Guia Pratico Do Pescador

Embed Size (px)

Text of Guia Pratico Do Pescador

  • GUIA PRATICO DO

    PESCADOR

  • Agradecimentos

    Esta obra foi preparada no Servico de Tecnologia da Pesca, Diviso das Industrias da Pesca, do Departamento da Pesca da FAO.

    Ao longo de vrios anos, diversos especialistas e consultores em Tecnologia da Pesca trabalharam na preparagdo deste Guia. Temos que Ihes exprimir os nossos agradecimentos pois, sem a sua contribuico, este trabalho no poderia ter sido levado a bom termo. Por outro lado, agradecemos tambm aos mestres de pesca especialistas da FAO que trabalham em diversos paises pelo seu trabalho de reviso do manuscrito, bem como pelos seus conselhos competentes. Dirigimos tambm os nossos agradecimentos aos desenhadores do Departamento de Pesca da FAO pela preparaco das ilustrages.

    Um agradecimento muito especial d EPP - Escola Portuguesa de Pesca e ao FORPESCAS - Centro de Formacdo Profissional para o Sector das Pescas, face compreensdo e interesse manisfestados, o que em muito contribuiu para a boa execuco do trabalho da verso em lingua portuguesa.

  • GUIA PRATICO DO

    PESCADOR

    Coordenacdo de J. Prado Divisdo das Industrias da Pesca, F.A.O,

    Em colaboracdo com P. Y. Dremiere IFREMER, Sete, Franca

    Traducdo e adaptacdo por A.M. Leite DGP, Lisboa, Portugal

    Publicado de acordo com

    A ORGANIZACAO DAS NACES UNIDAS PARA A AGRICULTURA E A ALIMENTACAO

    e com o concurso da Escola Portuguesa de Pesca e do Centro Profissional FORPESCAS

    por EDITAMAR, Ediges Maritimas, Lda.

    R. Conde Redondo, 76, A- Esq. HOOLISBOA- PORTUGAL

  • Editamar, Edices Maritimas, Lda. R. Conde Redondo, 76, 4 Esq, 1100 LISBOA-PORTUGAL

    ISBN - 972 - 95458 - 0 - 4

    Depsito Legal N. 21 452/88

    Impresso em Portugal ACO (Irmos), Lda. R. das Fontainhas, 80 1300 Lisboa

    Fotocomposigo ESPACOLASER, LDA. Travessa de Alcntara, 6 Loja 10 1300 Lisboa

    Nota: as designagdes utilizadas na presente publicaco e a apre-sentagdo dos dados nela constantes ndo implicam, da parte da Organizacdo das Naces Unidas para a Agricultura e a Alimen-tacdo e da Secretariade Estado das Pescas de Portugal, qualquer tomada de posicdo quer quanto ao estatuto juridico dos paises, territrios, cidades ou zonas, ou das respectivas autoridades, quer quanto ao tracado das suas fronteiras ou limites.

    1990. F.A.O.

    Nenhuma parte desta publicacdo pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer forma ou qualquer processo, electrnico, mecnico ou fotogrfico, incluindo fotocpia, xerocpia ou gravaco, sem autorizacdo prvia e escrita do titular dos direitos de autor. Exceptua-se, naturalmente, a transcrico de peduenos textos ou passagens para apresehtago ou critica do livro. Esta excepgo no deve, de modo nenhum, ser interpretada como sendo extensiva d transcrico de textos em recolhas antolgicas ou similares dos quais resulte prejuizo para o interesse pela obra. Os transgressores so passiveis de procedimento judiclal. Os pedidos de autorizagdo para reproduco de quaisquer excer-tos da obra deverdo ser solicitados ao Director de Publicaces da F.A.O., Via delle Terme di Caracalla, 00100 Roma, Itdlia.

  • Notas

    Profissionais da pesca maritima ou costeira, pescadores, armadores ou instrutores, "O guia pratico do pescador" e um instrumento de trabalho de campo concebido para ser guardado no bolso e estar, assim, sempre d disposicdo, quer no mar, quer em terra. Ele contem o essencial, o que e indispensdvel saber para a escolha, a encomenda e a utilizacdo dos materiais e auxiliares de pesca.

    Na primeira parte, "Materiais e acessorios", sdo passados em revista os diversos elementos constitutivos dos materiais de pesca (com exemplos) e a forma como sdo utilizados nas artes e tecnicas de pesca. O conteudo desta primeira parte auxiliar-vos-d na escolha e encomenda de materiais.

    A segunda parte, "Artes e operacdes de pesca", ajudar-vos-d na escolha das- caractensticas das artes de pesca e na sua utilizagdo.

    A terceira parte, "Auxiliares e aparelhos de manobra", relembra alguns principios de funcionamento e fornece exemplos de equipamentos auxiliares e de manobra.

    Uma ultima parte, "Exploracao de Navios de Pesca", contem algumas informages dcerca de diversos elementos de exploracdo de uma unidade de pesca e respectiva andlise. Esta parte fornecer-vos-d algumas referencias que vos poderdo auxiliar, particularmente no capitulo das previsdes de custos de exploragdo e de lucros.

