Especial Volta às Aulas - Jornal Pampulha

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Caderno especial sobre educação e volta às aulas de crianças e adolescentes no segundo semestre. Publicada no jornal Pampulha, setembro de 2011.

Text of Especial Volta às Aulas - Jornal Pampulha

  • BE LO HOR I Z ON T E 1 7 A 2 3 DE S E T EMBRO DE 2 0 1 1

    especialPampulha

    Mochila nas costas e friozinho na barriga. Para os e

    studantes, o

    incio do ano letivo sempre cheio de novidades e

    descobertas.

    Para no ter decepo, preciso planejar e come

    ar, ainda no ano

    anterior, a escolher a melhor escola e o curso que

    mais atende

    aos objetivos do aluno. nesta poca do ano que as

    instituies

    abrem seus processos de seleo. Conhecer o merca

    do de ensino e

    as propostas das escolas o primeiro passo para um

    a educao de

    qualidade, principalmente quando essa tarefa cabe a

    os pais. Alm da

    educao infantil, dos ensinos fundamental, mdio e

    da gra-

    duao, uma boa formao requer cursos complem

    en-

    tares como os de lngua estrangeira e de informtica

    ,

    que tambm pedem uma pesquisa aprofundada

    antes de se fazer a matrcula.

  • Escolhendo com sabedoriaSegundo semestre do ano o momento ideal para escolher a nova escola dos filhos

    comum que tantosos pais quanto os filhosfiquem ansiosos eapreensivos quando setrata do incio da vida es-colar ou mesmo de mu-dana de instituio. Porse tratar de uma decisoque pode influenciar di-retamente o futuro dosfilhos, preciso que ospais tenham cuidado re-dobrado ao escolher ainstituio de ensino on-de iro matricul-los. Eesta poca do ano idealpara comear a pesqui-sar as escolas e seus pro-cessos de admisso.

    O primeiro passo fazer uma lista das esco-las. Os critrios para alistagem variam deacordo com o que ospais vo considerar co-mo sendo importante,como, por exemplo, lo-calizao, classificaoda instituio no ExameNacional do Ensino M-dio (Enem), indicaode amigos e familiares,entre outros.

    A partir da, um bomcaminho visitar as es-colas, para conhecer sualinha pedaggica e seus

    diretores.Localizado no bairro

    Castelo, o Colgio Cava-lieri prima pela forma-o de valores. Todo otrabalho desenvolvidotem planejamento peda-ggico prvio, que buscadesenvolver ao mximoas potencialidades doaluno. Investimos nosvalores para que elespercebam a importnciados mesmos, afirma acoordenadora pedaggi-ca do Colgio, RenataCarvalho.

    LocalizaoOutro detalhe impor-

    tante conferir se o co-lgio mantm umacompanhamento maisprximo dos alunos, co-mo o caso do Cavalie-ri, que investe em tur-mas reduzidas, facili-tando a adaptao e oaprendizado. O atendi-mento de forma maisindividualizada possibi-lita que conheamosmelhor nossos alunos, oque se reflete em ga-nhos na educao, dizRenata Carvalho. Almdisso, os pais devem

    procurar saber a expe-rincia da equipe deeducadores.

    Principalmente nocaso de crianas maisnovas, fundamentalobservar o espao fsicoda escola e se ela possuireas adequadas de la-zer, esporte e convvio,que sejam seguras. Oparquinho infantil, porexemplo, deve ser averi-guado pelos pais. Sehouver um bom colgioprximo moradia dacriana ou adolescente,o ideal prioriz-lo, deforma que ele possa fa-zer as refeies em casa,por exemplo.

    Para pais que tm fi-lhos adolescentes que jesto se preparando pa-ra o vestibular, a escolhada escola pode dependertotalmente do seu de-sempenho no Exame Na-cional do Ensino Mdio etambm na metodologiapreparatria utilizadacom os alunos. Algumasescolas, por exemplo,oferecem aulas em hor-rio integral para o ensinomdio, alm de cursosespecficos para o Enem.

    Na busca de umainstituio de ensino,os pais devem observaruma srie de detalhesque vo influenciartanto na aprendizagemquanto na socializaoe segurana dos estu-dantes. Assim, analisara grade curricular e osmtodos de ensino primordial e um direitodos pais, que podem,durante a visita, procu-rar no s conhecer aestrutura fsica daescola, como tambm a

    metodologia de ensino.Mtodos antigos de

    ensino e que ignoram apreparao para onovo Enem, por exem-plo, devem ser exclu-dos da lista. O ideal que a escola utilize asferramentas s quais oaluno est acostuma-do, como recursos tec-nolgicos. Isso vai esti-mular mais a crianaou jovem a estudar.Colgios que se preo-cupam e incentivam asescolhas profissionais

    dos seus estudantestambm devem serpriorizados. Temosum programa de orien-tao vocacional compsicloga especialistaem carreiras, alm deatividades de reforo,contedos de enrique-cimento pedaggicoem consonncia com onovo Enem, entreoutros, exemplifica acoordenadora pedag-gica do ColgioCavalieri, RenataCarvalho.

    Em sintonia com a atualidade

    Este o momento de escolher amelhor escola para os filhos

    O Colgio Cavalieri, localizado noCastelo, tem programa de orientao

    vocacional para os seus alunos

    CRISTIANO TRAD - 2.2.2011

    DIVULGAO

  • As mudanas cadavez mais velozes tam-bm apresentam novosdesafios para os peque-nos. Educadores sedeparam com umasociedade mais polari-zada, desigual e compe-titiva, o que representanovas formas de intera-o para as quais ascrianas devem ser pre-paradas. Temas queantes no eram debati-dos vm tona e exi-gem posicionamentona educao oferecida

    pelas escolas o casode discusses acerca dahomossexualidade e doaborto.

