Click here to load reader

Gazeta de Varginha - 05/09/2013

  • View
    232

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 8.820

Text of Gazeta de Varginha - 05/09/2013

  • VARGINHA , 05 DE SETEMBRO DE 2013R$ 1,00

    Pgina 2

    PONTOPONTOPONTOPONTOPONTO DEDEDEDEDE VISTVISTVISTVISTVISTAAAAA

    Timteo 05

    Mx: 22C / Mn: 12C

    EDIO - 8.820

    Os deveres dos pastores paracom vrias classes de pessoas

    LOCAL/PGINA 05

    Cerca de 100 integran-tes do Movimento dos SemTerra (MST) invadiram, namanh de ontem (4/9), aFazenda Paraso, em Cam-panha (MG), segundo infor-maes da Polcia Militar.A fazenda de proprieda-de do empresrio PauloLima, preso no ms pas-sado por suspeita de man-ter trabalhadores rurais emregime de trabalho escra-vo. Segundo representan-tes do MST, as famlias queesto no local vieram do Sulde Minas e de outras regi-es de Minas Gerais.

    A liderana do movi-mento ainda aguarda a che-gada de outras mil pesso-as. Eles reivindicam a pre-sena do Instituto Nacionalde Colonizao e ReformaAgrria (Incra) e do Minis-trio do Trabalho no local.

    MST invade fazenda de empresriode Varginha acusado de sequestro

    LOCAL/PGINA 03

    LOCAL/PGINA 06

    REGIONAL/PG. 07

    Ainda segundo a direo domovimento, a fazenda se-ria improdutiva.

    Em nota no site doMST, representantes domovimento dizem que aocupao tem o objetivo dechamar a ateno para oscasos de trabalhadores emsituao irregular em MinasGerais.

    Cansamos de pedirprovidncias em Minas Ge-rais, em que temos cercade 800 mil trabalhadoresrurais em situao irregu-lar, j reunimos diversasvezes com o MTE, mas in-felizmente tem de havereste tipo de fato para aspessoas prestarem aten-o, diz Jorge Ferreira dosSantos Filho, da DireoEstadual da CUT/MG.

    Sessenta e ummunicpios mineiros j

    podero dar incio aobras de infraestrutura

    urbana

    Fazendeiro tambm suspeito de trabalho escravo; ele est preso desde 23 de agosto

    Eli Mendesest entremunicpios

    beneficiadoscom recursosde R$ 27 mido Estado

    ESPORTE/PGINA 16

    Boa empata com oAva e no consegue

    entrar no G4

    Cooperativa Minasulde Varginha lana projeto

    social para o Dia C

    Um resultado que noagradou o Boa e nem oAva. As equipes empata-ram por 0 a 0 em um jogotruncado na noite desta ter-a-feira (3/9), no EstdioMelo, em Varginha, pela19 rodada da Srie B. Comisso, os dois times estaci-

    onaram na tabela e no con-seguiram entrar no G-4. OBoa Esporte continua emsexto, com 31 pontos, en-quanto o Ava aparece emseguida, na stima posio,com 30 pontos.

    Prefeitura fiscalizaservio de panfletagem

    na rea central

    [email protected]

    www.jornalgazetadevarginha.com

    facebook.com/gazetavga

    twitter.com/gazetavarginha

  • CNPJ: 21.535.075/0001-47

    A redao no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigos

    assinados, mesmo sobpseudnimos, que so de inteira

    responsabilidade de seus autores.

    Dirio de CirculaoRegional - Diretora

    Administrativa:Ana Maria Silva Piva -Jornalista Responsvel:

    Lanamara Silva -MTB -8304 JP - Editor:Rodrigo S. Fernandes

    Sindjori - MG 312/99 -Administrao/Reviso:Lanamara Silva - Paulo

    Ribeiro da Silva Fernan-des

    (Jornalista e superinten-dente de redao-

    TB.16.851) - Horrio defuncionamento das08:00hs s 18:00hs

    ABRAJORI - AssociaoBrasileira de Jornais do

    InteriorSINDJORI - Sind. Prop. de

    Jornais e Revistas doInterior

    ADJORI - Associao dosJornais do Interior

    ADI - Associao dosJornais do interior de

    Minas Gerais

    ENDEREO:Redao e Departa-mento de Publicidade

    Telefones (35)3221-4668(35)3221-4845

    Av. dos Imigrantes,445 - Santa Maria -

    CEP 37022-560 -VARGINHA/MG

    E-mail: gazetade-varginha @gmail.com ga-z e t a c o m e r c i a l [email protected] y a h o o . c o m . b rEndereo eletrnico:www.gazetavarginha.com.br

    GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    PONTO DE VISTA02 PONTO DE VISTA02

    TIMTEO 5

    Palavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de VidaPalavras de Vida

    Os deveres dos pastores para com vrias classes de pessoasOs deveres dos pastores para com vrias classes de pessoasOs deveres dos pastores para com vrias classes de pessoasOs deveres dos pastores para com vrias classes de pessoasOs deveres dos pastores para com vrias classes de pessoas

    1 - NO repreen-das asperamente osancios, mas admoes-ta-os como a pais; aosmoos como a irmos;

    2 - As mulheresidosas, como a mes,s moas, como a ir-ms, em toda a pure-za.

    3 - Honra as vi-vas que verdadeira-mente so vivas.

    4 - Mas, se algu-ma viva tiver filhos, ounetos, aprendam pri-meiro a exercer pieda-de para com a sua pr-pria famlia, e a recom-pensar seus pais; por-que isto bom e agra-dvel diante de Deus.

    5 - Ora, a que

    verdadeiramente vivae desamparada esperaem Deus, e perseverade noite e de dia em ro-gos e oraes;

    6 - Mas a que viveem deleites, vivendoest morta.

    7 - Manda, pois,estas coisas, para queelas sejam irrepreens-veis.

    8 - Mas, se algumno tem cuidado dosseus, e principalmentedos da sua famlia, ne-gou a f, e pior do queo infiel.

    9 - Nunca seja ins-crita viva com menosde sessenta anos, e sa que tenha sido mulherde um s marido;

    10 - Tendo teste-munho de boas obras:Se criou os filhos, seexercitou hospitalidade,se lavou os ps aos san-tos, se socorreu os afli-tos, se praticou toda aboa obra.

    11 - Mas no ad-mitas as vivas maisnovas, porque, quandose tornam levianas con-tra Cristo, querem casar-se;

    12 - Tendo j a suacondenao por have-rem aniquilado a primei-ra f.

    13 - E, alm disto,aprendem tambm aandar ociosas de casaem casa; e no s ocio-sas, mas tambm paro-

    leiras e curiosas, falan-do o que no convm.

    14 - Quero, pois,que as que so moasse casem, gerem filhos,governem a casa, e nodem ocasio ao adver-srio de maldizer;

    15 - Porque j al-gumas se desviaram,indo aps Satans.

    16 - Se algumcrente ou alguma cren-te tem vivas, socorra-as, e no se sobrecar-regue a igreja, para quese possam sustentar asque deveras so vivas.

    17 - Os presbte-ros que governam bemsejam estimados pordignos de duplicadahonra, principalmente

    os que trabalham napalavra e na doutrina;

    18 - Porque diz aEscritura: No ligars aboca ao boi que debu-lha. E: Digno o obrei-ro do seu salrio.

    19 - No aceitesacusao contra o pres-btero, seno com duasou trs testemunhas.

    20 - Aos que peca-rem, repreende-os napresena de todos, paraque tambm os outrostenham temor.

    21 - Conjuro-te di-ante de Deus, e do Se-nhor Jesus Cristo, e dosanjos eleitos, que sempreveno guardes es-tas coisas, nada fazen-do por parcialidade.

    22 - A ningumimponhas precipitada-mente as mos, nemparticipes dos pecadosalheios; conserva-te ati mesmo puro.

    23 - No bebasmais gua s, mas usade um pouco de vinho,por causa do teu est-mago e das tuas fre-qentes enfermidades.

    24 - Os pecadosde alguns homens somanifestos, preceden-do o juzo; e em algunsmanifestam-se depois.

    25 - Assim mes-mo tambm as boasobras so manifestas,e as que so de outramaneira no podemocultar-se.

    Crescimento dos smartphones impulsiona novas tecnologiasSegundo informa-

    es da consultoria IDC,a preferncia dos brasi-leiros por smartphones,pela primeira vez na his-tria do setor, superouos celulares tradicionaisno segundo trimestre de2013. Ainda conforme aconsultoria, as vendasdesses aparelhos cres-ceram nada menos que110% em relao aomesmo perodo do anopassado. Enquantoisso, os celulares tradi-cionais registraram que-da de 35% em compa-rao ao segundo tri-mestre de 2012.

    Tal performancedos smartphones fru-to de diversas conjuntu-ras. Podemos citar comoprincipal exemplo o au-mento de novas linhasregistradas no ms dejulho desse ano. Segun-do a Anatel, o Brasil jpossui aproximadamen-te 267 milhes de linhasde telefonia mvel ati-vas, com adio de 1,26milhes no ms. A ex-panso da base sobrejunho foi de 0,47%, en-quanto o crescimentoem doze meses ficou em4,1%. Afora isso, houvea desonerao de smar-tphones fabricados no

    Brasil, fato que possibi-litou o barateamentodos equipamentos.

    Do total de linhasmveis no pas em julho,mais de 211 milhes solinhas pr-pagas, repre-sentando 79,23%, en-quanto pouco mais de55 milhes so ps-pa-gas, o que equivale a20,77%. O total de li-nhas pr-pagas subiu1,2% em doze meses,enquanto o de linhasps-pagas avanou16,9%. Tais fatos de-monstram que o consu-midor comeou a fazercontas e a entender queas tarifas dos planospr-pagos so muito

    maiores que as do ps-pago.

    Indicam tambmque vrios servios dis-ponibilizados na internetpodem ajudar o consu-midor a economizar, gra-as a aplicativos gratui-tos como o Whats Up eSkype, que permitem acomunicao de voz eenvio de mensagens ili-mitadas com custo zero.Tais dispositivos temcausado a diminuioda receita das operado-ras de telefonia mvel,no que tange aos servi-os de mensagens detexto. Alm das tecnolo-gias da informao ecomunicao acima ci-

    tadas, muitos serviosdisponveis na Cloudforam incorporados aoshbitos dos usuriosbrasileiros. Me refiro asredes sociais, serviosde armazenamento dearquivos como o iCloudda Apple, o Skydrive daMicrosoft ou o GoogleDrive da Google. Taisservios permitem que ousurio acesse seuscontedos em qualquerlugar a qualquer tempo.Em outras palavras per-mitem a mobilidade.

