Impacto Ambiental de Sísmica 4D

  • View
    112

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

RELATRIO DE IMPACTO AMBIENTAL DE SSMICAPesquisa Ssmica Martima 4D nas reas de Pampo/Badejo/Linguado, Marimb/Pirana, Ativo Norte e Viola Bacia de Campos

E&PReviso 02 AGOSTO/2009

APRESENTAO

01

IDENTIFICAO DA ATIVIDADE E DO EMPREENDEDOR 03

CARACTERIZAO DA ATIVIDADE

05

REA DE INFLUNCIA

16

DIAGNSTICO AMBIENTAL

20

UNIDADE CONSERVAO

37

ANLISE INTEGRADA

42

IDENTIFICAO E AVALIAO DE IMPACTOS

45

PROJETOS AMBIENTAIS

55

CONCLUSO

60

EQUIPE TCNICA 62

A

PETROBRAS pretende realizar a Atividade de Pesquisa Ssmica Martima 4D nas reas de Ativo ser Pampo/Badejo/Linguado, Norte conduzido e Viola, pelo todas

Marimb/Pirana, ambiental deve

localizadas na Bacia de Campos. Seu licenciamento Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis (IBAMA), por meio do escritrio da Coordenao Geral de Petrleo e Gs Natural (CGPEG). Neste Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica (RIAS) voc poder conferir, de forma clara e resumida, os principais resultados alcanados pelo Estudo Ambiental de Ssmica (EAS) para esta atividade. So descritas a seguir, as caracterstic as e conseqncias esperadas na realizao da Pesquisa Ssmica Martima.

Boa leitura!

O EAS/RIAS faz parte do processo de licenciamento ambiental de atividades enquadradas na classe 2. Atividade Classe 2 aquela que envolve profundidades intermedirias (entre 50 e 200 metros), dependendo da sensibilidade ambiental da regio proposta para a atividade.

Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS |

1 1

2

| Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS

IDENTIFICAO DA ATIVIDADE E DO EMPREENDEDORDENOMINAO OFICIAL DA ATIVIDADE:

Pesquisa Ssmic a Martima 4D nas reas de Pampo/Badejo/Linguado, Marimb/Pirana, Ativo Norte e Viola, na Bacia de Campos.

EMPREENDEDOR: PETROBRAS - Petrleo Brasileiro S. A Cadastro tcnico Federal: 16789 CNPJ: 33.000.167/1007-50 Endereo: Av. Elias Agostinho 665 Telefone: 0800 882 1234 | 27913-350 - Imbetiba / Maca - RJ

www.petrobras.com.br

EMPRESA RESPONSVEL PELA AQUISIO DE DADOS SSMICOS: Empresa: WESTERNGECO Servios de Ssmica Ltda. Cadastro Tcnico Federal: 238223 CNPJ: 04.612.284/0001-28 Endereo: Av. Presidente Wilson n 231, 12andar Telefone / Fax: (21) 3541-7023/ (21) 3541-7131 20030-021 - Centro Rio de Janeiro / RJ.

Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS |

3

EMPRESA RESPONSVEL PELA ELABORAO DO EAS/RIAS Empresa: Ecology & Environment do Brasil Contato: contato@ecologybrasil.com.br Endereo: Av. Rio Branco, 1, sala 1401D Telefone: (21) 2108 8700 Cadastro Tcnico Federal: 23917 20090-003 Centro Rio de Janeiro, RJ

CGPEG/IBAMA (RGO RESPONSVEL PELO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE) Endereo: Praa XV Novembro, 42 - 9 andar. 20010-010 Rio de Janeiro, RJ Telefone / Fax: (21) 3077-4266 / (21) 3077-4265 e-mail: cgpeg.coexp.rj@ibama.gov.br

4

| Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS

CARACTERIZAO DA ATIVIDADEO objetivo da pesquisa ssmica martima identificar camadas no subsolo marinho que possam ter acmulos de petrleo e/ou gs em condies e quantidades que permitam seu aproveitamento econmico. a primeira etapa da explorao e produo de petrleo e/ou gs, indicando os pontos mais provveis de se encontrar um reservatrio. A Ssmica baseia-se em um mtodo acstico, ou seja, utilizam-se ondas sonoras. Estas ondas acsticas so geradas por uma fonte (sonora) que libera ar comprimido alta presso, diretamente na gua. Essas ondas sonoras atingem o fundo do mar, onde mapearo as camadas rochosas do fundo do oceano e sero refletidas de volta. Ao retornarem, estas ondas sero registradas por uma grande quantidade de sensores (hidrofones), como mostra a figura a seguir. A energia captada pelos hidrofones convertida em sinais digitais que sero interpretados, posteriormente, por especia listas.

Fonte

Sensores

Esquema das ondas ssmicas liberadas pelas Fontes Sonoras, atingindo o solo marinho e refletidas para os sensores, onde sero registradas.

Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS |

5

EQUIPAMENTOS

Hidrofones

Os hidrofones so equipamentos capazes de captar e registrar as ondas sonoras aps o retorno destas ondas do subsolo marinho. Depois de registrados, esse sinais so transmitidos digitalmente para o sistema de registro e processamento, onde os dados so interpretados por especialistas e convertidos em imagens.

