Click here to load reader

GUIA DO ALUNO - Início - Agrupamento de Escolas José ... · mento do Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas José ... o Agrupamento de Escolas tem como objetivo, através

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of GUIA DO ALUNO - Início - Agrupamento de Escolas José ... · mento do Regulamento Interno do...

  • 23

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Nota: A informao disponibilizada neste Guia do Aluno no dispensa o conheci-

    mento do Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas Jos Belchior Viegas,

    que pode ser consultado em www.aejbv.pt

    1

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    GUIA DO ALUNO

    PERCURSOS CURRICULARES ALTERNATIVOS

  • 1

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    INTRODUO

    Caro aluno!

    Vamos iniciar um novo ano letivo, com novos desafios e com mais responsa-bilidade.

    Tudo faremos para que a Escola continue a ser um stio onde adquiras conhecimentos, desenvolvas competncias, te faa crescer e te prepare para seres bem sucedido na complexa sociedade atual, que nos exige com-petncia, rigor e esprito crtico.

    Esperamos que continues bem integrado na Escola Secundria Jos Bel-chior Viegas, mantenhas os amigos que j tens, faas novos amigos e te sintas feliz e realizado.

    Estamos certos de que se pautares a tua atuao, mais uma vez, pelos valores da responsabilidade, respeito, compromisso e dedicao, te sen-tirs muito bem nesta escola e sers bem sucedido nos estudos e na tua formao integral.

    Este Guia ser de novo uma ajuda para que possas conhecer os teus direi-tos, os teus deveres e as regras que orientam e facilitam a vida na nossa comunidade.

    L, atentamente, esta sntese com o teu Encarregado de Educao.

    Contamos com a tua colaborao para o seu cumprimento!

    Bem-vindo!

    So Brs de Alportel, 15 de setembro de 2016

    GESTO e ADMINISTRAO

    DIREO SERVIOS ADMINISTRATIVOS

    DIRETORA: Ndia Amaro SUBDIRETORA: Maria Joo Carvalho

    Coordenadora Tcnica: Elsa Lopes (Escola Secundria Jos Bel-chior Viegas)

    ADJUNTOS: Nomia Pires Carlos Guerra Dcio Pica

    GESTORAS DE ALUNOS: Iolanda Fernandes (EB 2,3) Paula Pacheco Paula Viegas.

    COORDENADORA DA ESCOLA EB 2,3 POETA BERNARDO DE PASSOS: Manuela Baptista

    SASE: Glria Cadeiras ngela Loureno

    22

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    PLANO CURRICULAR

    DISCIPLINAS

    Formao Geral

    Portugus

    Matemtica

    Ingls

    Educao Fsica

    Formao Global

    Formao Complementar

    Francs

    Histria - semestral

    Geografia - semestral

    Fsico-Qumica - semestral

    Cincias Naturais - semestral

    Msica

    Oficina de Artes

    Oficina de Informtica

    DIRETORES DE TURMA

    8 ANO PAULA NASCIMENTO

    9 ANO MARIE-LINE GUERREIRO

  • 21

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO

    O Projeto Educativo do nosso Agrupamento tem como meta conseguir uma Escola

    onde a ao educativa seja estimulante, capaz de dinamizar no s o desenvolvi-

    mento acadmico, mas tambm a formao pessoal e social dos alunos.

    Ao pretender proporcionar uma oferta educativa e curricular adequada formao

    dos seus alunos oferece, semelhana de anos letivos anteriores, Percursos Curri-

    culares Alternativos para os jovens que integram esta comunidade escolar.

    Trata-se de uma oferta que visa o sucesso e a promoo da qualificao escolar.

    Pretende garantir-se a todos os cidados uma formao geral comum a todos que

    inter-relacione o saber e o saber fazer, a teoria e a prtica, a cultura escolar e o saber

    do quotidiano.

    Estas turmas funcionam na Escola Secundria Jos Belchior Viegas, local que propi-

    cia um bom ambiente de trabalho, calmo e cordato, conducente a uma maior ateno

    e concentrao e consequente disponibilidade para o desenrolar das atividades leti-

    vas. Pretende ultrapassar-se dificuldades ao nvel do acompanhamento das aulas, da

    desmotivao perante a Escola e enfrentar, de forma eficaz, o abandono escolar pre-

    coce.

    A continuao do sucesso desta iniciativa depende muito do envolvimento dos Encar-

    regados de Educao e das famlias. Contamos com a participao ativa de todos.

