipologia textual proposta na prova de produo textual; f) escrever de forma ilegvel; g) escrever a lpis; h) escrever menos de 15 (quinze) linhas; i) deixar a produo textual em branco. 12.8 Nas provas analtico-discursivas e de produo textual, o candidato dever, obrigatoriamente, desenvolver a soluo de cada questo a caneta esferogrfica transparente de tinta azul ou preta, escrita grossa, no espao indicado. 12.9 Na hiptese de ser anulada qualquer questo, o seu valor em pontos ser atribudo para todos os candidatos participantes do PAES 2016. 12.10 O candidato que obtiver nota zero, em uma das disciplinas da prova analtico-discursiva, no ter corrigida a disciplina subsequente nem a produo textual, tendo em seu demonstrativo de desempenho a indicao de eliminado e a disciplina em que ocorreu a eliminao. 12.11 Aps a realizao das provas, caso seja constatado, eletrnica, estatstica, visual, grafologicamente ou por qualquer outro meio, que o candidato utilizou o processo ilcito para facilitar a sua aprovao, suas provas sero anuladas e ele ser automaticamente eliminado do PAES 2016. 13 DAS MEDIDAS DE AVALIAO 13.1 Sero utilizados, na avaliao dos candidatos, os seguintes instrumentos de medidas: I Nota bruta corresponde ao nmero de acertos ou pontos obtidos, por rea de conhecimento, pelo candidato na prova de questes objetivas de mltipla escolha ou por componente curricular na prova de prova de questes analtico-discursivas e de produo textual; II Nota padronizada corresponde transformao da nota bruta, utilizando-se a padronizao de escores, e representa o desempenho do candidato, em determinada rea de conhecimento, em relao a todos os candidatos que participam do processo seletivo na prova objetiva, relativa ao 1 dia, ou em relao a todos os candidatos do mesmo curso que participam do processo seletivo, na prova de questes analtico-discursivas e de produo textual; III Nota de desempenho na prova de mltipla escolha corresponde mdia aritmtica das notas padronizadas, por rea do conhecimento, obtidas na prova objetiva de mltipla escolha do 1 dia; IV Nota de desempenho na prova analtico-discursiva e de produo textual corresponde ao somatrio dos pontos obtidos pela padronizao de escores das notas brutas, referentes s questes analtico-discursivas dos componentes curriculares especificos e de produo textual; V Mdia final corresponde mdia aritmtica ponderada da nota de desempenho na prova de mltipla escolha, com peso 4 (quatro), e da nota de desempenho na prova analtico-discursiva com peso 3 (trs) e de produo textual, com peso 3 (trs). 13.2 As notas padronizadas, calculadas por rea de conhecimento para o 1 dia, ou componentes curriculares especficos e produao textual, para o 2 dia, no mbito de cada prova, sero obtidas por meio das seguintes frmulas:

  • 13

    500100+

    =

    DpXX

    N iP

    ( )1

    1

    2

    ==N

    XXD

    N

    ii

    p

    Onde: Np = nota padronizada para cada candidato; Xi = nmero de acertos ou pontos obtidos, pelo candidato na prova de determinada res de conhecimento para o 1 dia, ou componentes curriculares especificos e produao textual para o 2 dia; X = mdia aritmtica dos acertos ou notas brutas dos candidatos presentes na prova de determinada rea de conhecimento para o 1 dia, ou componentes curriculares especficos e produo textual, para o 2 dia; Dp = desvio padro das notas brutas dos candidatos presentes na prova de determinada rea de conhecimento para o 1 dia, ou componentes curriculares especficos e produao textual para o 2 dia; N = nmero de candidatos presentes na prova de determinado componente curricular. 13.2.1 No clculo das notas padronizadas, por componente curricular do ensino mdio a ser avaliado, sero consideradas duas casas decimais sem arredondamento estatstico. 13.3 A padronizao da lngua estrangeira, dentro da rea de conhecimento de Linguagem, Cdigos e suas Tecnologias ser realizada separadamente, para cada uma das disciplinas Lngua Inglesa e Lngua Espanhola, no mbito de cada curso. 13.4 No mbito do 2 dia, as notas padronizadas sero obtidas na conformidade do item 13.1 deste Edital e levaro em conta o curso de opo do candidato nas definies de Np, Dp e N. 13.5 Ser automaticamente eliminado do PAES 2016, o candidato que: I - faltar a uma das provas; II - obtiver acerto inferior a 15 (quinze) questes na prova objetiva de mltipla escolha do 1 dia; III - estiver fora do qudruplo das vagas ofertadas por curso, turno e campus, considerando-se a ordem decrescente da nota de desempenho na prova objetiva de mltipla escolha referente ao 1 dia; IV - obtiver nota bruta zero em quaisquer dos compnentes curriculares da prova analtico-discursiva ou nota bruta inferior a dois na produo textual no 2 dia; V - responder prova do 2 dia diferente daquela especificamente designada para seu curso, de acordo com o grupo correspondente; VI - usar comprovadamente de fraude ou concorrer para esse fim; VII- atentar contra a ordem ou desacatar a quem quer que esteja investido da autoridade para supervisionar, coordenar, fiscalizar ou orientar a aplicao das provas. 13.6 Em vista da natureza do PAES 2016, no ser permitida segunda chamada. 13.7 A DOCV/UEMA, divulgar a relao nominal de candidatos includos no qudruplo do nmero de vagas por curso, turno e campus que tero corrigidas as provas analtico-discursivas e produo textual, em obedincia ao que dispe o item 12.10 deste Edital, no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br.

  • 14

    14 DA APROVAO E CLASSIFICAO FINAL 14.1 O preenchimento das vagas por modalidade, campus, curso, turno e semestre letivo ser por meio de processo classificatrio, obedecendo ordem decrescente da mdia final obtida, com aproximao de duas casas decimais e sem arredondamento estatstico, conforme o item 13 deste Edital. 14.2 Os casos de empate na classificao final de cada curso, turno e campus sero resolvidos com a aplicao sucessiva dos seguintes critrios: a) maior nota padronizada na prova de produo textual; b) maior nota de desempenho na prova analtico-discursiva; c) maior nota de desempenho na prova objetiva de mltipla escolha; d) for mais idoso. 14.3 A DOCV/UEMA, com base na mdia final obtida pelo candidato, divulgar o resultado do PAES 2016, publicando somente a relao nominal de classificados, por municpio, curso, turno e semestre letivo, at o limite das vagas, devendo constar a ordem, o nmero de inscrio, o nome, o nmero de documento de identificao e a mdia final padronizada obtida pelo candidato. 14.4 No caso dos Cursos de Formao de Oficiais PMMA e CBMMA, ser divulgada, primeiramente, a lista de aprovados no exame intelectual do PAES 2016, e, aps a realizao dos Exames de Aptido, conforme o disposto nos ANEXOS A e B, tambm de carter eliminatrio, ser divulgada a lista nominal dos candidatos classificados no limite das vagas para os referidos cursos. 15 DA SOLICITAO DE VISTAS DE PROVA 15.1 At 48 (quarenta e oito) horas aps a divulgao do resultado das provas, no horrio das 9h s 18h, o candidato poder solicitar vistas ao caderno de provas do 2 dia do PAES 2016, mediante requerimento protocolado na DOCV/UEMA. 15.2 O pedido dever estar fundamentado de forma clara, objetiva e sucinta com argumentos consistentes que justifiquem sua solicitao. 15.3 Em at 48 (quarenta e oito) horas, aps o encerramento do prazo final das solicitaes, ser publicada a relao dos requerentes no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br e no quadro de avisos afixados na sede da Pr-Reitoria de Graduao da UEMA com o local, o dia e o horrio de vistas das provas. 15.4 O candidato que no comparecer vista das suas provas do 2 dia, no local e horrio da data agendada, no mais poder faz-lo. 15.5 No processo de vistas, o candidato no poder portar aparelho celular, caneta, lpis, mquina de calcular, mquina fotogrfica, filmadora, notebook, scanner ou quaisquer outros equipamentos similares e ter at vinte minutos para realizar vistas nas provas.

