Expositor Maio 2011

Embed Size (px)

Text of Expositor Maio 2011

  • Lanamento: Jonh Wesley - o filme

    Este aguardado filme sobre o fundador do metodismo est marcado para o dia 21 no Ginsio do Ibirapuera.Pgina 15

    Congresso Nacional de Homens Metodistas

    Presidente da Confederao Metodista de Homens fala das expectativas para o 12 Congresso Nacional .Pgina 12

    Celebrao: um povo do corao aquecido

    Adriel de Souza Maia, bispo da 3 RE fala desta caracterstica do povo metodista. Pgina 11

    Jornal Mensal da Igreja Metodista . Maio de 2011 . ano 125 . n 05

    O Corao Aquecido de John Wesley Na noite de 24 de maio de 1738, na Rua Aldersgate (foto acima), que John Wesley sentiu o corao estranhamente aquecido. Entenda um pouco da trajetria do fundador do metodismo.

    Pginas 8 e 9

    Oficial

    Saiu o Edital de

    Convocao para o

    exame e ingresso na

    Ordem Presbiteral

    2011. Pgina 4

    Episcopal

    Bispo Luiz Verglio da

    2 Regio fala sobre

    as mudanas que

    enfrentamos.

    Pgina 3

    Giro Regional

    Confira os ltimos

    acontecimentos nas

    regies eclesisticas da

    Igreja Metodista.

    Pginas 7

    SAFO Projeto So

    mbra

    e gua Fresca

    promove consulta

    internacional.

    Pgina 13

    Encontro Afro

    Encontro

    promove abaixo

    assinado contra o

    preconceito racial de

    parlamentares.

    Pgina 14

    Dan

    iel M

    outo

    n

  • Sua opinio Expositor CristoMaio de 2011www.metodista.org.br

    2Pelas tribos

    O Expositor Cristo do ms de maio traz em suas pginas 8 e 9, a matria de capa que fala sobre a histria do fundador do metodismo, John Wesley. Um bom metodista deve saber da experincia de Wesley no dia 24 de maio de 1738 na Rua Aldersgate, em Londres; o dia que ele sentiu seu corao estranhamente aquecido. Essa experincia relebrada em vrias comunidades locais como o dia da experincia de John Wesley.

    Ainda na matria, voc ver o relato que, em 1735 atrasado, um navio fez o seu caminho para o Novo Mundo da Inglaterra. A bordo estava um jovem pastor anglicano, John Wesley, que havia sido convidado para servir como um pastor aos colonos britnicos em Savannah, Georgia. Quando o tempo foi amargo o navio encontrava-se em srios apuros. Wesley, tambm capelo do navio, temia por sua vida. Confira tal relato quando este retornou Inglaterra.

    A Celebrao do Corao Aquecido uma marco na vida da Igreja Metodista. O Bispo da terceira regio, Adriel de Souza Maia, relembra este fato num artigo na pgina 11, onde ele fala aborda as caractersticas de um povo do corao aquecido; que tipo de avivamento ns buscamos e as caractersticas de uma comunidade que dirigida pelo Esprito Santo de Deus.

    Na pgina 12, voc confere uma entrevista com o Presidente da Confederao de Homens que fala sobre a expectativa para o Congresso Nacional em junho e o legado que vai deixar para a confederao.

    Por fim, gostaramos de registrar aqui o trabalho desempenhado pela jornalista Diana Gilli, que durante 8 meses assumiu a redao do Expositor Cristo deixando a sua marca nas pginas do peridico. Que Deus possa abeno-la nesses novos caminhos e desafios que ela tem pela frente.

    Boa leitura!

    Da Redao

    Pscoa e Asceno: Celebrao da sada do povo do Egito; ressurreio de Cristo.

    Tema bsico: esperana na ressurreio de toda forma de

    vida criada por Deus.

    Perodo: da quarta-feira Santa (lava-ps) at o Pentecostes.

    Smbolos-Tmulo vazio; -Sol nascente; -Cruz vazia;-Borboleta como smbolo de transformao e vida nova.

    CoresUsa-se o preto na sexta-feira Santa, roxo lils no sbado, amarelo (Cristo, o sol nascente) e branco no dominigo da Ressurreio.

    Leituras: Ex 12; Sl 113 a 118 (cnticos pascais); Mt 26.17-30; Mt 28.1-20; Mc 16.1-8; Lc 24.1-12; Jo 20.1-18 e At 1.1-14.

    Presidente do Colgio Episcopal: Bispo Joo Carlos Lopes

    Conselho Editorial:Magali Cunha, Jos Aparecido, Elias Colpini, Paulo, Roberto Salles Garcia e Zacarias Gonalves de Oliveira Jnior.

    Jornalista Responsvel: Camila de Abreu (MTB 32075 )

    Reprter: Jos Geraldo Magalhes Jnior

    Correspondncia: Avenida Piassanguaba n 3031 - Planalto Paulista - So Paulo - SP -

    rgo oficial da Igreja Metodista, editado mensalmente sob a responsabilidade do Colgio Episcopal da Igreja Metodista.