    Segundo a Gart-ner, consultoria em tec-nologia da informaomundialmente conheci-da, a convergncia deferramentas, aplicati-vos, recursos de stora-ge (armazenamento),ocorre hoje mediante ainterligao e entrelaa-mento de 4 foras ougrandezas, so elas:cloud, redes sociais, in-formao e mobilidade.Eis aqui o futuro das tec-nologias de informaoe comunicao ao al-cance das mos e dobolso do consumidor detelefonia mvel brasilei-ro.

    Tal convergnciade sistemas com tecno-logias de transmisses

    e armazenamento de in-formaes inauguramuma nova era da comu-nicao, bem como umnovo estgio da capaci-dade humana de arma-zenar informaes, pro-cess-las, analis-las einterelacion-las emquantidade e propor-es colossais. So des-ses contextos que emer-ge a Big Data, termoconsagrado a aplicati-vos capazes de traar

    perfis de comportamen-to do consumidor atra-vs de resultados obti-dos em redes sociais,sites de busca, entreoutros servios da web.Logo teremos tanta in-formao armazenada edissecada que ser pos-svel predizer uma sriede eventos e fenme-nos da vida. Em outraspalavras, estamos naantessala da intelign-cia artificial.Dane Avanzi advogado, empresrio do Setor de

    Engenharia Civil, Eltrica e de Telecomunicaes. Di-retor Superintendente do Instituto Avanzi, ONG de defesados direitos do Consumidor de Telecomunicaes

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    LOCAL 03

    No ltimo final de semana, os fiscais do Executivo estiveram no calado da Rua Wenceslau Braz

    Prefeitura realiza fiscalizao doservio de panfletagem no Centro

    A Prefeitura de Var-ginha, atravs do setorde Posturas da Secre-taria da Fazenda, estrealizando a fiscaliza-o de panfletagem nacidade, a fim de coibir odescarte ilegal de mate-rial de publicidade e pro-paganda, contribuindopara a poluio de ruase espaos pblicos dacidade. No final de se-mana, os fiscais estive-ram no calado daWenceslau Braz, orien-tando as pessoas queali estavam realizandopanfletagem, do Decre-to 5.718/2011, que dis-ciplina a realizao depublicidade e propagan-da em vias e logradou-ros pblicos atravs depanfletos, folhetos, pla-cas, faixas, banners esimilares no municpio.

    De acordo com ofiscal Erick Marques,normalmente aos s-bados que as empresasaproveitam para fazerpanfletagem no centroda cidade, e a grandemaioria sem autoriza-o da Prefeitura. Eleconta que quando con-segue abordar a pessoaorienta sobre as provi-dncias a serem toma-das antes de realizarema panfletagem. Quandono consegue a aborda-gem encaminha umanotificao via correio e,em caso de reincidn-

    cia aplica o auto de in-flao.

    Temos um Decre-to que estabelece as re-gras para a publicidadee propaganda no qualse encaixa a panfleta-gem, dentre elas a ne-cessidade de licena daPrefeitura e a responsa-bilidade da limpeza dolocal pelas empresas,explicou.

    De acordo com oDecreto 5.718/2011,toda distribuio de pan-fletos, folhetos e/ou acolocao ou exposiode qualquer outro meiode publicidade e propa-ganda em via pblica,devero seguir o dis-posto em seu regula-mento. A explorao dequalquer meio de publi-cidade e propagandanas vias e logradourospblicos, nos lugares deacesso comum, em ter-renos prprios ou dedomnio privado, de lu-gares pblicos, depen-

    de de licena da Prefei-tura do Municpio, sujei-tando-se o requerente,ao pagamento da taxarespectiva, sendo decompetncia da Secre-taria Municipal da Fa-zenda, atravs de seuSetor competente, aconcesso do Alvar.

    As liberaes dos

    BASSELEVADORES

    A Eficinciano TransporteVertical

    [email protected] / www.basselevadores.com.br

    - Elevadores Hidrulicos Residenciais- Elevadores Eltricos com ou sem Casa de Mquinas

    - Elevadores Panormicos- Elevador para Heliponto

    - Plataformas para Portadores de Necessidades Especiais (PNE)- Monta-Cargas e Monta-Pratos- Elevadores para Automveis

    - Elevadores de Cargas

    (14) 99622-2734 / (11) 3936-3663

    Alvars para a realiza-o dos trabalhos emvia pblica s so reali-zadas para empresas

    devidamente constitu-das e inscritas no Muni-cpio, com o ramo deatividade de prestao

    de servios de publici-dade e propaganda, res-peitando todos os dita-mes do Cdigo de Pos-tura Municipal.

    Instalao de lixeirasCom relao a ins-

    talao de lixeiras na ci-dade, incluindo ai no cal-ado da WenceslauBraz, o responsvelpelo Departamento deLimpeza Urbana infor-mou que as lixeiras an-tes existentes foram da-nificadas, tanto por usoquanto por vandalismo,mas que j est em an-damento processo lici-tatrio para aquisiode novas lixeiras quedevero ser colocadasem aproximadamente20 dias.

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    LOCAL04

    Semana da Administrao do Unis-MGtem incio na prxima semana

    Com o intuito deinformar, atualizar egerar conhecimentosrelativos Administra-o, o Centro Univer-sitrio do Sul de Mi-nas, por meio da Uni-dade de Gesto daEducao e Negcios(GEN), realiza a Se-mana da Administra-

    o: A Gesto Empre-endedora. O eventoacontece entre os dias09 e 12 de setembro,no auditrio do Cam-pus I, das 19h s22h30.

    A Semana da Ad-ministrao aconteceanualmente por meiode palestras e debates.

    As atividades soabertas aos profissio-nais das reas de Ad-ministrao, ComrcioExterior, Cincias Con-tbeis, Gesto da Qua-lidade, Logstica, Peda-gogia, Processos Ge-renciais, Recursos Hu-manos e Publicidade ePropaganda, alm de

    alunos, professores epesquisadores do Gru-po Unis.

    O cronograma daSemana da Adminis-trao atende as de-mandas de todos oscursos envolvidos.

    O contedo pro-gramtico, com focoem empreendedoris-mo e mercado de tra-balho, pretende agre-gar conhecimento, es-tabelecendo uma visomercadolgica e orga-nizada para a gestode negcios.

    No fim do evento,os alunos e participan-tes recebero certifica-dos com carga horriade participao.

    As inscriespara a Semana da Ad-ministrao so gratui-tas e podem ser feitaspelo site inscricao.unis. edu.br.

    A Semana da Administrao acontece anualmente pormeio de palestras e debates

    Unis-MG abre vagaspara monitores

    Alunos do CentroUniversitrio do Sul de Mi-nas j podem se cadas-trar no programa de mo-nitoria da Instituio. Asinscries terminamneste dia 5 de setembro.O programa de Monito-ria do Unis MG tem comoobjetivos aprimorar a for-mao acadmica e pro-fissional dos alunos, pro-mover a cooperao en-tre estudantes e profes-

    sores, e contribuir paraa melhoria da qualidadedo ensino. Ao todo, so15 vagas disponveis,que atendero todas asUnidades de Gesto decursos de Graduaoda Instituio (GESS,GENe GEAT).

    A monitoria serde trs horas semanais,com incio em setembroe trmino em dezembrodeste ano.

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    LOCAL 05

    MST invade fazenda de empresriode Varginha acusado de sequestroFazendeiro tambm suspeito de trabalho escravo; ele est preso desde 23 de agosto

    Cerca de 100 inte-grantes do Movimentodos Sem Terra (MST) in-vadiram, na manh deontem (4/9), a FazendaParaso, em Campanha(MG), segundo informa-es da Polcia Militar. Afazenda de proprieda-de do empresrio PauloLima, preso no ms pas-sado por suspeita demanter trabalhadoresrurais em regime de tra-balho escravo. Segundorepresentantes do MST,as famlias que esto nolocal vieram do Sul deMinas e de outras regi-es de Minas Gerais.

    A liderana do movi-mento ainda aguarda achegada de outras milpessoas. Eles reivindi-cam a presena do Ins-tituto Nacional de Colo-nizao e ReformaAgrria (Incra) e do Mi-nistrio do Trabalho nolocal. Ainda segundo adireo do movimento, afazenda seria improdu-tiva.

    Em nota no site doMST, representantes domovimento dizem que aocupao tem o objeti-vo de chamar a atenopara os casos de traba-lhadores em situao ir-regular em Minas Ge-rais.

    Cansamos de pedirprovidncias em MinasGerais, em que temoscerca de 800 mil traba-lhadores rurais em situ-ao irregular, j reuni-mos diversas vezes como MTE, mas infelizmen-te tem de haver este tipode fato para as pessoasprestarem ateno, dizJorge Ferreira dos San-tos Filho, da Direo Es-tadual da CUT/MG, e daArticulao dos Empre-gados Rurais (ADERE-MG).

    Segundo o gerenteregional do Ministrio doTrabalho, Mrio ngeloVitrio, a situao no lo-

    cal tranquila."Eles querem uma

    demanda que trabalha-dores da regio j tmh muito tempo e nsestamos tentando aten-der. Eles querem maisfiscalizaes em propri-edades rurais, ns j te-mos recebido mais re-foros e vamos intensi-ficar as fiscalizaes.Eles tambm queremuma nova rodada de ne-gociaes para estaquinta-feira", disse ogerente regional.

    A Polcia Militaracompanha a movimen-tao dos manifestantesno local.

    SuspeitasO fazendeiro Paulo

    Alves Lima, de 59 anos,suspeito de manter fun-cionrios em regime detrabalho escravo e de tersequestrado um lavra-dor, j respondeu poraliciamento de trabalha-dores e estelionato. Se-gundo o Ministrio doTrabalho, Lima recebeuvrias notificaes pordesobedincia s leistrabalhistas. O fazendei-ro permanece preso noPresdio de Varginha.

    Em um dos proces-sos, Lima acusado detrazer 37 trabalhadorese 17 crianas e adoles-

    centes da cidade de Mo-reira Sales (PR) paratrabalhar na fazenda emCampanha. Ele foi con-denado a uma multa deR$ 25 mil. O fazendeiro suspeito de ter se-questrado o lavradorlio Costa Arajo, de 41anos, que fez a denn-cia de trabalho escravo.A polcia teve acesso simagens em que o la-vrador aparece entran-do sozinho no nibuspara Lavras e investigao rumo que ele teria to-mado. lio continua de-saparecido.

