of 42/42
ANEXO 4A1 Versão 03/04/2017 ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO, Nº 045/03/2017. O CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA CEETEPS, a vista das disposições do Decreto nº 60.449, de 15/05/2014, publicado no DOE de 16/05/2014, através da Comissão Especial de Concurso Público da ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS, da cidade de SÃO PAULO, designada conforme Portaria do Diretor da Unidade de Ensino Nº 012/2017, nos termos da Portaria CEETEPS-GDS nº 914, de 14, publicada no DOE de 15/01/2015, republicada no DOE de 28/01/2015, em face da autorização governamental constante do Processo CEETEPS nº 7.184-15 (SGP-178.338-16), publicada no DOE de 18/01/2017, seção I, página 41, TORNA PÚBLICA A ABERTURA de inscrições ao Concurso Público para preencher, mediante admissão, o(s) emprego(s) público(s) permanente(s) de Professor de Ensino Médio e Técnico, DO QUADRO DE PESSOAL DO CEETEPS, no componente curricular discriminado no Capítulo II deste Edital. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INICIAIS 1. A execução do Concurso Público obedecerá, dentro do possível, o cronograma de atividades constante do ANEXO I do presente Edital. 1.1. Qualquer alteração no cronograma que constitui o ANEXO I implicará necessariamente em nova publicação do mesmo no Diário Oficial do Estado, destacando a(s) alteração(ções) procedida(s). 2. A admissão far-se-á no regime da Consolidação das Leis do Trabalho CLT e legislação complementar, obedecido nos termos do artigo 4º da Lei Complementar nº 1.240 de 22/04/2014, publicada no DOE de 23/04/2014, o disposto no parágrafo único do artigo 445 da CLT, ficando reservado 5% (cinco

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS …€¦ · design - habilitaÇÃo em moda; design de moda; design de moda com habilitaÇÃo em modelagem; moda; moda e estilo; ... se do

  • View
    218

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS …€¦ · design - habilitaÇÃo em moda; design de...

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ESCOLA TCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS SO PAULO

    EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIES AO CONCURSO PBLICO PARA

    PROFESSOR DE ENSINO MDIO E TCNICO, N 045/03/2017.

    O CENTRO ESTADUAL DE EDUCAO TECNOLGICA PAULA SOUZA

    CEETEPS, a vista das disposies do Decreto n 60.449, de 15/05/2014,

    publicado no DOE de 16/05/2014, atravs da Comisso Especial de Concurso

    Pblico da ESCOLA TCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS, da cidade

    de SO PAULO, designada conforme Portaria do Diretor da Unidade de Ensino

    N 012/2017, nos termos da Portaria CEETEPS-GDS n 914, de 14, publicada

    no DOE de 15/01/2015, republicada no DOE de 28/01/2015, em face da

    autorizao governamental constante do Processo CEETEPS n 7.184-15

    (SGP-178.338-16), publicada no DOE de 18/01/2017, seo I, pgina 41,

    TORNA PBLICA A ABERTURA de inscries ao Concurso Pblico para

    preencher, mediante admisso, o(s) emprego(s) pblico(s) permanente(s) de

    Professor de Ensino Mdio e Tcnico, DO QUADRO DE PESSOAL DO

    CEETEPS, no componente curricular discriminado no Captulo II deste Edital.

    CAPTULO I

    DISPOSIES INICIAIS

    1. A execuo do Concurso Pblico obedecer, dentro do possvel, o

    cronograma de atividades constante do ANEXO I do presente Edital.

    1.1. Qualquer alterao no cronograma que constitui o ANEXO I implicar

    necessariamente em nova publicao do mesmo no Dirio Oficial do Estado,

    destacando a(s) alterao(es) procedida(s).

    2. A admisso far-se- no regime da Consolidao das Leis do Trabalho CLT

    e legislao complementar, obedecido nos termos do artigo 4 da Lei

    Complementar n 1.240 de 22/04/2014, publicada no DOE de 23/04/2014, o

    disposto no pargrafo nico do artigo 445 da CLT, ficando reservado 5% (cinco

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    por cento) do total das vagas a serem preenchidas por candidatos com

    deficincia, nos termos da Lei Complementar n 683, de 18/09/1992, DOE de

    19/09/1992, alterada pela Lei Complementar n 932, de 08/11/2002, DOE de

    09/11/2002 e regulamentada pelo Decreto n 59.591, de 14/10/2013, DOE de

    15/10/2013.

    CAPTULO II

    DO EMPREGO PBLICO DE PROFESSOR DE ENSINO MDIO E TCNICO

    1. - COMPONENTE CURRICULAR (HABILITAO) QUANTIDADE DE

    EMPREGO PBLICO PERMANENTE PREVISTA TOTAL DE AULAS LIVRES

    PERODO DAS AULAS

    DESENHO TCNICO DE MODA / DESENHO TCNICO EM

    MODA(MODELAGEM DO VESTURIO) -01/2,5 - NOTURNO

    2. As atribuies a serem exercidas pelo candidato admitido so as definidas no

    artigo 93 do Regimento Comum das Escolas Tcnicas Estaduais do CEETEPS,

    aprovado pela Deliberao CEETEPS n 3, de 18/07/2013, publicada no DOE

    de 28/08/2013, e que constitui o ANEXO II do presente Edital.

    CAPTULO III

    DOS REQUISITOS DE TITULAO

    1. O requisito de qualificao dos profissionais de cada componente curricular

    estabelecido por meio do Catlogo de Requisitos de Titulao, institudo pela

    Deliberao CEETEPS n 6, de 16/07/2008, publicada no DOE de 17/07/2008,

    alterada pela Deliberao CEETEPS n 21, de 13/08/2015, publicada no DOE

    de 15/08/2015, e regulamentado pela Unidade de Ensino Mdio e Tcnico por

    meio da Instruo CETEC n 1, de 19, publicada no DOE de 26/02/2013.

    2. Para os componentes curriculares da Base Nacional Comum e Parte

    Diversificada do Ensino Mdio, comprovar ser portador de licenciatura ou

    equivalente desde que previsto no requisito, para ser enquadrado na titulao

    Licenciado.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    2.1. Quando se tratar de licenciatura equivalente, obrigatoriamente

    acompanhado do diploma de curso de bacharelado ou de tecnologia, de nvel

    superior que permitiu a formao docente.

    3. Para titulao licenciado, em componentes curriculares da Formao

    Profissional do Ensino Mdio e/ou Educao Profissional Tcnica de Nvel

    Mdio, o candidato comprovar ser portador de:

    3.1. licenciatura de acordo com o relacionado no requisito;

    3.2. licenciatura em cursos superiores de formao de professores de disciplinas

    especializadas no ensino de 2 grau, na forma prevista pela Portaria Ministerial

    BSB n 432 de 19, publicada a 20/07/1971, Esquemas I e II. Obrigatoriamente

    acompanhado do diploma do curso de bacharelado ou de tecnologia de nvel

    superior, de acordo com o relacionado na titulao graduado, em componente

    curricular em que vier a se inscrever (portador de Esquema I). Obrigatoriamente

    acompanhado do diploma de Tcnico de nvel mdio no curso/rea do

    componente curricular, relacionado na titulao Licenciado, em componente

    curricular em que vier a se inscrever (portador de Esquema II), ou

    3.3. licenciatura equivalente, obtido em cursos regulares de programas

    especiais, nos termos previstos pelo Conselho Nacional de Educao, na

    Resoluo CNE/CEB n 2 de 26, publicada no DOU de 27/06/1997,ou na

    Deliberao CEE n 10/99, publicada no DOE de 08/01/2000, ou ainda, na

    Resoluo CNE/CP n 2, de 01, publicada no DOU de 02/07/2015.

    Obrigatoriamente acompanhado do diploma do curso de bacharelado ou de

    tecnologia de nvel superior, de acordo com o relacionado na titulao graduado,

    em componente curricular em que vier a se inscrever.

