Educação Ambiental no Assentamento Filhos de Sepé

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista Para Onde?! - Revista eletrônica PET Geografia/UFRGS, v. 01, 2007

Text of Educação Ambiental no Assentamento Filhos de Sepé

Para Onde!? N. 1 Revista eletrnica Pet GeograIia/UFRGS33 EDUCACO AMBIENTAL NO ASSENTAMENTO FILHOS DE SEP: CONTRIBUICES DE UMA EXPERINCIA1,2 Grupo PET-GeograIia3 Resumo Esteproietotemcomoobietivoodesenvolvimentodeatividadesligadasaeducaco emumassentamentodareIormaagraria.Apartirdodesenvolvimentodeumdiagnostico socio-cultural de percepco ambiental no local, tracamos o obietivo Iundamental deste proieto seguinte, que consistena ampliaco dos conceitos de ambiente, natureza, ecologia e educaco ambiental das criancas, iovens e adultos do assentamento, com especial atenco na superaco davisoantropocntricaeindividualistapredominantenasociedadeocidental.Eleesta estruturadoemtrspilaresIundamentais:DimensoHistorico-Cultural,DimensoSocio-EconmicaeDimensoBiogeograIica.Estasdimensesnospossibilitaroum desenvolvimento mais abrangente das experincias vividas, da relaco com o meio ambiente, da relaco com os movimentos do campo, das diIiculdades enIrentadas, etc. Paraatingirmososnossosobietivos,utilizaremososmaisdiIerentesrecursos pedagogicos,desdeosmaistradicionais,atautilizacodoteatro,damusica,dosmapas mentais, etc. O descaso que existe em relaco a educaco por parte dos governantes em nosso pais, somado com a necessidade de incluir aqueles que esto a margem de nossa sociedade, motiva oPET(ProgramaEducacoTutorial)GeograIiaaodesenvolvimentodestaatividadeto instigante que a educaco ambiental. Palavras-Chave:EducacoAmbiental,Assentamento,DimensoHistorico-Cultural, Dimenso Socio-Econmica, Dimenso BiogeograIica. 1 Relatorio de Pesquisa 2 Artigo Publicado XVI SIC 3AnaStumpIMitchell:FabioGuadagnin:FelipeSilveiradeSouza:FernandoMousquer:GustavoLuisFerri Furini: Judeci da Silva: Marcia Milene Mller: Neudy Alexandro Demichei: Tiago Oliveira Nicoloso.: ProI. Dr. Rosa Maria Vieira Medeiros. Educaco Ambiental no Assentamento Filhos de Sep: Contribuices de uma Experinciap. 3347.34 1. Introduco E pertinente ao Ministrio da Educaco (MEC), segundo a legislaco vigente, tornar a EducacoAmbientalpartedoitinerariodetodososalunoseeducadores,tornando-aparte essencialnaeducacodetodososcidados.AEducacoAmbiental,noentanto,porrazes diversas,ounoestaaoalcancedasinstituicestradicionaisdeensino,ouestainseridade Iorma insatisIatoria. Nomomentodarealizacododiagnostico,oassentamentoapresentavaaindagrande parte das residncias em condices precarias, algumas delas construidas de lonas. As poucas casasdealvenariasoherancadasantigasinstalacesdaFazendaSantaF,ounocaso especiIicodosetorD,resultantesdodinheiroadquiridoapartirdavendadamatade eucaliptos existente no momento de instalaco do assentamento, naquelelocal. Esta situaco ocorreemvirtudedequegrandepartedosassentadosaguardaorecebimentodaverba destinada a moradia. Alm do problema da moradia, existem diIiculdades quanto ao Iornecimento de agua e deenergiaeltrica.Visandoamenizarestesproblemas,algumasIamiliasuniram-separaa construcodepocosartesianos,entretantoestainiciativaIicourestritaaquelasIamiliasque tinhamacessoaenergiaeltrica.PensamosquenamedidaemqueosrecursosIorem liberados,ascondicesdemoradiatendemamelhorar,iuntamentecomosproietose investimentos Iederais de instalaco de rede eltrica e de saneamento