    Outro trabalhador,que foi resgatado da fa-zenda em Campanha,est sob a proteo daPolcia Federal e man-tido em uma instituiocujo nome no foi divul-gado. Ele passa por tra-tamentos psicolgicos e considerado uma im-portante testemunhanas investigaes doscrimes que teriam sidocometidos pelo fazen-deiro.

    O casoO fazendeiro foi pre-

    so no dia 23 de agostoem Campanha suspeitode manter funcionriosem regime de trabalhoescravo em uma propri-

    edade rural do munic-pio e de ter ordenado osequestro de um delesaps uma denncia fei-ta Policia Militar. Se-gundo a PM, Lima foidetido aps cumprimen-to de um mandado debusca e apreenso e oresgate de dois traba-lhadores.

    De acordo com aPM, o funcionrio lioCosta de Arajo, de 41anos, disse ter trabalha-do durante cinco mesesem regime de escravi-do e relatou que o fa-zendeiro retinha docu-mentos pessoais dele ede outros trabalhado-res.

    TestemunhaO lavrador foi leva-

    do do hotel por um ho-mem identificado como oex-patro. Segundo umadas funcionrias do es-tabelecimento, que noquis ser identificada, ohomem pagou a contado hotel e levou o traba-lhador. O homem queesteve com ele no hotelfoi o Paulo Lima. O tra-balhador mesmo me dis-se, baixinho, antes desair e pediu para que euligasse para a polcia,mas eu no chamei, tivemedo, contou a mulher.

    Fazendeiro preso em Varginha j respondeu por aliciar trabalhadores e estelionato

  • 06

    GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    LOCAL L

    Cooperativa Minasul de Varginhalana projeto social para o Dia CA Minasul lanou

    oficialmente o MinasulEduca, projeto socialque tem como principalobjetivo levar o concei-to de cooperativismo aestudantes das esco-las rurais.

    A proposta detrabalhar noes decooperativismo abor-dando diretamente va-lores e interdisciplinari-dade na educao deestudantes da zona ru-

    So 8 escolas na zona rural de Varginha com um total de 566 alunos

    ral de Varginha. O usoda interdisciplinaridade

    ser uma forma de de-senvolver esse traba-

    lho integrando o con-ceito cooperativismocom vrias reas deconhecimento e o re-sultado pode ser apre-sentado na matemti-ca, portugus, artes,etc na forma de dese-nho, redao, teatro eoutras manifestaes.

    O Minasul Educafaz parte do Dia C2013, que entra na sua5 edio.

    O projeto est

    sendo implantado naEscola Municipal Clau-dio Figueiredo Noguei-ra (Remanso) que tem120 alunos de 1 ao 9ano.

    So 8 escolas nazona rural de Varginhacom um total de 566alunos sendo que o Mi-nasul Educa extensi-vo a todos os alunos.

    Para conclusodos trabalhos, uma co-misso voluntria for-

    mada por colaborado-res vai acompanhar deperto o projeto e aapresentao dos tra-balhos, sempre pauta-dos nos sete princpiosdo cooperativismo, aslinhas orientadoras pormeio das quais as co-operativas levam osseus valores prtica,permitindo abordar ostemas sociais sob umatica propositiva e ori-ginal.

    Diretora pedaggica do Colgio Batista participade encontro de Mantenedores em Cancn

    Nos dias 18 a 22de agosto, a direodo Colgio Batista par-ticipou de um Encon-tro de Mantenedores,na cidade de Cancn Mxico, evento pro-movido pelo SistemaCOC de Ensino. Otema do encontro foi :A Evoluo da Educa-o.

    Diversas pales-tras foram proferidassobre as novas tecno-logias oferecidas pelosistema de ensinoadotado pelo Batistanestes ltimos trsanos. Aliada a qualida-de de ensino do Col-gio Batista, a parceriacom o Sistema COC

    de Ensino, tem oportu-nizado aos alunos atin-girem os melhores re-sultados nos vestibula-res e na avaliao doENEM. Temas comoAvaliao por Habilida-des e Competncias,Objetos de aprendiza-gem Ldicas, Marke-ting/COC; Mangahigh Matemtica Divertida eCuriosa; ConsultoriaPedaggica; A Pearsone o Mundo; COC/50anos e Estratgiaspara o ano de 2014, fo-ram abordadas comgrande entusiasmopela equipe promotorado evento.

    A Diretora Peda-ggica Din e a As-

    sessora FinanceiraKarina Kellen, voltaram

    encantadas com tantanovidade e fascinadas

    pelo maravilhoso lugar escolhido pelo Siste-

    ma, que recebeu apro-ximadamente 350mantenedores de to-das as escolas conve-niadas pelo Brasil. Ex-perincia marcante einesquecvel.

    A ltima noite doevento foi marcada porum jantar temtico,que teve a ornamenta-o dos povos Mayase aconteceu uma apre-sentao cultural dedana muito interes-sante, mostrando umpouco da cultura dosndios.

    Este o ColgioBatista: semeando co-nhecimento, formandocarter e colhendo con-quistas!

    A ltima noite do evento foi marcada por um jantar temtico, que teve a ornamentao dos povos Mayas

  • REGIONALGAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    07

    07

    Foto divulgao

    Eli Mendes est entre os municpios quevo receber 27 milhes em investimentosSessenta e um mu-

    nicpios mineiros j po-dero dar incio a obrasde infraestrutura urba-na. Por meio de conv-nio assinado nesta ter-a-feira (3), no PalcioTiradentes, em BeloHorizonte, o vice-go-vernador Alberto PintoCoelho autorizou a li-berao de mais de R$27 milhes para prefei-turas de vrias regiesdo Estado.

    Os recursos fa-zem parte do ProMuni-cpio, programa lana-do este ano pelo go-vernador Antonio Anas-tasia, com o objetivode fomentar o desen-volvimento municipalpor meio de investi-mentos em infraestru-tura viria, mquinas eequipamentos rodovi-rios, veculos e aesde sade e educao,no qual esto sendoinvestidos, somente

    este ano, mais de R$2,1 bilhes.

    Os recursos libera-dos nesta tera-feiravo viabilizar obras depavimentao asflti-ca, cascalhamento deestradas vicinais,construo de redesde drenagem e infraes-trutura urbana. At ago-ra, foram atendidos 130

    municpios, com umtotal de investimentosde R$ 54,5 milhes.

    O vice-governadorressaltou que as inter-venes foram esco-lhidas pelos prpriosmunicpios, que seroresponsveis pelasobras. Este o dife-rencial do ProMunic-pio, o gestor pblico de

    cada municpio, certa-mente ouvindo os ci-dados, define assuas prioridades. Nes-te momento de gran-des desafios para es-tados e municpios,um programa destaenvergadura e comesta viso integrada fundamental para ace-lerar o desenvolvimen-

    to das nossas cidadese da nossa gente, des-tacou Alberto Pinto Co-elho.

    De todo o montantepara o ProMunicpio,cerca de R$ 420 mi-lhes esto sendo des-tinados para a rea deinfraestrutura obras(cerca de R$ 260 mi-lhes) e equipamentos(R$ 160 milhes). Paraparticipar do programanas aes relaciona-das a essa rea, desti-nado queles municpi-os com populao deat 100 mil habitantes(824 municpios), ne-cessria adeso porparte da prefeitura. Osrepasses variam de R$350 mil a R$ 1,5 mi-lho, de acordo com onmero de habitantes.Dentro da faixa, o mu-nicpio pode optar porreceber equipamentoou veculo (doado peloEstado), ou celebrar

    convnio para realiza-o de obra. Tambm possvel optar pelosdois.

    Parcerias:So vri-as as aes do Gover-no de Minas realizadasem parceira constantecom os municpios. Ainteno garantir in-vestimentos em todasas regies do Estadopara a melhoria da in-fraestrutura e da quali-dade de vida dos mi-neiros.

    O ProMunicpio um programa que sesoma s demais polti-cas pblicas que sovoltadas para o atendi-mento aos municpios,como no podia ser di-ferente. Somente esteano e no ano que vem,o Estado vai aplicar ,aproximadamente, R$9 bilhes em investi-mentos, concluiu ovice-governador Alber-to Pinto Coelho.

    Os recursos fazem parte do ProMunicpio, programa lanado este anopelo governador Antonio Anastasia, com o objetivo de fomentar

    o desenvolvimento municipal

    Por falta de material, obra de linha frrea est parada h 10 mesesVer o trem passar

    novamente por SoSebastio do Rio Ver-de a vontade dosmoradores da cidade.O trajeto faz parte deum passeio tursticode trem entre SoLoureno e Soledadede Minas , mas o per-curso at So Sebas-tio do Rio Verde ain-da no foi recuperado.A obra est parada h10 meses por falta dematerial para a estru-tura.

    A linha frrea quepassa no local faz par-te da rota que ligava oSul de Minas ao Valedo Paraba, no Estadode So Paulo. Duran-te esse caminho otrem parava em SoSebastio do Rio Ver-de, viagem que noacontece h 37 anos.

    O passeio turstico

    de trem entre So Lou-reno e Soledade deMinas existe h maisde 10 anos. Os trilhosforam recuperadoscom a ajuda da Asso-ciao Brasileira dePreservao Ferrovi-ria (ABPF). O desafioagora reativar o per-curso at So Sebas-tio do Rio Verde. Em2011, o Ministrio doTurismo liberou umaverba de R$ 800 mil,mas s 11 dos 20 qui-lmetros do percursoforam recuperados.Apenas nove quilme-tros impedem a liga-o entre a cidade deSo Loureno pela li-nha frrea.

    Segundo o coorde-nador da ABPF, Edel-mo Dias Freitas, o tre-cho deixou de ser res-taurado porque os dor-mentes doados pela

    Companhia Vale doDoce no foram sufi-cientes. O material,peas de fibra de ma-deira usadas para as-sentar os trilhos, aca-bou e com isso, a obraparou por j quase umano. Toda a parte deaterro, desaterro, liga-o da linha, trechosque estavam at den-tro do rio, est tudo emordem, s faltando os13 mil dormentes. Agente sonha, comosonhou So Lourenoe agora queremos re-alizar aqui, completa.

    A estao de tremde So Sebastio doRio Verde mantm aestrutura original doincio do sculo XIX.

    Para concluir o tra-jeto, preciso mais 13mil dormentes. Almdisso, a Prefeitura deSo Sebastio do Rio

    Verde deveria terminara obra em dezembrodeste ano ou teria quedevolver a verba. Oassessor jurdico daprefeitura, Paulo deTarso, explica que oprazo foi ampliado.Foi prorrogado o con-vnio para o final de2014. E demos su-gestes para que se-

    jam doados os dor-mentes e se conclua aobra.

