inspeção pos morte Linhas de inspeção SIF 862 robério.ppt

Embed Size (px)

Text of inspeção pos morte Linhas de inspeção SIF 862 robério.ppt

  • Departamento de Inspeo de Produtos de Origem AnimalCoordenao Geral de InspeoDiviso de Inspeo de Carnes e Derivados de Ruminantes, Eqdeos e Avestruzes

  • Inspeo post- mortem - As Linhas de Inspeo no Abate de Bovinos

  • Inspeo post-mortemEfetuada rotineiramente nos animais abatidos, atravs do exame macroscpico visual, por meio de palpao e inciso de linfonodos e partes de rgos, feita pelos auxiliares de linha devidamente capacitados

    Os locais, ou pontos da Sala de Matana onde se realizam esses exames so denominadas Linhas de Inspeo

  • Linhas de InspeoLinha A: Exame dos psLinha B: Exame do conjunto cabea-lnguaLinha C: Cronologia DentriaLinha D: Exame do trato gastrintestinal, bao, pncreas, bexiga e teroLinha E: Exame do FgadoLinha F: Exame dos Pulmes e CoraoLinha G: Exame dos RinsLinha H: Exame dos lados externo e interno da parte caudal da Carcaa e Nodos-linfticos correspondentesLinha I: Exame dos lados externo e interno da parte cranial da Carcaa e Nodos-linfticos correspondentes

  • Tabela Numrica de funcionrios de Linhas em relao a velocidade de Abate

    LINHAS REGULARESNMERO DE FUNCIONRIOSTIPO 1 (+ 80b/h)TIPO 2 (50-80b/h)TIPO 3 ( 50b/h)LINHA "B" (CABEA-LNGUA)221LINHA "D" (APAR. GASTRINTESTINAL)111LINHA "E" (FGADO)111LINHA "F" (PULMO-CORAO)1LINHA "G" (RINS) *111LINHA "H" (CARCAA-QUARTO TRASEIRO) *1LINHA "I" (CARCAA-QUARTO DIANTEIRO) *111SUBSTITUTO DE LINHAS322VETERINRIO RESPONSVEL PELA INSPEO "ANTE" E "POST-MORTEM"221TOTAL DE FUNCIONRIOS NAS LINHAS REGULARES13108LINHAS EXTRASLINHA "A" (PS-Estabelecimentos exportadores)111LINHA "C" (Cronologia Dentria)11(a)TOTAL DE FUNCIONRIOS DAS LINHAS EXTRAS221

  • Escala de Servio

  • Fase Preparatria das Linhas de Inspeo Finalidades da Fase preparatria que precede as linhas de inspeo:Apresentar a pea ou conjunto de peas em condies de serem eficientemente inspecionados de acordo com a velocidade de abate;Apresentar a pea inspeo, perfeitamente limpa, para facilitar o exame visual e preservar pores comestveis;Compete aos operrios da empresa devidamente treinados ;

  • LINHA A: PATAS

    OBRIGATRIO em estabelecimentos exportadores,

    Cuidado em assegurar perfeita correlao entre carcaa e suas respectivas patas,

    Inspecionar o conjunto (quatro patas e espelho nasal).

  • Linha A: Patas (continuao)Lavar os mocots sob o chuveiroRealizar o exame visual das patas (regies peri-unguenais e interdigitais). Examinar tambm espelho nasal e mucosa dos lbios;Marcar a carcaa (no peito lado esquerdo) com chapinha prpria ( tipo 3) quando detectadas leses, para que a mesma seja desviada ao DIF;Marcar a pata lesionada (ou lbio) com chapinha correspondente;Atentar para inter correspondncia entre patas-lbios e carcaa, quando terminar o exame jogar as quatro patas e os lbios nos chutes correspondentes;Solicitar que a empresa encaminhe a pata marcada ou lbio ao DIF.

  • Linha A: Patas (continuao)

    Principais Leses Encontradas:

    Febre Aftosa (vesculas e/ou lceras ) --------DIF

    Outras Leses Encontradas:---- DIF

    PododermatitePodrido do cascoCrescimento Anormal do casco

  • Linha A: Patas (continuao)ESPAO INTERDIGITAL

  • Linha A: Patas (continuao)REGIO PERI-UNGUENAL

  • Linha A: Patas (continuao)MUCOSA

  • Linha A: Patas (continuao)ESPELHO NASAL ou MUFLO

  • Linha A: Patas (continuao)No encontramos leses nessa rea!!!

  • Pata esfoladaPele preservada

  • Inspeo das patas (movimentar articulao)

  • LINHA B: CONJUNTO CABEA-LNGUAPREPARAO ( EMPRESA)Serrar chifres;Esfolar adequadamente a cabea;Amarrar o esfago;Desarticulao da cabea;Numerao cabea- carcaa;Lavar adequadamente a cabea fechada;Liberar a lngua, sem com isso cortar nenhum linfonodo e sem deixar fragmentos das tonsilas na cabea.

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)

    EXAME (SIF)Cabea:Exame visual de todo o rgo (face externa e cavidade bucal/nasal) (abscessos e tumores)Incisar sagitalmente os masseteres, com corte duplo e os pterigides (Cisticercose) Incisar no sentido longitudinal os nodos-linfticos parotidianos e glndulas partidas (tuberculose, linfadenite, parotidites)Em todas as linhas sempre cortar primeiro a musculatura para depois cortar os linfonodos

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)Cabea:Observar cor das mucosas (aftosa, ictercia)Marcar com chapinha vermelha o exato local da leso encontrada (prender bem!)Marcar com chapinha metlica numerada Comunicar imediatamente s demais linhas o nmero da cabea com leso para que, juntamente com a carcaa e vsceras seja encaminhada ao DIF.