    15.6 O candidato dever apresentar documento de identificao com foto, conforme discriminado no item 11.9 deste Edital, para ter acesso a uma cpia do caderno de provas do 2 dia do PAES 2016. 15.7 O processo de vistas dar-se- na presena de representantes da Comisso do PAES 2016 e do candidato.

  • 15

    15.7.1 No ser permitida a presena de acompanhantes de candidatos maior de idade no processo de vistas de prova.

    15.8 Todos os materiais fornecidos ao candidato devero ser devolvidos no fim do processo de vistas de prova. 15.9 O candidato menor de 18 anos poder estar acompanhado por seu responsvel, mediante documento que comprove paternidade, maternidade, guarda ou tutela do candidato.

    16 DA REVISO DA PROVAS ANALTICO-DISCURSIVAS 16.1 Aps o processo de vistas do caderno de provas das questes analtico-discursivas e produo textual, o candidato que logrou vistas poder solicitar reviso da nota mediante requerimento para a DOCV/UEMA, conforme modelo APNDICE J, protocolado junto UEMA, at a data subsequente ao dia da realizao do processo de vistas, no horrio das 9h s 18h apresentando o comprovante impresso de vistas de prova. 16.2 No haver solicitao de reviso de provas do 2 dia em data que no seja a citada no item anterior e sem ter acessado primeiramente o processo de vistas de prova. 16.3 O candidato poder interpor recurso correo das suas provas analtico-discursivas e produo textual atendendo s seguintes orientaes: a) o recurso dever ser feito pelo prprio candidato ou por seu responsvel legal (neste caso, com firma reconhecida em cartrio e munido de documento de identidade), em separado para cada prova; b) todos os recursos devero ter a identificao do candidato, do curso pretendido, da prova e da questo, e serem devidamente assinados, escritos em letra de forma ou digitado, instrudos e fundamentados com argumentao lgica, amparados em bibliografia pertinente, ou seja, livros com ampla circulao, peridicos cientficos e/ou revistas de divulgao editadas por sociedades cientficas, no sendo consideradas apostilas de cursos preparatrios por serem bibliografia de circulao restrita; c) no sero aceitas reclamaes a ttulo de recursos por e-mail, via fax e outros, conforme item 16.1 deste Edital; d) no sero aceitos quaisquer recursos DOCV/UEMA, decorrido o prazo estabelecido; e) no sero apreciados recursos incompletos ou que estejam em desacordo com as orientaes estabelecidas neste Edital.

    16.4 A DOCV/UEMA apreciar o recurso no prazo mximo de 15 (quinze) dias teis, a contar da data de entrada da reclamao protocolada na DOCV/UEMA. 16.5 Aps divulgao e recebimento de cpia do resultado expresso no item 16.4 deste Edital, o candidato ter at 05 (cinco) dias teis para recorrer ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extenso CEPE/UEMA, que decidir, conclusivamente, sobre o recurso interposto.

  • 16

    17 DA MATRCULA 17.1 A Pr-Reitoria de Graduao da UEMA publicar Edital convocando os candidatos classificados no PAES 2016 para matrcula, no semestre letivo correspondente, contendo informaes referentes documentao exigida e prazo para sua realizao. 17.2 A matrcula para o candidato classificado no PAES 2016 s ter validade para o semestre letivo a ele vinculado, assim como para o campus, curso e turno de sua opo. 17.3 Perder o direito vaga o candidato classificado na forma do item 14 deste Edital que, por qualquer motivo, no comparecer ao local indicado ou no apresentar a documentao exigida para efetuar a matrcula no prazo estabelecido pela Pr-Reitoria de Graduao da UEMA. 17.4 A documentao obrigatria a ser apresentada no ato da matrcula institucional a seguinte: a) certificado de concluso do ensino mdio e histrico escolar (original e xerox) com visto da Inspeo Escolar ou carimbo de isento do Conselho Estadual de Educao; b) cdula de identidade (original e xerox); c) comprovao de quitao com o Servio Militar para o candidato do sexo masculino, maior de 18 anos e menor de 45 anos (original e xerox); d) ttulo de eleitor acompanhado da certido de quitao com as obrigaes eleitorais (original e xerox); e) certido de nascimento ou casamento (original e xerox); f) 01 (uma) foto 3x4 recente; g) CPF (original e xerox); h) comprovante de residncia (original e xerox); i) laudo mdico, homologado pela Comisso da UEMA, no caso de candidato classificado em vaga reservada pessoa com deficincia, encaminhado pela DOCV/UEMA CEG/PROG/UEMA; j) autodeclarao tnico-racial no caso de candidato classificado em vagas destinadas a negro, de cor preta, conforme classificao adotada pelo IBGE/2010 ou indgena, encaminhada pela DOCV/UEMA CEG/PROG/UEMA. 17.5 A no apresentao da documentao de que trata o item 17.4 deste Edital ou a no comprovao dos requisitos necessrios para ter direito ao sistema universal e ao sistema especial de reserva de vagas implicar a no efetivao da matrcula pelo candidato. 17.6 Havendo vagas remanescentes no PAES 2016, em quaisquer cursos, aps a matrcula de todos os candidatos aprovados, a Pr-Reitoria de Graduao da UEMA definir os critrios e condies para o preenchimento dessas vagas. 17.7 No havendo nmero mnimo de 10 (dez) candidatos classificados para formar uma turma, conforme o que estabelece as Normas Gerais do Processo de Acesso a Educao Superior, aprovadas pela Resoluo n1138 CEPE/UEMA, 19 maio de 2015, a matrcula do aluno ficar trancada institucionalmente at constituio de uma nova turma, ressalvado ulterior deliberao da Pr-Reitoria de Graduao PROG/UEMA. 18 DA REOPO DE CURSO 18.1 As vagas que venham a ocorrer aps o resultado final do PAES 2016 sero preenchidas por meio de edital de reopo de curso pertencente ao mesmo grupo (APNDICE C) por candidatos no eliminados (aprovados e no classificados) que no obtiveram mdia suficiente para ocupar uma das vagas do curso sobre o qual recaiu sua opo inicial. 18.2 Aps a matrcula, persistindo a sobra de vagas elas sero preenchidas:

  • 17

    a) remanejamento, para o primeiro perodo letivo, de candidatos classificados para o segundo perodo letivo; b) classificao de novos candidatos (chamada de excedentes), obedecida ordem de classificao. 18.3 Efetuado o disposto no item 18.2, alneas a e b, remanescendo ainda vagas, estas sero preenchidas, mediante edital de reopo de curso obedecendo aos dispositivos do item 18.1 deste Edital. 18.3.1 Os candidatos que concorrerem ao CFO (PMMA ou CBMMA), no eliminados e no classificados, podero participar do processo de reopo dos cursos da UEMA. 18.3.2 As inscries para a reopo de cursos sero abertas por edital a ser publicado pela Pr-Reitoria de Graduao da UEMA. 18.3.3 A classificao para a reopo de curso ser feita obedecendo-se ordem de prioridade das opes formuladas pelos candidatos e ordem decrescente das mdias finais obtidas pelos reoptantes. 19 DAS DISPOSIES FINAIS 19.1 Sero nulas de pleno direito tanto a classificao no PAES 2016 como a matrcula do candidato cuja inscrio houver sido feita em inobservncia ao disposto neste Edital. 19.2 No ser permitido fumar na sala de prova (Lei Federal n 9294/96). 19.3 A inscrio do candidato implicar na aceitao expressa das normas para o PAES 2016 contidas neste Edital e nos demais documentos a serem oportunamente divulgados. 19.4 As reclamaes atinentes ao PAES 2016 devero ser apresentadas DOCV/UEMA, at 48 (quarenta e oito) horas aps a divulgao do resultado pela DOCV/UEMA ou a realizao da prova analtico-discursiva (2 dia), observando-se o que dispe este Edital. 19.4.1 O resultado de que trata o item 19.4 deste Edital refere-se (ao): a) relao nominal de inscritos; b) relao nominal de candidatos habilitados para os cursos de Arquitetura e Urbanismo e Formao de Oficiais (PMMA e CBMMA); c) gabarito oficial (1 dia); d) relao nominal de candidatos includos at o qudruplo das vagas por curso, turno e campus; e) solicitao de anulao de questes (2 dia); f) relao nominal de candidatos classificados; g) mapa individual de desempenho. 19.4.2 No sero aceitas reclamaes de qualquer pessoa, a exceo do prprio candidato ou seu representante legal. 19.4.3 As reclamaes devero ser protocoladas nos campi da UEMA. 19.4.4 A DOCV/UEMA apreciar a matria aludida no item 19.4.1 deste Edital, no prazo mximo de 15 (quinze) dias teis, a contar da data de entrada da reclamao protocolada nos campi da UEMA. 19.4.5 Aps divulgao e recebimento de cpia do resultado do recurso interposto DOCV/UEMA, o candidato ter 05 (cinco) dias teis para recorrer ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extenso CEPE/UEMA, que decidir conclusivamente. 19.5 A DOCV/UEMA poder baixar normas e instrues complementares para a realizao do PAES 2016, bem como quaisquer alteraes que se fizerem necessrias, as quais sero divulgadas por meio de Editais,

  • 18

    Portarias, Notas Oficiais ou Avisos, sempre publicadas em jornais de grande circulao do Estado, afixados nos quadros de avisos dos diversos campi da UEMA e no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br, constituindo tais documentos, a partir de ento, parte integrante deste Edital, sendo obrigao de cada candidato acompanhar e conhecer todas as alteraes e complementaes mencionadas neste item, no sendo argumento de defesa, aos mesmos, justificar tal desconhecimento. 19.6 As instrues e informaes contidas no Manual do Candidato e nos Cadernos de Provas constituem parte integrante deste Edital. 19.7 A Diviso de Operao de Concursos Vestibulares - DOCV, com o apoio dos demais rgos da UEMA, responsvel por todas as tarefas e atribuies relacionadas execuo do PAES 2016. 19.8 O gabarito da prova do 1 dia do PAES 2016 ser disponibilizado no endereo eletrnico: www.vestibular.uema.br at 48 (quarenta e oito) horas aps o encerramento da prova. 19.9 A UEMA reserva-se o direito de, a qualquer momento, verificar a veracidade das informaes prestadas pelos candidatos. 19.9.1 Caso alguma das informaes prestadas no PAES 2016 seja inverdica, a UEMA poder, sem prejuzo das medidas judiciais cabveis, adotar as seguintes medidas: a) indeferir a inscrio do candidato antes da realizao da prova pelo descumprimento do item 5 deste Edital; b) eliminar o candidato que tenha feito a prova pelo descumprimento dos itens 11 e 13.5 deste Edital; c) indeferir a matrcula do candidato convocado para tal pelo descumprimento do item 17.5 deste Edital; d) cancelar a matrcula pelo descumprimento do item 17.4 deste Edital. 19.10 A UEMA no se responsabilizar por inscries no recebidas em decorrncia de falhas tcnicas nos computadores, falhas de comunicao, congestionamento na transferncia on-line de dados, assim como por outros fatores de ordem tcnica que impossibilitem a efetivao da inscrio. 19.11 obrigao do candidato manter-se informado das datas, locais e prazos estabelecidos no presente Edital. 19.12 As disposies deste Edital prevalecem sobre todos os seus APNDICES e ANEXOS. 19.13 Os casos omissos sero resolvidos pela DOCV/UEMA, ouvida a Assessoria Jurdica da UEMA.

    So Lus (MA), 10 de julho de 2015

    Prof. Dr. Gustavo Pereira da Costa

    Reitor

  • 19

    APNDICE A

    QUADRO DEMONSTRATIVO DOS CURSOS E VAGAS OFERECIDAS POR CAMPUS

    SISTEMA DE PREENCHIMENTO DE VAGAS U Sistema universal de vagas E1 Sistema especial de reservas de vagas para estudantes negros e de comunidades

    indgenas E2 Sistema especial de reservas de vagas para pessoas com deficincia

    CURSOS MODALIDADE PRESENCIAL

    01-SO LUIS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total

    U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0101 Engenharia Civil Bacharelado Diurno 34 4 2 34 4 2 80

    0102 Engenharia Mecnica Bacharelado Diurno 34 4 2 34 4 2 80

    0103 Arquitetura e Urbanismo Bacharelado Vespertino 27 3 - 27 3 - 60

    0104 Engenharia de Pesca Bacharelado Diurno 37 5 3 - - - 45

    0105 Engenharia da Produo Bacharelado Noturno(e sbado manh)

    30 3 2 30 3 2 70

    0106 Engenharia da Computao Bacharelado Diurno 37 5 3 - - - 45

    0107 Administrao Bacharelado Vespertino 34 4 2 34 4 2 80 0108 Administrao Bacharelado Noturno 34 4 2 34 4 2 80 0109 Direito Bacharelado Matutino 34 4 2 - - - 40

    0110 Curso de Formao de Oficiais-PMMA (Masculino) Diurno - - 40 - - 40

    0111 Curso de Formao de Oficiais - PMMA (Feminino) Diurno - - 5 - - 5

    0112 Curso de Formao de Oficiais - CBMMA Diurno - - 30 - - 30

    0113 Engenharia Agronmica Bacharelado Diurno 30 3 2 30 3 2 70

    0114 Medicina Veterinria Bacharelado Diurno 31 4 - 31 4 - 70 0115 Cincias Biolgicas Licenciatura Diurno 25 3 2 25 3 2 60 0116 Matemtica Licenciatura Vespertino 25 3 2 - - - 30

    0117 Matemtica Licenciatura Noturno(e sbado manh)

    - - - 25 3 2 30

    0118 Pedagogia Licenciatura Vespertino 30 3 2 35

    0119 Pedagogia Licenciatura Noturno(e sbado manh)

    - - - 30 3 2 35

    0120 Letras Licenciatura em Lngua Vespertino - - - 30 3 2 35

  • 20

    Portuguesa, Lngua Espanhola e Literaturas

    0121 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno(e sbado manh)