    2

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    INTERRUPES

    1. De 19 de dezembro a 2 de janeiro

    2. De 27 de fevereiro a 1 de maro

    3. De 5 a 18 de abril

    Ensino Bsico e Secundrio

    PERODOS INCIO TERMO

    1. Perodo 15 de setembro 16 de dezembro

    2. Perodo 3 de janeiro 4 de abril

    3. Perodo 19 de abril 6 de junho9Ano 16 de junho 8 Ano

    SERVIOS - Horrios

    Papelaria/Reprografia 9:00 - 17:00

    Refeitrio 12:15 - 14:15

    Bar dos alunos 9:00 - 17:15

    Servios Administrativos/SASE 9:00 - 16:00

    Biblioteca 8:20 - 17:00

    C

    A

    L

    E

    N

    D

    R

    I

    O

    E

    S

    C

    O

    L

    A

    R

  • 3

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Cacifos

    No incio do ano letivo, podes ir Repro-

    grafia/Papelaria para usufruir de um caci-

    fo. Os cacifos grandes podem ser parti-

    lhados.

    Ptios, Corredores e Recreios

    A preservao dos espaos verdes

    uma preocupao da nossa escola.

    Cuida destes espaos e mantm as

    redes de vedao que circundam o

    recinto escolar em bom estado de con-

    servao. Em momento algum devers

    utiliz-las para entrar ou sair do recinto.

    No permitida a permanncia de pes-

    soas em frente das janelas das salas

    de aula.

    Poders jogar bola apenas nos espa-

    os expressamente destinados s ativi-

    dades desportivas, desde que tal no

    prejudique as aulas que a decorrem.

    Perante a infrao a esta regra, docen-

    tes e funcionrios podero retirar as

    bolas.

    No permaneas nos corredores pois

    estes destinam-se expressamente ao

    acesso s salas de aula.

    Telemveis e aparelhos de som

    O uso de telemveis e aparelhos de som

    expressamente proibido nas salas de

    aula. Os telemveis devem permanecer

    desligados. Perante o incumprimento

    destas regras, sairs da sala de aula com

    falta disciplinar.

    No deves trazer estes ou outros objetos

    de valor para a escola pois, em caso de

    dano ou furto, esta no assume qualquer

    responsabilidade.

    O nosso Agrupamento proporciona-te diferentes Projetos de Desenvol-vimento Educativo, nos quais te podes inscrever.

    Educao para a Sade; Desporto Escolar; Viver a Europa; Projeto Erasmus +;

    Projetos na rea do ambiente e sustentabilidade; Escola solidria.

    NORMAS DE CONDUTA

    20

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    QUADRO DE VALOR

    De acordo com o Projeto Educativo, o Agrupamento de Escolas tem como objetivo,

    atravs do Quadro de Valor, reconhecer e valorizar anualmente os alunos que se

    destacam, revelando grandes capacidades ou atitudes exemplares em pelo menos

    uma das vertentes da sua formao humana, por mrito pessoal e/ou social, no

    mbito da sua participao em atividades, internas ou externas, do Agrupamento.

    O processo de nomeao e deciso, encontra-se definido no Regulamento Interno

    Categorias:

    1 Cidadania;

    2- Solidariedade / Voluntariado;

    3 Humanidades;

    4 Cincias;

    5- Tecnologias;

    6 Artes;

    7 Desporto.

    SELO DE QUALIDADE

    Alm do reconhecimento dos Quadros de Excelncia e de Valor, a Direo pretende

    ainda valorizar e reconhecer trabalhos ou prestaes/participaes em atividades

    que se destaquem pela sua excelncia, originalidade, rigor cientfico ou superao

    das dificuldades dos alunos dos cursos regulares, P.C.A., Profissionais, atravs da

    atribuio de um Selo de Qualidade, sendo esta da responsabilidade de um professor

    ou do Conselho de Turma, nos termos do Regulamento Interno..

  • 19

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    QUADROS DE EXCELNCIA E VALOR E

    SELO DE QUALIDADE

    Com o objetivo de promover o sucesso dos alunos, foram definidos em reunio de

    Conselho Pedaggico, os critrios para integrao dos alunos nos Quadros de Valor

    e Excelncia, os quais constam no Regulamento Interno.

