of 24/24
1 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA OBJETO REFORMA DO TELHADO, INSTALAÇÃO DE NOVO BARRILETE E INSTALAÇÃO DE TOLDO NO PRÉDIO DO FÓRUM LAFAYETTE - BH PRAZO CENTO E OITENTA DIAS CORRIDOS CONDIÇÕES LOCAIS PRÉDIO EM FUNCIONAMENTO A - DIRETRIZES PRELIMINARES 1. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA FORNECIDA PELO TJMG 1.1. ESPECIFICAÇÕES CIVIS Conteúdo do Arquivo Nome do Arquivo Especificação Técnica BH-Forum Lafayette - ESPECIFICACAO Relação de Documentos para pagamento BH-Forum Lafayette - PAGAMENTO Normas de Segurança do Trabalho BH-Forum Lafayette - SEGURANCA Planilha orçamentária com custos apurados pelo TJMG BH-Forum Lafayette - CUSTOS Planilha com custos apurados pelo TJMG - Instalações hidráulicas BH-Forum Lafayette - CUSTOS HID Planilha com custos apurados pelo TJMG - Instalações de SPDA BH-Forum Lafayette - CUSTOS SPDA Resolução do CONAMA BH-Forum Lafayette - CONAMA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA - licitacao.tjmg.jus.brlicitacao.tjmg.jus.br/licit/2013/Pregao Eletronico_080-13... · Modelo de Planilha Detalhada para Proposta Modelo - PLANILHA DETALHADA

  • View
    230

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA - licitacao.tjmg.jus.brlicitacao.tjmg.jus.br/licit/2013/Pregao...

  • 1

    ESPECIFICAO TCNICA

    OBJETO REFORMA DO TELHADO, INSTALAO DE NOVO BARRILETE E INSTALAO DE TOLDO NO PRDIO DO

    FRUM LAFAYETTE - BH

    PRAZO CENTO E OITENTA DIAS CORRIDOS

    CONDIES LOCAIS

    PRDIO EM FUNCIONAMENTO

    A - DIRETRIZES PRELIMINARES

    1. DOCUMENTAO TCNICA FORNECIDA PELO TJMG

    1.1. ESPECIFICAES CIVIS

    Contedo do Arquivo Nome do Arquivo

    Especificao Tcnica BH-Forum Lafayette - ESPECIFICACAO

    Relao de Documentos para pagamento BH-Forum Lafayette - PAGAMENTO

    Normas de Segurana do Trabalho BH-Forum Lafayette - SEGURANCA

    Planilha oramentria com custos apurados pelo TJMG

    BH-Forum Lafayette - CUSTOS

    Planilha com custos apurados pelo TJMG - Instalaes hidrulicas

    BH-Forum Lafayette - CUSTOS HID

    Planilha com custos apurados pelo TJMG - Instalaes de SPDA BH-Forum Lafayette - CUSTOS SPDA

    Resoluo do CONAMA BH-Forum Lafayette - CONAMA

  • 2

    1.2. LISTAS E MEMORIAIS DAS INSTALAES COMPLEMENTARES

    Tipo de Projeto Nome do Arquivo

    Listas do Projeto de Instalaes Hidrulicas BH-Forum Lafayette - Lista HID

    Listas do Projeto de Instalaes de SPDA BH-Forum Lafayette - Lista SPDA

    Memorial do Projeto de Instalao Hidrulica BH-Forum Lafayette - Memorial HID

    1.3. MODELOS PARA DOCUMENTOS A SEREM ENTREGUES

    Contedo do Arquivo Nome do Arquivo

    Modelo de Planilha Detalhada para Proposta Modelo - PLANILHA DETALHADA

    Modelo de Composio de BDI Modelo - BDI

    Modelo de Composio de Encargos Sociais sobre Mo-de-Obra

    Modelo - ENCARGOS

    Modelo de Composio de Custo de Preo Unitrio Modelo - COMPOSICAO

    Modelo de Dirio de Obras Modelo - DIRIO

    Modelo de Cronograma Fsico-financeiro da obra Modelo - CRONOGRAMA

    Modelo de Planilha de Materiais e Mo-de-Obra para as Instalaes Complementares

    Modelo - PLANILHA DE INSTALACOES

    Modelo de Relao Descritiva dos materiais a serem utilizados na obra.

    Modelo - RELACAO DE MATERIAIS

    1.4. PROJETOS TCNICOS

    Os projetos so identificados por um carimbo padronizado do Tribunal de Justia, onde constam o tipo de projeto, etapa, classificao, e a numerao da prancha de desenho, seguida da indicao do total de folhas.

