Folha Regional de Cianorte - Edição 985

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Versão Impressa da Edição 985 da Folha Regional de Cianorte com circulação na Quinta-feira, 12 de Junho de 2014

Text of Folha Regional de Cianorte - Edição 985

  • CIANORTE-PR - QUINTA-FEIRA, 12 DE JUNHO DE 2014 - ED. N 985 - Web: www.folhadecianorte.com - Email: folhadecianorte@gmail.com

    1 O JOrnal da famlia!

    Nesta quinta-feira (12), dia em que ser realiza-da a abertura da Copa do Mundo, o expediente nas reparties pblicas mu-nicipais ser das 8h s 13 horas. O Decreto n 135/2014 estabelece ho-rrios especiais de atendi-mento nos dias 12, 17 e 23 de junho de 2014. PG. 4

    Ano 13 - Edio 985 - R$ 2,00 - Site: www.folharegionaldecianorte.com - E-mail: folhadecianorte@gmail.com - Fone (44) 3018-2876

    Quinta-feira, 12 de Junho de 2014

    Provopar repassa doaes da Campanha do Agasalho

    SOLIDARIEDADE

    Foi realizada, na manh desta quarta-feira (11), a solenidade que celebrou o repasse das arrecadaes da Campanha do Agasalho a 23 entidades assistenciais.

    Tradicional em Cianorte, a ao promovida pelo Pro-grama do Voluntariado Pa-ranaense (Provopar), com o apoio do Governo Muni-cipal, Tiro de Guerra, Ban-

    co do Brasil e Cianorte Trail Clube, alcanou um ndice recorde de arrecadaes em 2014. Foram contabilizadas aproximadamente 35 tone-ladas de doaes. PG. 4

    Assessoria/PMC

    Prejuzos causados pelas chuvasno PR somamR$ 500 mi

    Torcedorcomete infrao ao comemorar nas ruas

    Prefeitura ter horrio especial nos dias de jogos do Brasil

    Os prejuzos causados pelas chuvas no Paran fo-ram estimados em R$ 500 milhes. Este valor consta do levantamento prelimi-nar apresentado aos conse-lheiros da Coordenadoria Estadual de Proteo e De-fesa Civil durante reunio ontem no Palcio Iguau, em Curitiba. PG. 2

    Preparado para tor-cer pelo Brasil no jogo de hoje? Pois o Departamen-to de Trnsito do Paran (Detran)j est pensando nas comemoraes e fez uma lista para que nada atrapalhe a festa, princi-palmente nas ruas. A Pol-cia Militar de Cianorte es-tar atenta. PG. 4

    CLIMA TRNSITO COPA DO MUNDO

    Beto Richa anuncia mais benefcios para Cianorte

    Pouco mais de dois me-ses depois, o governador Beto Richa voltou para Cia-norte trazendo mais investi-mentos e melhorias para a

    cidade numa parceria com polticos locais. Ele esteve ontem na cidade no final da tarde para assinar do-cumentos para incio das

    obras da duplicao da ro-dovia PR-323. O evento foi no Centro de Eventos Villa do Farol, na PR-323, e con-tou com a presena de po-

    lticos de toda a regio e representantes de diferen-tes segmentos da socieda-de. Essa mais uma gran-de obra no nosso governo,

    disse Richa. Atendemos reivindicao de um grande nmero de paranaenses des-sa regio. Ser dos melhores projetos de rodovia do Bra-

    sil. Outra boa notcia para os cianortenses que Beto Richa passou a delegacia da Polcia Civil da cidade para SubDiviso. PG. 5

    Incio das obras na PR-323, obras na cidade, melhorias na Polcia Civil e na UEM so anunciadas pelo governador

    Andye Iore/FOLHA

  • CIANORTE-PR - QUINTA-FEIRA, 12 DE JUNHO DE 2014 - ED. N 985 - Web: www.folhadecianorte.com - Email: folhadecianorte@gmail.com

    2 O JOrnal da famlia!

    JUSTIA ALERTA

    CuritibaagnCia Estadual

    Os prejuzos causados pelas chuvas no Paran fo-ram estimados em R$ 500 milhes. Este valor consta do levantamento preliminar apresentado aos conselhei-ros da Coordenadoria Esta-dual de Proteo e Defesa Civil durante reunio nesta quarta-feira (11/06) no Pa-lcio Iguau, em Curitiba.

    Segundo o chefe da Casa Militar e coordenador esta-dual da Defesa Civil, coro-nel Adilson Castilho Casi-tas, o balano inicial leva em conta relatrios feitos pelos prprios municpios e cadastrados no Sistema Es-tadual de Defesa Civil para que sejam analisados indi-vidualmente.

    Castilho disse que as ci-dades tm 10 dias para re-latar as perdas causadas pelas chuvas e o valor to-tal dos prejuzos dever ser muito maior. Sem dvi-das, pela nossa experincia e pela gravidade deste de-sastre, os prejuzos devem passar de R$ 1 bilho, dis-se. Muitos estragos s po-dero ser avaliados aps a gua baixar.

    Os rgos estaduais tam-bm devem contabilizar os

    danos, principalmente na rea de infraestrutura rodo-viria, saneamento e ener-gia. Pedimos apoio de to-das as secretarias envolvidas para dar agilidade no ora-mento, disse o coronel.

    CRITRIOS TCNICOS O oficial explicou que a

    previso fechar os nme-ros at o final desta sema-na. Com os valores fecha-dos, o balano ser levado ao governador Beto Richa para que o Estado possa formalizar um pedido de recursos federais.

    Estamos seguindo todos os trmites necessrios, disse. Esperamos que, des-ta vez, o governo federal adote o critrio tcnico para repasses e no critrios po-lticos, como na maioria das vezes ocorre, onde o Esta-do do Paran preterido, salientou o coronel Adilson Castilho Casitas.

