EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI ... - unesp.br .EPI - CONCEITO LEGAL ... considera-se

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI ... - unesp.br .EPI - CONCEITO LEGAL ... considera-se

  • EQUIPAMENTOS DE PROTEO INDIVIDUAL

    EPI

    SETOR DE ZELADORIA

    HOSPITAL VETERINRIO

    Danielle Vargas TCNICA EM SEGURANA DO TRABALHO

  • Algumas informaes...

  • art. 6 - so direitos sociais a educao, a sade, o trabalho, o lazer, segurana, a previdncia social, a proteo maternidade e infncia, a assistncia aos desamparados, na forma desta Constituio

    art. 7 - estabelece direitos dos trabalhadores urbanos e ruraisquanto aos riscos no trabalho incluindo:

    Alnea XXII reduo dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de sade, higiene e segurana

    LEGISLAO

    CONSTITUIO FEDERAL DE 1988

  • LEGISLAO CLT

    Artigo 157 Cabe as empresas:

    I - cumprir e fazer cumprir as Normas de Segurana e Medicina do Trabalho;

    II instruir os empregados, atravs de ordem de servio, quanto as precaues a tomar para evitar acidentes do trabalho ou doenas ocupacionais;

    III adotar medidas que lhes sejam determinadas pelo rgo regional competente;

    IV facilitar o exerccio da fiscalizao pela autoridade competente.

  • Artigo 158 Cabe aos empregados:

    I - observar as Normas de Segurana e Medicina do Trabalho, inclusive, as instrues de que trata o item II do artigo anterior (O. Servio);

    II colaborar com a empresa na aplicao dos dispositivos deste captulo.

    Pargrafo nico: Constitui ato faltoso do empregado a recusa injustificada:

    a) observncia das instrues expedidas pelo empregador na forma do item II do artigo anterior O. Servio;

    b) Ao uso dos equipamentos de proteo individual fornecidos pela empresa.

    LEGISLAO CLT

  • Artigo 251 - So penas disciplinares:

    I - repreenso;

    II - suspenso;

    III - multa;

    IV - demisso;

    V - demisso a bem do servio pblico; e

    VI - cassao de aposentadoria ou disponibilidade

    Artigo 252 - Na aplicao das penas disciplinares sero consideradas a natureza e a gravidade da infrao e os danos que dela provierem para o servio pblico.

    Artigo 253 - A pena de repreenso ser aplicada por escrito, nos casos de indisciplina ou falta de cumprimento dos deveres.

    Lei n 10.261, de 28 de outubro de 1968 (Estatuto dos Funcionrios Pblicos Civis do Estado)

  • Portaria n. 3214 / 78 , aprova as Normas Regulamentadoras NR;

    Inicia com 28 normas , dentre as quais a NR-06 -Equipamentos de Proteo Individual.

    LEGISLAO - NR

  • EPI - CONCEITO LEGAL

    Conforme a NR 06, considera-se Equipamento de Proteo Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado proteo de riscos suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho.

  • Proteo para cabea;

    Olhos e face;

    Auditiva;

    Respiratria;

    Tronco;

    Membros superiores ;

    Membros inferiores;

    Contra queda de nvel;

    Vestimenta para o corpo todo.

    TIPOS DE EPI

  • A empresa obrigada a fornecer aos empregados , de forma gratuita , EPI adequado ao risco , em perfeito estado de conservao e funcionamento , nas seguintes circunstncias:

    a) Sempre que medidas de ordem geral no ofeream completa proteo contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenas profissionais e do trabalho;

    b) Enquanto as medidas de proteo coletiva estiverem sendo implantadas;

    c) Para atender situaes de emergncia

    NR 06 - EPI

  • ObrigaObrigao do Empregadoro do Empregador

    Adquirir o tipo adequado

    atividade

    Fornecer

    gratuitamente

    Adquirir o EPI aprovado pelo

    MTE

    Substitu-loquando

    danificado

    Treinar o trabalhador sobre o seu uso

    adequado.

  • Ao fornecer um EPI ao empregado deve ser efetuado o registro formal desta entrega na ficha de EPI, com os seguintes dados:

    Nome do funcionrio;

    Matrcula;

    Seo;

    Funo;

    Data da entrega/devoluo do EPI;

    Tipo de EPI, quantidade e seu respectivo nmero do CA;

    Assinatura do empregado.

    RECIBO DE ENTREGA

  • Us-lo para a

    finalidade a que se

    destina

    Responsabilizar-se

    por sua guarda e

    conservao

    Comunicar ao empregador qualquer alterao que o torne

    imprprio ao uso

    ObrigaObrigao do Empregadoo do Empregado

  • Exemplo de funcionrio protegido por EPIs:

    Perguntas:

    Sim

    No

    Sim

  • Risco Fsico: rudos, radiao ionizante, vibraes, etc.

    Risco Qumico: cidos, resinas, mercrio, poeira, etc.

    Risco Biolgico: secrees com bactrias, vrus, fungos.

    Risco Ergonmico: m postura, ritmo de trabalho, monotonia, depresso, estresse, etc.

    Risco de Acidente: equipamento sem proteo, armazenamento inadequado, falta de adoo das medidas de precauo padro.