  • 3

    1.4.1. PROJETO EXECUTIVO DE ARQUITETURA

    Prancha Contedo da Prancha Nome do Arquivo

    01/04 PLANTA DE COBERTURA NOTAS

    BH-Forum Lafayette - Cobertura ARQ EX01 01-04

    02/04 PLANTA DE DEMOLIO COBERTURA NOTAS, DETALHE DE EXECUO; FIGURA 1

    BH-Forum Lafayette - Cobertura ARQ EX01 02-04

    03/04 FOTOS; CORTE AA; ESCADA C/ GAIOLA NOTAS; PLANTA ESQUEMTICA DA COBERTURA DETALHES DE 1 A 9

    BH-Forum Lafayette - Cobertura ARQ EX01 03-04

    04/04 ESCADAS, GAIOLAS E GUARDA-CORPO DETALHES DE 10 A 16, FOTOS ILUSTRATIVAS

    BH-Forum Lafayette - Cobertura ARQ EX01 04-04

    01/01 TOLDO 2, 3 e 4 PAVTOS DETALHE DO TOLDO

    BH-Forum Lafayette - Toldo ARQ EX01 01-01

    1.4.2. PROJETO PADRO DE ARQUITETURA

    Tipo da Prancha Contedo da Prancha Nome do Arquivo

    PDR-GCTubos GUARDA-CORPO EXTERNO E INTERNO EM TUBOS PDR-GCTubos

    PDR-PlacaObra MODELOS DE PLACAS DE OBRA PDR-PlacaObra

    1.4.3. PROJETO INSTALAES HIDRULICAS

    Prancha Contedo da Prancha Nome do Arquivo

    01/02 PLANTA DE COBERTURA / BARRILETE GUA FRIA NOTAS; DETALHES TPICOS; SIMBOLOGIA

    BH-Forum Lafayette HID EX01 01-02

    02/02 PLANTA DE COBERTURA PLUVIAL E VENTILAO NOTAS; DETALHES TPICOS

    BH-Forum Lafayette HID EX01 02-02

    1.4.4. PROJETO INSTALAES DE SPDA

    Prancha Contedo da Prancha Nome do Arquivo

    01/01 SPDA SISTEMA DE PROTEO CONTRA DESCARGAS ATMOSFRICAS

    BH-Forum Lafayette SPDA EX01 01-01

  • 4

    B - DIRETRIZES GERAIS DA ESPECIFICAO TCNICA

    1. OBJETIVO

    Estabelecer critrios para a execuo de reforma do telhado, instalao de novo barrilete e

    instalao de toldo no prdio do Frum Lafayette, na comarca de Belo Horizonte. Este prdio

    situa-se na Avenida Augusto de Lima, n 1.549, Barro Preto Belo Horizonte.

    2. ADMINISTRAO

    Os servios sero realizados com o prdio em funcionamento. O desenvolvimento dos

    servios obedecer ao ritmo que satisfaa perfeitamente o cumprimento do prazo previsto,

    mas no poder interferir no funcionamento do Frum.

    Todos os funcionrios da contratada usaro obrigatoriamente uniformes e crachs de

    identificao. Durante a execuo dos servios, no ser permitido, em hiptese alguma, o

    trnsito de funcionrios da contratada nas dependncias do prdio, sem que estejam

    previamente autorizados.

    3. ORIENTAES EXECUTIVAS DOS SERVIOS

    O Frum permanecer em funcionamento durante a reforma e seus servios tero prioridade

    absoluta sobre as obras a serem executadas no prdio.

    A obra se desenvolver com o prdio ocupado que dever ser mantido limpo.

    Todos os servios de demolio devero ser concentrados na parte da manh e/ou aps as

    18:00h, sendo permitida, durante o perodo de 12:00h at as 18:00h, a execuo de servios

    que no causem transtornos e tumultos ao andamento das atividades Forenses.

    Os servios tambm podero ser executados nos finais de semana, com autorizao

    especial da Direo Forense e com acompanhamento de funcionrios / vigilncia do Frum.

    No ser permitida a permanncia de materiais de construo nas reas de trnsito de

    usurios do Frum, tais como telhas, calhas, tubos, latas de tinta, etc.

    Obs.: A execuo dos servios dever ser feita sempre sob orientao da Fiscalizao do

    TJMG e sob ordem da Direo Forense.

    Prever fornecimento de mo-de-obra para executar sinalizao orientativa aos usurios do

    prdio do Frum durante a obra.

  • 5

    4. ENERGIA ELTRICA E GUA

    O consumo de energia eltrica e gua para a execuo dos servios sero por conta do

    TJMG, no entanto a distribuio da energia para os equipamentos de utilizao na obra ser de

    responsabilidade da CONTRATADA. Aps a concluso dos servios, os pontos utilizados

    devero ser entregues da mesma maneira, ou em melhores condies em que se

    encontravam antes da obra.

    Em hiptese alguma sero permitidos cortes do fornecimento de energia eltrica e hidrulica

    durante o expediente normal de trabalho. Esses cortes s podero ser executados em finais

    de semana previamente programados e autorizados pela fiscalizao do Tribunal.

    5. USO DAS DEPENDNCIAS DO PRDIO

    Ser disponibilizado pela fiscalizao do TJMG um local para servir como vestirio, refeitrio

    e depsito de pequenas ferramentas, os quais devero ser utilizados seguindo as restritas

    recomendaes de ordem, segurana e higiene, estabelecidas pela Fiscalizao do TJMG.

    No caber ao TJMG a guarda e vigilncia dos materiais e equipamentos pertencentes

    contratada.

    6. NORMAS DE SEGURANA DO TRABALHO

    Devero ser obedecidos todos os itens das seguintes normas: NR6, NR10 e NR18 e na falta

    destas as Normas Internacionais vigentes.

    Os elementos mais relevantes das normas regulamentadoras: NR6, NR10 e NR18 foram

    listados no anexo, que parte integrante deste caderno.

    OBS: os itens destacados neste Anexo, no isentam a contratada de cumprir os demais itens

    destas Normas, as Normas Tcnicas Oficiais estabelecidas pelos rgos competentes e, na

    falta destas as Normas Internacionais vigentes.