    30 3 2 - - - 35

    0122 Histria Licenciatura Matutino 37 5 3 - - - 45

    0123 Geografia Licenciatura Noturno(e sbado manh)

    34 4 2 - - - 40

    0124 Geografia Bacharelado Matutino - - - 34 4 2 40 0125 Fsica Licenciatura Vespertino 25 3 2 - - - 30 0126 Qumica Licenciatura Diurno 25 3 2 25 3 2 60 0127 Cincias Sociais Licenciatura Matutino 17 2 1 - - - 20 0128 Cincias Sociais Bacharelado Matutino 17 2 1 - - - 20

    0129 Msica Licenciatura Noturno(e sbado manh)

    25 3 2 - - - 30

    0130 Zootecnia Bacharelado Matutino 30 3 2 - - - 35 TOTAL 682 80 43 498 48 24 1375

    02-CAXIAS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2 0201 Histria Licenciatura Vespertino - - - 30 3 2 35 0202 Histria Licenciatura Noturno 30 3 2 - - - 35 0203 Matemtica Licenciatura Noturno 30 3 2 - - - 35 0204 Qumica Licenciatura Noturno 34 4 2 - - - 40 0205 Enfermagem Bacharelado Diurno 27 3 - - - - 30 0206 Medicina Bacharelado Diurno 31 4 - - - - 35 0207 Geografia Licenciatura Vespertino 30 3 2 - - - 35 0208 Geografia Licenciatura Noturno - - - 30 3 2 35 0209 Cincias Biolgicas Licenciatura Diurno 34 4 2 - - - 40

    0210 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas

    Vespertino 20 3 1 - - - 24

    0211 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno - - - 34 4 2 40

    0212 Pedagogia Licenciatura Matutino - - - 34 4 2 40 0213 Pedagogia Licenciatura Vespertino 34 4 2 - - - 40 0214 Fsica Licenciatura Noturno 30 3 2 - - - 35 TOTAL 300 34 15 128 14 8 499

    03-IMPERATRIZ

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016

    Total U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0301 Histria Licenciatura Matutino 37 5 3 - - - 45 0302 Geografia Licenciatura Noturno 34 4 2 - - - 40 0303 Administrao Bacharelado Vespertino/ 30 3 2 30 3 2 70

  • 21

    Noturno 0304 Pedagogia Licenciatura Matutino - - - 34 4 2 40 0305 Matemtica Licenciatura Noturno 25 3 2 25 3 2 60 0306 Cincias Biolgicas Licenciatura Matutino 25 3 2 - - - 30 0307 Cincias Biolgicas Licenciatura Noturno 30 3 2 35

    0308 Engenharia Agronmica Bacharelado Diurno 25 3 2 - - - 30

    0309 Engenharia Florestal Bacharelado Diurno - - - 25 3 2 30

    0310 Medicina Veterinria Bacharelado Diurno 27 3 - - - - 30 0311 Fsica Licenciatura Noturno 25 3 2 - - - 30

    0312 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Vespertino 30 3 2 - - - 35

    0313 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas

    Noturno 30 3 2 35

    TOTAL 318 36 21 114 13 8 510

    04-BACABAL

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016

    Total U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0401 Administrao Bacharelado Noturno - - - 25 3 2 30

    0402 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Espanhola e Literaturas

    Vespertino - - - 25 3 2 30

    Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas

    Vespertino - - - 25 3 2 30

    0403 Pedagogia Licenciatura Vespertino - - - 25 3 2 30 0404 Direito Bacharelado Noturno 25 3 2 25 3 2 60 0405 Enfermagem Bacharelado Diurno 22 3 - 22 3 - 50 0406 Matemtica Licenciatura Noturno 25 3 2 30 TOTAL 47 6 2 172 21 12 260

    05-BALSAS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total

    U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0501 Engenharia Agronmica Bacharelado Diurno 25 3 2 - - - 30

    0502 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas

    Noturno 25 3 2 - - - 30

    0503 Enfermagem Bacharelado Diurno 27 3 - - - - 30 TOTAL 77 9 4 90

  • 22

    06-SANTA INS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016

    Total U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0601 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas

    Noturno 34 4 2 - - - 40

    0602 Pedagogia Licenciatura Diurno 34 4 2 - - - 40 0603 Enfermagem Bacharelado Diurno 27 3 - - - - 30 TOTAL 95 11 4 - - - 110

    07-AAILNDIA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016

    Total U

    E1

    E2

    U

    E1

    E2

    0701 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 25 3 2 - - - 30

    0702 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Vespertino - - - 25 3 2 30

    0703 Administrao Bacharelado Noturno 25 3 2 - - - 30 0704 Administrao Bacharelado Vespertino - - - 25 3 2 30 0705 Tecnologia de Gesto Ambiental Vespertino 25 3 2 - - - 30 TOTAL 75 9 6 50 6 4 150

    08-PEDREIRAS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    0801 Matemtica Licenciatura Noturno - - - 25 3 2 30

    0802 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno - - - 25 3 2 30

    TOTAL 50 6 4 60

    09-TIMON

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    0901 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 34 4 2 - - - 40

    0902 Pedagogia Licenciatura Vespertino 34 4 2 - - - 40 0903 Administrao Bacharelado Noturno 34 4 2 - - - 40 TOTAL 102 12 6 120

    10-GRAJA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2 1001 Enfermagem Bacharelado Diurno 27 3 - - - - 30 TOTAL 27 3 - - - 30

  • 23

    11-LAGO DA PEDRA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1101 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno - - - 25 3 2 30

    TOTAL 25 3 2 30

    12-Z DOCA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1201 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 30 3 2 - - - 35

    TOTAL 30 3 2 - - - 35

    13-ITAPECURU-MIRIM

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1301 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 30 3 2 30 3 2 70

    1302 Tecnologia do Agronegcio Vespertino 30 3 2 30 3 2 70 TOTAL 60 6 4 60 6 4 140

    14-COLINAS Turno 1/2016 2/2016 Total Cdigo Curso U E1 E2 U E1 E2 1401 Enfermagem Bacharelado Vespertino - - - 27 3 - 30

    1402 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno - - - 25 3 2 30

    TOTAL 52 6 2 60

    15-SO JOO DOS PATOS

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1501 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 34 4 2 - - - 40

    1502 Tecnologia de Agroindstria Noturno 34 4 2 - - - 40 TOTAL 68 8 4 80

    16-BARRA DO CORDA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1601 Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Noturno 34 4 2 - - - 40

    TOTAL 34 4 2 - - - 40

  • 24

    17-COD

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2 1701 Administrao Bacharelado Noturno 34 4 2 34 4 2 80 TOTAL 34 4 2 34 4 2 80

    18-COELHO NETO

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2 1801 Cincias Biolgicas Licenciatura Noturno 25 3 2 - - - 30 TOTAL 25 3 2 - - - 30

    19-PINHEIRO

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    1901 Cincias Biolgicas Licenciatura Vespertino 25 3 2 25 3 2 60