    QUADRO DE EXCELNCIA

    De acordo com o Projeto Educativo, o Agrupamento de Escolas pretende, atravs do

    Quadro de Excelncia, valorizar e reconhecer anualmente o excelente sucesso esco-

    lar dos alunos dos cursos regulares, Percursos Curriculares Alternativos e Cursos

    Profissionais.

    Requisitos mnimos para todos os alunos:

    Assiduidade: ausncia de faltas injustificadas;

    Comportamento: Bom (o aluno no pode ter sido objeto de procedimento

    disciplinar);

    Aproveitamento: nenhuma classificao negativa. A pontuao calculada

    com base nos resultados finais, aps avaliao externa, se existir.

    Processo de Seleo:

    90% da pontuao mxima;

    E.M.R. e Formao Global no so consideradas.

    4

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Balnerios

    Devem ser utilizadas exclusivamente para o fim a que se destinam e a sua higiene

    deve ser rigorosamente mantida.

    Durante os perodos de aula, os vestirios permanecem fechados chave, no

    podendo nenhum aluno ter acesso aos mesmos.

    Os balnerios permanecem abertos.

    Devers entregar os objetos de valor ao funcionrio do pavilho; este coloca-os

    numa caixa que fica sua guarda. No final da aula, os objetos ser-te-o restitudos

    segundo o mesmo processo.

    obrigatrio tomar banho aps as aulas prticas de Educao Fsica.

    Laboratrios

    Tens acesso s instalaes quando estiveres acompanhado de um professor. As

    regras de funcionamento em laboratrio, dadas a conhecer pelo teu professor,

    devem ser respeitadas. Aps a realizao de atividades experimentais, deves colo-

    car o material no respetivo lugar, permitindo assim o bom funcionamento das aulas

    posteriores.

    Refeitrio

    As ementas so semanais e so afixadas na papelaria e sala de alunos.

    As refeies so adquiridas ,atravs do carto eletrnico, nos dias anteriores ou no

    prprio dia at s 10h com uma taxa de multa legalmente definida de 0,30 uros.

    hora de almoo, deves formar fila no acesso ao refeitrio e aguardar a tua vez.

    Deves respeitar e acatar as ordens das funcionrias responsveis.

    Deves exibir um comportamento calmo e ordeiro na rea de refeies.

    Aps a refeio os tabuleiros devero ser colocados no local prprio para o efeito.

  • 5

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Bar dos Alunos

    O consumo de qualquer produto no bufete realizado mediante a apresentao do

    carto eletrnico.

    Deve respeitar-se a vez na utilizao dos servios do bufete.

    Tudo o que for levado para as mesas deve ser transportado em tabuleiros prprios

    que devem ser colocados no balco do bufete, aps a sua utilizao.

    Todo o lixo deve ser colocado nos recipientes prprios, respeitando as regras de

    reciclagem.

    O prerio de todos os alimentos afixado em local visvel.

    Sala de Convvio

    A sala de convvio o local da escola utilizado pelos alunos, nos intervalos e nos

    perodos sem aulas.

    O mobilirio existente na sala de convvio deve ser conservado em boas condies.

    Devem ser evitadas as manifestaes ruidosas, as atitudes e os comportamentos

    violentos.

    Os alunos tm o dever de informar o funcionrio em servio na rea, sempre que

    detetem no seu interior elementos estranhos escola.

    Instalaes Sanitrias

    As instalaes sanitrias devem ser utilizadas exclusivamente para o fim a que se

    destinam.

    A sua higiene deve ser rigorosamente mantida.

    18

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Justificao de faltas (Artigo 16)

    Prazo Previamente (quando possvel)

    3 dias teis aps a falta

    Para os alunos menores de 16 anos, independentemente da modalidade de ensi-

    no frequentada, a violao dos limites de faltas previstos pode obrigar ao cumpri-

    mento de atividades, a definir pela escola, que permitam recuperar atrasos na

    aprendizagem e ou a integrao escolar e comunitria do aluno e pelas quais os

    alunos e os seus encarregados de educao so corresponsveis (Artigo 20).

  • 17

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    ASSIDUIDADE

    ESTATUTO DO ALUNO E TICA ESCOLAR (Lei n. 51/2012 de 5 de setembro)

    DEVER DE ASSIDUIDADE

    Para alm do dever de frequncia da escolaridade obrigatria, nos termos da lei, os

    alunos so responsveis pelo cumprimento do dever de assiduidade.

    Os pais e encarregados de educao dos alunos menores de idade so responsveis

    conjuntamente com estes pelo cumprimento da assiduidade.

