Eliana Anjos Furtado Maria Clara Bueno Fischer

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Eliana Anjos Furtado Maria Clara Bueno Fischer

  • ARTIGO ARTICLE

    Resumo A experincia docente e profissional emterapia ocupacional indica uma formao acadmicalimitada em relao aos seguintes aspectos: o serterapeuta ocupacional e suas implicaes tcnicas emetodolgicas; o compreender e o assimilar o perfilprofissional e, ainda, o entender o papel da atividadehumana como recurso teraputico. Para contribuircom tais lacunas, desenvolveu-se o Mtodo da Escava-o, criado com base na prtica clnica e acadmica.Neste artigo, o mtodo apresentado e analisado con-siderando as relaes terico-metodolgicas entre aprtica clnica, a formao acadmica em terapia ocu-pacional e a abordagem ergolgica. A argumentaodesenvolvida resultou de um estudo de caso reali-zado em pesquisa de doutorado. Os dados foram cole-tados em documentos, entrevistas semiestruturadase observao do Grupo de Estudos sobre AtividadeHumana (Geah) do Instituto Metodista de Porto Ale-gre (IPA). Concluiu-se que h convergncias entre oMtodo da Escavao e o Dispositivo Dinmico a TrsPolos. A vivncia do mtodo permitiu a confrontaoe o entrecruzamento de saberes e valores entre o poloda experincia e o polo conceitual que compem a te-rapia ocupacional. Os discentes renormatizaram sabe-res e ressignificaram suas vidas cotidianas e experin-cias de trabalho, reafirmando o poder teraputico ecriador da atividade humana.Palavras-chave ergologia; terapia ocupacional;Mtodo da Escavao; atividade humana; saberes.

    MTODO DA ESCAVAO EM TERAPIA OCUPACIONAL: UM DISPOSITIVO DINMICO

    A TRS POLOS?

    METHOD OF EXCAVATION IN OCCUPATIONAL THERAPY: A DYNAMIC, THREE-POLE DEVICE?

    Eliana Anjos Furtado1

    Maria Clara Bueno Fischer2

    Abstract The experience of teaching and workingin occupational therapy has indicated some educa-tional gaps in the professional education in the field:the very nature of being occupational therapist andits technical and methodological implications; theunderstanding and identification of the workers withthe field and, also, the role of human activity as atherapeutic resource. In order to give a contribu-tion to resolve it, it has been developed the so calledExcavation Method that was created on the basis ofacademic and clinical practice. In this article, the me-thod is presented and analyzed considering the theo-retical and methodological relations between practice(academic and clinical) and the ergologic approach.The argument is based on a case study undertaken ina PhD course. The field work was developed with agroup called Study Group of Human Activity (Geah)of the Methodist Institute of Porto Alegre (IPA). Themain conclusion is that the Excavation Method andthe Tree Poles Dynamic Dispositive have strong rela-tionship. The method allowed confrontation and in-terchanging of knowledge and values between thosepeople situated in the pole of experience and those ofthe conceptual pole, in the field of occupational the-rapy. The students renormalized their knowledge andgave new meaning for their daily life and workingexperience confirming the therapeutic and creationalpower of human activity.Keywords ergology; occupational therapy; Excava-tion Method; human activity; knowledge.

    Trab. Educ. Sade, Rio de Janeiro, v. 9, supl.1, p. 175-199, 2011

    175

  • A experincia docente e profissional em terapia ocupacional (TO) atesta quea formao acadmica tem deixado lacunas no que diz respeito condi-o de terapeuta ocupacional, bem como ao fazer dessa profisso e direta-mente implicada nessa questo limitada compreenso do lugar da ati-vidade humana como recurso teraputico. Nesse contexto de buscas peloaperfeioamento da formao acadmica em TO, situa-se o objeto de dis-cusso deste artigo: o Mtodo da Escavao. Criado na prtica clnica e aca-dmica, o mtodo foi analisado em uma investigao realizada em nvel dedoutorado, considerando as relaes terico-metodolgicas entre tal prticaem TO e a abordagem ergolgica.

    O objetivo geral do estudo foi investigar se o processo de escavao seconstitui em um Dispositivo Dinmico a Trs Polos (DDP3), considerandoque ocorre a partir da experimentao e da confrontao entre os saberesproduzidos no processo de escavao e os saberes da formao humana dosalunos participantes do Grupo de Estudos sobre Atividade Humana (Geah)do Instituto Metodista de Porto Alegre (IPA).

    Argumenta-se que o mtodo tem uma contribuio significativa paraa formao de terapeutas ocupacionais especialmente no que concerne aressignificar o lugar da atividade humana, tanto no processo de formaoinicial em TO como na prtica clnica , pois o mtodo constitui-se em umDDP3 na perspectiva ergolgica.

    A pesquisa de cunho qualitativo do tipo exploratrio configurou umestudo de caso. Utilizaram-se como procedimentos de coleta de dados a en-trevista e a observao das atividades do Geah. Tais procedimentos permi-tiram conhecer as percepes e as experincias decorrentes da realizaodas atividades prescritas e reais de trabalho dos alunos participantes, bemcomo o processo de ensinar e aprender as tecnologias da TO, a partir daanlise do modo como se processam as relaes entre o vivido nas ativida-des de trabalho, o ensino das tecnologias ocupacionais e a forma como estasso percebidas pelos alunos.