    4. Para titulao graduado, em componentes curriculares da Formao

    Profissional do Ensino Mdio, e/ou Educao Profissional Tcnica de Nvel

    Mdio, comprovar ser portador de graduao superior de bacharelado ou de

    tecnologia de nvel superior desde que previsto no requisito, em componente

    curricular em que se inscrever.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    - COMPONENTE CURRICULAR

    DESENHO TCNICO DE MODA / DESENHO TCNICO EM

    MODA(MODELAGEM DO VESTURIO)

    LICENCIADO: ATENDER AO DISPOSTO NO ITEM 3 DO CAPTULO III DO

    PRESENTE EDITAL. MODELAGEM DO VESTURIO (EII); PRODUO DE

    MODA (EII); VESTURIO (EII);

    GRADUADO (BACHAREL OU TECNLOGO): ARTES E DESIGN;

    COMUNICAO VISUAL; DESENHO DE MODA; DESENHO INDUSTRIAL;

    DESENHO INDUSTRIAL - HABILITAO EM PROJETO DO PRODUTO;

    DESIGN - HABILITAO EM MODA; DESIGN DE MODA; DESIGN DE MODA

    COM HABILITAO EM MODELAGEM; MODA; MODA E ESTILO;

    NEGCIOS DA MODA; NEGCIOS DA MODA - HABILITAO EM DESIGN;

    NEGCIOS DA MODA - HABILITAO EM DESIGN DE MODA;

    TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA; TECNOLOGIA EM ESTILISMO;

    TECNOLOGIA EM GESTO DE NEGCIOS DE MODA; TECNOLOGIA EM

    MODELAGEM; TECNOLOGIA EM PRODUO DE VESTURIO;

    TECNOLOGIA EM VESTURIO; TXTIL E MODA;

    CAPTULO IV

    DOS VENCIMENTOS E COMPOSIO DA CARGA-HORRIA

    1. O valor da hora-aula prestada de R$ 17,15 (dezessete reais e quinze

    centavos), correspondente ao PADRO I-A, da Escala Salarial - Professor de

    Ensino Mdio e Tcnico, a que se refere o inciso II do artigo 25-A da Lei

    Complementar n 1.044/2008, de 13/05/2008, publicada no DOE de 14/05/2008,

    acrescido pelo inciso I do artigo 2 da Lei Complementar n 1.240/2014.

    2. A carga horria mensal constituda de horas-aula, acrescida de 30% (trinta

    por cento) de hora-atividade, referente ao nmero de aulas efetivamente

    ministradas. Para efeito de clculo da retribuio mensal correspondente s

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    horas prestadas, o ms ser considerado como tendo 4,5 (quatro e meio)

    semanas, acrescido de 1/6 (um sexto) a ttulo de repouso semanal remunerado.

    2.1. A carga horria mensal estar sujeita a variao de acordo com as normas

    internas do CEETEPS que disciplinam a atribuio de aulas, no podendo

    ultrapassar o limite de 200 (duzentas) horas.

    2.1.1. A carga horria semanal ser constituda de no mnimo 02 (duas) horas-

    aula, de acordo com o disposto no artigo 22, da Lei Complementar n 1.044/2008

    com a redao estabelecida pelo Inciso VII do artigo 1 da Lei Complementar n

    1.240/ 2014.

    CAPTULO V

    DAS INSCRIES E CONDIES

    1. As inscries sero recebidas no perodo de 12/06/2017 26/06/2017, no

    horrio das 9H00 S 11H00; 14H00 S 16H00; 18H00 S 20H00, no local

    abaixo indicado:

    Unidade de Ensino: ESCOLA TCNICA ESTADUAL CARLOS DE CAMPOS

    Endereo: RUA MONSENHOR ANDRADE, 798

    Bairro: BRS Cidade: SO PAULO

    1.1. Informaes: Telefone 3033-9263 - e-mail [email protected]

    etecarlosdecampos.com.br

    1.2. No haver atendimento aos sbados, domingos, feriados e pontos

    facultativos, apesar desses dias serem computados no prazo.

    2. So condies para inscrio:

    2.1. ser brasileiro, nato ou naturalizado, ou possuir nacionalidade portuguesa,

    desde que amparado pelo Decreto n 70.436, de 18/04/1972, na forma do

    disposto no artigo 12, 1, da Constituio Federal e Emenda Constitucional n

    19, de 04/06/1998, artigo 3;

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    2.1.1. poder inscrever-se, ainda, os estrangeiros que possuem o Registro

    Nacional de Estrangeiro RNE.

    2.1.2. na hiptese de o candidato estrangeiro lograr xito no Concurso Pblico,

    obriga-se a comprovar no momento do atendimento de sua convocao para

    admisso:

    a) o deferimento de seu pedido de nacionalidade brasileira pela autoridade

    federal competente, quando o mesmo se enquadrar na hiptese da naturalizao

    ordinria conforme o artigo 12, II, a, da Constituio Federal do Brasil;

    b) o preenchimento das condies exigidas na legislao federal para a

    concesso da nacionalidade brasileira, mediante apresentao da cpia do

    requerimento da naturalizao junto ao Ministrio da Justia, com os

    documentos que o instruram na hiptese da naturalizao extraordinria

    conforme o artigo 12, II, b, da Constituio Federal do Brasil.

    c) tendo nacionalidade portuguesa, preencher os requisitos necessrios

    fruio dos benefcios do Estatuto de Igualdade com brasileiros quanto ao gozo

    de direitos civis (Decreto n 3.297, de 19/09/2001), mediante a apresentao de

    cpia do requerimento para sua obteno junto ao Ministrio da Justia, com os

    documentos que o instruram.

    2.2. possuir, no mnimo, 18 anos na data da inscrio;

    2.3. estar em dia com as obrigaes do Servio Militar, se do sexo masculino;

    2.4. estar quite com as obrigaes resultantes da legislao eleitoral;

    2.5. estar com o CPF (Cadastro de Pessoa Fsica) regularizado;

    2.6. ter aptido fsica e mental para o exerccio das obrigaes do emprego;

    2.7. no estar cumprindo sano por inidoneidade aplicada por qualquer rgo

    pblico e/ou entidade federal, estadual e /ou municipal;

    2.8. no ter sido demitido e/ou demitido a bem do servio pblico, no perodo de

    5 (cinco) e 10 (dez) anos, respectivamente, conforme disposto no pargrafo

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    nico do artigo 307 da Lei n 10.261, de 28/10/1968;

    2.9. possuir o(s) requisito(s) descrito(s) no Captulo III deste Edital, ou ser aluno

    regularmente matriculado em curso superior correspondente a uma das

    titulaes previstas como requisito.

    2.10. entregar uma cpia legvel de um documento de identidade, no prazo de

    validade. So considerados documentos de identidade: Carteiras e/ou cdulas

    de identidade expedidas pelas Secretrias de Segurana, pelas Foras

    Armadas, pelo Ministrio das Relaes Exteriores, Polcia Militar e pela Polcia

    Federal; Carteiras Profissionais expedidas por rgos ou Conselhos de Classes

    que, por Lei Federal, valham como documento de identidade como, por exemplo,

    as Carteiras do CREA, OAB, CRC, CRM, etc; Carteira de Trabalho e Previdncia

    Social, bem como Carteira Nacional de Habilitao com fotografia na forma da

    Lei n 9.503/97;

    2.11. preencher ficha de inscrio, fornecida pela Unidade de Ensino, na qual

    declara possuir as condies indicadas nos subitens 2.1. a 2.9. do item 2 do

    presente Captulo e juntar uma cpia legvel de um documento de identidade que

    contenha o nmero do Registro Geral (RG), ou, no caso de estrangeiro, do

    Registro Nacional de Estrangeiro (RNE);

    2.12. recolher Associao de Pais e Mestres APM da Unidade de Ensino,

    Banco 001 - BANCO DO BRASIL agncia 1198-3 conta corrente 850-8, a taxa

    no valor de R$ 82,73 (oitenta e dois reais e setenta e trs centavos) por inscrio,

    a ttulo de ressarcimento de despesas com material e servio.

    3. Para se inscrever por procurao, ser entregue mandato, com firma

    reconhecida, acompanhada de uma cpia da cdula de identidade do candidato

    e de uma cpia do documento de identidade do procurador. O candidato

    assumir as consequncias de eventuais erros cometidos por seu procurador ao

    efetuar a inscrio.

    4. No sero recebidas inscries por via postal, fac-smile, internet, condicionais

    e/ou extemporneas.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    5. Em conformidade com o Decreto n 55.588, de 17/03/2010, a pessoa

    transexual ou travesti poder solicitar a incluso e uso do nome social para

    tratamento, mediante requerimento, que constitui o ANEXO III do presente Edital.

    6. A candidata lactante que necessitar amamentar durante a realizao das

    provas poder faz-lo em sala reservada, desde que o requeira, observando os

    procedimentos constantes a seguir, para adoo das providncias necessrias.

    6.1. A candidata lactante dever encaminhar sua solicitao, at o trmino das

    inscries, junto Comisso Especial de Concurso Pblico responsvel pelo

    certame.

    6.2. A criana dever ser acompanhada, em ambiente reservado para este fim,

    de adulto responsvel por sua guarda (familiar ou terceiro indicado pela

    candidata).

    6.3. No requerimento, que constitui o ANEXO IV do presente Edital, dever

    constar os dados do adulto responsvel pela guarda do lactente, e ao

    requerimento a candidata dever juntar cpia da certido de nascimento do

    lactente e do documento de identidade com foto do adulto responsvel.

