GERAÇÃO DE BASE CARTOGRÁFICA A PARTIR DE docs.fct.unesp.br/departamentos/cartografia/eventos/2007_II_SBG/... ·

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of GERAÇÃO DE BASE CARTOGRÁFICA A PARTIR DE...

  • II Simpsio Brasileiro de Geomtica Presidente Prudente - SP, 24-27 de julho de 2007

    V Colquio Bras ileiro de Cincias Geodsicas ISSN 1981-6251, p. 291-299

    F. A. Prado; H. A. Silva; G. G. B. Souza; L. Barbosa; L. A. Barbosa; J. C. Chaves; J. K. Hasegawa; M. M. S. Decanini

    GERAO DE BASE CARTOGRFICA A PARTIR DE FOTOGRAFIAS AREAS DIGITALIZADAS

    FERNANDA DE ALMEIDA PRADO

    HELOSA ALVES DA SILVA GABRIEL GUSTAVO BARROS DE SOUZA

    LEANDRO BARBOSA LUCIANO APARECIDO BARBOSA

    JOO CARLOS CHAVES JLIO KIYOSHI HASEGAWA

    MNICA MODESTA SANTOS DECANINI

    Universidade Estadual Paulista - Unesp Faculdade de Cincias e Tecnologia - FCT

    Departamento de Cartografia, Presidente Prudente - SP {prado_fernanda, heloh2o, gabriel_cart, leandro_pp, lucianounesp_pp}@yahoo.com.br,

    {jcchaves, hasegawa, monca}@fct.unesp.br

    RESUMO - A utilizao de um produto cartogrfico (planta, carta ou mapa) proporciona inmeras vantagens ao usurio, tais como: planejamento, auxlio tomada de decises, localizao, navegao, e outras. Assim, a procura por este tipo de informao tem se tornado cada vez mais comum. Dentro disso, o objetivo desse trabalho foi gerar uma base cartogrfica a partir de fotografias areas na escala 1:8.000 digitalizadas. Para tanto, foi elaborado um projeto cartogrfico, no qual foram definidos os elementos da composio geral, e tambm o projeto grfico (rea geogrfica, formato, escala, datum, projeo, Padro de Exatido Cartogrfica, projeto de smbolos cartogrficos, layout etc.). Este trabalho foi executado por meio de tcnicas geodsicas, fotogramtricas e cartogrficas. Como resultado, foi elaborada uma base cartogrfica atualizada da rea geogrfica, na escala 1:2.000, a qual compreende o campus da Faculdade de Cincias e Tecnologia (FCT/Unesp) e bairros adjacentes. ABSTRACT - The use of a cartographic product (plant or map) provides several advantages to the user, such as: planning, support to decision making, location, navigation, and others. Thus, the search for this type of information has turned more and more common. Thus, the purpose of this paper was to generate a base map by using digitalized aerial photographies in the 1:8.000 scale. In order to do so, a cartographic project was elaborated, in which the elements of the general composition were defined, as well as the graphic design (geographical area, format, scale, datum, projection, Standard of Cartographic Accuracy, cartographic symbols design, layout etc.). This paper was carried out through geodesic, photogrammetric and cartographic techniques. As result it was produced an updated base map of the geographical area, in the 1:2.000 scale, which includes the campus of University of Sciences and Technology (FCT/Unesp) and neighborhoods.

    1 INTRODUO

    O produto cartogrfico (planta, carta ou mapa) pode ser utilizado para inmeros propsitos, tais como: planejamento, auxlio tomada de decises, localizao, navegao etc. Assim, a procura por este tipo de informao tem se tornado cada vez mais comum. Os usurios desejam uma informao confivel, na qual possam tomar suas decises de maneira rpida e segura, com base em questes como: Onde estou? Para onde vou? Qual a distncia do meu destino?. As necessidades so inmeras e abrangem uma gama muito variada de usurios, sejam estudantes, profissionais, empresrios, gestores, entre outros. H uma demanda por produtos

    cartogrficos no mercado, tanto analgicos quanto digitais.

    Entretanto, mesmo ainda que se tenha esta produo cartogrfica atualizada e disseminada em diferentes mdias, nota-se que o clssico mapa representado em papel ainda tem grande importncia como produto cartogrfico, pois permite o contato mais rpido com a geo-informao, sem a necessidade do uso de computadores ou softwares. Alm disso, no Brasil, h a necessidade de produtos cartogrficos, em escala grande, atualizados sistematicamente.

    As diversas pesquisas realizadas para a atualizao de produtos cartogrficos tm sido de suma importncia. Soma-se a isto os avanos tecnolgicos nas reas de

  • II Simpsio Brasileiro de Geomtica Presidente Prudente - SP, 24-27 de julho de 2007

    V Colquio Brasileiro de Cincias Geodsicas

    F. A. Prado; H. A. Silva; G. G. B. Souza; L. Barbosa; L. A. Barbosa; J. C. Chaves; J. K. Hasegawa; M. M. S. Decanini

    Cartografia, Sensoriamento Remoto e Fotogrametria, possibilitando, dentre outros propsitos, a elaborao de mapas a partir de fotografias areas analgicas (digitalizadas) e digitais.