    O dever de assiduidade implica para o aluno quer a presena e a pontualidade na

    sala de aula e demais locais onde se desenvolva o trabalho escolar, quer uma atitude

    de empenho intelectual e comportamental adequada, de acordo com a sua idade, ao

    processo de ensino e aprendizagem. (Artigo 13)

    FALTA

    A falta a ausncia do aluno a uma aula ou a outra atividade de frequncia obrigat-

    ria ou facultativa caso tenha havido lugar a inscrio, a falta de pontualidade ou a

    comparncia sem o material didtico ou equipamento necessrios, nos termos esta-

    belecidos no presente Estatuto (Artigo 14).

    As faltas injustificadas no podem exceder o dobro do nmero de tempos letivos

    semanais por disciplina (Artigo 18);

    As faltas resultantes da aplicao da ordem de sada da sala de aula, ou de medi-

    das disciplinares sancionatrias, consideram -se faltas injustificadas (Artigo 14);

    O regulamento interno da escola define o processo de justificao das faltas de

    pontualidade do aluno e ou resultantes da sua comparncia sem o material didti-

    co e ou outro equipamento indispensveis, bem como os termos em que essas

    faltas, quando injustificadas, so equiparadas a faltas de presena (Artigo 14)

    6

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Biblioteca

    A biblioteca encontra-se dividida em duas salas: centro de aprendizagem e

    sala que contm o fundo documental.

    O centro de aprendizagem uma sala polivalente onde poders efetuar traba-

    lhos de grupo, aceder aos manuais das disciplinas e usar os recursos tecnol-

    gicos.

    Na biblioteca irs encontrar recursos adequados tua atividade letiva, que

    devem ser consultados com regularidade.

    A biblioteca da tua escola encontra-se integrada na rede de bibliotecas do

    concelho de So Brs de Alportel e, a partir do portal http://sba-bibliotecas.pt,

    poders aceder aos recursos de cada uma das instituies.

    Para procederes requisio, devoluo ou reserva de qualquer documento,

    poders usar a plataforma online disponvel em http://biblioteca.cm-

    sbras.pt/biblionet.

    Poders encontrar no espao da biblioteca vrios recursos tecnolgicos,

    como sala apetrechada de computadores, T.V. com leitor de DVDs e WIFI.

    Na biblioteca tens o suporte permanente de uma funcionria e poders con-

    tar, ainda, com o apoio de uma equipa multidisciplinar de professores.

    Devers cumprir as normas de funcionamento da biblioteca e do Regulamen-

    to Interno do Agrupamento.

  • 7

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    NORMAS DE UTILIZAO DO

    CARTO ELETRNICO

    O Carto Eletrnico um sistema informtico de que os alunos dispem

    para utilizao na portaria, servios administrativos, ao social escolar

    (ASE), refeitrio, bufetes, reprografia e papelaria.

    O Carto da Escola pessoal e intransmissvel tendo impresso a fotografia

    do aluno e a identificao da escola. Sempre que utilizado aparece a res-

    petiva fotografia no monitor, permitindo dessa forma comprovar a proprieda-

    de do mesmo.

    A primeira via do carto atribuda gratuitamente a todos os alunos e entre-

    gue pelo diretor de turma no primeiro dia de aulas Quando o aluno perde,

    extravia ou danifica o seu carto, deve solicitar um novo carto. Cada carto

    de substituio ter um custo de 5.00 euros.

    O Carto funciona como documento de identificao para o controlo de

    entradas e sadas do recinto da escola.

    O carregamento de cartes efetuado na papelaria da escola. O montante

    mnimo por carregamento de 2.00, salvo situao devidamente funda-

    mentada e decidida pela Direo. Aps o carregamento, feito contra a entre-

    ga de numerrio, impresso um talo comprovativo do valor carregado no

    carto.

    16

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    A adaptao dos currculos em conformidade com as caractersticas dos grupos

    de alunos; uma oferta diversificada de cursos com vista integrao de alunos

    que apresentem perfis diferenciados, tendo em conta os seus interesses e o con-

    texto scio-profissional local e regional (PCAs e Cursos Profissionais);

    A realizao de projetos, quer na aula, quer noutros espaos, fomentando formas

    alternativas de aprendizagem;

    A eficcia da comunicao entre os diferentes elementos da comunidade educati-

    va, de forma a facilitar a integrao de todos os alunos;

    A continuidade da equipa pedaggica ao longo do ciclo.