    7. GESTO DOS RESDUOS NA CONSTRUO CIVIL

    A contratada dever proceder todos os servios em conformidade com a legislao ambiental

    federal, estadual e municipal com especial ateno s normas tcnicas e diretrizes e

    deliberaes normativas da municipalidade nos aspectos referentes aos resduos slidos da

    obra, bem como de acordo com os condicionantes ambientais constantes das licenas

    relativas a estes servios adiante especificados.

    Deve ser providenciado um Plano de Gerenciamento dos Resduos gerados pela construo

  • 6

    do prdio, obedecendo Norma especfica e s determinaes do municpio. Uma cpia

    dever ser entregue fiscalizao no primeiro dia de obra.

    8. ANOTAES DE RESPONSABILIDADE TCNICA

    Dever ser feito o registro da anotao de responsabilidade tcnica, junto ao CREA, para os

    diferentes tipos de servios a serem executados, observando-se as atribuies de cada

    profissional.

  • 7

    C - DESCRIO DOS SERVIOS

    1 PESSOAL

    1.1 PESSOAL TCNICO / ADMINISTRATIVO

    1.1.1 ENGENHEIRO CIVIL

    A obra ser acompanhada em tempo parcial, com no mnimo 03 (trs) visitas semanais, por

    engenheiro civil. O profissional dever ser devidamente inscrito no CREA, com experincia

    profissional comprovada de no mnimo 05 (cinco) anos, adquirida em superviso de obras de

    caractersticas semelhantes.

    1.2 PESSOAL DE PRODUO

    1.2.1 ENCARREGADO DE OBRAS

    Dever constar no quadro de pessoal, em horrio integral, 01 encarregado de obras com

    experincia de, no mnimo 10 (dez) anos, adquirida no exerccio de funo idntica em obras

    de caractersticas semelhantes.

    1.2.2 TCNICO EM SEGURANA DO TRABALHO

    Dever constar no quadro de pessoal, em horrio integral, 01 tcnico em segurana do

    trabalho com experincia de, no mnimo 05 (cinco) anos, adquirida no exerccio de funo

    idntica em obras de caractersticas semelhantes.

    1.3 DESPESAS COM PESSOAL: MEDICINA E SEGURANA DO TRABALHO

    Despesas com medicina e segurana do trabalho: botas de couro, capacetes, luvas de couro,

    uniformes, culos de proteo, protetores auriculares, mscaras, etc.

    2 EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS

    Caber contratada tomar todas as providncias necessrias junto Prefeitura de Belo

    Horizonte, BHTrans e demais rgos competentes, no tocante s licenas e autorizaes

    para acesso, operao e manobra de veculos e equipamentos como guindastes, caminhes,

    carretas, etc., no entorno do Frum Lafayette, inclusive providncias quanto sinalizao e

    isolamento de reas necessrias s operaes de carga, descarga, transporte vertical e

    horizontal de materiais da obra, poda de rvores, etc.

  • 8

    Caso necessrio, a contratada tambm dever providenciar junto s concessionrias de

    energia e telecomunicaes o desligamento temporrio de suas redes, visando garantir a

    segurana das operaes de transporte vertical da obra. Neste caso, tais medidas devero

    ser rigorosamente planejadas e comunicadas previamente Fiscalizao do TJMG e

    direo do Frum, de forma a no causar interferncias ou prejuzos s atividades forenses.

    2.1 EQUIPAMENTOS LEVES

    A contratada dever arcar com todos os custos referentes utilizao das ferramentas e

    equipamentos leves necessrios para a execuo dos servios, tais como: furadeira, serra-

    mrmore, lixadeira, etc.

    2.2 GUINDASTE VEICULAR SOBRE PNEUS

    Dever ser executada a carga, descarga e transporte vertical tanto das telhas antigas que

    sero retiradas (fibrocimento) quanto das telhas novas que sero instaladas (metlicas, tipo

    sanduche). Para isto, a contratada dever utilizar um guindaste veicular sobre pneus com

    capacidade nominal de 50,0 ton, observando as seguintes condies:

    - Para iamento de um conjunto de telhas, o peso mximo ser de 1,0 ton.

    - O raio mximo de trabalho para o equipamento ser de 20,0 m.

    - As telhas sero elevadas a uma altura total de 25,0 m.

    - As telhas novas sero depositadas sobre a cobertura a 5,0 m de distncia da face do

    prdio.

    - Quando necessrio, sero utilizadas cintas de polister (capacidade mnima de 8,0 ton),

    possibilitando o transporte de telhas tanto individualmente quanto agrupadas (paletizadas).

    - Para a locao deste equipamento, considerar um consumo total de 120 hs durante o

    perodo de execuo da obra.

    2.3 GUINCHO ELTRICO / MINI-GRUA

    O servio de iamento com este equipamento dever ser executado para cargas menores

    (at 500 Kg), com altura mxima de elevao de 20,0 m, devendo o equipamento se

    posicionar em locais estrategicamente definidos ao redor do Frum. Devero ser

    providenciadas todas as medidas de proteo e isolamento do equipamento em relao aos

    usurios que transitam no prdio e no seu entorno.

    Para a locao deste equipamento, considerar todo o prazo de execuo da obra (180 dias).

  • 9

    2.4 GUINDAUTO

    Para efetuar o transporte, carga e descarga de materiais diversos entre a carreta/caminho

    (na rua ou passeio) e o cho (jardins ou rampas ao redor do prdio) ou vice-versa, a

    contratada dever utilizar um caminho Guindauto (tipo Munck ou similar) equipado com

    guincho com capacidade nominal de 6,0 a 8,0 ton.

