FM-Peru _Mar§o 2011_

  • View
    214

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of FM-Peru _Mar§o 2011_

  • Mercados informao global

    Peru Ficha de Mercado Maro 2011

  • aicep Portugal Global

    Peru Ficha de Mercado (Maro 2011)

    2

    ndice

    1. O Pas em Ficha 03

    2. Economia 04

    2.1. Situao econmica e Perspectivas 04

    2.2. Comrcio Internacional 08

    2.3. Investimento 10

    2.4. Turismo 11

    3. Relaes Econmicas com Portugal 13

    3.1. Comrcio 13

    3.2.Servios 18

    3.3. Investimento 18

    3.4 Turismo 18

    4. Relaes Internacionais e Regionais 18

    5. Condies Legais de Acesso ao Mercado 20

    5.1. Regime Geral de Importao 20

    5.2. Regime de Investimento Estrangeiro 22

    5.3. Quadro Legal 24

    6. Informaes teis 25

    7. Endereos Diversos 27

    8. Fontes de Informao 30

    8.1. Informao Online aicep Portugal Global 30

    8.2. Endereos de Internet 31

  • aicep Portugal Global

    Peru Ficha de Mercado (Maro 2011)

    3

    1. O Pas em Ficha

    rea: 1.285.216 Km2

    Populao: 29,8 milhes de habitantes (estimativa 2011)

    Densidade populacional: 23,2 habitantes / km2

    Designao oficial: Repblica do Peru

    Forma de Governo: Repblica Constitucional

    Chefe de Estado e do Governo: Alan Garca Prez (desde 28 de Julho de 2006, eleito por 5 anos).

    Prximas eleies em 10 de Abril de 2011

    Data da actual Constituio: Promulgada em 29 de Dezembro de 1993 (em processo de reviso)

    Principais partidos polticos: Governo: Partido Aprista Peruano (PAP ou APRA). Oposio: Unin por

    El Per (UPP); Unidad Nacional (UN); Partido Nacionalista Peruano (PNP);

    Alianza por el Futuro (AF)

    Capital: Lima (7,6 milhes de habitantes)

    Outras cidades importantes: Cusco; Piura; Arequipa; La Libertad; Junn; Cajamarca; Lambayeque;

    Puno; ncash

    Religio: A maioria da populao Catlica (81,3%), mas existe total liberdade de

    culto para as minorias tnicas

    Lngua: O Castelhano (80%), o Quechua (16,2%) e o Aymara so as lnguas oficiais

    Unidade monetria: Novo Sol (PEN)

    1 EUR = 3,7478 PEN

    1 USD = 2,6860 PEN

    OANDA 14 de Maro 2011

    Risco pas: Risco poltico BB

    Risco de estrutura econmica BBB

    (AAA = risco menor; D = risco maior)

    Ranking em negcios: ndice 6,40 (10 = mximo)

    Ranking geral: 45 (entre 82 pases)

    (EIU 08 Maro 2011)

    Risco de crdito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior)

    (COSEC Janeiro 2011 - http://cgf.cosec.pt)

    Grau da abertura e dimenso relativa do mercado: Exp. + Imp. / PIB = 33,2% (2010)

    Imp. / PIB = 16,0% (2010)

    Imp. / Imp. Mundial = 0,17% (2009)

    Fontes: The Economist Intelligence Unit (EIU): Country Report Fevereiro 2011; ViewsWire 08 Maro 2011

    Banco de Portugal / OANDA

    COSEC; OMC; Instituto Nacional Estadstica e Informtica (INEI)

    CIA The World Factbook

  • aicep Portugal Global Peru Ficha de Mercado (Maro 2011)

    4

    2. Economia

    2.1. Situao Econmica e Perspectivas

    O Peru o 5 pas mais populoso da Amrica Latina (depois do Brasil, Mxico, Colmbia e Argentina),

    pas onde as migraes rurais tm aumentado fortemente a populao urbana (de 35,4% em 1940,

    estimando-se para 74,6% presentemente).

    Com o desenvolvimento econmico, um melhor acesso educao e as migraes em larga escala, das

    zonas rurais para as zonas urbanas, desenvolve-se uma cultura nacional com menores desigualdades,

    principalmente ao longo da costa, zona tambm mais prspera. Contudo, existem regies geogrficas

    bastante diferenciadas, que evidenciam grandes diferenas socioeconmicas, essencialmente entre a

    cultura daqueles que habitam na costa e as culturas andinas (mais diversificadas), tradicionais das

    montanhas e terras altas.

    A economia deste pas baseia-se em importantes fontes naturais: na explorao de minrios,

    essencialmente a prata, o zinco, o estanho, o cobre e o ouro (o Peru est considerado dentro dos 5

    principais pases produtores mundiais) e o petrleo. Beneficia, igualmente, de uma posio sectorial

    favorvel, principalmente na agricultura e na indstria agro-alimentar. Destacam-se a cana-de-acar, o

    acar, o algodo, o caf e o trigo. A agricultura de subsistncia e base de milho e batata. No litoral

    desenvolve-se a actividade pesqueira, sendo o Peru um dos maiores produtores mundiais. Tambm

    merece referncia a indstria txtil/vesturio, face s facilidades aduaneiras acordadas com os EUA.