    6.4. No haver compensao do tempo de amamentao em favor da

    candidata.

    6.5. Nos horrios previstos para amamentao, a candidata lactante poder

    ausentar-se temporariamente da sala de prova, acompanhada de um fiscal.

    6.6. Na sala reservada para amamentao ficar somente a candidata lactante,

    a criana e uma fiscal, sendo vedada neste momento a permanncia do adulto

    responsvel por sua guarda (familiar ou terceiro indicado pela candidata).

    7. A inscrio implicar o conhecimento das condies previstas no Edital e o

    compromisso de aceitao pelo candidato

    8. de inteira responsabilidade do candidato acompanhar pelo Dirio Oficial do

    Estado, ou por meio de divulgaes afixadas nas dependncias da Unidade de

    Ensino, as publicaes de todos os editais alusivos ao certame.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    8.1. As publicaes afixadas nas dependncias da Unidade de Ensino no tm

    carter oficial, sendo meramente informativas.

    9. A apresentao dos documentos exigidos, para efeito de inscrio, no exime

    o candidato da satisfao dos requisitos legais para a admisso.

    CAPTULO VI

    DO DEFERIMENTO E INDEFERIMENTO DE INSCRIES

    1. As inscries sero deferidas ou indeferidas pelo Diretor da ETEC, cujo

    resultado ser publicado no Dirio Oficial do Estado e afixado nas dependncias

    da Unidade de Ensino, com pelo menos 5 (cinco) dias teis antes da realizao

    das provas especificadas no Captulo X.

    2. Alm de atender ao requisito previsto no Captulo III, e das condies

    indicadas neste item, o deferimento da inscrio depender do correto

    preenchimento da ficha de inscrio pelo candidato ou seu procurador e, ainda,

    do atendimento s condies elencadas nos subitens 2.1 a 2.12 do item 2 do

    Captulo V deste Edital.

    2.1. Ser indeferida, ainda, a inscrio do candidato quando:

    2.1.1. no registrar na ficha de inscrio a titulao;

    2.1.2. no apor a assinatura na ficha de inscrio;

    2.1.3. quando as cpias dos documentos juntados no estiverem em perfeitas

    condies, de forma a permitir a identificao com clareza.

    CAPTULO VII

    DA REDUO OU ISENO DA TAXA DE INSCRIO

    1. Nos termos da Lei 12.782, de 20/12/2007, poder o candidato solicitar a

    reduo de 50% (cinquenta por cento) da taxa estipulada, devendo atender,

    cumulativamente, os requisitos a seguir:

    1.1. Seja estudante, assim considerado o que se encontrar regularmente

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    matriculado em:

    1.1.1. curso pr-vestibular;

    1.1.2. curso superior, em nvel de graduao ou ps-graduao;

    1.2. Perceba remunerao mensal inferior a 2 (dois) salrios mnimos, ou esteja

    desempregado.

    1.3. No ato da solicitao da reduo do pagamento da taxa estipulada para

    inscrio, alm de requerer por escrito, utilizando o modelo de requerimento que

    constitui o ANEXO V do presente Edital, o candidato dever apresentar os

    seguintes documentos:

    1.3.1. Quanto comprovao da condio de estudante, de um dos seguintes

    documentos:

    a) certido ou declarao, expedida por instituio de ensino pblica ou privada;

    b) carteira de identidade estudantil ou documento similar, expedido por

    instituio de ensino pblica ou privada, ou por entidade de representao

    discente;

    1.3.2. Quanto s circunstncias previstas no item 1.2 de comprovante de renda,

    ou de declarao, por escrito, da condio de desempregado.

    2. Nos Termos da Lei Estadual 12.147, de 12/12/2005, poder o candidato

    solicitar iseno total da taxa estipulada, devendo para tanto apresentar no

    mnimo 3(trs) documentos expedidos somente por rgo oficial ou por entidade

    coletora credenciada pela UNIO, ESTADO ou MUNICPIO que comprove a

    doao de sangue do candidato no perodo de 12(doze) meses anteriores a

    inscrio.

    2.1. O documento de comprovao da qualidade de doador de sangue dever

    ser juntado no ato da solicitao da iseno do pagamento da taxa estipulada

    para inscrio, bem como o candidato dever requerer o beneficio por escrito,

    utilizando o modelo de requerimento que constitui o ANEXO V do presente Edital.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    3. Candidatos interessados em requerer a inscrio nos termos dos itens 1 ou 2

    deste Captulo devem protocolar a solicitao na Unidade de Ensino, sendo

    reservado os 3(trs) primeiros dias teis de inscrio, para tal fim.

    4. A Comisso Especial de Concurso Pblico analisar os pedidos entregues em

    tempo hbil, manifestando-se quanto ao deferimento ou indeferimento, e

    providenciar a divulgao da relao dos pedidos deferidos e indeferidos no

    5(quinto) dia til a contar do inicio das inscries, permanecendo a mencionada

    relao afixada nas dependncias da Unidade de Ensino at o ltimo dia de

    recebimento das inscries.

    4.1. Indeferido o pedido de iseno, caber recurso da deciso na forma e no

    prazo estabelecido no Captulo XIII do presente Edital, devendo o mesmo ser

    dirigido ao Presidente da Comisso Especial de Concurso Pblico, e

    apresentado desde que o candidato oferea elementos novos para tal finalidade.

    5. Ser eliminado do Concurso Pblico o candidato que, no atendendo, poca

    de sua inscrio, aos requisitos previstos nos itens 1 e 2, tenha obtido, com

    emprego de fraude ou qualquer outro meio que evidencie m f, a reduo

    tratada neste Captulo.

    6. A eliminao de que trata o item 5, importar a anulao da inscrio e dos

    demais atos praticados pelo candidato, sem prejuzo da aplicao de outras

    sanes cabveis.

    7. No caso da solicitao de reduo ou iseno ser deferida, o candidato dever

    efetivar a inscrio at a data de trmino das inscries, de acordo com as

    disposies do Captulo V deste Edital, e considerando-se, para tanto, a reduo

    ou iseno concedida.

    8. No caso da solicitao ser indeferida, o candidato dever proceder sua

    inscrio com o valor da taxa integral correspondente, de acordo com as

    disposies do Captulo V deste Edital.

    9. O candidato que realizar a inscrio com pagamento de taxa reduzida em

    desacordo com o determinado neste Captulo ter o pedido de inscrio

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    invalidado.

    CAPTULO VIII

    DAS INSCRIES E PARTICIPAO DOS CANDIDATOS COM

    DEFICINCIA

    1. Aos candidatos com deficincia, que pretendem fazer uso das prerrogativas

    que lhe so facultadas no inciso VIII, do artigo 37, da Constituio Federal, e na

    Lei Complementar Estadual n 683, de 18/09/1992, com as alteraes previstas

    na Lei Complementar Estadual n 932, de 08/11/2002, e Decreto n 59.591, de

    14/10/2013, assegurado o direito de inscrio no presente Concurso, desde

    que a deficincia seja compatvel com as atribuies do emprego pblico

    permanente de Professor de Ensino Mdio e Tcnico.

    2. Nos termos do pargrafo nico do artigo 1 do Decreto n 59.591, de

    14/10/2013, consideram-se pessoas com deficincia aquelas que tm

    impedimentos de longo prazo de natureza fsica, mental, intelectual, ou sensorial,

    os quais, em interao com diversas barreiras, podem obstruir sua participao

    plena e efetiva na sociedade em igualdade de condies com as demais

    pessoas, nos termos do artigo 1 da Conveno Internacional sobre os Direitos

    da Pessoa com Deficincia da Organizao das Naes Unidas - ONU, aprovada

    pelo Decreto Legislativo n 186, de 09/07/2008 e incorporada pelo Decreto

    Federal n 6.949, de 25/08/2009.

    3. O candidato declara ser pessoa com deficincia, indicando-a na ficha de

    inscrio em campo especfico e providenciar at o trmino da inscrio os

    documentos a seguir especificados:

    3.1. Laudo mdico original ou cpia autenticada legvel, com validade de 2 (dois)

    anos a contar da data de incio da inscrio no Concurso quando a deficincia

    for permanente ou de longa durao, ou de 1 (um) ano a contar da data de incio

    da inscrio no Concurso quando a deficincia no for permanente ou de longa

    durao, atestando o tipo de deficincia e o seu grau, com expressa referncia

    ao Cdigo Internacional de Doena CID 10, contendo a assinatura e o carimbo

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    do CRM do mdico responsvel por sua emisso;

    3.2. Anexar ao Laudo Mdico as informaes como: nome completo, nmero de

    registro geral (RG) da Carteira de Identidade, nmero do Cadastro de Pessoa

    Fsica (CPF) e a identificao do Concurso a ser pleiteado.

