Ensaios não destrutivos — Terminologia — Parte 1: .Petrobras Mauro dos Santos Alcatrão . ABNT/ONS-58

  • View
    233

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Ensaios não destrutivos — Terminologia — Parte 1: .Petrobras Mauro dos Santos Alcatrão ....

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO

    Ensaios no destrutivos Terminologia Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas

    APRESENTAO

    1) Este 1 Projeto de Norma foi elaborado pela Comisso de Estudo de Terminologia (CE-58:000.13) do ABNT/ONS-58 Ensaios No Destrutivos, nas reunies de:

    25.11.2008 22.07.2008 19.08.2008

    21.10.2008 - -

    2) No tem valor normativo;

    3) Aqueles que tiverem conhecimento de qualquer direito de patente devem apresentar esta informao em seus comentrios, com documentao comprobatria;

    4) Este Projeto de Norma ser diagramado conforme as regras de editorao da ABNT quando de sua publicao como Norma Brasileira.

    5) Tomaram parte na elaborao deste Projeto:

    Participante Representante

    ABENDI Ana Paula M. Giolo

    ABS Daniel Almeida

    Brasitest Antnio Carlos A. Miranda

    Cosipa Reinaldo Costa

    END-Check Luis Srgio Imada

    Engemasa Miguel E. de Avellar

    FBTS Wiltom S. da Silva

    JBS Marcelo Neris de Santana

    Metal-Chek Antonio Marcos Venanzi

    Petrobras Celso Hiroshi Kawasaki

    Petrobras Jos Carlos Lobato da Cunha

    Petrobras Mauro dos Santos Alcatro

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 1/19

    Ensaios no destrutivos Terminologia Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas

    Non-destructive testing Terminology Discontinuities in welded joints

    Prefcio

    A Associao Brasileira de Normas Tcnicas (ABNT) o Foro Nacional de Normalizao. As Normas Brasileiras, cujo contedo de responsabilidade dos Comits Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalizao Setorial (ABNT/ONS) e das Comisses de Estudo Especiais (ABNT/CEE), so elaboradas por Comisses de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratrios e outros).

    Os Documentos Tcnicos ABNT so elaborados conforme as regras das Diretivas ABNT, Parte 2.

    A ABNT NBR 00000, sob o ttulo geral Ensaios no destrutivos Terminologia, tem previso de conter as seguintes partes:

    Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas;

    Parte 2: Descontinuidades em fundidos;

    Parte 3: Descontinuidades em forjados e/ou laminados.

    O Escopo desta Norma Brasileira em ingls o seguinte:

    Scope

    This Standard defines the terms used in the description of discontinuities in metallic materials, coming from manufacturing processes, assembly or operation, detectable by nondestructive testing.

    1 Escopo

    Esta Norma define os termos empregados na denominao de descontinuidades em materiais metlicos, oriundos de processos de fabricao, montagem ou operao, detectveis por meio de ensaios no destrutivos.

    2 Termos e definies

    Para os efeitos deste documento, aplicam-se os seguintes termos e definies.

    2.1 descontinuidade interrupo das estruturas tpicas de uma pea, no que se refere homogeneidade de caractersticas fsicas, mecnicas ou metalrgicas

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 2/19

    2.2 abertura de arco imperfeio local na superfcie do metal de base ou do cordo, resultante da abertura do arco eltrico

    2.3 ngulo excessivo de reforo ngulo excessivo entre o plano da superfcie do metal de base e o plano tangente ao reforo de solda, traado a partir da margem da solda (ver Figura 1)

    Figura 1 ngulo excessivo de reforo

    2.4 cavidade alongada vazio no arredondado com a maior dimenso paralela ao eixo da solda podendo estar localizado:

    a) na solda (ver Figura 2 a);

    b) na raiz da solda (ver Figura 2 b).

    Figura 2 Cavidade alongada

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 3/19

    2.5 concavidade reentrncia na raiz da solda, podendo ser:

    a) central, situada ao longo do centro do cordo (ver Figura 3 a);

    b) lateral, situada nas laterais do cordo (ver Figura 3 b).

