Indice Vulnerabilidade Familias 1

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Manual técnico produzido pelo Governo do Estado do Paraná, contendo a metodologia de cálculo do Índice de Vulnerabilidade das Famílias.

Text of Indice Vulnerabilidade Familias 1

  • ndice de Vulnerabilidade das FamliasParanaenses:

    Mensurao a partir do Cadastro nico paraProgramas Sociais - Cadnico

    Louise Ronconi de NazarenoPalmiro Chaves de Souza Junior

    Srgio Aparecido Igncio

    Curitiba2012

  • GOVERNO DO ESTADO DO PARAN

    Carlos Alberto Richa - Governador

    SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E COORDENAO GERAL

    Cassio Taniguchi - Secretrio

    SECRETARIA DE ESTADO DA FAMLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL - SEDS

    Fernanda Bernardi Vieira Richa - Secretria

    INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONMICO E SOCIAL - IPARDES

    Gilmar Mendes Loureno - Diretor-Presidente

    Emilio Kenji Shibata - Diretor Administrativo-Financeiro

    Julio Takeshi Suzuki Jnior - Diretor do Centro de Pesquisa

    Daniel Nojima - Diretor do Centro Estadual de Estatstica

    EDITORAO

    Maria Laura Zocolotti - Coordenao

    Lia Rachel Castellar - Editorao Eletrnica

    Estelita Sandra de Matias - Reviso de Texto

  • | Nota Tcnica Ipardes, Curitiba, dez. 2012

    1

    NDICE DE VULNERABILIDADE DAS FAMLIAS PARANAENSES:MENSURAO A PARTIR DO CADASTRO NICO PARA PROGRAMAS

    SOCIAIS - CADNICO*

    Louise Ronconi de Nazareno**

    Palmiro Chaves de Souza Junior***

    Srgio Aparecido Igncio****

    INTRODUO

    Seja no domnio acadmico-cientfico ou na arena governamental, a vulnerabilidadetem sido a ide-force condutora das aes, anlises e propostas de interveno e planejamento(MARANDOLA; HOGAN, 2006). O conceito de vulnerabilidade ganha autoridade e aprovaoporque est associado a problemas que dizem respeito a como as famlias/indivduosenfrentam riscos, avaliam estruturas de oportunidades e dificuldades e manejam ativos paramanuteno de sua existncia, dirigindo nosso olhar s condies que limitam a capacidade deresposta dos mesmos. Dessa maneira, identificando as limitaes nas condies possvelpropor aes especficas para cada limitao, criando polticas pblicas mais objetivas.

    Essa tarefa exige formas para definir e mensurar a vulnerabilidade. Tendo emvista que o conceito de vulnerabilidade complexo e baseia-se numa cadeia de relaesentre dimenses ambientais, econmicas e sociais, sua mensurao consiste apenas em

    * Agradecemos as discusses e contribuies ao tema por parte dos pesquisadores e colegas de trabalho do

    IPARDES, de modo particular a Angelita Bazotti, Cludio Esteves, Valria Villa Verde, Anael Pinheiro deUlha Cintra, Julio Takeshi Suzuki Junior, Leonildo Sousa e Paulo Delgado.

    ** Sociloga, mestre e doutoranda em Cincia Poltica pela Universidade de So Paulo (USP), tcnica daSecretaria de Estado da Famlia e Desenvolvimento Social (SEDS).

    *** Educador Social da Fundao de Ao Social de Curitiba (FAS). Trabalha com base de dados na SEDS.**** Estatstico, mestre em Economia Rural e doutor em Engenharia Florestal, tcnico da SEDS.

  • | Nota Tcnica Ipardes, Curitiba, dez. 2012

    2

    simplificaes e aproximaes da realidade, que, no raro, consideram apenas um nmeroreduzido de indicadores de algumas dimenses.

    Por um lado, entende-se tambm que o avano das discusses sobre heterogeneidadeda pobreza (e da questo social), gerando novas avaliaes e assunes sobrevulnerabilidade, se deve muito a mudanas em pelo menos trs reas: 1. precariedade einstabilidade laboral; 2. desproteo e inseguridade em relao a direitos sociais garantidospelo Estado; e 3. fragilidades em instituies primrias, famlia e comunidade. Por outrolado, esses avanos no produziram suficiente conhecimento acerca de ndices eindicadores j testados e discutidos pela literatura sobre vulnerabilidade, ao mesmo tempoque no se possui um consenso sobre o instrumental conceitual a respeito da construodessas medidas. Por essa razo, a proposta aqui apresentada consiste em uma medidaindireta sobre a vulnerabilidade social, utilizando as possveis questes encontradas empesquisas j existentes sobre pessoas e domiclios que no foram estruturadas especificamentepara dar conta das discusses sobre instabilidade laboral, debilidades comunitrias e familiares,mapeamento de acessos e bloqueios aos direitos sociais. Como qualquer outra proposta demedio de situaes complexas, a proposta presente neste texto est sujeita s limitaesdas escolhas feitas sobre os componentes e os pesos dados a cada condio, que revelamvieses e prioridades por parte dos envolvidos, assim como s limitaes dos dadosdisponveis. Assim, crticas e revises fazem parte do processo de proposta de mediessobre situaes complexas.

