INFELIZ NP - RIO DE JANEIRO-TERأ‡A-FEIRA, 6 DE JUNHO DE 1905 EXPEDIENTE 0 sr Lourenأ§o Plأ،cido Campozana

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of INFELIZ NP - RIO DE JANEIRO-TERأ‡A-FEIRA, 6 DE JUNHO DE 1905 EXPEDIENTE 0 sr Lourenأ§o...

  • "... -J .UJWiUIMI- J »íw*W.w"

    ¦MBal ¦ "ww*. ' m*

    Jgl jí*fm BM»ma9m***m***** ^

    Director-EDMUNDO BITTENCOURT guB.i.xiijjunjUjiiniijiiii iiiiii,, | nn ,—n ,|| g luiii^aaiat-^MaiBaw

    Anno V—N. 1.426 -TT-U-.-.~Sj^i—-.' ~:-ã:I7ãr--?at-?^j-i.._.».t.T7Zr. Bá-BE agsi.-nr.-s-:^_^i_i__E.-3r--j-.ss:

    RIO DE JANEIRO-TERÇA-FEIRA, 6 DE JUNHO DE 1905 EXPEDIENTE

    0 sr Lourenço Plácido Campozana d represetitanto no «Correio da Manha» e como tal o recomiocndainus. Percorre actuulmciitcS. Paulo, Santos e a linba da Mogyana.

    O sr. Fau«tino Costa quo, represen-tava o ii Correio da lYlanhft. » em aliju- mas loculidados do Estado do S. Pau- lo, nào tem mais delegação alguma desta folha.

    ASS1GNATURAS Anno 301000 8ois mezos 18'000

    Numero atrazado 200 réis

    INFELIZ NP Decorreu o primeiro mez dc scssüo te-

    gislativa, inteiramente perdido, durante a qual o Congresso nem um só dia con- sagrou aos multipliccs problemas de inter- csí>e publico nue cstão-clamando por so- íuça~o urjreiite.

    Durante lodo esse tempo, Câmara e Se- nado só elegeram as suas mesas c com- inissEfes. Algumas sessões foram consumi- das com a politicagem do Bspirito Santo c

    Goyaü, Só houve duasdisciis>i5es ititeres-

    santes,eainbastia Câmara— a da amnislia, em que se fez ouvir o sr. Moreira da Sil- va, ea ri.is immunidades parlamentares, brilhantemente defendidas pelo dr. liar-

    bosa Limii. Ha vários projectos com as respectivas

    ConuhissSes sobre assumptos que interes- sam vivamente ao commercio e A lavoura. Medidas urgentes solicita a situação pe- nosa a que veiu parar a industria nacio- nal. Meu liu m a dessas classes que traba- lliatn para encher as arcas do Thesouro,

    merece os cuidados do governo e legisla- dores. Aquelle satisfaz-se em proclamar a nossa puj.iiite prosperidade, estes ap-

    plaudcm e rendem graças aos deuses que tüo propícios nos são.

    dom effeito, 6 maravilhosa a nossa pro- spciidaile Querem prova? Examinem o

    trafego da Estrada dc ferro Central. Ainda no sabbado, esta estrada, com aquel- lc extraordinário pessoal, coni aquelle

    prodigioso material, com aquelle assom- bioso movimento, transportou do Interior

    para esta cidade, quatrocentas toneladas de carga, isto â, a quarta parte do que transportava diariamente até bem pouco tempo.

    Querem outra prova? O Banco da Rcpu- blicii fechou o seu balanço do mez pas- sado com a maior caixa que tem lido du- í.tntc toda a sua existência, E maior nunca apresentou nenhum outro hanco, (Jite

    sonirmi.l Rs. 86.394:77'l$8Òil E nao ba peri- go que a caixa se esvnsie. O llatico nlo faz um só desconto,uma só eauoSo, nenhuma absolutamente, nenhuma operação a nuo serem as indispensáveis ao jogo do cain- biò, K como do cambio elle é aenhor, a caixa crescerá cada vez mais.

