EPIDEMIOLOGIA - UNESP: Câmpus de .EPIDEMIOLOGIA Apostila preparada para uso na disciplina “Epidemiologia

  • View
    220

  • Download
    5

Embed Size (px)

Text of EPIDEMIOLOGIA - UNESP: Câmpus de .EPIDEMIOLOGIA Apostila preparada para uso na disciplina...

  • EPIDEMIOLOGIA

    Apostila preparada para uso na disciplina Epidemiologia Geral, do 4o semestre do Curso de

    Medicina Veterinria da Faculdade de Cincias Agrrias e Veterinria Campus de Jaboticabal,

    Unesp.

    Prof. Dr. Luis Antonio Mathias

    Jaboticabal

    2014

  • 1

    Sumrio

    Pg

    1 INTRODUO AO ESTUDO DA EPIDEMIOLOGIA ............................ 2

    2 PROCESSO EPIDMICO .......................................................................... 20

    3 ESTIMATIVAS DE POPULAES ........................................................ 28

    4 CADEIA EPIDEMIOLGICA ................................................. 35

    5 MEDIDAS GERAIS DE PROFILAXIA .................................................. 43

    6 NDICES E COEFICIENTES INDICADORES DE SADE ..................... 59

    7 FORMAS DE OCORRNCIA DE DOENAS EM POPULAES ........ 67

    8 TENDNCIAS OU VARIAES NA DISTRIBUIO TEMPORAL

    DAS DOENAS ..........................................................................................

    72

    9 ESTUDOS EPIDEMIOLGICOS ............................................................ 76

    10 NOES DE AMOSTRAGEM EM SADE ANIMAL ........................... 104

    11 PROPRIEDADES DOS TESTES DE DIAGNSTICO ............................ 114

    12 PRINCIPAIS REFERNCIAS CONSULTADAS ...................................... 126

  • 2

    1. INTRODUO AO ESTUDO DA EPIDEMIOLOGIA

    CONCEITOS

    Sade:

    - Segundo o conceito popular, sade a ausncia de doena.

    - Segundo a OMS, sade o estado de completo bem-estar fsico, mental e social e no apenas a

    ausncia de doena.

    - Sob o ponto de vista ecolgico, sade a perfeita e contnua adaptao de um organismo a seu

    ambiente (Spencer, ampliada por Wylie, 1970).

    De acordo com Payne, a ao recproca do homem e seu meio um processo contnuo de

    adaptao: o homem adapta-se a seu meio e o acomoda a suas necessidades, ou melhor, a seus

    desejos. Se a adaptao tem xito, a consequncia a sade; se fracassa, a enfermidade.

    Sade (animal) - a otimizao das funes produtivas

    Medicina Preventiva: a rea da Medicina que engloba as atividades de preveno de ocorrncia de

    doenas e promoo da sade atuando no indivduo ou na famlia

    Medicina Veterinria Preventiva: a rea da Medicina Veterinria que engloba as atividades de

    preveno da ocorrncia de doenas e promoo da sade do

    indivduo ou do rebanho.

    Sade Pblica: cincia que visa promover, proteger e recuperar a sade humana por meio de

    medidas de alcance coletivo.

    Sade Animal: cincia que visa promover, proteger e recuperar a sade do animal por meio de

    medidas de alcance coletivo.

    Sade Pblica Veterinria: a aplicao dos recursos da Medicina Veterinria na promoo da

    sade humana.

  • 3

    Diferenas e analogias entre Medicina curativa, Medicina Preventiva e Sade Animal

    Medicina curativa Medicina Preventiva e Sade Animal

    Objetivo Restaurar a sade Promover e proteger a sade

    Objeto Indivduo Med. Vet. Prev. - indiv./rebanho

    Sade Animal - populao

    Ao Isolada

    Sem carter legal

    Particular

    Pouco trabalho administrativo

    Esforo organizado

    Apoio legal

    Governamental

    Grande trabalho administrativo

    Metodologia Clnica Epidemiologia

    Outros conceitos usados em Sade Animal

    Caso: um indivduo afetado por determinada enfermidade.

    Caso primrio: o primeiro caso de determinada enfermidade a ocorrer em determinada rea.

    Caso ndice: o primeiro caso de determinada enfermidade registrado em determinada rea.

    Caso coprimrio: o caso que ocorre imediatamente aps o caso primrio, antes de transcorrido o

    perodo mnimo de incubao da doena; significa que teve a mesma exposio que o caso

    primrio.

    Caso secundrio: aparece aps o perodo mximo de incubao da doena (em relao ao

    aparecimento do caso primrio); significa que se originou a partir do caso primrio, e no da mesma

    fonte de infeco que deu origem aos casos primrio e co-primrio; o nmero de casos secundrios

    caracteriza a difusibilidade da doena e reflete a infectividade do agente etiolgico.

    Epidemiologia:

    Sob o ponto de vista etimolgico, do grego: epi = sobre; demos = populao; e logos = estudo,

    tratado.

    Portanto, o estudo daquilo que ocorre em uma populao. Mais precisamente, estudo dos

    fenmenos relacionados sade de uma populao.

  • 4

    Definio de Epidemiologia

    Ao longo do tempo, ocorreu uma grande ampliao no campo de aplicao da Epidemiologia,

    o que fez que muitas definies surgissem, na tentativa de expressar, com maior preciso, a

    abrangncia do tema.

