HOMICÍDIOS NA ADOLESCÊNCIA NO BRASIL - IHA - 2008o .Homicídios na adolescência no Brasil:

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of HOMICÍDIOS NA ADOLESCÊNCIA NO BRASIL - IHA - 2008o .Homicídios na adolescência no Brasil:

  • NO

  • Rio de Janeiro_2011

    IHA_2008

    HOMICDIOS NAADOLESCNCIA

    BRASILNO

    ORGANIZADORES

    Doriam Luis Borges de Melo

    Igncio Cano

  • Dilma RousseffPresidente da rePblica

    Michel TemerVice-Presidente da rePblica

    Maria do Rosrio NunesMinistra de estado chefe da secretaria de direitos huManos

    Ramas de Castro Silveirasecretrio-executiVo da secretaria de direitos huManos

    da Presidncia da rePblica

    Carmen Silveira de Oliveirasecretria nacional de ProMoo dos direitos da criana e do adolescente

    Marie-Pierre PoirierrePresentante do unicef no brasil

    Ricardo Vieiralvesreitor da uniVersidade do estado do rio de Janeiro

    (laboratrio de anlise da Violncia)

    Jailson de Souza e Silvacoordenador Geral do obserVatrio de faVelas

  • 2011_ObSeRVaTRiO De FaVelaS

    tiragem: 2000 exemplaresDistribuio GratuitaImpresso no Brasil

    A reproduo do todo ou parte deste documento permitida somente para fi ns no lucrativos e com a autorizao prvia e formal do Observatrio de Favelas, da SDH/PR, ou unicef, desde que citada a fonte.

    eQUiPe ReSPONSVel Pela PRODUO DO RelaTRiO

    COORDENAO:Igncio Cano

    EQuIPE tCNICA:Cntia Lopes de BarrosDoriam Luis Borges de MeloEduardo RibeiroFelipe CorbettRosana Cristina Carlos Ribeiro Simone Pereira de Azevedotatiana Guimares Sardinha Pereira

    SECREtARIA DE DIREItOS HuMANOS SDHSecretaria Nacional de Promoo dos Direitos da Criana e do Adolescente SNPDCASCS B Quadra 09 Lote C, Edifcio Parque Cidade Corporate, torre A, 8 andarCEP: 70308-200 Braslia DFtelefone: (61) 2025-3225Fax: (61) 2025-3067E-mail: spdca@sdh.gov.brSites: www.direitoshumanos.gov.br

    FuNDO DAS NAES uNIDAS PARA A INFNCIA uNICEFEscritrio RepresentanteSEPN 510, Bloco A Braslia DFCEP: 70750-521 Brasiltel: (55 61) 3035-1900Fax: (55 61) 3349-0606Site: www.unicef.orgEmail: unicef@unicef.org.br

    OBSERVAtRIO DE FAVELASRua teixeira Ribeiro, 535 Parque Mar Rio de Janeiro RJEmail: prvl@observatoriodefavelas.org.brSites: www.observatoriodefavelas.org.br www.prvl.org.br

    LABORAtRIO DE ANLISE DA VIOLNCIA uERJRua So Francisco Xavier 524, s/ 9043, Bl F, MaracanCEP: 20550-013 Rio de Janeiro RJtel: (55 21) 2587-7590Site: www.lav.uerj.brEmail: lav@uerj.br

    PROJEtO GRFICO E DIAGRAMAO:Mrula Ofi cina de Ideias morulaideias.com.br

    REVISO:Luis Gustavo Coutinho e Mariana Simes

    Esta uma publicao do Programa de Reduo da Violncia Letal (PRVL), uma iniciativa coordenada pelo Observatrio de Favelas, realizada em conjunto com o uNICEF e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidncia da Repblica. O PRVL desenvolvido em parceria com o Laboratrio de Anlise de Violncia da universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-uerj) e tem apoio institucional da Organizao Intereclesistica de Cooperao para o Desenvolvimento (ICCO).

    Publicao fi nanciada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidncia da Repblica, por meio do convnio n 066/2008.

    1 eDiORio de Janeiro_2011 Rio de Janeiro_2011

    IHA_2008

    HOMICDIOS NAADOLESCNCIA

    BRASILNO

    ORGANIZADORES

    Doriam Luis Borges de Melo

    Igncio Cano

  • Homicdios na adolescncia no Brasil: IHA 2008 / organizadores: Doriam Luis Borges de Melo, Igncio Cano. Rio de Janeiro: Observatrio de Favelas, 2011.

    96 p. ; 18 cm

    Inclui bibliografia. ISBN: 978-85-98881-11-9

    1. Violncia Brasil . 2.Homicdio Brasil. 3. Adolescncia Aspectos sociais Brasil. 4. Violncia Estatstica. I. Melo, Doriam Luis Borges. II. Cano, Igncio. III. ndice de Homicdios na adolescncia.

    CDD: 304.640981

    ficha tcnica

    Secretaria de direitoS HumanoS

    diretora do dePartaMento de Polticas teMticas da secretaria nacional de ProMoo dos direitos da criana e do adolescente - sndPca

    Mrcia ustra soares

    coordenao nacional do Programa de Proteo a crianaS e adoleScenteS ameaadoS de morte PPcaam

    coordenao Geral de Proteo

    solange Pinto xavier

    equiPe nacional do PPcaaM

    flavia de oliveira alves Mundimheloiza de almeida Prado botelho egashigor cataldo antonioJailson tenrio dos reis

