Extranet Social PLANEJAMENTO DO DESENVOLVIMENTO E ?· Datasul Sistema de Pontos Videos Youtube Sistema…

Embed Size (px)

Text of Extranet Social PLANEJAMENTO DO DESENVOLVIMENTO E ?· Datasul Sistema de Pontos Videos Youtube...

  • Pgina 1 de 15

    Anexo II C

    Extranet Social

    PLANEJAMENTO DO

    DESENVOLVIMENTO E

    INTEGRAES

  • Pgina 2 de 15

    Tudo que for diferente do que foi citado nesse documento dever ser aprovado

    pela rea de tecnologia do SESC.

    As diretrizes bsicas so:

    1. Procurar sempre utilizar a forma nativa (out-of-box) utilizada no SharePoint. Evitar

    customizaes que necessitem desenvolvimento atravs de Visual Studio.

    2. O padro de nomenclatura dos objetos deve seguir as regras de formao de nomes

    abaixo:

    a. Assemblies: .[].dll (Exemplo:

    SESC.Portal.WebParts.dll)

    b. Namespaces: .(|)[.][.

  • Pgina 3 de 15

    6. Para evitar problemas de performance e instabilidade no ambiente, todo assembly

    (*.dll) deve ser verificado e aprovado na ferramenta SharePoint Dispose Checker -

    http://archive.msdn.microsoft.com/SPDisposeCheck. O relatrio no deve ter erros e os

    falsos positivos justificados devero ser justificados.

    7. Todo deploy dever ser feito por funcionrio do SESC utilizando um documento

    descrevendo o procedimento a ser realizado (manual de instalao). Nenhum fornecedor

    poder ter acesso direto aos servidores para realizao de procedimentos.

    8. Nenhum arquivo poder ser instalado diretamente no servidor. Todas as dependncias

    da aplicao devem ser instaladas atravs de pacotes WSPs e do modelo de deploy

    definido pela Microsoft: http://technet.microsoft.com/en-

    us/library/cc262995(v=office.14).aspx.

    9. O SharePoint Designer no poder ser utilizado como ferramenta alternativa ou auxiliar

    para deploy. Pginas, Master Pages, CSS e outros arquivos devem estar dentro do pacote

    WSP.

    10. Preferencialmente todos os objetos da aplicao (Listas, Bibliotecas, Content Types,

    etc.) devero ser criados atravs de features, Site Definitions, List definitions e outros

    objetos relacionados.

    11. Para primeira instalao da soluo poder ser utilizada a opo de Backup-Restore

    utilizando as ferramentas administrativas do SharePoint.

    12. O fornecedor da soluo dever entregar ao final do projeto um Manual do Sistema

    descrevendo os componentes da soluo como WebParts, Javascripts customizados, Timer

    Jobs e em quais partes do sistema eles esto associados.

    Empacotamento e Instalao

    Como poltica de controle de componentes desenvolvidos, controle de itens instalados e

    capacidade de recuperao em caso de desastres, vedada a instalao de itens de cdigo

    que no estejam empacotados em formato padro do SharePoint. Instalao de

    componentes como DLLs devem estar devidamente empacotadas em formato WSP, bem

    como itens de aplicao como SharePoint Designer Workflows, BCS Definitions, Site

    Templates, etc.

    Procedimentos de configurao de Web.Config deve estar devidamente documentos e

    sero aplicados manualmente pelo responsvel pela operao do ambiente.

    Procedimentos de configurao de servio que no impactem diretamente na utilizao de

    recursos que necessitam de planejamento adicional devem ser automatizados via

    PowerShell Script e disponibilizado em formato especfico desta tecnologia PS1. Todas

    as variveis de ambiente devem ser configuradas em formato de parmetro para os

    scripts de forma que o procedimento possa ser repetido nos ambientes de QA e produo

    alterando-se apenas o parmetro.

    Procedimentos automatizveis: Configurao de servio, criao de propriedades,

    criao de listas, alterao de componentes de sites, configurao de busca, configurao

    de repositrio de perfil.

    Procedimentos no automatizveis: Procedimentos que envolvam a criao de novos

    sites/pools no IIS, criao de banco de dados, alterao de cota de disco para aplicaes.

  • Pgina 4 de 15

    Sistemas compostos por DLLs devem sempre ser compilados com suporte 64 bits e em

    modo Release para ambiente de QA e PD.

    vedado qualquer tipo de ajuste de sistema em ambiente de QA j que o mesmo tem o

    objetivo de validar no s as funcionalidades do sistema, mas tambm o procedimento de

    publicao. Ajustes de sistema devem ser realizados diretamente em ambiente de DV e

    novamente empacotadas para aplicao em QA.

    Autenticao

    padro para aplicaes de acesso interno (ambiente intranet) a utilizao de

    autenticao integrada ao AD via NTLM. Casos especficos devem ser analisados pelo time

    de arquitetura.

    Integrao com sistemas externos

    Por padro, toda comunicao entre sistemas hospedados em ambiente SharePoint e

    sistemas externos, seja via comunicao com banco de dados, Web Service ou qualquer

    outro mtodo, deve ser realizada via BCS Business Connectivity Service.

