INALAÇÃO DE FUMAÇA TÓXICA. O QUE É É uma mistura de partículas sólidas, vapores e gases a partir da decomposição de algum material combustível. A composição

  • View
    109

  • Download
    5

Embed Size (px)

Text of INALAÇÃO DE FUMAÇA TÓXICA. O QUE É É uma mistura de partículas sólidas, vapores e gases a...

  • Slide 1
  • INALAO DE FUMAA TXICA
  • Slide 2
  • O QUE uma mistura de partculas slidas, vapores e gases a partir da decomposio de algum material combustvel. A composio qumica da fumaa depende do material queimado, mas sempre contm monxido de carbono, dixido de nitrognio e dixido de enxofre, dentre outras substncias geralmente txicas.
  • Slide 3
  • EFEITOS DA FUMAA NAS PESSOAS Diminuio da visibilidade; Lacrimejamento e irritao dos olhos; Acelerao da respirao e dos batimentos cardacos; Intoxicao e asfixia; Vmitos e tosse; Morte.
  • Slide 4
  • I NALAO DE FUMAA TXICA A inalao continuada de pequenas quantidades de fumaa, como acontece nos fumantes, por exemplo, leva a um processo inflamatrio crnico dos alvolos pulmonares e mau funcionamento, dilatao e destruio dos mesmos. A inalao massiva, por sua vez, pode causar danos srios imediatos e at letais ao aparelho respiratrio.
  • Slide 5
  • I NALAO DE FUMAA TXICA Mesmo dias depois da inalao as pessoas podem desenvolver sintomas e doenas respiratrias graves (falta de ar, chiado no peito, febre, tontura ou enjoo, bronquite, pneumonia qumica) ou ficar com sequelas permanentes. Como a fumaa geralmente est aquecida (s vezes a temperaturas muito altas), a combinao do calor com a fumaa causa danos ainda maiores ao sistema respiratrio.
  • Slide 6
  • I NALAO DE FUMAA TXICA Nos alvolos deteriorados, as trocas gasosas que ocorrem normalmente (absoro de oxignio, eliminao de gs carbnico) no podem acontecer, parcial ou totalmente. Sem oxigenao, os tecidos morrem em 5 a 7 minutos e o tecido nervoso ainda mais rapidamente.
  • Slide 7
  • S INTOMAS Ocorrem a partir de diferentes efeitos: Ao trmica: - Eritema (vermelhido); - Edema (inchao); - Ulceraes (feridas) de mucosa nas vias areas superiores. Esses sintomas ocorrem pela inalao de fumaa quente, o que leva a queimaduras internas, fechamento dos brnquios e consequente obstruo da passagem de ar.
  • Slide 8
  • S INTOMAS Inalao de gases txicos: Falta de ar; Tontura; Confuso Mental; Torpor; Coma; bito.
  • Slide 9
  • S INTOMAS Inalao de toxinas: Alteraes de: - Permeabilidade capilar; - Fluxo linftico; - Clareamento mucociliar. Aparecimento da sndrome de desconforto respiratrio; Infeces secundrias. Os sintomas causados pelos gases em geral so sensao dolorosa na boca, nariz e olhos.
  • Slide 10
  • C LASSIFICAO DOS GASES Os gases podem ser divididos em: Irritantes e; Asfixiantes. Os gases irritantes podem causar broncoespasmo, traqueobronquite qumica ou edema pulmonar. Os gases asfixiantes so definidos como aqueles que retiram oxignio do ambiente.
  • Slide 11
  • A O NO ORGANISMO Das toxinas sistmicas a mais deletria o monxido de carbono. Sua afinidade pela hemoglobina 200 a 250 vezes maior que a do oxignio e assim ele ocupa o lugar deste, impedindo o transporte normal de oxignio e sua liberao aos tecidos. As partculas veiculadas pela fumaa podem ficar depositadas na rvore respiratria, obstruindo-a ou causando broncoespasmos. Quando se depositam nas cavidades nasais, podem causar sinusites.
  • Slide 12
  • A O NO ORGANISMO Quando o monxido de carbono entra pelo pulmo e cai na corrente sangunea, ocupa espao nos glbulos vermelhos onde deveria estar o oxignio. No momento em que os glbulos vermelhos ficam tomados pelo monxido de carbono, estes no conseguem transportar oxignio, provocando a morte do indivduo. Alm disso, a fumaa quente causa leso na traquia e nos brnquios, chegando at os alvolos.
  • Slide 13
  • V DEO
  • Slide 14
  • S EQUELAS Em casos de intoxicao por monxido de carbono, em que o indviduo perde a conscincia, mas resgatado a tempo; ficam no suporte de oxignio e sob monitoramento, mas aos poucos o monxodo de carbono liberado e as sequelas so mnimas ou no existem.
  • Slide 15
