FACULDADE CEARENSE CURSO DE DIREITO MENOR... · uma explanação acerca do instituto da Curatela, tratando…

Embed Size (px)

Text of FACULDADE CEARENSE CURSO DE DIREITO MENOR... · uma explanação acerca do instituto da Curatela,...

  • FACULDADE CEARENSE CURSO DE DIREITO

    O MENOR SOB TUTELA NO DIREITO

    PREVIDENCIRIO

    Joana Paloma Oliveira Cavalcante

    Matr.: 08000330

    FortalezaCE

    18 de dezembro de 2013

  • JOANA PALOMA OLIVEIRA CAVALCANTE

    O MENOR SOB TUTELA NO DIREITO

    PREVIDENCIRIO

    Monografia apresentada como exigncia parcial para a obteno do grau de bacharel em Direito, sob a orientao de contedo da Professora Marina Lima Maia.

    Fortaleza Cear 2013

  • JOANA PALOMA OLIVEIRA CAVALCANTE

    O MENOR SOB TUTELA NO DIREITO

    PREVIDENCIRIO

    Monografia apresentada banca examinadora e Coordenao do Curso de Direito da Faculdade Cearense, adequada e aprovada para suprir exigncia parcial inerente obteno do grau de bacharel em Direito.

    Fortaleza (CE), 18 de dezembro de 2013 Marina Lima Maia, Professora Orientadora da Faculdade Cearense Teresa Cristina Pinto Moreira Professora Examinadora da Faculdade Cearense Marco Antonio Castro Costa Professor Examinador da Faculdade Cearense Jos Jlio da Ponte Neto, Coordenao do Curso de Direito da Faculdade Cearense

  • AGRADECIMENTOS

    Primeiramente agradeo a Deus, por ter me dado foras para cumprir com mais uma de minhas misses.

    A minha me Maria Lourdete e a minha tia Maria Zilma pelo suporte dado, no s financeiramente, mas tambm em outros aspectos nesses anos de faculdade, nesses poucos anos de vivncia que tenho.

    A minha av materna Joana e ao meu pai Antonio Nemezio, que apesar de no

    presentes em corpo para celebrarem mais essa vitria comigo, esto guiando meus passos para que eu siga o caminho certo e consequentemente obtenha xito naquilo que eu almejo.

    Aos meus avs Paternos Maria Zita e Nemezio por acreditarem em mim. Ao meu primo Joo Paulo pelos conselhos e broncas dadas, a minha prima Perla

    Lorena e minha tia Clara de Assis pela ajuda dada quando precisei. Aos meus familiares e aos meus amigos mais prximos, que me estenderam no

    s a mo, mas o brao inteiro, que me deram conselhos, fora para que eu conseguisse alcanar meus objetivos, me ajudaram nas dificuldades do dia-a-dia e muitas vezes ao anoitecer, no me deixaram desabar.

    Minha cara colega e amiga Nathalle Lucena pelo apoio e pela ajuda no s na

    vida acadmica, mas na vida pessoal tambm. Aos mestres que me ensinaram e me ajudaram no s na escola, na faculdade, na

    vida acadmica em si, mas tambm na vida profissional e pessoal, que me fizeram enriquecer como pessoa.

    A minha professora e orientadora, Marina Lima, por abraar a minha

    monografia, por toda a ajuda dada e pelas horas de sono perdidas corrigindo meus textos para que eu pudesse apresentar a tempo o trabalho.

    E por ltimo, mas no menos importante, a meu namorado Elencharles Segundo,

    que fez com que eu acreditasse mais em mim, fazendo com que conseguisse cumprir com minha meta, depositando em mim a coragem de correr atrs do que eu quero para a minha vida.

    "Devemos aprender durante toda a vida, sem

    imaginar que a sabedoria vem com a velhice"

    Plato

  • RESUMO

    O presente trabalho aborda a situao de dependncia do menor sob a tutela da

    Previdncia Social e a sua excluso , conforme disposto na Lei 9.528/97, visando Proteo Social desse menor sobre os institutos da tutela e da curatela, expondo, tambm o sistema da Seguridade Social como base de proteo social. Para uma melhor elucidao do tema, ressaltam-se os pontos positivos e negativos dessa deciso Para atingir esse objetivo, a monografia desenvolve-se por meio de pesquisa bibliogrfica, de natureza exploratria, tendo como referncia os estudos de Maria Berenice Dias (2011), Washington de Barros Monteiro (2007), Fbio Zambite Ibrahim, entre outros. Quanto abordagem, a pesquisa qualitativa com o intuito de aprofundar estudos no campo do Direito Previdencirio e no Direito de Famlia.