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)MasseterLinfonodo Parotidiano

    PterigideGlndula Partida

  • Inspeo da cabea- corte sagital do masseter 1 corte

  • Inspeo da cabea- corte sagital do masseter 2 corte

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)Lngua:Examinar visualmente a lngua, msculos e tecidos adjacentes (Aftosa, abscessos, contaminao, actinobacilose, contuses);Fazer exame ttil da lngua (Palpao) (Actinobacilose, cisticercose);Cortar longitudinalmente (no picar) os nodos-linfticos Retro-Faringeanos, Sublinguais, e quando presente, o Atloidiano.(Tuberculose, linfadenite, tumores);Retirar as tonsilas palatinas (amdalas-MER) Firma

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)Lngua:Marcar com chapinha vermelha o exato local da leso encontrada ;Marcar com chapinha metlica numerada (ateno para o nmero correto!) ;Comunicar imediatamente s demais linhas o nmero da cabea com leso para que, juntamente com a carcaa e vsceras seja encaminhada ao DIF;As lnguas condenadas na prpria linha devero ser desfiguradas.

  • Linha B: Conjunto cabea-lngua (continuao)Cabea e Lngua:Destinos:Tuberculose: DIF Contaminao:Condenar

    Tumores (neoplasias): DIF Abscessos: Condenar / DIFCisticercose: DIF Ceratite: CondenarActinobacilose: DIF Parotidite: CondenarActinomicose: DIFAftosa: DIFIctercia: DIFLinfadenite: DIF

  • LINHA C: Cronologia DentriaEsta linha visa a identificao da idade aproximada dos animais

    Exigncia de pases importadores!!

  • Linha C: Cronologia Dentria (continuao)Segundo Portaria 612/89JOVEMD: Aprox 1 ano e meio(12 a 18 meses): 8 dentes de leiteJ2: Aproximadamente 2 anos(18 a 24 meses): da queda do 1 ao nascimento completo do 2 dente incisivo (pinas)J4: Aprox. de 2 at 3 anos(25 a 30 meses): da queda do 3 ao nascimento completo do 4 dente incisivo

  • Linha C: Cronologia Dentria (continuao)INTERMEDIRIOI: Aprox. de 3 a 4 anos(31 a 42 meses): da queda do 5 ao nascimento completo do 6 incisivo

    ADULTO A: Aprox. 5 anos em diante(acima de 42 meses): a partir da queda do 7 dente incisivo.

  • Linha C: Cronologia Dentria (continuao)

  • Cronologia Dentria

    18.bin

  • LINHA D: Trato Gastrintestinal, Bao, Pncreas, Bexiga e tero

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)PREPARAO (Empresa)Ocluso do retoEsvaziamento e amarrao do esfagoColocar as vsceras abdominais (exceto fgado e rins) e torcicas nas respectivas bandeijasNumerar as vsceras abdominais, correlao com carcaa e cabeaAmarrar o esfago prximo crdia (entrada do estmago), seccion-lo e retirar a mucosa, liberando a poro muscular para inspeo Aps a inspeo, amarrar o intestino prximo ao piloro (sada do estmago) com duas ataduras. Cortar entre as duas ataduras

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)EXAME (SIF)Examinar visualmente e por palpao, cortando se necessrio, esfago, estmagos, intestinos, pncreas, bao e bexiga;Cortar em fatias longitudinais os nodos-linfticos mesentricos (mnimo 10 gnglios) e linfonodo gstrico;Condenar sistematicamente o conjunto todo de peas quando contaminado por contedo gastrintestinal, por perfuraes ou m ocluso de reto ou esfago.

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)EXAME (SIF)Condenar os intestinos intensamente parasitados por esofagstomos.

    Assinalar precisamente no quadro-marcador as condenaes

    Marcar com chapinha vermelha o exato local da leso encontrada (prender bem!). Comunicar imediatamente s demais linhas o nmero das vsceras com leso para que, juntamente com a carcaa, cabea e demais vsceras seja encaminhada ao DIF.

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)

  • Linfonodos do fgado aderidos no trato intestinal

  • Linfonodos do fgado aderidos no trato intestinal

  • Linha D: Trato Gastrintestinal esfago (continuao)

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)

    Destinos:

    Tuberculose: DIF Contaminao:Condenar

    Tumores (neoplasias): DIF Congesto: Condenar

    Cisticercose (esfago): DIF Esofagostomose:Condenar. Intestino

    Linfadenite: DIF

    Aumento do bao: DIFComo desviar todo o intestino e/ou rmem para o DIF??

  • Linha D: Trato Gastrintestinal (continuao)

    O servidor responsvel por esta linha deve:Preparar os papis de marcao das linhas e DIF;Organizar os jogos de plaquinhas; Fazer a marcao e inspeo de todas as carcaas que foram destinadas para o DIF para retirada de contaminaes,junto com o n do SISBOV

    No deixar JAMAIS a carcaa seguir aps o DIF sem ser completamente limpa e sem ser revisada pelo SIF!!!

    Preencher os papis de marcao das linhas no final de cada lote

  • LINHA E: Exame do FgadoPREPARAO (Empresa):

    Retirar o fgado com seus nodos-linfticos , preservando a sua integridade;

    Depositar o fgado na mesa, em bandeja apropriada, mantendo correlao correta com demais vsceras e carcaa.

  • Linha E: Fgado (continuao)EXAME (SIF)Examinar visualmente e por palpao