    TOTAL 25 3 2 25 3 2 60

    TOTAL DE VAGAS CURSOS PRESENCIAIS: 3.829 vagas

    20-PRESIDENTE DUTRA

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016 Total U E1 E2 U E1 E2

    2001

    Letras Licenciatura em Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa

    Matutino - - - 34 4 2 40

    TOTAL - - - 34 4 2 40

    21-COROAT

    Cdigo Curso Turno 1/2016 2/2016

    Total U E1 E2 U E1 E2 2101 Enfermagem Bacharelado Diurno - - - 27 3 - 30 TOTAL - - - 27 3 - 30

  • 25

    APNDICE B-1

    MODELO DE AUTODECLARAO PARA ESTUDANTES NEGROS

    DECLARAO Eu,_____________________________________________________________________________________ (nome completo), de acordo com a Lei Estadual n 9.295, de 17 de novembro de 2010, inscrito no Processo Seletivo de Acesso Educao Superior da Universidade Estadual do Maranho, PAES 2016, sob n____________ , declaro, sob as penas da lei, ser negro, alm de ter cursado integralmente o ensino mdio em escola pblica. ____________________________________ (Data e assinatura do(a) candidato(a)

    APNDICE B - 2

    MODELO DE AUTODECLARAO PARA ESTUDANTES DE COMUNIDADES INDGENAS

    DECLARAO

    Eu _________________________________________________________________ (nome completo), de acordo com a Lei Estadual n 9.295, de 17 de novembro de 2010, inscrito no Processo Seletivo de Acesso Educao Superior da Universidade Estadual do Maranho, PAES 2016, sob n____________ , declaro, sob as penas da lei, ser indgena, alm de ter cursado integralmente o ensino mdio em escola pblica. ____________________________________ (Data e assinatura do(a) candidato(a)

  • 26

    APNDICE C

    DEMONSTRATIVO DOS GRUPOS, DOS CURSOS, DOS COMPONENTES CURRICULARES ESPECFICOS E DO NMERO DE QUESTES QUE COMPEM A PROVA ANALTICO-DISCURSIVA E

    PRODUO TEXTUAL REFERENTES AO 2 DIA 2 DIA - 09/11/20105 (Prova analtico-discursiva e produo textual) GRUPO 1- CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Engenharia Civil / Engenharia Mecnica / Engenharia da Computao /Engenharia de Produo / Arquitetura e Urbanismo/ Matemtica Licenciatura / Cincias Licenciatura Matemtica / Fsica Licenciatura / Cincias Licenciatura Fsica /Curso de Formao de Oficiais CBMMA

    Matemtica Fsica Produo Textual

    6 6

    GRUPO 2 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Qumica Licenciatura e Cincias Licenciatura Qumica Matemtica Qumica Produo Textual

    6 6

    GRUPO 3 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Engenharia de Pesca / Engenharia Agronmica / Cincias Biolgicas Licenciatura / Cincias Licenciatura Biologia / Medicina Veterinria / Enfermagem / Medicina / Zootecnia / Tecnologia de Alimentos/ Tecnologia em Agroindstria

    Biologia Qumica Produo Textual

    6 6

    GRUPO 4 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Letras Licenciatura Lngua Portuguesa, Lngua Inglesa e Literaturas - com opo de prova de lngua estrangeira em Ingls Letras Licenciatura Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa - com opo de prova de lngua estrangeira em Ingls

    Lngua Portuguesa e Literatura Brasileira Lngua Estrangeira (Ingls) Produo Textual

    6 6

    GRUPO 5 - CURSO(S)

    COMPONENTES CURRICULARES

    QUESTES

    Letras Licenciatura Lngua Portuguesa, Lngua Espanhola e Literaturas - com opo de prova de lngua estrangeira em Espanhol) Letras Licenciatura Lngua Portuguesa e Literaturas de Lngua Portuguesa - com opo de prova de lngua estrangeira em Espanhol

    Lngua Portuguesa e Literaturas Brasileira Lngua Estrangeira (Espanhol) Produo Textual

    6 6

  • 27

    GRUPO 6 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Pedagogia Licenciatura /Msica Licenciatura / Direito Bacharelado

    Lngua Portuguesa e Literatura Brasileira Histria Produo Textual

    6 6

    GRUPO 7 - CURSO(S) COMPONENTES CURRICULARES

    QUESTES

    Administrao, Curso de Formao de Oficiais PMMA

    Matemtica Histria Produo Textual

    6 6

    GRUPO 8 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Histria Licenciatura / Geografia Licenciatura e/ou Bacharelado/ Geografia Histria Produo Textual

    6 6

    GRUPO 9 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Engenharia Florestal /Tecnologia em Agronegcios / Tecnologia em Gesto Ambiental

    Biologia Geografia Produo Textual

    6 6

    GRUPO 10 - CURSO(S) COMPONENTES

    CURRICULARES QUESTES

    Cincias Sociais- Bacharelado e/ou Licenciatura Histria Sociologia Produo Textual

    6 6

  • 28

    APNDICE D

    NORMAS REGULAMENTADORAS DO TESTE DE HABILIDADE ESPECFICA PARA O CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

    1 ORIENTAES GERAIS 1.1 O candidato dever comparecer ao local de prova com antecedncia mnima de 60 (sessenta) minutos, portando obrigatria e exclusivamente: a) documento de identificao original constante na inscrio, de acordo com o item 5.7 do Edital n 80/2015 REITORIA/UEMA; b) requerimento de inscrio no PAES 2016; c) comprovante (boleto) de pagamento do valor da inscrio, para no isentos; d) caneta esferogrfica transparente de tinta preta ou azul, escrita grossa; e) lpis 6b e 2b, lpis de cor e borracha 1.1.1 Os portes dos prdios onde se realizar o Teste de Habilidade Especfica sero fechados impreterivelmente s 8 (oito) horas e 30 (trinta) minutos. 1.2 No ser permitido ingresso de candidato onde se realizar o Teste de Habilidade Especfica portando bolsas, bons, chapus, mquinas calculadoras, relgios com calculadoras, rdios, bips, notebook, tablet ou equipamentos eletrnicos similares. 1.2.1 Antes de entrar na sala, o candidato dever, obrigatoriamente, desmontar, retirar a bateria ou desligar o aparelho celular e colocar dentro do saco fornecido pelo fiscal, colocando-o posteriormente embaixo das carteiras. 1.2.2 No ser permitido, sob pena de eliminao, o manuseio do celular no local de prova. 1.3 A DOCV/UEMA, no se responsabilizar por perda ou extravio de quaisquer objetos e documentos durante a realizao do teste de habilidade especfica. 1.4 Aps o incio do teste, o candidato ter 2 (duas) horas para utilizao do banheiro. Ao trmino desse prazo, o candidato no poder ausentar-se da sala, exceto nos seguintes casos: atendimento mdico de urgncia, quando autorizado pelo coordenador setorial, e aps ter concludo seu teste. 1.5 A presena do candidato ao teste ser comprovada por meio de sua assinatura em documento especfico para esse fim. 1.6 A DOCV/UEMA poder, durante a realizao do teste, colher, por autoridade competente, as impresses digitais de quaisquer candidatos e/ou submet-los vistoria. 2 CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2.1 O teste de Habilidade Especfica, aplicado aos candidatos que optarem pelo Curso de Arquitetura e Urbanismo (1 opo), tem como finalidade bsica selecionar aqueles que comprovem sua vocao no campo do Desenho. Este teste ser vlido por trinta e seis meses, ou seja, o candidato que for aprovado no teste e no for aprovado no seletivo, ser dispensado do teste no perodo de validade deste. 2.2 OUTRA OPO O candidato dever, no ato de sua inscrio, optar por outro curso para concorrer ao Processo Seletivo, caso no obtenha aprovao no Teste de Habilidade Especfica.

