Female Consumer Market in Brazil

Embed Size (px)

Text of Female Consumer Market in Brazil

  • FACULDADES INTEGRADAS CURITIBA

    COORDENADORIA DE PS-GRADUAO, PESQUISA E EXTENSO - COPPEX

    ESPECIALIZAO EM MARKETING COM NFASE NO COMPORTAMENTO DO

    CONSUMIDOR

    TENDNCIAS DE MERCADO NO CONSUMO FEMININO E

    A REALIDADE DE CONSUMO DO MERCADO BRASILEIRO

    CURITIBA

    2005

  • CAMILA SEIFERT

    GLAUCO LICHEVESKI

    MARCO ANTNIO DO NASCIMENTO JOO

    NATALIE SCANDELARI LEMOS

    TENDNCIAS DE MERCADO NO CONSUMO FEMININO E

    A REALIDADE DE CONSUMO DO MERCADO BRASILEIRO

    Trabalho de concluso de curso apresentado ao

    Programa de Ps-Graduao na rea de

    Comunicao, curso de especializao em

    Marketing com nfase no Comportamento do

    Consumidor, das Faculdades Integradas Curitiba.

    Professor Orientador: Marcelo Peruzzo.

    CURITIBA

    2005

    Excludo:

  • A mulher como um saquinho de ch; nunca se sabe quo forte at

    que seja colocada em gua fervente Eleanor Roosenvelt Excludo:

  • RESUMO

    A partir das afirmaes encontradas no livro da escritora Faith Pop Corn

    (Pblico Alvo Mulheres), de que as mulheres (conceito global) so as

    consumidoras mais poderosas do mundo e com grande influncia nas decises de

    compras e consumo para os vrios segmentos do mercado, foi decidido investigar se

    o resultado de seus estudos, pesquisas e comparativos, seriam compatveis com a

    realidade brasileira. Considerando-se a desigualdade scio-econmica, cultural e de

    desenvolvimento dos dois pases, o grau de independncia financeira da mulher

    norte americana comparada da mulher brasileira, alm dos aspectos

    comportamentais, reforava-se a suspeita de que no Brasil as mulheres poderiam ter

    alcanado um elevado grau de influncia nas decises de compra e consumo,

    embora distantes das norte-americanas. Partiu-se ento para uma pesquisa de

    mercado estudando os fatos apresentados para apurar se as questes que se

    destacaram.

    Palavras chave: mulher, consumo, influncia.

    Excludo:

  • LISTA DE GRFICOS E TABELAS

    GRFICO 1: FAIXA ETRIA DAS ENTREVISTADAS............................................. 17 GRFICO 2: ESTADO ONDE RESIDEM AS ENTREVISTADAS ............................ 18 TABELA 1: RENDA FAMILIAR E CLASSE SOCIAL EQUIVALENTE .................... 18 GRFICO 3: RENDA FAMILIAR MENSAL DAS ENTREVISTADAS ...................... 19 GRFICO 4: DECISO DE COMPRA DE APARELHOS ELETRO-

    ELETRNICOS..................................................................................................... 23 GRFICO 5: INFLUNCIA NA COMPRA DE APARELHOS ELETRO-

    ELETRNICOS..................................................................................................... 24 GRFICO 6: DECISO DE COMPRA DE MEDICAMENTOS.................................. 24 GRFICO 7: DECISO DE COMPRA DO PLANO DE SADE............................... 25 GRFICO 8: DECISO DE COMPRA DO PLANO DE SADE............................... 25 GRFICO 9: DECISO DE COMPRA DO PLANO DE SADE X REMDIO......... 25 GRFICO 10: DECISO DE COMPRA DE AUTOMVEIS ..................................... 27 GRFICO 11: INFLUNCIA NA COMPRA DE AUTOMVEIS ............................... 27 GRFICO 12: MAIOR REMUNERAO DO CASAL .............................................. 28 GRFICO 13: COMANDO DAS FAMLIAS CONFORME RENDA FAMILIAR ....... 29 TABELA 2: ESPOSAS QUE GANHAM MAIS QUE OS MARIDOS, POR NVEL

    DE ESCOLARIDADE 1998. .............................................................................. 29 GRFICO 14: MAIOR REMUNERAO SEGUNDO A ESCOLARIDADE............. 30 GRFICO 15: COMANDO DAS FAMLIAS COM RENDA ACIMA DE R$1.668..... 31 GRFICO 16: COMANDO DAS FAMLIAS COM RENDA ACIMA DE R$1.668..... 31 GRFICO 17: DECISO DE COMPRA DOS GASTOS EM GERAL NO CASAL... 32 GRFICO 18: DECISO DE COMPRA DOS GASTOS EM GERAL NA FAMLIA 32

    Excludo:

  • SUMRIO

    1. INTRODUO............................................................................................................6 1.1 APRESENTAO DO TEMA...................................................................................8 1.2 JUSTIFICATIVA TERICA E PRTICA ..................................................................8 1.3 OBJETIVOS ..............................................................................................................8 1.3.1. OBJETIVOS GERAIS ...........................................................................................8 1.3.2. OBJETIVOS ESPECFICOS ................................................................................8 1.4 HIPTESES..............................................................................................................9 1.5 CARACTERIZAO DO PROBLEMA.....................................................................9 2. FUNDAMENTAO TERICA .............................................................................. 10 2.1. COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR........................................................... 10 2.1.1 FATORES CULTURAIS ..................................................................................... 10 2.1.2 FATORES SOCIAIS ........................................................................................... 11 2.1.3 FATORES PESSOAIS........................................................................................ 11 2.1.4 FATORES PSICOLOGICOS .............................................................................. 12 2.1.4 FATORES BIOLOGICOS ................................................................................... 12 2.2. MOVIMENTO FEMINISTA E INDEPENDNCIA FINANCEIRA ......................... 13 3. METODOLOGIA ...................................................................................................... 15 3.1 ESPECIFICAO DO PROBLEMA...................................................................... 16 3.1.1 PERGUNTAS DE PESQUISA............................................................................ 16 3.2. DELIMITAO DA PESQUISA............................................................................ 17 3.2.1 POPULAO E AMOSTRA ............................................................................... 17 3.2.1.1 PEDAGOGIA WALDORF ................................................................................ 19 3.2.1.2 CLCULO DAS AMOSTRAS.......................................................................... 20 3.2.3. TIPOS E COLETAS DE DADOS....................................................................... 20 3.2.4. LIMITAES DA PESQUISA ........................................................................... 20 4. TENDNCIAS DE MERCADO NO CONSUMO FEMININO E A REALIDADE

    DE CONSUMO DO MERCADO BRASILEIRO.................................................... 22 4.1 AS MULHERES COMPRAM OU INFLUENCIAM NA AQUISIO DE TODAS

    AS MERCADORIA DE CONSUMO? .................................................................... 22 4.2 AS MULHERES COMPRAM CARROS OU INFLUNCIAM NA VENDA

    DELES? ................................................................................................................. 26 4.3 QUAL A MAIOR RENDA FAMILIAR, DO HOMEM OU DA MULHER?............... 27 4.4 SO AS MULHERES QUE CONTROLA OS GASTOS CASEIROS?................. 31 CONCLUSO .............................................................................................................. 33 REFERNCIAS............................................................................................................ 35 APNDICE A - QUESTIONRIO. .............................................................................. 36

    Excludo:

  • 6 1. INTRODUO

    A maior guerra mundial de todos os tempos no tem nada haver com posse

    de terras, petrleo e diferenas polticas ou religiosas. A maior guerra do mundo

    comeou logo na sua criao, e at hoje seus exrcitos continuam lutando pela

    disputa do poder. Estamos falando da guerra dos sexos.

    A guerra dos sexos eterna e o exrcito que mais luta para demonstrar seu

    poder nesta batalha, o exrcito feminino.

    Na antiguidade, a mulher era tratada pela sociedade (leia-se pelo sexo

    masculino) como sinnimo de pecado. Acreditava-se que ela no tinha direito

    alma e atravs da soberania desenvolvida pelo homem, criaram-se teorias e regras

    que tornaram as mulheres totalmente subalternas, explicitamente subordinadas,

    dependentes e submissas. Neste perodo claro que no podemos falar em guerra

    dos sexos, at porque a mulher no tinha direito a nada, muito menos de reivindicar

    alguma considerao pela sua contribuio ao mundo.

    Mas durante os sculos as mulheres comearam a tomar seu espao e a

    mostrar, cada vez mais, sua fora nesta luta de poderes, conquistando seu espao.

    No sculo XX as mulheres deram a volta por cima lutando pelos seus direitos,

    surgiram as anarco-feministas, que propunham a emancipao da mulher em todos

    os planos de vida social. O feminismo tornou-se respeitado e as mulheres

    reivindicaram o direito ao trabalho, ao estudo e ao voto. At que a luta pelo sufrgio

    deixou de representar uma subverso para tornar-se elegante na elite.

    No contexto atual, no modo de vida urbano, a famlia se modifica, o estudo e

    o trabalho da mulher fora de casa passam a serem vistos, no s como formas de

    auto-afirmao, mas como necessidade na composio da renda familiar, levando

    outros fatores como o cuidado com o lar, a deciso pelo nmero de filhos e a relao

    com o marido a mudanas radicais e a batalhas histricas nesta guerra.

    A revoluo feminina acompanhada em todos os lugares do mundo e

    inclusive no Brasil mostra que a mulher de hoje muito diferente da mulher das

    geraes passadas. A estruturao da famlia mudou e no mais padronizada. Em

    muitas famlias