Gabriela Fagundes Dunhofer Heidegger e as artes visuais O ... · PDF fileA Origem da Obra de Arte – Heidegger e a crítica da representação. Ficha Catalográfica CDD 100 . Dunhofer,

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Gabriela Fagundes Dunhofer Heidegger e as artes visuais O ... · PDF fileA Origem da Obra de...

  • Gabriela Fagundes Dunhofer

    Heidegger e as artes visuais

    O pensamento da arte para alm da representao

    Tese de Doutorado

    Tese apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Filosofia da PUC-Rio como requisito parcial para obteno do ttulo de Doutor em Filosofia.

    Orientador: Prof. Paulo Cesar Duque-Estrada Co-orientadora: Prof. Ligia Teresa Saramago Pdua

    Rio de Janeiro

    Setembro de 2014

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Gabriela Fagundes Dunhofer

    Heidegger e as artes visuais

    O pensamento da arte para alm da representao

    Tese apresentada como requisito parcial para obteno do ttulo de Doutor pelo Programa de Ps-Graduao em Filosofia do Departamento de Filosofia do Centro de Teologia e Cincias Humanas da PUC-Rio.

    Prof. Paulo Cesar Duque-Estrada

    Orientador Departamento de Filosofia - PUC-Rio

    Prof. Ligia Teresa Saramago Pdua

    Co-orientadora Departamento de Filosofia - PUC-Rio

    Prof. Vera Cristina de Andrade Bueno

    Departamento de Filosofia - PUC-Rio

    Prof. Edgar de Brito Lyra Netto Departamento de Filosofia - PUC-Rio

    Prof. Alexandre Marques Cabral Departamento de Filosofia - UERJ

    Prof. Bernardo Barros Coelho de Oliveira

    Departamento de Filosofia - UFF

    Prof. Denise Berruezo Portinari Coordenadora Setorial do Centro de Teologia e

    Cincias Humanas - PUC-Rio

    Rio de Janeiro, 15 de Setembro de 2014

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Todos os direitos reservados. proibida a reproduo

    total ou parcial do trabalho sem autorizao da

    universidade, do autor e do orientador.

    Gabriela Fagundes Dunhofer

    Bacharel em Filosofia pela Universidade Estadual do

    Rio de Janeiro. Licenciada pelo Instituto a vez do

    Mestre. Cursou o Mestrado em Filosofia na PUC-Rio

    (2008-2010), obtendo o ttulo de mestre com a

    dissertao A Origem da Obra de Arte Heidegger e

    a crtica da representao.

    Ficha Catalogrfica

    CDD 100

    Dunhofer, Gabriela Fagundes

    Heidegger e as artes visuais: o pensamento da arte para alm da representao / Gabriela Fagundes Dunhofer; orientador: Paulo Csar Duque Estrada; co-orientadora: Ligia Teresa Saramago Pdua. 2014. 161 f.; cm

    Tese (doutorado) Pontifcia Universidade Catlica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

    Inclui bibliografia

    1. Filosofia Teses. 2. Heidegger. 3. Arte. 4. Representao. 5. Verdade. 6. Esttica I. Duque Estrada, Paulo Csar. II. Pdua, Ligia Teresa Saramago. III. Pontifcia Universidade Catlica do Rio de Janeiro. Departamento Filosofia. IV. Ttulo.

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Ao meu pai, Paulo Dunhofer.

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Agradecimentos

    Ao CNPq e PUC - Rio pelos auxlios concedidos, que possibilitaram a realizao

    deste trabalho.

    Ao Departamento de Filosofia, professores e funcionrios, pelos ensinamentos e

    pela ajuda.

    A Paulo Cesar Duque-Estrada, pela orientao fundamental para a realizao dessa

    tese.

    A Ligia Saramago, minha co-orientadora, por tudo que me ajudou, por me receber

    sempre com gentileza e pacincia.

    A Vera Cristina Bueno, por me acolher em suas aulas, pelos estudos sobre Kant e

    pelo exemplo de docente comprometida com a formao de seus alunos.

    A Edgar Lyra por incentivar meu retorno filosofia. Serei sempre grata pelo seu

    apoio e cordialidade.

    Aos meus queridos amigos Alexandra de Almeida, Pedro Bonfim Leal e Thiago

    Costa Faria pelo nosso convvio na Puc, pelos debates filosficos, pelas angustias

    partilhadas, por tudo que me ajudaram e pela amizade, que quero cultivar por toda

    a vida.

    Agradeo igualmente a Guilherme, Jean e Marina pela amizade constante e firme

    de tantos anos.

    Agradeo imensamente a Maria Amlia Penido Sampaio, pelo cuidado e apoio ao

    longo destes ltimos anos.

    Aos meus adorados alunos, fontes de alegria e aprendizado constante.

    A minha querida irm Roberta e minhas amadas sobrinhas, Ana e Paula, pelos

    momentos de alegria e aconchego em So Paulo.

    A minha querida tia, Elizabeth, com quem aprendi o gosto pela arte e pela leitura.