    Quando necessrio, sero utilizadas cintas de polister (capacidade mnima de 8,0 ton),

    possibilitando o transporte de materiais tanto individualmente quanto agrupados

    (paletizados).

    Para a locao deste equipamento, considerar um consumo total de 120 hs durante o

    perodo de execuo da obra.

    3 SERVIOS INICIAIS

    3.1 PLACA DE OBRA

    Placa da Obra de acordo com as exigncias do CONFEA.

    Placa da Obra de acordo com o padro PDR-PlacaObra, tipo 02.

    3.2 BARRACO

    Ser disponibilizado um espao localizado no pavimento trreo do prdio, que servir para

    vestirio e guarda de materiais e equipamentos (barraco de obras), conforme indicao no

    projeto arquitetnico (dimenses 700 x 220 cm).

    Para utilizao deste espao, a contratada dever executar o fechamento da rea delimitada

    em projeto, com a instalao de tapume de madeira. O fechamento do tapume dever ser

    executado nos limites definidos na planta de localizao, sendo vedada a execuo de furos no

    piso existente.

    O tapume ter estrutura em pontaletes de madeira em peas de 50 x 50 mm de seo

    transversal e vedaes em chapa de madeira compensada laminada, espessura 12,0 mm.

    A rea delimitada pelo tapume receber uma cobertura em telhas onduladas de fibrocimento,

    espessura 6,0 mm, p-direito de 2,70 m, possuindo beirais de 0,50 m. Haver um espao

    para ventilao de 50 cm de altura entre o ponto mais alto do tapume e a cobertura de telhas,

    que ter apoios de madeira em peas de 50 x 50 mm de seo.

  • 10

    3.3 BANHEIRO QUMICO

    A contratada dever manter, ao lado do barraco de obras, 1 (um) banheiro qumico para uso

    de seus funcionrios durante todo o prazo de execuo da obra. A contratada ser

    responsvel pela limpeza e manuteno constante do banheiro qumico durante o prazo da

    obra, inclusive com a eliminao adequada dos dejetos.

    O banheiro qumico dever possuir as seguintes especificaes mnimas: sinal

    Livre/Ocupado; mictrio; piso antiderrapante; luminosidade; porta papel higinico; vaso

    sanitrio. Caractersticas Tcnicas: Altura: 2,20 m; Largura: 1,10 m; Profundidade: 1,20 m;

    Peso: 100 kg; Material: Polietileno de alta densidade; Capacidade do tanque: 220L.

    4 DEMOLIES E RETIRADAS

    4.1 EXECUO DE FUROS EM ESTRUTURA DE CONCRETO

    Executar furos em estrutura de concreto existente, espessura 10 cm, para permitir a

    passagem de tubulaes previstas no escopo dos servios. Para execuo dos furos dever

    ser utilizado equipamento de corte por abraso de modo a no gerar impactos na estrutura.

    4.1.1 FURO COM DIMETRO DE 40 MM (PARA TUBULAO DE 25 E 32 MM)

    4.1.2 FURO COM DIMETRO DE 75 MM (PARA TUBULAO DE 50 MM)

    4.2 DEMOLIO DE COBERTURA

    4.2.1 RETIRADA DE TELHAS DE FIBROCIMENTO TIPO KALHETO

    Executar retirada total das telhas de fibrocimento, tipo Kalheto (comprimento mx. = 650

    cm, distncia entre cumes = 44 cm). As telhas devero ser retiradas e manuseadas com os

    cuidados necessrios, de forma a serem reaproveitadas em outras obras, a critrio do TJMG.

    4.2.2 RETIRADA DE TELHAS ONDULADAS DE FIBROCIMENTO

    Executar retirada de telhas onduladas de fibrocimento sobre as torres, conforme indicao no

    projeto arquitetnico.

    Obs.: Nos itens 4.2.1 e 4.2.2 devero estar includos os servios de desmontagem das

    telhas e seu transporte horizontal manual at os locais de iamento (platibandas

    externas). Portanto no esto includos nestes itens os servios de iamento, carga e

    descarga, pois os mesmos j esto contemplados no item 2.2.

  • 11

    4.2.3 RETIRADA DE CALHAS METLICAS

    Executar a retirada total de calhas metlicas, conforme indicaes e detalhe no projeto

    arquitetnico, sem reaproveitamento.

    4.2.4 RETIRADA DE CHAPIM / RUFO METLICO

    4.2.4.1 RETIRADA DE CHAPIM COM RUFO INTEGRADO

    Executar a retirada total de chapins metlicos com rufo integrado, conforme indicaes no

    projeto arquitetnico, sem reaproveitamento. Considerar a retirada de chapim/rufo em todas

    as platibandas da cobertura.

    4.2.4.2 RETIRADA DE RUFO

    Executar a retirada total de rufos metlicos, conforme indicaes no projeto arquitetnico,

    sem reaproveitamento. Considerar a retirada de rufos nos encontros do telhado com os

    blocos de elevadores e escada.

    4.2.5 RETIRADA DE ENGRADAMENTO DE MADEIRA, COM REAPROVEITAMENTO

    Executar a retirada do engradamento da cobertura (pontaletes e teras 15 x 8 cm, em

    madeira de lei), inclusive sobre as torres, conforme indicao e detalhes no projeto

    arquitetnico, com reaproveitamento. A retirada do engradamento ser necessria para

    permitir a execuo das alteraes nos diagramas e caimentos do telhado, devendo ser feita

    de forma gradativa, conforme cronograma de obra a ser apresentado pela contratada.

