HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA – .6.8 Citologia prostática ... prostatite bacteriana crônica

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA – .6.8 Citologia prostática ... prostatite bacteriana crônica

  • Tatiana Lika Franco da Rocha

    HIPERPLASIA PROSTTICA BENIGNA HPB

    SO PAULO 2008

    FMU

    Tatiana Lika Franco da Rocha

  • 2

    Hiperplasia Prosttica Benigna HPB

    Trabalho de concluso de curso do curso de Medicina Veterinria da FMU, sob orientaco da Professora Ms. Aline Machado de Zoppa.

    FMU

    Tatiana Lika Franco da Rocha

    Hiperplasia Prosttica Benigna HPB

  • 3

    Defendido e aprovado em 19 de Dezembro de 2008, pela banca examinadora constituda pelos professores:

    ____________________________________________________ Prof. Ms. Aline Machado de Zoppa FMU Orientadora ____________________________________________________ Prof. Ms. Joo Francisco de Azevedo Mattos FMU ____________________________________________________ Mv. Jamara Siqueira FMU

    Dedico esta obra a meus amados filhos

    Zeus e Thor que se mantiveram sempre em

    meu corao e pensamento.

  • 4

    AGRADECIMENTOS

    Agradeo ao meu marido Affonso e a meus pais, Lcia e Roberto, por estarem

    sempre ao meu lado, no medindo esforcos para ver meus sonhos realizados.

    Aos meus grandes Mestres Dr. Alosio Gelsi e Dr. Paulo Csar Conelian, pelos

    conhecimentos transmitidos, bem como pela pacincia e amizade dispensadas em todo o

    processo de aprendizado.

    Aos novos amigos, Dra. Bianca Bourbon e Josinaldo que me apoiaram no

    aperfeioamento da prtica e no trato dirio com os animais.

    A minha orientadora Prof. Ms. Aline Machado de Zoppa pela compreenso e

    pacincia.

  • 5

    SUMRIO

    RESUMO........................................................................................................................07

    1. INTRODUO.........................................................................................................08

    2. DEFINIO..............................................................................................................10

    3. ETIOLOGIA..............................................................................................................11

    4. FISIOPATOGENIA................................................................................................. 12

    5. SINTOMAS CLNICOS...........................................................................................13

    6. DIAGNSTICO DAS PATOLOGIAS PROSTTICAS......................................15

    6.1 Histria clnica..................................................................................................15

    6.2 Exame fsico......................................................................................................16

    6.3 Urinlise; hemograma completo/quadro bioqumico...................................16

    6.4 Exame radiogrfico..........................................................................................16

    6.5 Exames ultrassonogrficos............................................................................. 17

    6.6 Exame do smen...............................................................................................18

    6.7 Massagem prosttica........................................................................................18

    6.8 Citologia prosttica..........................................................................................19

    6.9 Bipsia prosttica.............................................................................................20

    7. TRATAMENTO DA HIPERPLASIA PROSTTICA BENIGNA.....................21

    7.1 Orquiectomia....................................................................................................22

    8. PROGNSTICO......................................................................................................23

    9. CONCLUSO..........................................................................................................24

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS.......................................................................25

    RESUMO

    A hiperplasia prosttica benigna uma enfermidade que acomete ces com

    idade avanada (meia idade a idosos) afetando a qualidade de vida do animal, uma vez

    que este ter a defecao e mico comprometidas.

    Para se ter um diagnstico definitivo, o veterinrio deve tomar como base vrios

    tipos de exames: ultrassom, radiografia e bipsia da prstata. de extrema importncia

  • 6

    que tal explorao seja feita para servir como base para diagnstico diferencial a outras

    doenas.

    O tratamento de eleio para hiperplasia prosttica a orquiectomia, pois a

    terapia medicamentosa traz inmeras limitaes, uma vez que os estrgenos causam

    diversos efeitos colaterais, podendo induzir a metaplasia escamosa, agravando a

    sintomatologia clnica, alm de aumentar as alteraes csticas e a inflamao da

    prstata, deprimindo a espermatognese e causando anemia aplsica, trombocitopenia e

    leucopenia.

    A dose de estrgenos e a durao da terapia podem causar intoxicao,

    dependendo da presena de outros fatores, como o estado fsico do animal e

    parasitismo, os quais podero alterar o funcionamento da medula ssea.