  • 15

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    O AGRUPAMENTO VALORIZA ALGUNS FATORES DE

    SUCESSO COMO

    A articulao entre os vrios Ciclos do Ensino ;

    A implementao ao longo dos ciclos de um programa de orientao vocacional e

    profissional;

    A diversificao/atualizao de estratgias metodolgicas aplicadas nas aulas

    em funo das dificuldades e progressos evidenciados;

    A definio de critrios de avaliao dos alunos e sua comunicao aos Encarre-

    gados de Educao;

    A reflexo nas diferentes estruturas de orientao educativa sobre os resultados

    obtidos em cada perodo escolar com vista reformulao de estratgias;

    A participao efetiva nas atividades de Complemento Curricular;

    A adequao dos Projetos de Turma s necessidades especficas dos alunos,

    com base na identificao dos contedos essenciais e tendo como referncia as

    competncias que os alunos devem atingir no final de cada ciclo;

    A melhoria da integrao dos alunos e preveno do abandono escolar; a diversi-

    ficao de estratgias e mtodos educativos de acordo com as necessidades

    especficas dos alunos;

    NO CUMPRIMENTO DOS DEVERES

    A violao pelo aluno de algum dos deveres previstos no ponto anterior, em termos

    que se revelem perturbadores do funcionamento normal das atividades da escola ou

    das relaes no mbito da comunidade educativa, constitui infrao, passvel da apli-

    cao de medida corretiva ou medida disciplinar sancionatria.

    8

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    O pagamento de fotocpias e impresses na reprografia feito com o car-

    to, bem como a aquisio de material didtico na papelaria da escola.

    A aquisio de produtos no bar igualmente feita com o carto.

    A marcao e pagamento de refeies efetuada com o carto no quios-

    que. Cada carto s d direito a adquirir uma refeio por dia.

    A compra das refeies pode ser efetuada, a partir de sexta feira, para a

    semana seguinte, ou no dia anterior ao dia do almoo. No entanto, at s

    10h00 do prprio dia, possvel comprar a refeio, qual acrescer o valor

    de taxa de multa legalmente definido (0,30 uros).

    A ttulo excecional e em situaes devidamente justificadas, possvel anu-

    lar as senhas de refeio at s 10h00 do prprio dia. Para o efeito, os alu-

    nos devem dirigir-se aos, servios administrativos e solicitar a respetiva anu-

    lao.

    Para alm da marcao de refeies, nos quiosques, os alunos e encarrega-

    dos de educao podem consultar o valor do seu saldo e saber quais os

    movimentos do carto,

    Os encarregados de educao podem, em situaes devidamente justifica-

    das, solicitar aos servios de ASE, listagens de movimentos do carto de

    seu educando, ou consultar registos de entradas e sadas da escola.

    Os utilizadores do carto que deixem de ser utentes/colaboradores da esco-

    la e permaneam com saldo no seu carto, tero 15 dias teis para se diri-

    girem aos SASE para estes procederem sua devoluo, aps o que no

    possvel efetuar tal devoluo.

  • 9

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    DIREITOS E DEVERES GERAIS DOS ALUNOS

    O Estatuto do Aluno e tica Escolar dos Ensinos Bsico e Secundrio, insti-

    tudo pela lei n51/ 2012, de 5 de setembro e o Regulamento Interno da Esco-

    la, estabelecem os respetivos direitos e deveres gerais e consagram um cdi-

    go de conduta que contempla regras de convivncia e disciplina que devem

    ser conhecidas e observadas por todos os elementos da Comunidade Educa-

    tiva.

    DIREITOS GERAIS DOS ALUNOS

    Ser tratado com respeito e correo por qualquer membro da comunidade edu-

    cativa;

    Usufruir do ensino e de uma educao de qualidade de acordo com o previsto

    na lei, em condies de efetiva igualdade de oportunidades no acesso, de forma

    a propiciar a realizao de aprendizagens bem sucedidas;

    Usufruir de um ambiente e de um Projeto Educativo que proporcionem as condi-

    es para o seu pleno desenvolvimento fsico, intelectual, moral, cultural e cvi-

    co, para a formao da sua personalidade;

    Ver reconhecidos e valorizados o mrito, a dedicao, a assiduidade e o esforo

    no trabalho e no desempenho escolar e ser estimulado nesse sentido;

