EXPERI£¹NCIA DO 2013). Gilbert Simondon e Cuenca, apesar de n££o terem sido integrantes do grupo de

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of EXPERI£¹NCIA DO 2013). Gilbert Simondon e Cuenca, apesar de n££o terem sido...

  • Solange Missagia de Mattos

    EXPERIÊNCIA DO LAZER:

    um toque da Alma no Processo de Individuação

    Belo Horizonte Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG

    Programa de Pós-Graduação em Estudos do Lazer 2018

  • Solange Missagia de Mattos

    EXPERIÊNCIA DO LAZER:

    um toque da Alma no Processo de Individuação

    Tese apresentada ao Curso de Doutorado do

    Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em

    Estudos do Lazer da Escola de Educação Física,

    Fisioterapia e Terapia Ocupacional da

    Universidade Federal de Minas Gerais, como

    requisito parcial à obtenção do título de Doutora

    em Estudos do Lazer.

    Orientador: Prof. Dr. José Alfredo Oliveira Debortoli

    Belo Horizonte Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG

    Programa de Pós-Graduação em Estudos do Lazer 2018

  • M444e

    2018

    Mattos, Solange Missagia de

    Experiência do lazer: um toque da alma no processo de individuação.

    [manuscrito] / Solange Missagia de Mattos. – 2018.

    125 f.

    Orientador: José Alfredo Oliveira Debortoli

    Tese (doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Educação

    Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

    Bibliografia: f. 121-125

    1. Lazer - Teses. 2. Individuação – Teses. 3. Simondon, Gilbert. 4. Jung, C.G. – (Carl Gustav), 1815-1911. 5. Cuenca Cabeza, Manuel, 1946-. I. Debortoli, José Alfredo Oliveira. II. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. III. Título.

    CDU: 379.8

    Ficha catalográfica elaborada pela equipe de bibliotecários da Biblioteca da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia

    Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais.

  • Aprovada pela banca examinadora constituída pelos professores:

    Belo Horizonte, 30 de julho de 2018

  • AGRADECIMENTOS

    Agradeço ao Programa de Pós Graduação em Lazer, colegas e Professores,

    em especial ao meu Orientador José Alfredo Oliveira Debortoli que me acolheu e

    acompanhou-me no andar da pesquisa.

    Agradeço ao Professor Amauri Ferreira que me incentivou a enveredar-me pela

    pesquisa acadêmica.

    Agradeço à minha família: meu marido Geraldo da Silva Dantas e minha filha

    Marina de Mattos Dantas, grandes incentivadores de meus estudos.

    Agradeço à minha mãe, Izabel Missagia Mattos que me ensinou a escrever as

    primeiras letras e sempre torce por mim.

    Agradeço aos anônimos que me procuraram e me procuram para uma ajuda

    interior e foram os inspiradores desta pesquisa.

  • AQUARELA

    Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo

    E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo.

    Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva,

    E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva.

    Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel,

    Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu.

    Vai voando, contornando a imensa curva Norte e Sul,

    Vou com ela, viajando, Havai, Pequim ou Istambul.

    Pinto um barco a vela branco, navegando, é tanto céu e mar num beijo azul.

    Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená.

    Tudo em volta colorindo, com suas luzes a piscar.

    Basta imaginar e ele está partindo, sereno, indo,

    E se a gente quiser ele vai pousar.

    Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida

    Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida.

    De uma América a outra consigo passar num segundo,

    Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo.

    Um menino caminha e caminhando chega no muro

    E ali logo em frente, a esperar pela gente, o futuro está.

    E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar,

    Não tem tempo nem piedade, nem tem hora de chegar.

    Sem pedir licença muda nossa vida, depois convida a rir ou chorar.

    Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá.

    O fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar.

    Vamos todos numa linda passarela

    De uma aquarela que um dia, enfim, descolorirá.

    Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo (que descolorirá).

    E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo (que descolorirá).

    Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo (que descolorirá).