    Enquanto a linhafrrea no fica pronta,a Estao Ferroviriade So Sebastio doRio Verde ponto deencontro de morado-res, principalmente da-queles que no per-dem a esperana de

    ver o trem passar poraqui de novo. Para re-lembrar os velhostempos, explica umdos moradores da ci-dade. Inclusive relem-brar o meu pai. Ele di-zia que enquanto hou-vesse esses trilhos,So Sebastio do RioVerde no deixaria deexistir.

    A linha frrea que passa no local faz parte da rota que ligava o Sulde Minas ao Vale do Paraba

  • 08

    GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    REGIONALL

    Pouso Alegre pode gerar mais de 500vagas na indstria farmacutica

    Pouso Alegre (MG) abriga hoje umdos maiores polos far-macuticos do pas,de acordo com a prefei-tura municipal. Os em-presrios do setor j in-vestiram cerca de R$150 milhes em ampli-ao e instalao denovas indstrias. Umgrupo indiano da reafarmacutica se prepa-ra para se instalar nacidade, o que vai gerarmais de 500 vagas detrabalho.

    Com isso, a cida-de tem se destacadona gerao de empre-gos em Minas Gerais.As oportunidades deemprego so anuncia-das por toda parte, dapastelaria no centro dacidade at no mural derecados da igreja. NoCadastro Geral de Em-pregados e Desempre-gados do Ministrio doTrabalho (Caged), Pou-so Alegre aparececomo a terceira cidade

    Cerca de R$ 150 milhes ser investido na instalao de novas indstrias

    que mais gerou postosde emprego em todo oestado no ms de julho(ltimo dado divulgadopelo Caged). O saldoentre demisses e ad-misses na cidade foipositivo, com 586 no-vos postos de trabalho.

    No Sistema Naci-onal de Emprego (Sine)de Pouso Alegre, de ja-neiro a junho do ano

    passado as vagas ofer-tadas por empresas fo-ram de 956. No mesmoperodo deste ano, jso 1845. Todos ossetores na cidade es-to crescendo de algu-ma forma. Isso atrainovos moradores praPouso Alegre, e claro,amplia a oferta de em-prego, afirma a super-visora do Sine, Luqu-

    sia Rodrigues.Hoje uma empre-

    sa precisa entregar seuproduto com 24 horas,diz o secretrio de de-senvolvimento econ-mico de Pouso Alegre,Rafael Prado. A cidadeest a 200 km de SoPaulo, 350 km de BeloHorizonte, Rio de janei-ro, e isso faz com quePouso Alegre seja uma

    das principais cidadespara investimento. Ou-tra coisa a mo deobra qualificada. Hojecolocamos no mercadocerca de 80 profissio-nais na rea farmacu-tica e em toda a rea dasade.

    Um dos setoresque mais contratou foio da indstria farmacu-tica. Atualmente, PousoAlegre tem quatro gran-des indstrias na rea.Dois grandes gruposanunciaram ampliaodas unidades j instala-das na cidade, alm daindstria indiana de me-dicamentos previstapara chegar em PousoAlegre. S na indstriaem que o empresrioCharles Mafra diretor,so cerca de 50 contra-taes por ms, segun-do ele. A maior fbricado grupo a de PousoAlegre, com 1,3 mil fun-cionrios e uma produ-o de 21 milhes deunidades de medica-

    mentos. De acordocom o diretor industri-al, a expectativa decrescimento para oano que vem de 40%e as contrataes de-vem continuar. Hojeestamos contratandouma mdia de 50 pes-soas ao ms. Alm dis-so, investimos emequipamentos de auto-mao com alta tecno-logia, comenta o dire-tor. Para garantir a mode obra, a empresa ofe-rece benefcios comocreche para os filhosdos funcionrios. Ant-nia Mrcia Ferreira S,que tem uma filha detrs anos, chegou naempresa como estagi-ria e hoje, conseguiuconquistar o cargo degerente do setor decontrole de qualidade.Hoje eu tenho no meudepartamento umascinco mes que traba-lham comigo e preten-dem ficar aqui at apo-sentar, afirma.

    Os empresrios do setor j investiram cerca de R$ 150 milhes emampliao e instalao de novas indstrias

    Assaltantes levam R$ 27,7 mil deempresa terceirizada da Unifei

    Uma empresaque presta servios deconstruo civil para aUniversidade Federalde Itajub (Unifei-MG)foi assaltada no cam-pus na noite desta ter-a-feira (3). Segundo aPolcia Militar, dois sus-peitos entraram pelosfundos da universidadeusando o uniforme deuma das empresas queprestam servio para ainstituio.

    No campus, eles

    renderam um funcion-rio que faria o paga-mento dos salrios na-quele dia e horrio. Eleslevaram o malote daempresa com R$ 27,7mil em dinheiro. Duran-te o ao, os suspeitoschegaram a dispararum tiro na porta do pr-dio com um revlvercalibre 38, mas nin-gum ficou ferido.

    Segundo depoi-mento de testemunhas polcia, os assaltantes

    teriam fugido em umamoto. Durante buscaspelos suspeitos, umamotocicleta desobede-ceu o sinal de pare dapolcia e foi perseguidapelos policiais, mas ossuspeitos conseguiramfugir. Uma motocicletafoi encontrada abando-nada logo depois noBairro Pinheirinho. Oveculo estava sem pla-ca e com a numeraodo chassi raspada. Nin-gum foi preso.

    Suspeitos entraram no campus de Itajub usando uniformes da empresa

    Durante o ao, os suspeitos chegaram a disparar um tiro na porta doprdio com um revlver calibre 38, mas ningum ficou ferido

  • MINAS 09GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    Casos de sucesso promovidos por gerentesdo Estado so apresentados em workshop

    Atividade faz parte do programa Gesto de Processos em Foco,coordenador pela Secretaria de Planejamento e Gesto

    Estiveram presentes no evento gerentes de ProcessosEstratgicos e outros representantes do Estado

    Gerentes de Pro-cessos Estratgicos eoutros representantesde reas estratgicasdo Governo de Minas sereuniram no workshopdo Programa Gesto deProcessos em Foco,que contou com a apre-sentao de dois casosde sucesso promovidospor gerentes do Estado.O encontro da ltima ter-a-feira (3) foi o quintoda srie de oitoworkshops que com-pem o programa, con-duzido pela Secretariade Estado de Planeja-mento e Gesto (Se-plag), por meio da Sub-secretaria de Gesto daEstratgia Governa-mental (Suges), em par-ceria com Diretoria Cen-tral de Polticas de Oti-mizao de Processos(DCPOP).

    Os workshops tmcomo objetivo fomentara melhoria da gestodos Processos Estrat-gicos, por meio da mo-bilizao e capacitaodos gerentes e de suasequipes. Durante os en-contros, os participantestm a oportunidade decompartilhar experinci-as, discutir problemascomuns e as soluespara eles.

    O diferencial doquinto workshop, comoexplicou a diretora Cen-tral de Polticas de Oti-mizao de Processos,Vanice Ferreira, foi aapresentao de casosde sucesso, concludos

    ou em andamento, lide-rados por gerentes doGoverno de Minas. Co-nhecendo experinciasde dentro do prprioGoverno, de uma reali-dade prxima, os de-mais gerentes vo verque possvel aprimo-rar o modelo de gestoe conquistar bons resul-tados a baixo custo,destacou.

    Durante oworkshop, Vanice Fer-reira apresentou o pai-nel de controle e os fe-edbacks das reuniesde acompanhamentorealizadas com os ge-rentes, destacando aimportncia do estabe-lecimento de metas, es-truturao dos proces-sos, acompanhamentoda execuo, alinha-mento de informaes eaproveitamento dasoportunidades de me-lhoria. Na ocasio, tam-bm foram apresenta-

    dos os prximos passosdo programa aos geren-tes de processos estra-tgicos e a tarefa queeles devero cumprirat o prximo ms.

    O primeiro casoapresentado foi o Pro-jeto de Otimizao doProcesso Estratgico deGesto do Atendimentode Urgncias e Emer-gncias no Estado: Di-agnstico e Propostasde Melhoria, desenvol-vido pelo gerente doProcesso Estratgico daSecretaria de Estado deSade (SES), FelipeKwintner. O gerente ex-plicou o funcionamentoda rede de urgncia eemergncia de Minas edetalhou os subproces-sos de monitoramento eacompanhamento pormeio de comits, visitastcnicas, entre outros.O funcionamento doprocesso estratgico aprimorado a partir do

    maior conhecimentoacerca de sua execuoe do tratamento de gar-galos e oportunidadesde melhoria, afirmou.

    Felipe Kwintnertambm destacou a im-portncia de se ter pro-cessos mapeados, in-

    vestimento de tempo eequipes motivadas ecapacitadas. Nosso ob-jetivo tornar o proces-so menos burocrtico,mais seguro e confivel,de modo a fidelizar osbeneficirios e tornar osmunicpios parceiros doGoverno do Estado,completou.

    Em seguida, a di-retora de Recursos Hu-manos da Seplag, Ra-phaela Hytomi, apresen-tou o caso da Reestru-turao da DRH/Seplag:A Gesto de Processoscontribuindo para me-lhores servios. Ra-phaela explicou a moti-vao para o desenvol-vimento do projeto, suasetapas de elaborao eos resultados alcana-dos. Aps diagnsticosrealizados na diretoria,os principais problemas

    foram elencados, osprocessos mapeados eredesenhados, a partirda elaborao de umacadeia de valor e da ca-pacitao da equipepara conduo dasaes e continuidade dagesto dos processos.

    Entre as aes im-plementadas pela DRHesto treinamentos, reu-nies gerenciais e comos servidores, gestode documentos e arqui-vos, integrao do tra-balho das coordena-es, melhor aproveita-mento do Sistema Inte-grado de Administraode Pessoal (Sisap) edos canais de comunica-o e eliminao de ta-refas desnecessriaspara aumento da produ-tividade e da eficinciados processos, gerandomelhores resultados.

    Van escolar bate em barranco ecrianas ficam feridas em MG

    Um acidente comuma van escolar dei-xou cerca de 20 crian-as feridas ontemquarta-feira (4) em Ta-quarau de Minas, naRegio Central de Mi-nas Gerais. De acordocom o Corpo de Bom-beiros, o veculo bateuem um barranco.