    Ver reconhecido o empenhamento em aes meritrias, em favor da comunida-

    de em que est inserido ou da sociedade em geral, praticadas na escola ou fora

    dela, e ser estimulado nesse sentido;

    Usufruir de um horrio escolar adequado ao ano frequentado, bem como de

    uma planificao equilibrada das atividades curriculares e extracurriculares,

    nomeadamente as que contribuem para o desenvolvimento cultural da comuni-

    dade;

    Beneficiar, no mbito dos servios de ao social escolar, de um sistema de

    apoios que lhe permitam superar ou compensar as carncias do tipo scio-

    familiar, econmico ou cultural que dificultam o acesso escola ou o processo

    de ensino;

    14

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    No captar sons ou imagens, designadamente, de atividades letivas e no leti-

    vas, sem autorizao prvia dos professores, dos responsveis pela direo da

    escola ou superviso dos trabalhos ou atividades em curso, bem como, quando

    for o caso, de qualquer membro da comunidade escolar ou educativa cuja ima-

    gem possa, ainda que involuntariamente, ficar registada;

    No difundir, na escola ou fora dela, nomeadamente, via Internet ou atravs de

    outros meios de comunicao, sons ou imagens captados nos momentos letivos

    e no letivos, sem autorizao da direo da escola;

    Respeitar os direitos de autor e de propriedade intelectual;

    Apresentar -se com vesturio que se revele adequado, em funo da idade,

    dignidade do espao e especificidade das atividades escolares, no respeito

    pelas regras estabelecidas na escola;

    Reparar os danos por si causados a qualquer membro da comunidade educativa

    ou em equipamentos ou instalaes da escola ou outras onde decorram quais-

    quer atividades decorrentes da vida escolar e, no sendo possvel ou suficiente a

    reparao, indemnizar os lesados relativamente aos prejuzos causados.

    LEMBRA-TE

    Tu s parte integrante e fundamental da comunidade educativa. Deves ser respons-

    vel e fomentar o sentido de responsabilidade nos outros! Eis alguns conselhos que

    podem tornar o nosso espao escolar ainda mais aprazvel:

    Utiliza de forma cvica os servios de apoio, equipamentos e instalaes - Zelar

    para usar!

    Mantm em boas condies o teu cacifo e o dos outros - Cuidar e no vandali-

    zar!

    Adota estilos de vida saudveis prevenindo o consumo de substncias aditivas

    como o lcool, o tabaco e drogas - Prevenir para sorrir!

    Envolve-te e envolve os teus professores, funcionrios e outros alunos em ativida-

    des de educao alimentar - Bem comer para bem crescer!

    Toma conscincia da importncia da higiene pessoal - Lavar para bem cheirar!

    Respeita o ambiente Prevenir para usufruir!

    Mantm um nvel de segurana eficaz. - Tratar para bem estar!

    Sensibiliza os teus Pais/Encarregados de Educao para a necessidade de coo-

    perarem com a Escola. - Envolver para bem crescer!

  • 13

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    No transportar quaisquer materiais, equipamentos tecnolgicos, instrumentos ou engenhos passveis de, objetivamente, perturbarem o normal funcionamento das atividades letivas, ou poderem causar danos fsicos ou morais ao aluno ou a ter-ceiros.

    No praticar qualquer ato ilcito;

    No utilizar quaisquer equipamentos tecnolgicos, designadamente, telemveis,

    MP3/4, iPods, iPhones, equipamentos, programas ou aplicaes informticas, nos locais onde decorram aulas ou outras atividades formativas ou reunies de rgos ou estruturas da escola em que participe, exceto quando a utilizao de qualquer dos meios acima referidos esteja diretamente relacionada com as ativi-dades a desenvolver e seja expressamente autorizada pelo professor ou pelo responsvel pela direo ou superviso dos trabalhos ou atividades em curso;

    Respeitar a autoridade do professor;

    Acatar, disciplinarmente, todas as disposies escritas ou orais referentes ao

    funcionamento da vida escolar, emitidas pelos rgos competentes e manter dentro e fora da escola, o decoro que a esta devido;

    No se recusar a abandonar a sala de aula, sempre que se encontrem a pertur-bar o normal funcionamento da mesma e o professor assim lho tenha ordenado;

    Sempre que os alunos causem prejuzos materiais, sejam eles em bens do esta-do ou bens particulares, nas instalaes da Escola ou na sua esfera de ao, cabe-lhes a correspondente responsabilidade pecuniria, independentemente de quaisquer sanes disciplinares que lhe sejam igualmente aplicadas;