    Compositores: Antonio Pecci Filho Toquinho / Vinicius De Moraes

    Letra de Aquarela © Universal Music Publishing Group

  • RESUMO

    Esta pesquisa teórica e interdisciplinar se propõe a investigar o Lazer como experiência do indivíduo que ocorre integrado ao seu desenvolvimento pessoal e social. O campo do Lazer apresenta como aporte, nesta pesquisa, o “Lazer Humanista” e seus desdobramentos, vastamente pesquisados pela equipe da Universidade de Deusto, Bilbao-Espanha, citando, como referência, o autor Manuel Cuenca Cabeza. A hipótese de que a experiência do lazer ocorre durante o crescimento do indivíduo resultou na escolha de dois autores clássicos que abordam o tema individuação: o filósofo Gilbert Simondon de pensamento oriundo da termodinâmica, e o psiquiatra e psicólogo Carl Gustav Jung. O objetivo é fazer uma pesquisa no campo epistemológico de cada pesquisador e, uma vez refletido sobre a teoria, estabelecer um diálogo entre os autores, observando sempre o desenvolvimento individual e coletivo presentes para entender o que ocorre quando alguns indivíduos optam por lazer e o usufrui, enquanto outros não conseguem fazê- lo. O importante da pesquisa foi a compreensão dinâmica da transformação do indivíduo em uma intercessão do Lazer, abarcando indivíduo e sociedade, tendo o indivíduo em movimento como propulsor da possibilidade de transformação. Palavras-chave: Lazer. Experiência. Individuação. Metaestabilidade. Gilbert Simondon. Carl Gustav Jung. Manuel Cuenca Cabeza.

  • RESUMEN

    Esta investigación teórica y interdisciplinaria se propone investigar el Ocio como una experiencia del individuo que está integrada con su desarrollo personal y social. El campo del Ocio tiene como su contribución, en esta investigación, el “Ocio Humanista” y su despliegue, ampliamente investigado por el equipo de la Universidad de Deusto, Bilbao-Espanha, tomando como referencia el autor Manuel Cuenca Cabeza. La hipótesis de que la experiencia de ocio se produce durante el crecimiento del individuo se tradujo en la elección de dos autores clásicos que abordan el tema de la individuación: el filósofo Gilbert Simondon, de pensamiento proveniente de la termodinámica, y el psiquiatra y psicólogo Carl Gustav Jung. El objetivo es hacer una búsqueda en el campo epistemológico de cada investigador y, una vez reflejado en la teoría, establecer un diálogo entre los autores, siempre observando el desarrollo individual y colectivo presente para comprender lo que ocurre cuando algunas personas optan por ocio y disfrute, mientras que otros no pueden hacerlo. La importancia de esta investigación era comprender la dinámica de transformación del individuo en la intercesión de ocio, cubriendo individual y de la sociedad, teniendo el individuo en movimiento como el eje de la posibilidad de transformación.

    Palabras clave: Ocio. Experiencia. Individuación. Metaestabilidade. Gilbert

    Simondon. Carl Gustav Jung. Manuel Cuenca Cabeza.

  • SUMÁRIO

    SUMÁRIO ....................................................................................................................................... 9

    1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................................. 9

    2.2 “Ócio autotélico” ............................................................................................................... 20

    2.3 “Ócio humanista” .............................................................................................................. 25

    2.4 “Ócio valioso” .................................................................................................................... 27

    2.5 “Coordenadas e dimensões do ócio” ................................................................................ 30

    2.6 Contribuição de Ócio Humanista à pesquisa da Experiência do Lazer: um toque da alma

    no processo de individuação ................................................................................................... 34

    3 EXPERIÊNCIA DE INDIVIDUAÇÃO EM GILBERT SIMONDON ..................................................... 37

    3.1 Da forma à Informação ..................................................................................................... 52

    3.2 Transdução ........................................................................................................................ 54

    3.3 O transindividual e a individuação coletiva....................................................................... 58

    3.4 Concretização .....................................................................................................