Gravidez na adolescência na mídia impressa - fama2.us.· Gravidez na adolescência na mídia impressa

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Gravidez na adolescência na mídia impressa - fama2.us.· Gravidez na adolescência na mídia...

-------------------------------------------------------------- Captulo 50. Pgs. 774 a 798 -------------

Captulo 50

Gravidez na adolescncia na mdia impressa

Snia Regina Schena Bertol *

1. O PROBLEMA DE PESQUISA.

travs da pesquisa Gravidez na adolescncia na mdia impressa,

buscou-se analisar de que maneira a mdia impressa brasileira aborda

este problema social to presente em nosso pas. Este nvel da pesquisa

tem como enfoque a abordagem na mdia impressa estadual, atravs da anlise

das publicaes do jornal Zero Hora, dirio publicado na cidade de Porto

Alegre, no ano de 2013. Com mais de 50 anos de circulao no estado do Rio

Grande do Sul, um dos jornais mais vendidos do estado, neste sentido

apresenta-se como uma das mdias mais indicadas para realizar-se a anlise. A

partir dos dados encontrados pretende-se inferir as principais abordagens que o

tema recebeu no jornal escolhido. Entende-se que a publicao de notcias a

respeito de temas como esse, que envolvem a sade pblica, tem um forte poder

influenciador e conscientizador da populao.

2. JUSTIFICATIVA.

Se pensarmos que hoje o grande pblico comea a se interessar cada vez

mais pela informao cientfica trazida pelos peridicos e por diversos produtos

editoriais que tm se preocupado exclusiva ou complementarmente com a

divulgao da cincia e da medicina, ento hora tambm de qualificar sua

cobertura, surgindo neste quadro a importante presena do comunicador,

suscitando interesse e curiosidade, promovendo programas de promoo da

sade pblica e de preveno de doenas coletivas na agenda miditica. Quanto

s grandes massas excludas das benesses das cincias mdicas, Carvalheiro

(1999: 7) nos faz lembrar da dramtica deteriorao das condies gerais de

vida e sade de segmentos cada vez maiores da populao. De fato parece-nos * Profesora en la Universidad de Passo Fundo, Brasil.

A

-------------------------------------------------------------- Captulo 50. Pgs. 774 a 798 -------------

preocupante a situao da sade na contemporaneidade, como um bem de

acesso restrito queles que podem pagar pelos seus altos custos, como lembra o

ex-Ministro da Sade Jos Serra (1999: 39), ao pontuar que [...] os meios de

preveno e tratamento das doenas foram se tornando mais sofisticados e

caros. A pesquisadora Virginia Silva Pintos (2003: 123, traduo nossa)

considera que A Sade, como conceito, foi desenvolvendo novos sentidos;

transcendeu a esfera enfermidade/curativa (ausncia de enfermidade), para

abranger aspectos mais globais: alimentao, moradia [...].

Este entrelaamento entre o social e o biolgico, entretanto, vem sendo

reivindicado ainda hoje. Luis Ramiro Beltrn (2001) aponta a reafirmao da

importncia dos conceitos de promoo da sade e de preveno da doena

quando representantes de 134 pases reuniram-se na Unio Sovitica no ano de

1978, em evento promovido pela OMS (Organizao Mundial da Sade), do

qual derivou a Declarao de Alma-Ata, conceitos que tambm seriam adotados

pelo Governo dos Estados Unidos no ano seguinte e que ganhariam grande

amplitude no ano de 1986, quando a OMS promove a Primeira Conferncia

Internacional sobre Promoo da Sade, no Canad. Desta Conferncia resultou

um documento denominado Carta de Ottawa, que definiu a promoo da sade

como o processo que consiste em proporcionar aos povos os meios necessrios

para melhorar sua sade e exercer maior controle sobre a mesma. (2001: 358,

traduo nossa). Tanto a reunio de Alma-Ata quanto a de Otawa tiveram a

preocupao de demonstrar tambm a importncia da Comunicao dentro

deste novo paradigma de promoo da sade: se atribui universalmente

comunicao a qualidade de instrumento chave para materializar tal poltica de

sade. (2001: 361, traduo nossa, grifo nosso).

A importncia da divulgao cientfica e, dentro dela, de temas correlatos

sade, vem referendando a consolidao da especialidade da Comunicao da

Sade. A relao entre Comunicao e Sade veio se afirmando paulatinamente

nos ltimos anos; profissionais destes campos reconheceram e provaram que

eles constituem dimenses da vida cuja articulao (ou ausncia de) afeta de

maneira direta a sade e, em um sentido mais amplo, a qualidade de vida dos

indivduos, as famlias e as sociedades. A Comunicao para Sade (ou

Comunicao em Sade) se refere no apenas a difuso e anlises da

informao atividade comumente denominada jornalismo cientfico ou

jornalismo especializado em sade -, mas se refere tambm produo e

aplicao de estratgias comunicacionais.(PINTOS, 2000: 122, traduo

nossa).

