FIAT LUX - Comunidade Teúrgica Portuguesa .Os Reinos Elementais também são chamados de Reinos

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of FIAT LUX - Comunidade Teúrgica Portuguesa .Os Reinos Elementais também são chamados de Reinos

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    1

    FIAT LUX

    ROBERTO LUCOLA

    CADERNO 7 ELEMENTAIS MAIO 1996

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    2

    PREFCIO

    O presente estudo o resultado de anos de pesquisas em trabalhos consagrados de

    luminares que se destacaram por seu imenso saber em todos os Tempos. Limitei-me a fazer

    estudos em obras que h muito vieram a lume. Nenhum mrito me cabe seno o tempo

    empregado, a pacincia e a vontade em fazer as coisas bem feitas.

    A prpria Doutrina Secreta foi inspirada por Mahatms. Dentre eles, convm destacar

    os Mestres Kut-Humi, Morya e Djwal Khul, que por sua vez trouxeram o tesouro do Saber

    Arcano cujas fontes se perdem no Tempo. Este Saber no propriedade de ningum, pois tem a

    sua origem no prprio Logos que preside nossa Evoluo.

    Foi nesta fonte que procurei beber. Espero poder continuar servindo, pois tenciono, se os

    Deuses ajudarem, prosseguir os esforos no sentido de divulgar, dentro do meu limitado campo

    de aco, a Cincia dos Deuses. O Conhecimento Sagrado inesgotvel, devendo ser objecto de

    considerao por todos aqueles que realmente desejam transcender a inspida vida do homem

    comum.

    Dentre os luminares onde vislumbrei a Sabedoria Inicitica das Idades brilhar com mais

    intensidade, destacarei o insigne Professor Henrique Jos de Souza, fundador da Sociedade

    Teosfica Brasileira, mais conhecido pela sigla J.H.S. Tal foi a monta dos valores espirituais

    que proporcionou aos seus discpulos, que os mesmos j vislumbram horizontes de Ciclos

    futuros. Ressaltarei tambm o que foi realizado pelos ilustres Dr. Antnio Castao Ferreira e

    Professor Sebastio Vieira Vidal. Jamais poderia esquecer esse extraordinrio Ser mais

    conhecido pela sigla H.P.B., Helena Petrovna Blavatsky, que ousou, vencendo inmeros

    obstculos, trazer para os filhos do Ocidente a Sabedoria Secreta que era guardada a sete

    chaves pelos sbios Brahmanes. Pagou caro por sua ousadia e coragem. O polgrafo espanhol

    Dr. Mrio Roso de Luna, autor de inmeras e valiosas obras, com o seu portentoso intelecto e

    idealismo sem par tambm contribuiu de maneira magistral para a construo de uma nova

    Humanidade. O Coronel Arthur Powell, com a sua inestimvel srie de livros teosficos,

    ajudou-me muito na elucidao de complexos problemas filosficos. Alice Ann Bailey, tesofa

    inglesa que viveu nos Estados Unidos da Amrica do Norte, sob a inspirao do Mestre Djwal

    Khul, Mahatma membro da Grande Fraternidade Branca, tambm contribuiu muito para a

    divulgao das Verdades Eternas aqui no Ocidente. E muitos outros, que com o seu Saber e

    Amor tudo fizeram para aliviar o peso krmico que pesa sobre os destinos da Humanidade.

    Junho de 1995

    Azagadir

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    3

    ELEMENTAIS

    NDICE

    PREFCIO ..... 2 FORAS ELEMENTAIS ..... 5 O PODER DE DEUS ..... 5 REINOS ELEMENTAIS ENCADEADOS .. 6 O HOMEM UM AGENTE CRIADOR ........ 7 ELEMENTAIS SEGUNDO HERMES ........ 8 IDEAO CSMICA E ELEMENTAIS ....... 9 OS ELEMENTAIS CONSTROEM A NATUREZA .... 10 DEVAS E HOMENS .... 11 ELEMENTAIS DO FOGO E O FIM DA ATLNTIDA ..... 11 OS GNIOS QUE DO VIDA MATRIA ... 12 O MANU E A CRIAO DAS FORMAS ................................................................................ 13 HABITANTES DOS MUNDOS PARALELOS .... 14 EVOLUO DVICA ........ 15 DEVAS E ELEMENTAIS ....... 16 DEVAS E ELEMENTAIS NA MAGIA AGHARTINA ....... 17 CRCULOS DO PODER DIVINO ..... 17 AS HIERARQUIAS NO TM INDIVIDUALIDADE ...... 18 TODOS OS CAMINHOS CONDUZEM A DEUS ....... 19 RETIRADA DA MNADA .... 20 A SERPENTE MORDENDO A PRPRIA CAUDA OUROBOROS . 21 OS ELEMENTAIS E OS LUGARES JINAS 22 LINGUAGEM E CONTACTO COM OS DEVAS ....... 23 DEVATAS ........ 24 PODER DO PENSAMENTO ......... 25 CRIAES DE ELEMENTARES ........ 26 O PAPEL DAS ARTES NA EVOLUO ........ 27

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    4

    A ME DIVINA A PARTE DO LOGOS QUE SE MANIFESTA ...... 27 OS DEVAS SO ANTERIORES AO HOMEM ....... 28

    OS DEVAS EVOLUEM PRESTANDO SERVIO ..... 30 PODER DOS PLANETRIOS ...... 30 OS ARQUITECTOS CRIADORES ........... 31 MTODO DE TRABALHO NOS MUNDOS SUBTIS ............ 32 COMO PENETRAR NO TEMPLO DE DEUS .... 33 AURAS FORMAS MAGIA .......... 34 COLABORAO ENTRE DEVAS E HOMENS . 36

