Geografia Mario

  • View
    238

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Geografia Mario

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

INDCE Introduo---------------------------------------------------------------------------------2 1.1 Origem e o crescimento das cidades---------------------------------------3 1.2 O mundo urbano-----------------------------------------------------------------4 1.3 O processo de crescimento urbano-----------------------------------------5 1.4 Condies de vida nas zonas urbanas-------------------------------------7 1.5 O mundo rural e os seus laos com o mundo urbano------------------8 1.6 Urbanizao nas zonas rurais------------------------------------------------9 1.7 O estilo de vida rural nas zonas urbanas---------------------------------11 1.8 Estratgias e solues para melhorar as cidades----------------------12 1.9 Respostas aos desafios urbanos-------------------------------------------14 1.10 O futuro urbano-------------------------------------------------------------16 Resoluo de problema--------------------------------------------------------------18 Objectivos--------------------------------------------------------------------------------19 Objecto-----------------------------------------------------------------------------------20

1

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

INTRODUO

Este trabalho tem como tema a urbanizao, tendncias, problemas e solues. Tem como objectivos nos fazer entender o porque do crescimento populacional a nvel mundial e principalmente nas zonas urbanas, suburbanas e rurais, e achar solues para as mesmas.

2

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

1.1 Origem e o crescimento das cidades Em nenhuma civilizao a vida urbana se desenvolveu independentemente do comrcio e da indstria. Impe-se no passado as cidades do Egipto, Babilnia, Grcia, Imprio Romano ou do rabe, como hoje se impe as cidades da Europa, Amrica, Japo, ou da china a sua universidade explica pela necessidade. O grande desenvolvimento das cidades e das formas de vida urbana um fenmeno que melhor caracteriza a civilizao. O ritmo de crescimento da populao muito varivel, nos pases do leste a expanso urbana foi brutal mas hoje est um pouco mais controlada, na Amrica do Norte, Austrlia, e na Nova Zelndia os ritmos da populao urbana so os mais lentos actualmente. O rpido crescimentos das cidades quer em rea quer em populao, provocou a concentrao de enormes aglomeraes humanas num reduzido espao de terreno so j numerosas as concentraes urbanas onde vivem mais de 1 milho de pessoas, e a se atingem densidades de populao da ordem dos milhares de habitantes por km. As grandes concentraes populacionais so sempre em zonas de enorme consumo, o abastecimento em gua, electricidade, combustvel, e matrias-primas para indstria constitui um conjunto de problemas de soluo habitualmente difcil e cara. As administraes municipais procuram resolver este grave problema citadino ainda que s parcialmente. Estes gigantismo urbano acarreta no entanto vrios e delicados problemas que as administraes municipais nem sempre tm capacidade para resolver, as medidas a tomar podem ser to complexas e exigir verbas to elevadas que s podem ser satisfeitas com a interveno do prprio estado. Neste sentido cita-se como exemplo a crtica situao que actualmente se verifica em Nova Iorque, dos muitos problemas que hoje afectam as grandes cidades faremos um breve referncia apenas alguns pr serem considerados os de maiores envergaduras. Para se ter uma ideia da dimenso que este problemas pode atingir d-se exemplo de Londres, em que 1.200.000 pessoas se deslocam diariamente para o centro da cidade entra as 7 e as 10 da manh.

3

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

1.2 O mundo urbano

Como habitar, trabalhar e viver? Ser possvel remodelar o espao urbano? O estudo analtico das cidades constitui na verdade uma das concepes mais tpicas da geografia humana, disciplina que analisa o organismo urbano com um produto de cristalizao da vontade dos homens, actuando em fase das possibilidades geogrficas do meio. Nenhum tero, elemento da paisagem reflecte em mais eloquncia, nitidez a ateno do homem como factor geogrfico do que o urbanismo humano. Do ponto de vista geogrfico procura destacar a aco dos factores naturais e dos factores culturais que determinam a sua fundao.