    4.2.6 RETIRADA DE MALHA DE CAPTAO/SPDA

    Executar a retirada de toda a malha de captao do sistema de proteo contra descargas

    atmosfricas (SPDA) existente sobre a cobertura, sem reaproveitamento.

    4.2.7 RETIRADA DE ANTENAS DE TV, COM REAPROVEITAMENTO

    Executar a retirada de 2 (duas) antenas de TV existentes sobre a laje impermeabilizada

    situada prxima ao bloco de elevadores do setor da Av. Augusto de Lima, conforme

    indicao no projeto arquitetnico, com reaproveitamento.

    4.2.8 RETIRADA DE ESQUADRIAS METLICAS

    4.2.8.1 RETIRADA DE ALA SIMPLES (ESCADA)

    Executar a retirada de 1 (uma) ala metlica (L = 40 cm), existente na regio da escada de

  • 12

    marinheiro (Mdulo 1-Rua Ouro Preto), conforme indicao em projeto (foto ilustrativa).

    4.2.8.2 RETIRADA DE GAIOLA

    Executar a retirada de 1 (uma) gaiola metlica (h = 300 cm), existente na regio da escada

    de marinheiro (Mdulo 3-Rua Paracatu), conforme indicao em projeto (foto ilustrativa).

    4.3 CARGA, TRANSPORTE E DESCARGA MECNICA AT 20,0 KM

    A Contratada dever providenciar a carga, transporte e descarga das telhas tipo Kalheto em

    local a ser definido pela Fiscalizao do TJMG, considerando-se um DMT de 20,0 Km. Para

    isso, a Contratada dever dispor de equipamentos compatveis para esta finalidade, tanto

    para transportar quanto para executar a carga e descarga mecnica das telhas.

    Os procedimentos de carga, transporte e descarga das telhas devero ocorrer de forma

    fracionada, em etapas planejadas, considerando-se os seguintes fatores:

    - O transporte horizontal das telhas em cima do telhado ser feito sempre em direo s

    extremidades do telhado (platibandas externas), devendo as telhas ser empilhadas em locais

    estrategicamente escolhidos para facilitar o transporte vertical (iamento) das mesmas at o

    caminho que estar posicionado prximo ao passeio do Frum.

    - O empilhamento mximo a ser considerado sobre o telhado ser de 11 telhas de 6,0 metros

    de comprimento, as quais sero agrupadas em feixes para facilitar o servio de iamento.

    - A retirada das telhas dever ser feita em etapas sequenciais, no sendo permitido o

    destelhamento superior a 120,00 m por ciclo, devendo ser feita em seguida a recomposio

    gradual do telhado com as telhas metlicas (tipo sanduche). Pretende-se com isso evitar que

    a cobertura esteja muito vulnervel em casos de chuva.

    - Na eventual ocorrncia de chuvas durante a obra, a rea descoberta (nunca superior a

    120,00 m) dever ser protegida com lona encerada resistente, tipo Vinilona ou similar,

    devidamente estruturada para esta finalidade.

    - Durante a descarga das telhas no local devido (DMT = 20,0 Km), a Contratada dever

    providenciar o fornecimento de barrotes de madeira (pinus) de 5 x 5 cm para facilitar a

    descarga e empilhamento das telhas de fibrocimento.

    4.4 DEMOLIO DE BARRACO

    Ao trmino dos servios, a contratada dever providenciar a demolio/desmobilizao do

    barraco de obras.

  • 13

    4.5 BOTA-FORA DE DEMOLIES E RETIRADAS

    Todos os materiais no aproveitveis devero ter seu bota-fora providenciado, devendo ser

    transportados, independente da distncia mdia e o volume considerado, bem como o tipo de

    veculo utilizado at local determinado pela municipalidade.

    No ser permitido, em qualquer fase da obra, depositar material fora dos limites do terreno

    do Frum ou no passeio pblico, ficando a CONTRATADA sujeita a sanes da Prefeitura

    local. O Plano de Gerenciamento de Resduos dever contemplar os locais de bota-fora.

    5 COBERTURA

    5.1 ENGRADAMENTO

    5.1.1 ENGRADAMENTO DE MADEIRA

    5.1.1.1 REAPROVEITAMENTO

    O engradamento de madeira ser executado de acordo com o novo diagrama da cobertura,

    utilizando-se as peas reaproveitadas do madeiramento existente (pontaletes e teras 15 x 8

    cm, em madeira de lei), observando os desenhos, cortes e detalhes constantes no projeto

    arquitetnico.

    5.1.1.2 NOVO

    Executar engradamento novo conforme orientaes em projeto, utilizando as mesmas

    dimenses/sees do engradamento existente. Considerar uma rea total de 59,04 m de

    engradamento novo a ser executado.

    5.1.2 REFORO METLICO

    Sobre o engradamento, sero instalados perfis tipo U enrijecido 100 x 50 mm, chapa 2,25

    mm, revestidos com duas demos (40 micras cada) de pintura primer cinza claro, ref.

    Superprimer PEE 629 (conforme orientaes do fabricante). Estes perfis sero colocados

    sobre o topo de todas as teras de madeira, com o objetivo de garantir a perfeita fixao dos

    parafusos entre as telhas trmicas e o engradamento de madeira.