    4. De acordo com a deficincia, o candidato indicar, mediante requerimento que

    constitui o ANEXO VI do presente Edital, as ajudas tcnicas e condies

    especficas necessrias para a realizao das provas, conforme a seguir

    especificado:

    4.1. Ao candidato com deficincia visual que necessitar de atendimento especial,

    alm do envio da documentao indicada no subitem 3.1. do item 3, solicitar a

    confeco de prova em Braile, ou Ampliada, ou a leitura de sua prova por um

    fiscal ou a utilizao de computador com software de leitura de tela e/ou

    ampliao de tela, especificando o tipo de deficincia;

    4.1.1. Ao candidato com deficincia que necessitar de fiscal designado para

    auxili-lo na realizao da prova, como ledor, alm do envio da documentao

    indicada no subitem 3.1. do item 3, poder encaminhar solicitao para que a

    prova seja gravada, a fim de apurar, em grau de possvel recurso, eventual falha

    do servidor.

    4.1.2. Os candidatos com deficincias visuais que solicitarem prova especial em

    Braile sero oferecidas provas nesse sistema e suas respostas devero ser

    transcritas tambm em Braile. Os referidos candidatos devero levar para esse

    fim, no dia de aplicao das provas, reglete e puno, podendo utilizar-se de

    soroban.

    4.1.3. Os candidatos com deficincia visual (amblopes) que solicitarem prova

    especial ampliada, sero oferecidas prova nesse sistema, para tanto o candidato

    dever indicar o tamanho da fonte de sua prova ampliada, entre 18, 24 e 28. No

    havendo indicao a prova ser confeccionada em fonte 24.

    4.1.4. Os deficientes visuais (cegos ou baixa viso), que solicitarem prova

    especial por meio de utilizao de software, devero indicar software gratuito.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    4.2. Ao candidato com deficincia auditiva que necessitar do atendimento de

    Intrprete de LIBRAS - Lngua Brasileira de Sinais ou a utilizao de aparelho

    auricular (sob suas expensas), que ser inspecionado, alm do envio da

    documentao indicada no subitem 3.1. do item 3, dever encaminhar

    solicitao formal;

    4.2.1. Ao candidato com deficincia que necessitar de fiscal designado para

    auxili-lo na realizao da prova, como intrprete de LIBRAS - Lngua Brasileira

    de Sinais, alm do envio da documentao indicada no subitem 3.1. do item 3,

    poder encaminhar solicitao para que a prova seja gravada, a fim de apurar,

    em grau de possvel recurso, eventual falha do servidor.

    4.3. Ao candidato com deficincia fsica, que necessitar de atendimento especial,

    alm do envio da documentao indicada no subitem 3.1. do item 3, dever

    solicitar mobilirio adaptado e espaos adequados para a realizao da prova,

    designao de fiscal para auxiliar no manuseio da prova escrita e transcrio das

    respostas, salas de fcil acesso, banheiros adaptados para cadeira de rodas etc.,

    especificando o tipo de deficincia;

    4.4. O laudo mdico a que se refere o subitem 3.1. do item 3, dever estabelecer

    tambm em funo da deficincia, quanto tempo adicional necessitar o

    candidato para a realizao das provas previstas no certame.

    5. Os candidatos que no atenderem ao disposto nos subitens 3.1. e 3.2. do item

    3, sero considerados pessoas sem deficincia. Nessas condies, mesmo que

    necessitarem dos recursos e condies especficas para a realizao da prova,

    expostos nos subitens 4.1, 4.2, 4.3 e 4.4 do item 4, no tero o atendimento

    especial, provas diferenciadas e tempo adicional, seja qual for o motivo alegado.

    6. de responsabilidade do candidato com deficincia observar a exigncia dos

    requisitos contidos neste Edital de abertura de inscries e declarar-se ciente

    das condies estabelecidas no certame.

    7. O no atendimento ao disposto no item 3 ou cuja deficincia no seja

    constatada, ser eliminado da lista especial, constando assim apenas da lista de

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    classificao geral de habilitados.

    8. Os candidatos com deficincia participaro do concurso em igualdade de

    condies com os demais candidatos no que se refere ao contedo das provas,

    avaliao e aos critrios de aprovao, ao dia, horrio e local de aplicao das

    provas, e a nota mnima exigida para todos os demais candidatos, nos termos

    do artigo 2 da Lei Complementar n 683, de 18/09/1992, alterada pela Lei

    Complementar n 932, de 08/11/2002, e regulamentada pelo Decreto n 59.591,

    de 14/10/2013.

    9. No ocorrendo inscrio no concurso ou aprovao de candidatos com

    deficincia, as vagas reservadas ficaro liberadas, em observncia ao disposto

    no 2 do artigo 2 da Lei Complementar n 683, de 18/09/1992, alterada pela

    Lei Complementar n 932, de 08/11/2002, e regulamentada pelo Decreto n

    59.591, de 14/10/2013, e sero preenchidas pelos demais candidatos. Ser

    elaborada somente uma lista de classificao geral, prosseguindo o concurso

    nos seus ulteriores termos.

    10. A Comisso Especial de Concurso Pblico providenciar para que as provas

    do Concurso sejam realizadas em locais acessveis aos candidatos com

    deficincia.

    11. O candidato com deficincia dever declarar, quando da inscrio, se deseja

    concorrer s vagas reservadas a pessoas com deficincia.

    12. O candidato com deficincia que no realizar a inscrio conforme as

    instrues constantes deste Edital no poder apresentar recurso em favor de

    sua condio.

    13. Verificada a incompatibilidade entre a deficincia e as atribuies do

    emprego pblico postulado, o candidato ser eliminado do certame.

    14. Aps a investidura do candidato, a deficincia no poder ser arguida para

    justificar a concesso da aposentadoria por invalidez.

    15. O atendimento s condies especiais pleiteadas para a realizao da prova

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ficar sujeito anlise da razoabilidade do solicitado.

    16. Quando o nmero de candidato com deficincia for insuficiente para

    preencher as vagas reservadas, as que restarem sero revertidas para os

    demais candidatos.

    17. As vagas reservadas ficaro liberadas, se no ocorrer inscrio ou

    aprovao de candidato com deficincia.

    CAPTULO IX

    DA BANCA EXAMINADORA

    1. A Banca Examinadora ser designada por ato do Diretor da ETEC, composta

    obrigatoriamente por 03 (trs) membros, contendo pelo menos um especialista

    na rea de ensino do componente.

    2. A designao dos membros da Banca Examinadora levar em considerao

    os princpios de moralidade e de impessoalidade em relao aos candidatos

    inscritos. A inobservncia desses princpios acarretar na anulao do certame.

    2.1. Com a finalidade de atender o disposto neste Captulo, o Diretor da Unidade

    de Ensino, mediante justificativa produzida no processo de concurso, poder

    designar a Banca Examinadora com membros de outra Unidade de Ensino ou

    de fora do CEETEPS, observando-se as regras estabelecidas no item 1 do

    presente Captulo.

    CAPTULO X

    DAS PROVAS

    1. O Concurso Pblico contar, obrigatoriamente, com 3 (trs) fases, conforme

    especificado a seguir:

    1.1. prova objetiva (escrita), de carter eliminatrio e classificatrio;

    1.2. prova objetiva de habilidades operacionais ou tcnicas (mtodos

    pedaggicos), tambm de carter eliminatrio e classificatrio, e;

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    1.3. prova de ttulos, de carter exclusivamente classificatrio.

    2. A prova escrita realizar-se- na forma de questes, com mltipla escolha.

    3. A prova escrita tem por objetivo selecionar os candidatos que tenham obtido,

    no mnimo, 50 (cinquenta) pontos do total da pontuao atribuda prova, at o

    limite mximo de 5(cinco) candidatos, escolhidos em ordem decrescente de

    nota, para que possam participar das demais fases.

    3.1. Havendo empate na quinta colocao, todos os candidatos que se

    encontrarem nessa condio participaro das fases subsequentes.

    3.2. A referida prova versar sobre os contedos do componente curricular em

    concurso, e ainda:

    3.2.1. Conceitos referentes a Lei Federal n 12.527, de 18/11/2011 (Lei de

    Acesso a Informao) e do Decreto n 58.052, de 16/05/2012, que regulamenta

    a referida Lei no mbito do estado de So Paulo

    3.1.2. Conhecimentos gerais em educao.

    4. O programa das provas mencionadas no presente Captulo constar do

    ANEXO VII deste Edital.