    Fundado em 1 de janeiro de 1886 pelo missionrio Rev. John James RansonCEP 04060-004 - Tel.: (11) 2813-8600 Fax: (11) 2813-8632 home: www.metodista.org.br e-mails: comunicacao@metodista.org.br / expositor@metodista.org.br/ sede.nacional@metodista.org.br A redao responsvel, de acordo com a lei, por toda matria publicada e, sendo assim, reserva a si a escolha de colaboraes para a publicao. As publicaes assinadas so responsabilidade de seus autores e no representam, necessariamente, a opinio do jornal. Propriedade da Associao da Igreja Metodista. A produo do Jornal Expositor Cristo realizada em convnio com o Instituto Metodista de Ensino Superior, que cuida distribuio do

    peridico. O contedo editorial e diagramao definido pela Sede Nacional da Igreja Metodista.Editorao Eletrnica e Diagramao: Jos Geraldo Magalhes Jnior

    Projeto Grfico: Alexander Libonatto Fernandez

    Assinaturas e Renovaes Fone: (11) 2813-8600. E-mail: comunicacao@metodista.org.br / expositor@metodista.org.brAv. Piassanguaba, 3031, Planalto Paulista, So Paulo, SP CEP 09640-000.www.metodista.org.br

    Dhonivall f. de oliveira 2011-04-28 19:20:19.0No meu estado, em Gois, o go-verno tirou das ruas a polcia t-tica, a criminalidade tomou pro-pores gigantescas, os bandidos esto nadando na impunidade; somos um pas rico de recursos naturais, temos a 2 maior reser-va de petrleo do mundo, temos a maior floresta tropical do mun-do, agora o governo federal quer desarmar o cidado honesto e ca-paz, tomara no sermos um dos prximos pases a sofrer golpes

    estrangeiros com desculpas es-farrapadas por qualquer que seja o motivo, nos tornar-mos amea-ados por nossas riquezas abun-dantes, e virar-mos refns de um governo fraco e demagogo.

    Momesso 2011-04-27 - 12:33:39.0Amor e armas no combinam...Quem ama o prximo desarma o corao, para arm-lo com a f em Cristo. Amai-vos uns aos ou-tros... e ssa a mensagem...

    Enquete sobre desarmamentoLivro de visitasDurante um perodo no ms de maio deixamos no site uma enquete sobre o de-sarmamento. Agradecemos todos/as aqueles/as que participaram. Abaixo voc confere o resultado e dois comentrios . Acesse www.metodista.org.br

    Gabriel B. Ferreira 01/05/2011Estou muito feliz em pertencer a esta grande familia, imbuida da responsabilidade de levar as boas novas aos confins do mundo. Sou maritimo e levo estas palavras aos profissionais da marinha.

    Nadir Cristiano - 26/04/2011Um dia especial do/a tralhador/a. Nas palavras de Jesus: "Meu Pai trabalha e eu continua trabalhan-do". Que estes milhares de luta-dores e lutadoras, guerreiros e guerreiras continuem se esforan-do para ganhar o po de cada dia. Que todos/as profissionais deste pas recebam a graa e o amor do Criador neste dia 1 de maio, desde a Presidenta Dilma ao mais humilde empreendedor/a. A nossa orao ao povo.

    Agradecemos a todos os visitantes do Expositor On line. com grande ale-gria que recebemos centenas de visitas em nossa pgina todos os dias.

    Da Redao

    ERRATA

    Na edio do ms de maro, na Palavra Episcopal do Bispo Ri-chard dos Santos Canfield, publi-camos Bispo Honorrio da Igre-ja Metodista, na verdade o bispo Richard Emrito. Lamentamos o equvoco.

  • 3 Expositor CristoMaio de 2011www.metodista.org.br

    Palavra Episcopal

    Quando enfrentamos mudanas

    Luiz VerglioBispo da 2 Regio Eclesistica

    No vos enganeis, meus amados ir-mos. Toda boa ddiva e todo dom perfeito so l do alto, descendo do Pai das luzes, em quem no pode exis-tir variao ou sombra de mudanas. Pois, segundo o seu querer, ele nos ge-rou pela Palavra da verdade, para que fssemos como que primcias das suas criaturas. (Tg 1.16-18)

    A palavra chave neste texto a palavra mudana. Nestes lti-mos tempos, fomos impactados em nossas emoes por trgicos acontecimentos nos Estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e outras lo-calidades, em consequncia da intensidade das chuvas, provo-cando grandes deslizamentos de terra, inundando rios, deixando rastros de destruio e de cente-nas de mortos. Tambm, o assas-sinato de crianas de uma escola pblica em Realengo, RJ, trazen-do comoo mundial. Quanta dor, quanta tristeza, milhares de pessoas sofrem agora, pela perda de seus entes queridos. Entre as vtimas, muitas pessoas ligadas s igrejas metodistas. Em meio a toda esta tristeza, Bispo Paulo Lockmann bem disse que a so-lidariedade da Igreja Metodista tem sido um belo testemunho de amor e de servio.

    Para as famlias atingidas, a vida mudou. Nada ser como antes. A ausncia dos familiares, vizinhos e amigos mudaram completa-mente a perspectiva de futuro. H poucos dias soubemos da luta do Rev. Vernon Hudson contra o Mal de Alzheimer, mission-rio canadense que serviu a Igreja Metodista na 2 RE. Sua esposa, Betty Lou descreve as limitaes decorrentes de todo o processo natural do envelhecimento e as mudanas que vo ocorrendo. Agora, as filhas organizam a ce-lebrao da famlia. Estamos vi-vendo um tempo de mudanas.

    1. Existem mudanas que dese-jamos que acontecessem, espe-cialmente quando olhamos para o futuro. Sonhamos com elas e lutamos para que aconteam. Cremos que o prximo Conclio Geral est dentro desta expectati-va. Existem outras mudanas que fazem parte do processo natural da vida; que vo surgindo na me-dida em que envelhecemos. Nem sempre as desejamos, mas elas

    so inexorveis. Tambm, exis-tem aquelas que so fruto das cir-cunstncias inesperadas da vida; das situaes imponderveis, no previstas.

    Como cristos e crists entende-mos que tudo que nos acontece no expressam, necessariamente, a vo