    O disposto no nmero anterior no ter efeitos em situaes que decorram da

    utilizao normal do material didtico;

    Manter e contribuir para a manuteno da operacionalidade das instalaes e de

    todos os outros pertences da escola, evitando depredaes e mesmo consumos inteis;

    No entrar ou permanecer em locais da Escola em que a sua presena no seja justificada por necessidades escolares. Excetuam-se, como evidente, todas as dependncias afetas a convvio, lazer, ocupao de tempos livres e as que as autoridades escolares isentem de restries de ocupao;

    vedado aos alunos o acesso sala dos professores, a no ser por razes devi-

    damente justificadas;

    proibido permanecer nas salas de aula aps o toque de sada;

    Dirigir-se para as salas de aula ou para qualquer outro local de trabalho logo que

    seja emitido o respetivo sinal sonoro, evitando atrasos ou atropelos indesejveis;

    proibido aos alunos qualquer distrbio ou desrespeito pelo trabalho dos outros,

    bem como o recurso ao insulto, violncia ou formas que a apregoem;

    Realizar os atos ou tarefas de que seja incumbido por qualquer autoridade esco-

    lar no exerccio das competncias que lhe so atribudas, evitando confrontos de qualquer espcie;

    Conhecer e cumprir o estatuto do aluno, as normas de funcionamento dos servi-os da escola e o regulamento interno da escola;

    proibida a circulao dos alunos nos corredores, durante os tempos letivos;

    10

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    Poder usufruir de prmios que distingam o mrito;

    Beneficiar de outros apoios especficos, necessrios s suas necessidades

    escolares ou s suas aprendizagens, atravs dos servios de psicologia e orien-

    tao ou de outros servios especializados de apoio educativo;

    Ver salvaguardada a sua segurana na escola e respeitada a sua integridade

    fsica e moral, beneficiando, designadamente, da especial proteo consagrada

    na lei penal para os membros da comunidade escolar;

    Ser assistido, de forma pronta e adequada, em caso de acidente ou doena

    sbita, ocorrido ou manifestada no decorrer das atividades escolares;

    Ver respeitada a confidencialidade dos elementos constantes do seu Processo

    Individual, de natureza pessoal ou relativos sua famlia;

    Utilizar adequadamente as instalaes a si destinadas e outras;

    Participar na elaborao do Projeto Educativo e do Regulamento Interno do

    Agrupamento de Escolas, conhec-lo e ser informado em termos adequados

    sua idade e ao ano frequentado, sobre todos os assuntos que justificadamente

    sejam do seu interesse, incluindo o plano de emergncia, e, em geral, sobre

    todas as atividades e iniciativas relativas ao Projeto Educativo da Escola e Pro-

    jeto de Turma;

    Apresentar crticas e sugestes relativas ao funcionamento do Agrupamento de

    Escolas;

    Ser ouvido em todos os assuntos que lhe digam respeito pelos Professores,

    Diretores de Turma e rgos de Administrao e Gesto do Agrupamento;

    Eleger e ser eleito para rgos, cargos e demais funes de representao no

    mbito da Escola, nos termos da legislao em vigor e do Regulamento Interno;

    Organizar e participar em iniciativas que promovam a sua formao e ocupao

    de tempos livres;

    Participar no processo de avaliao, nomeadamente atravs dos mecanismos

    de auto e heteroavaliao;

    Beneficiar de medidas, a definir pela escola, adequadas recuperao da

    aprendizagem nas situaes de ausncia devidamente justificada s atividades

    escolares.

  • 11

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    O aluno tem ainda direito a ser informado sobre todos os assuntos que

    lhe digam respeito, nomeadamente:

    O modo de organizao do seu Plano de Estudos ou Curso, Programa e Compe-tncias Essenciais de cada disciplina ou rea Disciplinar, Critrios e Instrumentos de Avaliao, em linguagem adequada sua idade e nvel de ensino frequentado;

    Matrcula; Abono de Famlia e regimes de candidatura a Apoios Scio-educativos;

    Normas de utilizao e de segurana dos materiais e equipamentos das Escola;

    Normas de utilizao de instalaes especficas, designadamente Biblioteca, Laboratrios, Refeitrio e Bufete;

    Iniciativas em que possa participar e de que a escola tenha conhecimento;

    O modo de organizao do seu Processo Individual onde so registados os ele-mentos relevantes no percurso educativo do Aluno, designadamente comporta-mentos meritrios e condutas perturbadoras. O Processo Individual acompanha o aluno ao longo do seu percurso escolar, devendo ser devolvido ao seu Encarrega-do de Educao ou ao aluno, quando maior, no termo da Escolaridade Obrigatria, ou, no se verificando interrupo no prosseguimento de estudos, aquando da concluso do Ensino Secundrio;

    Regulamento Interno do Agrupamento;

    avaliao formativa; calendarizao de atividades e de momentos formais de avaliao;

    ocupao plena dos seus tempos escolares.