    5. A prova de mtodos pedaggicos, constituda pela apresentao de uma aula,

    tem por finalidade avaliar o candidato sob o aspecto do conhecimento especfico,

    voltado para a rea do componente curricular e sob o aspecto didtico-

    pedaggico da prtica docente e mediante os critrios de expresso, linguagem

    e comunicao; procedimento didtico e contedo.

    6. A aula ser ministrada pelo candidato perante a Banca Examinadora, cujo

    tema ser sorteado antes do seu incio.

    7. A prova de ttulos de carter exclusivamente classificatrio. Os ttulos

    devero ser anexados por cpia a Curriculum Vitae simplificado, no qual figure

    basicamente, os Dados Pessoais, a Formao Acadmica de Nvel Superior e

    Ps Superior, bem como a Experincia Profissional na rea da Docncia.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    7.1. Considerar-se- para a prova de ttulos, os cursos de especializao (lato

    sensu), ps-graduao em nvel de mestrado e de doutorado, concludos at o

    trmino do perodo de inscrio, desde que:

    7.1.1. Vinculado ao componente curricular em concurso quando integrar a base

    nacional comum do ensino mdio, ou

    7.1.2. Relacionado a rea do componente curricular em concurso, quando

    integrar a parte diversificada do ensino mdio ou a educao profissional tcnica

    de nvel mdio.

    7.2. No considerado para a prova de ttulos o curso de Especializao (lato

    sensu), mestrado e doutorado, quando includo no requisito para inscrio no

    componente curricular, descrito no Captulo II do presente Edital.

    7.3. Sero avaliados somente os ttulos do candidato aprovado na prova de

    mtodos pedaggicos.

    7.4. Comprovar-se- o ttulo por intermdio de uma das cpias de um dos

    documentos a seguir mencionados, desde que expedido por instituio

    reconhecida:

    7.4.1. Diploma registrado ou certido/ certificado de concluso para cursos de

    ps graduao em nvel de Doutorado ou de Mestrado, desde que

    reconhecido/recomendado, nos termos da legislao vigente.

    7.4.2. Certido/certificado de concluso para o curso de especializao (lato

    sensu), realizado em conformidade com as normas do Conselho Nacional de

    Educao.

    7.4.3. No ser considerada cpia de documento que no atender ao previsto

    nos subitens 7.4.1. e 7.4.2., do item 7.4, do presente Captulo.

    8. O candidato entregar a cpia do(s) ttulo(s) na data prevista para a prova de

    mtodos pedaggicos.

    8.1. o candidato que no apresentar a cpia do(s) ttulo(s) ser classificado

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    apenas com os pontos obtidos nas provas escrita e de mtodos pedaggicos,

    desde que satisfaa a condio de aprovado.

    8.2. no ser aceita, sob qualquer pretexto, a entrega da cpia do(s) ttulo(s) fora

    do dia, do horrio e do local previsto pela Comisso Especial de Concurso

    Pblico da Unidade de Ensino.

    8.3. Os diplomas de mestrado e doutorado expedidos por instituies

    estrangeiras devero estar revalidados por universidades pblicas, nos termos

    do artigo 48, 2 e 3 da Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional, caso

    contrrio no sero considerados para efeito de pontuao.

    9. O candidato dever comparecer ao local designado para a aplicao das

    provas mencionadas no presente Captulo, preferencialmente, com

    antecedncia mnima de 30 (trinta) minutos, munido de protocolo de inscrio e

    do original de um documento de identidade, de acordo com o relacionado no

    Captulo V, deste Edital.

    9.1. No ser admitido na sala ou no local da prova, o candidato que se

    apresentar aps o horrio estabelecido para seu incio.

    9.2. O documento apresentado dever estar em perfeitas condies de forma a

    permitir a identificao do candidato com clareza.

    10. A durao das provas constar do Edital de convocao.

    11. O candidato poder retirar-se, definitivamente, da sala destinada a prova

    escrita, decorrido 1h30 horas de seu incio.

    12. Durante a realizao da prova escrita no sero permitidas consultas

    bibliogrficas de qualquer espcie, nem a utilizao de mquinas calculadoras

    ou equipamentos eletrnicos.

    13. O candidato no poder ausentar-se da sala de prova sem acompanhamento

    de um fiscal.

    14. No haver segunda chamada, seja qual for o motivo alegado, em nenhuma

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    das fases, nem aplicao da prova fora do local, data e horrio preestabelecido.

    15. O candidato no poder alegar quaisquer desconhecimentos sobre a

    realizao das provas como justificativa de sua ausncia.

    16. O no comparecimento s provas, qualquer que seja o motivo, caracterizar

    desistncia do candidato e resultar em sua eliminao do certame.

    17. Ser eliminado do concurso pblico o candidato que:

    17.1. perturbar de qualquer modo a ordem dos trabalhos, incorrendo em

    comportamento inadequado;

    17.2. agir com incorreo ou descortesia para qualquer membro da equipe

    encarregada da aplicao da prova, Direo da Unidade de Ensino, autoridade

    presente ou a outro candidato; e

    17.3. durante a realizao das provas for surpreendido comunicando-se com

    outro candidato ou terceiros, verbalmente, por escrito ou por qualquer outro meio

    de comunicao, sobre a prova que estiver sendo realizada.

    18. O candidato com deficincia participar do concurso juntamente com os

    demais candidatos, em igualdade de condies, no que diz respeito ao contedo

    e avaliao das provas.

    19. Publicar-se- no DOE e nas dependncias da ETEC, os editais de

    deferimento e indeferimento de inscrio e convocao para a prova escrita, de

    resultado da prova escrita e convocao para prova de mtodos pedaggicos, e

    de resultado da prova de mtodos pedaggicos, prova de ttulos e classificao

    final.

    CAPTULO XI

    DO JULGAMENTO DAS PROVAS

    1. A prova escrita tem carter eliminatrio e classificatrio, sendo considerada

    sua pontuao para a composio da nota final, desde que o candidato seja

    considerado aprovado nas provas escrita e de mtodos pedaggicos.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    2. As avaliaes das provas escrita e de mtodos pedaggicos obedecem

    escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos.

    2.1. Os critrios para avaliao da prova de mtodos pedaggicos so

    pontuados na seguinte conformidade:

    2.1.1. CONTEDO domnio, ordem de exposio (graduao e sequncia),

    objetividade no tratamento do assunto (clareza, conciso, sntese), adequao

    ao tema (centro da aula) emprego correto de conceitos, relaes: de 0 (zero) a

    40 (quarenta) pontos;

    2.1.2. PLANEJAMENTO introduo do assunto, verbalizao dos objetivos da

    aula, preparao da aula (apresentao do plano de aula, material didtico

    selecionado pelo candidato e outros indcios concretos): de 0 (zero) a 20 (vinte)

    pontos;

    2.1.3. PROCEDIMENTO DIDTICO uso adequado de recursos didticos

    disponveis (por exemplo: audiovisual, material impresso, quadro negro, etc),

    adequao do contedo ao nvel do tema proposto e ao nvel dos alunos,

    interao aluno-professor (motivao, dilogos, etc), preocupao com o tempo,

    indicao dos instrumentos de avaliao: de 0 (zero) a 20 (vinte) pontos;

    2.1.4. EXPRESSO contato visual e apresentao pessoal do candidato,

    expresses faciais e corporais (incluindo gesticulao), postura e movimentao

    no espao da sala, emisso de voz (timbre de voz, ritmo, dico): de 0 (zero) a

    10 (dez) pontos;

    2.1.5. LINGUAGEM E COMUNICAO naturalidade, fluncia verbal, correo

    gramatical, clareza, legibilidade da escrita, exemplificao: de 0 (zero) a 10 (dez)

    pontos.

    2.2. Os planos de aula devero ser preparados em 03(trs) vias, sendo que o

    plano de aula referente ao tema sorteado, nos termos do item 6 do Captulo X

    do presente Edital, ser entregue para cada membro da Banca Examinadora.

    3. A nota da prova de mtodos pedaggicos a mdia das notas atribudas pelos

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    membros da Banca Examinadora.

    3.1. Obedecido aos critrios de avaliao considerar-se- aprovado o candidato

    que obtiver nota igual ou superior a 50 (cinquenta) pontos na prova de mtodos

    pedaggicos, e consequentemente, reprovado o candidato que obtiver nota

    inferior a 50 (cinquenta) pontos na prova correspondente.

    3.2. Atribuir-se- nota 0 (zero) ao candidato que recusar a ministrar aula didtica

    perante a Banca Examinadora.

    4. A prova de ttulos ser pontuada de 0 (zero) at 30 (trinta) pontos, uma nica

    vez por curso, conforme a seguir especificado:

    4.1. Especializao (lato sensu): 5 (cinco) pontos;

    4.2. Mestrado: 10 (dez) pontos; e

    4.3. Doutorado: 15 (quinze) pontos.

    5. A nota final do candidato ser aquela que resultar da mdia aritmtica simples

    das notas das provas escrita (pe) e de mtodos pedaggicos (pmp), acrescida

    da pontuao correspondente a prova de ttulos (pt).