  • 29

    2.3 AVALIAO a) As questes sero formuladas a partir dos trs itens do programa; b) A nota do Teste de Habilidade Especfica ser o somatrio das notas obtidas nas questes, perfazendo o mximo de 10 (dez) pontos; c) O nmero e os valores das questes sero variveis para cada teste, a critrio da banca de elaborao do teste; d) A nota mnima para o candidato ser aprovado 6 (seis) pontos; e) Os valores de cada questo constaro nas Instrues Gerais, anexo ao Teste de Habilidade Especfica. 2.4 CRITRIOS DE AVALIAO Ser avaliada a capacidade do candidato de representar por meio de desenho a mo livre, de memria, observao e ou criao:

    a) objetos, situaes rememoradas e temas criados; b) atendimento s propores; c) demonstrao de noes de volume, de perspectiva e de escala; d) luz e sombra; e) domnio do campo de trabalho (papel); f) capacidade de expressar graficamente sua viso espacial dos aspectos solicitados; g) limpeza no trabalho apresentado; h) uso correto do material solicitado; i) noes de relaes espaciais: simetria, equilbrio.

    2.5 PROGRAMA a) Desenho de observao, de criao e de memria; b) Forma e contorno de objetos; c) Texturas; d) Luz e sombra; e) Noes bsicas de composio; f) Proporo; g) Uso da cor. Os candidatos devero trazer para o teste de habilidade em Arquitetura e Urbanismo, obrigatoriamente, os seguintes materiais: lpis ou lapiseira com grafites macias: B, 2B, 6B; caixa de lpis de cor e borracha. 2.6 TEMPO DE DURAO Das 08h30min s 12h30min, 4 (quatro) horas sem intervalo. SUGESTO DE BIBLIOGRAFIA HALLAWEL, Philip. A mo livre. as linguagens e as tcnicas de desenho. So Paulo: Melhoramentos, 2006. WATSON, Lucy. Oficina de desenho. So Paulo: Ambientes e Costumes, 2011. GOMES, Luiz Claudio Gonalves. Composio visual. Curitiba: Do Livro Tcnico, 2012. Sugere-se tambm a bibliografia prevista nos programas de artes e desenho do ensino fundamental e mdio.

  • 30

    APNDICE E DEMONSTRATIVO DOS COMPONENTES CURRICULARES POR REA E DO NMERO DE QUESTES

    QUE COMPEM A PROVA OBJETIVA REFERENTE AO 1 DIA

    1 DIA 08/11/2015 (Prova objetiva, abrangendo contedos referentes aos componentes curriculares do ensino mdio) Para todos os Cursos

    REA COMPONENTES CURRICULARES

    N QUESTES

    Linguagens, Cdigos e suas Tecnologias

    Lngua Portuguesa, Literatura, Lngua Inglesa, Lngua

    Espanhola

    20

    Cincias Humanas e suas Tecnologias

    Histria, Geografia, Filosofia, Sociologia

    20

    Matemtica, Cincias da Natureza e suas

    Tecnologias

    Matemtica, Fsica, Biologia, Qumica

    20

    TOTAL 60

  • 31

    APNDICE F

    PERFIL DOS CURSOS REA TECNOLGICA Arquitetura e Urbanismo Bacharelado O Curso de Arquitetura e Urbanismo a mistura de arte e tcnicas na criao e organizao de esforos para moradia humana, de acordo com sua necessidade. Forma profissionais para atuar em diversos campos como: projeto de conjuntos arquitetnicos e monumentos; arquitetura paisagstica e de interiores; planejamento fsico, local, urbano e regional; desenvolvimento urbano e regional; paisagismo e trnsito, e servios afins e correlatos. O mercado de trabalho inclui empresa de construo civil, rgo de planejamento, empresas pblicas, escritrios particulares, firmas de arquitetura de interiores, mobilirio, desenho industrial e programa visual. Engenharia Civil Bacharelado O Curso de Engenharia Civil um dos cursos mais antigos da Universidade Estadual do Maranho. Apresenta-se como o ramo da engenharia responsvel pelo projeto de construo de obras como casas, edifcios, pontes, tneis, viadutos e estradas. O currculo pleno abrange contedo de clculo estrutural, materiais de construo, hidrulica, geotcnica, saneamento, transporte e construo civil. O profissional de Engenharia Civil pode exercer atividades de engenheiro de obras, engenheiro de fiscalizao e engenheiro projetista. Essas habilitaes tambm podem estar vinculadas ao ensino e ao desenvolvimento em pesquisas. O campo de atuao desses profissionais abrange empresas de consultoria, de projetos, empreiteiras, rgos governamentais, instituies de ensino e pesquisa, empresas pblicas, privadas e de economia mista. Engenharia da Computao Bacharelado O engenheiro da computao um profissional com formao plena em Engenharia, preparado em assuntos de computao para especificar, conceber, desenvolver, implementar, adaptar, produzir, industrializar, instalar e manter sistemas computacionais bem como perfazer a integrao de recursos fsicos e lgicos necessrios para o atendimento das necessidades informacionais, computacionais e da automao de organizao em geral, devendo ter, para isso, uma slida formao tcnico - cientfica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuao crtica e criativa na identificao e resoluo de problemas, considerando seus aspectos poltico-econmicos, sociais ambientais e culturais, com viso tica e humanista, em atendimento s demandas da sociedade. Engenharia de Produo Bacharelado O Curso de Engenharia de Produo objetiva formar profissionais capacitados a atuar na gesto de sistemas de produo que, numa definio genrica, so sistemas destinados a gerar bens e servios para o mercado consumidor. Para tanto, o curso basicamente oferece ao egresso com uma srie de ferramentas de gesto, de otimizao, de racionalizao dos processos produtivos efetuados nas instituies e empresas em geral. Diferentemente do curso dos ramos clssicos de Engenharia, este curso no focaliza nenhuma forma de processo produtivo em especial (mecnico, qumico, eltrico etc.), mas preocupa-se com a aplicao de ferramentas que permitam aumentar a eficincia desses processos, naquilo que lhes seja genericamente comum. Assim, frequentemente, o engenheiro de Produo ir ter, como referncia de abordagem, a verificao de certos parmetros relativos execuo dos processos, tais como custos, tempo, qualidade, gastos energticos, entre outros. Fundamentalmente, tratar de organizar quaisquer recursos produtivos, de qualquer gnero, da forma mais eficiente, consoante aos objetivos especficos do sistema de produo em que intervm.