basico. Apartirdestasituaconaqualseencontraoassentamento,podemosinIerirqueuma das principais premissas para a concretizaco do assentamento, da reIorma agraria, na area de estudo so os investimentos Iederais e estaduais em inIra-estruturas basicas. Porm, as verbas aprovadasparaesteassentamentoatomomentonoIoramliberadas,diIicultandoobom desenvolvimentodoproieto.CabelembrarqueasdimensesdoassentamentodiIicultama organizacodosassentados,tantoemrelacoaoMST,quantoemrelacoaproduco.Esta situacomaximizadaporprecariascondicesapresentadaspelasviasinternasdo assentamento. UmadasIormasdeamenizarestasdiIiculdadesIoiaconstrucodasagrovilas, entretanto,apenas isso no suIiciente, nesse sentido, existe uma tentativa de reorganizaco espacial, a partir da diviso do assentamento em cinco assentamentos menores, obedecendo a atual organizaco dos setores. Para Onde!? N. 1 Revista eletrnica Pet GeograIia/UFRGS35 Existemtambmanecessidadedeadaptaco,tantodecaraterculturalcomo ambientais,vistoque,aregiodeorigemdamaioriadosassentados,onoroestedoRio Grande do Sul, caracteriza-se por ser uma area de colonizaco de varias etnias, sobretudo de italianos e alemes eapresenta determinadas caracteristicas ambientais onde desenvolveram-semaisIacilmenteoscultivosdemilho,trigoesoia.Noassentamentoessascaracteristicas ambientaissobastantediIerentes,obrigandoosassentadosaadotaremnovaspraticasde cultivoedeorganizacosocio-espacial.AIormaencontradaparasuperarasdiIiculdadesde adaptacoestabastantecalcadanacoletividadedasatividades,tantodaproducoquantoda busca das inIra-estruturas necessarias.A coletividade, que em principio nos parece ser um bom caminho para a superaco das diIiculdadesdeadaptacoedeinIra-estruturas,esbarraemdivergnciasreligiosasque Iicaramguardadasduranteoperiododeacampamento.Ondeaspraticasecumnicaseram promovidaseacoletividadetratadacomocaminhoparaaconquistadaterra.DeIormaque aquelesassentadosquepermanecerampormaistemponoacampamentoapresentammaior tendncia a coletividade, existindo, portanto, uma relaco entre o tempo de acampamento e a disposicoaspraticascoletivas.Nomomentoposterioraoacampamento,iaassentadas,as Iamiliastendemarestaurarseuscredos,issoIicabastanteclaronoIatodaexistnciade templosdediversasreligiesdentrodoassentamento.Historicamenteapartirdesuas pastoraisasIgreiasCatolicaeLuterana,possuemumaligacoaoMST,Iacilitandoa organizacodomovimentoeacoletividadenossetoresondeestaspredominamouatuam mais Iortemente.Noqueserelacionaaosetoreconmicoimportanteressaltarquealgumasdas questestornamacoletividadedaproducoasaidamaisviavelemvirtudedosgrandes investimentos necessarios a mecanizaco, que em virtude dos aspectos levantados, ambientais e econmicos, esta posta para este assentamento. AsatividadesIoradoassentamentooumesmodentrodestequenosoligadasa producoagricola:ematividadescomoeletricistas,cabeleireiros,Iuncionariodeindustria, etc, serviram num primeiro momento para superar as diIiculdades Iinanceiras enIrentadas em virtude do atraso de investimentos governamentais. Entretanto atualmente essa pluriatividade atrapalha a identiIicaco do individuo com o grupo de assentados Iragilizando as relaces de producocoletiva.TaisaspectossodiIiceisdeseremevitadosemvirtudedequea localizacodentrodaRegioMetropolitanadePortoAlegreoIerecemuitasoportunidadese podem se tornar um enclave a continuidade do assentamento dentro do ideal do campesinato. Educaco Ambiental no Assentamento Filhos de Sep: Contribuices de uma Experinciap. 