    Exemplo:

    (pe + pmp) / 2 = mdia

    mdia + pt = nota final do candidato

    CAPTULO XII

    DA CLASSIFICAO, CRITRIOS DE DESEMPATE, CONVOCAO E

    ADMISSO

    1. Haver lista onde constar todos os candidatos aprovados e classificados, por

    titulao licenciado e graduado, de acordo com o estabelecido nos Captulos

    II e III deste Edital.

    1.1. O candidato licenciado sempre ter preferncia sobre o graduado.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    1.2. Haver tambm lista especial atinente apenas aos candidatos com

    deficincia, na hiptese de em se aplicando a porcentagem prevista no Captulo

    I do presente Edital resultar em vaga.

    1.3. A classificao final, publicada em DOE, obedece a ordem decrescente das

    notas finais.

    1.3.1. Relacionar-se- o candidato no aprovado pela ordem crescente do

    nmero de inscrio, contendo o nmero do documento de identidade e a nota

    obtida na prova de mtodos pedaggicos.

    1.3.2. Relacionar-se- o candidato ausente pela ordem do nmero crescente de

    inscrio contendo o nmero do documento de identidade.

    2. Em caso de igualdade na pontuao final, aplicar-se-o, sucessivamente, os

    seguintes critrios de desempate ao candidato, observando-se a data do trmino

    das inscries:

    2.1. com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos completos, nos termos do

    pargrafo nico do artigo 27 da Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso), entre si e

    frente aos demais, com prioridade ao de maior idade;

    2.2. que obtiver maior nota na prova de mtodos pedaggicos;

    2.3. que obtiver maior nota na prova escrita;

    2.4. que obtiver maior pontuao da prova de ttulos;

    2.5. de maior idade;

    2.6. que tenha, comprovadamente sido jurado, nos termos do disposto no artigo

    440 do Cdigo de Processo Penal Decreto-Lei n 3.689, de 03/10/1941,

    introduzido pela Lei Federal n 11.689, de 10/08/2008, direito este reconhecido,

    para quem exerceu a funo de jurado, a partir da vigncia da lei federal aqui

    citada, ou seja, 10 de agosto de 2008;

    2.6.1. para que se beneficie deste critrio de desempate, o candidato dever:

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    a) informar no ato da inscrio sua condio de ter exercido a funo de jurado;

    b) estar ciente de que no exerccio do emprego dever apresentar prova

    documental de que exerceu essa funo.

    2.6.2. caso o candidato declare no ato de inscrio que j exerceu a funo de

    jurado, se beneficie deste critrio de desempate e no comprove

    documentalmente esta condio no ato do exerccio, ser eliminado do

    concurso.

    2.7. Para atender os dispositivos mencionados anteriormente, a Unidade de

    Ensino se valer da ficha de inscrio e da cpia do documento de identidade.

    3. No prazo de 05 (cinco) dias teis, contados da data da publicao das listas

    de classificao, os candidatos com deficincia devero se submeter percia

    mdica para verificao da compatibilidade de sua deficincia com o exerccio

    das atribuies do emprego.

    4. A percia mdica ser realizada no rgo Mdico Oficial do Estado, por

    especialistas na rea da deficincia de cada candidato, devendo o laudo ser

    proferido em um prazo de 5 (cinco) dias teis, aps o respectivo exame.

    5. Concludos os exames a que se referem os itens 3 e 4, o candidato dever

    apresentar os respectivos laudos, no prazo de 3 (trs) dias teis, contados da

    data de sua expedio.

    6. Findo o prazo estabelecido no item anterior, sero publicadas no Dirio Oficial

    do Estado as listas de classificao geral e especial, das quais sero excludos

    os candidatos portadores de deficincia, considerados inaptos na inspeo

    mdica.

    7. O candidato, cuja deficincia no for configurada ou deixar de entregar o laudo

    no prazo estabelecido no item 5, constar apenas na lista de classificao geral.

    8. Aps a publicao da homologao do concurso em DOE, o Diretor da

    Unidade de Ensino convocar por meio de Edital divulgado em DOE, o(s)

    candidato(s) aprovado(s) e classificado(s) para atribuio de aulas, observado o

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    nmero de vaga(s) oferecida(s) no certame.

    8.1. A convocao, a escolha e atribuio de aulas obedecero a ordem de

    classificao final esgotada a prioridade do licenciado sobre o graduado.

    8.2. O candidato que no atender convocao da unidade de origem do

    certame, recusar as aulas oferecidas, deixar de entregar todas as

    documentaes para formalizao da admisso ou deixar de entrar em exerccio,

    ter exaurido todos os direitos decorrentes da sua habilitao no concurso.

    8.3. O candidato que por ocasio da convocao aceitar as aulas oferecidas,

    porm no ato da entrega das documentaes para formalizao da admisso

    no comprovar possuir o requisito de titulao descrito no Captulo III deste

    Edital, tambm ter exaurido todos os direitos decorrentes de sua habilitao no

    Concurso.

    8.4. O candidato que declinar totalmente das aulas oferecidas assinar o Termo

    de Desistncia.

    8.5. Na ocorrncia de aulas livres e/ou em substituio poder-se- ampliar carga

    horria, no dia seguinte ao da escolha e atribuio de aulas, respeitada as

    disposies das normas internas de atribuio de aulas e do Catlogo de

    Requisitos de Titulao.

    9. A Portaria de admisso, com publicao em DOE, providenciada somente

    aps o cumprimento das exigncias de documentaes previstas neste Edital,

    as que declarou possuir poca da inscrio e ainda, aquelas solicitadas pelo

    rgo administrativo da Unidade de Ensino, descritas no Manual de Recursos

    Humanos, e que constitui o ANEXO VIII deste Edital.

    9.1. O incio do exerccio condicionado entrega do atestado de Sade

    Ocupacional, a emisso da autorizao para lecionar ao classificado na titulao

    Graduado e, ainda, a publicao em DOE do Ato Decisrio, em caso de

    encontrar-se em acumulao remunerada, nos termos do inciso XVI do artigo 37

    da Constituio Federal.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    10. Ao candidato aprovado no Concurso que mantenha vnculo empregatcio

    com o CEETEPS, mediante preenchimento do emprego Pblico permanente de

    Professor de Ensino Mdio e Tcnico em uma ETEC, observado o disposto no

    item 9 do presente Captulo ter:

    10.1. O contrato de trabalho alterado para indeterminado, quando for por tempo

    determinado.

    10.2. Ampliao de carga horria quando for ocupante de emprego Pblico

    permanente.

    11. O candidato admitido assinar contrato de experincia, de 90 (noventa) dias,

    na forma disposta na CLT.

    CAPTULO XIII

    DOS RECURSOS

    1. O prazo para interposio dos recursos ser de 3(trs) dias teis aps a

    concretizao do evento que lhes disser respeito, tendo como termo inicial o

    1(primeiro) dia til subsequente a data de ocorrncia da publicao de cada

    uma das fases do Concurso em Dirio Oficial do Estado, no horrio das 9h00 s

    11h00; 14h00 s 16h00; 18h00 s 20h00,.

    1.1.O recurso interposto pelo candidato dever ser entregue e protocolizado na

    Unidade de Ensino onde se inscreveu, e na hiptese da ocorrncia das situaes

    previstas nos subitens 1.1 e 1.2 do item 1 do Captulo XV do presente Edital, o

    recurso dever ser dirigido ao Diretor da Unidade de Ensino que assumir a

    responsabilidade pela continuidade do certame.

    1.2. O recurso dever ser entregue em duas vias (original e cpia).

    2. O recurso, devidamente fundamentado, dever ser dirigido ao Diretor da

    Unidade de Ensino.

    2.1. Cada questo ou item dever ser apresentado em folha separada, com

    argumentao lgica e consistente.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    3. Admitir-se- um nico recurso por candidato para cada etapa do concurso,

    desde que devidamente fundamentado.

    4. Somente sero apreciados os recursos interpostos dentro do prazo, expressos

    em termos adequados e respeitosos, e que apontem circunstncias que os

    justifiquem.

    5. O recurso interposto por procurador s ser aceito se estiver acompanhado

    do respectivo instrumento de mandato e de cpia reprogrfica do documento de

    identidade do procurador.

    6. No sero aceitos recursos interpostos por via postal, fax, internet, telegrama

    ou outro meio que no seja o especificado neste Edital, que no contenham os

    elementos determinados nos itens anteriores ou que estejam fora do prazo

    estipulado no item 1 deste Captulo.