  • 32

    Formao de Oficiais CFO CBMMA (Corpo de Bombeiro Militar/MA) O CFO-CBMMA um curso destinado a formar bombeiros militares ao posto inicial de Aspirante a Oficial Bombeiro da Carreira Militar at alcanar o posto de Capito, capacitando-os a desempenhar atribuies de comando, chefia e liderana sobre integrantes da tropa de bombeiros, nos servios operacionais afetos gerncia de pessoal e de atividades-meio no mbito administrativo e em aes tipicamente militares. Engenharia Mecnica Bacharelado O Curso de Engenharia Mecnica o ramo da engenharia responsvel pela elaborao de projetos, implantao, operao, manuteno de instalaes mecnicas diversas (oficinas, indstrias, fabricao de mquinas e produtos mecnicos, fbrica em geral). O profissional desta rea elabora e implanta sistema de produtos, de transmisso e de utilizao de calor, sistema de refrigerao de ar condicionado, cria ferramentas especficas, controla a qualidade, realiza auditoria, fiscaliza projetos industriais, cuida da manuteno de mquinas e equipamentos. Este curso tem como objetivo buscar maneiras de aproveitar os recursos naturais sem, no entanto, destruir o equilbrio ecolgico da natureza o que implica num controle de agentes poluentes nos processos industriais. REA DE CINCIAS SOCIAIS Administrao Bacharelado O objetivo do Curso de Administrao coordenar, controlar e dirigir empresas, buscando os melhores resultados em termos de produtividade. Administrao um curso de preparao profissional que habilita a gerir recursos de toda ordem, mediante o exerccio do planejamento, organizao, coordenao e controle, no mbito das organizaes de qualquer natureza ou parte, com vistas otimizao de seus resultados. O administrador responsvel pelo planejamento e pelo funcionamento de uma empresa, seja ela pblica ou privada. Direito Bacharelado

    Alm de promover a formao geral e humanstica,a capacitao de profissionais investigativos, comprometidos com a qualidade, o desenvolvimento do seu campo de atuao e a responsabilidade com as questes sociais e ambientais capazes de se adaptarem s mudanas que se verificam no mundo, o Curso de Direito da UEMA busca formar egressos generalistas, com aptido para apreenso de conceitos, argumentos, domnio das competncias e habilidades para sua futura rea de atuao, seja como advogado, juiz de direito, promotor de justia, procurador, delegado, entre outras opes que permite o Curso de Bacharelado em Direito. Ressalta-se que o Curso de Direito preparar bacharis no apenas para se fazerem profissionais consistentes dentro das estruturas jurdicas operacionais postas, mas, tambm, para ocuparem espaos na construo de uma transmodernidade inovadora para o Direito. Formao de Oficiais CFO (Polcia Militar/MA)

    O CFO um curso destinado a formar Oficiais Policiais Militares ao nvel de 2 Tenente at o Posto de Capito, capacitando-os a desempenhar atribuies de comando, chefia e liderana sobre integrantes Militares, nos servios operacionais afetos gerncia de pessoal e de atividades-meio no mbito administrativo e em aes tipicamente militares.

  • 33

    Cincias Sociais Bacharelado e/ou Licenciatura O Curso de Cincias Sociais visa formar cientistas sociais capazes de produzir conhecimentos sobre a realidade com vista a colaborar e interferir no desenvolvimento sociopoltico do pas e em especial do Estado do Maranho. O profissional formado em Cincias Sociais deve possuir a capacidade de atuar em instituies pblicas e privadas dedicadas ao ensino, pesquisa, consultoria e assessoria, assim como desenvolver atividades voltadas para a elaborao, planejamento, execuo, coordenao e superviso de programas e projetos em diversas reas atinentes realidade social. REA DE CINCIAS AGRRIAS Engenharia Agronmica Bacharelado O Curso tem por objetivo formar profissionais capazes de promover, orientar e administrar a utilizao dos fatores de produo, visando racionalizar a produo vegetal e animal, em harmonia com o ecossistema. O Curso de Agronomia prepara profissionais para planejar e dirigir servios relativos rea rural, irrigao e drenagem, construes rurais, topografia e aerofotogrametria; elaborar, assessorar e executar projetos que visam implantao de novos mtodos e prticas agrcolas; explorar racionalmente a produo animal; supervisionar e orientar tecnicamente programas e campanhas para controle e combate de pragas e doenas da produo vegetal; planejar, coordenar e executar trabalhos relacionados morfologia e gnese, classificao, fertilidade, microbiologia, uso, manejo e conservao do solo; orientar e supervisionar o manejo e a produo de essncias florestais. Engenharia de Pesca Bacharelado O curso tem como objetivo qualificar profissionais em Engenharia de Pesca, com conhecimentos tericos e prticos nos mbitos de criao, manejo, nutrio, alimentao, reproduo e melhoramento de animais aquticos, captura e conservao do pescado, bem como socializar conhecimentos em busca de melhorias ao homem. O artigo 3 da RESOLUO CNE/CES n 011/2002, que institui as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduao em Engenharia, registra o perfil do formando egresso/profissional da Engenharia de Pesca, com formao generalista, humanista, crtica e reflexiva, apto a compreender e traduzir as necessidades de indivduos, grupos sociais e comunidade, com relao s atividades inerentes ao exerccio profissional, nos campos especficos de atuao, quanto ao aproveitamento e manejo dos recursos naturais aquticos; ao cultivo e utilizao sustentvel da riqueza biolgica dos mares, ambientes estuarinos e guas interiores, pesca e ao beneficiamento do pescado; ecologia e sustentabilidade ambiental. Deve ser capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando sua atuao crtica e criativa na identificao e resoluo de problemas, considerando seus aspectos polticos, econmicos, sociais, ambientais e culturais, com viso tica e humanstica, em atendimento s demandas da sociedade da rea onde atua, no Brasil ou no mundo. O curso de Engenharia de Pesca atuar em trs reas de conhecimento tais como: Aquicultura e Ecologia Aqutica, Tecnologia do Pescado e Pesca e Extenso Pesqueira. Medicina Veterinria Bacharelado um curso de preparao profissional para cuidar de animais domsticos, rebanhos e criaes, fazer exames clnicos, diagnsticos e prescrever tratamentos; controlar as condies de higiene em produtos de origem animal, destinados alimentao, fiscalizar processamentos e comercializao dos produtos de origem animal e diversos; atuar na preveno e controle das zoonoses. O Mdico Veterinrio faz controle sanitrio de alimentos em feiras, bares e restaurantes, inspecionando locais de vendas e os produtos de origem animal; trabalha com ginecologia, obstetrcia e tcnicas de inseminao artificial; desenvolve pesquisa de processos de melhoria gentica de animais domsticos, aves entre outros; desenvolve trabalho de pesquisa, nos laboratrios de diagnsticos, e investigao cientfica nas diversas reas de atuao, tais como: Clnica Mdica, Clnica Cirrgica, Medicina Veterinria Preventiva e Produo Animal, objetivando a

  • 34

    preveno animal e do homem. Trabalha como autnomo, presta servios para as agroindstrias ou fazendas. As reas mais promissoras so Odontologia, Oftalmologia, Psicologia Animal, Produtos de Origem Animal, Reproduo e Animais Silvestres. Zootecnia Bacharelado O curso tem finalidade de formar profissionais para prestar assistncia, assessoria e consultoria nas reas de produo animal caracterizada como o seu campo prioritrio de atuao. Este profissional busca o melhoramento gentico dos animais, aliado nutrio e alimentao animal, desenvolvendo, ainda, a capacidade de gerar e aplicar conhecimentos cientficos s criaes, explorando-as economicamente, objetivando maior produtividade e lucratividade. As habilitaes desejadas na formao do Bacharel em Zootecnia incluem as cadeias agroindustriais de carne, leite, ovos, fibras animais e outros produtos de interesse zootcnico, produo e processamento de raes e alimentos para animais, a cadeia de criao animal para lazer e companhia, planejamento, consultoria e assistncia agropecuria, gesto empresarial e marketing, gesto ambiental e sustentvel do agronegcio, desenvolvimento e poltica agrcola; docncia, pesquisa e extenso. Engenharia Florestal Bacharelado

