Green Connection

  • View
    223

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Agosto 2014 | Nº 1

Text of Green Connection

  • Agosto 2014 | N 1 | Mensal | Gratuita

    ADITIVOS ALIMENTARES

    Corantes

    Ativismo Verde | Conservao Ambiental | Veganismo | Ecovilas | Energias Renovveis | Consumo Sustentvel

    GreencONNECTION

    O Lince IbricoFOTO http://www.lynxexsitu.es

  • PUB Ativismo Verde

    VeganismoSustentabilidadeConservao AmbientalEnergias RenovveisAgricultura BiolgicaOrganizaes No-GovernamentaisProteo e Direito dos AnimaisEducao AmbientalEcovilasPermacultura

    G

    ers

    : Van

    essa

    Fra

    na

  • Estatuto Editorial

    1. A Green Connection uma revista mensal, digital, gratuita, de mbito nacional e de informao especializada e independente.

    2. A Green Connection est vocacionada para temas da rea do ativismo verde, veganismo, consumo sustentvel, conservao ambiental, energias renovveis, agricultura biolgica, organiza-es no-governamentais, proteo e direito dos animais, entre outros assuntos relacionados.

    3. A Green Connection surgiu da necessidade de informao e divulgao da sua temtica. O que se prope criar uma cone-xo entre homem e meio ambiente, e alertar para as consequn-cias das suas aes.

    4. A Green Connection pretende contribuir para a divulgao de eventos dentro dos temas enunciados, a realizar em Portugal e no estrangeiro.

    5. A Green Connection pretende tambm ser um meio de contri-buir para o desenvolvimento de cidados ativos, conscientes e participantes.

    6. A Green Connection pauta-se pelo princpio de que os factos e as opinies devem ser claramente separadas: os primeiros so intocveis e as segundas so livres.

    7. A Green Connection independente do poder poltico, do poder econmico e de quaisquer grupos de presso.

    8. A Green Connection ter a liberdade de meno a marcas e produtos sem que tal esteja associado presena ou ausncia de anunciante do artigo mencionado.

    9. A Green Connection acolher contribuies de cidados portu-gueses e no portugueses.

    10. A Green Connection reconhece o direito de resposta a qual-quer pessoa e entidade, privilegia a participao dos leitores e as rubricas de opinio que estaro devidamente identificadas. Todos os contedos fornecidos Green Connection so da inteira responsabilidade dos seus autores.

    11. A Green Connection respeita a Constituio da Repblica Portuguesa e demais Leis da Repblica, designadamente os direi-tos, obrigaes e deveres da Lei de Imprensa e do Cdigo Deon-tolgico dos Jornalistas.

    12. A direo da Green Connection reserva-se ao direito de recu-sar publicidade, sobretudo se a mensagem no se coadunar com o seu objeto editorial, e tambm se o anunciante indiciar prticas danosas das regras de concorrncia ou sociais. Os artigos assina-lados so da exclusiva responsabilidade dos seus autores.

    FICHA TCNICA

    Proprietrio, Editor e Diretor

    Vanessa Silva Frana

    Morada e Sede da Redao

    Rua do Bonjardim, 890

    4000-121 - Porto

    NIF

    255357192

    Nmero de Registo ERC

    126517

    Periodicidade

    Mensal

    Contactos

    +351 932565905

    greenconnection@outlook.pt

    http://greenconnection-m.com

    GREEN CONNECTION

    A Green Connection est disponvel apenas em suporte Eletrnico, acessvel gratuitamente

    atravs do nosso Website:

    http://greenconnection-m.com/edicoes-pdf

    INTERDITA a reproduo para venda, seja qual for o suporte!

    EDIO ESCRITA AO ABRIGO DO NOVO ACORDO ORTOGRFICO

    Connection | 3

  • Candidaturas

    Desde o lanamento do programa LIFE da Comisso Europeia, em 1992, foram nanciados 144 projetos em Portugal.

    As candidaturas 2014-2020 encontram-se abertas. Se tem algum projeto Green, no perca tempo e apresente a sua candidatura.

    Conecte-se ao LIFE, em:

    http://ec.europa.eu/environment/life

    LIFE 2014 - 2020

    PUB

    4 | Green

  • UMRIO

    ALIMENTAOAditivos Alimentares: Corantes 6

    CAPAO Lince Ibrico 10

    Connection | 5

    http://www.lynxexsitu.es

    Corantes: Consumirou evitar? Pg. 6

    Lince, um destino incerto.Pg. 10

  • Atualmente na Unio Europeia existem 24 categorias de aditivos utilizados pela indstria alimentar. Nesta edio iremos falar dos Corantes.O que so os corantes?So substncias utilizadas para introduzir cores nos alimentos.Existem duas categorias de coran-tes, os naturais e os sintticos. Os corantes naturais podem ser de origem vegetal ou animal. J os corantes sintticos so substncias qumicas orgnicas complexas derivadas, por exemplo, do petrleo ou do carvo mineral. Para identifi-car cada um desses aditivos foi-lhes

    atribuda a letra E, e no caso dos corantes os seus nmeros esto todos listados dentro da primeira centena (ex.: E-102, E-131).

    Para que servem?Os corantes servem apenas para melhorar a aparncia dos alimentos conferindo-lhes um aspeto mais atrativo, j que as cores desempe-nham um papel fundamental na escolha dos alimentos.

    So prejudiciais a sade?Depende do tipo, mas a grande maioria, mesmo que seja de origem natural pode prejudicar a sade. Um exemplo de corante no preju-dicial o E 100 - Curcumina.Alguns corantes podem causar urticria, rinites, cancro, alteraes da viso, problemas respiratrios, sndroma de hiperatividade, entre outras reaes alrgicas.