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • A Thomaz, pelo zelo, amor e principalmente por todo incentivo, no apenas para a

    realizao dessa tese, mas em todos os meus projetos e trabalhos Aquilo que o

    amor olha no seu olhar essencial algo que fica1.

    Por fim, agradeo ao meu pai, pelo seu pleno apoio, compreenso e afeto. Graas a

    ele e sobretudo a ele, consegui reunir as foras necessrias para terminar esse escrito

    Desse agradecimento que no apenas agradece por algo, mas que apenas

    agradece poder agradecer2.

    1 Heidegger. Explicaes da poesia de Hlderlin. 2 Heidegger. Serenidade.

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Resumo

    Dunhofer, Gabriela Fagundes; Duque-Estrada, Paulo Cesar (Orientador).

    Heidegger e as artes visuais o pensamento da arte para alm da

    representao. Rio de Janeiro, 2013. 161p. Tese de Doutorado - Departamento de

    Filosofia, Pontifcia Universidade Catlica do Rio de Janeiro.

    A presente tese procura desvelar na filosofia de Martin Heidegger a questo da

    representao nas artes visuais. O pensamento acerca da arte em Heidegger se desvincula

    da esttica, visto que ele se distancia de qualquer maneira de lidar com a arte enquanto

    objeto de apreciao subjetiva do ser humano. Assim, apresento uma exposio da crtica

    da metafsica e do pensamento da representao empreendidas pelo filsofo,

    principalmente nos domnios da arte. Com este propsito investigo a prpria obra de arte,

    retomando e desenvolvendo questes fundamentais no pensamento heideggeriano, como

    o conceito de ser e de verdade. No ensaio A Origem da Obra de Arte, a concepo de

    verdade surge como abertura originria e desvelamento e a arte pensada como

    formadora e transformadora de mundo. A histria da arte compreendida ento como

    uma histria de descontinuidade, na qual cada mudana uma ruptura, um espaamento

    que faz origem, que abre um novo mundo. Assim prprio da arte desvelar a verdade de

    uma poca histrica. O passo seguinte dado ao abordar o escrito Sobre a Sistina, em

    que Heidegger traz importantes elementos para a reflexo sobre a arte e a crtica da

    esttica. Por fim, remeto-me aos escritos em que Heidegger trata da questo da escultura

    e de sua relao com o espao: Observaes sobre Arte Escultura Espao e A Arte

    e o Espao. Aqui investigo as noes de espao e lugar na obra do filsofo e o modo que

    elas dialogam com as obras dos escultores Eduardo Chillida e Benhard Heiliger. Em um

    ltimo esforo, reflito sobre como a arte possibilitaria um pensamento no representativo.

    Na arte temos espao para um novo tipo de pensamento, no mais ordenador e calculante,

    mas potico, do permanente devir do ser que faz parte da sua essncia originria. Em

    suma, procura-se neste estudo articular o pensamento heideggeriano com uma anlise

    orientada pelas artes visuais aprofundando a questo da representao e da crtica

    metafsica.

    Palavras-chave

    Heidegger; artes visuais; esttica; representao; verdade.

    DBDPUC-Rio - Certificao Digital N 1011733/CA

  • Abstract

    Dunhofer, Gabriela Fagundes; Duque-Estrada, Paulo Cesar (Advisor). Heidegger

    and the Visual Arts The thinking of art beyond the representation. Rio

    de Janeiro, 2013. 161p. Doctoral Thesis - Departamento de Filosofia, Pontifcia

    Universidade Catlica do Rio de Janeiro.

    This thesis seeks to reveal, in Martin Heideggers philosophy, the issue of

    representation in the visual arts. Thinking about art in Heidegger departs from the

    aesthetic, since he distances himself of any form of dealing with art as an object of

    subjective appreciation of the human being. Thus, I present a critique of the

    metaphysics and the thought of representation undertaken by the philosopher,

    mainly in the fields of art. For this purpose I investigate the work of art itself,

    resuming and developing fundamental issues in Heideggers thought, as the concept

    of being and of truth. In the essay The Origin of the Work of Art, the conception

    of truth emerges as an original opening and unveiling, and art is thought as creating

    and transforming the world. The history of art is then understood as the history of

    discontinuity, in which each change is a breach, a gap that originates a new world.

    Therefore the art typically reveals the truth of a historical era. The next step is taken

    by addressing the writing About Sistine, where Heidegger brings important

    elements for reflection on criticism and aesthetics. Finally, I refer to the writings in

    which Heidegger comes to the subject of sculpture and its relationship to

    space: Observations on Art - Sculpture - Space and The Art and Space. Here I

    investigate the concepts of space and place in the work of the philosopher, and the

    way they relate with the works of sculptors Eduardo Chillida and Benhard

    Heiliger. In one last attempt, I reflect on how art would allow an unrepresentative

    thought. In art there is space for a new kind of thinking, not orderly and systematic

    anymore, but poetic, from the continuous trans