    5.2 TELHA GALVANIZADA TRAPEZOIDAL COM ISOLAMENTO TERMO-ACSTICO E

    PINTURA ELETROTSTICA, INCL. CUMEEIRAS

    Executar cobertura em telha galvanizada trapezoidal tipo sanduche, com isolamento termo-

    acstico em espuma de poliuretano. Sistema composto de uma telha inferior e uma superior

  • 14

    com pintura eletrosttica na cor branca, com um ncleo de espuma de poliuretano entre elas.

    Dimenses das telhas em funo da rea a ser coberta, fixadas na onda baixa da telha

    atravs de parafusos e demais acessrios de acordo com recomendaes do fabricante. No

    sentido dos caimentos, as telhas sero sempre inteiras at ao encontro com as calhas,

    exceto nos vos acima de 12,0 m que tero 2 (duas) telhas com comprimento suficiente para

    a cobertura do vo.

    As telhas sero instaladas conforme indicao no projeto arquitetnico, inclusive acima dos

    blocos de elevadores e escada, nos locais indicados em projeto.

    Seguir todas as orientaes do fabricante, inclusive para as fixaes.

    Colocao: a colocao das telhas ser feita sempre dos beirais para as cumeeiras, sendo o

    sentido da montagem contrrio ao dos ventos dominantes.

    Recobrimento: o recobrimento frontal das telhas, para inclinao menor que 10%, ser de

    300 mm e para inclinao maior ou igual a 10% ser de 250 mm. O recobrimento lateral ser

    simples para inclinao maior que 10% e recobrimento duplo para inclinao igual ou inferior

    a 10%.

    Caractersticas Tcnicas:

    - Telha metlica autoportante constituda por duas telhas trapezoidais perfiladas em ao

    galvalume (zinco+alumnio), espessura das faces metlicas de 0,65 mm na face superior e

    0,50 mm na face inferior, altura do trapzio 100 mm e largura til de 952 mm, acabamento

    em pr-pintura polister cor branco RAL 9003 nas duas faces aparentes com ncleo isolante

    em espuma rgida de poliuretano 30 mm, densidade 38/40 Kg/m, condutividade trmica

    0,023 W/m.K.C, auto extinguvel, com funes estruturais e de proteo trmica.

    Obs: Devero ser instaladas 16 telhas-alapo, conforme indicaes na planta de

    cobertura, as quais tero um sistema de fixao diferenciado, para facilitar a retirada da telha

    quando necessrio. Desta forma, as telhas-alapo no tero a costura lateral (prevista para

    as demais telhas no item 5.3.2) e, para a fixao nos apoios, devero ser utilizados fixadores

    tipo borboleta. As chapas destas telhas devero ser confeccionadas com cor diferente do

    restante do telhado.

    - Cumeeira trapezoidal perfilada em ao galvalume (zinco + alumnio), espessura da chapa

    0,65 mm, altura do trapzio 100 mm, largura til de 952 mm e abas de 300 mm, acabamento

    em pr-pintura polister cor branco RAL 9003 nas duas faces. A cumeeira dever

    acompanhar o formato da telha e ser fixada atravs de parafusos e demais acessrios de

    acordo com recomendaes do fabricante.

  • 15

    5.3 ELEMENTOS DE FIXAO

    5.3.1 FIXAO DA TELHA TRMICA NOS APOIOS:

    Parafusos auto-brocantes ou auto-atarrachantes 12 - - 14 x 2.3/8, TCP4 DUH EPDM

    ECOSEAL, com vedao dupla em arruela AL NEOBAND (arruela de vedao em neoprene

    e arruela BW). Considerar 4 (quatro) parafusos por telha por apoio (fixao na onda baixa).

    5.3.2 COSTURA TELHA/TELHA:

    Parafuso brocante x 7/8 TCP 1 DUH EPDM ECOSEAL. Os parafusos sero fixados no

    sentido longitudinal, a cada 1000 mm.

    5.4 ARREMATES

    Todos os arremates metlicos sero confeccionados em ao galvalume liso dobrado, 0,65 x

    3000 mm, acabamento em pr-pintura polister cor branco RAL 9003, desenvolvimento (D)

    conforme projeto, nos locais indicados no projeto arquitetnico.

    Emendas: os rufos e chapins sero em chapas isoladas no soldadas umas s outras, com

    trespasse mnimo de 5,0 cm entre as chapas.

    5.4.1 RUFO DE VEDAO (R1)

    Rufo metlico de vedao em chapa # 0,65 mm, D = 23,0 cm.

    5.4.2 RUFO DE CANTO (R2)

    Rufo metlico de canto em chapa # 0,65 mm, D = 40,0 cm.

    5.4.3 RUFO LATERAL (R3)

    Rufo metlico lateral em chapa # 0,65 mm, D = 60,0 cm.

    5.4.4 CHAPIM PARA PLATIBANDAS (C1)

    Chapim metlico em chapa # 0,65 mm, D = 34,0 cm.

    5.4.5 CHAPIM PARA TORRES (C2)

    Chapim metlico em chapa # 0,65 mm, D = 46,0 cm.

    5.4.6 FECHAMENTO DE ONDA

    Tapa onda ref.: Perfiflex, em PCO 100/950, inferior/superior.