    Nestas condições, e quando o credito do

    paiz é tal que chega para qualquer Estado ou município arranjar avultailos empresti- nio» no estrangeiro, porque inventar mo-

    das, tomando providencias em favor da lavoura, do commercio e da industria '?

    Nüo está em jugo a .fortuna publica, dizem os nossos sábios c experimentados estadistas, O problema da lavoura, do

    commercio i dn Industria/ dc ordem me- ramente particular. Que importa a des-

    graça dos nctltacs coiumerciantcs, lavrn- dores e indnstriaes V llüo dc ser substi- tiiidos por outros. O cnminercio passará para os allcnities c o resto pura os yankees, que melhor su berilo aproveitar as-extra- ordinárias riquezas naturaes do paiz, Na reiilidi dc dizem taes estadistas—a crise 6 providencial ou imposta pela lei do pro- grosso. Os fracos cedem logar nos fortes c o Brasil cutrega a. braços mais robustos, e a iutelllgcticlas m.iis capazes,thesouros que elle por si nüo pódc explorará av.inttiicutc

    guarda CIU prêjtlizo da humanidade e da

    civilizaç.lo. A iiiicloiintlzaçilo ria cabotagem, por iu-

    tcresiiai- ii defesa da pátria, mereceu espe-

    liai cuidado rio legislador republicano,

    que ll elevou ii principio constitucional. A que está ella reduzida / As nossas agitas,

    de norte a eul, sao navegadas qmisi cx- clusiviíinoute por navios estrangeiros que livoram cavillos.unetite a bandeira duri-

    verde. As tinicas empresas brasileiras sao

    a Costeira dos srs. Lages é o l.loyd. Este,

    porem, ao que corre, vae «cr vendido [ior uniilo menos do seu valor, sendo parte do

    )PCÇ0 pQgÒ CHI ítCUttS, a ncrlo-.utiot icailos,

    los quaes alguns brasileiros se prestam a

    icr testas de feiro. Nem sagrados direitos de brasileiros;

    ¦jnaes os ri s pobres ncoiouistas rio Ha tico il.i Kcpiiblic.i.s.iciiliciilos com t-sta venda,

    conto j« foram por outras perfeitamente semelhantes; quaes os dos homens üo mar despojados do privilegio oc uma profissão que ít Constituição dn KYmíblica lheS ns-

    segurava ; «etn supremas cuiivtiiieticias

    nacionaes,como a defesa maritima do paiz, despertam a átlençSo dos proceres da Ke-

    publica. aliMirvidos pela faina política

    por bem das próprias puãiçOes on i-uvol-

    vi.tos em negócios que lhes proporcionam commodos dias na velhice c tranquilllda- dc quanto .u> futuro da família.

    Infeliz nação ! E quando í1 esta a sna situ.içlo no presente, melhores dias i»3o se lhe desenham uo futura com a victoria I

    provável do homem funesto a quem o «r. Kodrigue» Alve- quer entregar o governo para concluir a liiiuid.-içlo da Republica.

    QU Vidii

    dios indicados na referida planta, situa- dos & rua das Portas do Carmo, como também uma nesga de terreno por detrás dos prédios; creando mais duas brigadas de infanteria de guardas nacionaes, uma no departamento do Alto Acre e outra na comarca dc Santa Cruz, no Estado do Es- pirito Santo.

    Estiveram no palácio do Cattete o dr, Joaquim Francisco Barros Barreto c uma conimissSo do Gabinete Portuguez de Lei- tura.

    ENTRE BAHIANOS

    O leader Ao Câmara, deputado Fernando Prestes, teve, á tarde, longa conferência com o presidente da Republica.

    Confeteiicioit com o presidente da Re- publica o marechal ministro da guerra.

    Teve demorada conferência com o pre- sidente da Republica, sobre assumpto que se prende á politica dc Goyaz, o depu- tado Hcrinenegildo de Moraes.