    O caso foi composto por documentos institucionais, como a sntese do pro-jeto poltico-pedaggico do curso de terapia ocupacional do IPA e o projeto deatividade complementar do curso. Compe tambm a apresentao da propos-ta do Mtodo da Escavao elaborada pela autora da tese (ver N. do Ed.). Aanlise dos dados foi desenvolvida por meio de teorizaes progressivas, em umprocesso interativo com a coleta de dados. A opo de anlise do material qua-litativo foi a hermenutica dialtica complementada pela triangulao de fontes.

    A pesquisa aconteceu nas dependncias do IPA, no Laboratrio de Ativi-dades e Recursos Teraputicos, entre os anos de 2006 a 2010. A populao dapesquisa foi composta pelo docente coordenador e por 13 alunos de diferen-tes semestres do curso de TO, participantes do Geah durante os quatro anosda pesquisa.

    Trab. Educ. Sade, Rio de Janeiro, v. 9, supl.1, p. 175-199, 2011

    176 Eliana Anjos Furtado e Maria Clara Bueno Fischer

  • O Mtodo da Escavao

    O Mtodo da Escavao foi experimentado pelo Geah e iniciou suas ativi-dades no segundo semestre de 2005. Em 2006, pela avaliao positiva docolegiado do curso, foi institudo como atividade acadmica curricular com-plementar at 2009, ano do seu encerramento.

    Seu objetivo inicial era desenvolver uma atividade acadmica que arti-culasse experimentao de atividade de ensino diferenciada e prtica inves-tigativa com os alunos. Caracterizou-se pela promoo de vivncias, explo-rao e discusso acerca das atividades intelectuais, corporais e expressivase, ainda, pelo estudo sobre desenvolvimento e prescrio de atividades emTO. A dinmica do grupo promoveu o desenvolvimento da capacidade per-ceptiva e de observao dos alunos sobre a atividade humana3.

    O projeto do Geah apresenta o entendimento de que a atividade a es-sncia do ser humano e, por meio dela, o homem cria-se e recria-se. J a TOconsidera que o fazer como recurso teraputico um instrumento que pos-sibilita ao ser humano reconstituir-se ocupacionalmente e dar sentido suaexistncia. Segundo Quarentei (2001), a TO est intensamente envolvidacom a produo da vida, com a criao do existir, dos modos de estar nomundo e da prpria construo de mundos. Essa compreenso advm dofato de que a vida humana constitui-se em um continuum de atividade. Por-tanto, o entendimento sobre tais atividades e o seu lugar teraputico devemser estudados pelos terapeutas ocupacionais em sua completude e complexi-dade, considerando os aspectos histricos, polticos, sociais, culturais, est-ticos e ticos implicados.

    A experincia do grupo em que se experimentou o mtodo na sua di-menso de ensino aconteceu em um espao de realizao de atividades,assim como de sua anlise como recurso teraputico. O objetivo foi possi-bilitar aos alunos uma vivncia do agir teraputico, em contexto de apren-dizagem, sendo a relao com o saber um processo experiencial, reflexivoe criativo, em que docente e discente viveram experincias em comum,de modo a no se colocarem a priori em uma hierarquia de saber. A vivn-cia crtica da liberdade do aluno e do docente no ato de aprender fazendoorientou a proposta de formao acadmica intitulada Mtodo da Escavao.

    O funcionamento do grupo ocorreu em encontros semanais de duas horas,aps o horrio acadmico regular, com a realizao de atividades prescritaspelo coordenador do Geah e acordadas com os alunos. As tarefas aconteciamdurante os encontros, a fim de valorizar a experincia de estar em grupo, emdesenvolver exerccios perceptivos e observaes, sobre o acontecido du-rante as atividades, sua anlise e combinaes para os prximos encontros.

    Importante destacar que o coordenador do grupo participava com osalunos das atividades e do processo de anlise das mesmas, colocando-se na

    Trab. Educ. Sade, Rio de Janeiro, v. 9, supl.1, p. 175-199, 2011

    177Mtodo da Escavao em terapia ocupacional: um dispositivo dinmico a trs polos?

  • condio de se ver e se experienciar na atividade. Isto , radicalizava-se oexerccio de confrontao entre sujeito e atividade realizada.

    A proposta pedaggica do mtodo propunha a experincia de ativi-dades durante os encontros e sua anlise; a leitura de textos ligados ao tema,escolhidos pelo coordenador a partir do cronograma das atividades a rea-lizar ao longo do desenvolvimento do grupo; a confrontao com a teoriadesenvolvida em aula; a escolha de um relator semanal, para a produo derelatrio a cada encontro; e, como tarefa final, a escrita de um artigo.

    O Mtodo da Escavao originou-se da prtica clnica e docente dapesquisadora Eliana Furtado em seus trinta anos de atividades, sustentadainicialmente nos estudos de Foucault sobre genealogia e arqueologia dosaber. O processo de experimentao originou uma nova abordagem clnicade indicao das atividades4 por me