GEORREFERENCIAMENTO – QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PRATICA REGISTRAL

  • View
    20

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Maria Aparecida Bianchin Pacheco Registradora de Imóveis de Poxoréu-MT. GEORREFERENCIAMENTO – QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PRATICA REGISTRAL. - PowerPoint PPT Presentation

Text of GEORREFERENCIAMENTO – QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PRATICA REGISTRAL

  • Maria Aparecida Bianchin PachecoRegistradora de Imveis de Poxoru-MT

  • A palavra retificar significa tornar reto e, por extenso, corrigir. Assim, retificar um registro corrigir um registro vlido, mas que se ressente de uma ou mais irregularidades.

  • LRP P- Art. 212. Se o registro ou a averbao for omissa, imprecisa ou no exprimir a verdade, a retificao ser feita pelo Oficial do Registro de Imveis competente, a requerimento do interessado, por meio do procedimento administrativo previsto no art. 213, facultado ao interessado requerer a retificao por meio de procedimento judicial.

  • Art. 213. O oficial retificar o registro ou a averbao:I e) alterao ou insero que resulte de mero clculo matemtico feito a partir das medidas perimetrais constantes do registro;II - a requerimento do interessado, no caso de insero ou alterao de medida perimetral de que resulte, ou no, alterao de rea, instrudo com planta e memorial descritivo assinado por profissional legalmente habilitado, com prova de anotao de responsabilidade tcnica no competente Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura - CREA, bem assim pelos confrontantes. 8o As reas pblicas podero ser demarcadas ou ter seus registros retificados pelo mesmo procedimento previsto neste artigo, desde que constem do registro ou sejam logradouros devidamente averbados.

  • -Administrativamentepor iniciativa do prprio Oficialrequerimento do interessado, com ou sem notificao de terceiros, com ou sem deciso judicial; Administrativamente a requerimento dos confrontantes; 5) Judicialmente, em processo contencioso (ao ordinria) conforme art. 216 da LR

  • a) por escritura pblica, levada depois a registro; b) por ato do oficial, de ofcio; c) por processo administrativo simplificado, tanto a requerimento do interessado como de ofcio, com ou sem deciso judicial; d) por processo judicial contencioso (ao ordinria).

  • Exprimir a verdade devolver ao desenho ou descrio registral o seu mais proprio e pertinente contedo, ajustando-o para que passe a representar a realidade que por desvio foi desfocada;Implica em retorno - bases fisicas originarias - remodelamento da informao tabular em respeito as bases fisicas originarias

  • Questes relevantes: Cancelamento da Matrcula e Registros de Imveis vinculados a ttulos nulos. arrecadao de reas sobre as quais figurem matrculas imobilirias originadas de ttulos ilegtimos (fraudes);duplicidade de matrculas LRP- Art. 252 - O registro, enquanto no cancelado, produz todos os efeitos legais ainda que, por outra maneira, se prove que o ttulo est desfeito, anulado, extinto ou rescindido.

  • cancelamento de matrculas e subsequentes registros vinculados a ttulos nulos: LRP - Art. 214 - As nulidades de pleno direito do registro, uma vez provadas, invalidam-no, independentemente de ao direta;LRP - Art. 233 - A matrcula ser cancelada: I - por deciso judicial; LEI FEDERAL 6.739 /79 Art. 1 - A requerimento de pessoa jurdica de direito pblico ao corregedor-geral da justia, so declarados inexistentes e cancelados a matrcula e o registro de imvel rural vinculado a ttulo nulo de pleno direito, ou feitos em desacordo com os artigos 221 e segs. da Lei n 6.015, de 31 de dezembro de 1973, alterada pela Lei n 6.216, de 30 de junho de 1975.

    Art. 8oB Verificado que terras pblicas foram objeto de apropriao indevida por quaisquer meios, inclusive decises judiciais, a Unio, o Estado, o Distrito Federal ou o Municpio prejudicado, bem como seus respectivos rgos ou entidades competentes, podero, vista de prova da nulidade identificada, requerer o cancelamento da matrcula e do registro na forma prevista nesta Lei, caso no aplicvel o procedimento estabelecido no art. 8oA. (Artigo includo pela Lei n 10.267, de 28.8.2001)

  • 4o A identificao de que trata o 3o tornar-se- obrigatria para efetivao de registro, em qualquer situao de transferncia de imvel rural, nos prazos fixados por ato do Poder Executivo. (Includo pela Lei n 10.267, de 2001) 5 Nas hipteses do 3o, caber ao Incra certificar que a poligonal objeto do memorial descritivo no se sobrepe a nenhuma outra constante de seu cadastro georreferenciado e que o memorial atende s exigncias tcnicas, conforme ato normativo prprio. (Includo pela Lei n 11.952, de 2009) 6o A certificao do memorial descritivo de glebas pblicas ser referente apenas ao seu permetro originrio. (Includo pela Lei n 11.952, de 2009) 7o No se exigir, por ocasio da efetivao do registro do imvel destacado de glebas pblicas, a retificao do memorial descritivo da rea remanescente, que somente ocorrer a cada 3 (trs) anos, contados a partir do primeiro destaque, englobando todos os destaques realizados no perodo. (Includo pela Lei n 11.952, de 2009)