    Definies adotadas por alguns autores para o termo Epidemiologia:

    - a histria natural das enfermidades - Welch

    - a ecologia mdica - Duddley

    - o estudo das doenas e suas relaes com o hospedeiro - Francis

    - o estudo da distribuio e dos determinantes das doenas de elevada prevalncia - Kloetzel

    - a cincia dedicada ao estudo dos fenmenos relativos s massas, provocados pelas molstias,

    tanto em suas ocorrncias usuais como tambm nas de carter epidmico - Frost

    - o estudo da distribuio da enfermidade e dos determinantes de sua prevalncia no homem -

    Mac Mahon

    - o estudo da sade do homem (grupos de populaes) em relao a seu meio - Payne

    - o estudo cientfico de todos os fatores envolvidos na ocorrncia e distribuio de uma condio

    mdica em uma populao - Cohen

    - o campo da cincia mdica que estuda as relaes entre os diversos fatores e condies

    determinantes da frequncia e distribuio dos processos infecciosos, doenas ou estados

    fisiolgicos numa comunidade humana - Maxcy.

    - o estudo da ocorrncia de doenas em coletividades e dos meios de realizar sua profilaxia - Bier

    - o estudo da evoluo das doenas em grupos de populaes, atravs de metodologia de trabalho

    propcia e bem definida, visando, principalmente, conseguir a sua preveno, controle ou mesmo

    erradicao - Schwabe

    - o estudo da distribuio das enfermidades e de todos os fatores que afetam, direta ou

    indiretamente, o curso da sade nas populaes humanas ou animais - Rosenberg

    - o estudo da frequncia, distribuio e determinantes da sade e doena em populaes - Martin

    - o estudo de doenas em populaes e dos fatores que determinam sua ocorrncia - Thrusfield

    - Ramo das cincias da sade que estuda a ocorrncia, a distribuio e os fatores determinantes dos

    eventos relacionados com a sade em uma populao - Pereira

  • 5

    Lilienfeld (1978), citado por Pereira (1995), compilou 23 definies de Epidemiologia

    encontradas na literatura anglo-saxnica, referentes ao perodo 1927-1976, e Evans (1979) contou o

    nmero de vezes que certas palavras-chaves apareciam nas 23 definies:

    Doena - 21 vezes

    Populao, comunidade ou grupo - 17 vezes

    Distribuio - 9 vezes

    Etiologia, causa, fator determinante - 8 vezes

    Preveno ou controle - 3 vezes

    As definies mais antigas esto limitadas preocupao exclusiva com as doenas

    transmissveis, pelo que afirmam tratar-se de cincia ou doutrina mdica da epidemia, ou da

    disciplina dedicada investigao das causas e ao controle das epidemias. J as definies mais

    recentes incluem tambm as doenas no infecciosas e qualquer outro tipo de agravo que possa

    afetar a sade de uma populao.

    Muitas das definies antigas limitam tambm a epidemiologia sade humana, mas os

    mesmos conceitos so aplicados s populaes animais, e mais recentemente encontra-se o termo

    Epidemiologia aplicado tambm a doenas de vegetais. Unger, em 1833, props o termo

    epifitotia para ser aplicado a doenas de plantas, equivalente a epizootia para animais e epidemia

    para humanos. Da surgiu o termo Epifitotiologia, mas Vanderplank (1963) sugeriu o uso da

    palavra Epidemiologia tambm para o estudo de doenas de plantas. Esse uso tambm adotado,

    por exemplo, por CAMPBELL, C.L. & MADDEN, L.V. Introduction of plant disease

    epidemiology. New York: Wiley, 1990. 532 p.

    Epizootiologia um termo correspondente a Epidemiologia, aplicado ao estudo das doenas

    em populaes animais, mas o termo Epidemiologia tambm aceito para essa finalidade. De

    acordo com Martin et al. (1987), h pouca necessidade de usar o termo Epizootiologia.

    Princpios bsicos da Epidemiologia

    Um dos princpios bsicos da Epidemiologia o de que os agravos sade no ocorrem por

    acaso em uma populao. A partir desse princpio, pode-se afirmar que a distribuio desigual dos

    agravos sade produto da ao de fatores que se distribuem desigualmente na populao.

    Portanto, a elucidao desses fatores, responsveis pela distribuio das doenas, uma das

    preocupaes constantes da Epidemiologia. O conhecimento dos fatores determinantes das doenas

    permite a aplicao de medidas preventivas com o propsito de resolver o problema (Pereira, 1995).

  • 6

    De acordo com Payne, o princpio mais importante da Epidemiologia moderna que nenhuma

    enfermidade possui uma causa nica. Na etiologia da enfermidade intervm mltiplos fatores.

    Portanto, a Epidemiologia baseia-se em:

    1) reconhecimento da multiplicidade de fatores na etiologia das enfermidades;

    2) identificao desses fatores e estimativa de seus valores relativos.

    Segundo Martin et al. (1987), o trabalho epidemiolgico baseado em quatro princpios

    fundamentais sobre sade e doena:

    1) A ocorrncia da doena est associada ao ambiente

    provavelmente o princpio mais antigo, tendo