  • 16

    5.5 CALHAS

    5.5.1 CALHAS EM AO CORTEN

    Executar calhas em chapas metlicas de ao corten, apoiadas em pontaletes e teras de

    madeira, conforme indicaes e detalhes no projeto arquitetnico e projeto hidrulico.

    CARACTERSTICAS TCNICAS:

    - Calhas em ao corten (SAC 300 ou COR 420) de alta resistncia mecnica e corroso

    atmosfrica, soldada, esp. 3mm, com pintura de proteo epxi a base de alcatro de hulha

    e dimenses conforme projeto.

    Para unio das calhas e instalao dos condutores pluvial, devero ser executadas soldas

    com a utilizao de eletrodos conforme especificao abaixo:

    CORRENTE

    ELETRODO

    TADO SOLDAGEM

  • 17

    5.5.2 PINTURA DE PROTEO DAS CALHAS

    5.5.2.1 PINTURA INTERNA DAS CALHAS

    O lado superior (ou seja, lado interno das calhas, inclusive abas) dever receber uma pintura

    de proteo composta de epxi mstique cinza, ref. N2630, conforme os seguintes

    procedimentos de aplicao:

    1 ETAPA Certificar que a rea esteja limpa, seca e isenta de impurezas ou qualquer

    substncia que possa interferir na aderncia ao substrato. Efetuar limpeza nos locais

    necessrios com lixa e jato dgua. Em seguida, executar limpeza mecnica em TODA A

    SUPERFCIE utilizando um desengraxante/decapante/fosfatizante, ref. DAL LIMP-600 (ou

    similar).

    2 ETAPA Aplicar pintura epxi mstique cinza N2630 (em conformidade com a Norma

    Petrobrs NP-2630), em duas demos de 120 micras, totalizando 240 micras, devendo ser

    seguidas todas as recomendaes do fabricante. Aplicar, com trincha, rolo de pintura ou

    pistola, no mnimo 2 (duas) demos dos componentes A + B, respeitando o intervalo mnimo,

    entre as demos, de 12 a 24 horas.

    5.5.2.2 PINTURA EXTERNA DAS CALHAS

    O lado inferior (ou seja, lado externo das calhas) dever receber uma proteo conforme os

    seguintes procedimentos de aplicao:

    1 ETAPA Certificar que a rea esteja limpa, seca e isenta de impurezas ou qualquer

    substncia que possa interferir na aderncia ao substrato. Efetuar limpeza nos locais

    necessrios com lixa e jato dgua. Em seguida, executar limpeza mecnica em TODA A

    SUPERFCIE utilizando um desengraxante/decapante/fosfatizante, ref. DAL LIMP-600 (ou

    similar).

    2 ETAPA Aplicar pintura primer na cor cinza claro, ref. Superprimer PEE 629, em duas

    demos (40 micras cada), seguindo todas as orientaes do fabricante.

    5.5.3 JUNTAS DE DILATAO DAS CALHAS

    Executar juntas de dilatao das calhas, com chapa metlica em ao SAC 300 ou COR 420

    (esp. = 3,0 mm) e aplicao de mstique poliuretano, conforme detalhe especfico em

    projeto.

  • 18

    5.5.4 BOCAIS DAS CALHAS

    As calhas sero dotadas de bocais de dimetro externo de 13 cm, constitudos do mesmo

    material das calhas (ao SAC 300 ou COR 420), inclusive solda. Devero ser observados os

    detalhes constantes no projeto arquitetnico e no projeto hidrulico.

    5.6 ALVENARIAS DE APOIO DAS TUBULAES

    5.6.1 ALVENARIA EM TIJOLOS CERMICOS MACIOS

    Executar apoios em alvenaria de tijolos cermicos macios sob as tubulaes hidrulicas,

    distantes entre si a cada 1,50 m. Os apoios tero seo de 20x20 cm (em planta) e altura

    mdia de 20 cm (varivel conforme o caimento das tubulaes). Seguir as indicaes e

    detalhes previstos no projeto arquitetnico e no projeto hidrulico. Para o assentamento da

    alvenaria, utilizar argamassa industrializada.

    6 ESQUADRIAS METLICAS

    6.1 GAIOLA SIMPLES PARA ESCADA DE MARINHEIRO (h = 215 cm)

    Executar gaiola metlica simples para escada de marinheiro conforme as seguintes

    orientaes:

    - Quantidade: 2 unidades

    - Locais: Escada 1 do Mdulo 1 (Rua Ouro Preto) e Escada 1 do Mdulo 3 (Rua Paracatu).

    - Instalao/Especificaes: Conforme Detalhe 10 (elevao / planta) no projeto arquitetnico

    6.2 GAIOLA DUPLA PARA ESCADA DE MARINHEIRO (h = 340 cm)

    Executar gaiola metlica dupla para escada de marinheiro conforme as seguintes

    orientaes:

    - Quantidade: 2 unidades

    - Locais: Escadas 2 e 3 do Mdulo 1 (Rua Ouro Preto) e Escadas 2 e 3 do Mdulo 3 (Rua

    Paracatu)

    - Instalao/Especificaes: Conforme Detalhe 12 (elevao / planta) no projeto arquitetnico

    6.3 GAIOLA INTERNA PARA ESCADA DE ACESSO COBERTURA (h = 130 cm)

    Executar gaiola metlica interna para acesso cobertura conforme as seguintes orientaes:

    - Quantidade: 3 unidades

  • 19

    - Locais: Escada 5 do Mdulo 1 (Rua Ouro Preto), Escada 5 do Mdulo 2 (Rua Guajajaras) e

    Escada 5 do Mdulo 3 (Rua Paracatu)

    - Instalao/Especificaes: Conforme Detalhe 14 (elevao / planta) no projeto arquitetnico

    6.4 ESCADA DE MARINHEIRO (h = 415 cm)

    Executar escada de marinheiro metlica (Escada 2) conforme as seguintes orientaes:

    - Quantidade: 1 unidade

    - Local: Mdulo 1 (Rua Ouro Preto)

    - Instalao/Especificaes: Conforme Detalhe 11 (planta), Detalhe 15 (elevao / corte) e

    Detalhe 16 (elevao / corte) no projeto arquitetnico.