    Fundo daS naeS Para a inFncia uniceF

    chefe da rea de Proteo dos direitos da criana e do adolescente

    casimira benge

    Gestora de ProGraMas de PreVeno a Violncia contra crianas e adolescentes, coordenao Geral

    helena oliveira da silva

    oficial de coMunicao

    Pedro ivo alcntara

    oficial de MonitoraMento e aValiao

    Jucilene leite da rocha

    Programa de reduo da Violncia letal

    coordenao Geral:

    raquel Willadino braga

    consultores:

    igncio canoJoo trajano sento-s

    Pesquisadores:

    caio Gonalves diasfernanda Gomes da silvaMichelle henriques ramosPriscilla caldellas dos santosrodrigo costa do nascimento

    secretaria executiVa:

    Jamille Guilherme suarhs

    Jornalista:

    Maria ceclia de oliveira rosa

    equiPe iHa

    Pesquisadores:

    cntia lopes de barrosdoriam luis borges de Meloeduardo ribeirofelipe corbettrosana cristina carlos ribeirosimone Pereira de azevedotatiana Guimares sardinha Pereira

  • 9hOMiCDiOS Na aDOleSCNCia NO bRaSil

    apresentao

    Estima-se que a violncia letal ser responsvel pela morte de mais de 32 mil adolescen-tes nos municpios brasileiros com mais de 100.000 habitantes no perodo de 2008 a 2014, se as con-dies que prevaleciam em 2008 no mudarem. Trata-se de uma questo gravssima a ser enfrentada pelo Estado, no sentido de reduzir os ndices de mortalidade por homicdio e de modificar a trajetria que conduz crianas e adolescentes brasileiros a um ciclo de violncia com desfechos trgicos.

    Fica evidente, a partir dos nmeros apontados, que, se nada for feito, os avanos obtidos no alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milnio, especialmente no que se refere reduo da mortali-dade infantil, sero perdidos na adolescncia, uma vez que muitas das crianas salvas nos primeiros anos de vida acabam morrendo mais tarde, antes de completar 18 anos.

    Diante disso, em 2008, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidncia da Repblica, o Observat-rio de Favelas e o UNICEF firmaram uma parceria, em cooperao com o Laboratrio de Anlise da Vio-lncia da UERJ para a implementao do Programa de Reduo da Violncia Letal (PRVL). Esse pro-grama tem como objetivos promover a articulao e a mobilizao social para o tema, analisar e difundir metodologias de preveno violncia e criar mecanismos de monitoramento dos ndices de homicdios contra adolescentes nas regies metropolitanas mais vulnerveis do Pas. Como resultado dessa parceria, j foram publicadas duas edies do ndice de Homicdios na Adolescncia nos anos de 2009 e 2010.

    O PRVL parte da estratgia adotada pelo Programa de Proteo a Crianas e Adolescentes Ame-aados de Morte (PPCAAM), implementado desde 2003 pela Secretaria de Direitos Humanos da Pre-sidncia da Repblica, com o objetivo de preservar a vida das crianas e dos adolescentes ameaados

  • 10 aPresentao

    13_resumo executivo

    15_introduo

    19_sobre o iha definio do ndice de hoMicdios na adolescncia 19

    fonte de dados e MetodoloGia 20

    25_Mapeando os ndices de homicdios na adolescncia

    37_riscos relativos risco relatiVo Por sexo 38

    risco relatiVo Por cor ou raa 40

    risco relatiVo Por faixa etria 43

    risco relatiVo Por Meio utilizado 45

    51_anlise evolutiva do iha e dos riscos relativos

    57_consideraes finais

    59_anexos

    93_bibliografia

    sumrio

    de morte, com nfase na proteo integral e na convivncia familiar. O Programa tem como uma de suas prioridades o fomento pesquisa, pois considera que a compreenso do fenmeno da letalidade essencial para dar maior visibilidade ao tema e conduzir formulao de uma poltica nacional para a reduo das mortes violentas de crianas e adolescentes, tendo a poltica de proteo a pessoas ame-aadas como um de seus eixos.

    O ndice de Homicdios na Adolescncia (IHA) foi criado para mensurar o nmero de adolescentes de 12 anos que so assassinados antes de completar os 19 anos e permitir a estimativa de homicdios ao longo de um perodo de sete anos. Alm disso, o estudo apresenta uma anlise de riscos relativos segundo determinados recortes de idade, etnia, gnero, entre outros. Lanado em julho de 2009, o IHA se constituiu numa estratgia de sensibilizao e mobilizao, estimulando a reflexo de gestores pblicos para a criao de polticas pblicas que enfrentem de forma efetiva esse grave problema.

    Em julho de 2010, dando continuidade ao processo e tendo em vista o fortalecimento da relao entre os entes federativos e o maior comprometimento dos gestores locais, foi disponibilizada, em even-to que reuniu gestores municipais e estaduais das cidades com maiores ndices de homicdios, uma planilha para ajud-los a acompanhar periodicamente os indicadores de letalidade na adolescncia. Essa ferramenta foi desenvolvida para possibilitar a descentralizao do monitoramento dos ndices de homicdios nos prprios municpios, o que contribuir para dar mais agilidade na atualizao dos dados. Espera-se que os gestores pblicos utilizem essas informaes para planejar, executar, monitorar e avaliar polticas pblicas relacionadas violncia letal em seus territrios.

    Em dezembro de 2010, foi lanada a segunda publicao do IHA, incluindo uma srie histrica do ndice para o trinio de 2005 a 2007 e um estudo dos fatores associados a altos ndices de homicdios de adolescentes nos municpios brasileiros com mais de 100 mil habitantes.

    Nesta terceira edio do IHA, so apresentados os dados atualizados para 2008, bem como uma anlise da evoluo do ndice de Homicdios na Adolescncia entre os anos de 2005 e 2008. A publicao traz ainda um estudo da evoluo dos riscos relativos por gnero, raa, faixa etria e meio no mesmo perodo. A relevncia deste trabalho consiste na