    O Engenheiro Florestal o profissional de nvel superior capaz de utilizar racionalmente os recursos disponveis na natureza, oportunizando a conservao e o equilbrio do ambiente, com vistas produo sustentvel e gesto dos recursos naturais que a contemporaneidade exige para o bem social. Destacam-se, entre outras, as seguintes funes do Engenheiro Florestal: silvicultura e proteo florestal; inventrio e manejo de ecossistemas florestais; mecanizao, colheita e transporte florestal; tecnologia de produtos florestais; biotecnologia florestal; ecologia; avaliao e proteo da biodiversidade; aspectos sociais e econmicos do meio ambiente florestal; ecoturismo; projetos de parques e jardins; avaliao de impacto ambiental e recuperao de reas degradadas em conformidade com os princpios de desenvolvimento sustentvel; e adoo de atitudes de acordo com a tica profissional e respeito ao meio ambiente. Tecnologia em Agroindstria

    O tecnlogo em Agroindstria planeja, executa e controla a qualidade das etapas do processo de produo agroindustrial, contemplando a obteno, o processamento e a comercializao de matrias-primas de diversas origens, insumos e produtos finais. Este profissional atua em empresas de beneficiamento de produtos de origem animal e vegetal, colaborando em estudos de implantao e desenvolvimento de projetos economicamente viveis, ocupando-se, ainda, da gesto de atividades referentes ao emprego adequado de equipamentos agroindustriais, em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias alternativas para aproveitamento de produtos e subprodutos agropecurios, sempre contemplando o aspecto ambiental. Tecnologia do Agronegcio O tecnlogo do Agronegcio atua na gesto administrativa, financeira e tributria de propriedades rurais, cooperativas e associaes agrcolas; atua na gesto e na negociao com os mercados local, regional e nacional; acompanha a produo da atividade rural e de outros empreendimentos novos ou j consolidados; equaciona problemas e solues, introduz modificaes e atua preventivamente, com uma ampla viso de toda a cadeia de produo.

  • 35

    Tecnologia em Gesto Ambiental

    O tecnlogo em Gesto Ambiental planeja, gerencia e executa as atividades de diagnstico, avaliao de impacto, proposio de medidas mitigadoras corretivas e preventivas recuperao de reas degradadas, acompanhamento e monitoramento da qualidade ambiental. Regulao do uso, controle, proteo e conservao do meio ambiente, avaliao de conformidade legal, anlise de impacto ambiental, elaborao de laudos e pareceres so algumas das atribuies deste profissional, podendo elaborar e implantar ainda polticas e programas de educao ambiental, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida e a preservao da natureza.

    REA DE CINCIAS EXATAS E NATURAIS Qumica Licenciatura O Licenciado em Qumica um profissional com formao abrangente para trabalhar nos diversos campos da Qumica e em todas as suas modalidades fundamentais, alm de possuir do domnio das tcnicas bsicas de utilizao de laboratrios e seus equipamentos, possuir conhecimentos humansticos e pedaggicos que lhe d condies de exercer plenamente sua cidadania e a profisso de educador. Destina-se a formar professores de Qumica para atuarem como educadores no Ensino Fundamental, Mdio e Superior. Tal formao deve possibilitar o entendimento do processo histrico de construo do conhecimento na rea de Qumica no que diz respeito a conceitos, princpios e teorias. O profissional de Qumica Licenciatura dever ter tambm a predisposio para pesquisa, produzindo e divulgando este conhecimento, para, desta forma, desenvolver a capacidade de autonomia. Fsica Licenciatura O Licenciado em Fsica, apoiado em conhecimentos slidos e atualizados em Fsica, deve ser capaz de abordar e tratar problemas novos e tradicionais e deve estar sempre preocupado em buscar novas formas do saber e do fazer cientfico ou tecnolgico. Em todas suas atividades, a atitude de investigao deve estar sempre presente, embora associada a diferentes formas e objetos de trabalho. Dentro deste perfil geral, podem-se distinguir perfis especficos que podem ser tornados como referencial para o delineamento de perfis desejveis dos formandos em Fsica, como referencial da diversificao curricular proporcionada por meio de mdulos sequenciais complementares ao ncleo bsico comum. Cincias Biolgicas Licenciatura O profissional do Curso de Cincias Biolgicas do CECEN/UEMA ser um educador e, como tal, deve atuar no processo de construo de conhecimento, utilizando as mais eficazes ferramentas para ensinar e promover a aprendizagem de crianas, jovens e adultos, alm de atuar em pesquisa, projetos, anlises, percias, fiscalizao, emisso de laudos, pareceres e outros servios nas reas de meio ambiente. Matemtica Licenciatura O Curso de Licenciatura em Matemtica prope-se a formar professores para o Ensino Fundamental, Mdio e Superior. Dever ter conscincia de matemtico junto a sua comunidade e de sua responsabilidade como educador nos vrios contextos de sua atuao profissional, assim como: dever ter uma formao bsica ampla e slida com a adequada fundamentao terico-prtico necessria para o bom desenvolvimento de sua prtica educativa, devendo alm do domnio dos contedos especficos s suas habilitaes, dominar os contedos genricos que so os que possibilitaro o desenvolvimento de um trabalho pedaggico em sala de aula, comprometido com a produo do saber sistematizado, com a formao do cidado, capacitando-o a participar, conscientemente, da evoluo tecnolgica. Os profissionais

  • 36

    do magistrio em Matemtica so comprometidos com o mtodo cientfico de trabalho, enfatizando os comportamentos de observao, a anlise e o esprito crtico. REA DE EDUCAO Letras Licenciatura O Licenciado em Letras o profissional que investiga e utiliza a linguagem e a literatura (nacional ou estrangeira) como instrumento terico indispensvel ao exerccio de suas atividades profissionais. Tem como principal atividade proporcionar os meios de comunicao do corpo discente, enquanto professor de Lngua e Literatura Nacional e Estrangeira, em sua forma escrita ou falada. Os professores com diploma para licenciatura em Letras esto habilitados a lecionar Lngua Portuguesa e Lngua Estrangeira de acordo com a natureza do curso e lecionar Lngua Portuguesa e Literaturas Portuguesa e Brasileira, podendo exercer atividades diversas, como tradutor, revisor e consultor em instituies de pesquisas de servios pblicos, em empresas de turismo, de jornalismo, em rgo de difuso cultural e artstica; em agncia de publicidade, em representaes diplomticas e em editoras Pedagogia Licenciatura O que se exige do Licenciado em Pedagogia que ele seja capaz de exercer a docncia com competncia, sentir os desafios, de pensar as suas aes, propor mudanas, participar criticamente na construo de uma escola de forma que atenda s exigncias dos diversos grupos sociais. Tal demanda requer deste profissional as capacidades de saber conhecer, saber fazer, saber ser, saber conviver e saber empreender, necessrios ao dinamismo da realidade social. O Curso de Licenciatura em Pedagogia est estruturado para possibilitar ao futuro pedagogo ser capaz de: atuar na docncia da educao bsica de mane