    6.5 GUARDA-CORPO (h = 105 cm; comp. = 450 cm)

    Executar guarda-corpo metlico conforme as seguintes orientaes:

    - Quantidade: 2 unidades

    - Local: Junto Escada 1 do Mdulo 1 (Rua Ouro Preto) e junto Escada 1 do Mdulo 3

    (Rua Paracatu)

    - Instalao/Especificaes: Conforme Detalhe 13 (elevao / planta) no projeto arquitetnico

    e projeto padro PDR GC-Tubos.

    7 INSTALAES

    7.1 INSTALAES HIDRULICAS

    Todos os materiais descritos nas listas de materiais de instalaes foram distribudos nos

    itens 7.1.1 a 7.1.4, relacionados no Modelo de Planilha Detalhada fornecida pelo TJMG.

    NORMAS

    Ser executada de acordo com o projeto e respectivo memorial descritivo, fornecidos pelo

    TJMG, em conformidade com as normas tcnicas da ABNT, legislaes vigentes e padres

    especficos da concessionria.

    7.2 INSTALAES DE SPDA

    Todos os materiais descritos nas listas de instalaes foram distribudos no item 7.2.1,

    relacionado no Modelo de Planilha Detalhada, fornecida pelo TJMG.

    NORMAS

  • 20

    As instalaes sero executadas, de acordo com o projeto e respectivo memorial descritivo,

    fornecidos pelo TJMG, em conformidade com as normas tcnicas da ABNT, legislaes

    vigentes e padres especficos da concessionria.

    8 PINTURA

    PRELIMINARES

    Previamente pintura, as superfcies devero ser limpas e lixadas. O nmero de demos

    dever ser o necessrio para o perfeito cobrimento da superfcie (no mnimo duas demos).

    Referncias: Coral, Suvinil, Sherwin Willians ou similar.

    8.1 PINTURA DE ESQUADRIA METLICA

    8.1.1 TINTA ESMALTE SINTTICO INCLUSIVE TRATAMENTO ANTIFERRUGINOSO

    Aplicar fundo anti-corrosivo antes da aplicao do esmalte sinttico.

    Aplicar tinta esmalte sinttico formulada com pigmentos anticorrosivos de alta resistncia s

    intempries.

    Executar em toda a escada de marinheiro, inclusive gaiola, na cor grafite claro.

    8.2 PINTURA DE TUBULAES DE GUA FRIA DA COBERTURA

    8.2.1 TINTA ESMALTE SINTTICO INCLUSIVE TRATAMENTO ANTIFERRUGINOSO

    Aplicar tinta esmalte a base dgua formulada com pigmentos anticorrosivos de alta

    resistncia s intempries, na cor verde.

    Executar em toda a tubulao de gua fria do novo barrilete, conforme indicao do projeto

    hidrulico, em toda a cobertura do prdio.

    9 LIMPEZA

    9.1 LIMPEZA E ENTREGA DA COBERTURA

    Todos os locais de execuo dos servios devero ser mantidos constantemente limpos,

    devendo para tanto ser feita a retirada de entulho e sujeiras periodicamente. Para a entrega

    dos servios, todos os revestimentos, pavimentaes, calhas, etc, sero limpos e

    cuidadosamente lavados, de modo a no serem danificados, utilizando-se os produtos

    especficos para cada caso.

  • 21

    10 INSTALAO DE TOLDO

    10.1 TOLDO CORTINA

    Fornecer e instalar toldos no 2, 3 e 4 pavimentos do prdio, conforme detalhe especfico e

    nos locais indicados no projeto arquitetnico. O toldo dever seguir as seguintes

    especificaes tcnicas:

    Toldo Cortina;

    Sistema em catraca de alumnio;

    Revestimento em lona sinttica, internamente treliada em 100% polister,

    duplamente revestida em PVC malevel, antichama, antimofo, cor cinza

    (referncias: Vulcan, Alpargatas ou equivalente);

    Correntes e manivelas metlicos e parafusos para fixao;

    Comprimento mximo dos painis: 4,0 m;

    Altura dos painis: 3,0 m.

  • 22

    ANEXO FOTOS

    FOTO 1

    FOTO 2

  • 23

    FOTO 3

    FOTO 4

  • 24

    FOTO 5

    EQUIPE TCNICA

    GERENTE DE PROJETOS:

    Ana Paula Veloso Valente

    Eng Civil CREA-MG 82.179/D

    PROJETO ARQUITETNICO:

    Otto Leonardo Vieira

    Engenheiro Arquiteto - CREA-MG 49.349/D

    ESPECIFICAO TCNICA:

    Gustavo Celso da Fonseca

    Eng Civil - CREA-MG 60.538/D