Click here to load reader

Em Astronomia chamamos de Universo o espaço com a matéria e energia que o formam. A Cosmologia estuda a origem, a estrutura e a evolução do Universo ou

  • View
    106

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Em Astronomia chamamos de Universo o espaço com a matéria e energia que o formam. A Cosmologia...

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Em Astronomia chamamos de Universo o espao com a matria e energia que o formam. A Cosmologia estuda a origem, a estrutura e a evoluo do Universo ou de partes componentes deste, tal como um sistema planetrio.
  • Slide 3
  • Muitos foram os seres humanos que dedicaram as suas vidas ao estudo das cincias e da descoberta da origem do Universo. Dentre as principais descobertas e teorias desenvolvidas podemos citar : 1914 Albert Einstein enuncia a Teoria da Relatividade, mostrando a equivalncia entre matria e energia.
  • Slide 4
  • 1927 O astrnomo belga Georges Lemaitre sugere que, inicialmente, toda a matria do Universo estava concentrada em um nico lugar: o ovo csmico ou tomo primordial. 1929 Edwin Hubble, baseado em suas observaes, enuncia sua famosa lei segundo a qual a velocidade com que uma galxia se afasta de ns est relacionada com a sua distncia at ns, e, portanto, com o tempo. Esta foi a primeira evidncia da expanso do Universo.
  • Slide 5
  • 1950 Herman, Gamow e Alpher propem a Teoria do Big-Bang (nome sugerido por Hoyle para o evento que d incio ao Universo). 1965 Os fsicos americanos Arno Penzias e Robert Wilson detectam a radiao csmica de fundo, equivalente radiao emitida por um corpo negro a uma temperatura de 2,7K.
  • Slide 6
  • Perodos da Formao das estruturas: * Formao das estrelas 200 milhes de anos aps o Big Bang * Formao das galxias 500 milhes de anos aps o Big Bang * Formao do Sistema Solar 5 bilhes de anos atrs * Formao da Terra 4.5 bilhes de anos
  • Slide 7
  • Para anlise do Universo temos de basear no estudo da fora gravitacional, que a nica das quatro interaes fundamentais que apresenta uma atuao em distncias muito grandes. De fato, as foras nucleares forte e fraca esto restritas a distncias da ordem do dimetro do ncleo do tomo e, como os corpos macroscpicos so eletricamente neutros, tambm eliminamos a atuao das foras eletromagnticas
  • Slide 8
  • Uma primeira anlise do Universo, estudado como um todo, foi feita por Isaac Newton (1642- 1727). O Universo era tratado como infinito e homogneo, com os corpos celestes ordenadamente distribudos. A interao gravitacional era suposta com propagao instantnea.
  • Slide 9
  • A anlise do Universo como um todo foi refeita por Einstein (1879-1955), que utiliza como ferramenta a Teoria da Relatividade Geral publicada em 1916. A gravitao deixa de ser tratada como uma fora e passa a significar uma distoro na estrutura do espao-tempo, considerados de forma conjunta.
  • Slide 10
  • Outra diferena fundamental entre a Teoria de Newton e a de Einstein, que, segundo Newton, a atrao gravitacional um processo instantneo e segundo Einstein a distoro gravitacional propaga-se com a limitao da velocidade das ondas eletromagnticas. Einstein acreditava que o Universo fosse esttico, o que significaria que a estrutura espao-tempo no variaria com o tempo.
  • Slide 11
  • A teoria do Universo esttico ou estacionrio admitia que o Universo era similar em todas as direes (isotrpico) e imutvel com o tempo, com produo contnua de matria para contrabalanar a sua expanso, mantendo constante a sua densidade mdia.Os principais defensores deste Universo esttico foram: Thomas Gold, Herman Bondi e Fred Hoyle.
  • Slide 12
  • O Universo abrange a infinidade dos mundos que vemos e dos que no vemos, todos os seres animados e inanimados, todos os astros que se movem no espao, assim como os fluidos que o enchem. O Universo abrange a infinidade dos mundos que vemos e dos que no vemos, todos os seres animados e inanimados, todos os astros que se movem no espao, assim como os fluidos que o enchem.
  • Slide 13
  • 37. O Universo foi criado, ou existe de toda a eternidade, como Deus? fora de dvida que ele no pode ter-se feito a si mesmo. Se existisse, como Deus, de toda a eternidade, no seria obra de Deus.
  • Slide 14
  • Diz-nos a razo no ser possvel que o Universo se tenha feito a si mesmo e que, no podendo tambm ser obra do acaso, h de ser obra de Deus. Diz-nos a razo no ser possvel que o Universo se tenha feito a si mesmo e que, no podendo tambm ser obra do acaso, h de ser obra de Deus.
  • Slide 15
  • 38. Como criou Deus o Universo? Para me servir de uma expresso corrente, direi: pela sua Vontade. Nada caracteriza melhor essa vontade onipotente do que estas belas palavras da Gnese - Deus disse: Faa-se a luz e a luz foi feita.
  • Slide 16
  • 39. Poderemos conhecer o modo de formao dos mundos? Tudo o que a esse respeito se pode dizer e podeis compreender que os mundos se formam pela condensao da matria disseminada no Espao.
  • Slide 17
  • 40. Sero os cometas, como agora se pensa, um comeo de condensao da matria, mundos em via de formao? Isso est certo; absurdo, porm, acreditar-se na influncia deles. Refiro- me influncia que vulgarmente lhes atribuem, porquanto todos os corpos celestes influem de algum modo em certos fenmenos fsicos.
  • Slide 18
  • 41. Pode um mundo completamente formado desaparecer e disseminar-se de novo no Espao a matria que o compe? Sim, Deus renova os mundos, como renova os seres vivos.
  • Slide 19
  • 42. Poder-se- conhecer o tempo que dura a formao dos mundos: da Terra, por exemplo? Nada te posso dizer a respeito, porque s o Criador o sabe e bem louco ser quem pretenda sab-lo, ou conhecer que nmero de sculos dura essa formao.
  • Slide 20
  • O surgimento do Universo ainda instiga a comunidade cientfica. A tese mais aceita pelos estudiosos a do fenmeno do big-bang, a grande exploso. Embora essa teoria no esteja completamente comprovada, muitos de seus aspectos foram confirmados nos ltimos anos. Sem a pretenso de resolver um dilema de milnios, temos a liberdade de refletir.
  • Slide 21
  • Crditos Texto: Allan Kardec, Livro dos Espritos. Coleo OBJETIVO.Internet Imagens: Internet. Msica: Andr Gagnon Soirs DEte Formatao: [email protected]