    O presidente do Tribunal de Contas or- deitou o registro dos seguintes pagamen- tos:

    De 30:903S777, ouro, á Amazon Tele- grnph Company, Limited, da subven^-Jo que lhe compete uo l" trimestre do cor- rente nnno.

    Dé 3:190$5uS ao dr. Ciulgcro Wandick Dulabela, de trabalhos executados para a E. rie P. Central do Brasil, no mez dc abril ultimo.

    De 6:716$576, A diversos.de fornecimen- tos ao Instituto Sorotherapico Federal, durante os mezes de fevereiro, março e abril do corrente anno.

    De 17:62S$090, á diversos de fornecimen- tos á directoria geral de saude publica, nos mezes de marco e abril últimos.

    De 3:300$000, credito á Delegacia da Bahia, para pagamento das pensSes a que tem direito d. Joaquina d'Utra Freire de Carvalho e seus filhos menores, durante o corrente anno.

    O ministro da fazenda esteve traba- lhando no projecto do orçamento da re- ceita e despeza para o anno de 1906.

    S. ex. pensa em sujeitar o seu trabalho á consideração do presidente da Repu- blica, no sabbado próximo.

    Uma commissão de sócios do Gabinete'Portuguez de Leitura convidou o minis-

    tro da fazenda, em seu gabinete, para assistir a uma sessSo solenne que ali se realizará por toda esta semana.

    No Thesouro Federal foram resgatadas mais duas apólices de 1:000$, do empresti- mo dc 1897, no valor de 2:040$, inclusive os respectivos juros.

    Do empréstimo dc 1868 loram resgata- das mais 70 apólices de 1:000$e 63 de 500$, no valor de 1U1:5U0$, ouro.

    Ao Thesouro Federal foram recolhidas as seguintes quantias, em cambiacs : £ 6106-2-9, no valor de 54:283$SS9 dr. dc- legacia liscal em Pernambuco e £ 1819 0r0, n valor Ue 16:1703910 de idêntica repar- tiçào cm Piauhy.

    Estiveram no gabinete do ministro da justiça o general Souza Aguiar, o chefe dc Policia, o dr. Fernando Prestes, leader provisório da maioria da Câmara dus Deputados, dr. Pires Farinha, director da Casa de CorrecçJo e vários representantes das duas casas do Congresso Nacional.

    Com o dr. Lauro Muller estiveram os srs. dr. Francisco Bicalho, engenheiro das obras do porto, dr. Paulo de Frontin, dr. Teixeira Soares, director da Estrada de Forro do Prraná ao Rio Grande do Sul, diversos deputados e senadores.

    O dr. Oswaldo Cruz, director geral da Saude Publica, confcrcnciou com o mi- nistro do interior c justiça.

    Foi assumpto dessa conferência a esco- lha rio medico que deve ser incorporado á commissão demarcadora de limites entre o Brasil o a Bolívia.

    Ao que ouvimos, é bem provável que a designação recaia sobre um dos bacterio- logistas da Directoria Geral da Saude Pu- blica, CAMBIO

    l'.iti'«u otllrlnl Praea» 90 d|V h vlsln

    Sobre -Londres..;. 16 il|6i ie i/M ¦ Parla r.íX) ST,

    IIiiiiiIiiiiko 729 706 . Iialli. Mu

    l'01'liiK.'il — 31fi Sobre Nova-York - 3.omn l Uua esterlina em moeda ÍS.USO Ouro nacional em vale»,

    por iiwj 1,676 llHticarlo 16 j|lil 16 i|« r„ Matriz 16 qa lü l|t

    llrnda da tltuiiilma (tendli do dia 2:6 31 417:158fc'ISlleniln do lha 51 Mil impei ItiijiXIttRÕImi ouro 55:75418»)

    blii inoiciu Km eminl perlorio tie IHO! 8Z»aM0íi)b6

    HOJE No Tiiesouro Federal serSo pagas as

    seguintes folhas de vencimentos :¦ Insti- tuto lienjamin Constant, uiuutc-pio c di- versas