4

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

1.3 O processo de crescimento urbano

Na generalidade, as reas de grandes concentraes populacionais coincidem com os espaos fortemente urbanizados. Embora o aparecimento dos primeiros centros urbanos possa ser considerado muito antigo, o aumento de nmeros de cidade um fenmeno relativamente recente, tambm a comparao do crescimento da populao mundial e da populao urbana confirma esta evoluo. O crescimento urbano, que abrange todos os pases, se bem que em grau varivel, um dos factos mais espectaculares dos nossos dias, tanto pelas mudanas que provoca no modo de vida das populaes como pelas profunda alteraes que introduz nas paisagens. A crescente urbanizao pode determinar-se com rigor atravs clculo da taxa de urbanizao. Obtido esse valor, de imediato se conclui que a sua repartio geogrfica irregular, embora como foi dito concentraes urbanas existiam desde h sculos, importa fazer um breve relance sobre a sua evoluo, mas apenas a partir da idade mdia. As cidades medievais eram quase sempre amuralhadas por motivos de defesa. Trata-se de cidades castelajas com falta de espao do que resultava um traado de ruas estreitas e casas apinhadas. No renascimento surgiram novas concepes de cidades, o espao citadino continuou a ser rodeado por novas muralhas construdas exteriormente as j existentes. Intramuros rasgaram-se grandes avenidas (campos elsios em Pars), monumentos (catedral de Florena) e jardins (Versalhes). O aparecimento de cidade de feio moderna verificou-se na Inglaterra nos finais do sculo XVIII e teve como base a revoluo agrcola, a que se seguiu a revoluo industrial. O aumento da produtividade e do rendimento agrcola permitiu alimentar um maior nmero de indivduos; o desenvolvimento industrial atraiu a cidade a mo-deobra que a mecanizao e a motorizao da agricultura tornaram excedentria nos campos. O arranque industrial teve lugar nas bacias hulhferas. Surgiu a uma gerao, de cidades negras, em que aos montonos bairros operrios se juntaram os poos das minas, os altos-fornos, as chamins, os montes de carvo, etc.

5

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

O crescimento no parou at aos dias de hoje, pelo que alguns autores lhe do a denominao de expanso urbana. Nos pases em vias de desenvolvimento est ainda muito marcada a miragem da cidade como local do emprego e abundncia. Nestes pases, existem normalmente um grande contraste entre as grandes cidades e as reas rurais mais interiores que esto quase sempre atrofiadas economicamente. Milhares de trabalhadores agrcolas so levados a abandonar as suas terras, migrando para grandes cidades. Trata-se de uma mo-de-obra no qualificada, que alimenta o desemprego e que, frequentemente, vai contribuir para aumentar a marginalidade (prostituio, criminalidade, instabilidade social). O tecido urbano tambm se altera com a chega destes novos citadinos que no tm capacidade econmica para obter uma casa condigna. Multiplicam-se rapidamente os bairros de lata, as construes clandestinas enfim as reas de marginalidade.

6

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

1.4 Condies de vida nas zonas urbanas Sem dvidas que as cidades oferecem vantagens quer as populaes que nela residem quer as actividades econmicas que nela instalam-se. Para as populaes oferecem normalmente melhores oportunidades em termos de emprego (melhor salrio e tarefas menos penosas), cultura (museus, bibliotecas, teatros, etc), educao (escolas de todos os graus e reas de ensino), laser, etc da que viver na cidade fosse em tempos e ainda em alguns casos um privilgio e, de certo modo e prestigiante. No que respeita as actividades econmicas estas encontram nas cidades mode-obra abundante e diversificada, fornecedores, clientes, instituies de crditos, servios pblicos diversos, etc o que lhe permite colher os benefcios das economias de aglomeraes. Porem face as caractersticas da vida moderna por um lado, as desfasamento entre as alteraes econmicas e sociais e as medidas de adaptao urbana a essas transformaes e ainda ao desmesurado crescimento demogrfico e funcional de muitas cidades, emergem hoje em quase todas as grandes urbes, muitos problemas que naturalmente se reflectem negativamente na qualidade de vida dos cidados

Raul Castelo

7

INSTITUTO MDIO E POLIVALENTE DO REGIMENTO MILITAR PM

1.5 O mundo rural e os seus laos com o mundo urbano No mundo urbano os produtores de elaborao humana atingem um mximo de concentrao deixando quase que apagados os traos de paisagem natural, enquanto na paisagem rural os motivos predominam, os traos culturais que esto pois geograficamente mais de quantidade do que qualidade. Ao crescimento das aglomeraes urbanas adiciona-se a forte migrao das populaes rurais, o que conjuntamente ocasiona um aumento demogrfico to grande que difcil ser acompanhado pela correspondente construo de novas habitaes. A procura de uma casa para habitar, cada vez mais cara e cada vez mais longe, transforma-se desta maneira num problema que no tem soluo para os extractos populacionais mais pobres. Assim aumenta sem cessar o nmero de pessoas que tm de recorrer a todos os meios para conseguir um teto para se abrigar geralmente nas piores condies possveis. Este o motivo do aparecimento dos bairros de barracas que sempre acompanham pela periferia o crescimento das grandes cidades. Calcula-se que, s em Portugal existir perto de 1 milho de pessoas que no dispe de uma habitao condigna. Como seria de esperar, situam-se quase todas as zonas de Lisboa e