  • S EQUELAS Nos casos em que a oxigenao ficou baixa por muito tempo pode haver sequelas neurolgicas - encefalopatia anxica (ausncia prolongada de oxignio no crebro). Quando isso ocorre, o indivduo no acorda, fica em coma. Porm se a oxigenao for rapidamente revertida, o paciente tem condies de ficar bem.
  • Slide 16
  • S EQUELAS J as leses trmica e qumica so mais problemticas. LESO TRMICA: A cicatrizao dessas leses pode levar a doenas crnicas, como acontece com fumantes. Em casos, mais srios, h limitao das atividades normais do indivduo. Dependendo do grau de leso, h sequelas leves, onde a pessoa vive bem. Se a leso for mais grave, a pessoa pode precisar de suplementos de oxignio, porque seu pulmo no d conta.
  • Slide 17
  • S EQUELAS As leses trmicas causam, ainda, queimaduras nas vias respiratrias, tirando a proteo natural dos tecidos e deixando a pessoa mais vulnervel a infeces. Outra sequela o acmulo, dentro do pulmo, de partculas slidas dos produtos em combusto, carregadas pela fumaa.
  • Slide 18
  • I NALAO DE FUMAA TXICA X E XERCCIO FSICO A prtica de exerccios fsicos sempre benfica para a sade respiratria e, nestes casos no diferente. Considerando que muitos indivduos expostos a inalao de fumaa txica mais tarde acabem desenvolvendo doenas como pneumonia, bronquite e falta de ar; esta prtica deve ser incorporada ao dia a dia, trazendo inmeros benefcios sade dos mesmos.
  • Slide 19
  • B ENEFCIOS DO EXERCCIO FSICO Melhor capacidade de ventilao; Menor stress respiratrio; Melhoria no sono; Diminuio do peso corporal; Diminuio do risco de doena cardiovascular; Melhor controle do metabolismo energtico.
  • Slide 20
  • C OMO REALIZAR EXERCCIOS O Colgio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) defende que pacientes com problemas respiratrios devem realizar caminhadas pelo menos 3 a 5 vezes por semana a 50% da FCM.
  • Slide 21
  • C OMO REALIZAR EXERCCIOS FSICOS Saber escolher o exerccio certo para estes indivduos muito importante, bem como a preparao para a realizao do mesmo. "Sem um aquecimento adequado e um alongamento bem feito, o corpo pode ter uma reao imediata de rejeio ao exerccio, causando leses e dificuldades. Essa preparao ainda mais bem-vinda para pessoas com problemas respiratrios", diz Raul Santo, fisiologista do esporte da Universidade Federal de So Paulo
  • Slide 22
  • R EALIZAO DE EXERCCIOS FSICOS H dois exerccios especiais para as pessoas com dificuldades respiratrias que podem ser feitos juntamente com o aquecimento especfico para cada modalidade: - Relaxar o pescoo e os msculos dos ombros e depois inspirar pelo nariz e expirar pela boca;
  • Slide 23
  • R EALIZAO DE EXERCCIOS FSICOS - Deitar com as costas no cho, flexionar as pernas, colocar uma mo na barriga e outra em cima da caixa torcica e depois inspirar profundamente. Para o exerccio fazer efeito, a barriga deve se levantar, mas o peitoral deve continuar parado. Esses exerccios devem ser executados em 5 a 10 minutos.
  • Slide 24
  • R EALIZAO DE EXERCCIOS FSICOS Se, durante o treino, sintomas como dores no peito, enjoo, fraqueza e queda brusca de presso ocorrerem, sinal de que a pessoa deve, imediatamente parar o exerccio fsico. Pessoas com qualquer tipo de problema respiratrio, seja ele crnico ou proveniente de inalao de fumaa txica, ou qualquer outro fator, deve realizar somente exerccios indicados pelo pneumologista e por seu treinador. Esses profissionais sabem o limite fisiolgico de cada um.
  • Slide 25
  • E STUDO DE C ASO Indivduo do sexo masculino; 23 anos; Praticante de musculao e Muay Thay; Sobrevivente do incndio da Boate Kiss;
  • Slide 26
  • R EFERNCIAS ABC.MED.BR, 2013. As consequncias da inalao de fumaa. Disponvel em:. Acesso em: 03 mai. 2014; BBC BRASIL, 2013. Mdico explica como inalao de fumaa afeta sade. Disponvel em:. Acesso em 03 de mai. 2014.
  • Slide 27
  • R EFERNCIAS FUNDAO PORTUGUESA DO PULMO. Pratique exerccio fsico e melhore a sade dos seus pulmes. Disponvel em. Acesso em 09 mai. 2014. MINHA VIDA. Exerccios mais indicados para quem tem complicaes respiratrias. Disponvel em http://www.minhavida.com.br/fitness/materias/13 049-exercicios-mais-indicados-para-quem-tem- complicacoes-respiratorias>. Acesso em 09 mai. 2014.