    Os aditivos s deveriam ser utilizados quando no h dvi-das sobre a sua segurana e so a nica via para uma necessi-dade da indstria. No podem servir para induzir em erro e devem trazer benefcios para o consumidor. Mas no raro encontrarmos, nos nossos testes, produtos com aditivos des-necessrios ou enganosos.DECO (2010), Aditivos alimentares: s os seguros e indispensveis. Pgina consultada em 14 de Agosto de 2014, http://www.deco.proteste.pt/alimentacao/seguranca-alimentar/dossie/aditivos-alimentares-seguros-indispensaveis

    6 | Green

  • Porque os corantes prejudiciais a sade no so retirados do mercado?O cigarro tambm prejudicial a sade e mesmo assim continua venda, o mesmo acontece com o uso de alguns corantes na alimentao. Ora, se sabemos os que so prejudiciais e ainda assim continuarmos a consumi--los, poucas sero as indstrias alimentcias que faro alteraes a estes aditivos, como a remoo ou a troca por corantes mais saudveis.

    Mas muitas pessoas no sabem quais so os coran-tes prejudiciais.Este um dilema que poderia estender-se a outras centenas de alimentos, sem contar que algumas pesso-as os consomem mesmo sabendo que esto a prejudi-car a sade. Os rtulos dos produtos, por norma, tm as informaes dos ingredientes, apesar de no ter avisos de que determinados aditivos podem causar problemas de sade. O bom mesmo seria que a indstria alimentar informasse todas as consequncias do consumo dos seus produtos a curto, mdio e longo prazo. Mas imagine que, no supermercado, na seco de doces estava um aviso em letras enormes do tipo:Alguns corantes podem provocar urticria, rinites, alteraes da viso, problemas respiratrios, hiperatividade, fototoxici-dade, cancro...? E se na sesso de carnes e enchidos tivesse este aviso: O consumo de carnes vermelhas e enchidos em excesso (acima de 100 gramas por dia) aumenta significativamente o risco de desenvolver doen-as cardiovasculares e cancro? Ainda assim, infelizmente, muitas pessoas no iriam ler, ou iriam mesmo ignorar, e iriam consumir estes produtos.

    Os estudos nutricionais so feitos, as informa-

    es so publicadas, mas a escolha do

    consumidor.

    E assim sendo, resta-nos deixar um guia rpido sobre os CORANTES e esperar que seja utilizado pelo menos quando for comprar as lam-barices para os midos, e tambm na escolha do alimento para os seus animais de companhia.

    Connection | 7

  • E 100 - Curcumina (C. I. 75 300)E 101 - Riboflavina (e riboflavina-5-fosfato)E 102 - Tartarazina (C. I. 19 140); S - Reaes adversas: urticria, rinites, alteraes da viso, problemas respi-ratrios, sndroma de hiperatividade.E 104 - Amarelo de quinolena (C. I. 47 005); RA 102E 110 - Amarelo-sol FCF (C. I. 15 985) ou amarelo alaranjado S;E 120 - Cochonilha, cido carmnico e carminas (C. I. 75 470); Pode induzir reaes alrgicas em pessoas sensveis.E 122 - Azorubina ou carmosina (C. I. 14 720); RA 102E 123 - Amarante (C. I. 16 185); RA 102E 124 - Ponceau 4 R (C. I. 16 255) ou vermelho cocho-nilha A; RA 102E 127 - Eritrosina (C. I. 45 430); Pode produzir fototoxi-cidade (sensibilidade luz). RA 102.E 128 - Vermelho2 G (C. I. 18 050); RA 102E 129 - Vermelho allura AC (C. I. 16 035)E 131 - Azul patenteado V (C. I. 42 051); RA 102E 132 - Indigotina ou carmim de ndigo (C. I. 73 015); RA 102E 133 - Azul-brilhante FCF (C. I. 42 090); RA 102E 140 - Clorofilas (C. I. 75 810) e compostos derivados, clorofilinas (C. I. 75 815)E 141 - Complexos cpricos das clorofilas e de com-postos derivados (C. I. 75 815)E 142 - Verde S (C. I. 44 090); RA 102E 150a - Caramelo simplesE 150b - Caramelo sulftico custicoE 150c - Caramelo de amnia; Verificou-se que em ratos induz a deficincia de vitamina B6 nesses animais.E 150d - Caramelo sulftico de amniaE 151 - Negro brilhante BN ou negro PN (C. I. 28 440); Em porcos a que se forneceu o corante foram deteta-dos quistos intestinais. RA 102E 153 - Carvo vegetal; Nos EUA foi banido por se admitir que possa provocar o cancro. E 154 - Castanho FK; Experincias com bactrias indicam que possui propriedades mutagnicas (alte-

    raes no material gentico). RA 102E 155 - Castanho HT (C. I. 20 285); RA 102E 160a - Carotenos mistos (C. I. 75 130) e betacarote-no (C. I. 40 800);E 160b - Anato, bixina, e norbixina (C. I. 75 1209)E 160c - Extrato de pimento, capsantina e capsoru-binaE 160d - LicopenoE 160e - Beta-apo-8-carotenal (C 30) (C. I. 40 820)E 160f - ster etlico do cido beta-apo-8-carotnico (C30) (C. I. 40 825)E 161b - LutenaE 161g - CantaxantinaE 162 - Vermelho de beterraba ou betanina; N - Foi verificado em I