    Ainda segundoos bombeiros, cinco cri-anas foram levadas

    para unidades de sa-de, sendo trs para oHospital de Pronto-So-corro Joo XXIII, em BeloHorizonte. Um helicpte-ro foi utilizado para o

    transporte de uma dasvtimas. A corporao in-formou que todas as cri-anas estavam consci-entes. A batida foi naRua Antnia Jos Elias.

    Corporao informou que cinco foram levadas para hospitais

  • OAB/MG 81424Av Princesa do Sul,556 - Varginha - MGTel: 3222-4801

    [email protected]

    Dr. Gustavo Chalfun

    GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    10

    Mande sua pergunta para: [email protected]

    OAB/MG 106.276R Argentina, 169

    - Vila PintoTel: (35) 3222-1049

    Dr. GustavoDr. GustavoDr. GustavoDr. GustavoDr. GustavoPinto BiscaroPinto BiscaroPinto BiscaroPinto BiscaroPinto Biscaro

    [email protected]

    OAB/MG 65099Av Salum Assad.

    David, 70 - Santa LuizaTel: ( 35) 3214-5051

    Dr. PatrciaDr. PatrciaDr. PatrciaDr. PatrciaDr. PatrciaBregalda LimaBregalda LimaBregalda LimaBregalda LimaBregalda Lima

    [email protected]

    OAB/ MG 84.17620 Sb-Seo

    Rua Maria Benedita,63 -sala 106- Vila Pinto

    3223-5362/Cel :9988-3485

    Dr. VicenteDr. VicenteDr. VicenteDr. VicenteDr. VicenteLima LordoLima LordoLima LordoLima LordoLima Lordo

    [email protected]

    SAIBA SEUS DIREITOS

    OAB/MG 81667Delfim Moreira, 258,

    sala 201- Centro-Varginha -MG

    Tel: 3222 2851

    Dr. Daniel PivaDr. Daniel PivaDr. Daniel PivaDr. Daniel PivaDr. Daniel Piva

    [email protected]

    O sucesso comea antes: Com a derrota!Muitos pensam

    que o sucesso nascepara certas pessoas epara outras no.

    Que o sucesso ad-vm de pouco trabalhoe muito luxo.

    Que o sucesso fruto de quem rico equem pobre ser sem-pre pobre.

    Lembre-se: O ni-co lugar onde sucessovem antes de trabalho no dicionrio. Bem almde apenas trabalho, osucesso partcipe daderrota.

    Perder um doscaminhos para ganhar.

    E nada melhorpara convencer vocdisto do que com exem-plos:

    No sempre queo sucesso vem fcil. Namaior parte das vezes,ele s d as caras de-pois de muito esforo emuitas tentativas fracas-sadas.

    A regra bem ilus-trada por uma frase deWiston Churchill: o su-cesso ir de fracassoem fracasso sem perderentusiasmo. Veja, a se-guir, as histrias de pes-soas que se deram bemna vida mas no semantes passar por bonsbocados.

    1. Oprah WinfreyA maior apresenta-

    dora da televiso ame-ricana chegou a ser de-mitida de uma emissorano incio de sua carrei-ra. No comeo da dca-

    da de 1980, Oprah tra-balhava como ncorade um jornal do canalWJZ-TV, a TV local dacidade de Baltimore, doestado de Maryland.Segundo seu chefe, elase deixava envolver de-mais nas histrias quecontava em seu progra-ma e, por isso, foi man-dada embora.

    Poucos anos de-pois, em 1986, seu talkshow, o Oprah WinfreyShow, comeava a serexibido em cadeia naci-onal. O programa foi re-novado at 25 tem-porada e rendeu apresentadora muitosprmios de reconheci-mento, inclusive sua pri-meira apario na listada revista Time de pes-soas mais influentes domundo. Alm desta,Oprah passou a figurartambm em outro im-portante ranking: o dosmais ricos do mundo.Segundo a revista For-bes, o patrimnio daamericana de US$ 1,4bilho.

    2. Harrisson FordA primeira vez que

    Harrisson Ford apare-ceu no cinema foi parafazer um pequeno papelem O Ladro Conquis-tador, de 1966. Da es-treia, no entanto, novieram grandes oportu-nidades para o ator.Com uma esposa e doisfilhos para manter, elelargou tudo, em 1970,para se tornar carpintei-

    ro uma profisso queele julgava mais estvelfinanceiramente.

    Coincidncia ouno, Ford comeou aconstruir gabinetes parao cenrio de Loucurasde Vero, filme dirigidopor George Lucas, em1973.

    O contato com odiretor lhe rendeu umaparticipao no longa e,mais para a frente, opapel de Han Solo emStar Wars IV: Uma NovaEsperana. Conhecidotambm por sua atua-o em Indiana Jones eBlade Runner, o artistapossui, hoje, dois recor-des hollywoodianos noGuinnes Book: o de atorque gerou o maior lucrode bilheteria e o de atorcom mais filmes que ul-trapassaram a marca deUS$ 100 milhes nas bi-lheterias dos EstadosUnidos.

    3. Tim AllenPouca gente sabe,

    mas Tim Allen passoudois anos preso por pos-se e trfico de cocana.A priso ocorreu poucodepois de Allen iniciarsua carreira como co-mediante ele faziaapresentaes de standup comedy em casasnoturnas de Detroit.

    Em sua condena-o, Allen recebeu umasentena reduzida apsconcordar em testemu-nhar contra seu parcei-ro no trfico. Ele cum-priu pena na Priso Fe-

    deral de Sandstone,onde se tornou conhe-cido por conquistar tan-to os guardas quanto osprisioneiros mais diffeiscom seu senso de hu-mor.

    4. Andrea BocelliAntes de se tornar

    tenor, Andrea Bocelli seapresentava em baresda cidade de Pisa, naItlia. O dinheiro queganhava noite garan-tia no s o pagamentodas aulas de canto, mastambm da faculdadede direito que ele cursa-va.

    Depois de se for-mar, em 1987, e traba-lhar durante um anocomo advogado, Bocellioptou pela msica comocarreira definitivamente.Ele comeou a ter aulasde canto com o maestroLuciano Bettarini e pas-sou a se dedicar ao can-to em tempo integral.

    Tanto trabalhoteve retorno. Quatroanos depois de iniciarsuas lies com Bettari-ni, quando j tinha 33anos, a voz do cantorchegou aos ouvidos deLuciano Pavarotti. O ex-periente cantor se tor-nou padrinho da car-reira de Bocelli.

    5. Walt DisneyAcredite se quiser:

    muito antes de o Mickeyser criado, Walt Disneyfoi demitido de seu tra-balho em um jornal porsua falta de imaginaoe boas ideias. Ele tra-

    balhava como ilustradorde anncios publicadosnas pginas do veculo.

    Quando saiu doemprego, em 1921, elese juntou ao seu irmaoRoy e o amigo Ub Iwerkspara fundar a produto-ra Laugh-O-Gram, quecriava animaes decontos de fadas a pre-decessora do Walt Dis-ney Studios. Os dese-nhos feitos pelo trio co-mearam a ser exibidosnos cinemas da cidadedo Kansas antes dassesses de filmes.

    Durante um pero-do, o estdio fechou umacordo com uma distri-buidora de Nova Yorkque apenas pagava pe-las animaes seis me-ses depois de receb-las.

    Foram tempos di-fceis para Disney, queprecisou reduzir as des-pesas e a equipe aomximo para fazer aempresa sobreviver. Oilustrador no poupouesforos: no final do anode 1922, ele estava mo-rando no escritrio daLaugh-O-Gram, comen-do comida de cachorroe tomando banho umavez por semana em umaestao de trem.

    Depois de fazeruma animao sobre hi-giene dental para umdentista da regio, Dis-ney obteve dinheiro osuficiente para levar aLaugh-O-Gram paraHollywood, em 1923. L,o estdio fechou umcontrato com UniversalStudios, que passou acomprar e a exibir asanimaes da equipe.Foi nesse perodo queDisney criou um de seusimportantes persona-gens, o Coelho Osval-do, que se tornou bas-

    tante popular quando foilanado.

    O ilustrador, noentanto, no colocousua assinatura no dese-nho do pequeno coelho uma brecha que per-mitiu Universal roubara figura, levando consi-go a equipe de dese-nhistas do Laugh-O-Gram.

    Quando isso ocor-reu, Disney enviou umtelegrama ao seu irmodizendo para ele no sepreocupar, pois ele j ti-nha um novo persona-gem em sua mente: Mi-ckey Mouse. O sucessoobtido pelo camundon-go tirou o ilustrador eseus scios da misria.

    6. Steve JobsA histria de como

    a Pixar foi criada come-a com um fato intrigan-te: a demisso de SteveJobs da companhia queele prprio fundou, aApple.

    conhecido o fatode que Jobs no era umchefe fcil. Pelo contr-rio, ele era extremamen-te exigente e tinha umamaneira cruel de cobrarseus funcionrios. Essejeito tornou sua imagemdesgastada no conselhoda empresa, que, chefi-ado por John Sculley,optou por uma reestru-turao. Nela, Jobs noteria o controle de ne-nhuma diviso, mas po-deria ficar na empresacom o ttulo de presiden-te do conselho. O em-presrio no aceitou esaiu da Apple.

    Um ano depois,em 1986, Jobs comprouum estdio de computa-o grfica chamadoLucasfilm.

    Extrado do site:JusBrasil notcias

  • SADEGAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    07

    11

    TRF suspende punio contra 142 de 246 planos sadeO Tribunal Regio-

    nal Federal da 3. Re-gio (TRF-3), em SoPaulo, suspendeu apunio que a AgnciaNacional de Sade Su-plementar (ANS) apli-cou a 26 operadoraspelo no cumprimentode prazos de atendi-mento e negativas decoberturas referentesa 246 planos de sade.

    A deciso foi to-mada na sexta-feira(30), mas a ANS foi no-tificada na ultima tera-feira (3), no fim do dia.A agncia resolveu re-tirar do site a lista comos nomes de todas asoperadoras suspen-sas e no apenasaquelas beneficiadascom a deciso. Segun-do a agncia, isso foifeito para manter o

    equilbrio do processo- o que vale para uma,vale para todas. Agora,a ANS avalia qual amelhor forma de man-ter o monitoramento daqualidade das operado-ras de sade. A agn-cia faz a anlise por

    meio de reclamaesdos usurios desdedezembro de 2011 ecomeou as suspen-ses em maio de2012.

    A deciso liminarfoi concedida Associ-ao Brasileira de Me-

    dicina de Grupo (Abra-mge), que representa142 dos 246 planossuspensos. Pela deci-so, a punio aplica-da pela ANS no dia 20de agosto s operado-ras Amico, Amil, Cen-tro Trasmontano, Pro-

    mdica, SMS e Viva(que ficaram proibidasde vender alguns tiposde planos de sade)fica suspensa at julga-mento final do caso.