  • LRP - Art. 176: 6o A certificao do memorial descritivo de glebas pblicas ser referente apenas ao seu permetro originrio. (Includo pela Lei n 11.952, de 2009) 7o No se exigir, por ocasio da efetivao do registro do imvel destacado de glebas pblicas, a retificao do memorial descritivo da rea remanescente, que somente ocorrer a cada 3 (trs) anos, contados a partir do primeiro destaque, englobando todos os destaques realizados no perodo. (Includo pela Lei n 11.952, de 2009)

  • Art. 9o A identificao do ttulo de domnio destacado originariamente do patrimnio pblico ser obtida a partir de memorial descritivo, assinado por profissional habilitado e com a devida Anotao de Responsabilidade Tcnica - ART, contendo as coordenadas dos vrtices definidores dos limites do imvel rural, georreferenciadas ao Sistema Geodsico Brasileiro. Pargrafo nico. O memorial descritivo de que trata o caput ser elaborado nos termos do regulamento. Art. 10. A certificao do memorial descritivo no ser exigida no ato da abertura de matrcula baseada em ttulo de domnio de imvel destacado do patrimnio pblico, nos termos desta Lei.

  • LEI N 9.351, DE 04 DE MAIO DE 2010 - D.O. 05.05.10Autor: Deputado Dilceu Dal BoscoDispe sobre a abertura de matrculas nos cartrios de registros de imveis do Estado de Mato Grosso, baseado em ttulo de domnio originrio de imvel destacado do patrimnio pblico.O PRESIDENTE DA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO, no desempenho da atribuio conferida pelo Art. 42, 8, da Constituio Estadual, promulga a seguinte lei:Art. 1 Para efeito do primeiro registro em nome de particulares, a certificao do memorial descritivo no ser exigida no ato de abertura de matrcula baseada em ttulo de domnio de imvel destacado do patrimnio pblico.Pargrafo nico Os atos registrais subsequentes devero ser feitos em observncia do Art. 176 da Lei Federal n 6.015, de 31 de dezembro de 1973.Art. 2 Esta lei entra em vigor na data de sua publicao, revogando-se as disposies em contrrio.Assembleia Legislativa do Estado, em Cuiab, 04 de maio de 2010.

    Deputado RIVAPresidente

  • LEI FEDERAL N 6.015/73 - a expresso glebas pblicas, aplica-se a glebas rurais de domnio de quaisquer dos entes federativos, ou seja, o registrador de imveis, exigir a certificao do memorial descritivo do permetro originrio das reas pblicas, e, no exigir certificao do memorial descritivo georreferenciado da rea remanescente da matrcula, aps cada desmembramento, s podendo exigir tal medida, no prazo legal (trs anos contados do primeiro desmembramento).LEI EST.N 9.351/10 - o registrador de imveis no exigiria a certificao do permetro originrio de gleba pblica estadual, para desmembramentos, afrontando diretamente os dispositivos da Lei n 6.015/73.

  • CONSULTA 14/10 CGJ/MT sobre a aplicao da Lei Estadual 9.531/2010

    o seu art. 1 restou maculado pela inconstitucionalidade formal, porque viciou os dispositivos constitucionais apontados (inciso XXV, do art. 22 e alneas b e d do inciso II, do art 96, ambos da CR/88). )entendo, ad cautelam, que, para que sejam evitados transtornos/prejuzos s partes envolvidas nos procedimentos por ela tratados, inclusive terceiros de boa-f, recomendvel que seja integralmente cumprida a deciso proferida em 06.07.05 por esta Corregedoria-Geral da Justia nos autos da CONSULTA n 20/2005-DOF - ID Processo: 101.914), conforme consta s fls. 05/07 deste feito, exigindo-se, para tanto, toda a documentao elencada no art. 176, da Lei Federal n 6.015/73 e alteraes posteriores, uma vez que eventual ato praticado nos moldes da Lei Estadual n 9.351/10 poder resultar em declarao de sua nulidade e de nenhuma eficcia, com efeito a partir de sua edio.

  • Memoriais georreferenciados e certificados OU NO que instrumentalizam transferncia indevida de rea pblica ou particular;Certides de legitimidade de origem (para fins de retificao e georreferenciamento) certificam sobreposio ou deslocamentos necessidade de adequar a descrio rea efetivamente titulada

  • Consultas CNG-CGJ/MT - 6.1.56 Os registradores imobilirios devero consultaro INTERMAT ou o INCRA, conforme o caso, sempre que lhes forem apresentadas certides ou ttulos desses rgos, e estas consultas devem ser respondidas no prazo de 30 (trinta) dias.

  • Recomenda-se ao Oficial do Registro de Imveis solicitar do Instituto de Terras de Mato Grosso - INTERMAT, ad cautelam, uma certido de legitimidade de origem da rea objeto de retificao, a fim de evitar que terceiros de m-f procedam a matrcula e ao registro com base em ttulos irregulares. REVOGADO