    Palavras-Chave: Menor de idade sob tutela. Seguridade Social. Direito Previdencirio. Estatuto da Criana e do Adolescente. Princpio da Igualdade.

    ABSTRACT

    This paper discusses the dependence of the child in care to Social Security and deleting the lowest in custody for the same, aimed at social protection of the minor on the institutes of guardianship and trusteeship, and exposes Social Security system as a basic social protection floor for a better understanding of the topic.

    Keywords: Menor on guardianship. Social Security. Social Security Law. Statute of Children and Adolescents. Principle of Equality.

  • SUMRIO

    INTRODUO ................................................................................................................ 8 CAPTULO 1 - A EVOLUO HISTRICA DA PROTEO SOCIAL DO MENOR NO BRASIL. ................................................................................................................... 10

    1.1 - Origem e conceito de Proteo Social ................................................................. 10 1.2 - Surgimento da noo de Proteo Social do menor no Brasil ............................. 12 1.3 - Princpios norteadores da proteo ao menor ...................................................... 14 1.3.1 - Princpio da Prioridade Absoluta e da Proteo Integral ................................. .15 1.3.2 - Princpio do Melhor Interesse ........................................................................... 18 1.3.3 - Princpio da Cooperao ou da Interao ......................................................... 19 1.3.4 - Principio da Municipalizao ........................................................................... 19

    CAPTULO 2 - O INSTITUTO DA TUTELA NO DIREITO CIVIL ........................... 21

    2.1 - Origem e conceito de Tutela ................................................................................ 21 2.2 - As modalidades de Tutela .................................................................................... 23 2.2.1 - Tutela Documental ........................................................................................... 23 2.2.2 - Tutela Testamentria ........................................................................................ 24 2.2.3 - Tutela Legtima ................................................................................................. 24 2.2.4 - Tutela Dativa .................................................................................................... 25 2.3 - A cessao da Tutela ........................................................................................... 26

    CAPTULO 3 - A SEGURIDADE SOCIAL .................................................................. 28 3.1 - A Curatela e suas peculiaridades .......................................................................... 28 3.2 - Conceito de Seguridade Social ............................................................................. 32

    3.3 - Organizao da Seguridade Social ...................................................................... 34 3.4 - Os Objetivos e os Princpios da Seguridade Social ............................................. 35 3.4.1 - O Princpio da Solidariedade ............................................................................ 36 3.4.2 - O Princpio da Universalidade da Cobertura do Atendimento ......................... 38 3.4.3 - O Princpio da Seletividade e Distributividade na Prestao Dos Benefcios e Servios ........................................................................................................................ 39

    3.4.4 - O Princpio da Diversidade da Base de Financiamento ................................... 41 3. 5 O menor sob Tutela no Direito Previdencirio .................................................. 42

    3.5.1 A excluso do menor sob Guarda do rol da Lei 9.528/97 ............................. 42

    CONCLUSO ................................................................................................................ 45 REFERNCIAS .............................................................................................................. 47

  • 8

    INTRODUO

    Atualmente, notvel a efetiva preocupao com a proteo dos indivduos, no

    que diz respeito aos seus infortnios. Consequentemente, v-se que a proteo social

    vem ganhando espao, tendo uma maior importncia dentro da ordem jurdica dos

    Estados, pelo surgimento de novas realidades sociais e econmicas.

    H de se ver que o Estado tem a funo de proteger os indivduos em relao a

    eventos que lhes possam causar dificuldades ou impossibilit-los de subsistncia por

    conta prpria, principalmente na esfera laboral. Com isso, prova-se que a insegurana

    natural dos seres humanos uma preocupao tida desde os tempos remotos,

    independentemente do lugar em que as pessoas se encontravam, tinham em mente esse

    mesmo pensamento.

    Como o ser humano adaptvel situao em que se encontra, no estranho

    que se adapte tambm aos efeitos das adversidades da vida, da se pode dizer que essa

    ideia de proteo nasce do instinto humano, com um grau de complexidade maior, o que

    diferencia o homem das outras espcies.

    Portanto, busca-se, dessa forma, desenvolver a presente monografia analisando a

    origem e o conceito de proteo social, tratando tambm o surgimento da proteo

    social do menor no Brasil, bem como seus princpios norteadores. Pretende-se

    esclarecer sobre a importncia da seguridade social. Como tambm verificar, o instituto

    da Tutela e suas semelhanas e diferenas com o instituto da Curatela. Com o

    desenvolver do trabalho pretende-se fazer uma relao entre o menor tutelado com o