    Segundo o advo-gado Dagoberto JosSteinmeyer Lima, aao teve como objeti-vo tornar sem efeito ametodologia de clculode reclamaes daANS. "A agncia consi-derou reclamaes emque a operadora foi in-timada, mas ainda nohavia apresentado re-cursos. E a operadoratem o direito ao contra-ditrio. Tambm consi-derou queixas feitassem protocolo", explicao advogado.

    No dia do anncioda suspenso das ven-das, a Federao Naci-

    onal de Sade Suple-mentar (Fenasade)tambm conseguiubarrar a punio dassuas associadas naJustia, que pocadeterminou que a ANSretirasse do clculo donmero de reclama-es as que no che-garam a ser analisa-das, as que no tive-ram pareceres conclu-sivos e as que envolvi-am coberturas noobrigatrias.

    Na ocasio, aAgncia Nacional deSade teve de retiraros nomes das opera-doras punidas do seusite. A agncia, entre-tanto, conseguiu rever-ter a deciso judicial ea suspenso passariaa valer novamente nasexta-feira passada.

    ANS avalia qual a melhor forma de manter o monitoramento daqualidade das operadoras de sade

    Desistncias no Mais Mdicos revelam o drama que osmunicpios vivem para preencher vagas, diz ministro

    O ministro da Sa-de, Alexandre Padilha,disse nesta tera-feira(3) que as desistnciasregistradas na tera-fei-ra, o primeiro dia de tra-balho dos mdicos bra-sileiros aprovados noprograma Mais Mdi-cos, reforam a avalia-o do governo de queno h mdicos emnmero suficiente noBrasil para o atendi-mento bsico popula-o.

    As desistncias re-velam um drama quemunicpios e Estadosvivem quando preci-sam preencher umavaga aps um concur-so pblico, de um mer-cado extremamenteaquecido, e refora odiagnstico feito peloministrio que h n-mero insuficiente demdicos, principalmen-te no atendimento bsi-co sade.

    O ministro explicouque, se as desistnci-as forem confirmadas

    at esta quarta-feira (4),as vagas j podem serofertadas novamentena segunda etapa deinscries, que estoatualmente abertas.

    O ministrio aindavai checar com as se-cretarias, se houvemesmo desistncia, jque os mdicos tm ato dia 12 de setembropara comear a traba-lhar. Mas at amanhas secretarias podemconfirmar as primeirasdesistncias e reofertaras vagas.

    Dos 400 mdicoscubanos que atuarono Brasil, 84% tmmais de 16 anos de ex-perincia

    Padilha garantiuque o ministrio vai in-sistir no preenchimen-to das vagas, mesmoaps desistncias.

    Caso a vaga noseja ocupada por umprofissional brasileironeste ms, o governovai fazer tudo para ocu-par essas vagas. At

    porque sero 4 milhesde brasileiros que teroatendimento mdico.

    Na ultima segunda-feira (2), dia em que os1.096 mdicos forma-dos no Brasil comea-riam a trabalhar em 454municpios, o programaregistrou desistncias.No Distrito Federal, dos15 inscritos, 6 no seapresentaram. No Es-tado de So Paulo, fal-tas foram registradasem 12 das 22 cidadesinscritas e que aguar-davam profissionais.

    O Ministrio da Sa-de informou que os pro-fissionais tm at o dia12 para garantir o em-prego, que paga salriomensal de R$ 10 mil,alm de auxlios mora-dia e alimentao.

    J os 682 mdicosestrangeiros ou forma-dos no exterior aprova-dos na primeira fase doprograma esto emfase de treinamento eavaliao e devem co-mear a trabalhar no

    dia 18 de setembro. Aotodo, 3.511 cidades ha-viam solicitado 15.450profissionais.

    Os profissionaiscomeam no ultimodia (2) a atuar em 454municpios de todo opas. O secretrio deGesto do Trabalho eda Educao na Sa-de, do Ministrio daSade, Mozart Sales,esteve no Rio de Janei-ro para participar da

    Dos 400 mdicos cubanos que atuaro no Brasil, 84% tmmais de 16 anos de experincia

    recepo aos mdicosem uma unidade bsicade sade na zona oes-te da capital.

    Ele estimou que os60 profissionais desti-nados a 13 municpiosdo estado ampliaro em200 mil pessoas a co-bertura da atenobsica.O balano do pri-meiro dia de atuao noestado do Rio de Janei-ro dos profissionais for-mados no Brasil e ins-

    critos no ProgramaMais Mdicos mostra aocorrncia de muitasfaltas. Segundo o Mi-nistrio da Sade, osmunicpios tm at o dia12 deste ms para in-formar o nmero demdicos que no com-pareceram aos postosde trabalho. Alm dis-so, os profissionaistambm tero que jus-tificar a ausncia e adesistencia .

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    12 EVANGLICA

    Fonte:http:noticias.gospelmais.com.br

    Pastores sofrem mais com depresso e ansiedadedo que qualquer outro profissional, revela estudo

    Pesquisas sobreo estado de sadeemocional de pastoresaps anos de minist-rio so feitas com regu-laridade para medir otamanho do estressevivido pelos lderesevanglicos.

    O estudo mais re-cente, feito com 1.726pastores, descobriuque o cargo expe osministros a um risco dedepresso e ansiedademuito maior do que ou-tras atividades profissi-onais.

    Segundo o relat-rio da Clergy Health Ini-tiative (CHI), a pesqui-sa constatou que ospastores com depres-so chegaram a 8,7%do total de entrevista-dos, e os casos de an-siedade a 11,1%.

    A mdia das de-mais profisses paraambos os casos nos

    Estados Unidos de5,5%.Pastores podemter criado uma vida parasi que to fortementeentrelaada com o seuministrio, que sua sa-de emocional dependedo estado do seu mi-nistrio, declarou Jean

    Proeschold-Bell, diretorde pesquisa da CHI.Ento, possvel quequando os pastoressentem que seu minis-trio est indo bem,eles experimentamemoes positivas po-tentes o suficiente para

    proteg-los de sofri-mento mental. Natural-mente, o inverso tam-bm verdadeiro,complementou.

    O estudo indicaque a depresso e an-siedade em pastoresso causadas princi-

    palmente devido a ativi-dades estressantes queeles so obrigados arealizar, como aconse-lhamentos, atendimen-to das demandas co-muns das igrejas e opreparo das mensa-gens semanais, segun-do informaes doChristian Post.

    comum que osprofissionais de sadepblica peam aos pas-tores que ofeream pro-gramas de sade paraos seus fiis. Estes re-sultados dizem-nos quetemos de reverter o cur-so e estudar uma formade atender a sademental dos prpriospastores, afirmou Jean.

    O diretor da pes-quisa tambm aconse-lha que os pastoresusem um tempo fora doministrio, formandonovas amizades de forada igreja ou at buscan-

    do aconselhamentoprofissional se neces-srio.

    preocupanteque uma elevada per-centagem de lderes re-ligiosos sofra com adepresso, enquantoeles esto tentando ins-pirar congregaes,comunidades e empre-endimentos de mudan-a social, ou mesmotentando fazer o acon-selhamento de seusprprios companheiros.Estas so responsabi-lidades que voc real-mente quer uma pes-soa mentalmente sau-dvel esteja frente,mas pode ser exata-mente esses desafiose responsabilidadesque podem estar cau-sando essas altas ta-xas de depresso,complementou.

    O estudo mais recente, feito com 1.726 pastores, descobriu que o cargoexpe os ministros a um risco de depresso e ansiedade

    Pastor afirma que ficar na Sriamesmo com iminncia de guerraA recente deciso

    dos Estados Unidos depromover uma interven-o armada na Sriaagravou a tenso jexistente no pas, quevive em clima de guerrah dois anos e meio,desde que integrantesda oposio e do gover-no disputam o poder.

    Desde o incio doconflito, mais de 100 milpessoas morreram nopas em uma crise que,segundo o ministrioPortas Abertas, se agra-vou com a denncia deuso de armas qumicascontra civis, inclusivemulheres e crianas.Essa situao tem leva-do milhes de pessoasaos campos de refugia-dos nos pases vizinhos,como Turquia, Iraque,Lbano e Jordnia.

    Mesmo diante

    dessa situao, um pas-tor batista que atua naSria como missionrio,afirma que no deixaro pas por estar l pararealizar sua missocomo cristo. Outroscristos se organizamem pases vizinhos paraajudar os refugiados, ediscutir a situao daSria.

    Segundo o BaptistPress, o pastor escre-veu uma carta suaagncia missionria ex-plicando seus motivospara permanecer nopas.

    Eu vou ficar. Elesme dizem para ir, paramigrar, mas insisto elhes digo que vou ficar afirma o pastor, queteve sua identidade pro-tegida por motivos desegurana.

    Eu estou na Igreja

    para levar a mensagemde Jesus como uma luzpara os perdidos e semesperana. Eu fico por-que a colheita abun-dante. Estou aqui paraservir os mais necessi-tados ressalta o ldercristo, que em sua car-ta ressalta que, apesarde estarem vivendo tem-pos difceis, no devemdeixar de ser fiel aoSenhor.

    Em um campo de

    refugiados no Lbano,cristos tambm revela-ram o ambiente de ter-ror e guerra que estovivendo, e ressaltam aimportncia da ajudaoferecida aos refugia-dos. Ns estamos falan-do de crianas que vi-ram assassinatos horr-veis ouviram histriasde estupro e tortura.Esto tragicamente per-didas, mas ainda lhesrestam um pingo de es-

    perana. A maioria des-sas crianas s quer fi-car vivas, mas algumasdelas nem ficar vivasquerem afirmou um vo-luntrio cristo, em rela-to publicado pelo BaptistPress.

    Don Alan, chefe deuma agncia de missono Oriente Mdio, tam-bm comentou a situa-o dos refugiados, afir-mando que, naquele lu-gar, toda famlia temuma histria trgica paracontar.

    Podemos apren-der a chorar com os quechoram e ouvir com aten-o e obedincia ao cha-mado de Deus para fa-zermos misso com-pletou Alan.

    Na Jordnia, oconflito srio motivou orei Abdullah II a convo-car uma srie de reuni-

    es para discutir a situ-ao entre lderes de 70comunidades crists nacapital do pas. Inicia-das nessa tera-feira(03), as reunies serocoordenadas pelo prn-cipe Ghazi Bin Moham-mad, conselheiro do reipara Assuntos Culturais,segundo a Rdio Vati-cano.