3347.36 ExistemgrandesdiIerencasquandoaIormadeproduzir,coletivas,individuaisou cooperativadas.Tambm,ocorremdiIerencasemrelacoasuacomercializaco,tal disparidade parece encontrar no dialogo o resultado para sua . Os problemas de ordem inIraestrutural necessitam serem sanados para o melhor andamento e diversiIicacodaproducoocasodasquantidadelimitadadeagua,asmascondicesdas vias,aconclusodosproietosdeeletriIicacoearegulamentacodoIornecimentodeagua. Napartemaistcnicaexisteumadisparidadebastantegrandeemrelacoaodominiode tcnicas de cultivo do arroz, entende-se que as reunies que vem sendo realizadas e um apoio eIetivoporpartegovernamentalnaoIertadeassistnciatcnicadeveminimizaresse problema a mdio prazo. Noutro aspecto, o Municipio de Viamoia possui um historico de ocupaco dos areas devarzeasdesdeadcadadosanossetentaparaocultivodearroz.Portanto,apartirdesta poca,proIundasalteracesIoramestabelecidassobreestemeio,comodrenagensdesolos, terraplanagens,canalizaces,etc.Apropriaconstrucodabarragemexistentedentrodo assentamento um exemplo disto. Ainda assim, mesmo com tantas alteraces, existem ainda areasemconsideravelcondicodepreservaco,tantodaIloracomodaIauna.Estasituaco nos remete a ausncia de um Plano de Maneio da APA, ou doassentamento como um todo. Pois inIraestruturas instaladas como a barragem ia esto 'harmonizadas ao meio, e seu uso e manuseiopodetergrandesimpactossobreessaestabilidade.Soproblemasquetmcomo resultados a degradaco deste ambiente, o incentivo ao desrespeito de leis ambientais, pouco conhecidas, em Iim, uma grande Ialta de um governo que tanto cobra a preservaco. Este Iatores associados a Ialta de conhecimento deste novo ambiente pelos assentados esuasidiasbastanteIragmentadassobrepreservaco,anecessidadededemocratizacodos conhecimentosemagroecologiaapontamparaanecessidadedeumaatividadeeducativade caraterambiental,paraaconstrucodeumproietodeeducacoambientalbaseadonas necessidades desta comunidade. Partindododiagnosticosocio-culturaledepercepcoambientalquerealizamosno AssentamentoFilhosdeSep,chegamosaconclusodequepoderiamoscontribuiriuntoao mesmo com um trabalho de EducacoAmbiental, levandoa uma comunidade de assentados aquiloqueobrigacodoEstadooIereceredireitodetodosreceber:educacogratuita,de qualidade, com ideais libertarios, socialmente e ecologicamente responsavel. Nesse sentido, o obietivoIundamentaldenossotrabalhoIoiampliarosconceitosdeambiente,natureza, ecologiaecidadaniadascriancas,iovenseadultosdoAssentamentoFilhosdeSep,com Para Onde!? N. 1 Revista eletrnica Pet GeograIia/UFRGS37 especialatencoasuperacodavisoantropocntricaeindividualistapredominantena sociedade ocidental. Tal ampliaco exige uma mudanca de atitude e postura dos educadores e, conseqentemente, tambm dos educandos. Quanto aos obietivos especiIicos, Ioram eles:xDiscutircomosassentadosaquestoambientalesuascorrelacescomasquestes econmicas e sociais:xDiscutirainsercodaAreadeProtecoAmbientaledoReIugiodaVidaSilvestre iunto ao Assentamento: xCompreenderaimportnciadoBanhadoGrandeparaoAssentamentoepararegio metropolitana: xDesenvolveroentendimentodasquestesambientaisesuaestreitarelacocoma saude: xDiscutiraorganizacolocalcomoIormaderesistnciasocialecomobasepara atividades ambientalmente viaveis: xReconhecer as especiIicidades locais e suas relaces com as diIerencas regionais. Educaco Ambiental no Assentamento Filhos de Sep: Contribuices de uma Experinciap.