    Dentro desse contexto, o presente trabalho teve por finalidade gerar uma base cartogrfica atualizada da regio que abrange a Faculdade de Cincias e Tecnologia (FCT/Unesp Presidente Prudente, SP) e bairros adjacentes, atravs da restituio de fotografias areas digitalizadas. 2 FUNDAMENTAO 2.1 Projeto e produo cartogrfica

    O projeto cartogrfico est ligado representao grfica da informao contida no mapa, ressalta Dent (1993). A funo do mapa comunicar esta informao efetivamente ao usurio, considerando todas as condies que afetam este processo: o que o usurio requer, o nvel antecipado de entendimento, as circunstncias de uso, a complexidade da informao, as tcnicas possveis e seus custos, e assim por diante.

    Keates (1989) afirma que as fontes de informao variam amplamente em qualidade e tipo. As fontes primrias so obtidas pela realizao de uma operao de levantamento especificamente para obter os dados requeridos para o mapa. J as informaes secundrias envolvem uma grande quantidade de dados acerca do meio fsico e humano para propsitos de administrao federal e local, planejamento e investigao dos recursos e estudos cientficos.

    Keates (1989) salienta que a informao no mapa pode ter efeito sobre o usurio somente se a estrutura do mapa e os mtodos de representao so entendidos, e o significado dos smbolos do mapa conhecido. Estes proporcionam as mnimas condies dentro das quais o usurio tem de operar. Assim, a funo do cartgrafo decidir a correta estrutura do mapa para um tema ou propsito particular: encontrar meios de representao apropriada para as caractersticas do fenmeno de interesse e a informao disponvel.

    Alm disso, antes que a produo de qualquer mapa possa comear, Keates (1989) afirma que deve-se decidir sobre a sua forma bsica e contedo, envolvendo quatro fatores bsicos: a rea geogrfica, o nvel de informao, a escala e o formato.

    A definio do contedo bsico dos documentos cartogrficos, com base no uso que deles ser feito, determinado por normas tcnicas adequadas a cada escala, nas quais sero estipuladas as condies ideais a serem atingidas no produto cartogrfico final, conforme Bochicchio et al. (1979). Tambm devero ser inseridas no projeto as informaes marginais, obrigatrias a qualquer trabalho cartogrfico, sendo essas: sistema de projeo, datum horizontal e vertical, escala grfica e numrica, valores de declinao magntica e de convergncia meridiana, dentre outras.

    Oliveira (1993) aponta que a diversidade dos smbolos cartogrficos varia de acordo com a rea geogrfica mapeada e esta diversidade est sujeita aos seguintes fatores: a) o objetivo principal ao qual o documento se destina; b) a prpria natureza do mapa (se especial, temtico etc.); c) a configurao do terreno (urbana, rural, plana, montanhosa, desrtica etc.); e d) a escala. Bochicchio et al. (1979) afirmam que na representao de cada elemento procura-se assemelhar s suas caractersticas essenciais, a fim de facilitar seu imediato reconhecimento.

    Com o objetivo da busca de um equilbrio entre quantidade e qualidade, surgiu a inspeo denominada controle de qualidade, que pode ser aplicada em todas as reas, inclusive na Cartografia. O controle de qualidade utiliza a Probabilidade e a Estatstica como instrumentos principais para o cumprimento dos objetivos. Segundo Galo e Camargo (1994), o procedimento de anlise da exatido de um produto cartogrfico baseia-se nas discrepncias entre as coordenadas de pontos na carta e as coordenadas de pontos homlogos obtidos a partir de observaes medidas em campo, consideradas como referncia. Na medio dos pontos de referncia devem ser utilizados procedimentos que garantam a tolerncia exigida.

    O tipo de produto oferecido, as necessidades que o originaram e o prprio usurio, impem a necessidade de que seja alcanado um elevado nvel de confiana do material resultante do processo cartogrfico, o que s possvel atravs da utilizao de um processo de controle de qualidade, ressalta Ishikawa (2001). A qualidade a ser alcanada depender de vrios fatores, dentre os quais pode-se citar o mercado para o qual o produto destinado, o profissional que o produz, o recurso disponvel para a produo, o tipo de administrao e os materiais, mquinas e mtodos empregados.

    2.2 Tcnicas geodsicas

    Atualmente, os levantamentos geodsicos tm sido realizados utilizando o GNSS (Global Navigation Satellite System), o qual engloba o GPS (Global Positioning System), o GLONASS e o GALILEO.

    Conforme Monico (2000), posicionamento est relacionado determinao da posio de objetos com relao a um referencial. O posicionamento com GPS pode ser do tipo absoluto (quando as coordenadas esto associadas diretamente ao geocentro) ou relativo (quando as coordenadas so determinadas com relao a um referencial materializado por um ou mais vrtices com coordenadas conhecidas).

    No contexto de posicionamento relativo com GPS, utilizam-se, em geral, as duplas diferenas de fase como observveis fundamentais (MONICO, 2000).

    O sistema de referncia do GPS, quando se utilizam efemrides transmitidas, o WGS-84 (World Geodetic System 1984), o qual coincide com o CTRS (Conventional Terrestrial Reference System), cuja origem

Recommended

View more >