HELENA H E L E N A C A R V A L H O CARVALHO - .H E L E N A C A R V A L H O ... sendo apresentados

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of HELENA H E L E N A C A R V A L H O CARVALHO - .H E L E N A C A R V A L H O ... sendo apresentados

  • ANLISEMULTIVARIADA

    de DADOSQUALITATIVOS

    AN

    LIS

    E M

    ULT

    IVA

    RIA

    DA

    de D

    AD

    OS

    QU

    ALIT

    ATIV

    OS

    H E L E N A C A R V A L H O

    Utilizao da Anlise deCorrespondncias Mltiplas

    com o SPSS

    EDIES SLABO

    Esta obra desenvolve e explora as potencialidades de utilizao de um mtodode Anlise de Dados Anlise de Correspondncias Mltiplas (ACM), tambmconhecido por Anlise de Homogeneidade (HOMALS) particularmente apro-priado abordagem simultnea de mltiplos indicadores e ao tratamento devariveis qualitativas (extensvel a variveis quantitativas, privilegiadamente cate-gorizadas).

    A apresentao da teoria permanentemente acompanhada por ilustraesprticas. tambm privilegiado o investimento na interaco do investigador coma gesto dos resultados, sendo apresentados inmeros exemplos baseados emdados de investigaes j realizadas.

    A importncia prtica e analtica da Anlise de Correspondncias Mltiplasdecorre de o duplo atributo e existirnuma boa parte do material emprico da investigao cientfica e dos estudosaplicados em domnios muito diversos: cincias sociais (economia, sociologia,psicologia social), cincias humanas (histria, psicologia), cincias empresariais(gesto, marketing), cincias biolgicas e da sade, entre outros.

    Este pois um livro que pode ser consultado com vantagens por investiga-dores e peritos, estudantes e professores, tcnicos e profissionais das maisdiversas reas que necessitem realizar e/ou interpretar anlises multivariadascom variveis qualitativas ou pretendam consolidar e aprofundar os seus conheci-mentos neste mtodo.

    mltiplos indicadores variveis qualitativas

    HELENA CARVALHO tem o doutoramento em Sociologia, na rea de teoria e mtodo, pelo InstitutoUniversitrio de Lisboa (ISCTE-IUL). professora auxiliar com agregao do Departamento de Mtodosde Pesquisa Social do ISCTE-IUL. Lecciona e coordena diversas unidades curriculares de mestrado:Mtodos Avanados de Anlise de Dados, Mtodos de Anlise de Dados. Lecciona e coordena diversasunidades curriculares de doutoramento. Directora da ps-graduao em Anlise de Dados em CinciasSociais (ISCTE-IUL). investigadora do Centro de Investigao e Estudos de Sociologia do ISCTE(CIES/ISCTE). Tem participado em diversos projectos de investigao desenvolvendo as suas competn-cias em anlise de dados. Tem publicado diversos livros e artigos. As suas principais linhas de investi-gao tm por enfoque a aplicao de mtodos de anlise multivariada e de interdependncia para vari-veis categorizadas, mtodos de dependncia para variveis categorizadas, modelos de mediao emodelos de moderao com mtodos paramtricos e com mtodos no-paramtricos ( ), modeloslongitudinais via anlise multinvel e modelos de medida e equaes estruturais.

    bootstrap

    2 edioRevista e actualizada

    25

    HELENACARVALHO

    ISB

    N 9

    78-9

    72-6

    18-8

    73-5

    918

    8735

    7897

    26

  • Anlise Multivariada de Dados Qualitativos

    Utilizao da Anlise de Correspondncias Mltiplas

    com o SPSS

    HELENA CARVALHO

    2 Edio Revista e Actualizada

    EDIES SLABO

  • expressamente proibido reproduzir, no todo ou em parte, sob qualquer forma ou meio, nomeadamente fotocpia, esta obra. As transgresses sero passveis das penalizaes previstas na legislao em vigor.

    Visite a Slabo na rede:

    www.silabo.pt

    Editor: Manuel Robalo

    FICHA TCNICA:

    Ttulo: Anlise Multivariada de Dados Qualitativos Utilizao da ACM com o SPSS Autora: Helena Carvalho Edies Slabo, Lda. Capa: Pedro Mota

    1 Edio Lisboa, Maio de 2008. 2 Edio Lisboa, Janeiro de 2017. Impresso e acabamentos: Cafilesa Solues Grficas, Lda. Depsito Legal: 419613/16 ISBN: 978-972-618-873-5

    EDIES SLABO, LDA. R. Cidade de Manchester, 2 1170-100 LISBOA Telf.: 218130345 Fax: 218166719 e-mail: silabo@silabo.pt www.silabo.pt

  • NDICE

    PREFCIO 9

    INTRODUO 13

    CAPTULO 1 PRESSUPOSTOS

    1. A abordagem da estruturalidade: requisitos metodolgicos 19 2. Contributo dos mtodos multidimensionais:

    anlise de correspondncias mltiplas e anlise de homogeneidade 21 3. Operacionalizao da estruturalidade: alguns exemplos 23

    CAPTULO 2 A ACM NO CONTEXTO DA OPTIMAL SCALING

    1. Introduo 35 2. Inputs para a ACM 37 3. Estrutura conceptual 41

    3.1. Quantificao de dados qualitativos 42 3.2. Quantificao ptima 50 3.3. Quantificao mltipla 52

    CAPTULO 3 MEDIDAS DE ANLISE DOS RESULTADOS: COMO INTERPRETAR

    1. Varincia das dimenses: valores prprios e inrcia 61 2. Contribuio das variveis 68

    2.1. Medidas de discriminao e contribuies 68 2.2. Leitura grfica das medidas de discriminao 75 2.3. Seleco das variveis: interpretao das dimenses 78