    Figura 3 Concavidade

    2.6 concavidade excessiva solda em ngulo com a face excessivamente cncava (ver Figura 4)

    Figura 4 Concavidade excessiva

    2.7 convexidade excessiva solda em ngulo com a face excessivamente convexa (ver Figura 5)

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 4/19

    Figura 5 Convexidade excessiva

    2.8 deformao angular distoro angular da junta soldada em relao configurao de projeto (ver Figura 6), exceto para junta soldada de topo (ver embicamento)

    Figura 6 Deformao angular

    2.9 deposio insuficiente insuficincia de metal na face da solda (ver Figura 7)

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 5/19

    Figura 7 Deposio insuficiente

    2.10 desalinhamento junta soldada de topo, cujas superfcies das peas, embora paralelas, apresentam-se desalinhadas, excedendo a configurao de projeto (ver Figura 8)

    Figura 8 Desalinhamento

    2.11 embicamento deformao angular de junta soldada de topo (ver Figura 9)

    Figura 9 Embicamento

    2.12 falta de fuso fuso incompleta entre a zona fundida e o metal de base ou entre passes da zona fundida, podendo estar localizada:

    a) na zona de ligao (ver Figura 10 a);

    b) entre os passes (ver Figura 10 b);

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 6/19

    c) na raiz da solda (ver Figura 10 c e d).

    Figura 10 Falta de fuso

    2.13 falta de penetrao insuficincia de metal na raiz da solda (ver Figura 11)

    Figura 11 Falta de penetrao

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 7/19

    2.14 incluso de escria material no metlico retido na zona fundida, podendo ser:

    a) alinhada (ver Figura 12 a e b);

    b) isolada (Figura 12 c);

    c) agrupada (Figura 12 d).

    Figura 12 Incluso de escria

    2.15 incluso metlica metal estranho retido na zona fundida

    EXEMPLO Incluso metlica de tungstnio em solda TIG (GTAW).

    2.16 microtrinca trinca com dimenses microscpicas

    2.17 mordedura depresso sob a forma de entalhe, no metal de base acompanhando a margem da solda (ver Figura 13)

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 8/19

    Figura 13 Mordedura

    2.18 mordedura na raiz mordedura localizada na margem da raiz da solda (ver Figura 14)

    Figura 14 Mordedura na raiz

    2.19 penetrao excessiva metal da zona fundida em excesso na raiz da solda (ver Figura 15)

    Figura 15 Penetrao excessiva

    2.20 perfurao furo na solda (ver Figura 16 a) ou penetrao excessiva localizada (ver Figura 16 b), resultante da perfurao do banho de fuso durante a soldagem

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 9/19

    Figura 16 Perfurao

    2.21 poro vazio arredondado, isolado e interno solda

    2.22 poro superficial poro que emerge superfcie da solda

    2.23 porosidade conjunto de poros distribudos de maneira uniforme, entretanto no alinhada (ver Figura 17)

    Figura 17 Porosidade

    2.24 porosidade agrupada conjunto de poros agrupados (ver Figura18)

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 10/19

    Figura 18 Porosidade agrupada

    2.25 porosidade alinhada conjunto de poros dispostos em linha, segundo uma direo paralela ao eixo longitudinal da solda (ver Figura 19)

    Figura 19 Porosidade alinhada

    2.26 porosidade vermiforme conjunto de poros alongados ou em forma de espinha de peixe, situados na zona fundida (ver Figura 20)

    Figura 20 Porosidade vermiforme

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 11/19

    2.27 rechupe de cratera falta de metal resultante da contrao da zona fundida, localizada na cratera do cordo de solda (ver Figura 21)

    Figura 21 Rechupe de cratera

    2.28 reforo excessivo excesso de metal da zona fundida, localizado na face da solda (ver Figura 22)

    Figura 22 Reforo excessivo

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 12/19

    2.29 respingos glbulos de metal de adio, transferidos durante a soldagem e aderidos superfcie do metal de base ou zona fundida j solidificada

    2.30 segregao interdendrtica rechupe interdendrtico vazio alongado situado entre dendritos da zona fundida

    2.31 sobreposio excesso de metal da zona fundida sobreposto ao metal de base na margem da solda, sem estar fundido ao metal de base (ver Figura 23)

    Figura 23 Sobreposio

    2.32 solda em ngulo assimtrica solda em ngulo, cujas pernas so desiguais, estando em desacordo com a configurao de projeto (ver Figura 24)

    Figura 24 Solda em ngulo assimtrica

    2.33 trinca fissura descontinuidade bidimensional produzida pela ruptura local do material

    2.34 trinca de cratera trinca localizada na cratera do cordo de solda, podendo ser

    a) longitudinal (ver Figura 25 a);

  • ABNT/ONS-58 1 PROJETO 58:000.13-001/1

    DEZ 2010

    NO TEM VALOR NORMATIVO 13/19

    b) transversal (ver Figura 25 b);

    c) em estrela (ver Figura 25 c).

    Figura 25 Trinca de cratera

    2.35 trinca em estrela trinca irradiante de tamanho inferior largura de um passe da solda considerada (ver 2.37)

    2.36 trinca interlamelar trinca em forma de degraus, situados em planos paralelos direo de laminao, localizada no metal de base, prxima zona fundid