Click here to load reader

Geografias da Saúde Márcia

  • View
    9

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Geografia da Saúde

Text of Geografias da Saúde Márcia

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    1/17

    Geografias da Sade

    Diversas abordagens02/09/2013

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    2/17

    Explicando (Dissertando sobre) Geografias daSade.

    No existe uma nica corrente filosfica ou

    forma de dissertao, e cada uma delas tema sua excelncia e fragilidade.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    3/17

    A abordagem positivista na Geografia

    da Sade:

    A pesquisa sobre AIDS em Uganda, e as pesquisascomeam pelo mapa de incidncias da doena, arepresentao visual que foi medicalmente

    definida. O arranjo espacial das ocorrnciasindica se elas so aleatrias ou no? O queexplica as taxas mdias numa regio da outra?

    As associaes so medidas e testadas

    estatisticamente se h relao entre uma ouvrias variveis (covariantes) que podem estarespacialmente associadas doena.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    4/17

    AIDS em Uganda

    O trabalho citado um exemplo clssico deum estudo cientfico no sentido de que

    foram adotados mtodos das cincias naturais(dados, regularidade estatstica e associaes).NO contexto da sade, a pesquisa buscaencontrar fatores etiolgicos ou causas ainda

    no descobertas, resultando em fortesassociaes, e no causa.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    5/17

    Localizao e distncia

    A postura positivista tem como seu objetivo maior abusca de leis, embora uma verso mais simples seesforce em fazer generalizaes. Trabalhos nessa ticageralmente tratam de espacializaes (mapeamentos)

    para depois buscar explicaes da distribuio espacial,envolvendo frequentemente uma perspectivabiomdica. A localizao e a distncia, difusohierrquica, difuso do contgio (casos de Aids enmero de viagens diriaspendulares) na regio da

    cidade de NY. Modelos de difuso. Essa abordagem negligencia o ator ou a voz dos

    envolvidos. Os doentes no possuem voz.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    6/17

    Vos dirios

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    7/17

    Abordagem das interaes sociais

    A doena como resultado da interao social.

    Perspectiva humanista pois cada endereo

    significa crenas, valores, significados eintenes. As pessoas no so colees departes doentes do organismo.

    As pessoas so vistas como participantes daconstruo do conhecimentos sobre Sade.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    8/17

    Interpretar as irracionalidades

    nfase no significado do que a doena (disease)ou o mal estar (illness) tem para o paciente.

    A no vacinao de uma criana pode serirracional ao profissional da sade e mulheresque decidem no se preocupam com o cncer demama. Geralmente os estudos nessa perspectiva

    so realizados em grupos pequenos (pequenascomunidades ou bairros).

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    9/17

    Exemplos de pesquisas

    Exemplos de pesquisas realizadas: pessoasque residem prximas aos depsitos de lixo,Ontrio (Canad) e incineradores de lixo.Entrevistas. Pontos pesquisados: posturas emrelao casa (home), contaminaoambiental, qualidade de vida e sentimentos

    especficos sobre as condies do local (seaterro ou incinerao).

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    10/17

    Observaes sobre a pesquisa

    Aproximaes com a Antropologia e aEtnologia. Tcnica da Bola de Neve: a partir deuma entrevista, as demais so feitas por quemfoi citado inicialmente.

    Representaes de doena e sade e aexperincia com os servios de Sade em

    Bethnal Green (East London- Jocelyn Cornwell,1984).

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    11/17

    Humanista, melhor definio

    Os relatos pblicos e os privados no foramsemelhantes e frequentemente eram opostos.Os relatos pblicos afirmaram o quaseromntico senso de lugar (o forte lao devizinhana e a alta qualidade das relaessociais) nas respostas privadas foram

    enfatizados os aspectos negativos (brigas,argumentos e a falta de ateno com osoutros.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    12/17

    Abordagem Estruturalista

    Abordagem Estruturalista: Trabalho deFrenkel e Westner buscou identificar algunsdos fatores histricos e polticos que

    envolveram a sade e a doena no sculo XIXna cidade de Freetown em Serra Leoa. Ascausas implcitas das doenas estavam imersasnos sistemas econmico e poltico.

    As explicaes no so buscadas na escalaindividual.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    13/17

    Ou perspectiva poltica econmica

    o contexto social maior que importa naexplicao das doenas, a doena no repousano corpo, mas no corpo da poltica.

    Aproximao com as teorias marxistas.Explicaes gerais que se aplicam tambm sade, com a economia determinando o

    social.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    14/17

    Relaes de poder e colonialismo

    nfase na medicina curativa do que na sadepreventiva, exemplo do trabalho que analisou ocolonialismo do final do sculo XIX e incio do XX.

    A pobreza como causa da doena-sade e a pobrezaresulta do capitalismo. Conflitos e relaes de poder, Opoder masculino (machismo) interferindo na sadefeminina. Dominao patriarcal.

    Epidemias: varola (smallpox), sarampo (measles),febre amarela, tifo e influenza (gripe) associadas conquista do Peru e Mxico no incio do sculo XVI.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    15/17

    Ecologia Poltica

    Ecologia Poltica das doenas e da relaosade-doena: Tanznia (antiga Tanganica): asdoenas arruinaram os sistemas econmico epoltico levando s populaes nativas aadoecerem. No sculo XIX, atravs dasmisses religiosas, se estabelece a medicina

    curativa, colocando em ltimo plano amedicina preventiva.

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    16/17

    A perspectiva feminista

  • 5/20/2018 Geografias da Sade Mrcia

    17/17

    Estruturacionismo

    Hgerstrand: tempo geogrfico, tempo eespao. Sucia, dcada de 60. Medio dedeslocamentos espaciais, atividades edurao. Atividades desenvolvidas pelaspessoas no seu cotidiano.

    Ps Estruturacionismo: Cidades Saudveis.

    Risco e desastres ambientais.