    Autoridades daJordnia informaramque patriarcas, delega-dos patriarcais, bispos esacerdotes de todas asigrejas crists da regioparticiparo das discus-ses, que tero comotemas as situaes noEgito, Sria, Lbano e Ira-que, que enfrentam mo-mentos de tenso emdecorrncia de ataquescontnuos, e as negoci-aes de paz entre pa-lestinos e israelenses.

  • BRASILGAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    07

    13

    Foto divulgao

    Movimento no comrcio fica praticamente estvel em agostoO movimento dos

    consumidores nas lo-jas em todo o pas au-mentou 0,2% em agos-to na comparao comjulho, segundo a em-presa de consultoriaSerasa Experian.

    Os segmentos quemais registraram altaforam o de material deconstruo (1,7%) e ode supermercados, hi-permercados, alimen-tos e bebidas, que cres-ceu 1,6%.

    No sentido contr-rio aparecem as lojasde veculos, motos epeas, com queda de0,6%, e o setor de teci-

    dos, vesturio, cala-dos e acessrios, querecuou 3,4%.

    No acumulado doano, a atividade do co-mrcio registrou alta de5,7%. As variaes po-sitivas foram influenci-adas pelo item com-bustveis e lubrificantes(6,6%) e de supermer-cados, hipermercados,alimentos e bebidas(5,8%).

    O segmento de m-veis, eletroeletrnicos einformtica acumuloualta de 4,5% no perodoe o de tecidos, vestu-rio, calados e acess-rios, de 3,2%. O conjun-

    to veculos, motos e pe-as e o de material deconstruo cresceram2,4% e 2,1%.

    Segundo os econo-mistas da Serasa Ex-perian, o principal fatorque contribuiu para me-lhorar o movimento nossupermercados, hiper-mercados, alimentos ebebidas foi a reduodos preos dos alimen-tos.

    Por outro lado, aescalada do dlar e oaumento dos juros,combinados com me-nor grau de confianados consumidores, im-pactaram negativamen-

    te no movimento desegmentos movidos acrdito em agosto,como o de veculos,

    O movimento dos consumidores nas lojas em todo o pas aumentou 0,2% em agosto na comparao com julho

    motos e peas e o demveis, eletroeletrni-cos e informticas, osquais recuaram 5,7% e

    4,9%, respectivamente,em relao a agosto de2012, analisam os eco-nomistas da entidade.

    Reclamaes Anatel sobretelefonia mvel caem 8%

    O volume de recla-maes feitas Agn-cia Nacional de Tele-comunicaes (Ana-tel) sobre os serviosde telefonia mvelcaiu 8% em junhodeste ano, na compa-rao com maio.

    A informao doSindicato Nacionaldas Empresas de Te-lefonia e de ServioMvel Celular e Pes-soal (SindiTelebrasil).

    Segundo o sindi-cato, considerando osdados de reclama-es da Anatel e o n-mero de usurios, ovolume total de recla-maes caiu de 447queixas em cada gru-po de 1 milho de cli-entes, em maio, para414, em junho.

    De acordo com oSindicato Nacionaldas Empresas de Te-lefonia e de ServioMvel Celular e Pes-soal, a maior quedade reclamaes 15% foi em cance-lamento de servios ehabilitao. As quei-xas referentes a can-celamento caram de24 para 20 em cadagrupo de 1 milho de

    clientes, entre maio ejunho.

    No caso das recla-maes sobre habili-tao, a queda foi de22 para 19 em cadagrupo de 1 milho declientes, no mesmoperodo. Tambm di-minuiu o nmero dequeixas relat ivas acarto pr-pago (-13%), planos de ser-vios (-12%), reparo (-9%), bloqueio (-9%),cobrana (-7%), aten-dimento (-5%) e a ser-v ios adic ionais (-5%).

    O SindiTelebrasildefende que uma

    anlise precisa dosdados sobre reclama-es deve sempreadotar o critrio daproporcionalidade so-bre o universo total declientes. Qualquerranking que no con-sidere esse critrio deproporo gera umadistoro nas anlisesdos consumidores eno informa correta-mente o pblico, jque no permite amensurao do pesoque o nmero de re-clamaes tem emrelao a cada setoravaliado, diz o sindi-cato.

    O volume de reclamaes feitas Agncia Nacional deTelecomunicaes (Anatel) sobre os servios de

    telefonia mvel caiu 8%

    Aumenta demanda por cartes decrdito, aponta Serasa ExperianUm estudo feito

    pela Serasa Experianmostrou que adultoscom idade mdia de 30anos e renda mensalmdia de R$ 1.428 cor-respondem a 16% daspessoas que impulsio-naram o aumento dademanda por cartesde crdito no pas em2013. No ano passado,esse percentual cor-respondia a 12%. Oestudo apresentado nodia ultimo dia (4) noCongresso de Cartese Crdito ao Consumi-dor, na capital paulista,avaliou os perfis dossolicitantes de cartesde crdito.

    De acordo com osdados, o grupo queocupa a primeira posi-o (26%) so adultosentre 20 e 30 anos combaixa renda e empre-gos que exijam poucaqualificao ou mes-mo informais. Os n-meros tambm reve-lam um crescimentode adeses e partici-paes da classe E,que passaram de6,2%, em 2009, para16,8% em 2013. A pes-quisa analisou infor-maes de 1 milho de

    cadastros de PessoaFsica (CPFs) e compa-rou os primeiros trimes-tres dos anos 2009 at2013.

    Os nmeros obti-dos mostram que ainadimplncia nos pri-meiros quatro mesesaps a aquisio do car-to de crdito caiu 14%este ano e o nmero deinadimplentes ficou em3,8%. Segundo o estu-do, em 2011, 3,2% dosnovos consumidores fi-caram inadimplentes eem 2012, 4,4%.

    O estudo revelouainda que entre os soli-

    citantes de cartes decrdito, 78% procurammais de uma institui-o, o que pode levar oconsumidor sem plane-jamento financeiro aosuperendividamento einadimplncia futuros.Estes cidados come-am a lidar com crdi-to justamente numamodalidade em que osjuros so altos. Assim,o risco de terem umaprimeira experinciafrustrante de crditono desprezvel, ana-lisou o presidente daSerasa, Ricardo Lou-reiro.

    Os nmeros obtidos mostram que a inadimplncia nosprimeiros quatro meses aps a aquisio

    do carto de crdito caiu 14%

  • INTERNACIONALGAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    14

    Venezuela tenta restabelecerenergia aps apago

    O governo da Ve-nezuela informou queest trabalhando pararestabelecer o servioeltrico no pas, apsum apago ocorrido natera-feira (3) por voltado meio-dia no horriolocal. A imprensa dopas classifica a quedade energia, que atingiuCaracas e 12 estados,como o maior desdeum incidente ocorridoem 2008.

    De acordo com ogoverno, parte das re-gies que ficaram semenergia eltrica teve oservio restabelecido,mas muitas reas dopas ainda no.

    O presidente Nico-ls Maduro acusa aoposio de ter sabo-tado o sistema de

    energia eltrica vene-zuelano. Tudo indicaque a extrema direita re-tomou seu plano de umgolpe eltrico contra opas, postou Maduro emsua conta no Twitter.

    O acidente afetou oCentro-Leste do pas.Nas redes sociais, usu-rios reportaram a situ-ao enfrentada pela fal-ta de energia. Em Cara-cas, a pane no sistema

    durou pouco mais deuma hora e foi restabe-lecida aos poucos. Ape-sar disso, ainda h algu-mas regies da capitalsem energia eltrica.

    O apago foi com-parado a uma falhaocorrida em abril de2008, resultado de umincndio na linha detransmisso da Hidrel-trica de Guri, no Sudo-este do pas.

    Onda de violncia deixa pelo menos 67 mortos no IraqueUma srie de ex-

    ploses coordenadasem Bagd e outros epi-sdios de violncia dei-xaram pelo menos 67mortos no Iraque nestatera-feira (3) informa-ram autoridades. A mai-oria dos mortos foi vti-ma de uma srie de ex-ploses de carros-bom-ba na capital iraquiana noincio da noite, quando osmoradores estavam fa-zendo compras ou indojantar.

    Essas explosesatingiram onze bairrosdiferentes e matarampelo menos 50 pessoas.Os ataques acontecemem meio a uma onda deviolncia que assola pasnos ltimos meses. Osinsurgentes tentam tirarvantagem das crescen-

    tes tenses sectrias etnicas. A escala de vio-lncia atingiu nveis queno eram vistos desde2008, perodo no qual opas esteve beira deuma guerra civil.

    A exploso maisgrave atingiu uma sriede restaurantes localiza-dos no bairro de Tali-biyah, matando nove eferindo 32 pessoas. Ou-tro carro-bomba atingiu obairro xiita de Sadr City,deixando trs mortos eoito feridos, segundo apolcia.

    Praticamente nomesmo horrio, autori-dades informaram quecarros-bomba explodi-ram de forma consecu-tiva nas proximidades deuma delegacia no bairrode Sadiyah, majoritaria-

    mente sunita, matandoseis e ferindo 15. Outraexploso atingiu a praacentral do distrito comer-cial de Karradah, matan-do seis e ferindo 14 pes-soas.

    Car ros -bombatambm atingiram ruascomerciais no bairro deShurta, habitado tantopor sunitas quanto porxiitas. No bairro xiita deZafaraniyah, quatro pes-soas morreram e 11 fi-caram feridas e em AbuDashir, duas pessoasmorreram e nove fica-ram feridas por causadas exploses, informoua polcia.

    Outro carro bombaexplodiu em um merca-do aberto na vila xiita deMaamil, no suburbio aoleste da capital, matan-

    do trs pessoas e feri-do outras 41.

    Nenhum grupohavia assumido a auto-ria dos ataques, masexploses coordenadasde carros-bomba e ata-ques contra civis e for-as de segurana ira-quianas so a ttica fa-vorita do brao iraquia-no da Al-Qaeda, queno costuma reivindicara responsabilidade porataques durante vriosdias.

    Lderes xiitas esunitas pediram calma,na expectativa de evitaro retorno do perodo de

    intensa violncia sectriano pas. Mas o derrama-mento de sangue conti-nua e mais de 4 mil pes-soas foram moras ape-nas nos ltimos cincomeses.