    REPRESENTAO DOS ALUNOS

    Direito Representao

    So direitos de representao dos alunos os que a seguir se designam:

    Os alunos podem reunir-se em assembleia de alunos, ou assembleia-geral de

    alunos e so representados pelo delegado ou subdelegado de turma e pela

    assembleia de delegados de turma;

    O delegado e o subdelegado de turma tm o direito de solicitar a realizao de

    reunies da turma para apreciao de matrias relacionadas com o funcionamento

    da mesma, sem prejuzo do cumprimento das atividades letivas;

    Por iniciativa dos alunos ou por sua prpria iniciativa, o diretor de turma pode soli-

    citar a participao dos representantes dos pais e encarregados de educao dos

    alunos da turma na reunio referida no nmero anterior;

    No podem ser eleitos ou continuar a representar os alunos nos rgos ou estrutu-

    ras da escola aqueles a quem seja ou tenha sido aplicada, nos ltimos dois anos

    escolares, medida disciplinar sancionatria superior de repreenso registada ou

    sejam, ou tenham sido nos ltimos dois anos escolares, excludos da frequncia

    de qualquer disciplina ou retidos em qualquer ano de escolaridade por excesso

    grave de faltas, nos termos do presente Estatuto.

    12

    Agrupamento de Escolas de Jos Belchior Viegas Guia do Aluno PCA

    DEVERES DOS ALUNOS

    Est consagrado no Regulamento Interno um conjunto de deveres gerais

    dos alunos que favorecem a sua responsabilizao, enquanto elementos

    nucleares da Comunidade Educativa.

    Estudar, empenhando-se na sua educao e formao integral;

    Ser assduo, pontual e empenhado no cumprimento de todos os seus deveres no

    mbito das atividades escolares;

    Seguir as orientaes dos professores relativas ao seu processo de ensino e

    aprendizagem;

    Tratar com respeito e correo qualquer membro da comunidade educativa, no

    podendo, em caso algum, discriminar em razo da origem tnica, sade, sexo,

    orientao sexual, idade, identidade de gnero, condio econmica, cultural ou

    social, ou convices polticas, ideolgicas, filosficas ou religiosas;

    Ser leal para com todos os membros da comunidade educativa;

    Respeitar a autoridade e as instrues do pessoal docente e no docente;

    Contribuir para a harmonia da convivncia escolar e para a plena integrao de

    todos os alunos; na escola

    Participar nas atividades educativas ou formativas desenvolvidas na escola, bem

    como nas demais atividades organizativas que requeiram a participao dos alu-

    nos;

    Respeitar a integridade fsica e psicolgica de todos os membros da comunidade

    educativa, no praticando quaisquer atos, designadamente violentos, indepen-

    dentemente do local ou dos meios utilizados, que atentem contra a integridade

    fsica, moral ou patrimonial dos professores, pessoal no docente e alunos;

    Prestar auxlio e assistncia aos restantes membros da comunidade educativa,

    de acordo com as circunstncias de perigo para a integridade fsica, psicolgica e

    moral dos mesmos;

    Zelar pela preservao, conservao e asseio das instalaes, material didtico,

    mobilirio e espaos verdes da escola, fazendo uso correto dos mesmos;

    Participar na eleio dos seus representantes e prestar-lhe toda a colaborao;

    Conhecer e cumprir o estatuto do aluno, as normas de funcionamento dos servi-

    os da escola e o regulamento interno, subscrevendo declarao anual de aceita-

    o do mesmo e de compromisso ativo quanto ao seu cumprimento integral;

    No possuir e no consumir substncias aditivas, em especial drogas, tabaco e

    bebidas alcolicas, nem promover qualquer forma de trfico, facilitao e consu-

    mo das mesmas;

    Permanecer na escola durante o seu horrio, salvo autorizao escrita do encar-

    regado de educao ou da direo da escola.