Quando uma adolescente engravida, geralmente ela se v numa situao

no planejada e at mesmo indesejada. Na maioria das vezes a gravidez na

-------------------------------------------------------------- Captulo 50. Pgs. 774 a 798 -------------

adolescncia ocorre entre a primeira e a quinta relao sexual. E quando a

jovem tem menos de 16 anos, por sua imaturidade fsica, funcional e emocional,

crescem os riscos de complicaes como o aborto espontneo, parto prematuro,

maior incidncia de cesrea, ruptura dos tecidos da vagina durante o parto,

dificuldades na amamentao e depresso. Por tudo isso, a maternidade antes

dos 16 anos desaconselhvel.

Para se analisar o comportamento reprodutivo das mulheres na Amrica

Latina importante abordar o perodo da adolescncia por suas implicaes

sociais e econmicas. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de

Geografia e Estatstica), h um claro vnculo entre gravidez na adolescncia e

pobreza, revelado pela concentrao de mes adolescentes pertencentes aos

estratos de renda mais pobres. Assim, quando se analisa o nvel educacional das

mulheres, possvel verificar que quase metade das que no completaram o

ensino fundamental foram mes adolescentes contra apenas 7% das que

completaram o segundo grau. A forte relao entre maternidade na adolescncia

e pobreza traz tona um dos mecanismos de reproduo biolgica da pobreza

que se traduz nas elevadas taxas de mortalidade infantil, desnutrio e outras

graves carncias da infncia.

Como referimos acima, a Sade, enquanto conceito, vem se

desenvolvendo e abrangendo questes mais globais, como a educao e a

condio scio-econmica onde os cidados esto inseridos e, para implementar

as polticas de sade, segundo o prprio entendimento da OMS, a Comunicao

uma pea chave, persuadindo os cidados a adotarem e manterem

comportamentos saudveis. Assim, acredita-se profundamente que a anlise das

mensagens emitidas pela mdia impressa sobre a gravidez na adolescncia,

fornecer diversos subsdios de como a questo da gravidez na adolescncia

vem sendo enquadrada pelo jornal selecionado para o presente estudo, subsdios

que iluminaro a compreender o ngulo que o debate sobre este importante

tema vem ganhando na mdia impressa e, a partir da, buscar caminhos para o

seu aperfeioamento. Ratificamos aqui a viso de quanto nos estimulante a

verificao da abordagem que a gravidez na adolescncia vem ganhando na

mdia impressa, e o novo direcionamento que poder ser dado a esta abordagem

a partir de ento.

-------------------------------------------------------------- Captulo 50. Pgs. 774 a 798 -------------

3. OBJETIVOS.

3.1. Objetivo geral.

Analisar os principais frames ou enquadramentos que orientaram o debate

no jornal Zero Hora sobre o tema gravidez na adolescncia.

3.2. Objetivos Especficos.

a). Revisar a literatura acerca da Comunicao da Sade;

b). Revisar a literatura acerca da gravidez na adolescncia;

c). Selecionar uma mostra intencional de peridicos impressos de

circulao estadual, para anlise de seus enquadramentos sobre a gravidez

na adolescncia;

d). Analisar os resultados obtidos.

4. REVISO DE LITERATURA.

4.1. Comunicao da sade.

inegvel a emergncia do campo da Comunicao da Sade

principalmente na ltima dcada, considerada como uma especialidade da sub-

rea da Comunicao Cientfica. Universidades, associaes de pesquisadores,

publicaes voltadas para a rea, organismos governamentais e diversas

organizaes voltadas para a sade no mundo todo, vm demonstrando interesse

em conhecer seus preceitos, utilizar suas estratgias, impulsionar seu

crescimento. E isto, como procurar-se- demonstrar a seguir, derivou tambm

de uma nova viso da sade, a qual estaria mais voltada para noes de

promoo da sade e de preveno da doena, da qual a comunicao no pode

estar separada, pois parte preponderante de um processo que inclui a

apresentao e a avaliao de informao educativa, persuasiva, significante e

atraente, que possa influenciar na mudana de comportamento e resultar em

comportamentos individuais e sociais sadios. Como lembra Alcalay (1999: 192-

193, traduo nossa): A importncia da comunicao no mbito da sade

clara. Existe uma disparidade entre os avanos da medicina e o conhecimento e

a aplicao destes para o pblico.

-------------------------------------------------------------- Captulo 50. Pgs. 774 a 798 -------------

Novas