IN 028 - dat.cbm.sc.gov.br .TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 – Brigada de Incndio ocupa§£o

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of IN 028 - dat.cbm.sc.gov.br .TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 – Brigada de Incndio...

  • TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 Brigada de Incndio

    IN 028BRIGADA DE INCNDIO

    PROPOSTA DE TEXTO PARA A NOVA IN 028, EM CONSULTA PBLICA.

    SEM VALOR NORMATIVO.

    PERODO DA CONSULTA PBLICA: 27/07/2018 A 27/08/2018.

    SUGESTES, ENVIAR PARA: datnormach@cbm.sc.gov.br

    Editada em: xx/xx/2018

    1/24

  • TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 Brigada de Incndio

    SUMRIO

    CAPTULO I DISPOSIES INICIAIS 3Seo I Objetivo ........ 3

    Seo II Aplicao ...... 3Seo III Iseno do brigadista particular .... 3Seo IV Referncias ... 3Seo V Terminologias e siglas ..... 4

    CAPTULO II ESTRUTURAO DA BRIGADA DE INCNDIO . 4Seo I Dimensionamento da brigada de incndio .. 4

    Seo II Organizao da brigada de incndio ... 5Seo III Plano de implantao da brigada de incndio (PIBI) .. 6Seo IV Atribuies da brigada de incndio ..... 6Seo V Atribuies do chefe da brigada de incndio .. 7

    Seo VI Uniforme e equipamentos de proteo dos brigadistas ... 7

    CAPTULO III HABILITAO E CREDENCIAMENTO ..... 8 Seo I Do brigadista particular ... 8Seo II Do brigadista voluntrio .. 9

    Seo III Do instrutor de brigadista .... 9Seo IV Da empresa de formao e/ou prestao de servio de brigadista ... 9

    CAPTULO IV FISCALIZAO E SANES ..... 10 Seo I Advertncia . 10Seo II Multa 10

    Seo III Recursos 11Seo IV Vistoria para funcionamento ... 11

    CAPTULO V DISPOSIES FINAIS ... 11

    ANEXO A Siglas .... 12

    ANEXO B Tabela 1 Quantidade de brigadistas particulares ....... 13Tabela 2 Quantidade de brigadistas particulares para reunio de pblicoe eventos de grande quantidade de pblico ...... 15Tabela 3 Quantidade de brigadistas voluntrios .... 16

    ANEXO C Tabela 4 Currculo mnimo para capacitao de brigadistas voluntrios .. 18Tabela 5 Currculo mnimo para formao de brigadistas particulares eInstrutores de brigadista ... 19

    ANEXO D Modelo de plano de implantao da brigada de incndio (PIBI) 20

    ANEXO E Resumo dos procedimentos para implantao da brigada de incndio ... 22

    ANEXO F Relatrio das atividades desenvolvidas pela empresa de formao debrigadistas . 23

    ANEXO G Relatrio das atividades desenvolvidas pela empresa de prestao deservio de brigadistas ... 24

    2/24

  • TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 Brigada de Incndio

    INSTRUO NORMATIVA 028/DAT/CBMSC

    BRIGADA DE INCNDIO - BI

    O Comando do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, no uso das atribuies legaisque lhe confere o inciso II do Art. 108 da Constituio Estadual, e ainda o que dispe a Lei Estadual16.157/2013 e o Decreto Estadual 1.957/2013, considerando as necessidades de atualizao deprescries normativas, em face das evolues tecnolgicas e cientficas, resolve editar a presenteInstruo Normativa.

    CAPTULO IDISPOSIES INICIAIS

    Seo IObjetivo

    Art. 1 Esta Instruo Normativa (IN) estabelece os critrios mnimos de concepo edimensionamento da Brigada de Incndio (BI), como medida de segurana contra incndio epnico, assim como os quesitos necessrios para habilitao e credenciamento de brigadistasparticulares e voluntrios nos processos analisados e fiscalizados pelo Corpo de Bombeiros Militarde Santa Catarina (CBMSC) conforme estabelece a Lei Estadual n 15.124, de 19/01/2010 e oDecreto Estadual n 3.465, de 19/08/2010.

    Pargrafo nico. A IN no possui objetivo de regular qualquer profisso, pois esta atribuiocompete aos respectivos conselhos de classe profissional.

    Seo IIAplicao

    Art. 2 Esta IN se aplica aos imveis onde a Brigada de Incndio exigida, conforme previstona IN 001 e aos eventos com grande concentrao de pblico conforme a Lei n 15.124/2010.

    Pargrafo nico. Esta IN no se aplica aos eventos realizados em vias pblicas e outras reasque no possuam delimitao e nem fechamento por qualquer tipo de barreira em seu permetro,sem controle do acesso do pblico rea do evento.

    Seo IIIIseno do brigadista particular

    Art. 3 Fica isenta a presena de brigadista particular nas microempresas e empresas depequeno porte enquadradas, como tal, na legislao estadual ou federal.

    Pargrafo nico. A iseno do brigadista particular no se aplica aos eventos de grandeconcentrao de pblico.

    Seo IVReferncias

    Art. 4 Referncias utilizadas:I Lei Estadual n 15.124, de 19/01/2010 Fixa exigncias mnimas de segurana para

    estabelecimentos ou eventos de grande concentrao pblica e regula a atividade de brigadista3/24

  • TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 Brigada de Incndio

    particular no Estado de Santa Catarina;II Decreto Estadual n 3.465, de 19/08/2010 Regulamenta a Lei n 15.124, de 19 de

    janeiro de 2010;III NBR 14.276 Brigada de incndio;IV NBR 15.219 Plano de emergncia contra Incndio; eV NBR 14.608 Bombeiro civilVI Lei Federal n 11.901, de 12/01/2009 Dispe sobre a profisso de bombeiro civil

    e d outras providncias.