    SERVIOS ESSENCIAIS O coordenador da De-

    fesa Civil destacou que a prioridade do governo es-tadual restabelecer os servios essenciais popu-lao, com desbloqueio e recuperao das estradas

    CuritibaagnCia Estadual

    A previso do tempo do Instituto Simepar para os prximos dias de alerta. Uma nova frente fria passa-r no final de semana pelo Estado trazendo chuva e frio para todas as regies do Paran. O volume de gua dever ser bem menor do que o da semana passada. No entanto, como o nvel de gua dos rios ainda est ele-vado, as defesas civis muni-cipais devem estar alerta para aumento das cheias em algumas cidades.

    O capito Eduardo Go-mes Pinheiro, da Coordena-doria Estadual da Defesa Ci-vil do Paran, afirmou que j foram colocadas equipes de prontido e avisaram as defesas civis municipais so-bre a possibilidade de ha-ver intensificao de alaga-mentos. O Simepar j nos comunicou sobre o risco. Estamos monitorando e to-mando aes de precau-

    es, disse Pinheiro. O meteorologista do Si-

    mepar, Samuel Braun, expli-cou que essa frente fria no deve estacionar sobre o Pa-ran. Ser uma chuva rpi-da e mediana. Como os rios ainda esto cheios preciso ficar em alerta quanto a ala-gamentos, principalmente em Guarapuava e Unio da Vitria, disse o meteorolo-gista. Ele disse que depois de domingo o Paran deve-r ter estabilidade, com cli-ma seco e mais quente.

    A previso que a chu-va inicie na noite de sexta--feira, seguindo at sbado a tarde, com nvel mdio de 30 milmetros por dia. Para a regio Oeste, h ainda o risco vendaval. J a temperatura deve variar entre 12C e 18C, de acor-do com cada regio. O me-teorologista Samuel Braun explica que at sexta-feira o clima continuar ameno, sem chuva na maioria das regies. Hoje o tempo est bom e com sol em muitas

    cidades que foram atingi-das pelas chuvas, afirmou.

    Conforme o boletim da Coordenaria Estadual de Proteo e Defesa Civil, di-vulgado s 12 horas desta quarta-feira, 492.532 pes-soas, de 143 municpios, fo-ram afetadas. Neste nmero incluem-se no s as que ti-veram perda total ou parcial de residncias e bens, mas tambm as atingidas por in-terrupo de fornecimento de energia, de gua, por da-nos nas lavouras, isolamen-to e dificuldade de trfego por prejuzos em estradas.

    Os municpios sofrem as consequncias de chuvas in-tensas, que provocaram ala-gamento, deslizamentos, fortes enxurradas e inun-daes provocadas pela cheia de diversos rios, en-tre os quais o Iva, Iguau, Jordo, Rio das Mortes, Pi-nho, Rio dos Patos e So Joo. O levantamento mos-tra que 4.697 pessoas esto desabrigadas e 25.735 per-manecem desalojadas.

    Emprego industrial tem recuo no Paran e no Brasil, aponta IBGE

    CuritibaagnCia Estadual

    A pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica divulgada nes-ta quarta-feira (11) mos-tra recuo generalizado do emprego industrial no Brasil. No Paran, confor-me a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Sa-lrio (PIMES), o nme-ro de trabalhadores ocu-pados no setor industrial recuou 3,7% em abril de 2014, em relao a abril de 2013 - a nona variao negativa consecutiva.

    No Brasil, a retrao foi de 2,2%, sendo a 31 queda seguida. A pes-quisa realizada em dez estados, mais as regies Nordeste, Norte e Centro--Oeste. Dos 14 locais in-vestigados, 11 apontaram reduo. Apenas Pernam-buco (4,4%) e Regio Nordeste (0,3%) registra-ram resultado positivo.

    Para o economista Francisco Jos Gouveia de Castro, do Instituto Paranaense de Desen-volvimento Econmico e Social (Ipardes), os n-meros desfavorveis do emprego industrial resul-tam das incertezas dos empresrios em relao ao futuro da poltica eco-nmica.

    As pfias taxas de crescimentos, constantes e intensas intervenes no mercado, a acelerao e generalizao dos rea-justes de preos no Pas, os desequilbrios das con-tas externas e desajustes nas contas pblicas cor-roboram com a postu-ra defensiva dos agentes produtivos, o que leva ao adiamento dos projetos de investimentos, afirma o economista.

    No Paran, as maio-res contribuies para a desacelerao no em-prego regional em abril deste ano em relao ao mesmo ms do ano pas-sado foram mquinas e aparelhos eltricos e ele-trnicos (-37,2%), me-tal (-8,0%), vesturio (-7,4%), refino de pe-trleo e lcool (-6,2%), fabricao de meios de transporte (-6,2%) e me-talurgia bsica (-5,5%).

    Prejuzos causados pelas chuvas no Paran j somam R$ 500 milhes

    O Departamento de Estradas de Rodagem do Paran (DER-PR) liberou nesta tera-feira (10) o trnsito na PR-323 sobre o Rio Iva, na entrada de Doutor Camargo, no Noroeste do Estado

    e das ligaes de energia e gua. Ele disse que ser fei-to pedido ao governo fede-ral de leo diesel para que todos os municpios afeta-dos possam utilizar os ma-quinrios locais no traba-lho de recuperao.

    Em todo Paran, at o momento, so 131 munic-pios em situao de emer-gncia. O nmero de pes-soas afetadas chegou a 492 mil e as cidades esto sen-do atendidas pelo Governo do Estado desde as primei-

    ras ocorrncias, com ser-vios emergenciais, como atendimento sanitrio, de sade, segurana e resgate.

    A populao desabriga-da est sendo