    Com cerca de metade da populao a viver em situao de pobreza, o presidente Alan Garcia, reeleito

    em Julho de 2006, e a poucos dias de novas eleies (Abril de 2011), na implementao das suas

    polticas tinha como objectivo uma maior expanso para o sector da construo, sector mineiro, do

    investimento privado, das exportaes e do consumo privado, alm da implementao de vrias polticas

    sociais, no sentido da reduo das desigualdades.

    O Economist Intelligence Unit (EIU) refere que o crescimento de PIB foi consequncia da expanso da

    procura interna e do investimento. A continuao de elevados ndices de crescimento destes factores

    evidenciando, no seu conjunto, uma grande procura de bens alimentares, de bebidas, de produtos

    qumicos, maquinaria e equipamentos os altos preos dos minerais e dos metais e uma poltica

    agressiva, por parte do Governo, na liberalizao de estratgias comerciais, foram os grandes

    responsveis pelo crescimento do PIB em 2008 (9,8%). Refira-se que o substancial consumo privado

    resultou do crescimento do emprego na construo (programa de construo de casas de baixo custo) e

    na orientao para as exportaes de vrias indstrias, que proporcionaram elevadas receitas,

    objectivos do Governo j atrs referidos. Mas em 2009 o PIB caiu para menos de 1%, perante a crise

    econmica e financeira que prosperou internacionalmente, visvel na descida dos preos das

    exportaes das commodities e na grande quebra do investimento (neste caso superior inicialmente

    prevista).

  • aicep Portugal Global Peru Ficha de Mercado (Maro 2011)

    5

    Os acrscimos do PIB esperados para os anos seguintes relacionam-se com a recuperao do consumo

    privado e o aumento das exportaes, embora em 2011 sofra alguma quebra, devido prevista

    deteriorao das condies externas e algumas incertezas sobre o prximo acto eleitoral (Abril 2011).

    A economia peruana encerrou em 2010 com um crescimento anual de 8,78%, aps o registo em

    Dezembro, de um crescimento de 8,93% face ao mesmo ms do ano anterior. O resultado de 2010

    mostra uma recuperao total do impacto da crise internacional financeira, na economia peruana, ao que

    no foi alheia a produo nacional que cresceu apenas 1,02% em 2009, depois de 12 anos consecutivos

    de expanso.

    O sector produtivo mais importante em 2010 foi o da indstria manufacturada que, depois da reduo de

    6,93%, em 2009, teve uma taxa de crescimento anual de 13,64% (a maior taxa de crescimento dos

    ltimos 16 anos 16,64% em 1994). Este o resultado de um maior dinamismo da produo

    manufacturada no primria (de maior valor acrescentado), que cresceu 16,88%, pelo incremento da

    produo de bens de consumo (15,12%), de bens intermdios (18,28%) e de bens de capital (56,40%) e

    atenuada pelo resultado do sector primrio (-2,32%).

    O outro sector com forte crescimento em 2010 a construo, com um crescimento de 17,44%, o que

    confirma o boom imobilirio e a expanso das obras de infra-estruturas necessrias ao desenvolvimento

    do pas.

    Em contrapartida, os sectores que caram em 2010 foram o mineiro e o do petrleo (-0,81%) e o sector

    das pescas (-16,63%).

    O crescimento em 2010 de 8,78% est associado recuperao tanto da procura interna como externa.

    A evoluo favorvel da procura interna em 2010 reflecte-se no aumento de vendas de commodities

    (8,67%); de veculos ligeiros (51,43%; e das importaes de bens de consumo em 36,0%. Alm disso,

    observamos um aumento do investimento na construo em 17,44% e na importao de bens de capital

    e de materiais de construo em 31,2%. O aumento da procura externa reflecte-se nos maiores valores

    de exportao a preos constantes (4,5%), especialmente os no-tradicionais (14,8%), produtos agro-

    -pecurios, de pesca, metalrgicos, siderrgicos e minerais no-metlicos. Na rea de produtos

    tradicionais cresceram: a cana-de-acar, o caf, o cobre, o ferro, o chumbo, o zinco, o petrleo e o gs

    natural.

    Para os anos seguintes espera-se uma significativa recuperao nos sectores primrios, na actividade

    agrcola e pesqueira, assim como tambm no sector mineiro, este relacionado com aumentos de

    produo do cobre, associado ao aumento de produo de algumas minas e/ou entrada em produo de

    outras. Espera-se uma estabilizao no crescimento destes sectores, por volta dos 6%, embora o sector

    da construo possa alcanar 12%, o que est de acordo com o elevado ritmo de crescimento do

    investimento privado.

  • aicep Portugal Global Peru Ficha de Mercado (Maro 2011)

    6

    A taxa de inflao de 5,8% em 2008, devido aos aumento dos preos do petrleo e dos bens

    alimentares, sendo que 2009 imediatamente espelhou as baixas que se registaram nos preos destes

    produtos. Atinge o seu mnimo em 2010 (1,6%), ano a partir do qual voltar a subir, muito devido

    combinao entre a procura interna e a um aumento do preo do petrleo, aumento este devido a dois

    factores: subida do preo internacional e uma outra subida adicional, esta devido a uma reduo de

    subsdios por parte do Governo. Contudo, a poltica do Banco Central traduzida num