    Durante o trabalho existem algumas condies que oferecem riscos ocupacionais equipe:

    16

  • RISCOS DA ATIVIDADE

    Queimadura qumica/trmica;

  • RISCOS DA ATIVIDADE

    Projeo de partculas nos olhos;

  • RISCOS DA ATIVIDADE

    Risco biolgico;

    S.J.C - situao

  • No curve as costas, flexione levemente os joelhos. Uma mo sempre deve estar segurando a extremidade do cabo e a outra vai altura um pouco acima da cintura.

  • CUIDADOS:

    POSTURA INADEQUADA;

    POSTURA CORRETA

  • ProteProteo Ocularo Ocular

  • PROTOCOLO DO USO DE EPI

    PROTETOR OCULAR

    Utilizado nos procedimentos de limpeza e desinfeco de superfcies quando houver risco de contaminao por secrees, aerossis e produtos qumicos.

    Protege os olhos do impacto de partculas volantes, de luminosidade intensa, de radiao ultravioleta e de respingos de produtos qumicos e material biolgico.

    24

    OBS.: LIMPAR SOMENTE COM GUA E SABO.

  • ProteProteo Auditivao Auditiva

    - Abafador atenua

    at 25 dB.

    - Plug atenua at

    18 dB.

    PROTOCOLO DO USO DE EPI

  • ProteProteo Respirato Respiratriaria

  • PROTOCOLO DO USO DE EPI

    MSCARA respirador semi facial

    Indicada para rea de isolamento, recolhimento de resduo, diluio de produtos, vidrarias de laboratrio, etc.

    OBS.: A mscara no deve ser tocada com as mos enluvadas.

    27

  • O que so poeiras?So formadas quando um material slido quebrado,

    modo ou triturado. Quanto menor for a partcula, mais tempo ela ficar suspensa no ar.

    As poeiras so os contaminantes mais comumente presentes em ambientes de trabalho.

    So originadas quando materiais na forma slida so submetidos a processamento mecnico, como moagem,lixamento, britagem, corte, desbaste, usinagem, entre outros.

  • O que so vapores?Vapores so substncias que evaporam de um lquido ou

    slido, da mesma forma que a gua transformada em vapor dgua.

    Geralmente so caracterizados pelos odores: voc no vum vapor, mas sente o cheiro.

    So exemplos de vapores: lcool etlico, metanol, acetona, gasolina, diesel, formaldedo (formol), glutaraldedo, clorofrmio, dentre inmeros outros.

  • O que so nvoas?

    Nvoas so constitudas por particulados lquidos na forma de

    gotculas em suspenso na atmosfera. So geradas por processo

    mecnico, como ruptura fsica de um lquido durante processos de

    pulverizao, nebulizao ou borbulhamento;

  • O que um respirador sem manuteno?

    Um respirador sem manuteno, como o prprio nome diz, um tipo de respirador em que no deve ser realizado nenhum tipo de manuteno ou reparo; a prpria pea facial filtrante. Deve ser trocado sempre que se encontrar saturado (entupido), perfurado, rasgado ou com elstico solto ou rompido, ou quando o usurio perceber o cheiro ou gosto do contaminante.

  • Qual o tempo de vida til dos respiradores?

    A vida til do respirador varivel.

    Deve ser descartado quando se encontrar danificado, perfurado, com elsticos soltos ou rompidos, quando a respirao do usurio tornar-se difcil, se for contaminado por sangue ou outros fluidos corpreos, ou se houver deformaes na estrutura fsica que possa prejudicar a vedao facial. Caso contrrio, pode ser guardado e reutilizado de acordo com as normas de controle da instituio.

    Quando utilizado no controle da exposio ocupacional a patgenostransmitidos tambm por contato, recomenda-se o descarte do produto imediatamente aps cada uso. No deve ser feito nenhum tipo de reparo ou manuteno no produto.

  • PROTOCOLO DO USO DE EPI

    BOTAS

    Indicada para as atividades de lavagem de corredores, banheiros, etc. Proteo contra a umidade.

    34

    utilizada para a proteo contra riscos biolgicos, perfuraes de objetos cortantes e queda de objetos.

  • PROTOCOLO DO USO DE EPI

    LUVAS DE BORRACHA LTEX

    VERDE - usadas nas superfcies onde a sujidade maior (Ex: lixeiras, pisos, banheiro, rodzios de mobilirios, janelas, tubulaes na parte alta, etc.).

    AMARELA usadas para higienizao dos bebedouros.

    Evita o contato dos com substncias agressivas,

    causando enfermidades na pele, especificamente na mo,

    punho, Braos.

    35

  • Protege contra contato dos com secrees, sangue, e substncias agressivas, evitando enfermidades na pele, especificamente na mo.

    LUVA DE PROCEDIMENTO

    36

    PROTOCOLO DO USO DE EPI

    OBS.: DESCARTVEL.

  • segurana de vida ou para a vida.

    O que biossegurana?

    37

    A biossegurana compreende o conjunto de medidas empregadas com a finalidade de proteger a sa de da equipe e dos pacientes em ambiente clnico.

  • DESCONTAMINAO:

    Processo de tornar qualquer objeto ou regio seguros para o contato de pessoas no-protegidas, fazendo incuos os agentes qumicos ou biolgicos, suprimindo ou amortecendo os agentes