    Alm disso, crescetambm a necessidadede que as crianas este-jam de acordo com aspautas em destaque nomundo, especialmentea preservao do meioambiente e o respeito atodo e qualquer tipo dediversidade.

    A coordenadora daescola Miudinhos, ElzaVasconcelos, diz que

    essa realidade estexposta a todo omomento s crianas e responsabilidade daescola prepar-laspara esse cenrio. Aescola infantil nodeve tentar forjar ummundo irreal para acriana, protegendo-asob uma redoma, masajud-la a se capacitare se tornar forte e com-petente para ir luta econquistar a felicidadepossvel a cada um dens, declara.

    O ensino infantil ontem e hoje

    A educao infantilprope que as crian-as abaixo de 6 anostenham acesso a brin-cadeiras e atividadesque colaborem com odesenvolvimento dapersonalidade, lin-guagem e inclusosocial. No entanto, asmudanas recentes naeducao, com aampliao do ensinofundamental paranove anos, provoca-ram adaptaes nessafase do ensino.

    As alteraes fize-ram com que algumasescolas adiantassemos contedos queseriam incorporadosum ano mais tarde eadotassem, j para ospequenos, a educaoformal, com ativida-des voltadas para aalfabetizao e desen-volvimento do racio-cnio matemtico.

    Segundo a coorde-nadora da escolainfantil Miudinhos,Elza Vasconcelos,

    ainda que essas disci-plinas sejam muitovalorizadas na nossacultura, precisoatentar para as neces-

    sidades do ensinoinfantil. As escolasque priorizam aaprendizagem formale adotam, na educa-

    o infantil, o modelodo ensino fundamen-tal, no levam emconta as especificida-des e as necessidades

    das crianas peque-nas, adverte.

    Segundo ela, necessrio que a esco-la infantil propicie

    criana o desenvolvi-mento harmnico epessoal das vriasinteligncias. Dessaforma, a criana podeaprender por diversoscaminhos e usandovrios modos e meiosde expresso.

    InfnciaO ensino infantil

    deve garantir que ascrianas vivam ainfncia plenamente,o que prev que, almde brincar e aprender,elas recebam limites eaprendam a lidar comas frustraes que arealidade e a vidasocial impem.

    As crianas preci-sam ter modelos ade-quados e confiveis aquem se espelhar.Crianas felizes sofortes o suficientepara serem apresenta-das gradativamente scontradies e com-plexidade da vida semserem destrudas porelas, afirma.

    Infncia em sua plenitudeNa educao infantil, crianas devem ser educadas conforme as suas necessidades

    FOTOS ESCOLA MIUDINHOS / DIVULGAO

    Na escola infantil Miudinhos, a educao infantil considera as necessidades e especificidades das crianas, proporcionando um desenvolvimento harmnico

    Miudinhos: O ensino infantil deve garantir que as crianas vivam a sua infncia plenamente

  • Com que idade acriana deve ir para aescola? A pergunta afli-ge muitos pais. Houveuma poca em que aresposta era oferecida econdicionada por al-gum agente externo:quando no havia esco-las de educao infan-til. No havia dvida:criana ingressava naescola aos 7 anos. De-pois veio o pr-escolar,que antecipou o ingres-so para os 6 anos. Epouco depois, com oschamados jardins deinfncia, o ingressopassou a acontecer aos4 anos, quando a crian-a ia para o 1 perodo.

    No sculo 21, no fal-tam escolas e crechespara atender crianas apartir da mais tenraidade. E tambm nofaltam fatores externospressionando as fam-lias a buscarem a me-lhor para os filhos: aparticipao maciadas mulheres no mer-cado de trabalho,agrande frequncia de fi-lhos nicos, sem contara preocupao com ummundo to competiti-vo, motivos que, com-binados, parecem reco-mendar o ingresso dacriana na escola.

    No h dvidas deque a criana estimula-

    da em um bom ber-rio fecha o primeiroano de vida muito maisautnoma e segura. So-bretudo porque no ber-rio o beb tem aoportunidade de inte-ragir com iguais e comum ambiente cuidado-samente planejado pa-ra o seu estmulo. Lem-brando que a participa-o da famlia muitoimportante para esseprocesso.

    PaisH famlias que op-

    tam pela escola quandocomeam a perceberque j no tm maisum beb. A criana d

    seus passos ainda in-certos, nomeia o mun-do a sua volta, enxergaum universo em umgro de areia.

    Outros pais que ain-da nessa fase vo conti-nuar inseguros quanto experincia escolar,buscando sobretudorespeitar as particula-ridades de cada crian-a, como seus horriosde alimentao, des-canso e higiene. Paraesses pais, bom lem-brar que na educaoinfantil o educar in-dissociado do cuidar.Portanto, essas dimen-ses tambm seroatendidas.

    Pais contam hoje com instituies de ensino especializadas em acompanhar as crianas desde beb

    Na escola, antes dos primeiros passosNa escola, antes dos primeiros passos

    Muito mais do queensinar matemtica,portugus e outras ma-trias, antes de tudo aescola forma cidadospautados em valoresticos como respeito aoprximo e soli