Fontes Sonoras

So equipamentos capazes de emitir ondas sonoras sendo mantidos prximos a superfcie do mar atravs de flutuadores. A fonte sonora composta por um arranjo de cilindros de ar comprimido responsvel pela emisso de ondas sonoras em direo ao fundo do mar. A fonte libera ar comprimido, formando uma bolha que gera uma onda sonora. Essa onda se propaga at o fundo do mar, penetrando no subsolo marinho. Cada camada do subsolo refletir diferentes sinais que sero recebidos pelos hidrofones instalados ao longo dos cabos ssmicos que podem medir 3.000 ou 6.000 metros de comprimento.Foto de um cilindro de ar fora da gua

Arranjo das Fontes Sonoras e Cabos Ssmicos

Como foi dito anteriormente, os cabos ssmicos carregam os hidrofones, equipamentos localizados no interior dos cabos, responsveis por registrar os sinais de retorno da onda sonora. Eles ficam entre sete e nove metros de profundidade. A figura a seguir ilustra o arranjo dos cabos ss mic os. O nmero de cabos ssmicos e o comprimento destes podem varia r de acordo com o tipo de ativ idade pretendida, alm de depender dos tipos de dados ssmic os a serem obtidos e das caractersticas ambientais da rea de levantamento ss mic o. Nessa pesquisa os cabos so preenchidos com um tipo de querosene conhecido como ISOPAR-M.

Cabos ssmicos

6

| Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS

Ilustrao do arranjo dos cabos ssmicos

Bias Sinalizadoras servem para sinalizar a parte final do arranjo ssmico arrastado pelo navio e so colocadas na extremidade de cada cabo, emitindo luz intermitente para que possam ser observados na superfcie, principalmente noite.

A ATIVIDADE DE PESQUISA SSMICA MARTIMA Os hidrofones vo instalados em cabos que podem medir 3.000 m ou 6.000 m de comprimento. Nesta atividade o navio ssmico rebocar um conjunto de fontes sonoras e 12 cabos ssmicos, como apresentado na figura a seguir.

Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS |

7

Bia Sinaliz adora

Cabos Ssmicos

Cilindros de ar

Ondas ssmicas liberadas pelas fontes sonoras, lendo o subsolo marinho e sendo refletidas para os cabos ssmicos, onde sero registradas pelos hidrofones.

Por carregar um conjunto de cabos ssmicos com 3.000 m ou 6.000 m de comprimento, os navios ssmicos possuem capacidade de manobras muito restrita e deslocam-se a uma velocidade mdia de 4 ns (aproximadamente 8 km/h). Ou seja, o navio ssmico, enquanto estiver carregando os cabos, no para de se deslocar e, assim, evita-se que os cabos ssmicos enrosquem uns nos outros.

Incio dos cabos, onde esto inseridos os hidrofones

Navio ssmico

Cilindros de ar

Para evitar acidentes, necessrio que qualquer outra embarcao mantenha uma distncia mnima de 5 milhas nuticas do navio ssmico e seus aparatos.

A PESQUISA SSMICA CONVENCIONAL COM OBSTCULOS Existem reas em que a presena de instalaes flutuantes (plataformas de petrleo, por exemplo) bem como de instalaes submersas (dutos, cabos submarinos, etc.) dificultam determinadas atividades de pesquisa ssmica martima, como a descrita anteriormente. Nestes casos utilizada a tcnica de Undershooting navios:8| Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS (1),

em que so necessrios dois

Um navio ssmico que, neste caso particular, carregar um conjunto de 12 cabos de 3 km cada e servir apenas para registros dos dados.

Um navio-fonte, responsvel pelo arranjo de fontes sonoras que emitem o pulso ssmico.

Nesses casos, um navio ser posicionado de um la do do obstculo e o outro navio ficar do lado oposto.

Undershooting (1) Tcnica utilizada quando de obstrues ou restries navegao do navio ssmico, tais como plataformas de produo ou de perfurao exploratria, as quais no permitem uma completa cobertura da rea do levantamento dos dados ssmicos, impossibilitando a obteno de informaes contnuas do subsolo marinho.

POR QUE PESQUISA SSMICA MARTIMA 4D? Como j foi explicado anteriormente, a pesquisa ssmica martima nos informa sobre a composio, contedo de fluidos, extenso e geometria das rochas no subsolo marinho. 2D, 3D e 4D so exemplos dos diversos tipos de pesquisa ssmica. A pesquisa ssmica 2D busca informaes a grandes profundidades para possibilitar o mapeamento de reas extensas, enquanto que a pesquisa ssmica 3D, possibilita uma anlise mais detalhada das possveis acumulaes de hidrocarbonetos (petrleo, gs). J a pesquisa ssmica 4D visa compreender o reservatrio, utilizando de pesquisas ssmicas 3D repetidas ao longo do tempo. Esse levantamento e o processamento de dados

Relatrio de Impacto Ambiental de Ssmica RIAS |

9

permitem a observao de mudanas no movimento dos fluidos do reservatrio em decorrncia da produo. So realizadas imagens, utilizando dados de diferentes aquisies ssmicas, para estudar o comportamento do reservatrio, identificando reas com hidrocarbonetos que ainda possam estar no reservatrio. Essa abordagem pode fornecer indicaes, at mesmo, sobre a movimentao do leo produzido em uma rea. O NAVIO SSMICO E O NAVIO-FONTE Em REAS LIVRES, o navio ssmico WEST ERN NEPTUNE, carregar um conjunto de 12 cabos com cerca de 6 km de comprimento, e 50 m de distncia entre eles. Em REAS INTENSAMENTE OBSTRUDAS, ou seja, com grande presena de plata