    7. A apreciao do recurso de competncia do Diretor da Unidade de Ensino,

    cuja deciso publicada no DOE.

    8. O candidato tomar conhecimento do resultado do recurso via DOE.

    9. Na hiptese de anulao de questo(es), o(s) ponto(s) relativo(s) ser(o)

    atribudo(s) a todos os candidatos que prestaram a prova correspondente.

    10. No cabero recursos adicionais aos recursos interpostos, sendo o Diretor

    da Unidade de Ensino soberano em suas decises.

    11. Em funo dos recursos impetrados e das decises emanadas pelo Diretor

    da Unidade de Ensino, poder haver alteraes nas publicaes das etapas

    constantes do concurso, antes de sua homologao.

    12. Na existncia de recursos que inviabilize a realizao da prova na data

    fixada, a nova data dever ser estabelecida para aps a resoluo definitiva dos

    recursos impetrados e, neste caso, caber a Unidade de Ensino responsvel

    pelo concurso, avisar aos candidatos a nova data fixada para a realizao da

    prova.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    CAPTULO XIV

    DO APROVEITAMENTO DOS CANDIDATOS REMANESCENTES

    1. O candidato aprovado e no aproveitado inicialmente na Unidade de Ensino

    de origem do Certame poder ser aproveitado em outra ETEC do CEETEPS, a

    critrio dos Diretores das Unidades.

    1.1. O Edital de convocao ser providenciado pela Unidade de Ensino

    responsvel pelo concurso e obedecer a ordem de classificao.

    1.2. O candidato que recusar o emprego pblico ou no comparecer na data

    prevista para a manifestao na outra unidade de ensino no perder o direito

    nova convocao na Unidade de Ensino em que foi aprovado.

    1.3. O candidato admitido neste termo perder o direito vaga na Unidade de

    Ensino em que foi aprovado, assumindo o nus decorrente de sua aceitao.

    1.4. O candidato que vier a ser admitido nesta condio, por ter exercido o direito

    decorrente da habilitao no certame pblico, no poder beneficiar-se de uma

    nova convocao neste certame.

    2. Para a adoo dos procedimentos descritos no presente Captulo a Unidade

    de Ensino dever observar sempre as normas internas de atribuio de aulas.

    3. Aps a divulgao do Edital de abertura de inscries em DOE, ocorrendo

    aulas livres no componente curricular ou em componente curricular diferente

    daquele em que vier a ser admitido, poder-se- ampliar carga-horria,

    observadas as normas internas de atribuio de aulas.

    CAPTULO XV

    DAS DISPOSIES FINAIS

    1. A inscrio importar ao candidato o pleno conhecimento das disposies do

    Edital e na aceitao tcita das condies tais como se acham nele

    estabelecidas.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    1.1. Objetivando garantir os princpios bsicos que regem a Administrao

    Pblica, dentre eles o de moralidade e impessoalidade, poder a

    responsabilidade da realizao do Concurso Pblico ser atribuda Direo de

    outra Unidade de Ensino, devendo necessariamente a execuo das provas

    ocorrer nas instalaes da Unidade de Ensino para a qual se destina o Certame.

    1.2. Verificada a necessidade da realizao do Concurso Pblico ser atribuda

    Direo de outra Unidade de Ensino, os candidatos inscritos devero ser

    comunicados de tal situao, mediante ato da Comisso Especial de Concurso

    Pblico da ETEC para qual se destina o Certame, a ser divulgado no Dirio

    Oficial do Estado, e nas dependncias da Unidade de Ensino.

    2. Todas as fases deste Concurso publicadas em Dirio Oficial tambm so

    divulgadas no Portal de Concurso Pblico do Estado de So Paulo, cabendo ao

    candidato acompanh-las.

    3. A inexatido das afirmativas ou irregularidades de documentos, ainda que

    verificadas posteriormente homologao do Concurso, eliminar o candidato,

    independentemente de qualquer resultado obtido na(s) prova(s), sem prejuzo

    das sanes penais aplicveis falsidade de declarao.

    4. Caber ao candidato comprovar que o diploma ou certificado seja proveniente

    de curso reconhecido, credenciado ou recomendado e, quando realizados no

    exterior, revalidado por Universidade ou Instituio Oficial, credenciada pelo

    rgo competente.

    5. Somente poder ser admitido o estrangeiro que preencha os requisitos para

    naturalizao, e o estrangeiro de nacionalidade portuguesa, com direito aos

    benefcios do Estatuto da Igualdade.

    5.1. Em logrando xito no Certame, o estrangeiro que no cumprir as exigncias

    previstas nas alneas a, b e c, do subitem 2.1.2, do item 2 do Captulo V,

    ser desclassificado e excludo do mesmo.

    6. A Comisso Especial de Concurso Pblico poder a qualquer momento

    solicitar ao candidato a apresentao, esclarecimento ou informaes sobre os

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    documentos previstos no Edital.

    7. O prazo de validade do Concurso Pblico ser de 1 (um) ano, a partir da data

    de homologao em DOE, podendo ser prorrogado por igual perodo, a critrio

    da Direo da Unidade de Ensino.

    8. O candidato que aceitar as aulas oferecidas, mas no entrar em exerccio ou

    no entregar a documentao para formalizar a admisso, no prazo estipulado,

    ter exaurido os direitos decorrentes de sua habilitao no Concurso.

    9. Em hiptese alguma ser devolvido o valor pago pela inscrio, salvo em caso

    de cancelamento do Concurso.

    10. Edital na ntegra encontra-se afixado nas dependncias da Unidade de

    Ensino.

    SO PAULO, 06/06/2017

    _____________________________

    Nome e assinatura

    Presidente da Comisso Especial de Concurso Pblico

    Obs: o Presidente da Comisso Especial de Concurso Pblico dever rubricar

    as pginas dos anexos do Edital

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO I A QUE SE REFERE O ITEM 1, DO CAPTULO I DISPOSIES

    INICIAIS, DO EDITAL N 045/03/2017

    CRONOGRAMA

    1. Do perodo de Inscrio: 12/06/2017 26/06/2017

    2. Do perodo provvel para divulgao em DOE do Edital de Deferimento e

    Indeferimento de Inscries e Convocao para a Prova Escrita: 03/07

    07/07/2017

    3. Do perodo provvel para realizao da Prova Escrita: 14/07 18/07/2017

    4. Do perodo provvel da publicao em DOE do Edital de Resultado da Prova

    Escrita e Convocao para Prova de Mtodos Pedaggicos: 24/07 26/07/2017

    5. Do perodo provvel para realizao da Prova de Mtodos Pedaggicos: 04/08

    08/08/2017

    6. Do perodo provvel da publicao em DOE do Edital de resultado da Prova

    de Mtodos Pedaggicos, Prova de Ttulos e Classificao Final: 14/08

    18/08/2017

    7. Do perodo provvel da divulgao em DOE do despacho do Diretor de Escola

    Tcnica homologando o Concurso Pblico: 24/08 29/08/2017

    8. Do perodo provvel da publicao em DOE de Edital de Convocao:

    04/09 06/09/2017

    9. Os prazos e procedimentos para interposio de recursos encontram-se

    dispostos no Captulo XIII do presente Edital.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO II A QUE SE REFERE O CAPTULO II DO EMPREGO PBLICO

    DE PROFESSOR DE ENSINO MDIO E TCNICO, DO EDITAL N

    045/03/2017

    ATRIBUIES DO EMPREGO PBLICO QUE ALUDE O ARTIGO 93 DO

    REGIMENTO COMUM DAS ESCOLAS TCNICAS ESTADUAIS DO

    CEETEPS

    1. Atender s orientaes dos responsveis pela Direo, pelos Servios

    Administrativos, Acadmicos e pela Coordenao de Curso, nos assuntos

    referentes anlise, planejamento, programao, avaliao, recuperao e

    outros de interesse do ensino;

    2. Colaborar com as atividades de articulao da Etec com as famlias e a

    comunidade;

    3. Colaborar nos assuntos referentes conduta e ao aproveitamento dos alunos;

    4. Comparecer s solenidades e reunies de finalidade pedaggica ou

    administrativa, dos rgos coletivos e das instituies auxiliares de que fizer

    parte;

    5. Cumprir os dias letivos e as horas-aula estabelecidas pela legislao e pela

    escola;

    6. Elaborar e cumprir o plano de trabalho docente, segundo o projeto

    polticopedaggico da Etec, o Plano de Curso e as orientaes do CEETEPS;

    7. Estabelecer com alunos, colegas e servidores um clima favorvel ao

    educativa e em harmonia com as diretrizes gerais fixadas pela Etec;

    8. Estabelecer estratgias de recuperao para alunos de menor rendimento e

    dar cincia dela aos mesmos;

    9. Informar os alunos, no incio do perodo letivo, do plano de trabalho docente;

    10. Manter em dia os assentamentos escolares e observar os prazos fixados

    para encaminhamento dos resultados parciais e finais;

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    11. Participar dos perodos dedicados ao planejamento, avaliao e ao

    desenvolvimento profissional;

    12. Preparar as aulas e material didtico de apoio, bem como as atividades de

    recuperao;

    13. Zelar e conservar os materiais, as instalaes e os equipamentos de trabalho

    que esto sob sua guarda ou utilizao;

    14. Zelar pela aprendizagem dos alunos.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO III A QUE SE REFERE O ITEM 5, DO CAPTULO V DAS

    INSCRIES E CONDIES, DO EDITAL N 045/03/2017

    Eu, _____________________________, portador da Clula de Identidade RG

    n _________ e inscrito no CPF sob n ______________, venho, presena

    desta Comisso Especial de Concurso Pblico, solicitar em conformidade com o

    Decreto n 55.588, de 17/03/2010, a incluso e uso do meu nome social, para

    todos os fins de tratamento relacionados ao Concurso Pblico de Professor de

    Ensino Mdio e Tcnico Edital n 045/03/2017.