    A milcia, conhecidacomo Sahwa, ajudou astropas norte-americanasa combater a Al-Qaedano pice da guerra, masdesde ento tem sidoalvo de insurgentes, queos consideram traidores.O lder do Sahwa, Wi-sam al-Hardan, conse-guiu escapar sem feri-mentos de uma tentativade assassinato na se-

    gunda-feira, mas seis deseus guarda-costas euma pessoa que passa-va pelo local morreramaps o ataque de doissuicidas.

    Tambm na tera-feira, um carro-bombaexplodiu nas proximida-des de um restaurantena cidade de Jbala, ma-tando duas pessoas eferindo outras sete. Nacidade de Basra, sul dopas, homens armadosmataram o clrigo suni-ta Abdul-Karim Mustafaquando ele andava nasproximidades da mes-quita al-Taqwa.

    Autoridades informaram que carros-bomba explodiram de forma consecutiva

    Homem ficou preso dentro de um estabelecimentoem funo da falta de luz

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    15BELEZA

    Jane Fonda, 75anos, estrela a nova cam-panha da LOral, juntocom outras sete atrizese modelos das mais vari-adas idades. A atriz ame-ricana se destaca em fil-mes e em fotos ao ladode Eva Longoria , 38anos; da angelDoutzenKroes, 28; de JulianneMoore, de 52 anos; daatriz chinesa Fan Bing-bing, 31; da modelo eto-pe Liya Kebede, 35; daex-modelo francesa Insde la Fressange , 56; e

    Aos 75 anos, Jane Fonda destaque em campanha de beleza

    Jane Fonda, 75 anos, ao centro da foto da campanhada linha Color Riche Collection Prive, da LOral

    Maquiagem fresh reala belezanatural com 4 regras bsicas

    O visual fresh aquele em quevoc parece linda sem esforo

    Se voc bsica,mas quer ficar linda nodia a dia, pode aderir maquiagem fresh, quereala a beleza natural. aquele look que d aimpresso de que nodeu nenhum trabalho eque voc naturalmen-te bonita, diz F Ron-coni, expert em belezado site Ela me disse. Aespecialista d 4 dicaspara voc conseguiresse visual.

    Substitua o cor-retivo por base

    O corretivo costu-ma deixar a maquiagemmeio pesada quandono aplicado correta-mente. O truque tro-c-lo por uma base lqui-da em um tom mais cla-

    ro do que a base usadano rosto e aplicar sobreas olheiras. Depois,passe a base lquidaque voc est acostuma-da. Esse o segredi-nho para iluminar semmarcar, ensina F.

    Cuide dos seusclios

    Muitas mulheresdeixam o curvex de ladona maquiagem do dia adia, mas o aparelho le-vanta o olhar e tira o arde cansao. E no dpara sair de casa semmscara para clios, obrigatria, explica aespecialista.

    Cor nas mas O blush faz uma

    diferena enorme: d arde sade e um pouco de

    cor ao rosto. Aplique oproduto sobre as masdo rosto e escolha tonsque combinem com asua pele, diz F.

    Aposte no gloss

    O gloss um ti-mo aliado para trazer luzao look. Como tem bri-lho, o produto ilumina orosto naturalmente, en-sina F.

    Ervilha,tomate,milho e brcolisevitam queda de cabelo

    da atriz indiana Freida Pin-to, 28. As informaes sodo jornal Daily Mail. Comquase cinco dcadas amais que algumas de suasparceiras, Jane brilha napea publicitria da nova li-nha Color Riche Collecti-on Prive, que traz batonse esmaltes em tons denude diferentes feitos sobmedida para cada tipo depele. Os produtos foramcriados em parceria comas modelos e os tonscombinam com a tez e oscabelos de suas embaixa-

    doras de beleza. No vdeoda campanha, a atriz Juli-anne Moore declara se

    sentir honrada em ter umesmalte e um batom de-dicados a ela.

    M alimentao pode causar a queda dos fios

    Ervilha, tomate, milho... evitam queda de cabelo

    Se consumidosjuntos, ervilha, tomate,

    milho e brcolis evitama queda e podem, inclu-sive, ajudar a fortaleceros fios.

    Isso acontece por-que esses alimentospossuem antioxidantesque mantm as clulassempre ativas, o quebeneficia o cabelo, expli-ca a nutricionista CarlaFaedo, do Rio de Janei-ro.

    A boa alimentaoento uma aliada im-portante para trazermais sade ao cabelo.Na hora de colocar co-mida no prato, ela orien-ta sempre fazer um mixde cores. O milho, aervilha, o tomate e o br-colis agem de uma for-ma diferente no orga-nismo, mas combinados

    no prato eles assumema funo de tratar osfios, detalha.

    Constantemente,as clulas do corpo es-to sujeitas a danos t-xicos pela ao dos ra-dicais livres.

    Essas substnciasso provenientes da oxi-dao da membranacelular e responsveispela ocorrncia de di-versas enfermidades eprocessos degenerati-vos do organismo huma-no.

    Por isso uma boaalimentao rica em ali-mentos antioxidantes -que combatem os radi-cais livres - reflete dire-tamente na sade docabelo, esclarece Car-la.

    Quanto mais na-tural melhor

    Carla alerta, noentanto, que os alimen-tos mantm os benefci-os sade dependen-do da forma como soconsumidos.

    O milho e a ervilhaenlataados, por exem-plo, perdem suas fun-es antioxidades.Quanto mais prximodo natural, melhor, ga-rante

    Cabelos saudveis dependem doconsumo de diferentes vegetais

  • GAZETA DE VARGINHA, 05/09/2013

    16 ESPORTE

    Boa empata e no entra no G4Um resultado que no

    agradou o Boa Esporte enem o Ava. As equipes em-pataram por 0 a 0 em umjogo truncado na noite des-ta tera-feira (3/9), no Es-tdio Melo, em Varginha,pela 19 rodada da Srie Bdo Brasileiro. Com isso, osdois times estacionaram natabela e no conseguiramentrar no G-4. O Boa Es-porte continua em sexto,com 31 pontos, enquantoo Ava aparece em segui-da, na stima posio, com30 pontos.

    Na prxima sexta-feira,o Boa Esporte vai a Cha-pec enfrentar a Chapeco-ense s 21h50m na ArenaCond. Tambm na sexta-feira, o Ava recebe o Oes-te de Itpolis s 19h30m naRessacada, em Florianpo-lis.

    O Boa Esporte j co-meou a partida com pro-blemas. Antes de comple-tar um minuto, o volanteRodrigo Souza caiu de maujeito enquanto o Ava subiaao ataque e saiu de campona maca. O jogador at ten-tou voltar, mas sentiu o tor-nozelo e foi substitudo aoscinco minutos por Marab.Com a mudana, o Boa Es-

    porte sentiu dificuldadesem encaixar a marcao eo Ava se aproveitou da si-tuao.

    Aos 12 minutos, LuizPaulo rolou para MarcelinhoParaba, que recebeu nameia lua da grande rea earriscou colocado. A bolapassou muito perto do n-gulo esquerdo de Diego.Aos 14, o Ava respondeu

    com Luciano que, apspasse de Marquinhos, pas-sou por trs da zaga doBoa e finalizou, mas Dou-glas se adiantou e fez adefesa queima roupa. Aos19 minutos, mais um lan-ce de perigo para o Leoda Ilha. Beto aproveitou afalha da defesa mineira edeu um toquinho para Lu-ciano, que chutou cara acara com Douglas. O go-leiro conseguiu bela defe-sa eno rebote ficou nova-mente com a bola.

    Sem criatividade, o BoaEsporte assistia o Ava a ar-mar melhor as jogadas,mas conseguiu assustarem dois lances. Aos 36 mi-nutos, Marcelinho cobroufechado e Luiz Paulo ten-tou o cabeceio, mas a bolabateu no ombro do atacan-te e passou tirando tinta da

    trave esquerda de Diego.No ltimo grande lance,aos 42, Marab arriscou domeio da rua, mas Diego,bem posicionado, fez a de-fesa. Assim, o primeiro tem-po terminou sem gols noMelo.

    O jogo ficou pegado nosegundo tempo e as me-lhores chances ainda con-tinuavam a ser do time ca-tarinense. Aos oito minu-tos, Marquinhos recebeufalta de Betinho prximo grande rea. Cleber Santa-na cobrou baixo, no cantode Douglas, mas a bolapassou ao lado do gol dogoleiro boveta.

    Os melhores lances da

    etapa aconteceram a partirdos 26 minutos. Mrcio Di-ogo recebeu prximo aobico da rea do Boa, ajei-tou e chutou colocado. Abola carimbou a trave es-querda do goleiro Douglas.O time de Varginha respon-deu altura no minuto se-guinte. Aps cruzamento,Fernando Karanga subiusozinho e tambm acertoua trave do goleiro do Ava.

    Aps os melhores lan-ces da partida, o jogo ficouum pouco mais aberto, masmesmo assim nenhumadas equipes achou o cami-nho do gol. Assim, o jogoseguiu at os 48 minutossem alteraes no placar.

    Colgio Batista e Escola Polivalentedisputam torneio de futebol na Semel

    Aconteceu no ltimosbado (31/08), na Semel,um Torneio de Futebol en-tre os alunos do ColgioBatista e Escola Polivalen-te. O evento foi uma inicia-tiva do professor de educa-o fsica, Sandrinho, queorganizou tudo com muitadedicao e carinho, como

    sempre faz nestas ativida-des esportivas.

    O objetivo do evento,segundo o professor San-dro, organizador do Torneio,foi promover momentos deintegrao e confraterniza-o entre os alunos, almde incentivar a prtica deatividades fsicas e esporti-

    vas entre os mesmos. Otorneio representa um mo-mento de descontrao, di-verso e lazer, que tambmaproxima os alunos. Almdisso, visa tambm minimi-zar os impactos da compe-tio excessiva, tendo emvista que o futebol aces-svel a todos, a socializaoatravs do esporte torna umexerccio da cidadania.

    Os participantes elogi-aram a organizao doevento, afirmando que valea pena participar de ativida-des como esta. o Col-gio Batista sempre presen-te na comunidade, promo-vendo a integrao e apro-ximando pessoas. Seme-ando conhecimento, for-mando o carter e colhen-do conquistas!

    Ateno,Proprietrios de barcos,

    lanchas e jet ski!A Marinha do Brasil estar realizandoem Madre de Deus de Minas provapara obteno da carteira de arrais emotonauta.

    Os interessadosdevem entrar emcontato o quanto

    antes!!!

    SEJA HABILITADO E NAVEGUECOM SEGURANA!!!!

    Contato: (35) [email protected]

    Vagas limitadas!!!

    Este documento de porte obrigatriopara condutores de embarcaes a motor