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    5

    ELEMENTAIS

    FORAS ELEMENTAIS

    Quando estudmos a Cosmognese verificmos que o 3. Aspecto do Logos Actividade

    Inteligente foi o que iniciou a criao do nosso Universo, resultando dessa Aco Logoidal a

    elaborao dos Sete Grandes Planos Csmicos. Em seguida criao dos Planos, entrou em

    manifestao o 2. Aspecto do Logos Amor-Sabedoria cujo trabalho foi dar origem aos Sete

    Reinos, sendo que os trs primeiros Reinos so de natureza subjectiva, conforme a

    descriminao abaixo:

    a) 1. Reino Elemental Plano Mental Concreto

    b) 2. Reino Elemental Plano Astral

    c) 3. Reino Elemental Plano Fsico Etrico

    Os Reinos Elementais tambm so chamados de Reinos Interiores, que ao percorrerem a

    curva descendente da Involuo ou descida Matria cristalizam-se no 1. Reino Exterior, que

    o Mineral. Chegando a, ficam em estado latente.

    As matrias Mental, Astral e Fsica Etrica que ainda no se cristalizaram no Reino

    Mineral, constituem realmente os Planos Mental, Astral e Fsico Etrico. Formam as foras vivas

    da Natureza que se apresentam com aspectos tanto construtivos como destrutivos, podendo ser

    utilizadas pelas Hierarquias Superiores consoante o determinado pela Lei Divina. Dentre outras

    ocasies, essas foras j foram usadas quando da destruio da Atlntida e da Lemria.

    As tradies mais ocultas falam de uma poderosa Hierarquia de Seres que controlam em

    alto grau essas foras elementais. So denominados de Tirtnkaras e expressam o Poder

    Espiritual ao servio do Rei do Mundo. Basicamente, essas foras so de quatro ordens:

    a) Terra ou Pritivi relacionada aos Gnomos;

    b) gua ou Apas relacionada s Ondinas;

    c) Fogo ou Tejas relacionado s Salamandras;

    d) Ar ou Vayu relacionado aos Silfos.

    O PODER DE DEUS

    O Poder de Deus manifesta-se ern funo do cumprimento da Sentena de Deus que

    resultou do Grande Julgamento, e para purificao e ascenso da Terra expressa-se atravs de

    um dos quatro Elementos. Na purificao da Lemria, por exemplo, foi utilizado o Elemento

    Fogo com a participao das Salamandras. Na Atlntida, segundo as velhas tradies, o

    Elemento purificador foi a gua, com a participao activa das Ondinas. A respeito do Futuro

    no temos informaes precisas, contudo, pelos indcios das ltimas ocorrncias do

    conhecimento de todos, os quatro Elementos esto muito em evidncia: o Elemento Terra atravs

    dos terremotos, tremores de terra, avalanches, etc.; o Elemento gua atravs das tempestades,

    maremotos, enchentes, transbordamentos de rios, subida do nvel do mar, etc.; o Elemento Ar

    faz-se presente atravs dos tornados, tufes, furaces, ventanias acima de 200 kms por hora, etc.;

    o Elemento Fogo evidencia-se atravs dos grandes incndios espontneos em florestas e

    povoaes, secas escaldantes em pases de clima temperado, etc. Limitamo-nos a apresentar

    apenas indcios que podem ser comprovados por todos. No somos profetas da desgraa, apenas

    limitamo-nos a apresentar evidncias.

  • Comunidade Tergica Portuguesa Caderno Fiat Lux n. 7 Roberto Lucola

    6

    SUBSTNCIAS QUE FORMAM A NATUREZA Nenhuma dessas foras da Natureza

    tem formas definidas, pois consiste num aglomerado extensivo de energias difusas ainda virgens.

    Contudo, essas foras so muito sensveis aos impactos vindos de fora. Em virtude dessas

    caractersticas, tomam as formas que os homens e os animais lhe imprimem com as suas

    actividades mentais, emocionais e at mesmo fsicas.

    Como j sabemos, todos os sete Planos Csmicos so fomados pelo conjunto de sete Sub-

    Planos. Assim sendo, o Plano Fsico tambm constitudo de sete Sub-Planos. Recordando,

    temos:

    1. Sub-Plano Atmico

    2. Sub-plano Subatmico

    3. Sub-Plano Super-Etrico (1. e 2. teres)

    4. Sub-Plano Etrico (3. e 4. teres)

    5. Sub-Plano Gasoso

    6. Sub-Plano Lquido

    7. Sub-Plano Slido

    Os quatros primeiros Sub-Planos do Plano Fsico so de natureza etrica, por isso mesmo

    maleveis manipulao pela mente humana, que, consciente ou inconscientemente, cria formas

    que constumam aparecer aos olhos dos clarividentes como gnomos, ondinas, ninfas,

    salamandras, silfos, slfides, etc., consoante o Sub-Plano em que vivem.

    REINOS ELEMENTAIS ENCADEADOS

    Alm dos elementais do Plano Fsico Etrico, temos os elementais dos Planos Astral e

    Mental. Os elementais do Plano Astral constituem o 2. Reino Elemental. Esses elementais

    tomam as formas dos chamados Drages Flamgeros das tradies ocultas. Alm disso, temos

    como habitantes deste 2. Reino uma categoria particular de devas conhecidos por Kama-Devas.

    O Mundo Mental est relacionado ao 1. Reino Elemental, onde vivem os mais refinados

    seres subjectivos dos Mundos formais. So conhecidos pelos Iniciados hindus como sendo os

    Rupa-Devas, Gandarvas e outros seres dessa natureza.

    ELEMENTAIS ENCADEADOS medida que gradualm