  • Pgina 5 de 15

    Padro de autenticao integrada

    Todo processo de autenticao integrada de usurios (Single Sign-on) que necessite de

    gerenciamento de credenciais (no implementado via ticket) dever necessariamente fazer

    uso do servio de credenciais do SharePoint (Secure Store Service). No permitido o

    armazenamento de credenciais de autenticao para acesso outros sistemas em

    qualquer outro repositrio (listas, bancos de dados, XML, entre outros).

    Arquitetura da Aplicao

    De modo geral, o Microsoft SharePoint 2013 uma plataforma organizacional baseada na

    Web para colaborao de negcios e produtividade.

    O SharePoint 2013 construdo com base no Microsoft .NET Framework 4.5, ASP.NET,

    Internet Information Services (IIS) e banco de dados SQL Server.

    Existem duas modalidades do SharePoint 2013, o SharePoint Foundation que constitui a

    tecnologia base de todas as aplicaes SharePoint. E o SharePoint Server que contm

    todos os recursos do SharePoint Foundation, alm de outras funcionalidades e capacidades

    como gerenciamento de contedo corporativo, Business Intelligence, pesquisa corporativa

    e perfis pessoais atravs de Meus Sites.

    A soluo desenvolvida ser implantada em uma Web Application do SharePoint 2013, que

    hospedada em um website no IIS.

    Figura 1 - SharePoint Technology Stack

    Com a evoluo da plataforma Microsoft SharePoint, o seu modelo de customizaes foi

    drasticamente alterado e permite uma srie de variaes para atender melhor as solues

    em qualquer tipo de cenrio: seja com servidores instalados no ambiente do cliente ou um

    ambiente na nuvem (tanto privada quanto compartilhada - Office 365).

    Como as possibilidades de customizao da plataforma so enormes, cabe ao arquiteto o

    trabalho de decidir qual tecnologia utilizar e como otimiz-la para atingir os resultados da

    melhor forma possvel.

  • Pgina 6 de 15

    Figura 2 - APIs de Desenvolvimento

    Na metodologia dever ser adotado sempre que possvel a utilizao de o mximo da

    plataforma nativa (Out of the box) do SharePoint, evitando pontos de customizao.

    Quando necessria alguma customizao, utilizar os cdigos server- side para proteger

    regras de negcio do lado do servidor e, sempre que possvel, utilizar cdigo client-side

    para interao com os usurios do sistema.

    O grande desafio escolher a API certa para utilizao de acordo com o projeto ou cenrio

    do cliente. A figura abaixo ressalta que possvel obter os mesmos resultados de forma

    diferente. Assim sendo, o desenvolvedor/arquiteto tem mais liberdade de poder escolher a

    ferramenta que ao mesmo tempo consiga elevar a produtividade e atender os requisitos

    especficos de cada cliente.

    Figura 3 - Tipos de APIs

  • Pgina 7 de 15

    Aplicar as metodologias de desenvolvimento de mercado para padronizao e organizao

    de cdigo-fonte para gerar um cdigo de qualidade e um produto que atenda aos critrios

    de carga da aplicao.

    Alm de o SharePoint possuir uma grande variedade de APIs para sua customizao, ele

    disponibiliza servios para que qualquer operao que voc consiga fazer via browser

    tambm seja possvel ser executada atravs dessas APIs de integrao.

    Dessa forma, o SharePoint cria um proxy que faz a traduo das operaes e as executa

    internamente. Essas operaes incluem: gerenciar listas (criar, editar e excluir itens),

    gerenciar o site, consumir algum servio (search, managed metadata) e etc.

    Figura 4 - Client APIs

    Sendo assim, recomendamos que as funcionalidades sejam desenvolvidas da seguinte

    maneira:

    1. Sempre que possvel usar o nativo (podendo customizar look and feel)

    2. Interaes com objetos Client devero ser feitos por Javascript (ou bibliotecas: JQuery,

    etc.).

    3. Cdigos Server-Side devem ser na linguagem C#, utilizando o Server Object Model do

    SharePoint.

    Estrutura do Site

  • Pgina 8 de 15

    Parte da metodologia do desenho de uma soluo tecnolgica consiste em montar uma

    arquitetura tcnica dos objetos que fazem parte do portal, dentre eles: Listas, Bibliotecas,

    Pginas, Repositrio de imagens e etc. Esse detalhamento, alm dos tipos de containers,

    descreve detalhamento cada tipo de coluna, seus valores possveis e tipos de dados. Esses

    dados esto disponveis no documento Sesc Intranet - Detalhamento de listas e

    bibliotecas.

  • Pgina 9 de 15

    Alm do detalhamento de toda estrutura do site, a metodologia dever contemplar a

    criao de um wireframe navegvel. Esse wireframe um prottipo visual que permite ao

    usurio a compreenso de como o sistema ficar quando pronto.

    Informaes Gerais

    A aplicao dever prever a utilizao em formato HTTPS, atravs de certificado digital de

    responsabilidade do SESC.