    1. INTRODUO

    A prstata a nica glndula sexual acessria no co macho, sendo um rgo

    bilobulado, com septo mediano na superfcie dorsal, localizado predominantemente no

    espao retroperineal, caudal bexiga, na rea do colo da bexiga, proximal uretra.

    (ETTINGER, 1992)

    Quando a vescula urinria est cheia a prstata se localiza em posio pr-

    pbica e quando est vazia a mesma se encontra por completo na cavidade plvica.

    (KEALY, MCALLISTER, 2005)

    Histologicamente a prstata se apresenta envolta por uma cpsula fibroelstica

    rica em msculo liso, enviando septos que penetram na glndula, formando assim um

    estroma rico que envolver os constituintes glandulares. (ETTINGER,1992)

  • 7

    O epitlio glandular muito varivel, sendo na maioria das vezes identificado

    como cilndrico simples ou pseudo-estratificado. Ainda se verifica o epitlio de

    transio, semelhante ao da poro prosttica da uretra, perto da terminao dos ductos.

    (ROSS; ROMRELL, 1993)

    As clulas no interior da glndula so o epitlio secretor colunar alto e o epitlio

    basal, localizado ao longo da membrana basal. (ETTINGER, 1992)

    A hiperplasia prosttica benigna o aumento de tamanho da prstata, na qual

    ocorre o aumento de nmero de clulas prostticas secundrias estimulao com

    hormnios andrognicos. (FOSSUM, 2002)

    A hipertrofia da glndula representa um aumento hipertrfico dependente de

    alteraes hormonais e amplamente comum em ces mais velhos que possuem

    testculos funcionantes. (FOSSUM, 2002)

    A prstata se torna mais pesada com o envelhecimento, ocorrendo o aumento

    aparente na sensibilidade da mesma, em virtude do crescimento da glndula pelo

    aumento da testosterona, sendo que as concentraes de dihidrotestosterona e

    testosterona prosttica diminuem com a idade. (ETTINGER, 1992)

    As causas principais da hiperplasia incluem proporo anormal de andrgenos

    com relao a estrgenos, aumento no nmero de receptores andrognicos e na

    sensibilidade tecidual a andrgenos. O andrgeno primrio que promove a hiperplasia

    a dihidrotestosterona. (FOSSUM, 2002)

    A funo da prstata produzir o lquido prosttico, que representa a totalidade

    do lquido seminal. Este lquido possui cido ctrico, frutose, colesterol, protenas e, em

    algumas espcies animais, aminocidos livres, sendo rico em zinco. Contm tambm as

    enzimas proteases, glicosidases, aspartato e as fosfatases alcalina e cida. (ETTINGER,

    1992)

    O lquido secretado pela glndula cido (pH 6,5), incolor e contm enzimas

    proteolticas, inclusive uma fibrinolisina que funciona na liquefaco do smen. O nvel

    de fosfatase cida e de cido ctrico representa um ndice da funo prosttica, sendo

    uma parte da fosfatase cida produzida liberada para a corrente sangunea. (ROSS;

    ROMRELL, 1993)

    O tamanho da glndula varia de acordo com a idade, o nvel hormonal, porte do

    animal e a raa. (PIEROBON, 1991)

    No decorrer da vida do animal, a prstata passa por trs fases. Na primeira

    ocorre o crescimento normal da glndula, que observado em animais jovens. A fase

  • 8

    hiperplsica ocorre em animais de meia-idade e nos idosos; a fase final da involuo

    senil. (ETTINGER, 1992)

    Devido a natureza glandular da prstata, podem se desenvolver cistos prostticos

    intraparenquimais em associao com a hiperplasia. Ainda podem ser descritas outras

    molstias tais como: prostatite bacteriana, metaplasia escamosa, abscesso prosttico e

    neoplasia prosttica. (ETTINGER, 1992)

    2. DEFINIO

    A hiperplasia prosttica benigna (HPB) uma enfermidade caracterizada tanto

    pelo aumento de nmero de clulas (hiperplasia) como pelo aumento do tamanho

    celular (hipertrofia). (HARARI, 2004)

    Trata-se de uma alterao do envelhecimento, que ocorre apenas em duas

    espcies: ces e homem. A hiperplasia basicamente uniforme e epitelial nos ces, ao

    passo que no homem basicamente estromal e nodular. (BARSANTI; FINCO, 1997)

    Uma vez que a hiperplasia uma alterao observada ao