    O projeto para esse ndice originou-se de demanda da Secretaria de Estado daFamlia e Desenvolvimento Social do Paran (SEDS) para que se criasse um instrumentoque pudesse medir determinadas condies de vulnerabilidade das famlias paranaenses e,assim, orientasse a seleo das famlias que participariam do Programa FamliaParanaense. Este programa tem como atribuio articular as polticas pblicas de vriasreas do governo, visando ao desenvolvimento, ao protagonismo e promoo social dasfamlias que vivem em situao de maior vulnerabilidade. O projeto pretende viabilizar oacesso aos direitos e aos servios que garantem esses direitos. O programa tem comoeixos de interveno: 1. promoo da infraestrutura de servios pblicos; 2. fortalecimentodo sistema de desenvolvimento socioeconmico estadual; e 3. promoo e acompanhamentoda autonomia das famlias em situao de vulnerabilidade.

    Para a seleo das famlias, solicitou-se ao Instituto Paranaense de DesenvolvimentoEconmico e Social (IPARDES) a construo de um indicador ou ndice que pudesseavaliar as caractersticas das famlias que no fosse exclusivamente a partir da renda.Entendeu-se que indicadores que lanam mo unicamente da renda como instrumento deanlise so incompletos, uma vez que muitos fatores interferem na identificao da pobreza,do bem-estar ou da vulnerabilidade.

  • | Nota Tcnica Ipardes, Curitiba, dez. 2012

    3

    Pretende-se que o ndice de Vulnerabilidade das Famlias Paranaenses (IVFPR)desenvolvido seja uma ferramenta de apoio para a seleo de beneficirios dentro demunicpios selecionados, indicando, de certa forma, uma priorizao das piores situaesencontradas. A proposta concentra-se em trs objetivos principais: 1. caracterizar asituao das famlias por meio de variveis que representam algumas das dimensesenvolvidas na ideia de vulnerabilidade; 2. quantificar as famlias do Cadastro nico paraProgramas Sociais (Cadnico) em condies identificadas como de vulnerabilidade noParan, seus municpios e regies; e 3. identificar graus de vulnerabilidade segundo suasdiferentes dimenses, por municpio.

    Entende-se que o indicador sinttico proposto consiste mais em um instrumento degerenciamento e diagnstico a respeito das condies familiares em relao s vulnerabilidadesdo que um indicador de desempenho ou acompanhamento do programa e suas aes em si.Como observa Jannuzzi (2005, p.146):

    A aplicabilidade dos indicadores sintticos como instrumentos de avaliao daefetividade social das polticas pblicas ou como instrumentos de alocaoprioritria do gasto social est sujeita a fortes questionamentos (RYTEN,2000). Ao partir da premissa de que possvel apreender o social pormeio da combinao de mltiplas medies dele, no se sabe ao fim e aocabo quais as mudanas especficas ocorridas e qual a contribuio ou oefeito dos programas pblicos especficos sobre sua transformao.

    Apesar disso, o indicador sinttico proposto calculvel para cada famlia e representaalgumas condies de vulnerabilidade que sero observadas pelo programa com intenode selecion-las para aes concentradas visando contribuir para a melhoria de suascondies de vida e o desenvolvimento de autonomia no curso de vida familiar.

    As discusses compem cinco partes, alm desta introduo. A primeira trata daconstruo de indicadores e ndices para subsidiar polticas pblicas, em que se expem asjustificativas para a escolha da base de dados e a avaliao realizada do Cadnico para oseu uso, explicando os procedimentos que resultaram na construo do ndice. A segundaseo sistematiza, por meio de fichas de qualificao, cada dimenso e os indicadores quecompem o ndice. A terceira parte consiste na memria de clculo do IVFPR. Na sequnciaapresentam-se dados j trabalhados dos ndices para cada dimenso e o IVFPR, e, por fim,algumas consideraes finais.

    1 NDICES E INDICADORES - DISCUSSES METODOLGICAS

    No constitui novidade o fato de que a temtica de indicadores sociais e de mediode condies sociais com aplicao s atividades ligadas ao planejamento governamental

  • | Nota Tcnica Ipardes, Curitiba, dez. 2012

    4

    tem recebido tratamento crescente dos pases (JANNUZZI, 2005). Isto implica o interessepor melhorar os sistemas de informaes de cada rea de poltica pblica e a difuso deuso das informaes. O desenvolvimento e aprimoramento de informaes e a combinaodestas para retratar situaes com foco na famlia tm sido objeto da Poltica Nacional daAssistncia Social, derivado de novos desdobramentos sobre a discusso da pobreza,excluso, vulnerabilidade e desigualdade.

    A proposta de criar indicadores para medir vulnerabilidades traz tona as dificuldadesde representar um conceito que pretende, justamente, contemplar mltiplas dimenses emrelao s incapacidades ou dificuldades de pessoas por mobilizar recursos individuais epadres e estruturas sociais ausentes ou disponveis nessa mobilizao de recursos. Essamultidimensionalidade inerente vulnerabilidade exige uma viso da complexidade dasteias de relaes que podem gerar ou formalizar incapacidades ou destituir capacidades.No entanto, a possibilidade de sair da abstrao e efetivamente gerar um medida querespeite minimamente essa complexidade representa um grande desafio.

    Supe-se que a vulnerabilidade se refira posse ou controle e capacidade de umindivduo, ou famlia, mobilizar material e simbolicamente recursos que lhes permitam evitara deteriorao de suas condies de vida e aux