    Seo VTerminologias e Siglas

    Art. 5 Adotam-se as terminologias de segurana contra incndio da IN 004, e as siglas dostermos e expresses do Anexo A.

    Art. 6 O brigadista particular o profissional qualificado e capacitado para prestar serviosde segurana contra incndio e pnico em reas privadas conforme estabelece o art. 2 da LeiEstadual n 15.124/2010.

    Pargrafo nico. O brigadista particular deve ter dedicao exclusiva s atribuies inerentesa sua funo, sendo responsvel por executar aes de preveno e de emergncia exclusivamenteno local em que atua a Brigada de Incndio, conforme exige o Decreto Estadual n 3.465/2010.

    Art. 7 Evento de grande concentrao de pblico aquele realizado em locais prprios, comou sem cobrana de ingresso, onde a participao estimada seja de mais de 2.000 pessoas emespaos fechados e mais de 5.000 em locais abertos.

    Pargrafo nico. Os locais prprios, previstos no caput, so aqueles que possuem readelimitada e fechada por qualquer tipo de barreira em seu permetro, sendo controlado o acesso dopblico rea do evento.

    CAPTULO IIESTRUTURAO DA BRIGADA DE INCNDIO

    Art. 8 As etapas para implantao da Brigada de Incndio esto descritas de forma resumidano Anexo E.

    Art. 9 A Brigada de Incndio composta por brigadistas voluntrios e, quando exigido, porbrigadistas particulares.

    1. A existncia de brigadista particular no dispensa a exigncia de brigadistas voluntrios evice-versa.

    2. Para os eventos de grande concentrao pblico exigido somente brigadistasparticulares.

    Seo IDimensionamento da Brigada de Incndio

    Art. 10. Quando em uma edificao e/ou rea de risco houver ocupao mista, o nmero debrigadistas deve ser calculado para cada tipo de ocupao, independente de isolamento oucompartimentao.

    Pargrafo nico. Para efeitos de dimensionamento do nmero de brigadistas voluntrios, desconsiderada a populao fixa que reside em rea unifamiliar e multifamiliar de edificaes com

    4/24

  • TEXTO EM CONSULTA PBLICA: IN 028 Brigada de Incndio

    ocupao mista.

    Art. 11. Quando o critrio para dimensionamento da Brigada de Incndio for a populaofixa, o dimensionamento da Brigada de Incndio realizado por turno de servio.

    Art. 12. O clculo da quantidade de brigadistas particulares determinado em funo da reada edificao e sua altura, dependendo do tipo de ocupao e do seu grau de risco, conforme asTabelas 1 e 2 do Anexo B.

    Paragrafo nico. Para as ocupaes de reunio de pblico com ou sem concentrao depessoas e para os eventos de grande concentrao de pblico o dimensionamento realizado emfuno da lotao.

    Art. 13. Nos eventos de grande concentrao de pblico permitido definir o nmero debrigadistas em funo da quantidade efetiva de ingressos colocados venda, ou da limitao donmero de pessoas (quando o evento for gratuito), devendo esta informao ficar disposio dafiscalizao e afixada junto portaria principal.

    Art. 14. Para o dimensionamento da quantidade e nvel de treinamento dos brigadistasvoluntrios adotam-se os critrios a Tabela 3 do Anexo B, observado o seguinte:

    I cada brigadista voluntrio deve atender a um Grupo de Populao Fixa (GPF) at olimite mximo estipulado pela Tabela 3 do Anexo B, sendo:

    a) GPF 25, prever 01 brigadista voluntrio para cada grupo de at 25 pessoas;b) GPF 20, prever 01 brigadista voluntrio para cada grupo de at 20 pessoas;c) GPF 15, prever 01 brigadista voluntrio para cada grupo de at 15 pessoas;d) GPF 10, prever 01 brigadista voluntrio para cada grupo de at 10 pessoas; ee) GPF 05, prever 01 brigadista voluntrio para cada grupo de at 05 pessoas.

    Art. 15. Quando for exigido brigadista particular, sua permanncia deve ser durante o perodode funcionamento da edificao ou do evento.

    Art. 16. Compete ao responsvel pelo imvel manter o nmero mnimo de brigadistascapacitados conforme exigido por esta IN.

    Pargrafo nico. Deve ser mantido na edificao cpia atualizada do PIBI e dos certificadosde curso dos brigadistas voluntrios para fins de fiscalizao.

    Seo IIOrganizao da Brigada de Incndio

    Art. 17. A organizao da Brigada de Incndio varia de acordo com o nmero de blocos epavimentos do imvel, assim como da distribuio da populao em setores ou turnos.

    Art. 18. Em toda Brigada de Incndio deve haver um coordenador da Brigada de Incndioque ser responsvel pela coordenao e execuo das aes de emergncia de toda edificao,independente do nmero de blocos ou turnos.

    Pargrafo nico. Na ausncia do coordenador deve estar previsto no Plano de Emergncia ouPlano de Implantao da Brigada de Incndio (PIBI) um substituto capacitado, que no poderacumular outra funo na brigada.

    Art. 19. Os estabelecimentos que tiverem 3 ou mais brigadistas particulares por turno deservio devero constituir um chefe de Brigada de Incndio.

    1. O chefe de Brigada de Incndio deve ter o mesmo credenciamento e a mesma formao