  • 3. Quantificaes das categorias 95 3.1. Seleco das categorias 95 3.2. Interpretao das dimenses: via categorias 96

    4. Traduo grfica dos resultados: leitura dos planos 106 4.1. Representao das categorias: identificao de configuraes 106 4.2. Representao dos objectos 115

    5. Sntese do processo interpretativo de uma ACM 122

    CAPTULO 4 PROCEDIMENTO ACM

    1. Gesto das no-respostas numa ACM 127 1.1. Introduo 127 1.2. Estratgias de tratamento das no-respostas via procedimento ACM 129

    2. Como realizar uma ACM 134 2.1. Requisitos de codificao 134 2.2. Codificao de categorias decorrentes de uma anlise de contedo 138 2.3. Inicializao 142 2.4. Outputs 153

    CAPTULO 5 VARIVEIS ACTIVAS VERSUS VARIVEIS SUPLEMENTARES

    1. Topologia de um espao simblico 165 1.1. Indicadores estruturantes das configuraes

    do espao simblico: variveis activas 166 1.2. Eixos de diferenciao dos sistemas de valores

    e de representaes: seleco e interpretao das dimenses 170 1.3. Quadros de valores e de representaes,

    proximidades e oposies: interpretao do plano 180

    2. As posies sociais no espao simblico variveis suplementares no espao das variveis activas 182

    2.1. Distino entre variveis activas e variveis suplementares 183 2.2. As posies sociais no espao simblico: contornos de articulao 185

  • CAPTULO 6 DA TOPOLOGIA TIPOLOGIA ARTICULAO DA ACM COM A ANLISE DE CLUSTERS

    1. Segmentao de um espao de consumo: uma aplicao 193 1.1. Topologia do espao de consumo: identificao de perfis 194 1.2. Construo da tipologia da ACM anlise de clusters 196

    2. Tipologia de culturas 208

    CAPTULO 7 DEFINIO DE NDICES VIA ACM

    1. Vantagens do uso dos object scores 216 2. Construo do ndice: soluo unidimensional 218

    FICHA TCNICA 1 EDIO DOS GRFICOS DA ACM

    1. Figuras bidimensionais 230 2. Converso de grficos: formato matricial para planos 239

    2.1. Grficos das categorias 239 2.2. Grficos dos objectos 243

    FICHA TCNICA 2 REALIZAO DA ACM COM VARIVEIS ACTIVAS E VARIVEIS PASSIVAS 250

    BIBLIOGRAFIA 260

  • PREFCIO

    La plus haute fonction des nombres nest pas lnumration, mais limagination

    Jean-Paul Benzcri A Anlise Multivariada de Dados, na acepo da escola francesa de Benzcri,

    desenvolveu-se no interior dos crculos culturais ligados ao estruturalismo, especial-mente na sua vertente dedicada lingustica. significativo que a primeira lio de Analyse des Donns tenha tido lugar em 1963 no Collge de France, perante os intelectuais parisienses do Quartier Latin, que acolheram com entusiasmo o nou-veau venu oriundo da Arglia, sublinhando a originalidade da sua teoria (esta fazia a ponte entre um formalismo matemtico to rigoroso como inovador e as aplicaes nas novas Cincias Humanas, cujos mentores estavam sedentos de uma qualquer fundamentao emprica para os modelos conceptuais que produziam com extrema prodigalidade).

    Foi na crtica do a priori e dos mtodos visando a confirmao de entidades pr-estabelecidas ( maneira das syntatic structures de Chomsky) que a abordagem exploratria de Benzcri tomou corpo, com o objectivo de revelar as estruturas que subjazem a um determinado conjunto de dados empricos, fazendo-as emergir da prpria anlise, segundo o paradigma do mtodo indutivo com razes em Francis Bacon (a quem, de resto, o matemtico francs presta homenagem, na sua impor-tante contribuio para a Encyclopaedia Universalis, sob um expressivo ttulo: NOVUM ORGANUM.

    O mtodo de Anlise Multivariada de Dados par excellence criado por Benzcri a Anlise das Correspondncias foi desenvolvido com base nas tabelas de con-tingncia, quadros de dupla entrada cruzando duas variveis qualitativas e contendo as frequncias absolutas da co-ocorrncia das respectivas modalidades. Para este tipo de dados, antes dos trabalhos de Benzcri, o nico tratamento quantitativo disponvel era o teste do quadrado, que apenas avaliava o grau de independncia entre as duas variveis de partida. Ora a Anlise das Correspondncias, mesmo na sua verso inicial, permitia estabelecer relaes no interior de cada conjunto de modalidades (e entre os dois conjuntos), abrindo assim a porta para a possibilidade de uma certa modelizao de variveis qualitativas, o que constitui um importants-simo avano no processamento estatstico de tais variveis. Mas desse cadinho inicial onde o mtodo fora concebido, cedo (em 1973) o formalismo bsico evoluiu naturalmente para a sua verso dita das Correspondncias Mltiplas (ACM), que

  • mais no do que a sua generalizao para o caso de justaposio de tabelas de contingncia. Esta nova verso especialmente adaptada interpretao de inqu-ritos por questionrio, em que, da codificao preambular em disjuntiva completa, se passa matriz de Burt, contendo todas as combinatrias do cruzamento das variveis presentes no questionrio, sejam elas nominais, ordinais ou quantitativas (divididas em classes).

    Com a interpretao sistemtica dos diagramas e tabelas decorrentes da Anlise das Correspondncias Mltiplas (onde possvel associar indivd