    No final da obra encontram-se "Formulas e tabelas, equivalencias e conversao de unidades" e, para terminar, algumas recomen- daces para a realizacdo de encomendas de materiais

  • As tecnologias em uso no derivam, no essencial, de uma ciencia absoluta e imutdvel mas, pelo contrdrio, de um conhecimento empirico e de um saber fazer muito varidvel e variado segundo as regies, Deste modo, "O guia pratico do pescador" ndo apresenta, no fundamental, nem regras nem formulas absolutas que respondam a todas as questdes, mas sim indicacbes intrinsecamente ligadas ds utilizagbes mais amplamente difundidas na pesca profissional, com a finalidade de informar e orientar nas opces que se apresentam e de acordo com a experiencia e o conhecimento do meio, "O guia prtico do pescador" abrange uma gama enorme de materiais e de tecnologias, Por outro lado, ndo pretende ser completo e responder a todas as questbes. Deste modo, "espacos em branco" foram propositamente incluidos para possibilitar observaces e apontamentos a partir do saber fazer individual, dos hdbitos de trabalho e do conhecimento dos meios disponiveis no local de trabalho.

  • Indice de assuntos

    Indice de palavras chave

    Materiais e acessrios

    DENSIDADE Densidade dos materiais

    Peso na dgua. peso na dgua de uma rede armada (rede de emalhar)

    RESISTENCIA DE ACESSORIOS FORJADOS

    Carga mdxima de utilizagdo, carga de ruptura, coeficiente de segurana

    FIBRAS SINTETICAS Nomes comerciais Caracteristicas fisicas Identificao

    FIOS Numeragoes, tex, denier, metros/kg, diametro Cdlculo do tex Equivalencia dos sistemas de titulao Nylon (poliamida PA), multifilamento torcido e entrancado Nylon (poliamida PA), monofilamento e multimono- filamento, numerao japonesa Poliester (PES), polietileno (PE), polipropileno (PP)

    CABOS De fibras vegetais De fibras sinteticas, cocha N6s de juno, alas Ns para fixaes, amarraes Nos para amarragoes, voltas Perda de resistencia a ruptura devida a nos e costuras Cabos mistos(l) Cabos mistos (2) Cabos de montagem com flutuagdo ou lastrados ..

    CABOS DE AQO Estrutura, didmetro e utilizagdo Galvanizados: caracteristicas Manuteno Tambores, patesgas, cerra cabos De pequeno diametro

    MALHAS Sistemas de medigdo das malhas em diferentes paises

    PANOS DE REDE N6s e reforgos/malhas reforgadas Tipos de cortes mais vulgares e respectivas diminui-

  • Indice de assuntos (continuao)

    Superficie de fio: mtodo de clculo Superficie de fio de uma rede (de arrasto), exemplo de cdlculo Coeficiente de montagem, expressoes Coeficiente de montagem, superficie coberta Altura real de um pano de rede Pegamentos Montagem

    ANZOIS

    Classificao Principais tipos Amostras, penas, colheres, toneiras, nos para empa- tar anzis

    ACESSORIOS LINHAS

    Montagem, destorcedores, agrafes, nos para palan- gres

    FLUTUADORES

    Para rede de cerco Para redes de emalhar e de cerco (1) Para redes de emalhar e de cerco (2) Esfericos, boias de arrasto

    BOIAS Para sinalizacao de redes, linhas e covos

    LASTROS Chumbadas e argolas de lastragem

    ACESSORIOS FORJADOS

    Correntes, sapatilhos Para jungdo: manilhas, elos forjados, elos rdpidos Para juno: tornis Gatos Cales, fecho do saco de redes de arrasto, argolas de redes de cerco Componentes para arracais de redes de drrasto: esferas Componentes para arragais de redes de arrasto: de borracha, meios meles. roletes, bolachas e rodelas: exemplos

    ALAR CARGAS Lingadas e talhas

    Artes e opercaes de pesca

    REDES DE CERCO COM RETENIDA

    Exemplo de plano tecnico e armamento Dimenses minimas, malhagens, diametro dos fios Lastragem, flutuacdo, peso de pano Montagem, retenida, volume, comportamento em pesca (na dgua)

    REDES ENVOLVEN-TES-ARRASTANTES DE ALAR PARA A PRAIA

    Modelos, construgdo, armamento Materiais, montagem

  • fndice de assuntos (continuao)

    REDES DE CERCO DINAMARQUESAS

    Modelos e manobra Malhetas

    REDES DE ARRASTO Exemplo de plano tcnico e de rede de arrasto pelo Exemplo de plano tcnico e de rede de arrasto pel- gico de 4 faces Relao malhagem/fora de fios para redes de arrasto pelo fundo Relao malhagem/fora de fios para redes de arrasto pelgico Adaptao da rede potncia do arrasto Abertura das redes de arrasto pelo fundo Abertura das redes de arrasto pelo fundo e das re- des de arrasto peigico Armamentos das redes de arrasto pelo fundo para uma embarcagdo Armamentos das redes de arrasto pelo fundo e pelgico para uma embarcao Armamentos para o arrasto para duas embarcaes Estimativa da profundidade de actuao da rede de arrasto pelgico em parelha Redes de arrasto para camares, tipos e armamen- tos Elementos de ligao entre as diferentes partes de um armamento Flutuao e lastragem mdias Exemplos de arraais Portas de arrasto, afastamento Portas de arrasto, ngulo de ataque, implantao do ponto de fixao do cabo real Portas de rrasto, dngulo de ataque, regulaes Portas de arrasto, caracteristicas dos principais tipos, escolha, de acordo com a potncia do arrasto Portas elevatrias Cabos reais, dimetro, coeficiente de largada Velocidade de arrasto Potncia do arrasto Traco do arrasto

    REDES DE EMALHAR