    Nome Social:

    _____________________________

    Nestes Termos,

    Pede deferimento.

    _______________, __ de __________ de ____

    ______________________________________

    Assinatura do Requerente

    Obs.: Este requerimento preenchido deve ser protocolado na Unidade at o

    ltimo dia das inscries.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO IV A QUE SE REFERE O SUBITEM 6.3., DO ITEM 6, DO

    CAPTULO V DAS INSCRIES E CONDIES, DO EDITAL N

    045/03/2017

    Eu, ______________________________, portadora da Clula de Identidade RG

    n _________ e inscrita no CPF sob n ______________, venho, presena

    desta Comisso Especial de Concurso Pblico, solicitar amamentar meu filho(a)

    durante a realizao das provas do Concurso Pblico de Professor de Ensino

    Mdio e Tcnico Edital n 045/03/2017.

    E indico para guarda:

    Nome: _____________________________

    RG: _________ CPF: ______________

    Nestes Termos,

    Pede deferimento.

    Em ___/___/_____

    ______________________________

    Assinatura da Candidata

    Obs.: Dever entregar este requerimento devidamente preenchido e assinado

    juntamente com cpia da certido de nascimento do lactente e do documento de

    identidade com foto do adulto responsvel por sua guarda no decorrer das

    Provas.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO V A QUE SE REFERE O SUBITEM 1.3 DO ITEM 1, E SUBITEM 2.1

    DO ITEM 2, DO CAPTULO VII DA REDUO OU ISENO DA TAXA DE

    INSCRIO, DO EDITAL N 045/03/2017

    Declaro, sob as penas da Lei, para fins de Reduo/Iseno de taxa de inscrio

    no Concurso Pblico de Professor de Ensino Mdio e Tcnico Edital n

    045/03/2017, que:

    Reduo da taxa de inscrio (Nos termos da Lei 12.782, de 20/12/2007):

    ( ) percebo remunerao mensal inferior a 2 (dois) salrios mnimos;

    ( ) estou desempregado;

    ( ) sou alunos regularmente matriculado em quaisquer cursos dispostos no Item

    1 do Captulo VII Da reduo ou iseno da taxa de inscrio, do Edital de

    Abertura de Inscries.

    Iseno da taxa de inscrio (Nos Termos da Lei Estadual 12.147, de

    12/12/2005):

    ( ) doei sangue no mnimo 3 (trs) vezes nos ltimos 12 (doze) meses.

    Estou ciente de que se acaso verifique m-f de minha parte, a qualquer

    momento, serei eliminado do Concurso Pblico e estarei sujeito s penalidades

    previstas na legislao em vigor.

    _________________, ____ de _________________ de ______

    Nome: _____________________________

    RG.: _________ CPF: ______________

    ______________________________

    Assinatura do Requerente

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    Obs.: O Requerente dever protocolar este formulrio, devidamente preenchido

    e assinado, juntamente com a documentao estabelecida no Captulo VII do

    Edital de Abertura de Inscries.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO VI A QUE SE REFERE O ITEM 4, DO CAPTULO VIII DAS

    INSCRIES E PARTICIPAO DOS CANDIDATOS COM DEFICINCIA,

    DO EDITAL N 045/03/2017

    Eu, ______________________________, portador da Clula de Identidade RG

    n _________ e inscrito no CPF sob n ______________, venho, presena

    desta Comisso Especial de Concurso Pblico, requerer a aplicao das Provas

    do Concurso Pblico Edital n 045/03/2017 na forma ou condio especial abaixo

    descrita.

    Descrio de ajudas tcnicas ou condies especiais:

    __________________________________________

    Nestes Termos,

    Pede deferimento.

    Em ___/___/_____

    ______________________________

    Assinatura do Candidato

    Obs.: O laudo mdico juntamente com este anexo preenchido deve ser

    protocolado na Unidade at o ltimo dia das inscries.

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO VII A QUE SE REFERE O ITEM 4, DO CAPTULO X DAS

    PROVAS, DO EDITAL N 045/03/2017

    COMPONENTE CURRICULAR

    DESENHO TCNICO DE MODA / DESENHO TCNICO EM MODA

    PROGRAMAS DAS PROVAS

    PROGRAMA DA PROVA ESCRITA: - questes sobre Lei Federal 12.527, de 18-11- 2011 (Lei de Acesso Informao)

    -questes sobre o Decreto 58.052, de 16-05-2012

    - questes tcnicas do componente Curricular : Desenho Tcnico de Moda

    Bases Tecnolgicas: 1. Representao grfica digital da figura de Axis (Corel Draw) 2. Representao grfica digital das principais peas do vesturio e suas adaptaes (Corel Draw): saias; calas; camisas; blusas; vestes (casacos); vestidos

    3. Representao grfica digital das principais partes e detalhes de peas do vesturio e suas variaes (Corel Draw): bolsos; mangas; golas; drapeados e babados; recortes; passantes; filigranas

    4. Representao grfica digital dos principais aviamentos e costuras das peas do vesturio e suas variaes (Corel Draw): botes; ilhoses; zperes; rebites; etiquetas; pespontos; caseados; travetes; etc

    5. Cotagem 6. Criao e preenchimento de fichas tcnicas (Corel Draw): finalidade (porque); tipos; aplicaes:

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    o onde usar na indstria de confeco informaes necessrias

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    ANEXO VIII A QUE SE REFERE O ITEM 4, DO CAPTULO XII DA

    CLASSIFICAO, CRITRIOS DE DESEMPATE, CONVOCAO E DA

    ADMISSO, DO EDITAL N 045/03/2017

    DOCUMENTAO A QUE ALUDE O MANUAL DE RECURSOS

    HUMANOS

    1. Currculo atualizado (simplificado);

    2. Declarao de Situao Funcional (modelo fornecido pela Unidade);

    3. Declarao de Acumulao de Cargo/Funo, quando for o caso

    (modelo fornecido pela Unidade);

    4. Declarao informando se possui ou no antecedentes criminais (modelo

    fornecido pela Unidade);

    5. Declarao de Dependentes para fins de desconto do Imposto de Renda

    na Fonte (modelo fornecido pela Unidade);

    6. Requerimento de Salrio Famlia (modelo fornecido pela Unidade), e

    cpia da(s) Certido(es) de Nascimento;

    7. Cpia da Carteira de Vacinao dos filhos quando for o caso;

    8. Cpia da Carteira de Trabalho e Previdncia Social CTPS, apenas das

    pginas onde constam a identificao (frente e verso) e do ltimo registro;

    9. Cpia da Cdula de Identidade RG;

    10. Cpia do Cadastro de Pessoa Fsica CPF;

    11. Cpia do PIS/PASEP;

    12. Cpia do Ttulo de Eleitor e do comprovante de votao do 1 e 2 turnos

    da ltima eleio, do 2 turno desde que tenha havido ou declarao

    informando que est em dia com as obrigaes eleitorais;

    13. Cpia do Certificado Militar ou comprovante de estar em dia com as

  • ANEXO 4A1

    Verso 03/04/2017

    obrigaes militares, quando do sexo masculino;

    14. Cpia da Certido de Nascimento ou Casamento;

    15. Cpia autenticada dos documentos que comprovem os requisitos

    constantes do Edital de Abertura de Inscries (Diploma, ou na falta deste,

    o Certificado de Concluso, registro no respectivo conselho,

    especializaes, comprovante de experincia);

    16. Cpia do comprovante do nmero da conta corrente do Banco do Brasil.